Isso é uma caracteristica do Microfone ou falha de execução?

    Autor Mensagem
    thiago stteffen
    Veterano
    # 25/jul/20 18:53


    Boa noite galera.

    Ultimamente to tentando fazer uns covers pra mim mesmo.

    O cenário do meu home studio é um notebook com core i3, 8gb de ram em dual channel e ssd.

    To conectando um microfone Audio Technica AT2020 direatemente na interface de áudio Behringer umc22 e a daw é o reaper.

    Fui cantar dream on do aerosmith, segue a faixa:
    https://soundcloud.com/thiago-stteffen/dream-on

    Eu percebo que quando eu solto uma nota mto aguda, ou com mto volume, a impressão que eu tenho é que dá uma clipada, o som fica horrível.

    Eu coloco o input do microfone na interface com volume proximo às 14:00.
    Quando eu abaixo o volume de entrada, esse clip nao acontece, mas tudo fica baixo demais.
    O que eu estou fazendo de errado?
    Eu estou cantando a mais ou menos 30cm do microfone, uso um pop filter.

    Outra pergunta adicional se puderem me ajudar, eu sei que alguns vocalistas gravam as musicas ouvindo o tal do Phantom reverb. Ou seja, a gravação é pura sem efeito, o reverb é só pra dar uma ambiencia e um conforto.

    Mas com meu cenário limitado, se eu jogo um plugin de reverb na faixa de gravação, existe muito atraso na gravação, provavelmente pela baixa performance do meu note. Existe algum macete pra não ter esse atraso ou é assim mesmo por conta do equipamento fraco?

    Desculpem mas não achei exatamente o meu problema aqui na busca. E desculpem pela execução que eu sei que não está muito boa

    Ningen
    Veterano
    # 25/jul/20 19:51 · Editado por: Ningen
    · votar


    thiago stteffen

    Eu percebo que quando eu solto uma nota mto aguda, ou com mto volume, a impressão que eu tenho é que dá uma clipada, o som fica horrível.

    Sem tentar ser muito técnico:
    Eu usaria um VU no "IN FX" da track. Aqui, costumava ter problemas com gravações em dias diferentes da mesma música, que às vezes chegava limpo e às vezes parecia que tinha colocado alguma distorção de mal gosto. Esses problemas acabaram com o VU.

    Waves (Uso por conseguir reduzir o tamanho)

    TBProAudio (grande para o meu laptop, porém, grátis)


    O primeiro passo é tirar o melhor do seu pré. Esse é o primeiro estágio. Se o sinal chegar muito alto, vai clipar, distorcer, não tem jeito. Os VUs como os que sugeri geralmente vem de fábrica com um headroom de 18dB para evitar essas distorções.

    Se o som estiver baixo, aplique ganho após a entrada na interface, no knob de ganho da faixa no Reaper ou na cadeia normal de efeitos por exemplo.
    (Toda vez que gravo vocal acabo colocando pelo menos +6dB no ganho da faixa)

    se eu jogo um plugin de reverb na faixa de gravação, existe muito atraso

    Aí depende do plugin. Você tem que procurar um que seja suave na CPU e samples. Mas, pelo que me lembre, o Valhalla Vintage é "zero latency". Tem também o do próprio REAPER... você vai ter que testar no seu sistema. Se for só para monitoração, pode ser simples. Na hora da mix você troca por outro, se desejar.

    Aqui no meu i5 3210m:
    Reaverbate: 0.38~0.42% de CPU, 0 samples
    Valhalla: 0.44~0.49% de CPU, 0 samples
    VerbSuite Classics: 1.10~1.20% de CPU, 0 samples
    H-Reverb: 3.50~4.20% de CPU, 0 samples
    MorphVerb: 5.50~7.50% de CPU, 0 samples

    (Control + Alt + P) para abrir o medidor de performance no Reaper.

