Finale 2014 e 2012 problemas de áudio

Autor Mensagem
Adler3x3
Veterano
# jun/14


Fiz o upgrade do Finale 2012 para o 2014, na esperança de que o softwares tivesse evoluído.
Mas para a minha decepção pudo constatar que o software involui, esta mais pesado, e a engine de áudio é muito ruim.
Pode até ter mais alguns recursos na parte de edição, mas não é nada funcional, e a parte de audio (mixer, seleção de instrumentos, efeitos, e parte de VSTs ridiculamente fraca).
Mesmo colocando um simples soundfount não toca direito , quando dou play toca um ou dois compassos e logo fica um som irritante de cordas, um stop o som continua, como se tivessem algumas cordas tocando o tempo todo, e fica impossível escutar qualquer coisa.
Como compor numa bosta desta?
Já tentei o suporte e não deu nada certo.
Pode ser algumas configuração do windows? pois na maioria dos outros softwares que uso e não sou poucos tudo funciona bem e com sobras.

Fica o alerta cuidado com o Finale 2014, melhor optar pelo Sibelius.
Fiz uma burrada, mas agora o jeito é juntar dinheiro para comprar o Sibelius.

Adler3x3
Veterano
# jun/14
· votar


up, socorro.

makumbator
Veterano
# jul/14 · Editado por: makumbator
· votar


Adler3x3

Primeiros passos:

1. Tem tanto tempo que não vejo o Finale que nem me lembro, mas você está usando o driver correto nas opções de som do programa?

2. Você fez updates da engine também (não sei como é no Finale, mas no Sibelius são itens separados a se atualizar).

3. Você tentou o suporte direto ou o fórum oficial? Ou ambos?

4. Você não possui outros samplers para testar no Finale? Eu uso vários no Sibelius além do Sibelius sounds (Vienna special edition, Alicia keys, GPO, Ivory II, etc...). Assim você poderia checar se o problema é no sampler nativo do Finale ou na relação do programa com samplers externos também.


Fiz uma burrada, mas agora o jeito é juntar dinheiro para comprar o Sibelius.

Compra um crossgrade direto do site da Avid. Com isso você vai pagar bem menos.

P.S. Mas ainda não dá para usar a versão 7.5 em português do Brasil também sem se irritar, por causa de um bugzinho que identifiquei e confirmei com os programadores (sobre a "geografia" do painel da timeline e do transporte na tela). É algo pequeno mas que me irrita.

Atualmente uso o 7.5 em inglês e estou aguardando corrigirem esse bug para enfim poder usufruir da versão em português do Brasil (que fora esse probleminha ficou ótimo). O próprio chefe de produto do Sibelius garantiu que o problema será sanado no 7.5.1

Jabijirous
Veterano
# jul/14
· votar


Adler3x3

Meu amigo, calma! Sou usuário finale desde a sua versão 2004. Ele sempre dá umas engasgadas e na versão 2014 parece que não mudaram. O finale é pesado mesmo, bastante processador quando tem muito instrumento.

Ao dar o play, abra a janela gerenciador de tarefas do windows e veja quanto de memória e quanto de processador está sendo usado e depois faça uma comparação com o finale 2012 (aqui eu tive o mesmo desempenho).

Você tá usando o ARIA? Eu nunca tive problema com ele, é melhor que o soundfont vagaba que vem com o finale hehehehe

Você pode usar o kontakt dentro dele, aliás, qualquer plug-in vst. Eu não aconselho, mas é um recurso.

