Som do impacto da palheta saindo no amplificador

    Autor Mensagem
    Ismah
    Veterano
    # mai/16 · Editado por: Ismah


    Não é maluquice, isso tá acontecendo conforme o lugar que toco a TLP 100 Flamed, e me incomoda muito (mesmo precisando de ouvido bem treinado para ouvir).

    A solução é usar um comb filter em 500, 1K, 1K5, 2K, 3K, 4K, para eliminar isso. Mas poxa, é de cair os butiá do bolso, começar a processar o timbre assim...

    Soa um harmônico, resultante de quando a palheta encosta novamente, na corda ainda vibrando.

    Esse comb é de B, e realmente onde notei isso a primeira vez, foi em Going under (Evanescence) que é em B, e me parece surgir da quinta corda, apertada na segunda casa (B2 = 123,5Hz)...

    A culpa pode ser em parte minha, pois estou acostumado com SSS da Strato de escala 25,5", e palheto um pouco mais para o centro do instrumento (entre captadores de neck e mid). O que nos instrumentos HH de escala 24,75", coincide com a localização do polo do captador, e posição 1/4 da corda em reação a ponte, saindo o harmônico da corda, como o que sai no traste 5(3/4 em relação a ponte) e... sai lá no amp!

    Alguma bruxaria resolve isso, ou só mesmo reeducando a forma de tocar? Teoricamente tocando mais para a região entre os captadores, eu elevaria a frequência do harmônico, e não sei se resolveria esse problema. Talvez sim por estar mais longe do polo do captador.

    makumbator
    Veterano
    # mai/16 · Editado por: makumbator
    · votar


    Ismah

    Pra mim isso é problema de deficiência técnica ao tocar. Eu sempre toquei em geral na mesma região entre os captadores HH e nunca tive esse problema. Claro que mudar de palheta pode ajudar a mitigar o problema, mas seria uma muleta (assim como usar equalizador pra isso é uma super muleta).

    Analisando seu relato, chuto que é problema na forma que você ataca a corda com a ponta da palheta e também como você atinge a corda novamente em novo ataque. Provavelmente você pode estar fazendo a palheta esbarrar na corda de leve antes de fazer um novo ataque (o que geraria um harmônico em vista da posição atingida). Tal fato denotaria um problema no controle de memória muscular fina na movimentação da palhetada.

    Minhas dica são:

    1. Analise como você palheta (principalmente no que tange à parte que entra em contato com a corda).

    2. Estude o ataque nas notas (instrumentistas de sopro podem passar muito tempo só estudando ataque, o mesmo deveria ser feita por guitarristas).

    3. Mude para um palheta diferente (outro modelo, material, formato e espessura) e veja se ajuda.

    4. Depois de entender a questão estude visando a melhoria e eliminação do problema, sem usar muleta de equalizador.

    Ismah
    Veterano
    # mai/16
    · votar


    Acho que me entendeu um pouco errado, eu palheto um pouco mais SOBRE o
    captador da ponte LP, como se estivesse entre os captadores Neck e Mid de uma Strato (poxa 6 anos tocanto strato)...

    A parte da muleta é verdade, mas o mundo não pode parar! Estava com a JAM em andamento, voltei a estudar guitarra... Usei meu conhecimento técnico pra resolver o problema... É algo tão sutil, que só percebi gravado já, e realmente faz várias semanas que estou pensando no que possa ser. É bem pouco, mas tá lá e não deveria estar, e quero resolver...

    O que me chama a atenção é isso acontecer só com meu instrumento, no meu amp naquela configuração. A Gibson LP Tradicional da banda não faz isso, nem nenhum outra. Tá meio com cara de "maldição" já.

    LeandroP
    Moderador
    # mai/16
    · votar


    Ismah

    Isso acontece com todo tipo de palheta?

