Baixo com circuito ativo precisa de pedal equalizer?

Autor Mensagem
marciobass
Membro Novato
# mar/14


Minha dúvida é: se os baixos ativos já vem pre-amplificados e normalmente são corrigidas as frequências, então, neste caso, há necessidade de um pedal equalizer ou acabaria que eu colocaria tudo em flat mesmo e assim o pedal seria desnecessário?

Slash_1989
Veterano
# mar/14
· votar


marciobass
Você sabe pra que serve um pré amp? Sabe pra que serve um equalizador?

marciobass
Membro Novato
# mar/14
· votar


Bom, não entendo muito, talvez você possa me dar uma luz sobre esse assunto... Sei que o circuito ativo intensifica o sinal do baixo e tira um pouco dos ruídos (acho que é isso), mas nesse processo não corrigiria também as frequências que por acaso ficassem um pouco baixa (graves, médios e agudos)? Desculpe a minha ignorância sobre o assunto, por isso mesmo estou perguntando para entender melhor como funciona essa coisa do circuito ativo.

Dingwall
Membro Novato
# mar/14
· votar


você deve partir do ponto da onde e como quero soar meu timbre? só você pode saber se usa ou não, equalizador não tem nada a ver com pré. sugestão procure o som que você quer tirar no seu baixo e vá atras dele, antigamente quando comecei a tocar tinha baixos ruins e via a necessidade de ter um equalizador para melhorar meu som, com os anos de experiencia e adquirindo baixos melhores necessidade de ter pedal equalizador só uso pedais para colorir meu som, por exemplo: drive, delay, reverb. As vezes compensa mais vender o baixo, pegar grana do pedal e comprar um melhor, ou mesmo baixo regulado e cordas novas, faz um diferença danada

marciobass
Membro Novato
# mar/14
· votar


Dingwall
Acabei de encomendar o meu baixo novo e ainda não conheço o som dele na pratica, só por testes, mas acho que como se trata de um baixo mediano, um Samick Saturn 5 cordas, será legal ter um equalizer então pra corrigir algumas freqüências, né? Eu concordo com você na questão de usar os pedais só pra dar um colorido no som, pois o bonito do baixo é o som natural mesmo, diferente da guitarra que é dificil de imaginar sem pelo menos uma distorção ou overdrive. Valeu pelas dicas!

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# mar/14
· votar


marciobass
Cara, vc está falando muito de baixos e de pedais....
Mas... Não estaria esquecendouma peça MUITO importante: O amplificador...
Abç

marciobass
Membro Novato
# mar/14
· votar


Maurício Luiz Bertola

Verdade! Mas ainda não chegou o momento de eu comprar um bom amplificador! (momento financeiro, hehe!). No momento conto com um Meteoro bx100 da banda bem velhinho. Estou pensando em futuramente pegar um Staner bs150 pra poder usar nos show, o que você acha?

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# mar/14
· votar


marciobass
Raciocínio correto...
Abç

marciobass
Membro Novato
# mai/14 · Editado por: marciobass
· votar


Mauricio Luiz Bertola
Acabei de comprar um beq-200 para juntar ao meu bdi 21! Um pré-amp + um equalizer já tá de bom tamanho pra começar, né? Não vai alterar muito o som do baixo, mas vai deixá-lo do jeitinho que eu quero!

Valeu muito pelas dicas galera!

rodsom
Veterano
# mai/14
· votar


marciobass
vc comprou dois pedais que fazem quase que a mesma coisa. e fora que o baixo é ativo, o pre amp embutido nele faz isso tambem. ta correndo o risco de ficar pior do que ja ta. o samick ja tem um som razoavel, precisa nada disso nao.

Slash_1989
Veterano
# mai/14
· votar


marciobass
Não vai alterar muito o som do baixo, mas vai deixá-lo do jeitinho que eu quero!

Não, não vai. Porque você acha que música é regra e não vai saber usar os dois.

Dinheiro jogado fora.

rodsom
Veterano
# mai/14
· votar


eu nao digo que é dinheiro jogado fora, mas se nao souber usar, só vai servir pra sujar o som.

Dingwall
Membro Novato
# mai/14
· votar


Pedal pra quem não sabe usar só estraga o som.

Ismah
Veterano
# mai/14
· votar


Não sei... O BDI é um direct box... com certeza, ele dá uma arredondada legal no som, e pode servir como drive... o eq serve pra corrigir alguma coisa... agora, nada adianta se vc for num evento, e o roadie/técnico socar um DI antes de mandar pros pedais...

rodsom
Veterano
# mai/14
· votar


Ismah
ta fazendo confusao aí, o DI sempre fica no final de tudo, só pra fazer a conversao de p10 pra XLR. o bdi nao é um direct, é um preamp.

makumbator
Veterano
# mai/14
· votar


rodsom
o bdi nao é um direct, é um preamp.