Adler3x3
Veterano
# jul/14 · Editado por: Adler3x3
· votar


O problema é que quando começa a soar o segundo instrumento de cordas, as notas ficam sustentadas e não param de soar.
Parece aquele antigo problema de midi, dos computadores e softwares mais primitivos.
Coloco por exemplo o Canon in D do Pachelbel, o baixo vai tocando e quando o primeiro violino entra fica o som sendo gerado a partir deste compasso, e mesmo dando stop o som não para de tocar.
Antigamente para estes casos os softwares tinha um recurso que se chamava "panic", um botão que parava tudo.
Não tá aguentando nem dois instrumentos simultâneos, e com os sons de baixa qualidade, de pequeno tamanho.
Tem algum problema de configuração de midi, sei lá outras portas, que tá afetando o desempenho.
Tenho tudo atualizado, para acontecer isto nos outros programas tenho que ter mais de 30 tracks soando ao mesmo tempo, mas mesmo assim basta dar um stop que tudo volta ao normal.
Dá problemas com o Aria e com o Kontakt também.
O Consumo de memória pelo que pude perceber é baixo fica em 2%.
É bug mesmo, a engine de áudio do Finale é horrorosa.
Bem já mandei vários e-mails para o suporte, tanto do Brasil, como do exterior, vamos ver o que acontece.
E acho que logo logo, vão lançar um outro remendo na versão, pois pude verificar na net , muitas reclamações de playback.
Nem consegui experimentar muita coisa, pois a partir do segundo compasso, ou de mais de um instrumentos fica horrível, e com um som tão irritante que te tira do sério e dá vontade de quebrar tudo.
Eu gosto de ir fazendo a música e ao mesmo tempo ouvindo, mesmo que os samplers não sejam lá grande coisa.

Jabijirous
Veterano
# jul/14
· votar


Adler3x3

Eu tinha esse problema com a minha antiga 2496 quando não podia usar o asio. Qual tua interface?

Adler3x3
Veterano
# jul/14
· votar


Roland USB AU-1ex, bem estável.
Trabalha com várias resoluções de áudio até 96 kHz.
Normalmente uso 48 kHz e 24 bits.
Mas para usar no Finale baixei para 44 e 16.
E a placa interna Via high def. que roda com todos os softwares que tenho, o único problema é a latência quando uso um teclado controlador.

Mas vou para de perde tempo com o Finale, não adianta , tenho que aguardar, uma solução e o mais certo é partir para outro software e abandonar o Finale, que é um programa que parou no tempo.
Uso o Finale mais para fazer certas edições/humanizações e uso também o Scan dele para montar partituras, mas para trabalhar com som real não dá o software não aguenta.
Antes de comprar ou de fazer um upgrade eu sempre faço um teste e faço download da versão demo, desta vez não fiz e me dei mal.

Adler3x3
Veterano
# jul/14 · Editado por: Adler3x3
· votar


oops posto duplo

Jabijirous
Veterano
# jul/14
· votar


Adler3x3
Uso o Finale mais para fazer certas edições/humanizações e uso também o Scan dele para montar partituras, mas para trabalhar com som real não dá o software não aguenta.

Cara, eu sempre digo para os meus alunos que o finale é só um editor de partituras, não dá pra editar midi ali, dá um trabalho do cão.
Isso me lembrou uma aula que a galera queria usar o kontakt/LASS dentro do finale, eu disse que não aconselho por motivos de saber programar o finale, só heavy users sabem trabalhar com esses parâmetros. Enfim, mostrei como se faz e geral boiou. É muito mais simples trabalhar na DAW.

O que você pode fazer é usar o sibelius em Rewire com a DAW.

Geralmente eu salvo em PDF. Como tenho dois monitores, um fica com a partitura e outro fica com a DAW.

makumbator
Veterano
# jul/14 · Editado por: makumbator
· votar


Jabijirous
Cara, eu sempre digo para os meus alunos que o finale é só um editor de partituras, não dá pra editar midi ali, dá um trabalho do cão.

Eu concordo. Apesar que eu uso a humanização do Sibelius como uma "primeira camada". Depois que exporto para o Cubase aí sim faço a edição midi mais profunda. Mas as variações de velocity do Sibelius já são um bom ponto de partida (pois ele leva em conta parâmetros de frase musical e não apenas da dinâmica do momento).