    Edit: Resposta longa sobre o ganho de entrada:


    T-Rodman
    Veterano
    # 25/jul/20 22:20
    · votar


    aprenda a mexer com limiter e compressão.
    quando está gravando, tudo que atinge e passa 0db 'clipa'. limiter serve pra evitar isso.
    compressão eu já não sei explicar o processo mais dá uma 'normalizada' na faixa, pra deixar a faixa mais fluída. mas usar muita compressão começa a soar muito artificial - então tem de aprender a mexer sem exageros.

    aprender a cantar mais distante quando vai dar uma nota mais alta também faz parte do negócio. às vezes bem mais longe do que você griraria num microfone dinâmico no palco, por exemplo.

    Em tese, quando se está gravando com fones de ouvido é pra você sentir isso nos seus ouvidos, e também vendo o led do monitor piscando em vermelho.

    amplexos

    T.

    acabaramosnicks
    Membro Novato
    # 26/jul/20 14:18
    · votar


    Mano, quando vc cantar mais agudo é provável que vai cantar mais forte também, daí vc pode se afastar do Mic, e geralmente, na voz se usa compressor e/ou limiter Como mencionado acima.
    Abaixa o volume da entrada. Qual é o problema de o resto ficar mais baixo? A diferença no volume ou se corrige na própria execução do jeito que eu falei, ou na mix.

    Ismah
    Veterano
    # 26/jul/20 15:52
    · votar


    O problema seria a relação s/n, e diferença de ambiência, que pode ser significativa num ambiente não tratado. Não vejo porque usar um compressor para nivelar esses volumes, sendo que poderia-se editar manualmente o ganhos nos trechos. Variações de 10 dB são "normais".

    Eu gravaria por partes. As mais agudas, com menos ganho, e as normais com mais ganho. Pronto.

    estou cantando a mais ou menos 30cm do microfone

    Para a circunstância, acho bastante longe. Daí que pode precisar de tanto ganho.

    Existe algum macete pra não ter esse atraso ou é assim mesmo por conta do equipamento fraco?

    Existem várias opções. Se o processamento in-box não resolve, pode-se partir para processamento em hardware.

    Acho bastante importante o vocalista, ter ao menos um channel strip, ou algo análogo em formato digital... Isso já entrega um resultado pronto, e evita problemas de mix ao vivo.
    Evidentemente, isso não é popular porque é caro, e vocal não é uma coisa que se costuma precisar mexer ao longo da performance. A menos que a performance envolva isso. Já vi casos de um vocalista, fazer várias vozes em diálogo, sozinho. Algo relativamente específico.
    Na maioria das vezes, acaba sendo mais prático, e até mais funcional se te apresenta ao vivo, ter uma console digital como as Behringer X-Air. Menos recursos para processar a voz, mas abrange o todo de maneira mais satisfatória.

    Uma console analógica, que tenha um compressor, um eq semi-paramétrico e reverb, já iria adiantar muita coisa. E em último caso, só um pré-amp e compressor.

    E como última opção, claro, uma máquina que tenha maior capacidade de processamento.

    Ningen
    Veterano
    # 26/jul/20 16:17 · Editado por: Ningen
    · votar


    thiago stteffen

    Ainda que eu acredite que o seu problema está principalmente no ganho de entrada e que isso pode ser resolvido com um VU, especialmente se tratando de vocais, os comentários sugerindo compressão me lembraram uma coisa: além do VU eu sempre coloco um Compressor de leve no "In FX" para a gravação chegar mais pronta e além disso dar mais confiança para o vocalista, tal como o Reverb que você também quer usar. (O Reverb, diga-se de passagem, não uso, mas fica a seu critério).

    Devo tentar migrar para o novo compressor da Toneboosters em breve por ser simplesmente o mais intuitivo que já usei.

    Mas o nativo Reacomp é também ótimo e muito leve, usei bastante nesse preset 'Modern Vocal' com um Ratio baixo entre 2 e 3.5.

    Minha sugestão: No "inFX" um VU, para (te ajudar a) proteger o áudio da distorção do pré baixo custo da Behringer, como explica o Anhaia¹, e em seguida um compressor de leve. E, claro, subir o ganho da track, até ficar suficiente para a monitoração.

    thiago stteffen
    Veterano
    # 27/jul/20 09:55
    · votar


    Bom dia galera, tudo bem?

    Em primeiro lugar gostaria de agradecer pacas a cada um que contribuiu e ajudou.

