Baixo Elétrico - Baixo Acústico

Autor Mensagem
southbass
Veterano
# nov/10 · Editado por: southbass


Fala, galera. Tô meio sumido do forum, mas hoje me peguei pensando em algumas coisas...

quando comecei a tocar baixo, comecei com o baixo acústico (gigante, rabecão etc...). parei pois não tinha grana pra comprar o instrumento, então comecei a tocar no elétrico e tal... agora, não sei se é impressão ou o que, mas eu tenho a impressão que quando tocava no acústico, eu aprendia muito mais! digo mais "teoria", mais sobre música em si. será que é pq eu tinha que achar as notas? tinha que exercitar mais o 'ouvido', e a musicalidade em si?
creio que com o elétrico você tem à mão muitas tablaturas, as musicas geralmente são mais faceis (acústico = jazz), sei la... tenho a impressão de ter ficado musicalmente mais preguiçoso. alguém entendeu o que eu quis dizer? quais suas opiniões sobre isso? Valeu!

southbass
Veterano
# dez/10
· votar


não é possível que ninguém tenha uma opinião sobre isso

FlOaD
Veterano
# dez/10
· votar


O que quer dizer com baixo acustico?

Cello ou Aquele violão grande?

Acho que não tem nada ver, não é pq você toca uma explorer que vai deixa de estudar guitarra, é o mesmo do baixo. Acho que você ficou preguisoso e pos a culpa no contra-baixo. ;D

o//

southbass
Veterano
# dez/10 · Editado por: southbass
· votar


FlOaD
Cello ou Aquele violão grande?

o que tem a ver o violoncelo com o que eu disse? vou "desenhar"

Cello
"Aquele violão grande"

->>>>> Baixo Acústico <<<<<<---


não é pq você toca uma explorer que vai deixa de estudar guitarra,
bom, quanto a isso, você falou a maior besteira. uma "explorer" É uma guitarra, com casas iguais às outras, com jeito de tocar igual às outras. o baixo acústico e o elétrico são praticamente 2 instrumentos completamente diferentes. a unica coisa parecida é o nome...

makumbator
Veterano
# dez/10 · Editado por: makumbator
· votar


southbass

Eu concilio os dois há anos a fio(baixo elétrico e acústico). Mas a verdade é que o acústico é realmente mais difícil e demanda mais estudo(principalmente para quem toca com arco, como eu). O estudo do acústico também é mais exigente no aspecto físico(é mais estafante para o corpo).

Não acho que um prejudique o outro(na verdade ajudam, com exceção do fato de que ao se tocar mais de um instrumento há menos tempo de dedicação para cada um deles). Mas isso vai muito da visão de cada um na música. Eu ainda me meto a tocar guitarra...hashshas! Haja tempo para cada um deles!


FlOaD

Como o southbass comentou, o contrabaixo acústico e o elétrico são MUITO diferentes, apesar de executarem a mesma função musical. A digitação é completamente diferente, a postura do corpo e das mãos, o espaçamento das notas, etc... sem contar que quem toca com arco tem um desafio extra, que é desenvolver uma boa sonoridade em cada golpe de arco(existem centenas de golpes diferentes).

Eles se parecem em algumas poucas coisas, mas diferem na maioria.

southbass
Veterano
# dez/10 · Editado por: southbass
· votar


makumbator
O estudo do acústico também é mais exigente no aspecto físico

realmente! quando eu estudava com arco, lembro de ficar com a mão direita muito inchada e dolorida haha

quanto à se dedicar a mais de um instrumento, o problema que vejo é por exemplo estudar baixo acústico e violino, que lêem em claves diferentes. eu não tenho muita pratica com leitura e me confundia muito, trocando de claves toda hora pra estudo. preferi não conciliar mais os dois, estudando apenas baixo.

agora quero voltar a estudar o "gigante"! estou atras de instrumento mas esta dificil. disponho de cerca de 5 mil, to pensando em pegar um daqueles do paulo gomes que ele troca espelho, fundo, tampo e etc... teria alguma dica meio quente, makumbator?. valeu!

makumbator
Veterano
# dez/10
· votar


southbass

Já toquei em vários desse de upgrade do Paulo Gomes(chinês com melhorias), são muito bons. Dois alunos meus tem desses baixos(um deles até levou o contrabaixo para estudar nos EUA, e os professores de lá gostaram também).

