Pedalboard - Guitarra - Worship

    Autor Mensagem
    Flavin_1
    Membro Novato
    # 17/mai/20 22:02 · Editado por: Flavin_1


    Fala rapaziada , o que vcs acham desse set ; algumas dicas ou recomendações ? ( Obs : Toco na igreja ; estilo worship )
    Guitarra Tagima T635 - 1340
    Boss Angry Drive - 1460
    Boss Rv 6 Reverb - 1120
    Boss Dd 3 Delay - 785
    Boss Cs 3 Compressor - 476
    Fonte Landscape - 554
    Santo Ângelo Ac22 - 189 ( 3 cabos )
    Santo Ângelo Shogun - 200 ( 2 cabos)

    = $6124

    Compensa comprar uma Boss GT 100 ao invés desses pedais ??

    Del-Rei
    Veterano
    # 17/mai/20 22:10
    · votar


    Flavin_1
    Cara... Sobre pedais/pedaleira, acho muito pessoal isso. Particularmente, prefiro a qualidade de pedais, mas a praticidade de pedaleira pode ser muito útil pro pessoal. Talvez você precise de um pedalboardzinho, pra facilitar a vida e não ter que ficar montando e desmontando pedal sempre.

    Uma dúvida que tenho.
    O que é esse tal de Worship...?

    Um aceno de longe!!!

    makumbator
    Veterano
    # 17/mai/20 22:16
    · votar


    Del-Rei
    O que é esse tal de Worship...?

    É música para cultos/cerimônias/ministérios de igrejas, música de adoração.

    Flavin_1

    É difícil sugerir sem te conhecer (e ao seu gosto). Uma opção é comprar pedaleira para usar modulações, reverbs e delays e ter pedal analógico para drive, wha-wha, fuzz, e o que mais você quiser.

    Eu prefiro pedais (mas já usei muita pedaleira e ainda tenho uma pequena para praticar sem amp). Mas cada um é de um jeito.

    P.S. Você gosta de Boss, hein? Heheh

    Flavin_1
    Membro Novato
    # 17/mai/20 23:39
    · votar


    Uma dúvida que tenho.
    O que é esse tal de Worship...?

    Um aceno de longe!!!

    Cara , da uma olhada no canal do D E L E O , e thiago bit , vc vai entender melhor ...

    Flavin_1
    Membro Novato
    # 17/mai/20 23:42
    · votar


    Boss is king hehe

    Flavin_1
    Membro Novato
    # 17/mai/20 23:52
    · votar


    Estava dando uma olhada aqui , e compensa comprar a Pod Hd500 x ... Sai mais barata

    Filippo14
    Veterano
    # 18/mai/20 00:02
    · votar


    Flavin_1

    Comprar um set assim inteiro é meio complexo, e a gente dar pitaco sem te conhecer é complexo, mas se eu puder dar meus 5 cents:

    1- Esse drive é caro hein? Nao sei se pagaria isso em um drive da Boss. pesquisei aqui e acho mais jogo pegar o BD-2 e mais uma outra distorção, acho que seria mais versatil
    2- Evite pedais de reverb, ainda mais em Igreja. Vai embolar tudo, vc perderá definicao e tentara resolver aumentando o volume da guitarra, o que só irá piorar. Igreja ou salões em geral ja tem reverb de sobra, tanto que sao simulados nesses pedais. Usaria esse valor para uma modulação, tipo um chorus. Justificaria um reverb somente se tivesse um shimmer ou algo do tipo, mas ainda acho tiro no pé.
    3- Acho compressor sempre um pedal complexo. Há quem goste e há quem odeie. A verdade é que é dificil pra cacete de sacar a diferenca e regular certo. Além disso, amplificador de guitarra, ainda mais alto tende a comprimir bem, ainda mais usando distorção e afins, então não vejo necessidade inicialmente
    4- DD-3 é um baita pedal legal, já tive e me arrependo de ter vendido. Eu adoro delays, mas ele entra no mesmo caso do reverb. Pode embolar ao vivo. Como um pró do delay, ele pode simular um reverb, o que reduz a necessidade de vc ter um pedal dedicado a reverberação.
    5- Qual fonte Landscape? Se for aquelas ISO alguma coisa, elas parecem ser animais, já pensei em comprar. Assumo que nunca testei. Se for as Energies da vida, elas me parecem a serie PS repaginada. Tenho essas PS e acho honestas, mas não se comparam a uma fonte muito boa, em questão de timbre e chiado.