    Sobre o Reverb, foi meio simples de resolver. Abaixei o buffer da interface de audio no Asio e já melhorou. Aí depois eu criei uma faixa extra, somente com o fx de reverb nativo do reaper e roteei a voz para esse canal. Ficou praticamente 0 de latência então não está me atrapalhando para cantar e não preciso mais cantar ouvindo a voz "seca".

    Sobre o ganho de entrada, eu experimentei baixar um pouco o ganho de entrada no knob da interface, a gravação ficou bem mais baixa, mas eu entendo que dá pra subir o nível dela através de plugins ou do próprio fader do Reaper.

    Eu li e reli as respostas que todos deram pra tentar me auxiliar, mas fiquei com duas duvidas sobre as sugestões:


    Eu assisto bastante os vídeos do Paulo Anhaia, aliás foi por causa dos vídeos dele que me mexi pra começar a usar meu mic pra cantar e aprender mais sobre o Home Studio, essencialmente sou um guitarrista e já consigo hoje em dia resultados melhores no home do que tinha antes de pesquisar um pouco. Mas sobre o V.U eu não entendo.

    Ok, eu baixei o Plugin mvmeter. Não entendo como utilizá-lo. Quando eu fiz a passagem de som pra ver a questão do volume, acabei baixando o ganho da interface de audio até entender que o VU não indicava CLIP. É essa a indicação que deram? Tipo, só aplico o VU pra checar se está clipando? Ou deveria configurar algo nele? vi vários vídeos sobre isso, mas nao entendi a aplicação do plugin em si, além de monitorar.

    Sobre colocar um compressor de leve de entrada, você diz aplicar o plugin na faixa que estou gravando e na hora da gravação em si já entrar o som gravado comprimido?

    Tentei aplicar sobre a faixa já gravada o compressor conforme o Ningen sugeriu, melhorou e panz, mas pela sugestão dada a ideia era aplicar o compressor antes de gravar e já gravar comprimido, ao invés de aplicar posteriormente o efeito. Certo?

    De novo agradeço pra caralho quem está auxiliando este noob aqui. Tenho muito que aprender ainda, mas com esses poucos toques que me deram já digo que melhorou muito a gravação. Como disse no forum de guitarra, falta muito ainda pra eu conseguir tirar o máximo que meu modesto home pode me oferecer em qualidade.

    Ningen
    Veterano
    # 27/jul/20 10:28 · Editado por: Ningen
    · votar


    thiago stteffen

    Você não viu o vídeo que mandei né?
    O VU marca médias, enquanto o medidor do Reaper marca picos, e o 0dB do VU equivale a -18dB da DAW. Ele só vai te servir para monitorar, e não tem que configurar nada, no caso do mvmeter.

    Significa, simplesmente, que com o VU você vai se orientar e gravar voz buscando uma média de -18 ao invés de simplesmente fugir do clip. E isso é bom para a sonoridade do pré da sua interface.

    Mas entendo a sua dificuldade. Esse tema novo do Reaper não ajuda. Ele só mostra o input Fx e o medidor de volume se você armar a track...

    Faça o teste, depois você tenta entender... Fica mais fácil assim...

    Veja aqui.

    thiago stteffen
    Veterano
    # 27/jul/20 11:27
    · votar


    Você não viu o vídeo

    Cara, ao contrário, assisti sim e não havia entendido.

    Sobre o Input FX, pqp obrigado, eu ia levar dias pra descobrir onde isso estava.

    Entendi as orientações, vou tentar novamente gravar e posto o resultado aqui mano

    shoyoninja
    Veterano
    # 27/jul/20 11:34 · Editado por: shoyoninja
    · votar


    O principal problema para cantar e gravar com interfaces alimentadas exclusivamente por USB é que a saída de fone de ouvido geralmente não tem muito volume/ganho.

    Se você coloca ganho no mic pra se ouvir, ocorre o clipping. Se você só abaixa o volume da música de fundo, fica tudo muito baixo e a voz no ambiente cobre o que você escutaria no fone mesmo com o volume no máximo que a interface disponibiliza.