Ele é as duas coisas. Tem uma saída DI nele. Se é de boa qualidade aí já é outra discussão. Mas definitivamente ele se propõe a fazer as duas funções (pré amp e Direct box)

Ismah
Veterano
# mai/14 · Editado por: Ismah
· votar


rodsom

Como o Macumba disse... E não é obrigado a usar o DI no final da cadeia... Se vc tiver um cabo muito longo (acima de 5m) é bom colocar um DI.

E não, um DI não serve para converter P10 pra XLR... Ele pega o sinal desbalanceado e de alta impedância, e "converte" pra balanceado de baixa impedância, como se fosse um microfone.

Além disso, o direct box, com as alterações de impedância do sinal, evita a perda de agudos devido a capacitância do cabo e pot de volume.

Curiosidade: BDI significa Bass DI, ou ainda mais esmiuçado, Bass Direc Input. Como o GDI significa Guitar Direct Input, sempre se referindo a Direct Input no mixer (mesa de som).

rodsom
Veterano
# mai/14
· votar


makumbator
Ismah
Ele é as duas coisas.
é um preamp com saida XLR. o direct faz a conversao sem alterar o timbre. (o prorio nome diz- direct). o que nao é o caso do bdi.

E não, um DI não serve para converter P10 pra XLR... Ele pega o sinal desbalanceado e de alta impedância, e "converte" pra balanceado de baixa impedância, como se fosse um microfone.
a conversao de p10 pra xlr é justamente isso.

makumbator
Veterano
# mai/14 · Editado por: makumbator
· votar


rodsom

Não é o que o próprio fabricante afirma (ele afirma textuamente ser um pré amp e direct box).

O que eu entendi é o seguinte: a parte pré amp do pedal faz as alterações no som que o usuário quer (saturação, Eq, ganho, etc...) e a parte de direct box faz a conversão de impedâncias. Tanto que é possível usar ele sem o pré amp(de maneira "flat" e ou bypass só para fazer o direct box). Então seria um pré amp + um direct box.

Acontece o mesmo com o Hartke Bass attack e o Eden WTDI (tenho todos esses 3, e os fabricantes dos 3 alegam textualmente que também são direct box, e os 3 podem ser usados sem alterações de pré amp). E no caso do Eden WTDI ainda há um compressor integrado (também de uso opcional).

Ismah
Veterano
# mai/14
· votar


rodsom
o direct faz a conversao sem alterar o timbre

Correto. Mas como o makumbator falou, o fabricante afirma, ele é equivalente de um pré + DI.

a conversao de p10 pra xlr é justamente isso.

Errado. A simples conversão pode se dar com um cabo P10 (mono) - XLR sem maiores dificuldades, ligando o centro (positivo) do cabo no pino¹ do XLR, a malha metálica do cabo (negativo/terra) no pino³ do XLR. E o pino² no sinal balanceado é o sinal do pino¹ reverso, isto é, um pulso negativo (eo pino² "puxa" energia, enquanto o pino¹ "empurra" os elétrons)...

rodsom
Veterano
# mai/14
· votar


Ismah
Errado. A simples conversão pode se dar com um cabo P10 (mono) - XLR sem maiores dificuldades, ligando o centro (positivo) do cabo no pino¹ do XLR, a malha metálica do cabo (negativo/terra) no pino³ do XLR.

aí nao seria conversao, seria uma adaptação. em outras palavras, gambiarra. o direct faz a conversao de maneira correta, casando impedancias e sem colocar os capatadores do instrumento em risco.

Ismah
Veterano
# mai/14
· votar


rodsom

Quem corre risco é o pré da mesa... Mas não seria gambiarra...

Tome por exemplo, o uso caixas amplificadas como retorno, elas não tem conexão balanceada, mas a saída da mesa tem... logo um cabo assim se faira necessário...

OU, vc usa um DI, mas sua mesa só tem entrada P10... vai precisar de um cabo P10-XLR...

E ainda, se vc tiver um baixo ativo, pode dispensar o DI (me corrige se estiver errado), e usar um cabo P10 XLR

rodsom
Veterano
# mai/14
· votar


Ismah
(me corrige se estiver errado)
entao vamo la:

Quem corre risco é o pré da mesa... Mas não seria gambiarra...
o pre da mesa tambem corre perigo. isso é gambiarra pra quem nao tem direct.