Mas com 5 mil vc consegue um usado muito bom, feito por luthier. Eu já vi algumas "pérolas" na faixa dos 3.500 e 4.000, que valiam mais a pena do que os de upgrade. O problema é que vc precisaria ir aos grandes centros para isso (Rio e SP, e em menor grau Belo Horizonte).


realmente! quando eu estudava com arco, lembro de ficar com a mão direita muito inchada e dolorida haha

Hhehehe! Arco não se pode parar de treinar, senão volta essa famosa dor. Quando comecei tinha uma dor no polegar da mão do arco, mas era fruto de pegada errada e excesso de força ao segurar.

quanto à se dedicar a mais de um instrumento, o problema que vejo é por exemplo estudar baixo acústico e violino, que lêem em claves diferentes

Basta estudar que vc se acostuma. Eu leio muito bem clave de fá e sol(e melhorei muito na sol ao começar a tocar guitarra), e leio relativamente bem na clave de dó na quarta linha(muito usada em música solo com arco) e um pouco menos na dó na terceira linha(usada na viola). O que me deu bastante desenvoltura foi prática de orquestra, em que vc tem que ler a primeira vista no primeiro ensaio o que está na estante. A clave de viola eu acostumei a ler ao fazer arranjos e estudar partitura orquestral.

southbass
Veterano
# dez/10
· votar


makumbator
Mas com 5 mil vc consegue um usado muito bom, feito por luthier. Eu já vi algumas "pérolas" na faixa dos 3.500 e 4.000, que valiam mais a pena do que os de upgrade. O problema é que vc precisaria ir aos grandes centros para isso (Rio e SP, e em menor grau Belo Horizonte).

pois é, é disso que eu estava atrás, mas como eu moro no interior do RS, uma coisa dessas é praticamente impossivel de achar. tem que ter muuuita sorte, e eu não quero me demorar muitos meses pra comprar o baixo.


Já toquei em vários desse de upgrade do Paulo Gomes(chinês com melhorias), são muito bons. Dois alunos meus tem desses baixos(um deles até levou o contrabaixo para estudar nos EUA, e os professores de lá gostaram também).
essa é a minha principal opção no momento, principalmente agora que sei de quem ja tocou e o intrumento realmente é bom. mas você acha que vale os 5.500 que ele pede?

e quanto ao estudo, creio que é somente pratica mesmo. estudando bem, é perfeitamente possivel ler em qualquer clave, o problema são as confusões no começo hahaha

abraço!

makumbator
Veterano
# dez/10 · Editado por: makumbator
· votar


southbass
pois é, é disso que eu estava atrás, mas como eu moro no interior do RS, uma coisa dessas é praticamente impossivel de achar.

Já fui muito ao Rio com uma boa frequência para ter aula do acústico(minha cidade fica distante umas 2h de carro), e já vi baixos usados incríveis por 3 mil reais por lá. O negócio é vc se inteirar com professores e instrumentistas(além dos luthieres).

Vc pode começar procurando aí no Rio Grande do sul(na UFRGS tem curso de contrabaixo acústico, é um bom ponto de partida procurar o professor).

essa é a minha principal opção no momento, principalmente agora que sei de quem ja tocou e o intrumento realmente é bom. mas você acha que vale os 5.500 que ele pede?

Perto de certos usados de luthier em bom estado não vale, mas em comparação ao chinezão puro até que vale. Mas depende muito da unidade em particular. Lembre-se que vc pode comprar esses de upgarde também usados(é comum o cara ficar uns anos com um desse e depois passar paraoutro superior).

FlOaD
Veterano
# dez/10 · Editado por: FlOaD
· votar


makumbator

Mas home, se ele estava falando deste tipo de baixo não teria falado o comentario, nota-se a grande diferença entre ambos os modelos, tanto que para mim que sou um leigo no assunto Violoncelo era o Baixo acustico. Essa nomeclatura confunde x.x


southbass

Ignorância não né amigo ;D

makumbator
Veterano
# dez/10 · Editado por: makumbator
· votar


FlOaD

Mas não é diferença meramente de modelo, é diferença técnica por serem instrumentos no fundo bem distantes na execução(apesar de nome igual, contrabaixo). É algo diferente de modelos diferentes do mesmo instrumento(o que não é o caso, afinal são instrumentos diferentes).

