Customizar Condor XB-25A para MusicMan Sting Ray 5 HH

    Autor Mensagem
    JL_Marcondes
    Veterano
    # jul/11 · Editado por: JL_Marcondes


    Vamos lá. Eis o meu projeto:

    Quero customizar meu Condor XB-25A, hj com captadores e circuito originais da Condor (P+J) para: captadores Seymour Duncan MusicMan Bassline5 (HH); chave seletora (da Fender) de 5 posições; alterar capotraste de plástico para osso(*? acho q é esse o material);e, circuito correspondente aos caps. Acho que é isso.
    Para a galera mais técnica o que eu irei(pretendo) usar:

    Caps: http://www.seymourduncan.com/products/basslines/progressive-1/smb4d_5d _cerami/
    Circuito: http://www.seymourduncan.com/products/basslines/cutting-edge-1/stc3m3_ stc3m4_f/
    Esquema(Chaves&'Tones'): http://i1021.photobucket.com/albums/af331/murilomf/cfd_stingray5_ceram ic_hh.jpg

    Minhas dúvidas..
    Caps+Circuito+Chave: Escolhi os itens certos, ou não são compatíveis etc etc.. ?
    Marca: Seymour Duncan, BassLine5, MusicMan.. junto td numa coisa só pq não sei qm é a marca o modelo ou tipo/ref./série.. enfim.. mas, é a melhor escolha mesmo? E os Cabrera, Bartolini.. ?
    Caps: Ceramico? Alnico? Qual a diferença?
    Bateria: Hj, até onde sei os captadores e os caps são ativos, e acho q isso n vai mudar, logo, uma bateria resolve certo (essa dúvida é pq alguém falo q já viu ter q colocar duas baterias dependendo da customização)?

    Que eu me lembre essas são as minhas dúvidas. Depois eu edito e coloco a história por de traz disso bla bla bla.. dúvidas, comentários, sugestões e dicas são bem vindas!
    (*Comentei no tópico de Review do Condor XB-25a algumas coisas ref. complementam este tópico que criei)

    JL_Marcondes
    Veterano
    # jul/11
    · votar


    Especificações Técnicas Atuais:

    - Corpo: Basswood
    - Braço: Maple (Bolt On)
    - Escala: Rosewood
    - Trastes: 24
    - Tarraxas: Condor Blindada Cromada
    - Ponte: Condor Cromada (Fundida)
    - Captação: P+J Condor (Kent Armstrong?*)
    - Controles: Volume, Balanço, Graves e Agudos
    - Circuito: Ativo Condor (Kent Armstrong?*)
    - Origem: Indonésia
    (*Li em algum lugar que a Condor utiliza/va KA.)

    O que vai mudar:


    - Capotraste: Osso (hj é de plastico)
    - Captação: H+H BassLine5 MusicMan Seymour Duncan
    - Controles: Volume, Bass, Mid e Treeble
    - Circuito: Ativo BassLine5 MusicMan Seymour Duncan
    - Chave Seletora: 5 posições Fender

    Obs:
    - Terei que "cavar" o corpo para colocar os caps sim, mas o luthier da Chiara já falou que faz o acabamento normal;
    - Hj o baixo possui 4'knobs', onde 3 funcionando como "Pan" (qnd está Flat, ele tipo "trava") e, sei que estou falando mto em transformar ele em um StingRay mas lendo no forum sobre Bongo vs SR "reza a lenda" que a diferança é que o Bongo em vez de chave usa pan nos controles.. ou seja, pra quem ainda não entendeu: "Fuuuuuuu..SÃO! HAAAAAA!" (nerds detected!)

