Um intervalo de ( Eb — Cb ) é um Intervalo de "qual" 3ª ? E por quê ?

Autor Mensagem
blonski
Veterano
# jul/11


Um intervalo de ( Eb — Cb ) é um Intervalo de "qual" 3ª ? E por quê ?
Em Clave de Fá na 4º Linha, mas isto não muda nada...

Renato F
Veterano
# jul/11
· votar


Eb - Cb = 6ª menor

Porque o intervalo compreende 6 notas. E - F - G - A - B- C (É só contar!)

Os sinais não alteram o intervalo quanto ao número de notas. Apenas na distância. Se é maior, menor, aum, dim.

Ex.:
C - F = Justa
C - F# = Aumentada


Cb - Eb = 3ª Maior

Abraço.

Pé de chinelo
Veterano
# jul/11
· votar


Cb ? não existe Dó bemol, essa nota é o Si

Não entendi sua pergunta, mas entre o Si e o Eb existe um intervalo de 2 tons.

Renato F
Veterano
# jul/11
· votar


Pé de chinelo

Cb ? não existe Dó bemol, essa nota é o Si

Na verdade, existe sim.

Nas tonalidades Cb Maior (1º grau) e Gb Maior (4º grau). E, claro, nas relativas. Apenas não são tonalidades muito comuns.

Abraço.

Richard Guitar
Veterano
# jul/11
· votar


Pela lógica, vai depender da altura de cada nota.

depende da classificação do intervalo, se for um intervalo descrescente, será uma 3ª maior.

"desceu uma 3ª maior"

blonski
Veterano
# jul/11
· votar


Pela lógica, vai depender da altura de cada nota.

depende da classificação do intervalo, se for um intervalo descrescente, será uma 3ª maior.

"desceu uma 3ª maior"


Creio que sim, Até o momento posso concluir que:

Intervalos de 2ªs e 3ªs Maiores, não tem semi tom Natural !
Intervalos de 2ªs e 3ªs menores, sempre tem um semi tom Natural !
E quando estes intervalos são Maiores que "M" são Aumentados !
E quando são menores que "m" são diminutos !

Agora pergunto:

Um intervalo de ( Eb — Cb ) é um Intervalo de "qual" 3ª ? E por quê ?


Acho que encontrei a resposta na pág 69 do Livro "Teoria da Música" Bohumil Med - 4ª edição Revista e Ampliada, editora MusiMed.

Um intervalo de ( Eb — Cb ) é um Intervalo de "qual" 3ª ? E por quê ?
R: É um Intervalo de 3ª M, porque tem uma observação: 1) Quando ambas as notas do mesmo intervalo têm acidentes iguais, a qualificação é idêntica à do intervalo sem acidentes. Diz Bohumil Med. Só que isto contradiz, a afirmativa do livro de Hannelore Bucher " Harmonia Funcional Prática" na pág 10 da 2º edição, que afirma que 3ª Maior não tem semitom Natural.

E agora ?

blonski
Veterano
# jul/11
· votar


Eb - Cb = 6ª menor

Porque o intervalo compreende 6 notas. E - F - G - A - B- C (É só contar!)

Os sinais não alteram o intervalo quanto ao número de notas. Apenas na distância. Se é maior, menor, aum, dim.

Ex.:
C - F = 4ª Justa
C - F# = 4ª Aumentada


Cb - Eb = 3ª Maior

Abraço.


= = =

Na Pauta o Intervalo é de 3ª !
"Eb" no 3º espaço, e "Cb" no 2º espaço, em Clave de Fá.

Pé de chinelo
Veterano
# jul/11
· votar


Renato F

Mas não é a mesma nota que o Si?

Richard Guitar
Veterano
# jul/11
· votar


Essas afirmaçãos soam muito mais como "macetes e regrinhas" do que a lógica.

Intervalos de 2ªs e 3ªs Maiores, não tem semi tom Natural !
Intervalos de 2ªs e 3ªs menores, sempre tem um semi tom Natural !