    Abs,

    BrotherCrow
    Membro Novato
    # 18/mai/20 10:51
    · votar


    Todos esses pedais são bons. Não sou tão fã assim de Boss (principalmente pra drive), mas é questão de gosto. Qualidade eles têm. Vai comprar um frame tipo Pedaltrain também? É uma despesa a mais.

    Mas pedaleira me parece melhor no teu caso. Evita ruído, cobre praticamente qualquer pedal que você vai precisar mas não percebeu ainda (pessoal de worship costuma ter tara por modulação e você não botou nem um choruzinho aí), e tem a opção de ligar em linha (já que você não mencionou qual é o amp).

    Vai por mim: tenho pedal pra cacete em casa, mas sempre acabo indo pra pedaleira pela praticidade. Pedal é legal, colecionar é um hobby, mas se você quer uma ferramenta pra resolver problemas sem criar problemas novos, pedaleira é o caminho.

    Del-Rei
    Veterano
    # 18/mai/20 11:00
    · votar


    makumbator
    É música para cultos/cerimônias/ministérios de igrejas, música de adoração.
    Flavin_1
    Cara , da uma olhada no canal do D E L E O , e thiago bit , vc vai entender melhor ...

    Então esse worship refere-se basicamente à parte instrumental de música tipo gospel, né?

    Curioso que eu até fui assistir os vídeos, mas confesso que não entendi exatamente qual a diferença de um instrumental normal pro worship. Percebi que tem um lance que valoriza delays e reverbs, mas eu não saberia diferenciar um worship de outro gênero...

    Filippo14
    Cara, eu lembro que quando era menor, eu tinha um catálogo da Boss e sonhava em ter todos aqueles pedais. Na época não tinham muitos pedais importados por aqui. Hoje em dia nem considero mais essa marca, embora saiba que as lojas daqui ainda tenham uma penca deles.

    Eu não uso mais, mas quando tocava umas músicas com dedilhado clean, o compressor era muito útil pra nivelar o volume das notas. Eu sou péssimo em dedilhados, então cada nota saía com uma força/volume diferente, principalmente em shows por conta de adrenalina, empolgação, e tal... O compressor me salvou. Mas compressor em som distorcido sempre achei péssimo, porque eu exploro muito a dinâmica do drive, e o compressor elimina justamente essa dinâmica.

    Um aceno de longe!!!

    BrotherCrow
    Membro Novato
    # 18/mai/20 11:16
    · votar


    Del-Rei
    Então esse worship refere-se basicamente à parte instrumental de música tipo gospel, né?

    Curioso que eu até fui assistir os vídeos, mas confesso que não entendi exatamente qual a diferença de um instrumental normal pro worship. Percebi que tem um lance que valoriza delays e reverbs, mas eu não saberia diferenciar um worship de outro gênero...

    Aqui onde eu moro os motoristas de Uber adoram colocar worship gringo no som do carro, então eu escuto bastante por osmose. Me parece muito derivado de U2 e das bandas que copiaram o Pearl Jam no começo dos anos 2000... com uma temática religiosa por cima. Mas tem músicos excelentes.

    acabaramosnicks
    Membro Novato
    # 18/mai/20 11:22
    · votar


    Del-Rei
    Música gospel é qualquer música que tenha a ver com a religião. Geralmente é usado pra referir-se a músicas cristãs protestantes.
    Dentro disso está contido o worship. Explico. Worship é gospel, mas qualquer música que seja evangélica é gospel mas não necessariamente worship.

    Em igrejas evangélicas, protestantes, é comum que tenha uma parte do culto onde o cara faz a "pregação". É como o sermão do padre na missa católica: o cara pega um tema e fala sobre esse tema tendo como referência a bíblia, Jesus, e a interpretação do cara que tá falando, supostamente a interpretação "correta".