    Mauricio Luiz Bertola
    Veterano
    # jul/11
    · votar


    JL_Marcondes
    Cara, esses capts, tipo MM, para serem instalados em seu baixo, precisaría ser feita uma grande intervenção no corpo, com a confecção de novas cavidades, compatíveis com eles; isso acarretaría em ter que refazer TODO o acabamento do instrumento.
    Quanto à instalação da chave de 5 posições, só será possível se houver espaço na cavidade dos controles para tal (acho que não há).
    Quanto a controle de "pan", sinceramente gostaria de saber pra que...
    A diferença dos capts cerâmicos para os com imãs de AlNiCo é o timbre, que nesses é mais "suave", "vintage". Não tem esse de "melhor" ou "pior".
    Captadores ativos são aqueles que são alimentados por baterias. Os capts dos MM's NÃO SÃO ATIVOS; mas sim passivos, sendo circuito uma espécie de pré com um equalizador paramétrico (isso chama-se "circuito ativado"), não é a mesma coisa que um circuito totalmente ativo como os dos capts EMG e Bartollini.
    Sinceramente, eu acho que vc tá querendo achar "cabelo em cabeça de ovo"... Não há necessidade de nada disso para um bom som, nem tampouco é prático vc ficar "pilotando" botõezinhos" durante uma "gig".....
    Abç

    JL_Marcondes
    Veterano
    # jul/11
    · votar


    Bertola
    Obrigado pela opinião... mas respondendo alguns pontos:

    Cara, esses capts, tipo MM, para serem instalados em seu baixo, precisaría ser feita uma grande intervenção no corpo, com a confecção de novas cavidades, compatíveis com eles; isso acarretaría em ter que refazer TODO o acabamento do instrumento.
    Quanto à instalação da chave de 5 posições, só será possível se houver espaço na cavidade dos controles para tal (acho que não há).

    R:Sim, é verdade, ambas são modificações no corpo "trabalhosas", mas como eu disse antes, o luthier informou não haver problema.. na verdade.... é o seguinte: Essa idéia tda surgiu de qndo eu perguntei para ele se valeria a pena trocar os caps para algo mais nobre.. colocar um Fender Precision e um Fender Jazz Bass (iria manter P+J, certo?) e ele falou q poderia sim sem problema.. mas daí qndo ele me mostrou os caps q tinha daí eu vi um da BassLine5 e logo pensei "Poxa! MusicMan, pena que não serve pro meu baixo.." mas daí disse que dava sim, e que faria o abacamento etc etc.. logo, ELE é quem veio com a idéia de mudar os caps assim.. mas eu logo em seguida perguntei se poderia ser então 2 caps, e ele informou que sim, mas q pra isso o certo seria colocar uma chave seletora.. Foi depois disso é q fui atraz de saber mais sobre as configurações de um MusicMan... e, agora já uns 2 anos passados coloquei essa história toda ehheheh...

    Quanto a controle de "pan", sinceramente gostaria de saber pra que...
    R: Na verdade é o seguinte.. eu nunca toquei num Bongo.. e ficava me perguntando a diferença deles (StingRay Vs Bongo), daí descobri aqui no forum que era a questão de chave seletora e pan.. daí isso sim pode ser uma viajem minha mas fiquei me perguntando se eu não conseguiria juntar as duas versões do MM em um heheheh... mas não que eu queira isso.. nem sei se tem como ser as duas coisas ao mesmo tempo (a final se vc está escolhendo os caps pela chave, q q o pan faria?!)

    Bem, para não me extender mais: Irei pesquisar mais sobre a diferença entre Alnico e Ceramica para ver oq mais me agrada.. E qnto aos caps serem passivos, obrigado por informar e esclarecer um pouco mais sobre os lances de caps ativo ou passivo e ainda circuito ativo e/ou ativado...

    Só mais uma coisinha:
    Não há necessidade de nada disso para um bom som, nem tampouco é prático vc ficar "pilotando" botõezinhos" durante uma "gig"
    R: Bem, se for possível isso que estou intentando fazer, acredito que só vai melhorar o som sim.. vou ter algo bem diferenciado.. mas eu me agrado do baixo como ele está hj... eu gosto desse modelo, mto mesmo.. Agora sobre "Pilotar" tipo, hj eh q eu tenho q "pilotar" um pouco... se em uma musica eu qro trocar de captador eu tenho que em instantes mudar de P para J e tirar Agudo (qndo não, tb acrescer grave), enfim.. td para tirar um som mais pra slap e depois voltar para um som pesado... enfim.. uma chave nessas horas faria milagre!!!

    obs:"cabelo em cabeça de ovo"
    Não seria "Chifre em cabeça de cavalo" ou "Pelo em ovo"?! Hhehhe..

    Mas obrigado por td, espero que outros comentem tb...

