Faculdade de música e o medo de mudar o gosto.

    Autor Mensagem
    Musical Man
    Veterano
    # jun/10


    Olá pessoal do Fórum.
    Sou membro novo do Cifra Club, e além de abrir tópicos, eventualmente também pretendo contribuir com o que puder.
    Sou extremamente ligado à musica desde pequeno. Toquei gaita ponto, e hoje meu instrumento favorito é a guitarra. Toco a uns 3 ou 4 anos e nunca fiz aula. Gosto muito de coisas pesadas, como Thrash metal, Metalcore, enfim. Também adoro Blues, Jazz, mpb, música clássica, Rock N' roll. Sou muito eclético. Daí a idéia de cursar música na UFRGS.
    Meu medo é que meu gosto seja totalmente modelado, e que me torne um "chato" que só ouça música clássica, mpb e jazz.
    Terei que estudar bastante para passar nas provas específicas.
    Então, alguém aí também curte sons pesados, cursou música e continuou gostando das mesmas coisas? Ou mudou drasticamente?

    makumbator
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Musical Man

    Mas qual o instrumento vc pretente fazer? Na UFRGS que eu me lembre, não tem guitarra. São apenas instrumentos voltados para o universo de música erudita(além de regência). Até onde eu sei, a única pública com curso de guitarra é a Unicamp.

    Tenho 2 amigos que gostavam de rock mais pesado e fizeram curso superior de música(um no piano e outro violão). Eles não deixaram de gostar de metal, mas ampliaram muito o repertório. O que tocava guitarra(e fez violão na Uni-Rio), parou de tocar guitarra para se dedicar totalmente ao instrumento da universidade.

    Musical Man
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    No caso eu faria violão.

    makumbator
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Musical Man

    Bem, acho que vc não precisa temer por essa questão de gosto...e se mudar, mudou! Mas o que te digo é que meu amigo não conseguia estudar a guitarra e o violão em alto nível ao mesmo tempo, e então ele abandonou a guitarra(até vendeu todo o equipamento quando estava lá pelo segundo ano de faculdade).

    Musical Man
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Hum... Poisé. A idéia seria conciliar os dois instrumentos. E realmente gosto de ter a cabeça bem aberta pra música. Espero que meu gosto apenas se expanda.
    Obrigado pela contribuição.

    renansena777
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Cara eu nao acho qe vc ira mudar de gosto so porque esta estudando musica a fundo.

    Acho que cursando musica vc so tem a ganhar, ira evoluir seus conhecimentos e seu repertorio.

    Alvaro Henrique
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Musical Man, se você não está disposto a gostar de outras coisas, quer fazer faculdade de música por quê?

    Se é só pra ter um diploma na parede, faça outro curso.

    Daniel Orp.
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Musical Man, se você não está disposto a gostar de outras coisas, quer fazer faculdade de música por quê?
     
    Concordo totalmente.

    Reinaldo Camargo Filho
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Eu expandi os meus gostos totalmente após ser preconceituoso com vários estilos, vou explicar melhor:

    0-14 só gostava de músicas de video-games, computadores, techno, trance, etc.

    Quando comecei a aprender a tocar violão/guitarra (15 anos), 14-16 só gostava de ouvir músicas de virtuoses da vida, como Steve Vai, Michael Romeo, Michael Ângelo, Francesco Fareri, Kiko Loureiro, Johann Sebastian Bach, Von Ludwig Beethoven, Johann Paichbel, Georg Friedrich Händel, etc.

    Virei um preconceituoso que falava asneiras de qualquer outro estilo existente.

    Após isso, voltei a freqüentar baladas, comecei a aprender produção musical por conta própria e retomei o gosto pela música eletrônica e abri minha mente para todos os estilos.

    Posso dizer com certeza que dos 17 até os meus atuais 22 anos, sou um cara 100% eclético, claro que tem algumas músicas que eu não dou a honra de ter a "MP3" delas, como sertanejo, funk carioca, etc.

    Mas se vou a um local onde tocam esses estilos, eu não me importo mais, até danço junto com a galera. :)

    Então meu caro, não tenha medo de mudar o seu gosto musical, é sempre uma evolução, caso estude música a sério, um dia verá que dá para tirar proveito de todos os estilos musicais.

    Abraços.

    Ronalunático
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    que papo foda! de ter medo de mudar. Eu também era muito convencido dos estilos que curtia e tinha medo de mudar, o negócio é não trocar de estilo, e sim agregar outros.

    um filósofo(não lembro qual) disse:

    "só tem convicção aquele que não aprofundou nada."

    Musical Man
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Alvaro Henrique
    Meu medo não é gostar de coisas novas. Isso é até um desejo. O medo é me limitar a coisas eruditas, já que a universidade tem esse foco.

    Musical Man
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Mas acho que vou fazer mesmo e ver o que dá.
    Lembrando. Sou muito eclético. Não sou bitolado em relação à música. Acho que praticamente em todos os estilos podemos tirar proveito de alguma coisa.

    Musical Man
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Obrigado a todos que estão opinando.

    Jabijirous
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Musical Man

    A mudança faz parte da vida, você não é mais o mesmo de 5 anos atrás!! e você vai ser completamente diferente daqui a 5 anos!!


    Você não vai deixar de gostar, o que vai acontecer é, que você vai ampliar seu conhecimento musical e vai conhecer um novo mundo dentro da música!!

    Musical Man
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Sim. Eu espero que isso aconteça. Sou apaixonado por música. Só quero poder conciliar o tempo de violão clássico e guitarra.

    Jabijirous
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Musical Man

    Estuda o mesmo repertório do violão na guitarra, tenta utilizar a palheta na guitarra, senão tua unha vai pra casa do cão!!