    Como vc deve saber, o ser humano muitas vezes se expressa melhor com auxílio da arte, e muitas vezes convence melhor através do sentimento, e a arte pode ser um caminho para se chegar no coração das pessoas. Por esse motivo, enquanto o cara tá lá fazendo a pregação, a banda fica tocando uma música de fundo sincronizada com o sentimento que o cara quer passar. Nos momentos mais tranquilos da pregação a música é mais calma, e depois o negócio vai ficando mais emocionado e a banda taca o pau.
    Convenientemente, o tom e os arranjos são programados para encaixarem nos "hinos", que são um tipo de música gospel que todas as pessoas da igreja já conhecem. O worship é tudo isso: os hinos e a música de fundo da pregação (que depois deixa de ser a música de fundo pra ser o principal).
    É importante que seja uma banda de verdade porque muitas vezes a pregação do pastor é metade "ensaiada" e metade improvisada, daí a banda tem que acompanhar o rolê.

    Ainda que tu não seja cristão ou protestante, eu acho que é interessante se visitar uma igreja evangélica como músico/artista. Preste atenção aos métodos, é bem interessante. É algo difícil de se pegar em qualquer gravação. É um fenômeno mais ou menos parecido àquele observado em grandes festivais de música.

    warto
    Membro Novato
    # 18/mai/20 11:41 · Editado por: warto
    · votar


    E aí pessoal?

    Tudo jóia?
    Percebi algumas ideias meio confusas fugindo do topico.
    Vou resumir ao maximo dois assuntos.

    Gospel = Evangelho
    Worship = Adoração

    Desde anos 80/90, o termo Gospel se popularizou no Brasil, principalmente na parte musical de igrejas evangélicas, tendo a conotação como musica religiosa tocada nas igrejas evangélicas, principalmente com a inserção de cânticos em comparação com hinos tradicionais.

    Em meados de 2000, com a popularização de bandas de igrejas evangélicas extrangeiras como Hillsong Music, Hillsong United, Vineyard, notou-se uma similaridade contextual de estilo de musicas nessas bandas, que no Brasil popularizou esse estilo como Worship.

    Em especial este "estilo" Worship, falando bem por cima, não é regra geral, são musicas com bases de +- 5 acordes, com muitas repetições entre estrofe, coro, e instrumentalmente com teclados fazendo apenas bases de pad/piano/eletric-piano, guitarras dedilhadas em alguns momentos de crescente com riffs ou solos que não dao o destaque exclusivo pra guitarra, para não tirar a simetria com os outros instrumentos, violões base.

    Um estilo se bem tocado, fica muito bonito mesmo, apesar da execução não ser complexa.

    Para guitarra em geral nesse estilo, você precisaria como pessoal disse de delay, reverb, modulação e algum drive ou distorção para sujar o som bem levemente.
    Talvez uma pedaleira para este estilo supra em muito suas necessidades.

    RafaelChaves
    Membro Novato
    # 18/mai/20 12:17 · Editado por: RafaelChaves
    · votar


    Flavin_1
    Cara, eu toquei mais de 10 anos em igrejas e acho que é melhor pra você escolher uma pedaleira. Desde que tenha o tal shimmer que é mais ou menos 90% das guitarras desse tipo de música, qualquer uma vai te atender. Pedaleiras se encaixam melhor no contexto pouco organizado de música em igreja e são muito mais do que suficientes pro uso que a guitarra tem em worship.

    Quanto ao que seja worship, vou dar minha opinião: é mais ou menos o que o warto falou. Não sei se se encaixa como estilo, mas ele tem algumas caracteríticas: Harmonias de poucos acordes (se toca um espaço de um minuto com dois acordes). A ritmica pouco ou nunca varia, muitas músicas não têm variações no clima, que quase sempre é extremamente intimista. Há muitos efeitos, muitas camadas estilo ambient e a guitarra serve mais como um apoio de efeitos do que como convencionalmente usada. Lembra certas passagens música "djent" só que na música toda. As letras são curtas, simplórias e repetitivas. É fácil de tocar tendo as ambiências certas e um overdrive low gain e, talvez por isso, faça sucesso no meio a ponto de até mesmo bandas de rock incorporarem algum desses elementos. É diferente da música que se tocava nas igrejas até o fim dos anos 90.

    Del-Rei
    Veterano
    # 18/mai/20 12:50
    · votar


    BrotherCrow
    Mas tem músicos excelentes.

    Pois é. Eu sempre achei que boa parte do pessoal que toca em igreja é realmente muito bom. Pelo pouco que tenho observado, parece ser a maioria.

