por que mesmo um acorde dizendo que não é pra tocar uma corda e mesmo assim é tocado na musica?

    Autor Mensagem
    nfm
    Membro Novato
    # 26/out/19 14:05


    por exemplo: em uma base de violao que tem um acorde C e mesmo o acorde não podendo tocar a 6° corda , é tocado? é meio complicado formar a pergunta , mas acho que deu pra entender !

    Rhaffo
    Membro Novato
    # 26/out/19 14:11
    · votar


    Não sei se entendi bem a pergunta, mas acorde de C você toca a partir da corda A. O que pode acontecer é você dar mute na corda E com o polegar...

    entamoeba
    Membro Novato
    # 26/out/19 14:25
    · votar


    Se tocar E, é uma inversão. Acho legal.

    TendTudo
    Membro Novato
    # 26/out/19 14:27
    · votar


    nfm
    Se preocupa com esses detalhes não.
    Tu tem é que treinar.
    Mente.
    Físico.
    O resto vem com certeza.
    Desconfiar do professor e não estudar é fácil.

    nfm
    Membro Novato
    # 26/out/19 14:31
    · votar


    é por que no diagrama de acorde fala uma coisa e na pratica faz outra.

    makumbator
    Veterano
    # 26/out/19 14:34
    · votar


    nfm

    Mostre-nos o referido diagrama.

    Lelo Mig
    Membro
    # 26/out/19 15:25 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    nfm

    Amigo se é o que estou imaginando, você "vê" o acorde transcrito, como abaixo:

    Dó Maior

    e percebe o X, indicando para não tocar a corda 6, o Bordão Mi, é isso?

    Se for isso, entenda o seguinte:

    Quando você esta "aprendendo" os acordes por cifra, existe uma recomendação de "não tocar" determinadas notas. Mas isso não é uma regra, uma lei que precisa ser obedecida. Existem N motivos para não tocar o Mi, e N motivos para tocá-lo. Depende da música, da intenção que esta sonoridade irá levar.

    Depois de um tempo, quando você conhece as escalas e como os acordes são formados você vai entender que existem inversões, acorde X com bordão em Y, dissonâncias e etc.

    Neste caso específico do Dó Maior, o Mi é a terça do Acorde, ou seja, não há problema algum em tocá-lo, até porque seu dedo 2 já está fazendo uma nota Mi na corda 4 (Ré). É justamente este MI que define que o acorde é maior. (Dó é a Tônica, Mi é a Terça e Sol é a Quinta da escala maior de Dó).

    O Mi é parte deste acorde maior, tocá-lo em primeiro ou mais grave não muda o acorde, seria apenas uma inversão do acorde.

    TendTudo
    Membro Novato
    # 26/out/19 15:36
    · votar


    nfm
    Se preocupa com esses detalhes não.
    Tu tem é que treinar.
    Mente.
    Físico.
    O resto vem com certeza.
    Desconfiar do professor e não estudar é fácil.
    2

    TendTudo
    Membro Novato
    # 26/out/19 18:42
    · votar


    Lelo
    Sonoridades se conquista usando o estudo da música.

    Schelb
    Veterano
    # 26/out/19 19:57
    · votar


    Se for um vídeo que você está vendo, é bem provável que a pessoa esteja usando alguma forma de "mutar" a 6ª corda, talvez com o dedão como o Rhaffo falou, ou talvez com o dedo três (encostando ele na corda o suficiente pra impedir ela de vibrar). Daí uma vez que a corda está mutada, vc pode tocar ela sem problemas. Isso fora o fato que todo mundo aí já falou de você na verdade poder tocar a sexta corda quando tem a intenção de ter o som dela junto do acorde, como o Lelo explicou bem ali.
    De forma geral, acho importante você aprender a tocar o acorde nesta forma mais "padrão", sem soar a sexta corda, assim como acontece em outros acordes (como no formato mais comum do D, em que você só toca da quarta corda pra baixo). É bom treinar a habilidade de acertar só as cordas que você quer, justamente ganhar essa precisão .. que vai ser importante pra você ter mais controle do som que você tira do instrumento e também pra outras técnicas no futuro.

    Ismah
    Veterano
    # 28/out/19 06:56
    · votar


    Mas, também é possível que em dado momento te ensinaram a não tocar essa corda, ao executar esse acorde. E, agora, se deparou com um situação que ela é tocada. O que é possível.

    nfm
    Membro Novato
    # 28/out/19 13:03
    · votar


    obrigado a todos que responderam.

    Buja
    Veterano
    # 29/out/19 12:10
    · votar


    Tem gente que toca mesmo, e toca errado.
    Ja cansei de ver gente tocando um G usando todas as 6 cordas (que é normal e correto) e logo após tocando um D usando todas as 6 cordas de novo, gerando um som horrivel. Tudo bem que o A da 5ª corda é a a quinta justa, mas ha quem diga que a inteção do cara ao tocar todas as 6 juntas, era fazer um D9 (aváaaaa)

    Ismah
    Veterano
    # 01/nov/19 02:31
    · votar


    Seria na real um D/E aí. rsrs

    Normalmente se pensa em D9 como sendo Dsus2, onde se substitui a III do acorde, pela II. Pela questão da digitação mais fácil numa guitarra mesmo.

    Todavia, pode haver um Dadd9, que é a extensão natural do empilhamento de terças num acorde: D F# A C E. Destas, não se executa a sétima nesse acorde.

    E antes que me crucifixem... Há uma convenção para que EM PARTITURAS, de que não se escreva o voicing (ordem das notas) dos acordes, apenas suas extensões. Assim, não se escreveria add2, add4, e não existiria um sus9, sus11, sus13, sus15 (existe?!). Totalmente indiferente a ordem das notas a ser executada.
    Simplesmente porque não se grafa voicings em partituras, apenas os acordes. Nem mesmo o baixo é comum. Isso é prática de guitarristas, e alguns materiais de estudo, visando facilitar a leitura.

    Nem o baixo na verdade acredito que se grafaria, já que ou são linhas executadas por instrumentos para instrumentos monofônicos, ou mãos diferentes, no caso de piano, cravo, órgão, clavineta, e demais... Fica pro makuma responder isso, quanto a uma transcrição para instrumentos hexafônicos em diante, onde existe a possibilidade dessa execução, mas se tem limitações técnicas para formar acordes.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a por que mesmo um acorde dizendo que não é pra tocar uma corda e mesmo assim é tocado na musica?