Isso me lembrou uma aula que a galera queria usar o kontakt/LASS dentro do finale, eu disse que não aconselho por motivos de saber programar o finale, só heavy users sabem trabalhar com esses parâmetros. Enfim, mostrei como se faz e geral boiou. É muito mais simples trabalhar na DAW.

Ué, mas o Finale não tem o equivalente aos soundsets do Sibelius? Eu uso samplers externos facilmente sem trabalho algum (já fizeram esse trabalho por mim ao criarem o soundset).

Por exemplo, a Vienna disponibiliza soundsets do special edition para Sibelius, então tudo o que eu escrevo o VSTi faz conforme tem que ser (se eu faço um pizz na partitura o VSTi toca, se faço glissando, tremolo, surdina, harmônico, acentos, sforzando, sppicatto, se peço sem vibrato, etc..). Não precisei programar nada, é só ativar o soundset e pronto!

O GPO 4 também é totalmente integrado ao Sibelius (inclusive nesse caso o soundset dele já vem no Sibelius, é só ativar e usar).

Adler3x3
Veterano
# jul/14 · Editado por: Adler3x3
· votar


Pois é eu uso o finale para conseguir algo diferente no processo de humanização/articulações.
Mas se não dá para escutar nada, fica complicado.
Este é um bug que esta atrapalhando muita gente, se continuar assim o Finale vai perder muitos usuários.
Neste ponto o Notion trabalha bem melhor, e o demo que experimentei do Sibelius também.
O finale tem muitos recursos para partitura, mas esta desequilibrado na parte do áudio., e estamos em 2014 e não nos anos 90.
O mixer é muito fraco a parte de suporte a VST nem se fala.
E a parte de midi de aplicar um plugin de humanização conforme o estilo também esta dando problemas.
(acho que é nestes efeitos midi, que o finale deve estar usando midi num segundo plano, que deixa lenta a reprodução das notas midi normais)
Já desisti de encontrar uma solução, vou encarar o Finale como um editor de partituras sem som (importar e exportar arquivos), até que surja uma atualização que resolva o problema, vou tentar instalar no notebook, mas duvido que vá funcionar.

makumbator
Veterano
# jul/14 · Editado por: makumbator
· votar


Adler3x3

Eu nunca gostei do Finale (sempre achei que ele dificulta o máximo possível para o usuário, quase como se os programadores tivessem se esforçado para fazer o oposto do intuitivo). Mas tem uns 5 ou 6 anos que não uso esse programa, então esperava que houvesse uma melhoraria nessa parte.

Da última vez que abri um Finale (e era a versão atual da época) me pareceu um programa obsoleto perto do Sibelius da época. Mas muito dessa impressão é advinda do gosto pessoal também.

O Notion é o mais avançado nessa parte de midi (também já usei demo dele), até pelo fato de ser um programa mais recente (então não é aquela coisa de código velho cheio de remendos). Mas mesmo assim nem se compara com as possibilidades de edição midi de uma DAW.

No fim das contas não comprei o Notion porque espero o programa da Steinberg, que deve sair lá pelo fim de 2015.

Adler3x3
Veterano
# jul/14 · Editado por: Adler3x3
· votar


Makumbator
Também vou esperar esta novidade da Steinberg.
E estou otimista com relação a este novo software, que acredito vai saber compatibilizar os recursos de edição de partituras com os recursos de áudio.
Midi são instruções básicas, notação por partitura tem caracteres especiais, e os códigos tem que ser bem escritos para o programa interpretar corretamente as articulações, aqui que o Finale se perdeu.
O Finale ainda esta vivendo da fama adquirida no passado.
E o Aria Player e os soundfonts que vem no Finale são de baixa qualidade, é só para ouvir o básico mesmo, mas nem isto funciona direito.
E o Aria Player tem a tendência de ficar soando demais em algumas articulações principalmente as strings.
Como o Jabijirous já comentou num outro post, "nunca escutei um som do Garritan soar bem", e é a pura verdade.
Comprei um versão com os sons de órgãos de Igreja é não consigo gravar um som decente. (fica sempre meio arranhado)

makumbator
Veterano
# jul/14 · Editado por: makumbator
· votar


Adler3x3
"nunca escutei um som do Garritan soar bem", e é a pura verdade.
Comprei um versão com os sons de órgãos de Igreja é não consigo gravar um som decente. (fica sempre meio arranhado)


Eu já me convenci que orquestra no viés clássico é só Vienna mesmo. É muito superior aos demais (e o loop deles de nota é de longe o melhor do mercado).