    Acho que o segredo está nelas e na forma de atacar as cordas. Experimente outro tipo de palheta... Quem sabe?! Apesar do preço da palheta ser absurdamente caro, ainda é mais barato que um pedal.

    boblau
    Veterano
    # mai/16
    · votar


    Ismah

    Vc pode reduzir o ataque com um pedal. O Boss Compressor/Limiter tem esta função.

    Como os colegas acima já colocaram, mudar a palheta pode ser uma solução, ou, mudar a palhetada, não muito, somente incline ela um pouco.

    Outra "maluquice", mas que já vi fazerem, é inverter o captador. Tirar o captador e montar ele ao contrário. Se eu não me engano, o Gary Moore usava este sistema no captador da ponte de sua LP.

    Atualmente, estou novamente usando palheta de aço, justamente para definir melhor o ataque.

    renatocaster
    Moderador
    # mai/16 · Editado por: renatocaster
    · votar


    Ismah

    Vc pensa tanto em números, ondas, frequências, etc, que já está ficando bitolado com isso. Melhore sua pegada, sua técnica, que o problema se resolverá. Ou experimente outro tipo de palheta.

    É mais simples do que parece.

    sandroguiraldo
    Veterano
    # mai/16
    · votar


    Ismah

    Eu tinha esse problema com uma Cort Les Paul há alguns anos. Mas acabei vendendo a guitarra rapidamente e o problema sumiu / foi solucionado.

    Tenta palhetar mais pro meio dos dois caps, deve resolver.

    BrotherCrow
    Membro Novato
    # mai/16 · Editado por: BrotherCrow
    · votar


    Isso acontecia comigo quando eu tenteava tocar usando uma moeda, igual o Brian May. Imagino que role com palhetas de vidro também. Quando a palheta encostava, era como se botasse um slide ali: saía momentaneamente a nota do ponto onde eu batia. Mas com palheta normal isso não devia acontecer. Quem sabe seja excesso de agudo no amp.

    Acho que tocar em cima do polo do captador não é a causa do problema. Já vi um video do Joe Bonamassa justamente dizendo que palhetava exatamente em cima dos polos quando queria um som mais doce. É um recurso de dinâmica, não devia trazer problema algum.

    Fora isso, é o que o pessoal falou: melhore a técnica.

    boblau
    Tirar o captador e montar ele ao contrário. Se eu não me engano, o Gary Moore usava este sistema no captador da ponte de sua LP.
    O Gary Moore eu não sei, mas o Peter Green eu tenho quase certeza que fez isso.

    Iversonfr
    Veterano
    # mai/16
    · votar


    Ismah

    Pelo pouco que vejo você falando de frequências e tudo que o renatocaster comentou, vou até mais longe que ele e acho que isso aí deve ser pura neurose sua. Deve estar tudo normal aí e vc encanado com esses detalhes que fazem parte do instrumento rsrs. Abs!

    Ismah
    Veterano
    # mai/16
    · votar


    Vou testar com outras palhetas, uso a algum tempo as Tortex Jazz III, e contar resultados.

    renatocaster
    Iversonfr

    Não é neurose, tá lá e nem forçando a barra eu consegui isso na Strato que é mais aguda.

    Schenker
    Veterano
    # mai/16
    · votar


    Guitarras diferentes, técnicas diferentes . . . por isso é raro ver um artista top tocando com muitas guitas diferentes (modelos de guitas . . .).

    a física de cada guitarra responde diferente ao seu ataque, posição do braço (ai inclusos ângulo de ataque, angulação do cotovelo, apoio no instrumento) e angulação do punho.

    tudo muda no seu jeito de tocar, por isto a necessidade de se adaptar ao modelo da guitarra.

    LeandroP
    Moderador
    # mai/16
    · votar


    Schenker
    a física de cada guitarra responde diferente ao seu ataque, posição do braço (ai inclusos ângulo de ataque, angulação do cotovelo, apoio no instrumento) e angulação do punho.