    Mauricio Luiz Bertola
    Veterano
    # jul/11
    · votar


    JL_Marcondes
    Cara, geralmente eu uso baixos com apenas um captador, ou no máximo 2.
    Mudança de timbre eu faço, ou com as próprias mãos, mudando a forma de tocar ou a região onde toco, ou utilizando o footswitch do meu amp, ou um pedal equalizador da minha pedaleira.
    Eventualmente eu tenho dois baixos (um de 5 cordas e um SG), que tem apenas uma chave no qual o qual da ponte é desligado.
    Construí também uns Precisions com captação PJ com apenas volume e tonalidade masters, em que eu adicionei uma chave tipo "Les Paul" (3 posições) ao invés do circuito padrão do Jazz Bass; com iso eu trocava de som com apenas um "peteleco" na chave.
    Rápido, fácil e sem complicação....
    É a forma como eu "enxergo" o baixo, minha concepção de trabalho. Na prática, ví poucos baixistas (profissionais) que variavam muito o som do instrumento utilizando os controles ou chaves, mas apenas as mãos mesmo, o que mostra que muita coisa é desnecessária. Por isso (e também por razões de ordem eletrônica), sou adepto da simplicidade; ademais, nunca é demais lembrar a variação da Lei de Murphy: "... Quanto mais coisas tem, mais coisas vão quebrar..." Rs,rs,rs...
    Abçs

    makumbator
    Veterano
    # jul/11
    · votar


    Mauricio Luiz Bertola

    Concordo contigo, mas o controle de pan é MUITO legal. Tenho um baixo de 2 captadores com esse esquema, e a variação timbrísitica é enorme(muito maior que a oferecida pela seleção simples de captação).

    E nada disso cancela ou impede que se faça qualquer alteração de timbre e dinâmica na mão. Será apenas um leque a mais disponível, assim como um controle de equalização de um amp.

    Claro que a gente acaba usando certas combinações mais que outras(por preferência pessoal, contexto, etc...), mas eu gosto muito das possibilidades do pan.

    Mauricio Luiz Bertola
    Veterano
    # jul/11
    · votar


    makumbator
    Verdade. Eu toquei uma vez com um Ibanez RB924 (da época em que a Ibanez fazia bons instrumentos), que tinha um controle desses...
    Abç

    makumbator
    Veterano
    # jul/11
    · votar


    Mauricio Luiz Bertola

    Pois é, já toquei em uns Yamaha legais também com esse controle.

    Talvez a chave + controle de pan seja realmente um certo exagero. Mas imagino que seja tecnicamente possível de se instalar ambos, não é?

    Já peguei também baixo de luthier com o pan e seleção de ativo/passivo no mesmo pot(girando era o pan, e empurrando/puxando era o liga desliga do ativo). Era outra combinação bem interessante...

    JL_Marcondes
    Veterano
    # jul/11
    · votar


    makumbator
    Hj eu vivo exatamente oq vc falou.. gosto do meu baixo pelo ganho em versatilidade.. mesmo que os caps não sejam top do top, ou nem mesmo top.. enfim.. eu consigo através do pan (e tb da técnica impregada) fazer verdadeiros milagres em uma música.. hora harmonas, hora slap, tapping, etc etc...

    Como eu disse antes, primeiramente eu pensei em somente trocar por caps melhores (mantendo a configuração P+J).. Mas sim, eu pago pau pra MM, se eu pudesse eu comprava um, desse jeitinho HH com chave seletora.. há varios modelos assim, sem mistérios.. a única coisa é que no meu caso, estou customizando outro baixo, logo teria que cavar o corpo, mas se o próprio luthier falou q não tem problema..

    Como o baixo já tem 4 controles, vai dar certinho mudar de "Vol, Balanço, Grave e Agudo" para "Vol, Treeble, Mid, Bass".. A única coisa, que eu ctz passiei de Hellmans AirLines é o seguinte (e eu tb só joguei a idéia no ar): Hj, 3 controles funcionam como Pan: Um para balanço entre os caps "(-) |J| |Ambos/Flat| |P| (+)" ;e, Agudo e Bass acredito que funcione assim "(-) |-10/12b| |0/Flat| |+10/12b| (+)".. não sei se deu para entender... Daí eu logo pensei: Se o bongo funciona assim tb (se é q funciona assim.. com pan para balanço entre os cap's e para colocar/tirar agudos e graves), ficaria show poder selecionar os caps pela chave e ter pan para bss,mid,trb.. mas como eu disse eu posso ter viajado grandão afinal, qm deve controlar isso seria o circuito, e acredito que ele não permita isso.. ele deve permitir o controle de vol das 3 bandas e só isso, certo?