Tome por exemplo, o uso caixas amplificadas como retorno, elas não tem conexão balanceada, mas a saída da mesa tem... logo um cabo assim se faira necessário...
nesse caso, sim, mas o plugue XLR seria femea. direct serve pra ligar instrumento na ENTRADA da mesa e nada mais alem disso. pra ligar SAIDA (auxiliar ou principal) em algum periferico ou potencia ou caixa ativa, usa se somente o cabo conveniente pra cada situação.

OU, vc usa um DI, mas sua mesa só tem entrada P10... vai precisar de um cabo P10-XLR...
o mesmo caso do XLR femea que eu expliquei.

E ainda, se vc tiver um baixo ativo, pode dispensar o DI (me corrige se estiver errado), e usar um cabo P10 XLR
nada a ver o instrumento ser ativo ou passivo.

enfim, esse cabo P10/XLR da pra ser usado, desde que com o phantom power desligado, mas nao deixa de ser uma gambiarra. o correto mesmo seria o direct.

Ismah
Veterano
# mai/14
· votar


rodsom

Desculpe perguntar... mas a quanto tempo vc trabalha com isso? Vc afirma tudo que fala com tanta certeza, que posso aprender alguma coisa com vc...

Quanto a ser passivo ou ativo, tem tudo a ver... os instrumentos ativos tem saída de baixa impedância (e alguns balanceada, bem comum em violões)... Não é regra, mas se convém que um instrumento ativo, usa DI passivo; e instrumento passivo, DI ativo (que tem um pré amp -teoricamente linear - na frente do DI)

E não é recomendável usar o cabo em questão sendo o instrumento com alta impedância de saída (passivo), devido a alguns fatores... E o Phantom Power deve ficar desligado em qualquer situação, salvo no caso de um condensador que exija Phantom, ou (se existir) algum DI alimentado por ele...

rodsom
Veterano
# mai/14 · Editado por: rodsom
· votar


Ismah
Desculpe perguntar... mas a quanto tempo vc trabalha com isso?
19 anos. e ja estudei eletronica tambem, e tenho uma pequena experiencia de uns 5 anos como tecnico de som. mas isso nao quer dizer necessariamente que eu manjo dos paranauê, ne. eu tambem posso aprender muita coisa com algum iniciante. inclusive, é um iniciante que ta me ensinando a operar mesa digital.

Quanto a ser passivo ou ativo, tem tudo a ver... os instrumentos ativos tem saída de baixa impedância
o problema maior nem é a impedancia, é o perigo de circular corrente do phantom power no captador/circuito ativo do instrumento ou no canal da mesa.

Não é regra, mas se convém que um instrumento ativo, usa DI passivo; e instrumento passivo, DI ativo
como vc disse, nao é regra. o direct ativo, ao contrario do que muita gente pensa, ele nao serve pra dar ganho, ele faz a mesma coisa do passivo, só que usando um amplificador coletor comum em vez de um transformador. o ativo tem a vantagem de nao perder frequencias mais altas, e o passivo tem a vantagem de induzir menos ruido. eu prefiro o passivo por causa disso, independente de ta usando instrumento passivo ou ativo.

E o Phantom Power deve ficar desligado em qualquer situação
microfones e direct's passivos ou qualquer coisa que tenha saida XLR que nao precise de phantom foram feitos pra "jogar fora" a alimentação se ela tiver ligada, nao tem perigo nenhum. tem mesas que nao tem phantom power individual em cada canal, entao se tiver um condensador no meio da turma, fudeu tudo, se nao tiver direct pros instrumentos, notebooks, etc. ta tudo correndo perigo.

Ismah
Veterano
# mai/14
· votar


rodsom

Tens mais tempo que eu, de fato. O tempo que vc tá na noite eu existo, mas para começar de novo... Na minha lista de shows que já fiz esse ano, tenho Velhas Virgens, Armandinho, Capital Inicial, Papas da Língua (duas vezes por sinal), Renato Borghetti, Nenhum de Nós, Reação em Cadeia, Tchê Guri, Tchê Garotos e N eventos de bandas menores...

No caso, te perguntei pq vc afirmou várias coisas sem nem se dar ao trabalho de ler o site do fabricante ou ver o produto.

usando um amplificador coletor comum em vez de um transformador.

Vias de fato não encontrei nenhum ativo assim... nem mesmo os Beringela...

o ativo tem a vantagem de nao perder frequencias mais altas, e o passivo tem a vantagem de induzir menos ruido

O que causa a perda de agudos é o filtro RC (LPF) gerado pela resistência da saída do instrumento (igual ao valor do pot de volume), e a capacitância do cabo. Baixando a resistência vc diminui a atenuação formada pelas partes.

