Guitarrista tem que usar acordes reduzidos?

Autor Mensagem
Novales
Membro Novato
# set/15


Boa tarde a todos,

Estou tentando me aperfeiçoar na guitarra e no decorrer desses dias, ouvi uma frase bem estranha, "guitarrista tem que usar acordes reduzidos" !?!? mais essa agora, alguém consegue me explicar do que se trata isso?
Obrigado!!

davehetfield
Membro Novato
# set/15 · Editado por: davehetfield
· votar


Acho que seria acordes com Tônica + 5. Power Chords.

Mas não acho que um guitarrista só deva usar Acordes 5.

Novales
Membro Novato
# set/15
· votar


pelo que eu consegui entender vagamente, é pegar um acorde, tipo E/G# e fazer a forma do acorde bem simplificada, diferente de quem faria no violão. eu perguntei sobre o Power Chords, ele falou que não é isso.

Lelo Mig
Membro
# set/15
· votar


Novales

Quem quer que disso isso, disse merda!

Em alguns estilos, com muita distorção e etc. é compreensível a redução/simplificação dos acordes, principalmente aos bordões, porque a sonoridade fica ruim e para aumentar o peso.

Mas, estes caras precisam entender que o Universo não se resume ao Metal...

Nos demais estilos os acordes devem ser feitos com a complexidade que a música demanda.

Ou quer viver feito guitarrista de metal que sabe meia dúzia de power acordes e mais nada?

Buja
Veterano
# set/15
· votar


Novales
Ele tem que explicar o que seria. Na guitarra da pra fazer os mesmissimos acordes que se faz com o violão.

Porem, dependendo da musica, por exemplo, no funky, o guitarrista nao usa acordes muito abertos, como aquele tradicional E maior do violão.

Quando se toca com muita distorcao, tambem é incomum usar acordes abertos. Nesse caso, é mais comum o uso de power chords e palm mutes.

E em muitas musicas, a guitarra não é la o instrumento principal. Ela so faz preenchimentos, um acorde aqui e outro lá, e ai, pode nao ser necessario fazer um acorde com inversão no baixo, ou muito complexo. As vezes so a tonica, a terça maior/menor e uma setima, ja caracteriza bem o acorde.

Novales
Membro Novato
# set/15
· votar


Vocês deixaram bem claro!. muito obrigado pelo esclarecimento de todos!

Ismah
Veterano
# set/15 · Editado por: Ismah
· votar


Novales

Acho que não é reduzidos, mas incompletos!

Veja bem, uma sequência que peguei na frente semana passada

A#m7 - F#7M - C# - G#

eu faço eles sempre com pestana na primeira casa, e fica assim


A#m7 - F#7M - C# - G#
e---------------------X---
B---1-------1-----1---X---
G-----------2-------------
D---2-------3-----2-------
A-----------------3---2---
E-----------X---------3---


EDIT É F#7M, não F7M como havia postado mais cedo.

Ismah
Veterano
# set/15
· votar


Lelo Mig
é compreensível a redução/simplificação dos acordes, principalmente aos bordões, porque a sonoridade fica ruim e para aumentar o peso

Buja
Quando se toca com muita distorcao, tambem é incomum usar acordes abertos.

o.O Metalzinhos modernos ok, mas até 80~90 se usavam acordes abertos (Bon Jovi, Motley Crue, ACDC etc...)...

Novales
Membro Novato
# set/15
· votar


Ismah

Vou tentar falar com esse cara para entender melhor isso, depois posto aqui. mas pode ser que seja essa ideia sua mesmo.

Buja
Veterano
# set/15
· votar


Ismah
o.O Metalzinhos modernos ok, mas até 80~90 se usavam acordes abertos (Bon Jovi, Motley Crue, ACDC etc...)...

Eh verdade, mas é que esses metais de hoje usam distorcao laaaaaaa nas alturas. Até judas priest e Iron maiden nao usavam tanta distorcao assim. Ai as musicas usavam bem acordes abertos a la violao mesmo.

Hoje em dia, com essa enxurrada de sub-estilos de metal, tudo com 7-8 cordas, e overdrive em cima de distorcao e um booster de brinde, é tudo tonica+quinta, e nada mais!

Iversonfr
Veterano
# set/15
· votar


Novales

Acho que entendi o que ele quis dizer e concordo. Esse acorde reduzido imagino que seja não usar as cordas mais graves dependendo de quem está tocando contigo. Imagina numa igreja, onde tem piano, teclado, violão, baixo. A guitarra não pode simplesmente ficar batendo acorde cheio junto com o violão, fica uma porcaria. Qd tocava assim, eu fazia acordes usando só as 4 primeiras cordas e geralmente nas casas la de cima perto da 12a (viva o Caged), ou até mesmo fazendo uns lances de oitava simples la em cima tb usando as cordas D e B ou G e E. Acho que nesse contexto, a guitarra fica melhor aproveitada, atravessa melhor a mix e faz algo diferente e bacana que não seja ficar batendo acorde simples, pois isso o violão e o piano já fazem de sobra.