    Isso pode até parecer uma bobagem, mas é a mais pura verdade.
    Claro que é possível adaptar-se a cada situação, mas há diferenças significativas na forma de tocar. Expressão.

    renatocaster
    Moderador
    # mai/16
    · votar


    Ismah

    uso a algum tempo as Tortex Jazz III

    São as minhas prediletas. Não troco por nada.

    Del-Rei
    Veterano
    # mai/16
    · votar


    Hehehe...
    Eu acho que sou um dos únicos que toca com a V-Pick Large Pointed... Rsrs...
    São enormes, mas hoje simplesmente não consigo mais me adaptar às palhetas menores... Foda que são caras!!

    Um aceno de longe!!!

    makumbator
    Veterano
    # mai/16 · Editado por: makumbator
    · votar


    Del-Rei

    Também toco com um modelo parecido, a medium de mesmo formato. Entretanto, a que gosto mais é a dimension junior:

    http://www.v-picks.com/product/dimension-jr/

    Mas queria ver mesmo é se conseguiria tocar com essa aqui:

    http://www.v-picks.com/product/colossal/

    Ou essa (só pra zoar):

    http://www.v-picks.com/product/desk-sculpture/

    Del-Rei
    Veterano
    # mai/16
    · votar


    makumbator
    Pô, legal!!!!

    Eu já comprei uma dessa Dimension, mas achei "gorda". Não me adaptei legal.
    A Colossal nem arrisquei, mais gorda ainda, rs. Fora o preço. E essa Desk, cara... Eu nunca tinha visto!! Surreal, hahaha. Carácoles!!! rsrsrs... É uma arma isso, hehe.

    Um aceno de longe!!!

    Ismah
    Veterano
    # mai/16
    · votar


    boblau
    Outra "maluquice", mas que já vi fazerem, é inverter o captador.

    Não é tão maluco assim, o Hendrix fez isso no do neck da strato, pois os polos estagiados não são iguais, já que a corda 1 e 2 podem ficar bem mais baixas que 5 e 6, ficando no formado rampa e não arco (mais comum)

    renatocaster

    Fiquei pensando nessa de estar bitolado... Não creio ser tanto quanto parece, sou sim absurdamente ansioso e preocupado (a ponto de sonhar com a passagem de som kkk). E é parte da minha profissão ter a solução, para qualquer problema em guitarra, baixo e teclado, na ponta da língua... Por isso passo dias e dias fazendo experimentos com instrumentos, pesquisando sobre (é um caso este).

    renatocaster
    Moderador
    # mai/16
    · votar


    Ismah

    E é parte da minha profissão ter a solução, para qualquer problema em guitarra, baixo e teclado, na ponta da língua...

    Primeiro depende do que vc enxerga como problema. Se incomodar com o som do ataque da palheta nas cordas para mim não é um problema e EU vejo isso com um certo ar de preciosismo. Até pq, feedbacks, pequenos ruídos, etc, fazem parte do "show". Imagina se caras como Hendrix, Jimmy Page, SRV, Malmsteen e outros ficassem matutando em cima dessas coisinhas...

    Por isso passo dias e dias fazendo experimentos com instrumentos, pesquisando sobre (é um caso este).


    Então, eu acho que isso é até legal, vc acaba descobrindo várias coisas interessantes. Mas eu acho que tem que buscar o equilíbrio entre a parte técnica da sonoridade como um todo, e o ato de tocar propriamente dito.

    Não adianta deixar apenas a parte sonora (tecnicamente falando) toda redondinha, se a sua habilidade no instrumento não favorece, e vice-versa.

    Rachmaninoff
    Veterano
    # mai/16
    · votar


    Ismah
    Som do impacto da palheta saindo no amplificador
    e me incomoda muito

    Gostaria de ouvir uma gravação disto antes de opinar.

