(Só para proggers) Qual é a obra máxima do Rock Progressivo?

Autor Mensagem
tito lemos
Veterano
# mai/13


Quem curte rock progressivo se delicia com as longas viagens sonoras que o estilo proporciona. Sempre há aquela suíte especial, ou mesmo alguma obra de menor duração que evoca as mais profundas sensações em nossas mentes. Viagens sem drogas.
Citem qual é, pra voces, o magnum opus do estilo.

Pra mim, "Supper's Ready" do Genesis. É uma suíte um tanto diferente das outras do chamado progressivo sinfônico, ela apela mais pra a emoção do que pra a técnica e passagens complexas. Mas ando meio dividido entre ela e "Gates Of Delirium" do Yes. A parte "bélica" dessa música é de tirar o fôlego, e o final é um bálsamo para a alma.

Comentem!

Abraço a todos.

Lelo Mig
Membro
# mai/13 · Editado por: Lelo Mig
· votar


tito lemos

Cara, creio que no Progressivo não há um álbum que possa ser considerado a obra máxima, por conta de uma série de fatores.

Desde sua concepção oriunda do psicodelismo associado ao movimento "Progressista" de meados dos 60, que surgiu nas escolas de Arte Européias e não se resumiu somente à música... era todo um conceito, até a grande variação de "estilos dentro do estilo".

O Genesis, (citado por você) à partir do álbum Trespass, foi eleito pela crítica, como a banda "mais original" de todos os tempos, por não parecer com nenhuma existente antes dela.

Genesis, Pink Floyd, Yes, Jethro Tull, Emerson, Lake & Palmer, King Crimson, entre o mainstream do Prog, todos possuem ao menos um álbum indispensável para qualquer amante do Prog Rock.

Assim, como quem curte Prog, não pode dispensar a escola alemã, com Eloy, Nektar, Can, Faust, Tangerine Dream, Kraftwerk e etc.

Nem a chamada escola "Cantebury Scene", com seus representativos, Soft Machine, Caravan, Camel, National Health, Gong, e etc.

A fantástica cena italiana, com Premiatta Forneria Marconi, Banco del Mutuo Soccorso, Il Balleto di Bronzo, Area, Formula One, Le Orme, Goblin, e etc.

Os experimentalistas, Frank Zappa, Van Der Graaf Generetor, Gentle Giant, Univers Zero, Cassiber, Henry Cow, Guru Guru, Amon Dull e etc.

Sem contar, ainda, o que não são exatamente "progressivos", mas que são os precursores do movimento por serem os primeiros a se utilizarem dos elementos que se tornariam comuns ao movimento, como, Procol Harum, Moody Blues e mesmo os Beatles.

E por último, a escola brasileira, que apesar de não ser muito reconhecida no Brasil, têm seus álbuns disputados á tapa na Europa e figuram em todas as "Top Lists" de progressivo mundial: Bacamarte, Mutantes, Som Nosso de Cada Dia, O Terço, Moto Perpétuo, Módulo 1000, A Barca do Sol, Recordando o Vale das Maçãs, e etc.


Se o sujeito não possui ao menos 3 álbuns de cada uma dessas escolas... ele ainda tá no "jardim da infância progressista"...hehehe


Uma banda "altamente recomendada" para quem quer começar a se aprofundar e ir além do "mainstream":




antifacebook
Veterano
# mai/13
· votar


Concordo com a escolha da Supper. A outra suíte, Atom Mother etc. também é uma boa opção...
E no prog folk, sem dúvidas, Thick as a Brick...

Mulambojr.
Veterano
# mai/13
· votar


Lelo Mig

Nem tenho nada pra postar, só agradecer o tanto de banda que eu tenho que conhecer agora.
:)

mrs.blues
Membro
# mai/13 · Editado por: mrs.blues
· votar


Tem uma banda que o Eric Clapton participou nos anos 60, o Blind Faith, ela é mais Blues que progressiva, mas como tem um experimentalismo muito grande da parte do Clapton e até do Winwood com aquele teclado e órgão algumas vezes, poderia 'beliscar' no progressivo.