Quanto a ruídos é verdade, o sistema de trafo tende a produzir menor ruídos, porém, é um filtro passa banda, e no caso de um teclado de 5 oitavas em diante é sentido veemente a diferença.

microfones e direct's passivos ou qualquer coisa que tenha saida XLR que nao precise de phantom foram feitos pra "jogar fora" a alimentação se ela tiver ligada

Verdade, mas um cabo mal de vida ou com jumper entre 1 e 3 é suficiente para um efeito pirotécnico maravilhoso... e não... a maioria das mesas o phantom só liga no XLR e ele não causa danos a um instrumento.

O DI é isolante para tal pois os pinos 2 e 3 são energizados por igual no phantom, com uma carga DC, e um capacitor .22nF é adicionado na cadeia para proteção contra uma descarga DC...

E bom, notebook, teclado (a maioria ao menos) tem saída P10 sendo o direct obrigatório...

Alguns links interessantes do "som ao vivo"

Sobre DI's

Sobre Phantom

rodsom
Veterano
# mai/14
· votar


Ismah
Tens mais tempo que eu, de fato. O tempo que vc tá na noite eu existo, mas para começar de novo... Na minha lista de shows que já fiz esse ano, tenho Velhas Virgens, Armandinho, Capital Inicial, Papas da Língua (duas vezes por sinal), Renato Borghetti, Nenhum de Nós, Reação em Cadeia, Tchê Guri, Tchê Garotos e N eventos de bandas menores...
nao entendi, vc é musico dessas bandas?

Vias de fato não encontrei nenhum ativo assim... nem mesmo os Beringela..
amplificador coletor comum. um direct ativo é basicamente isso, com alguns componentes a mais pra reduzir ruidos, etc.

Quanto a ruídos é verdade, o sistema de trafo tende a produzir menor ruídos, porém, é um filtro passa banda,
o sistema de trafo é um filtro passa baixa. o sinal "enxerga" o transformador como um indutor.

O que causa a perda de agudos é o filtro RC (LPF)
o filtro RC é um filtro passa alta.
Verdade, mas um cabo mal de vida ou com jumper entre 1 e 3 é suficiente para um efeito pirotécnico maravilhoso.
nao vamo exagerar tambem. kkkkkkkk.

a maioria das mesas o phantom só liga no XLR e ele não causa danos a um instrumento.
o phantom só existe nas entradas xlr mesmo. nas entradas p10 nao tem phantom. eu quis dizer que tem mesa que nao desliga o phantom individualmente em cada canal.

O DI é isolante para tal pois os pinos 2 e 3 são energizados por igual no phantom, com uma carga DC, e um capacitor .22nF é adicionado na cadeia para proteção contra uma descarga DC...
no caso do direct passivo, o que protege é o proprio transformador. qualquer sinal DC que circular em uma bobina do transformador nao chega na outra bobina. e no caso do ativo, o proprio capacitor de saida ja protege o instrumento.

E bom, notebook, teclado (a maioria ao menos) tem saída P10 sendo o direct obrigatório...
aí vc entrou em contradição com vc mesmo, uai. baixo, guitarra, violao tambem tem saida p10. porque que pra eles o direct nao é obrigatorio?

Ismah
Veterano
# mai/14
· votar


rodsom
Vias de fato não encontrei nenhum ativo assim... nem mesmo os Beringela..

Ignora essa parte... O sono estava bem alto... Falei algumas bobagens depois tbm rs

porque que pra eles o direct nao é obrigatorio?

Não disse que não era, mas o phantom não leva problemas a eles (talvez ao piezo do violão, sob forma de microfonia), e no caso de notebook, teclado... o motivo de usar o DI é a saída D/A e não o tipo de plugue.

Ismah
Veterano
# mai/14
· votar


rodsom
o filtro RC é um filtro passa alta.

Não necessariamente... RC se refere ao tipo de filtro, formado por um resistor e um capacitor, e não obrigatoriamente a ordem dos fatores.

Um LPF é formado assim


S--R-----> Com S = sinal
|
C
|
ground


No caso um HPF é formado assim


S--C-----> Com S = sinal
|
R
|
ground


nao entendi, vc é musico dessas bandas?

Não. Mas realizei o show destas mesmas. Não ficou muito claro, mas sou roadie (por opção), e "técnico" (não me agrada esse título sendo que não tenho formação universitária) de som e luz...

Calime
Veterano
# jun/15
· votar


makumbator

Entre o Hartke Bass attack e o Eden WTDI, qual deles tem um melhor resultado sonoro, e qual no geral é de melhor qualidade e mais versátil?

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Baixo com circuito ativo precisa de pedal equalizer?