é como dizer que em uma régua, 2 centimetros nunca vai ter "meio".
ou 2,5cm, nunca vai ser "inteiro"

ps: não sei se fui muito claro nessa analogia.

basicamente os intervalos aumentados se encontram no 2º, 4º, 5º
diminutos 5º, 7º.

normalmente os intervalos possuem essas mobilidades

T
2b - 2M - 2#
3m - 3M
4J - 4#
5dim - 5J - 5#
6m - 6M
7dim - 7m - 7M

no meu ponto de vista, uma escala sintetica por exemplo poderá ter algumas alterações não convencionais. como uma 3dim, porém a escala precisaria ter uma 2b, pois a 3dim "ficaria no lugar" da 2M.

Quando ambas as notas do mesmo intervalo têm acidentes iguais, a qualificação é idêntica à do intervalo sem acidentes.

aqui acredito que ele quer dizer de uma forma pratica de enxergar o intervalo, pois se vc abaixa meio tom de duas notas, vc não altera a distancia delas, vc só trocou elas de lugar

é como vc pegar numa regua novamente, o 5 e o 7. a distancia é 2cm
se vc trazer o 5 pra 4,5cm e o 7 pra 6,5cm, a distancia continua sendo 2cm.

abraço.

Endurance
Veterano
# jul/11
· votar


Cb - Eb = 3°M
Eb- Cb = 6°m

E fim de papo

blonski
Veterano
# jul/11
· votar


http://www.ivanmeyer.com.br/forum/uploads/monthly_07_2011/post-47180-1 311090938.jpgCb - Eb = 3°M
Eb- Cb = 6°m

E fim de papo


Não sabe porquê ? Está desconsiderando a pauta musical,


Na Pauta o Intervalo é de 3ª !
"Eb" no 3º espaço, e "Cb" no 2º espaço, em Clave de Fá.

blonski
Veterano
# jul/11
· votar


Quando ambas as notas do mesmo intervalo têm acidentes iguais, a qualificação é idêntica à do intervalo sem acidentes.

Sim, isto li no "Teoria da Música de Bohumil Med, depois de pesquisar, pois, no outro livro que estou fazendo os exercícios, me deparei com esta dúvida, e não há resposta no livro de Hannelore Bucher " Harmonia Funcional Prática "

Richard Guitar
Veterano
# jul/11
· votar


blonski

Você de contradição.
Qual seria a contradição ??

Abraço.

blonski
Veterano
# jul/11
· votar


blonski

Você de contradição.
Qual seria a contradição ??

Abraço.


Não entendi o que quis dizer.
O que estou falando neste tópico está no livro de Hannelore Bucher " Harmonia Funcional Prática " As "regrinhas" são dela em seu livro. Perguntei referente a um Exercício do Livro, no qual não encontrei resposta.

Renato F
Veterano
# jul/11 · Editado por: Renato F
· votar


blonski
Na Pauta o Intervalo é de 3ª !
"Eb" no 3º espaço, e "Cb" no 2º espaço, em Clave de Fá.


Então o intervalo é Cb - Eb, e não, Eb - Cb como vc perguntou. Já tinha respondido isso também.

Quando pensar em intervalos, pense sempre ascendente. Vc inverteu o intervalo.

Novamente:

Cb - Eb = 3M

Eb - Cb = 6m

A ordem das notas altera o tipo de intervalo.

EDIT - pra ilustrar melhor:

G - C = 4 justa
C - G = 5 justa

Pé de chinelo
Mas não é a mesma nota que o Si?

Sim, em instrumentos temperados. Como o piano ou a guitarra.

Não, em instrumentos não temperados. Como o violino, Cello ou voz humana, por exemplo.

E vc afirmou que não existia o Cb. Estava equivocado.

Abraço.

Pé de chinelo
Veterano
# jul/11
· votar


Renato F

A tá, pq eu toco violão, guitarra e baixo e nunca ouvi falar em Dó e Fá bemol, nem Mi e Si sustenido..... mas se vc diz que tem, eu acredito

e vem cá, o que vem a ser um instrumento 'temperado' ?

makumbator
Veterano
# jul/11 · Editado por: makumbator
· votar


Renato F
Sim, em instrumentos temperados. Como o piano ou a guitarra.

Não, em instrumentos não temperados. Como o violino, Cello ou voz humana, por exemplo.


Na verdade essas notas são iguais em instrumentos de temperamento IGUAL. No temperamento DESIGUALl elas são diferentes(exemplo de temperamento desigual: Werckmeister III, que foi o sistema mais usado por J.S. Bach). Também são diferentes em sistemas não temperados, conforme vc já apontou.