(Emerson, Lake & Palmer = Me chamo Emerson por causa da banda. Informação inútil, só para descontrair.)

cafe_com_leite
Veterano
# mai/13
· votar


Bom, tenho ouvido mais o progressivo das antigas, antes ouvia mais o metal prog, até que eu dei uma enjoada.
Seria hipocrisia da minha parte não citar A change of seassons do DT, já que é o épico que mais me emocionou e me fez praticamente entrar em outro estado, aquele final épico com o teclado persistente, emocionante. Mas do prog mesmo, um épico que me agradou muitíssimo foi close to edge do yes, o álbum inteiro na verdade. Gentle Giant e king crimson são outras que tem músicas ótimas.
Como o Lelo Mig disse, eu ainda to no "jardim da infância progressista"... haha

tito lemos
Veterano
# mai/13
· votar


Lelo Mig
Lembrando que não me referi a álbuns, brother, me referi a canções marcantes mesmo. Mas teu post foi um show de informações!

Abraço.

GugaGSP
Veterano
# mai/13
· votar


Lelo Mig

Tu matou a pau... Vou procurar me informar sobre essas bandas, já que eu não conheço várias delas.

tito lemos
Uma canção marcante pra mim da banda Porcupine Tree:



O som é bom demais...

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# mai/13
· votar


Para mim, tem dois discos que não me canso de escutar:
"Seconds Out" do Genesis ("Ao vivo") - Inclusive assistí aos shows deles aqui no Brasil, no "Projeto Aquarius" em 1977.
E O "Close to the edge" do Yes.

vinibassplayer
Veterano
# mai/13
· votar


Aqualung, meu jovem, Aqualung. o álbum completo!!

mas como música, a q eu mais viajo é Echoes - Pink Floyd. além de ser a única música deles q eu gosto hehehehehehe

renatocaster
Moderador
# mai/13
· votar


tito lemos

Não sei se essa chega a ser a "obra máxima" do progressivo, mas toda vez que eu ouço, piro o cabeção totalmente!



makumbator
Veterano
# mai/13
· votar


Mauricio Luiz Bertola

Também adoro o Close to the edge! Ouço do começo ao fim sem notar que o tempo está passando!

waltercruz
Veterano
# jun/13
· votar


é Bizarro, mas eu costumo passar a virada de ano em casa, deitado na cama, ouvnindo Close to the Edge no escuro. Já passei umas 4 ou 5 viradas de ano asism. :D bizarro.

Lelo Mig
Membro
# jun/13 · Editado por: Lelo Mig
· votar


tito lemos

"não me referi a álbuns, brother, me referi a canções marcantes mesmo"

Humm....piorou...hehehe

Sou louco por Prog, Tito, não consigo escolher uma ou algumas....hehehe, possuo tantos álbuns no gênero que fica quase impossível... existem bandas obscuras absolutamente geniais no estilo... vou colocando algumas aqui, para a galera ir conhecendo.

Confesso que algumas são só para "iniciados", com uma música muito indigesta para a maioria dos ouvidos comuns... mas vou iniciar com um trabalho que é marcante prá mim, não só pelo som, mas pela estória que envolve o trabalho.

Resumindo: de 78 à 79, a banda alemã Embryo, montou um estúdio num buzão e rumaram, com seus instrumentos em punho, para o Oriente (Afeganistão, Kurdistão, Iraque, Irã, India, etc). Lá chegando, em contato, com as culturas e tribos locais compuseram um trabalho, mesclando baixos, guitarras, baterias e teclados, com instrumentos locais que eles nunca tinham tocado antes e documentaram tudo num filme "Vagabunden Karawane (Caravana de Vagabundos)... o resultado é dukaraleo, quando ouvi esse álbum pela primeira vez, chapei!!