    Sei que alguém pode me mandar comprar um MM, mas vou ser sincero.. estou acostumado ao conforto do XB... por ex, não encontrei até hj um braço igual ou próximo ao dele.. pra mim warwick é o mesmo que tocar num taco de baseball e os próprios MM, não gosto da madeira clara/amarelada.. mto dura... Enfim, criei este tópico para saber ter opiniões, dicas etc etc... sobre oq estou intentando em fazer ehheh..

    []'s

    JL_Marcondes
    Veterano
    # jul/11
    · votar


    Prosseguindo... após 2 anos de sonhos construídos (asuhsaus) essa semana dei uma balançada por algo... alinhamento entre polos dos caps com as cordas, e o espaçamento correto dos caps entre eles mesmos e deles com relação à ponte e o braço... Bem, digamos que esse último esteja td certo e dê certo.. para que as cordas estejam alinhadas com os polos dos caps, eu teria que trocar a ponte tb e ajustar o capotraste, seria "apenas" isso?

    (Há uma grande chance deu acabar comprando pela net o MMSR5 HH dos sonhos e pedindo pra algum amigo trazer dos EUA.. e depois disso transformar o XB em fretless com caps P+J nobres, mas gostaria de tirar todas as dúvidas ref. o projeto em questão)

    JL_Marcondes
    Veterano
    # jul/11 · Editado por: JL_Marcondes
    · votar


    Depois dessa.. eu acho (tenho ctz) que vai dar certo!


    Eagle Modificado (com logo um H colado à um - parece um Soap com polos hehe - na ponte, e um S no braço)


    ps: n escutei o som dos cabrera.. e me pergunto pq do preço (mais baixo).. escutei o som dos bartolini... não gostei (nem do preço ehhe).. escutei seymour duncan... Ahhh garoto.. aí sim era a linha que eu qria!

    dibass
    Veterano
    # jul/11
    · votar


    JL_Marcondes
    onde vc vai comprar o captador??

    JL_Marcondes
    Veterano
    # jul/11
    · votar


    Esta é uma boa.. ou melhor.. uma ótima pergunta! Eu tenho buscado na net bastante e não tenho achado assim tão fácil.. sei q o luthier e no seu site ele tava cobrando 450$ cada H.. (http://www.chiaraguitarshop.com.br/product.aspx?dept_id=10&sku=000870 2&mscssid=HKTCMBVTFQN7OCT7OQYOTCYKS712LAJF&link=dept_produto) pesquisando na net achei esse site: http://loja.tray.com.br/loja/produto-190303-1137-captador_music_man_se ymour_duncan_smb5a__p_baixo_5_cordas
    Está 80$ mais barato.. ou seja.. 145$ mais barato na compra dos dois (+-15$ de frete)..
    Daí faz mto tempo q não falo com os cara.. portanto eu teria q entrar em contato e dar uma chorada do preço dos caps.. se não compensar eu compro td nessa Art Music aí (1.157,20$) + a chave de seleção que não achei no site mas no luthier sai por 80$ e daí, seja oq Deus quiser heheh... estou até pensando em não fazer com os caras não, pois encontrei um luthier aqui em Franca mto bom, e mtooo ($$) mais em conta...

    ps: percebo q o título do tópico está transmitiu uma msg errada.. a vdd é q eu sei q não vai ser um MMSR5.. um dia eu compro um MMSR5 H c/ captação piezo.. e depois mando fazer uma réplica de Bongo 6 com os manolos da Ledur.com.br... Mas depois do tanto q tenho visto estes caps na ativa, percebo que só tem a dar certo... terei um baixo versátil, e próprio para uma linha progressiva, dentro do MEU XB-25a..

    ps²: só estou um pouco encafifado com a questão dos polos e as cordas.. mas acredito que uma ponte já resolve o problema...