    Aliás, sobre U2, apesar de ser uma banda de pop/rock, sempre notei um pezinho deles num lance meio religioso. Você já reparou isso?

    acabaramosnicks
    warto
    Fala pessoal!
    Obrigado pelos esclarecimentos.

    Pra identificar uma letra gospel, evangélica, cristã, etc, é razoavelmente fácil porque basta você ler a letra. Mas um instrumental tenho muita dificuldade em associar a um único gênero, porque se mudar apenas o teor da letra muda todo o contexto, até mesmo o gênero.

    Inclusive o exemplo que o acabaramosnicks citou sobre a banda acompanhar as emoções do pastor, é muito explorado em eventos de coach, palestras motivacionais e outros eventos em que o orador pretende conduzir as emoções dos ouvintes. Já estive em alguns desses eventos e também em confraternizações religiosas, e creio que se me pedissem pra diferenciar o instrumental de cada um, talvez eu não saberia. Acho todos bem parecidos, exceto pela letra da música ou discurso do orador.

    Uns anos atrás eu entrei numa vibe de ambient notes, no qual era basicamente delays, ambiências, drive de leve, com um pedal de loop pra acrescentar camadas. Hoje pesquisando sobre Worship, percebi uma boa similaridade.

    Então, pra resumir, eu poderia concluir que Worship seja um termo pra classificar um determinado tipo instrumental dentro de um contexto religioso?

    Um aceno de longe!!!

    Ismah
    Veterano
    # 19/mai/20 02:44 · Editado por: Ismah
    · votar


    makumbator
    É difícil sugerir sem te conhecer

    Sem conhecer ele e as necessidades dele e da banda... Baita tiro no pé...

    Eu cheguei na adoração, inspirado por John Lord, Vangelis e Jean Michel Jarre... Imagina a sopa de ideias... E eu nunca quis seguir arranjo original - até porque não dava, com a formação da banda...

    Del-Rei
    worship

    Dá para definir como um adjetivo para uma música de fundo, de forte cunho dramático, para levar os fiéis/ouvintes a uma conexão com o divino.

    É análogo ao que o new age é, para melhorar a meditação. Ao batuque, para para "facilitar" as invocações e incorporações de entidades. Ao spiritual para o afro-protestantismo etc...

    Essencialmente, inspirado no trabalho do progressivo, do soft pop, soft rock e semelhantes, surgidos como algo mais refinado que o rock banal de até então... O BrotherCrow usou um bom exemplo. Eu costumo definir como música de tele-atendimento ou elevador.
    Havia um programa de rádio local, chamado Domingo Classe A. Que sempre me remeteu ao tipo de música, ouvida em sala de espera, dos consultórios de médicos muito bem sucedidos.

    Pink Floyd, U2, Genesis e Phill Collins são excelentes exemplos de bandas que fizeram isso meio sem querer talvez.
    Flavin_1
    estilo worship
    warto
    Um estilo
    Del-Rei
    worship de outro gênero...

    Gospel e worship não são gêneros, são no máximo adjetivos.
    Existem diversos "gêneros gospel". Do funk ao metal extremo. E muitas bandas tem se destacado, fora dos templos, como o Skillet.

    Até existe o gospel como gênero, que é algo derivado do spiritual, que por sua vez é derivado dos escravizados negros nos USA. Convertidos para o cristianismo, rolou um sincretismo religioso na música, e culminou no spiritual, gospel, jazz, blues, rock, soul, etc...

    Aliás, recomendo fortemente o negro spiritual, pra quem gosta de jazz e blues. É algo entre os dois, com um cunho mais popular - logo de mais fácil digestão.


    https://www.youtube.com/watch?v=r_vhBMWWnBE

    E se quiser um contexto para a época, o filme "12 anos de escravidão" é uma obra prima, sobre.

    Ismah
    Veterano
    # 19/mai/20 03:09
    · votar


    Flavin_1

    Então... Respondendo a tua pergunta, é MUITO difícil isso...
    Pra começar é uma puta grana, que não se acha no cisco. Se pegar esse valor e investir num amp, terá vantagens muito maiores na questão econômica.

    São 3 fatores intrínsecos...

    -> Tu mesmo

    Sem saber tua personalidade como músico, tua experiência com efeitos etc, é bem complexo. Muitos de nós, já compramos um material X ou Y, baseado em reviews de internet e... Na hora de encaixar no nosso setup, ficou uma bela bosta...