Obs: Achei alguns trechos do documentário original no You Tube, mas a maioria fragmentado e cortado ou com o áudio ruim, então postei esse clip, que alguém fez, que tá com som bom e bela filmagem.

mrs.blues
Membro
# jun/13 · Editado por: mrs.blues
· votar





Echoes no Pompeii. Esse show é muito bom, um dos que o Manson mais se destaca.

Lelo Mig
Membro
# jun/13
· votar


mrs.blues

Bem lembrado.......Live at Pompeii é dukaraleo!!

Lelo Mig
Membro
# jun/13
· votar


mrs.blues

Bem lembrado.......Live at Pompeii é dukaraleo!!

A extensa turnê que o Jethro Tull fez, durante início/meados dos 70´s, foi extremamente significativa também:




mrs.blues
Membro
# jun/13
· votar


Ninguém citou ainda o Dire Straits. As performances ao vivo eram incríveis, o Knopfler sabe improvisar, tem composições boas e uns timbres bem peculiares.



Lelo Mig
Membro
# jun/13
· votar


mrs.blues

Só que Dire Straits não passa nem perto de ser progressivo, né?.....kkkkk

Lê o enunciado do tópico!!.....kkkkkkkkk

mrs.blues
Membro
# jun/13
· votar


Lelo Mig

Vejo alguns elementos do progressivo no Dire Straits como a improvisação, a experimentação musical, ele só tem uma vibe mais p'ra cima que as demais citadas. Posso tá falando besteira, mas...

Lelo Mig
Membro
# jun/13
· votar


mrs.blues

Cara, eu gosto de alguns álbuns do Dire Straits e acho Mark Knopfler um guitarrista fora de série, mas não têm nada de Progressivo não amigo. É claro, que qualquer banda pode ter alguns resquícios de influência de tudo feito anteriormente, incluindo o Prog, mas o Dire Straits passa longe do conceito progressivo.

Improvisação não é uma característica do prog, ela é inerente a quase todos estilos musicais há séculos. E o "experimentalismo" não ocorre no Dire Straits.

mrs.blues
Membro
# jun/13 · Editado por: mrs.blues
· votar


Lelo Mig


"Cada um vê o que deseja vê"

Você tem razão, me enganei.

cafe_com_leite
Veterano
# jun/13
· votar


Lelo Mig
essa música do embryo a partir do 7:15 começou a ficar interessante.

Mas me diga uma coisa, pode-se considerar pink floyd progressivo? eu não acho que eles se encaixam no gênero, ouvi algumas coisas deles, não tem aquela mudanças de texturas bruscas, aquelas harmônias exóticas, tempos complexos, experimentalismo que caracteriza o estilo.

mrs.blues
Membro
# jun/13
· votar


cafe_com_leite





Acho que colocar uma cachorra p'ra cantar seja experimentalismo. HAHA

cafe_com_leite
Veterano
# jun/13
· votar


mrs.blues
huahuahuahuahua, mas não é bem isso que eu to falando, mas foi boa a piada hahahaha

ogner
Veterano
# jun/13
· votar


Mauricio Luiz Bertola
makumbator
Ouvi o Close to the Edge na integra semana passada no show dos caras ( dos Velhos )....DEMAIS!!!

\o/

cafe_com_leite
Veterano
# jun/13
· votar


ogner
Esse álbum é fantástico cara, baixei ele depois de ver os comentários do cara que foi no show deles em Curitiba eu acho. Será que tem pra comprar o CD mesmo?

Lelo Mig
Membro
# jun/13 · Editado por: Lelo Mig
· votar


cafe_com_leite

Sim...Pink Floyd é progressivo e te explico porque.

O conceito "progressivo", que na verdade é um erro de tradução (o correto seria Rock Progressista), surgiu nas escolas de arte europeias por jovens de classe média com acesso a ensino de qualidade, diferente do rock até então que era feito, predominantemente, pela classe pobre "orfãos da 2a guerra".