    Ismah
    Veterano
    # mai/16 · Editado por: Ismah
    · votar


    renatocaster

    Não confunda as coisas, isso é algo que não deveria estar ali, é um problema que atrapalha o andar da carruagem. Lógico que faz parte, mas esse soa fora de contexto (BM6-? Bm6-?), e no drive fica bem embolado. Acho que retirando os agudos e trocando a posição do mic pra compensar isso desapareceu. Continuam os testes.

    Não adianta deixar apenas a parte sonora (tecnicamente falando) toda redondinha, se a sua habilidade no instrumento não favorece, e vice-versa

    Pô bicho agradeço a preocupação, mas preciso te lembrar que diferente da maioria, sou um técnico, não músico, e bem feliz como técnico. Nem almejo ser músico também. Quero usar meus equipamentos pra me divertir, arranjar, timbrar, fazer experimentos, alugar de vez em quando etc...

    E adianta deixar tudo redondo! Já pisei em estúdios algumas vezes onde os caras se viram estreitos, e logo caiu a máscara de que não era tudo aquilo que prometiam... Muitos cachês vieram de ser técnico de captação, muitas ideias lá do tempo de gravar L/R com condensador... To pra fazer o curso de produção do Lisciel agora, etc...
    Não sou nem de longe um bom músico, mas te garanto que sou um bom técnico (não infalível).

    A música pra mim, é um hobby, apenas pra relaxar, tocar no meu quarto e ser feliz... Tenho lá o tópico de dicas que é tudo experiências que faço, ou pelas que passei. Passo algumas horas tocando (e tem o que tocar), e umas 10 estudando circuitos, montagens/arranjos, amplificação, cálculos etc

    Rachmaninoff

    Vou gravar nos próximos dias, mas acho que descobri que o problema era um conjunto de fatores, e o remanejamento deles parece ter solucionado tudo.

    Ramsay
    Veterano
    # mai/16
    · votar


    Ismah
    A resposta ao seu problema, vc próprio já deu.
    Vc é um técnico de som e não guitarrista, e esse problema é típico de guitarristas iniciantes que não tem traquejo pra coisa.
    Então, para de tentar tocar guitarra, que definitivamente não é a sua praia, e se atenha ao que vc faz de melhor que é ser técnico de som.

    Ismah
    Veterano
    # mai/16
    · votar


    Agradeço o incentivo com o instrumento, pessoas assim fazem a diferença. Infelizmente de forma negativa. Mas eu não me importo, já que o sol nasce para todos. :)

    As mudanças serão aplicadas sim, e só perguntei porque tenho essa preocupação, pois hora mais, hora menos aparece um cara com o mesmo problema pra mim conduzir e aí fuuuu...

    Como é mesmo algo bem peculiar da TLP, fiquei me perguntando se de fato era eu ou ela. E parece que é o todo...

    Ramsay
    Veterano
    # mai/16 · Editado por: Ramsay
    · votar


    Ismah
    Você nunca será um guitarrista, simplesmente, porque não tem traquejo pra ser, a sua praia é outra!!
    Apesar de eu ser um guitarrista bem meia boca, eu nunca tive esse problema com palhetas.
    A propósito o que é TLP?

    Ismah
    Veterano
    # mai/16 · Editado por: Ismah
    · votar


    Olha nunca é uma palavra forte, eu nunca seria um técnico, sempre seria um músico (teclas), e olha onde que deu... Um "nunca", geralmente é equivocado - ainda mais falando de pessoas.
    Voltei a estudar o instrumento (por isso estou lançando JAM's), ainda meio por cima etc, mas vai se ajeitar nos próximos dois meses. Enfim... É quase minha vida pessoal já que está sendo discutida, e não é foco do tópico.

    Como vi que não leu o tópico, e meio que jogou uma resposta, baseado no meu último post, é algo bem mais específico. Vamos explicar mais uma vez...