    -> A necessidade pro tipo de som

    Não existe faz tudo. Mesmo uma MultiFX é limitada para algumas coisas. Ela tem N efeitos, e não faz o N+1 que é tão desejado. Então, as vezes tu vai com ideia de que é preciso muitas coisas, e acaba não sendo prático.

    -> O que esperam de ti na banda

    As vezes, tua função na banda é apenas dobrar o violão e deu.
    Mesmo que você saiba solar em si fumol, fazer arpeggios em semifusas a 500 BPM, e usar escalas exóticas em contextos poli-harmônicos... O que eles querem e esperam, é que tu faça acordes menores e menores - E DEU!
    Te falo, como quem foi "expulso" de um grupo de louvor meio que por isso. Nunca quis atropelar ninguém, mas como minha bagagem já era muito superior que a dos músicos locais, acabou criando uma certa inveja.

    E rolam muitos absurdos! Já arrumei encrenca com técnico de som, na banda de rock para qual trabalho. Fui dar aquela "ouvidinha" na frente (solicitação da banda).
    Bateria, baixo e violão estavam bons. Mas estavam praticamente inaudíveis as DUAS GUITARRAS. Perguntei sobre e ouvi algo como "é, eu não gosto de guitarra"...
    Se o responsável pela igreja, ou pelo louvor não gostar - e mesmo que ele não entenda porra nenhuma de música - ele pode te limar... Cuidado com isso!

    Sendo assim, o leque de opções numa multiFX é muito maior.
    Se não gostar do Angry Drive, tu terá que vender ele. Com muita sorte, consegue vender, e recupera 60~70% do preço pago... Mas isso pode levar meses no contexto atual!
    Já se não gostar de um drive simulado, pode trocar ele por outro, depois de alguns comandos.

    Pessoalmente, não me agradam a sonoridade das MultiFX fabricadas pela Boss.
    Um forte argumento para as Line 6, é a robustez. Trabalho com duas, que literalmente caíram de baú. O case já eras e elas saíram com uns risquinhos apenas.
    A opção de ter um som duplo (como sendo dois amps, p.e.) usando sinal em linha e sinal do amp. E já ter uma saída balanceada, em nível de microfone, funciona de uma maneira maravilhosa!

    Del-Rei
    Veterano
    # 06/jun/20 10:46 · Editado por: Del-Rei
    · votar


    Flavin_1
    E aí, cara, o que decidiu?
    Acho que eu acabei descambando o assunto do teu tópico.
    Desculpa aí.

    Um aceno de longe!!!

    warto
    Membro Novato
    # 16/jun/20 17:43
    · votar


    Flavin_1

    Conseguiu fechar seu setup para Worship?
    E aí já fez alguns testes?
    Compartilha ai em qualquer novidade.

    doug_cr
    Membro Novato
    # 24/jul/20 20:14
    · votar


    Flavin_1
    Fala rapaziada , o que vcs acham desse set ; algumas dicas ou recomendações ? ( Obs : Toco na igreja ; estilo worship )
    Guitarra Tagima T635 - 1340
    Boss Angry Drive - 1460
    Boss Rv 6 Reverb - 1120
    Boss Dd 3 Delay - 785
    Boss Cs 3 Compressor - 476
    Fonte Landscape - 554
    Santo Ângelo Ac22 - 189 ( 3 cabos )
    Santo Ângelo Shogun - 200 ( 2 cabos)


    Se não decidir por pegar uma pedaleira, no seu caso pegaria uma Line 6 M9 (para delays, reverb e modulações) + um drive, um booster e um compressor. Daí pra frente você evolui o set, aos poucos. Acho que construir um set de pedais envolve muita experimentação, acerto-erro, para se despejar uma grana imensa, ainda mais comprar tudo novo.

    Escolheria a M9 principalmente pelo shimmer e particle reverb, que te será muito útil no estilo que você quer tocar.

    Um detalhe bem importante seria verificar se na(s) igreja(s) que você tocará tem amps de guitarra disponível, se não terá que ter um set dedicado para plugar em linha. Nesse caso te recomendaria fortemente uma POD HD500X (mesmos efeitos da M9, mas com simulações de amp, e praticidade que só uma pedaleira dá).

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Pedalboard - Guitarra - Worship