A ideia básica foi a seguinte: "Sofisticar a arte popular". Ou seja, desenvolver trabalhos dito populares, com conceitos mais sofisticados oriundos do Jazz, música Erudita e Folclóricas/Exóticas. No caso da música, quebrar a velha forma padrão: "estrofe/estrofe/refrão/solo/estrofe/refrão" quase sempre em 4x4, e:

- Incluir compassos compostos, alterações de ritmo/andamento/compasso ao longo da música.

- Incluir instrumentos não convencionais ao formato pop/rock....como flautas, saxophones, violoncelos, violinos, vibrafones, cítaras, acordeões e etc.

- Não se preocupar com a duração da música. Se o que tem de ser dito precisar de 30 minutos, que tenha.

- Incluir o experimentalismo e improvisação livres. Conceito de "abrir as portas da percepção".

- A arte não deve ser feita para agradar ninguém.

- Sair dos temas "mulher/carros/festas/cerveja" e abordar temas diferentes, de preferência modernos e abstratos. Desta feita, a ficção científica, o misticismo, conceitos de vida alternativos, e liberalismo político e social se tornaram muito presentes.

- O conceito "viagem", oriundo do psicodelismo também permanceu. Este conceito é simbólico e representa se libertar da mente "moldada pela sociedade" e transcender além do que vemos. Lembre-se que drogas e experiências misticas, nessa época, tinham essa função, e eram experimentações, faziam parte de um movimento libertário.

E para finalizar, o rock progressivo incorporou as artes irmãs que coexistiram no movimento, seja as artes plásticas (que viraram os cenários, efeitos e iluminação presentes até hoje), o Teatro (exemplo clássico é o Genesis com Peter Gabriel), mas que permanece em Marilyn Mason, Slipknot, Gwar e mesmo no Pop, como Lady Gaga e Madonna. E a literatura, haja visto que muitas bandas, possuiam "poetas" como letristas, e alguns nem eram músicos, eram um poeta que fazia parte da banda, caso de Peter Sinfield no King Crimson, de Keth Reed no Procol Harum e muitos mais.

Então, se você observar as características acima, verá que o Pink Floyd se encaixa em 90% delas.


"essa música do embryo a partir do 7:15 começou a ficar interessante."

Hehehehe..... pelo jeito não é muito sua praia, mas existem muitas....kkkk.

Experimente essa praia (também com elementos orientais) e me diga o que achou!



d.u.n.h.a.
Veterano
# jun/13
· votar


Lelo Mig
Você considera Animals as Leaders como prog???

Lelo Mig
Membro
# jun/13 · Editado por: Lelo Mig
· votar


d.u.n.h.a.

Em partes... é preciso separar o Prog dos 70, de todo o resto posterior à ele, dividir em duas escolas distintas.

Complicado, vou tentar explicar...

Importante saber antes: Eu gosto bastante do Animal as Leader, acho "baita" banda!

Mas o chamado "New Prog", "Modern Prog", "Techno Prog", "Prog Metal", "Heavy Prog" e etc, apesar de eu gostar de algumas bandas (outras não), são bandas de metal, heavy, por exemplo, com influência do rock progressivo, mas somente no som e não no conceito do "movimento", que havia na época. Eles são influenciados somente pelo som e não pela cultura progressista.

E algumas delas, como o Dream Theater, que não considero Prog, têm enfoque muito maior no virtuosismo individual de seus integrantes do que na elaboração de um "trabalho revolucionário", as canções, são meras rotas aéreas para os "vôos" de seus músicos.

Não tenho nada contra, nem estou criticando, só separando o "som" do "movimento".

Para ficar claro, seria como uma banda estilo "The Who", atual, dizer que são Mods! ou seja, não existe mais a cultura mod, ela foi típica dos anos 60, só nesse período houveram Mods.

Mas, que esse álbum é bom prá karay....hehehe, não há dúvidas!



Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a (Só para proggers) Qual é a obra máxima do Rock Progressivo?