Em termos das diferenças de execução técnica, o baixo acústico está mais distante do baixo elétrico do que o violão da guitarra elétrica, principalmente se for comparado o baixo elétrico com o baixo acústico usando o arco, aí então são universos bem distintos.


tanto que para mim que sou um leigo no assunto Violoncelo era o Baixo acustico

Ambos são da família do violino, que também abrange a viola(de orquestra, não a caipira) e o próprio violino(obviamente).

southbass
Veterano
# dez/10
· votar


makumbator
ta certo, muito bem observado. realmente, vou procurar o meu professor e pedir se ele sabe de algo, depois vou indo atrás conforme indicações. já soube de casos de ótimos instrumentos achados abandonados na garagem de alguém... é uma questão também de sorte hehe valeu pelas dicas! caaaso eu demore muito e não ache um usado bom, acabarei optando pelo do paulo gomes. valeu mais uma vez!

FlOaD
a ignorância foi sua em comentar sem realmente saber do que se trata! de qualquer modo, desculpe a grosseria...

FlOaD
Veterano
# dez/10
· votar


southbass

Comentei na mais boa vontade, no sentido de Upar o tópico para que seja respondido por outros e também tirar duvidas próprias.

Mas tá, né o/

xGumAx
Veterano
# dez/10
· votar


Nha, eu to doido pra estudar o rabecão, mas no tenho grana, e sou canhoto, o q eu notei ser um problema sério em intrumentos desse tipo.

Mas eu fico de olho, assim q eu tiver a oportunidade eu pego um.


Quanto à questão do estudo, não é porque no elétrico q é relaxado. Não lhe foi exigido muito estudo, mas nada te impede de continuar estudando. Eu nunk tokei no rabecão, mas eu to sempre procurando conhecer mais e mais...

xGumAx
Veterano
# dez/10
· votar


Nha, eu to doido pra estudar o rabecão, mas no tenho grana, e sou canhoto, o q eu notei ser um problema sério em intrumentos desse tipo.

Mas eu fico de olho, assim q eu tiver a oportunidade eu pego um.


Quanto à questão do estudo, não é porque no elétrico q é relaxado. Não lhe foi exigido muito estudo, mas nada te impede de continuar estudando. Eu nunk tokei no rabecão, mas eu to sempre procurando conhecer mais e mais...

southbass
Veterano
# dez/10
· votar


xGumAx
sobre ser canhoto, acho que não é um problema. basta inverter a ordem das cordas, sem mistério!

xGumAx
Veterano
# dez/10
· votar


southbass
Nha uma moça q dava aulas de contrabaixo erudito disse q eu poderia estragar o instrumento e a minha mão com isso...

Muitos luthiers disseram q seria necessario inverter além do cavalete, a alma e o espelho.

Uma vez um recalcado professor (com nome na cidade) me tratou super mal, dizendo q não existe essa coisa de canhoto inverter as cordas, ou trocar de mão pra tocar. ele disse q canhotos q se virem pra tocar como os destros... Isso pq procurei a escola dele pra mim estudar e tentar um vestibular, disposto a pagar pelo preço caro dele.

southbass
Veterano
# dez/10
· votar


Muitos luthiers disseram q seria necessario inverter além do cavalete, a alma e o espelho

bom, aí não sei, mas são modificações 'pequenas' pelo visto.
mas cara, o Paul Mccartney quando toca o Baixo Acústico, toca com as cordas normais, só troca de mão. veja:



talvez funcione pra você, vc deve procurar o jeito que melhor se adapta. quanto ao professor, baita de um ignorante. destro não é 'superior' em nada, e cada um deve se adaptar do jeito que pode!

valeu

makumbator
Veterano
# dez/10 · Editado por: makumbator
· votar


xGumAx
Uma vez um recalcado professor (com nome na cidade) me tratou super mal, dizendo q não existe essa coisa de canhoto inverter as cordas, ou trocar de mão pra tocar. ele disse q canhotos q se virem pra tocar como os destros... Isso pq procurei a escola dele pra mim estudar e tentar um vestibular, disposto a pagar pelo preço caro dele.


Hsahhas! Não fui eu não hein! Primeiro por não ter nome na cidade, e segundo por nem ser careiro...hehehe!

A inversão das cordas demanda algumas adaptações:

1. Inversão das cordas(óbvio)

2. Provavelmente é preciso trocar o cavalete, pois é precioso refazer os sulcos(de acordo com a espessura de cada corda), além da nova curvatura do espelho em relação ao cavalete(que fica invertido do normal).

3. Nova regulagem de posição da alma, uma vez que ela se relaciona com a posição das cordas(que trocaram de lugar).

4. Nos baixos que possuem aquela "caída" no espelho para a corda mi, pode ser preciso trocar a escala, mas isso pode não ser problema, é de cada caso.

5. É preciso trocar o nut, pois a inversão demanda novas espessuras dos sulcos.