    Colocaria um compressor no master do reaper e deixaria o volume da BT relativamente baixa para poder deixar o ganho do mic mais baixo.

    Mas a melhor solução é arrumar um amplificador de fones, assim você vai poder monitorar direito (subir o volume geral) sem precisar processar o sinal e sem avacalhar nos ganhos do mic.

    E sempre deixe uma boa margem no volume da mix que você vai usar para gravar, principalmente se você baixar os karaokes da vida por aí, vem tudo comprimido no talo, deixe o pico batendo no máximo em -6db (daí pra menos). Consiga o volume aplicando compressão geral ou, preferencialmente, no amplificador do fone/monitor.

    Senão você vai se matar e nunca vai conseguir se ouvir.

    Abraços!

    Ningen
    Veterano
    # 27/jul/20 14:38 · Editado por: Ningen
    · votar


    thiago stteffen

    O problema levantado pelo shoyoninja é realmente bem relevante. Eu costumava ter mais problemas com minha Steinberg Ci1 que com minha atual Presonus 44vsl. A última tem bem mais ganho nos fones.

    Eu resumiria a coisa toda da seguinte forma:

    1 - VU no inFX. Pois, o indicador de clip (led vermelho) na interface não é suficiente para se configurar um ganho legal. Dessa forma deixando a média em -18dB (VU < 0).
    2 - (Opcional) Compressor no inFX (depois do VU) baixo ratio (eu uso, 2.2 ~ 3.5, depende da aplicação) para o áudio já chegar mais pronto na pista. Nesse estágio eu evito comprimir muito também porque aqui não dá para desfazer.
    3 - Aplicar algum tipo de ganho depois da entrada do áudio na DAW, para que isso não deteriore/estrague o sinal gravado, nesse estágio, mesmo que estoure/distorça não vai influenciar a gravação em si. Você vai poder desfazer as alterações.
    Pode ser feito:
    - Simplesmente no ganho da faixa;
    - Aplicando um compressor, e/ou aplicando um limiter (compressor de ratio altíssimo) (no botão de FX normal).
    4 - Manter o restante do áudio (BT, instrumental e etc) relativamente baixo. Para que você não precise aumentar demais a voz.

    * Eu, por estudar canto, evito comprimir demais, pois isso acaba fazendo com que eu cante mal/pior, ignorando a dinâmica da minha própria voz. Mas não é regra. Faça o que for melhor para você.

    ** Esqueci de dizer, mas, como disse o Ismah, também achei 30cm longe. Um palmo basta (22.8cm dizendo o Google).

    thiago stteffen
    Veterano
    # 27/jul/20 23:53
    · votar


    Boa noite meus consagrados. Problema foi resolvido em sua totalidade.

    Os passos que eu fiz foram:

    -Incluir um compressor no input fx como sugerido, porém coloquei um ratio alto por conta do jeito que estava cantando, fiquei satisfeito;
    -O volume que estava na posição das 3 horas no pré agora está na posição de meio dia.
    -Posicionamento mais proximo entre o mic e a boca, medi um palmo entre o mic e o pop filter e cantei colado no pop filter;
    -Deixei o V.U para checar se ia clipar e não chegou nem perto, pude cantar com dinâmica.
    Gravei uma musica do sonata arctica, vou dar aquela embelezada nela e renderizar e postar aqui pra vcs verem a diferença de dinamica, ficou muito melhor.
    Agora posso focar mais na execução em si hehe.
    Muito obrigado galera, vcs foram 10.

    Ningen
    Veterano
    # 28/jul/20 05:47 · Editado por: Ningen
    · votar


    thiago stteffen

    Massa demais!

    Deixei o V.U para checar se ia clipar e não chegou nem perto.
    Lembrando que se usa o VU antes de tudo. O primeiro no inFX. Se colocar ele depois de um compressor, o VU perde totalmente o sentido. (Just in case)

    thiago stteffen
    Veterano
    # 29/jul/20 10:18
    · votar


    Lembrando que se usa o VU antes de tudo. O primeiro no inFX. Se colocar ele depois de um compressor, o VU perde totalmente o sentido. (Just in case)

    Bom dia man.