Drinho
Veterano
# set/15 · Editado por: Drinho
· votar


"guitarrista tem que usar acordes reduzidos" !?!? mais essa agora, alguém consegue me explicar do que se trata isso?

Isso se trata de groselha.....

você monta um acorde grande com 4 notas mais a extensão que for e seja la quantas forem....
isso com muita distorção pode perder nitidez..... ai é comum no rock simplificarem os acordes....

mas dizer que o guitarrista tem que usar seja la o que for vá pro inferno.....
Basta você ver guitarrista de jazz e fusion montando acordes com a mao esquerda toda e enfiando mais uns 3 dedos da mao direita para enfeitar....

Novales
Membro Novato
# set/15
· votar


Iversonfr
o contexto da conversar era referente a igreja mesmo. (esqueci de mencionar).

mas como funciona quando por exemplo o violão faz um F/A, pensando no CAGED como eu iria aplicar?
você consegue passar uns exemplos disso?
obrigado

Estudante eterno
Membro Novato
# set/15
· votar


Novales

Acredito que ele quis dizer "resumir" os acordes. Por exemplo:

Cm 7 9 - Fórmula: Tõnica, Terça menor, Quinta justa, Sétima menor (ou simplesmente sétima) e Segunda maior

Você tem 4 dedos para distribuir entre esses intervalos. Portanto, salvo quando os intervalos estão na mesma casa (onde você irá usar pestana) você terá que abreviar o acorde começando das notas com menos importância. Neste exemplo citado seria correto omitir o quinto grau. Já se fosse um acorde semi diminuto ou diminuto não seria certo, pois afinal o 5 grau diminuto é o que caracteriza o acorde.

Não é preconceito falar isso, cada instrumento tem sua limitação. No piano você conseguiria fazer acordes com uma grande quantidade de dissonâncias sem a necessidade de abrevia-los. Mas o piano não tem, nem de longe a gama de possibilidades de interpretação que a guitarra tem. É como eu disse, cada instrumento com sua limitação.

Abraços!

Soultunes
Membro
# set/15 · Editado por: Soultunes
· votar


Novales

A frase faz total sentido, ainda mais em se tratando de guitarra.

Só fazendo um pouco de esforço para tentar entender o que você, ou a pessoa de quem voce ouviu, quis dizer quando usou o termo "reduzido".

Em teoria mais formal, usa-se o termo fragmentos de acordes.

Um recurso EXTREMAMENTE UTIL para qualquer guitarrista.

Basta você pensar numa banda completa no palco, se todos fizerem um F7M completo, pensa na salada sonora do violão, da guitarra, do teclado, fora a linha de baixo e eventuais metaleiras disputando espaço no espectro sonoro.

Usar fragmentos de acordes na guitarra é essencial para mante-la num determinado espectro, sem que cause choque com os demais instrumentos.

Outro objetivo no uso, guitarra é um instrumento bastante percurssivo, então fragmentos também ajudam muito na criação de uma mecanica ritimica na guitarra.

São coisas basicas de guitarra.

Gente que estudou por revistinha de cifra e aprendeu no violão, pode até não sacar, mas os instrumentos são diferentes. Mesma mecanica, mas modus operandis diferentes.

Outra forma de sacar tambem é para quem já fez algum trabalho minimo de mixagem, é o mesmo conceito, como encaixar cada instrumento no espectro sonoro.


Alguns exemplos para ficar mais facil entender:


Isto é uma das formas de um G7 feito - comumente chamado de "bolachão" , há varias outras com varias dobras e muitas cordas.

G7 - Pestanão

Do MIZÃO para a mizinha :
Sol (tonica) - Ré (quinta)- Fá (setima) - Si (terça maior )- Ré (quinta) - Sol (tonica)



e-------------3-----------------------------------------
B-------------3-----------------------------------------
G-------------4-----------------------------------------
D-------------3-----------------------------------------
A-------------5----------------------------------------
E-------------3-----------------------------------------




G7/9 - Variante no Blues - Fragmento - Perceba que a tonica no bordão é suprimida

Do Lá para a sizinha

Si (terça maior) - Fa (setima) - A (nona) - Re (quinta)


e------------------------------------------------------
B-----------3------------------------------------------
G-----------2--------------------------------------------
D-----------3------------------------------------------
A-----------2-------------------------------------------
E------------------------------------------------------


Você pode chamar isso de Bb meio diminuto também, mas perceba que se colocar o dedão no Sol (3a. casa do Mizão), ele vira um Sol com setima e nona.