    JL_Marcondes
    Veterano
    # ago/11
    · votar


    Fiquei um tempo sem postar pois estava "estudando" melhor todas as possibilidades deste projeto.. aprendi bastante neste tempo sobre muitas coisas. E resultado é mais ou menos esse aqui:

    Especificações Finais(até o momento):

    - Corpo: Basswood
    - Braço: Maple (Bolt On)
    - Escala: Rosewood
    - Trastes: 24
    - Tarraxas: Condor Blindada Cromada
    - Ponte: Condor Cromada (Fundida)
    - Captação: H+H BassLine5 MusicMan Seymour Duncan
    - Controles: Volume, Bass, Mid e Treeble (E, possivelmente balanço)
    - Circuito: Orange (um modelo para 3?4 bandas)
    - Capotraste: Osso (hj é de plastico)
    - Chave Seletora: 5 posições Fender

    Bem oq eu aprendi e oq mudou?
    - Posicionamento: Bem, os caps nos baixos possuem um posicionamento correto para captação do som. Logo, se eu queria ter um som de StingRay (ou algo próximo) eu teria que posicionar o centro da 1ª bobina do cap da ponte 33,3cm de distancia do 12º segundo traste. E por aí vai (se eu qzesse ter um "Precision", um "70's Jazz", ou qlqr outro modelo eu teria que me basear no posicionamento correto dos cap's. Mas daí encontrei o seguinte problema: Alguém já ouviu falar de um StingRay de 24 casas? Acredito que não.. td pq seria impossível ter um HH com 24 casas, o cap da ponte ficaria em cima (literalmente) do braço. Resumo da opera, estou me baseando agora no Bongo, um MusicMan de 24 trastes, que, eu curto e mto! O legal do Bongo é que as madeiras sãos as mesmas, logo, é mais fácil ter um timbre mais próximo de um bongo com meu bass dq um timbre de StingRay heheh...

    - Circuito: Bem, eu não ouvi coisas boas dos circuitos da SeymourDuncan, e confesso que não estudei mtos outros mas, eu conheci um que foi feito por um baixista/luthier que é simplesmente "O circuito".. eu ouvi e curti, o luthier que está acompnhando o projeto que indicou, e daí vou atacar deste mesmo ehhehe...
    Obs: Esse circuito além de vol e das 3 bandas, permite controle de balanço tb, ou seja, eu teria um hibrido de StingRay X Bongo nesse caso (além de ter chave seletora, eu teri como alternar entre o vol dos caps).

    - Alinhamento PolosXCordas: Confesso q não estudei a fundo mas o luthier vai fazer um "boneco" do cap para termos ctz dq não teremos supresas.. mas é qze ctz q não teremos (pois a corda não precisa estar alinhada com o centro do polo, "basta estar em cima").

    - Chaves X Balanço : Primeiramente, partindo do pinciprio dq eu não consiga o controle de Balanço. Daí eu penso que a melhor configuração da chave seletora seria:
    1&2; (Seta o Cap da Ponte)
    1&3; (Posicionamento das bobinas correspondendo à um 60's Jazz)
    1&2+3&4; (Ambos os Caps)
    2&4;(Posicionamento das bobinas correspondendo às bobinas 1&3* do StingRay) e,
    3&4. (Seta o Cap do Braço)

    Agora, se der certo colocar tb o balanço**, aí vai complicar um pouco as coisas, pois, qndo o posicionamento estiver selecionando só o cap da ponte, ou só o cap do braço, o balanço ficaria inutilizado.

    *Embora o posicionamento entre às bobinas corresponda, não encontrei em nenhum dos esquemas de seleção do StingRay as bobinas "1 e 3" trabalhando em série... ou seja, seria uma posição experimental...

    **O balanço funcionaria da seguinte maneira: Ele nivela o vol. entre os cap's, indo de 25%-75% à 75%-25% e qndo flat divide 50%-50%.


    Acredito que seja isso.. qlqr dúvida, comentário, obs.. sei lá.. é só falar..

    []'s

    FCLBass
    Veterano
    # ago/11
    · votar


    JL_Marcondes

    Alguns comentários:

    Posicionamento - Não tenha dúvida que vc nunca terá um som som idêntico ao MM ou Precision. O que vc vai ter é um som diferente em um XB-25A. Se vai ficar bom ou não e se vale a pena ou não, só temos como saber fazendo. Arriscado... mas vc quem sabe.