Fora isso tudo, não é algo tão extremo de ser feito(principalmente se o baixo não tiver a caída na escala na corda mi, ou ela não impedir a inversão).


O problema é que vc precisaria comprar um baixo logo de cara, pois as instituições que emprestam o instrumento(o Pró-música, aqui em JF, por exemplo) não permitem esse tipo de mudança apenas para atender um aluno(mesmo que vc pague do seu bolso, eles não deixam, por motivos óbvios). Por isso muita gente até começa a tocar como destro, em virtude desses problemas.

xGumAx
Veterano
# dez/10 · Editado por: xGumAx
· votar


(o Pró-música, aqui em JF, por exemplo)

Eu sou de jf cara!
E eu já imaginava q teria q comprar meu próprio instrumento antes de estudar. O motivo de eu ser autodidata é pq poucas (nenhuma) escolas tem instrumento canhoto, e eu tenho q usar o meu fudido mesmo...

southbass
Cara, adorei o vídeo,
"exactly, the original elvis presley's bass".
hehehe
mto show!!
O paul não fez milagres com as cordas invertidas tbm né, mas cantar e tocar elvis no baixo que espalhou o rockabilly pelo mundo...
adorei


Mas por enquanto vou me concentrar em passar e estudar na bituca!

ABATANGERINA
Veterano
# dez/10
· votar


southbass
makumbator
tô querendo pegar um fretless elétrico (toco há + - 04 anos), mas estudo sozinho só escutando e com alguns "métodos". rola ou complica muito para um fretless? e outra: quando ouço cd's de bossa gravados com baixo acústico (q nunca toquei) comparados com os fretless elétricos (q já toquei), as sonoridades são realmente parecidas quando tocamos "ao vivo"?

southbass
Veterano
# dez/10
· votar


ABATANGERINA
rola ou complica muito para um fretless

cara, rola sim. se vc toca o eletrico a 4 anos, provavelmente não olha mais pra escala enquanto toca... então basta acostumar tocar exatamente onde ficaria o traste. do elétrico com trastes pro fretless é só uma questão de adaptação

agora, vc quer saber se "ao vivo" timbre de fretless e timbre de baixo acústico são parecidos? não são não, cara. são beeem diferentes! o fretless geralmente tem um timbre roncado, anasalado. o baixo acustico tem um timbre seco, oco, sem sustain. é bem diferente

makumbator
Veterano
# dez/10
· votar


ABATANGERINA

É o que o southbass citou. Os timbres são MUITO diferentes. Eu gosto de ambos, mas realmente não se parecem em quase nada. O acústico é menos nasal e mais oco. O fretless é mais roncado(mesmo com cordas lisas, que roncam menos que as roundwound) e nasal. Além disso, o slide no acústico dá um efeito muito diferente do que a mesma técnica no fretless. O acústico sempre me sugere mais "som de madeira" , enquanto o elétrico fretless me passa sempre mais o "som de captador".

A "pegada" ao tocar também é muito diferente, o acústico é mais "integrado" no corpo do baixista(a gente praticamente encoxa a caixa acústica dele...heheh). Para mim até isso dá um aspecto diferente na percepção e na atitude ao tocar um e outro instrumento.

O acústico em pizzicato me parece mais orgânico para certos estilos e formações(bossa, jazz tradicional, trios de jazz, etc...), enquanto o elétrico fretless me parece mais indicado para outras praias(jazz moderno, fusion, rock instrumental, brazilian jazz, etc...).

Se falarmos do acústico com arco, aí então é que ficam ainda mais diferentes.



xGumAx
Mas por enquanto vou me concentrar em passar e estudar na bituca!

Lá é muito bom, conheço vários ex-alunos(principalmente bateristas, pianistas e cantores). Vc não vai se arrepender.

southbass
Veterano
# mar/11
· votar


upando! a grana tá curta, vou comprar um chines essa semana hehe
pelo menos dá pra estudar!

makumbator
Veterano
# mar/11
· votar


southbass

Opa! Legal saber! Mas é um chinês "puro" ou já com algum upgrade?

Caso seja um "puro", recomendo que vc toque as cordas o mais rápido possível, pois as que vem nesses baixos são péssimas!