Essa semana eu finalmente tomei coragem e comprei o vienna mir pro 24 + as salas de concerto em uma rara promoção(aquele reverb, lembra?). Só posso dizer que é cabuloso (principalmente usando com samplers da Vienna). Dá um realismo assustador e com uma simplicidade franciscana para o usuário (tem muito parâmetro para alterar se quiser, mas o reverb já "sabe" o que é o mais real e que funciona melhor em um contexto tradicional).

Agora o lance é juntar dinheiro para o pacote de estudios e o de igrejas.

estou gravando uns lances e usando o software antes de fazer um tópico sobre ele (não gosto de sair colocando as impressões iniciais).

Adler3x3
Veterano
# jul/14
· votar


Makumbator

Tem um outro software que acho que concorre com o Viena.
Nunca experimentei, mas fiz um download de um genérico para testar.
Mas não consegui instalar por falta de espaço no hd, são arquivos monstruosos.
Tenho que primeiro ter um outro hd, já tenho dois de um tera, mais vou ter que adquirir um externo para poder intercambiar.

http://www.orchestraltools.com/

makumbator
Veterano
# jul/14
· votar


Adler3x3

Ah sim, conheço de nome (a série Berlin). O problema para mim seria a necessidade de ter o Kontakt full para rodar (que além de caro, sempre achei pesado). Só tenho o player mesmo.

Adler3x3
Veterano
# jul/14 · Editado por: Adler3x3
· votar


O maior problema dos produtos da Native Instruments que tem arquivos grandes, é que só entregam em DVD, e aí o governo brasileiro faz a festa e bem dizer cobra quase 100% de imposto.
Mas vale a pena ter o Kontakt completo pois abre inúmeras outras possibilidades, mas com o imposto fica caro demais.
Quanto a ser pesado nem tanto, e o Kontakt tem de tudo tem até um convolution reverb muito bom.
Mas com estes impostos aleijar financeiramente qualquer um vou pensar 10 vezes quando tiver que fazer um upgrade.
Eu só imagino o som destes softwares do viena, e vou fazer como você recomendou, começando pelas versão especial mais simples, e ir aos poucos crescendo.

makumbator
Veterano
# jul/14
· votar


Adler3x3
Mas vale a pena ter o Kontakt completo pois abre inúmeras outras possibilidades, mas com o imposto fica caro demais.

O lance é que eu não faço uso de nenhum recurso de edição de sampleamento, que seria a razão para eu ter o Kontakt full. Como esse recurso não me interessa acho chato ter que comprar só para usar uma biblioteca que rodaria bem no player (mas que é barrada unicamente por decisão do fabricante, e não uma razão técnica).

Por exemplo, eu tenho o Halion Sonic (que é um Kontakt player melhorado do ponto de vista da leveza e GUI), mas não me interesso em fazer upgrade para o Halion (que é o full), pois o recurso extra de edição não me apetece.

Quanto a ser pesado nem tanto, e o Kontakt tem de tudo tem até um convolution reverb muito bom.

Ah, não sei. Ele sempre me parece mais pesado que softwares semelhantes (Halion Sonic, Vienna Instruments, UVI, etc...). O Vienna instruments e o Vienna ensemble por exemplo são super leves e com uma GUI realmente inteligente (acho a GUI do Kontakt confusa e menos intuitiva que a concorrência).