    Apenas acontece numa nota específica (B), com uma guitarra específica - a Tagima TLP100 Flamed mencionada como TLP, geralmente com o captador específico - da ponte. Sim, posso ser eu o problema, mas é tão específico que não, faz sentido na minha mente ser algum elemento antigo (eu, a palheta ou amplificador) e sim o novo (a guitarra) que está comigo a menos de ano.

    O TLP provavelmente é Tagima Les Paul.

    w3s1eyB
    Membro Novato
    # mai/16
    · votar


    Ramsay
    Apesar de eu ser um guitarrista bem meia boca

    Nunca vi um kara falar tanta besteira meu jesus...
    q discussão mais inútil, primeiro que o Ismah veio pedir ajuda a quem pode ajudar, não vi ele falando que sonha ser um guitarrista profissional, só veio esclarecer a dúvida e pronto. Se não tem no que ajudar, acho que o mais correto é não atrapalhar o bom andamento da coisa.
    E outra, quem é você pra dizer quem será ou não um bom guitarrista se até mesmo você se diz um "guitarrista meia boca".
    sou guitarrista, mas gosto de tocar teclado, sou bem ruim no teclado, mas o que é que me impede de tocar? não toco para fazer média com os outros, toco pra fazer O MEU LAZER e ponto final.


    Ismah
    Kara continue testando, o que você descobrir servirá para outras pessoas com o mesmo problema, no mundo da guitarra coisas esquisitas costumam aparecer, algumas pessoas se incomodam mas outras deixam rolar, eu mesmo notei que quando toco a corda G da minha guitarra, as molas da ponte fazem um ruído esquisito, mas que só é perceptível com o amp desligado... pra mim não faz muita diferença =D
    a propósito, não deixa esses karas te dizer o q fazer ou não, se fôssemos levar em conta todos q criticam, nem vida teríamos...
    Mexe mesmo nessas frequências, vira captador, troca palheta, arrebenta corda, lixa elas com palha de aço, assa elas no forno, Seja feliz!!!
    tudo que é feito de alguma maneira vai te trazer experiência, seja ela boa ou ruim.

    Continue os testes e compartilhe o que descobrir!
    Abração!

    Sub_Zero
    Veterano
    # mai/16
    · votar


    omo se estivesse entre os captadores Neck e Mid de uma Strato (poxa 6 anos tocanto strato)..
    a física de cada guitarra responde diferente ao seu ataque, posição do braço (ai inclusos ângulo de ataque, angulação do cotovelo, apoio no instrumento) e angulação do punho.

    tudo muda no seu jeito de tocar, por isto a necessidade de se adaptar ao modelo da guitarra.


    Tive algo parecido. Comprei uma les paul, e fiquei 6 meses tentando me adaptar, não teve jeito rsrs acabei vendendo.
    Como a galera falou acima, a forma de tocar muda quando você tem uma mudança muito drástica de instrumento.
    Se é pra dar uma dica, já tentou baixar a altura do captador na ponte?

    Ismah
    Veterano
    # jun/16
    · votar


    w3s1eyB

    Agradecido a defesa, mas não se preocupe, são dois dinossauros quase, mostrando os dentes... ambos tem 6 anos de fórum, e eu entendi o que ele quis dizer.

    Logo depois vi que fui infeliz com o título do tópico, o mais apropriado seria "harmônico soando na corda B quando a palheta toca as cordas", mas já era tarde... Boa parte do pessoal não leu além da "manchete', e entendeu que era o som de atrito das cordas com a palheta.

    Se ler, eu solucionei o problema, e era um monte de coisas colaborando - meu jeito de tocar junto. rs Concluí que o fator determinante mesmo foi equalização, feedback e posição de descanso.

    Eu uso muito timbre agudo na entrada do estágio de drive, e compenso depois. Como é um riff staccato, ao soltar a mão esquerda, ela que criava esse efeito, que com a captação forte, os agudos bem comprimidos, saía um harmônico de 1/8 de corda...

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Som do impacto da palheta saindo no amplificador