Há 3 grandes grupos de sistemas de divisão de oitava:

Não temperados: nesses há intervalos com lobos, e não se pode transpor para determinadas tonalidades(que ficam impraticáveis). A vantagem é que há mais intervalos puros. Eram usados na antiguidade.

temperamento desigual: sem lobos, transposição total (mas cada tonalidade tem um caráter). Tem alguns intervalos puros(o intervalo escolhido depende do sistema desigual em particular), e outros levemente desafinados(impuros). São os temperamentos característicos do renascimento, barroco, rococó e início do período clássico.

temperamento igual: sem lobos, transposição total(mas todas as tonalidades são iguais). Todos os intervalos são impuros (levemente desafinados, com exceção óbvia do uníssono e oitava). Conhecido desde o barroco(mas não era apreciado na época). Usado na música moderna.


Pé de chinelo
A tá, pq eu toco violão, guitarra e baixo e nunca ouvi falar em Dó e Fá bemol, nem Mi e Si sustenido..... mas se vc diz que tem, eu acredito


Além de existirem diferenças em outros sistemas de afinação(temperamentos desiguais e não temperados), essas notas também são usadas no temperamento igual para fins de enarmonia na escrita musical. Por exemplo, dependendo da tonalidade, pode haver mi# na armadura de clave. Nesse caso, sempre que se quiser grafar a frequência que corresponde ao fá, será usada a nota mi#.

Qualquer um que já estudou leitura musical mais a fundo, sabe que essa prática é extremamente útil e bastante usada dependendo da tonalidade empregada.

Pé de chinelo
Veterano
# jul/11
· votar


makumbator

Sim eu já tinha observado isso nas partituras....mas de qlq modo estará somente mudando o nome da nota na pauta, na prática vai continuar sendo um Fá, não?

E dizer que um Ré e a mesma coisa que um Dó dobrado sustenido, faz sentido?

makumbator
Veterano
# jul/11 · Editado por: makumbator
· votar


Pé de chinelo
Sim eu já tinha observado isso nas partituras....mas de qlq modo estará somente mudando o nome da nota na pauta, na prática vai continuar sendo um Fá, não?


No sistema de temperamento igual é a mesma frequência. Mas nos temperamentos desiguais e não temperados elas NÃO tem o mesmo som. Nesse segundo caso, são notas de afinação diferente.

E dizer que um Ré e a mesma coisa que um Dó dobrado sustenido, faz sentido?

Sim, faz sentido. O motivo de seu uso é o da enarmonia, que torna certas partes mais simples de se escrever(e ler), do que ficar cancelando e aplicando vários acidentes.

LeandroP
Moderador
# jul/11 · Editado por: LeandroP
· votar


Sabemos que entre as notas E e C o intervalo formado é de 6a menor.

Se as duas notas forem baixadas em um semitom cada, respectivamente Eb e Cb, é ÓBVIO que o intervalo será de 6a menor também.

Pé de chinelo
Veterano
# jul/11
· votar


makumbator

Entendi , vou estudar mais sobre temperamentos desiguais e não temperados....tem alguma coisa aqui no fórum sobre isso?

Abs!

makumbator
Veterano
# jul/11 · Editado por: makumbator
· votar


Pé de chinelo

Não sei, acho que não tem(ao menos não de maneira aprofundada).

Aqui alguma coisa:

http://forum.cifraclub.com.br/forum/3/227856/#7486979

http://forum.cifraclub.com.br/forum/4/229847/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Temperamentos_musicais

Richard Guitar
Veterano
# jul/11
· votar


blonski
blonski

Você disse contradição.
Qual seria a contradição ??

Abraço.


Não entendi o que quis dizer.
O que estou falando neste tópico está no livro de Hannelore Bucher " Harmonia Funcional Prática " As "regrinhas" são dela em seu livro. Perguntei referente a um Exercício do Livro, no qual não encontrei resposta.


Eu errei na digitação e nem me dei conta rsrs

Eu me refiro a sua dúvida, vc disse que houve uma contradição entre os dois livros. mas eu não entendi bem qual foi a contradição.