No shuffle este formato de acorde é extremamente comum.

Você faz a levada palhetando os fragmentos e como o resto da banda esta tocando junto, o que se ouve é um Sól com Sétima, mas com um destaque especial na guitarra.
Não precisa tocar as quatro notas, se fizer fragmentos dela já vai soar super bem, só testar ai com um playback Blues Maior em Sol.

Se fizer o acorde bolachão neste contexto fica horrivel, um saladão sonoro.

Este é um campo de estudo abrangente e muito bacana.

Há inumeras formas de fazer um acorde com sétima, ou com sétima e nona.

Conhecer o braço do instrumento facilita muito na hora de colocar sua guitarra no lugar mais apropriado, quando tem mais gente tocando junto.

Uma outra variação de acorde fragmentado, com sétima novamente, muito usado no Blues.

D7

DO Mizão para a corda sol

A (quinta) - F# (terça maior) - Dó (sétima)


e-----------------------------------------------------
B-----------------------------------------------------
G----------------------5-----------------------------
D----------------------4-----------------------------
A-----------------------------------------------------
E----------------------5------------------------------


Toca isto com uma banda mandando um Blues em A7 -> A7 || D7 || E7

Para você ver como encaixa perfeitamente esta formação fragmentada do D7 no IV grau deste blues.

Iversonfr
Veterano
# set/15
· votar


Novales
o contexto da conversar era referente a igreja mesmo.

Imaginei, realmente faz sentido nesse contexto. No caso do Fá/A, ao invés de você fazer ele naquela pestana clássica na primeira casa da guita, que provavelmente o violão já estará fazendo, muda a ideia e faz por exemplo o acorde que ESSE VIDEO mostra aos 3:05min (assiste ele todo que é legal), ficando inclusive naturalmente com uma baixa em lá. Ou mesmo tocando apenas o fá oitavado em 2 cordas.

Soultunes
Membro
# set/15
· votar


Outro exemplo:

Musica Freedom, do Robben Ford.

Só não vou transpor os acordes aqui porque caso tenha interesse, você encontra facil a partitura na web.

Olha como ele explora fragmentos de acordes em toda a introdução:



https://www.youtube.com/watch?v=oRil3JBW35c

Soultunes
Membro
# set/15
· votar


Se quiser os acordes desse som me avisa que monto a tab.

jaylucas
Membro Novato
# set/15
· votar


Acho que por 'reduzidos' ele quis dizer no estilo Jimi Hendrix. Pouquíssimas pestanas e uso do polegar na corda E mais grave, exemplo, pra um Sol maior:

e ----------x---------
B ---------3---------
G ---------4---------
D----------5---------
A ----------x---------
E ----------3---------

ou fazendo os acordes no shape de lá com inversão, ex.: pra um C maior:

e ----------x------------
B ---------5------------
G ---------5------------
D ---------5------------
A ---------7------------
E ---------x------------

Daí se quiser coloca uns licks na guitarra por cima do acorde...

Ismah
Veterano
# set/15
· votar


Buja
Hoje em dia, é tudo tonica+quinta, e nada mais!

Boa parte, é só tônica mesmo. Mas tem suas exceções. Eu gosto do Evanescence por isso, pode ser a bandinha de playboy pop, que se acha gótico, mas o cara lá se vira bonito nos abertos.

entamoeba
Membro Novato
# set/15
· votar


Novales
o contexto da conversar era referente a igreja mesmo.

Então você deve simplificar os acordes para evitar intervalos trítonos sob pena de ir para o inferno!

HugoNovaes
Membro Novato
# set/15
· votar


"acordes reduzidos"?!!! Isso tá me parecendo coisa de quem só toca calipso e afins.

GuilhBuchanan
Membro Novato
# set/15
· votar


Novales faça no estilo Hendrix, como o jaylucas disse. Eu faço isso na igreja às vezes, no violão. Fica mais legal na guitarra.

Novales
Membro Novato
# set/15
· votar


Galera, ele me enviou um vídeo explicando a ideia.
segue
https://www.youtube.com/watch?v=BTYJnzqhNuI

Novales
Membro Novato
# set/15
· votar


Soultunes

Quando você tiver tempo, me enviar por favor as tabs.

obrigado pela força!