    Eu acho que fiz certo sim, tipo, me corrija se estiver errado:

    -No inFX os efeitos acontecem em cadeia, como se fosse uma cadeia de sinal de pedais de guitarra, certo? No caso de cima para baixo é a ordem que os efeitos dos plugins vão atuar, portanto VU primeiro e compressor depois.

    No fx em si, pós gravação, tanto faz a ordem, certo?

    Ningen
    Veterano
    # 29/jul/20 13:49
    · votar


    thiago stteffen

    Ambos acontecem em cadeia...

    Mic --> Pré --> inFX --> (Gravação do áudio na pista do Reaper) --> FX --> ...

    A questão é que as alterações feitas pelos plugins no inFX são irreversíveis. As do FX normal vc pode trocar depois e tal. Mas se o inFX estava em ordem então tá sussa.

    makumbator
    Veterano
    # 29/jul/20 14:22
    · votar


    shoyoninja
    Ningen

    Mas acho que em qualquer DAW há um controle de volume de saída diferente dos níveis de gravação, não é? Pelo menos no Cubase tem o que a Steinberg chama de control room (que nada mais é do que uma aba para controlar volumes de reprodução nas saídas, volume de metrônomo, etc...). Aumentar o volume ali não altera nada nos ganhos de gravação.

    Ningen
    Veterano
    # 29/jul/20 14:31 · Editado por: Ningen
    · votar


    makumbator

    É que vocalista é bicho doido. Adora um monitoramento ensurdecedor rsrsrs. Tem interfaces mais fraquinhas que não conseguem entregar aquele volume necessário para encobrir seus pensamentos e ansiedades. (¬‿¬)

    Edit: Para entregar, só comprimindo demais... só que se comprimir demais, mascara a voz e vc perde a referência.

    makumbator
    Veterano
    # 29/jul/20 14:33 · Editado por: makumbator
    · votar


    Ningen

    Então, mas aqui consigo colocar o volume alto pra cacete (de sangrar o ouvido do cara) no nível de software (sem levar em conta a interface) e posso estar gravando em um nível ridiculamente conservador (até incorretamente próximo do inaudível), pois são coisas independentes mesmo antes do hardware.

    Ningen
    Veterano
    # 29/jul/20 14:35
    · votar


    makumbator

    Tem que ver o equipamento.. que foi a questão levantada pelo shoyo. Na minha atual 44vsl não tenho problemas com isso pois o ganho dela é bem alto nos fones... Mas com minha antiga Ci1 já complicava um pouco.

    thiago stteffen
    Veterano
    # 29/jul/20 19:10
    · votar


    É que vocalista é bicho doido. Adora um monitoramento ensurdecedor rsrsrs. Tem interfaces mais fraquinhas que não conseguem entregar aquele volume necessário para encobrir seus pensamentos e ansiedades. (¬‿¬)

    Edit: Para entregar, só comprimindo demais... só que se comprimir demais, mascara a voz e vc perde a referência.



    pior que nao tava tendo problema com o retorno para referencia. Como não estou acostumado o retorno muito alto mais me atrapalha do que ajuda mano.

    Ningen
    Veterano
    # 30/jul/20 01:50
    · votar


    thiago stteffen

    Meu comentário não foi em relação à sua questão em específico. Foi mais no geral mesmo. Ao problema que o shoyoninja e eu tivemos.

    shoyoninja
    Veterano
    # 30/jul/20 12:21 · Editado por: shoyoninja
    · votar


    makumbator
    O problema é que chegando no máximo no software e no máximo na interface ainda fica baixo em algumas interfaces (geralmente as que não tem fonte de alimentação externa e têm que trabalhar com os 0.5A da USB 2.0).

    Vocal sem compressão precisa de muito headroom, a minha 2i2 é quase inútil sem colocar um compressor, e ainda assim eu sinto que podia ter mais volume... Limitação do formato, fazer o que...

    Já a UR44 da steinberg é bem melhor nesse ponto, tem bem mais ganho no fone, e ainda tem o DSP interno que dá para colocar um compressor legal só para monitorar, reverb, coisa linda :P.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Isso é uma caracteristica do Microfone ou falha de execução?