    Circuito - Os circuitos da SD/BL são bons. Já tive um Eliezer Lara modelo Modern Jazz com o STC-3P com captação Bartolini. Show de bola!!! Uma observação, o controle de balanço, pra mim, não é nada demais. Eu até prefiro volume individual pra cada captador, pois dá maior possibilidade de timbre. Preferência mesmo...

    Alinhamento PolosXCordas - Não sei se vc conhece, mas o Tagima que Duca Tambasco do Oficina G3 está usando tem dois caps SD modelo MM. A questão do alinhamento com as cordas não é impescindível. Ví o dele bem de perto num show e o alinhamento do capXcorda do braço estava bem fora e o baixo tinha muito som mesmo assim.

    Chaves X Balanço - Dá pra simplificar isso. Vc pode usar duas chaves mini switches (on-on-on), uma para cada captador, onde cada uma tem 3 posições com as configurações:
    Posição 1 - Bobinas de um extremo (vou chamar de sul por referência - tipo os humbuckers de guitarra);
    Posição meio (ou 2) - As duas bobinas;
    Posição 3 - Bobinas de um extremo (vou chamar de norte por referência - tipo os humbuckers de guitarra).
    Vc ainda pode usar mais uma chave mini switch de duas posições (on-on) para escolher ntrem série e paralelo os caps ou ainda ter uma para cada cap, ou seja, vc pode tocar com o cap da ponte em paralelo e o do braço em série e vice-versa. No total vc poderia ter no máximo 4 chavinhas. Isso independente do pot para balanço ou volume individual por cap.

    Obs: O balanço não funciona do jeito q vc falou. Em flat é 100% do volume de cada cap e com um dos lados todo girado o volume de um dos caps é zero.

    Se vc quiser posso fazer um esquema e te mandar por e-mail. É só me passar seu e-mail.

    Obs2: Te mandei uma mensagem privada/particular aqui no fórum. Dá uma olhada.

    JL_Marcondes
    Veterano
    # ago/11
    · votar


    FCLBass
    Cara vlw pelas dicas.. sobre o balanço trabalhar desta maneira (25%-75%), qm me passou foi o luthier.. tem balanço q funcione como vc disse tb..

    Na verdade, vc meio q me deu uma luz hehehe... tipo eu estudei até como o Bongo trabalha e não tinha pensado nisso.. esse lance de chave de 5 posições meio que me prende.. neh?
    Já que vamos mexer... hehhe.. Eu poderia ter, um vol para cada Cap, mais 2 mini switches de 3 posições... isso sim seria versatilidade heheh.. só não entendi essa 3ª chave para funfar em série e paralelo (eu até hj não entendi ainda a diferença, saberia me explicar?)

    Sobre oq vc comentou em "posicionamento".. eu sei que não terei som de stingray ou bongo etc e tals.. mas que dá pra chegar próximo, isso dá! O Vídeo que eu postei do Eagle já diz td hehehe...

    Mas o pré pra controlar td isso.. o seymour garante? Esse orange eu sei que mto provavelmente sim ehheh..

    []'s

    FCLBass
    Veterano
    # ago/11 · Editado por: FCLBass
    · votar


    JL_Marcondes

    Sinceramente, nunca vi o funcionamento do balanço dessa forma. A única maneira que posso imaginar, que não é absoluta, é se o pino que deveria ir a terra (negativo) não for. Dessa maneira vc pode ter uma redução de volume, mas não de 100%. Se isso equivaleria a 25% eu não sei. Agora 75%... Acho que a informação não procede. O funcionamento do potenciômetro, até onde eu sei e li, especifica que no centro, especificamente para o de balanço, ele garante 100% do volume dos dois caps.

    Explicando:
    Paralelo - Um cap humbucker é constituido de duas bobinas, ou seja, como se colocassem dois singles num compartimento só. Isoladamente equivalem a dois caps single e assim cada bobina tem sua representação em potência (saída/output) e timbre (frequências predominantes).

    Série - Somatório de dois caps bobinas de um humbucker fazendo com que estes tenham a potência de saída (output) e timbres somados, tornando-os um cap só. Fisicamente são dois elementos diferentes, mas eletrônicamente é um elemento só.