Buja
Veterano
# set/15
· votar


Novales
Pelo que entendi, meio leigo conhecimento, diz que ele so fez o acorde com as notas essenciais que formam o acorde e usando acordes com notas mais agudas. Nao sei o que ele quis dizer com 'reduzido', mas me parece ser simplesmente tocar na guitarra estes mesmos acordes mais agudos, para nao entrar na mesma oitava que o violão, evitando embolar o som, concorrer com as frequencias dele.

No contra-baixo usamos ideias parecidas. É 'normal' (nao é via de regra), tocarmos notas mais graves quando os demais instrumentos tocam notas agudas, e vice-versa, explorarmos a região aguda quando a guitarra, teclado, violão, estão nas frequencias graves. Isso é até meio que intuitivo, para nao embolar o som, e o instrumento estar no lugar certo na mix.

jaylucas
Membro Novato
# set/15 · Editado por: jaylucas
· votar


Galera, ele me enviou um vídeo explicando a ideia.
segue
https://www.youtube.com/watch?v=BTYJnzqhNuI



N pude deixar que o beep do celular foi no mesmo tom da progressão que ele tava tocando. :3

krixzy
Veterano
# set/15 · Editado por: krixzy
· votar


Lelo Mig
Ou quer viver feito guitarrista de metal que sabe meia dúzia de power acordes e mais nada?

Deixa de preconceito mano, isso não é verdade.

Drinho
Veterano
# set/15 · Editado por: Drinho
· votar


Ou quer viver feito guitarrista de metal que sabe meia dúzia de power acordes e mais nada?

na verdade não é bem por aí....

não podemos generalizar também, existem guitarristas de muito recurso em qualquer setor, assim como o oposto....

o kiko loureiro é talvez o maior exemplo, pelo menos dos que eu conheço de um guitarrista de metal que merece um respeito, por estar acima do convencional ou ter ido alem do convencional....
tem um dominio técnico e teórico impressionante no meu ponto de vista.... além de fazer boas músicas em metal ou outros estilos, há composições do angra que toda a sua estrutura harmonica é baseada em musica brasileira que é extremamente sofisticada, mesmo sendo gravadas em dobras de jcm 800 com mesa boogie....

hoje eu não enxergo guitarristas mais simples como ruins, ou de maneira uma pouco mais negativa por não usarem de recursos além do simples....
a música pode ser boa sendo complexa ou simples, ela dá vários caminhos.....

ser o mais capacitado em preparo não garante que você faça música que de fato emocione.....

Soultunes
Membro
# set/15
· votar


jaylucas

Nessa tua primeira TAB - acorde Sol Maior Setima, para ficar mais coerente com a idéia do fragmento de acorde, seria só tirar a tonica do bordão.

Mas essa formação que você postou é bem utilizada no folk e no blues, o Hendrix que voce citou de exemplo era mestre em botar o dedão no mizão para fechar o acorde.


Novales
Galera, ele me enviou um vídeo explicando a ideia.
segue
https://www.youtube.com/watch?v=BTYJnzqhNuI


Ele explicou bem, essa é a idéia. Só o termo, o mais correto seria fragmentos ao invés de reduzidos.

HugoNovaes

G sus

Mas até que você tem razão, tem muito disso na guita do cara mesmo.

Ismah

Garoto do posto ipiranga, melhor editar novamente ;)

krixzy

E é para se levar a serio ? ... penso que é zuera, só pode.

Novales

A harmonia na introdução dessa musica é esta, imagina a banda tocando (tecla principalmente):

||C6/9 Em7 | Am7 Am11 Bm7 | C9 Em7 | Am7 Am11 Bm7 |

C7 Em11 | Am7 Am11 Bm7 | C7 Em11 | Am7 Am11 Bm7 ||

O Robben Ford toca + ou - assim, perceba os fragmentos de acordes:

   C6/9      Em7     Am7    Am11   Bm7    
e-------3-----------------------10-----7-----------------
B-------3--------3-------5------8------7-----------------
G-------2--------4-------5------9------------------------
D-------2------------------------------------------------
A--------------------------------------------------------
E------------------------------------------------------


Nos Dós -> C6/9, C7 e C9 -> ele também usa simplesmente assim:


e-----------3-------------------------------------------
B-----------3-------------------------------------------
G------------------------------------------------------
D------------------------------------------------------
A------------------------------------------------------
E------------------------------------------------------


Mesma coisa para a formação fragmentada do Em7 ou Em11, que ele usa assim


e------------------------------------------------------
B-------------3-----------------------------------------
G-------------4-----------------------------------------
D------------------------------------------------------
A------------------------------------------------------
E------------------------------------------------------


Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Guitarrista tem que usar acordes reduzidos?