    Além do mais, você tem que saber se organizar. Um dia você estuda seu reportório do violão, outro dia o da guitarra!! Parece simples, mas não é!! hehehe, Boa sorte :P

    Alvaro Henrique
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Musical Man, se você tem alergia a música clássica, realmente não deve ocupar a vaga de outra pessoa que quer estudar a sério essa linguagem.

    No RS tem cursos de música que não são só de música erudita. Ouvi falar de um curso de rock na Unisinos.

    Musical Man
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Musical Man, se você tem alergia a música clássica, realmente não deve ocupar a vaga de outra pessoa que quer estudar a sério essa linguagem.

    No RS tem cursos de música que não são só de música erudita. Ouvi falar de um curso de rock na Unisinos.

    Alvaro Henrique
    Cara. No meu primeiro post eu escrevi que também gosto de música erudita. Tenho muito interesse. Só não gostaria de me limitar à isso.
    E já ouvi falar do curso da Unisinos, só que acontece que podendo fazer de graça, é melhor. E além disso, tem várias cadeiras na UFRGS que me interessaram bastante.
    Ouvi falar também do curso do IPA, que dizem não ser só focado em música erudita, e inclusive que alguns professores da UFRGS também dão aula ali, só que uma aula diferente, sem a metodologia da UFRGS. Mas vem também a questão da grana.
    Acho muito bitolado o fato de quererem cobrar um monte de coisas para a seleção. Só porque a pessoa não sabe ler não pode passar? Tem pessoas que executam peças de ouvido, enquanto outras só sabem ler. Se tirar a partitura, cai a casa. E nada que não possa aprender.
    Pensando bem, acho que cursar música só tende a ampliar meus horizontes.

    Jabijirous
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Só porque a pessoa não sabe ler não pode passar?


    Isso está sendo discutido no CBM (Conservatório Brasileiro de Música).

    A faculdade de música é uma das únicas que você já entra sabendo. Uma faculdade de medicina você não entra sabendo medicar alguém, mas, música, você já tem que entrar sabendo, E MUITO.

    Não podemos esquecer que o ensino de música no Brasil é uma desgraça, quem sabe agora, com a música nas escolas isso mude!!

    Alvaro Henrique
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Olha, Musical Man, vou ser muito honesto com você. Sou professor de violão na Universidade Federal de Uberlândia. Lá o curso também é só de música erudita. Quando chega a época de provas específicas, meu trabalho é deixar de fora exatamente pessoas que pensam que "meu medo é que me torne um "chato" que só ouça música clássica, mpb e jazz.", e garantir que os "chatos" sejam os únicos aprovados.

    Por quê? Eu já vi esse filme várias vezes. Quem antes de entrar já menospreza pessoas que serão seus colegas de curso e mesmo seus professores por serem parte dos "chatos" que só ouvem música clássica não vai aguentar ficar quatro, cinco, talvez seis anos no curso.

    A desistência ou o trancamento do curso de um aluno pega muito mal pra universidade e têm sido fortemente combatida. E com razão. Embora os alunos não paguem uma mensalidade, é muito caro pro governo manter um estudante universitário - bem mais que a mensalidade das escolas privadas. Um estudante de música com frequência é o mais caro de todos, pois um dos maiores custos é manter o corpo docente, e o curso de música é o que tem o menor relação de alunos / professor.

    Um dos motivos dos cursos de música em geral terem uma dificuldade orçamentária grande é porque quando um aluno tranca, não é 1 aluno, é 3% da turma. Ou seja, deixar entrar um aluno que não vai concluir é um problema MUITO grande, e a prova específica serve também pra isso.

    Se você se expressou mal ao chamar os professsores UFRGS e seus estudantes de "chatos", tudo bem, acontece num ambiente informal como esse. Mas se, no fundo, é isso o que você realmente acredita, recomendo que faça outro curso ou estude em outro lugar. Vai ser mais útil pra você estudar comunicação, administração, letras, etc., que ingressar num curso voltado à música erudita. E pode apostar, os professores da banca estarão atentos pra reprovar na prova específica todo e qualquer aluno que podem abandonar o curso.

    Quanto à questão da prova específica, não é bem assim. Um estudante de medicina não entra na faculdade sabendo fazer uma cirurgia, assim como não se espera que você já apresente um CD gravado no ato da inscrição. Porém, o calouro de medicina ingressa com conhecimentos maiores que qualquer médico de 200 anos atrás conseguiria adquirir em toda a vida, e esperamos o mesmo dos calouros de música. Não interessa pra nós receber gente que é pior que músicos de 200 anos atrás num mundo em que o acesso a (in)formação permite a qualquer pessoa motivada ultrapassar esse nível de mediocridade.

    Musical Man
    Veterano
    # jun/10
    · votar


    Alvaro Henrique
    Desculpe. Podia ter me expressado de outra forma. O "chato", que está entre aspas, é justamente para anular o sentido literal da palavra. Mas vou recolocar minha afirmação. Não quero sair limitado à gostar de música clássica, entende?
    Acho isso uma limitação. Afinal, música é arte e soube através de terceiros, que o curso da UFRGS é mais direcionado para isso, e que se você não é erudito, não é nada. Mas não me preocupo em relação ao que vão pensar, e sim de que forma o curso vai me influenciar e me moldaer em questões de ampliar ou limitar meu gosto.
    Falando sobre metal e suas vertentes, não podemos esquecer que muitas vezes este tipo de música está muito ligado a música clássica, através de arpejos e de outras escalas. Então, acho que se me manter com a cabeça aberta, o curso de música só deve acrescentar à minha vida.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Faculdade de música e o medo de mudar o gosto.