    Não sei se fui claro...

    Obs.: O pré da SD aguenta tranquilamente. Eu tenho preferência pelos prés da EMG, mas os da SD tb são muito bons.

    JL_Marcondes
    Veterano
    # ago/11
    · votar


    É, eu preciso entrar em contato com o luthier de sampa (que eu sei q tem mais responsa hehehe) e tirar as dúvidas com ele... e vlw pela explicação..

    JL_Marcondes
    Veterano
    # set/11
    · votar


    Estive pensando aqui, já que com as 3 chavinhas eu vou poder fazer a "mescla" que for entre os caps... pq não fazer um "Bongo Style" de vez hhehehe.. mas em vez de seguir "4-band active preamp; vol, bridge/neck pickup balance, treble, high-mid, low-mid", já que terei as chaves pra seleção dos caps, eu teria o seguinte controle: vol1, vol2, treble, high-mid, low-mid. Daí eu precisaria de um circuito pra quatro bandas, certo? Me indicariam algum?

    FCLBass
    Veterano
    # set/11 · Editado por: FCLBass
    · votar


    JL_Marcondes
    O que me deu melhor resultado até hoje foi o EMG BQC Control, mas ele tem 3 bandas e um shape contour para os médios. Na faixa de R$ 500,00. Outro que tb usei e gostei bastante foi o STC-3P da SD. Sai por R$ 280,00. Eu nunca montei um baixo com um desses, mas o Aguilar OPB-3 é muito bom. Já toquei num Zaganin Asema que tinha esse pré e é uma pedrada. Esse é caro e da ultima vez que vi tava quase R$ 800,00. Recomendo o STC-3P. Vai te atender sem dúvidas e ainda tem a vantagem do push-pull para Slap.

    JL_Marcondes
    Veterano
    # set/11
    · votar


    FCLBass
    Se bem que isso já vai virar mta "ivencionisse" e vai deixar mais caro, e daí não vai valer mais a pena gastar tanto com o condorzinho hehehe.. eu vou fazer o seguinte, vou ligar agora para o luthier de sampa e vou mandar tdas as coisas que eu qro fazer por email.. daí é mais fácil hehehe... sobre o STC-3P, tipo eu tinha ele em mente mas daí falaram mal dele na net.. e eu fiquei meio "cabrero", o da orange tb falaram mal mas aqui em Franca tem um monte de mano profi trocando pré bartolini por ele..

    []'s

    FCLBass
    Veterano
    # jan/12
    · votar


    JL_Marcondes
    Ressuscitando...
    E como ficou seu projeto? Instalou os MM no Condor?

    JL_Marcondes
    Veterano
    # jan/12
    · votar


    Ainda não... ano passado tive problemas com a compra dos cap's pelo ebay.. daí fiquei de instalar até fev. só o pré, pra ver como fica (daí vou mudar o nut tb, e colocar um box de bateria, pra 18v - duas baterias)... daí depois eu vejo oq seria melhor.. os H/H, ou Soap/P (igual um fender deluxe, daí eu só estaria furando o bass no J da ponte, pra colocar o soapbar dual coil)...

    []'s

    FCLBass
    Veterano
    # jan/12
    · votar


    JL_Marcondes
    Veja se vc gosta dessa configuração Washburn. Acho que vou comprar um Condor pra fazer isso. Usarei caps Cabrera.

    JL_Marcondes
    Veterano
    # jan/12
    · votar


    FCLBass
    Belo bass.. mas td tem à ver com o posicionamento do cap.. não basta simplesmente ter um humbucker... o seewtspot do StingRay é que é o grande segredo dos MM... depois em casa eu vou tentar sacar qual a posição deste humbucker com relação ao StingRay.. mas de qualquer forma.. eu curto o som dos StingRay e dos Bongo.. eu não arrisco colocar o H da ponte como no SR e H do braço como no Bongo pela questão versatilidade e, tb, vai que com os 2 abertos o som fica todo embolado? (Afinal, o Bongo HH é diferente do SR HH).. Enfim... e eu não curto muito o J da ponte, não no posicionamento que é hj (que tá entre o 60's Jazz e o 70's)... mas vlw a dica..

    []'s

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Customizar Condor XB-25A para MusicMan Sting Ray 5 HH