Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      escalas "outside" e escalas "inside

      Autor Mensagem
      Fascio
      Veterano
      # fev/04


      Tava lendo no forum e achai isso:

      29. Escalas "outside" soarão erradas se não forem rodeadas por escalas "inside".

      O que sao escalas "outside" e escalas "inside"?

      menininha baixista
      Veterano
      # fev/04
      · votar


      nao faço a minima ideia ....
      ajuda ia pessoal !!!!!!!!!!!!
      : )

      Fascio
      Veterano
      # fev/04
      · votar


      Sera que sao escalas da tonica e escalas alternativas para a nota...?

      moog
      Veterano
      # set/06
      · votar


      up

      (volta a vida)

      stenyosullivan
      Veterano
      # set/06
      · votar


      kd os cara foda?

      MLMATOS
      Veterano
      # set/06 · Editado por: MLMATOS
      · votar


      Dessa vez pegaram nós de surpresa hein....

      rushrush
      Veterano
      # set/06 · Editado por: rushrush
      · votar


      Fascio

      Escala outside é uma escala constituída por "notas de passagem" também conhecidas como aproximação cromática. Isso significa que são notas que não pertencem à escala diatônica na sua forma pura. Nas grandes escolas dos EUA e Europa o termo escala não tem sido mais utilizado para as sequencias de notas de passagem.

      Portanto as notas de passagem (outsides) localizam-se entre as notas naturais de uma escala padrão. Por exemplo a escala C:
      em C não temos nenhum acidente (# ou b), se vc tocá-la de forma cromática, terá 12 notas, as 7 da escala e os 5 acidentes que surgiram neste cromatismo.
      Esse é o principio do modelo de outsides.
      Geralmente o outside liga duas notas que pertencem a esala.
      Ex:

      o seguinte fraseado (subindo e descendo) em Am: (tocar em semicolcheias)

      A Ab F E Eb D C B Bb A
      subindo descendo

      A raiz desta frase simples do exemplo é uma penta menor de A, porém, com outsides (notas de passagem) entre as notas da escala que neste caso são os bemóis.
      Existem muitos clichês e uma possibilidade quase infinita do posicionamento do outside em relação às notas da escala original. Cada caso dá um efeito mais ou menos intenso. No jazz (me refiro aos grandes improvisadores) é quase impossivel de vc ver um fraseado composto apenas de notas da escala. Existem casos onde o fraseado é quase composto só de notas de passagem. Por isso a frase:

      Escalas "outside" soarão erradas se não forem rodeadas por escalas "inside".
      Eu diria que "notas de passagem não terão tanto efeito se não forem rodeadas por notas da escala no momento e na altura certa"

      Isso é o Ba BA da introdução à improvisação não só jazzistica, mas de um modo geral.
      Quais notas e quando usar, em qual grau tal outside funciona melhor, em que andamento, quando subir ou quando descer uma escala com determinada aproximação cromática etc etc etc, eu sugiro que procurem material didático à respeito e abram suas mentes e ouvidos para novas sonoridades e o principal, mãos a obra.
      Estudem isso pois é básico para ser um bom musico, bom improvisador e dizer que vc ganha seu dinheiro honestamente.

      zegotinha
      Veterano
      # set/06
      · votar


      eu sugiro que procurem material didático

      algum especifico para indicar??

      Guto EADG
      Veterano
      # set/06
      · votar


      é quase impossivel

      eu diria impossivel. digo isso pq ontem mesmo dormi ouvindo um cd do miles davis...

      moog
      Veterano
      # set/06
      · votar


      algum especifico para indicar?? (2)

      Blue Jazz
      Veterano
      # set/06 · Editado por: Blue Jazz
      · votar


      Eu não penso em escalas "outside" - prefiro pensar em NOTAS "outside"...

      Porque dá muito menos trabalho do que ficar decorando um monte de escalas pra relacioná-las aos acordes, e porque quando se faz dessa maneira até você pensar e tocar já fez tudo de forma mecânica.

      Outro motivo: se você pegar um simples Dó Maior e tocar as 12 notas da escala cromática em cima dele, a nota que irá "doer" mais nesse descanso será uma nota de dentro de própria escala de Dó Maior: a quarta justa, Fá. É a pior nota para se descansar, e ela é "inside" na escala...

      Sim mas, como o rushrush explanou muito bem, "outside" não seriam "notas de passagem"? Aí é que está, qual o grau de incômodo a ser gerado? Porque esse prisma - corretíssimo quando se pensa em "escalas" - exclui a possibilidade de, numa progressão V-I simples (Dó-Fá) você tocar o F no segundo ou terceiro tempos do compasso do acorde de Dó e extendê-lo ao acorde de Fá, que é a tônica.

      Por isso, se você pegar um Dó Maior simples e testar VAGAROSAMENTE todas as notas em cima dele, dando pausas regulares (silêncio, mesmo) entre as notas, vai reparar que cada uma delas gera uma sabor diferente.

      Como o rushrush falou (muito bem falado) a nona menor vai "doer" bastante. Porquê? Porque é uma nota muito distante da tônica, apesar de estar situada ao seu lado na escala. Pegue uma "série harmônica" e confira. Voltando: as outras notas soarão bem melhores porque terão mais ligação com o C do que o Db. Gb faz um trítono com Dó, o que "dói" bastante - essas duas notas, usadas como aproximação cromática para C e G respectivamente, não irão soar tão "outside" se tocadas rapidamente porque darão um efeito de aproximação cromática, muito usado no jazz: a sensação de repouso será MAIOR do que a de tensão. Usadas de outra maneira e devidamente ressaltadas, mostrarão seu "sabor forte" e aí sim, cumprirão sua fução "outside".