Depois disso vc pode ir fazendo os upgrades com calma, de acordo com a grana. Eu trocaria nessa ordem:

1. cordas
2. regulagem do nut(sempre vem muito alto, o que deixa as primeiras posições muito duras). Aqui vc aproveita e manda fazer uma regulagem geral para deixar a ação do seu gosto(normalmente vem alta pra cacete) e conferir a posição da alma.
2. cavalete (com a devida regulagem fina do ângulo do mesmo)
3. Estandarte e rabixo

Caso ache necessário, pode-se trocar as tarraxas e a escala também.

southbass
Veterano
# mar/11 · Editado por: southbass
· votar


makumbator
bá!! um puro sangue hahaha

mas é exatamente isso que eu pensei em fazer, sem tirar nem por. vou começar já trocando as cordas, pois as que vem em cima arrebentam antes de chegar na afinação correta. o resto, eu vou trocando conforme a grana entra, sem pressa. o principal pra estudar já vou ter, que é o baixo afinado haha

isso aí, valeu pelas dicas!

southbass
Veterano
# mar/11
· votar


makumbator
Caso ache necessário, pode-se trocar as tarraxas e a escala também.

mas aí acho que já é demais pra esse instrumento. um chines é sempre um chines, e antes de investir demais nele é vantagem comprar outro usado...

Leo Limabass
Veterano
# ago/11 · Editado por: Leo Limabass
· votar


oi pessoal

então, tenho 16 anos, toco Baixo eletrico há 1 ano e meio. Eu gosto muito muito do baixo acustico. Curto muito jazz, blues, fusion, soul, funk, r&b, rock e bossa nova. O ano que vem quero entra na Fundaçao das Artes (uma escola de musica perto da minha cidade) pra me aprofundar no eletrico e aprender a tocar meu sonhado acustico!

eu toco regularmente bem o eletrico, muitos musicos me elogiam. Mas queria saber de quem toca o Acustico: é muito dificil, quanto tempo vou levar pra tocar bem ele? estou começando muito tarde?

e como esta o ''mercado'' pra se tocar o acustico, tem muita demanda?
ah, e qual a diferença do baixo acustico 3/4 e o 4/4?

makumbator
Veterano
# ago/11 · Editado por: makumbator
· votar


Leo Limabass
muito dificil, quanto tempo vou levar pra tocar bem ele? estou começando muito tarde?


O ser mais ou menos difícil varia muito de cada pessoa(não apenas na predisposição ao instrumento em particular, mas também no esforço individual).

Mas em geral eu considero o acústico muito mais difícil que o elétrico(principalmente se compararmos o elétrico com trastes ao acústico com arco). Mas isso não quer dizer nada. Tem mais é que entrar em contato com o acústico e estudar que vc consegue.

Apesar de mais exigente no estudo, a retribuição é enorme. É um instrumento apaixonante. Mas é preciso ter paciência, pois com ele os resultados podem demorar um pouco, e o início é um tanto frustrante, principalmente para quem já toca outro instrumento(como vc) e já quer sair tocando no acústico. Tenha calma e perseverança.

e como esta o ''mercado'' pra se tocar o acustico, tem muita demanda?

Varia muito de cada região. Mas é um instrumento valorizado em muitos estilos. O melhor é tocar o elétrico e o acústico, assim se consegue mais mercado. O cenário ideal é tocar elétrico com e sem trastes e o acústico com e sem arco, assim se cobre o máximo de variações nesse campo(podendo ir de uma orquestra sinfônica ou de câmara até uma banda de rock, passando por tudo de jazz, fusion, pop, mpb, etc...
).
ah, e qual a diferença do baixo acustico 3/4 e o 4/4?

São diferenças de tamanho de instrumento(que se reflete em tamanho de corda, escala, caixa acústica, etc...). Mas não são exatamente padronizadas, apesar de servirem como um parâmetro geral.

A grande diferença na técnica devido ao tamanho do instrumento é a abertura da posição na escala(que quanto mais longa a corda, mais aberta deve ser a posição).

A vantagem de um instrumento maior é ter mais som(e em geral mais encorpado), mas pode ficar mais complicado de se tocar pela abertura ser muito grande. O instrumento menor é mais confortável(e melhor de transportar), mas pode ter um pouco menos de som. Então há ganhos e perdas de cada lado da questão.

Eu prefiro 3/4 por ser mais confortável de se tocar, e sendo um bom instrumento, com boas cordas, o som também é potente.

Leo Limabass
Veterano
# ago/11
· votar


makumbator

valeu cara, tirou muitas duvidas minhas!

outra coisa: dá pra estudar o acustico na escola lá, mesmo sem ter ele em casa?

seria bom eu comprar um fretless pra ir se acostumando?

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Baixo Elétrico - Baixo Acústico