Mas com estes impostos aleijar financeiramente qualquer um vou pensar 10 vezes quando tiver que fazer um upgrade.

Isso é foda mesmo! Mas nem podemos culpar a Native...hashsah! A culpa é do nosso país mesmo! Hehehe!

Die Kunst der Fuge
Veterano
# jul/14
· votar


makumbator
estou gravando uns lances e usando o software antes de fazer um tópico sobre ele (não gosto de sair colocando as impressões iniciais).

Aguardando ansiosamente!! \o/

Jabijirous
Veterano
# jul/14
· votar


O Finale vem com o ARIA que é do garritan, uma espécie de GPO com outra interface.

Nunca tive problemas sérios com o finale. Quando tive, foi problema de interface ou do próprio pc. O finale sempre rodou bonito aqui. Faço tudo, desde o tradicional ao contemporâneo.

Pena não funcionar direito com você,Adler3x3

Adler3x3
Veterano
# jul/14
· votar


O curioso é que dá para usar o Aria do Finale em outras Daws, sem nenhum problema.
Mas uma hora a coisa se resolve.,


O sampler tank tá saindo agora em julho a versão 3 que contém mais melhorias, já fiz o upgrade só estou esperando a data oficial de lançamento.

Adler3x3
Veterano
# jul/14
· votar


O curioso é que dá para usar o Aria do Finale em outras Daws, sem nenhum problema.
Mas uma hora a coisa se resolve.,


O sampler tank tá saindo agora em julho a versão 3 que contém mais melhorias, já fiz o upgrade só estou esperando a data oficial de lançamento.

http://www.ikmultimedia.com/products/sampletank3/

makumbator
Veterano
# jul/14
· votar


Jabijirous
O Finale vem com o ARIA que é do garritan, uma espécie de GPO com outra interface.

É, o GPO 4 também usa a mesma interface ARIA já algum tempo. É um player leve e eficiente (e aceita sistemas de afinação diferentes, o que é bem legal)

Adler3x3

Vi uns vídeos promocionais do Sampletank 3. Vamos ver depois de sair o que os usuários dirão.

Adler3x3
Veterano
# jul/14
· votar


Descobri a origem do problema.
Eu tinha instalado um VST de guitarra da Music Lab, não sei como mas afetava o desempenho do Finale.
Mas não estava na pasta de VSTs pra o Finale abrir.

Jabijirous
Veterano
# jul/14
· votar


Adler3x3

Tá rolando bonito?

Adler3x3
Veterano
# jul/14
· votar


Bem não tive tempo de me aprofundar.
Mas toda a música que abro toca sem problemas.
A solução foi inesperada.
Dei uma revisada geral nos drives de midi, a lá tinha um drive da Music Labs. como era de uma versão demo, que já tinha expirado, desinstalei.
E logo em seguida abri o Finale e funcionou.

makumbator
Veterano
# jul/14
· votar


Adler3x3

Ah...agora faça uma sessão de auto chibata como punição por ter duvidado do Finale! Hsahhas!

Adler3x3
Veterano
# jul/14 · Editado por: Adler3x3
· votar


Bem descobri o bug e comuniquei o suporte oficial.
Mas se você escuta-se o som irritante que saia antes.

Este é o segundo caso inusitado, outro caso foi do Real Player, cuja configuração afeta outros softwares no windows.

rsss

Jabijirous
Veterano
# jul/14
· votar


Adler3x3

Antigamente, com a 2496, eu não podia dividir o ASIO. Se o finale estivesse aberto, o media player não podia estar aberto e nem outra fonte de áudio como o you tube.

Adler3x3
Veterano
# jul/14
· votar


Jabijirous
Hoje em dia dá para abrir vários aplicativos com o mesmo áudio.
Mas as vezes algum software não aceitam, mas conforme a sequência que se abre os aplicativos todos podem funcionar ao mesmo tempo, mas tem as exceções e assim conflitos podem aparecer.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Finale 2014 e 2012 problemas de áudio