LeandroP
Sabemos que entre as notas C e E o intervalo formado é de 6a menor.

se o movimento for descendente sim
mas se for ascendente será uma 3ª maior.

Se as duas notas forem baixadas em um semitom cada, respectivamente Cb e Eb, é ÓBVIO que o intervalo será de 6a menor também.
foi baseado nesse tipo de "regrinha" citada do livro que eu me referir, acho que isso acaba dificultando o aprendizado.[i][/i]

Pé de chinelo
Veterano
# jul/11
· votar


makumbator

Valeu cara, vou dar uma lida com calma..

Seguindo esse raciocíonio de facilitar a escrita na pauta, vale dizer que existe qualquer nota?

Exemplo: Um Si pode ser chamado de Lá dobrado sustenido, ou Dó bemol ou Dó sustenido dobrado bemol?

LeandroP
Moderador
# jul/11
· votar


Richard Guitar

se o movimento for descendente sim
mas se for ascendente será uma 3ª maior


Sim. Se inverter o intervalo é isso mesmo.

Renato F

Eu postei alguma coisa errada?

Renato F
Veterano
# jul/11 · Editado por: Renato F
· votar


makumbator
Falou e disse.

LeandroP
Sabemos que entre as notas C e E o intervalo formado é de 6a menor.
Não, 3M. Se fosse E e C, ok, 6m.

Se as duas notas forem baixadas em um semitom cada, respectivamente Cb e Eb, é ÓBVIO que o intervalo será de 6a menor também.
Tudo certo, exceto, que o intervalo é de 3M.


Mas, voltando ao assunto, quando falamos em intervalos...

Vcs estão confundindo um lance bem simples.

Quando se informam as duas notas: C - D, por exemplo, está implícito que o movimento é ascendente.

EDIT: movimento = sentido - que denomina o intervalo.

Portanto, esse intervalo (C- D) é uma 2M. Porque quando invertemos o intervalo D - C, o intervalo vira - 7m. Só dá certo se pensarmos sempre ascendente.

Por isso que a pergunta do blonski gerou algum mal-entendido.

É claro que temos movimentos descendentes, mas se vc tocar (na Clave de Sol) um Dó (3º espaço) e depois um Mi (1ª linha) esse intervalo é de 6ªm, porque do Mi pro Dó existem 6 notas (E F G A B C). Mesmo que vc toque o Dó primeiro o INTERVALO é E - C.

O blonski leu um Eb e depois um Cb em movimento descendente. Achou que o intervalo fosse Eb - Cb (6ªm). A pergunta correta seria:

O intervalo Cb - Eb é uma 3ª, por quê?
resposta: Sim, porque partindo do Dó até chegar no Mi existem 3 notas (C D E). Não importam os acidentes nessa primeira contagem mas, depois para dizer que tipo de 3ª é essa, maior, menor...


Finalizando, para se contar as notas de um intervalo sempre contamos ascendente. Quando tocamos... é outra história.

Exemplos de inversões:

A - C = 3m
C - A = 6M

D - F# = 3M
F# - D = 6m

E - B = 5J
B - E = 4J

F - G = 2M
G - F = 7m

D - Eb = 2m
Eb - D = 7M

Quando invertemos um intervalo MAIOR ele vira menor e vice-versa. Um intervalo justo invertido continua justo.

2ª vira 7ª e vice-versa;
3ª vira 6ª e vice-versa;
4ª vira 5ª e vice-versa.

Respondam essa:

8ª vira _____.

Procurei escrever de um jeito bem simples, espero que tenha ajudado.

Abraço moçada!

LeandroP
Moderador
# jul/11 · Editado por: LeandroP
· votar


Renato F

Postei invertido °.°
(editei... valeu!)

Pé de chinelo
Veterano
# jul/11
· votar


Renato F

Mto boa a explicação cara, me ajudou bastante

Não sei se tá certo, mas 8ª vira 1ª ??

Carregando
Veterano
# jul/11
· votar


Pé de chinelo


eu tenho uma tabelinha bem didatica explicando isso, das inversões..

se tu quiser eu posto aqui.

abraço!

Pé de chinelo
Veterano
# jul/11
· votar


Carregando

po quero sim cara, valeu!

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Um intervalo de ( Eb — Cb ) é um Intervalo de "qual" 3ª ? E por quê ?