      Das outras 4 notas "outside" da escala de Dó Maior teremos:

      Eb: é a terça (menor) da escala de Dó Menor.
      Ab: é a tonalidade relativa de Dó Menor.
      Bb: é a sétima (menor) da escala de Dó Menor.

      Dá pra ver que elas se ligam mais facilmente ao Dó do que Db ou Gb.

      Uma coisa interessante será a altura das notas outside: se gravarmos um acorde de Dó Maior (simples) e sairmos modificando a altura das notas em relação às do acorde, seu sabor irá mudar consideravelmente: um Mi Bemol ao lada de um Mi soará muito mais incômodo do que se tocado uma oitava acima ou terá efeito reverso se tocado sobre um C7 - se tocado em guitarras de timbre similar e for extendido, você terá um C7.9+ e irá somente alterar um acorde dominante, que vai continuar possuindo a mesma função.

      Essas notas "outside" tem o péssimo hábito de pedirem resolução, em Dó Maior:

      Db > C
      Eb > E
      Gb > G
      Ab > G
      Bb > B (> C)

      Quando a gente escapa dessa armadilha, pode criar uma frase que vai se tensionar seguidamente sem se resolver, num IIm-V-I (Dm-G-C) você pode criar algo que só se resolva no I fazendo os ouvintes levantarem das cadeiras com o cú arrepiado ou deixarem os copos de lado para prestar atenção em você. Neste caso (IIm-V-I ou Dm-G-C) pensando em escalas você vai acabar fragmentando sua frase por acordes (uma escala por acorde) e tenderá a fazer a ligação por cromatismo na nota da escala subsequente, o que iria estragar o truque: pensando SOMENTE nas notas "outsides" e nas "insides" que "doem" - como a quarta justa, tudo em cima somente da escala do I (Dó Maior) você terá tranquilidade pra deixar seus ouvidos funcionarem e alcançar as tensões desejadas sem se prender aos tecnicismos mecânicos das escalas, uma vez que você já provou do "sabor" das notas sobre um Dó Maior, não será difícil buscar por eles numa frase desse tipo.

      Por isso prefiro enxergar o "outside" na relação das notas em referência à tônica da tonalidade, e não montar escalas sobre escalas.

      rushrush
      Veterano
      # set/06
      · votar


      Blue Jazz

      Por isso prefiro enxergar o "outside" na relação das notas em referência à tônica da tonalidade, e não montar escalas sobre escalas.

      Exatamente, mas não apenas em relação à tonica. Como vc mesmo disse acima, essa forma de tocar fragmentando a frase por acorde (chamada intervalistica), em um II V I de C, vc pode pensar como emprétimos modais. Ex.: II V I de C ( Dm7 G7 C7+), vc pode fingir que esse Dm7 é 0 3° grau de Bb ao invés de ser o segundo de C, Vc pode fingir que esse G7 é um 1° grau e esse C7+ é o 4° grau de G, ou quinto de F...
      Construir as frases em cima de emprestimos, em uma harmonia tonal, oferece efeitos muito interessantes.
      Sei que vc sabe disso, falei apenas para ilustrar e reforçar.
      Um abraço.

      Blue Jazz
      Veterano
      # set/06
      · votar


      É isso aí mesmo, rushrush.

      Com o tempo acho que a pessoa passa a se "colocar" por acorde, automaticamente ela vai começar a sacar que um Fá soa bem diferente em cima de um Dm7, um G7 ou um C7+; até porque já terá sentido o sabor dos intervalos nos principais acordes (X7+ Xm7 X7 Xº etc - e suas extensões) assim como vai começar a sacar as substituições e acordes de passagem que pode inserir melodicamente num solo, é quando a brincadeira começa a ficar legal...

      zegotinha
      Veterano
      # set/06
      · votar


      nun improviso como que eu sei o que é outside ou aproximação cormatica? pelo tempo de repouso?

      Blue Jazz
      Veterano
      # set/06
      · votar


      Outside são notas que estão FORA da escala - toque um Db em cima de um Dó Maior e sinta o ouvido doer.

      O tempo de repouso não temnada a ver com isso, eu diria que sobre um acorde de Dó Maior você passa rapidamente por um Gb rumo a um G ele fez uma "aproximação cromática" e essa nota não "doeu", pelo contrário, ajudou a reforçar a sensação de repouso na quinta do acorde, G (Dá uma olhada aqui: http://forum.cifraclub.com.br/forum/3/143626/) mas se você segurar esse Gb ele vai doer, e muito.

      Dá uma relida com cuidado nesse tópico, não está tão difícil assim.

      joe pass JR
      Membro Novato
      # 05/fev/18 20:00
      · votar


      alguem tem algum metodo pra indicar ?

      Ismah
      Veterano
      # 05/fev/18 21:45
      · votar


      Indicar algum método para...?

      joe pass JR
      Membro Novato
      # 06/fev/18 05:27
      · votar


      aprender a tocar outside

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a escalas "outside" e escalas "inside

      306.455 tópicos 7.908.021 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital