estou tendo problemas,mas a experiencia é interessante

Autor Mensagem
rhoadsvsvai
Veterano
# jan/14


tou querendo fazer uma bateria soar em unisom, todas as peças tocando a mesma nota .

alterar a afinação é muito facil , basta usar um pitch shifter.

O PROBLEMA , é que eu preciso saber em que nota cada peça se encaixa para saber quantos semitons devo alterar no pitch . minha primeira escolha foi o afinador do amplitube , mas ele não consegue ler as notas da bateria ,dai eu tentei o autotune e mais um monte de programas e não consigo uma leitura correta de cada canal da bateria.

como eu faço?

Lelo Mig
Membro
# jan/14
· votar


rhoadsvsvai

Cara, você sabe, que os instrumentos de percussão, na maioria das vezes, são classificados por "definição de som", altura definida ou indefinida, ou seja:

Xilofones, marimbas, tubular bells e etc, têm altura definida, emitem notas afinadas, obedecem à série harmônica, estão dentro de uma sequência da escala musical.

Os de altura indefinida (caso das peças básicas da bateria) não possuem notas afinadas, não emitem notas precisas, não estão dentro da escala.

Então, a afinação se faz por aproximação e é meio intuitiva e subjetiva.......e para isso o único aparelho eficaz é o OUVIDO!

Paciência e boa sorte........

(visite minha JAM)

makumbator
Veterano
# jan/14
· votar


rhoadsvsvai

Se você quiser, existem afinadores de bateria que fazem a leitura da pressão da pele. Nesses casos você consegue manter um padrão ao longo do tempo (controlando a pressão).

http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-537455372-afinador-tama-para-ba teria-tw100-novo-_JM

Mas no geral é o que o Lelo falou, existem tambores de afinação definida (como os tímpanos), mas bateria de pop/pock/jazz é indefinido mesmo.

rhoadsvsvai
Veterano
# jan/14
· votar


Lelo Mig
makumbator
saquei , mas tive uma ideia aqui , e se com um equalizador eu reforçar a frequencia das notas que eu quero e diminuir as demais oque vai acontecer?

makumbator
o afinador fisico não serviria , pq eu ja queria fazer ela leitura dentro da daw ,uma vez que principalmente bumbo e caixa eu uso o som de vst.

makumbator
Veterano
# jan/14 · Editado por: makumbator
· votar


rhoadsvsvai


o afinador fisico não serviria , pq eu ja queria fazer ela leitura dentro da daw ,uma vez que principalmente bumbo e caixa eu uso o som de vst

Ah, pensei que você falava de bateria real...hehehe!

saquei , mas tive uma ideia aqui , e se com um equalizador eu reforçar a frequencia das notas que eu quero e diminuir as demais oque vai acontecer?

Em termos de mudar a afinação não vai funcionar. Mas a maioria dos samplers tem controle de afinação dos tambores. É melhor usar essa função que tentar usar o EQ para isso.

Ou o que você quer é na verdade esculpir o som do tambor sem mudar a afinação? Se for isso aí o EQ é indicado.

Slash_1989
Veterano
# jan/14
· votar


Só por curiosidade, pra que vc quer a bateria em unissono?

rhoadsvsvai
Veterano
# jan/14
· votar


Slash_1989
eu quero ver oque acontece , dentro do contexto de uma musica , se tudo inclusive a bateria soar harmonicamente.

Alfa polar
Veterano
# jan/14
· votar


A experiência é interessante, mas não seria legal vc tentar por cada peça da batera numa nota, formando algumas fundamentais da sua música? E é legal o batera ter consciência disso e tocar com essa intenção tbm.


O que TALVEZ possa ajudar é vc por um analisador de espectro na batera, ver em qual frequencia aquela peça está soando mais, que seria o ponto de ressonância dela, ou o primeiro harmônico, aí vc vê uma tabela com as frequencias de todas as notas e descobre em que tom sua pele está soando.
Isso teoricamente é pra funcionar, teoricamente pq talvez a leitura do seu analisador possa não ser tão evidente, deixando vc confuso

Greenwood
Veterano
# jul/14
· votar


Galera,
Muito se falou aqui sobre afinação de bateria, mas a de verdade.
Vou falar aqui de bateria eletrônica, das que se usa em DAW (digital áudio Workstation), ou música feita pelo computador, com sequenciador. Bateria que soa como bateria de verdade, de rock, tocada como gente de verdade. Nada de música eletrônica.
Uso Sonar X3, com Session Drummer 3. Acho fantásticos e realistas os timbres de bateria. Amo os samples das Sonor.
Só que estamos com um dilema: afinação. A bateria tocada sozinha, sequenciada, mas sem a banda (que tem gente de verdade e não só sequenciador) soa muito bem. Contudo, quando junta a banda, notamos que os tomtoms e o surdo não casam 100% com a harmonia da música.
Então, eu gostaria de saber o que significam algumas informações contidas nos samples:
Por exemplo:
Quando busco um sample pra colocar no 1º tomtom, vou na biblioteca, procuro na pasta “Hi Tom” as amostras da Sonor e encontro algo do tipo:
_JBSONR_F1_16.FLAC
ou
_JBSONR_F1_112.FLAC

Finalmente, minhas dúvidas são:

1. As notas “F1” referem-se à tecla Fá do teclado, onde estaria o 1º tomtom, ou realmente à nota Fá que este tomtom está emitindo?

2. O que significam os números que vão de 16 a 112?

makumbator
Veterano
# jul/14
· votar


Greenwood


1. As notas “F1” referem-se à tecla Fá do teclado, onde estaria o 1º tomtom, ou realmente à nota Fá que este tomtom está emitindo?

Provavelmente à nota que aciona o tambor. Basta tocar a mesma e checar se é isso mesmo, ou consultar o mapa de bateria que estiver em uso

2. O que significam os números que vão de 16 a 112?

provavelmente são valores de velocity. Cada um com uma velocity específica.

Só que estamos com um dilema: afinação. A bateria tocada sozinha, sequenciada, mas sem a banda (que tem gente de verdade e não só sequenciador) soa muito bem. Contudo, quando junta a banda, notamos que os tomtoms e o surdo não casam 100% com a harmonia da música.

Ué, esse VSTi não tem controle de afinação das peças? A maioria deles tem.

Lelo Mig
Membro
# jul/14 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Greenwood

Cara, basicamente é o que o makumbator escreveu. "...a nota que aciona o tambor"

Você, vai ouvir falar muitas vezes no meio musical em coisas como: Bateria afinada em Fá ou em Dó e etc. Contudo isso é um "referencial". Num tambor de altura indefinida, não existe a emissão de uma nota exata.

O mesmo referencial é usado no teclado. O F1, por exemplo pode referir-se ao Fá do teclado e/ou ao 1o tom tom, o que não significa que o tom tom esta em Fá, entendeu?

Quanto aos arquivos FLAC, confesso que nunca parei para pensar nos números, mas, pensando agora após sua pergunta, arrisco dizer (e aviso que é chute) que têm mais a ver com a taxa de compressão dos mesmos (já que FLAC é uma compressão de áudio sem perdas, uma espécie de ZIP prá audio), do que algo a ver com música em si. Arrisco dizer que tem a ver com a taxa de compressão do arquivo.

Greenwood
Veterano
# jul/14
· votar


makumbator
Provavelmente à nota que aciona o tambor. Basta tocar a mesma e checar se é isso mesmo, ou consultar o mapa de bateria que estiver em uso


Eu já chequei que há esta coincidência. Mas preciso saber se é só coincidência ou se F é a nota Fá mesmo.

provavelmente são valores de velocity

Com certeza não é isto. Uma parte qualquer de bateria com um velocity de 16, por exemplo é quase inaudível. Digo isto porque uso constantemente variações no velocity para dar dinâmica à musica sequenciada.

Ué, esse VSTi não tem controle de afinação das peças? A maioria deles tem.

Tem sim o comando pitch. Mas como eu vou de semitom em semitom se eu não sei qual a nota do tomtom?

makumbator
Veterano
# jul/14
· votar


Greenwood

Eu já chequei que há esta coincidência.

Então é isso.

Mas preciso saber se é só coincidência ou se F é a nota Fá mesmo.

Tambores de bateria não são afinados como um tímpano (que possui nota definida e pode ser afinado com um simples afinador eletrônico).

Com certeza não é isto. Uma parte qualquer de bateria com um velocity de 16, por exemplo é quase inaudível.
Procure por essa informação no manual do sampler (ou em fóruns do fabricante, caso exista).


Tem sim o comando pitch.

Não me refiro a transposição de semitons, e sim afinação por cents (a centésima parte do semitom). Nesse caso há muito maior precisão.

Adler3x3
Veterano
# jul/14
· votar


rhoadsvsvai

Bem eu fiz uma experiência por aqui.
Usei o Magix Music Maker, que tem um recurso chamado Harmony Agent.
Pequei um Loop de bateria e o programa detectou que estava afinado em C.
Alterei alguns compassos para E, aparentemente funcionou.
Mas não sei se a indicação primária da detecção em C tem precisão, pois tratava-se de um Loop.
O harmony agent funciona bem para detectar acordes de violões de guitarras, etc, mas nestes casos o instrumento gravado esta afinado corretamente.
E bateria comum a princípio não tem afinação.
A bateria que você esta usando é real ou é virtual (VSTI), se form virtual talvez no próprio programa dê para fazer isto.

Greenwood
Veterano
# jul/14 · Editado por: Greenwood
· votar


makumbator
Tambores de bateria não são afinados como um tímpano (que possui nota definida e pode ser afinado com um simples afinador eletrônico).
Adler3x3
E bateria comum a princípio não tem afinação.

Vou discordar de vocês 2. Tenho 3 ou 4 livros/apostilas aqui adquiridos ou baixados de sites americanos ensinando como afinar uma bateria. Tanto a batedeira como a pele de resposta. E eles falam em notas, tais como Lá, Ré, Fá e/ou Dó sustenido. Há inclusive um intervalo ideal entre cada tambor. Eles falam em 3 a 5 semitons.

Então, vou repetir minhas dúvidas:

1. As notas “F1” referem-se à tecla Fá do teclado, onde estaria o 1º tomtom, ou realmente à nota Fá que este tomtom está emitindo?

2. O que significam os números que vão de 16 a 112?

Agradeço a quem puder me responder.

Lelo Mig
Membro
# jul/14
· votar


Greenwood

Continuo com a mesma resposta que já dei acima:

1- A afinação "por notas" em instrumentos de altura indefinida é apenas referencial.
2- "Acho" que os números em arquivos FLAC têm a ver com a taxa de compressão dos mesmos e não com música.

shoyoninja
Veterano
# jul/14
· votar


1 . O F1 significa a nota em que ele está mapeado.
2 . O número é a velocity.

Adler3x3
Veterano
# jul/14
· votar


Greenwood

Tinha um amigo meu músico já falecido, que era detalhista ao extremo.
Ele sempre me dizia que dava para afinar a bateria.
Que conforme a forma do músico bater em certas regiões tocava notas diferentes.
Não sou baterista e assim não sei afinar bateria real.
Mas parece que a bateria é virtual, e deve ter um jeito de fazer isto.

Greenwood
Veterano
# jul/14
· votar


shoyoninja
1 . O F1 significa a nota em que ele está mapeado.
2 . O número é a velocity.


Agradeço. Contudo, gostaria de saber como descobrir a nota que a peça da bateria está emitindo.

Agradeço a colaboração de todos.

Lelo Mig
Membro
# jul/14
· votar


Greenwood

"Contudo, gostaria de saber como descobrir a nota que a peça da bateria está emitindo..."

Cara, vou tentar explicar detalhadamente. Instrumentos de altura indefinida (como todos os tambores de uma bateria) NÃO emitem notas musicais!

O que existe, é uma convenção, uma referência, uma correspondência, chamado por muitos bateristas de "Nota Doce"!

Basicamente, um tambor (algumas baterias vêm até escrito no casco interno), possuem uma referência de nota, em que ele soa melhor, conhecido como "Nota Doce" ou "Padrão Sonoro".

Neste caso, um tambor marcado com Sol, esta seria a nota referencial, padrão a nota doce.

Contudo, neste exemplo, se o batera afinar em Sol e bater no tambor, junto com o baixo ou guitarra tocando um Fá#, não irá destoar, como acontece em instrumentos de altura definida, porque não é uma nota real.

Alguns bateristas afinam pela nota doce, muitos não. Alguns, baseados em instrumentos de altura definida, afinam em intervalos de terça ou quarta.

Mas não existe regra, é de gosto pessoal. Justamente porque NÂO EMITEM NOTAS!

Greenwood
Veterano
# jul/14
· votar


Lelo Mig
Cara, vou tentar explicar detalhadamente. Instrumentos de altura indefinida (como todos os tambores de uma bateria) NÃO emitem notas musicais!

Meu amigo, eu agradeço você insistir em me explicar. Eu entendi perfeitamente a sua opinião.

Contudo, tenho estudado bastante o assunto e discordo da sua opinião.

Se alguém que concorde que os instrumentos de bateria, como qualquer outro corpo presente no planeta Terra sob a gravidade de 9,81 m/s², emitem notas musicais quiser me ajudar a descobrir o valor destas notas dos samples de um VST, eu agradeceria. Lembrando: uso o Session Drummer 3.

Por favor não insistam em dizer que um tambor não emite uma nota musical, pois isto não me ajuda.

Agradeço.

shoyoninja
Veterano
# jul/14
· votar


Bom, a melhor resposta é: De ouvido.

https://www.youtube.com/watch?v=e883saA8zUA


E a nota de uma peça como um tom, vai variar dependendo do tempo. No ataque vai ser mais agudo, durante o decay, o pitch vai cair porque a tensão da pele no ataque é maior. Então se você quer receita de bolo, sinto muito mas não tem.

A propósito, o F1 pode se referir a sequência de toms, tom A, tom B, tom C, tom D. o 1 pode ser o número do sample, a maioria dos samplers de bateria usa múltiplos samples para uma determinada velocidade, para dar variedade e realismo.

Lelo Mig
Membro
# jul/14
· votar


Greenwood

Ok, cara, desisto e respeito sua posição.

Só preciso frisar, antes de encerrar assunto, que a definição de Instrumentos musicais de altura indeterminada, não é minha opinião.

É a classificação Hornbostel–Sachs de Instrumentos Musicais.

Como você ressalta ter estudado muito sobre o assunto, deve conhecer a classificação, e saber, que um Session Drummer nada mais é do que a simulação virtual de baterias reais, instrumento este, segundo, Curt Sachs e Erich Von Hornbostel de altura indefinida.

Abraço!

Homem Cueca
Veterano
# jul/14
· votar


Lelo Mig
Cara, vou tentar explicar detalhadamente. Instrumentos de altura indefinida (como todos os tambores de uma bateria) NÃO emitem notas musicais!

O que existe, é uma convenção, uma referência, uma correspondência, chamado por muitos bateristas de "Nota Doce"!

Basicamente, um tambor (algumas baterias vêm até escrito no casco interno), possuem uma referência de nota, em que ele soa melhor, conhecido como "Nota Doce" ou "Padrão Sonoro".

Neste caso, um tambor marcado com Sol, esta seria a nota referencial, padrão a nota doce.

Contudo, neste exemplo, se o batera afinar em Sol e bater no tambor, junto com o baixo ou guitarra tocando um Fá#, não irá destoar, como acontece em instrumentos de altura definida, porque não é uma nota real.

Alguns bateristas afinam pela nota doce, muitos não. Alguns, baseados em instrumentos de altura definida, afinam em intervalos de terça ou quarta.

Mas não existe regra, é de gosto pessoal. Justamente porque NÂO EMITEM NOTAS!


Não se embola com outros instrumentos por uma série de fatores, mas principalmente por conta de altura, sustentação, ataque e timbre. Mas as notas estão lá, muito bem definidas.

Se você for pensar desse jeito, parece que percussão em geral não faz parte da música e não é por aí.

Lelo Mig
Membro
# jul/14 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Caras, desculpem, com todo respeito, mas não pensei que iria ter de discutir conceitos elementares de música, num fórum como FCC.

O som é o resultado das vibrações das coisas. Tudo o que existe na natureza pode vibrar. Essas vibrações se propagam pelo ar ou por qualquer outro meio de condução, chegam aos nossos ouvidos e são transmitidas ao cérebro para que possam ser identificadas.

A vibração regular desses objetos produz sons com altura definida, que percebemos como uma “nota musical”. Esses sons são chamados de sons musicais. Por exemplo, os sons produzidos por uma flauta doce.

Já a vibração irregular produz sons sem altura definida, em que você não consegue distinguir uma “nota musical” específica. Alguns desses sons são popularmente chamados de “barulhos” ou “ruídos”. Por exemplo: o som de um avião ou de um liquidificador. Muitos instrumentos de percussão, como tambores, também não possuem altura definida.

Isso ocorre porque, numa Tuba, por exemplo, a nota é composta de um certo número de ondas sonoras, cada qual com um comprimento de onda específico, ao passo que a pele em vibração de um bumbo e o seu interior cavernoso produzem um enxame desorganizado de ondas.


Referência: Qualquer apostila de Som e Música para crianças.

Greenwood
Veterano
# jul/14
· votar


Lelo Mig

Você prometeu que ia encerrar o assunto! ;-)

Sério, cara, eu estou gostando muito da discussão, não imaginava que ia tomar o rumo "basico"... "conceitual", mas é fundamental.

Nossas opiniões tem pontos convergentes e alguns divergentes.

Quero agradecer por você contribuir. E fique à vontade para continuar.

Vamos buscar um ponto convergente.

Lembra de alguma vez que vc estava tocando com a galera e o som da bateria tava uma porcaria? O que vc fez? O que faria hoje? Imagine que os seus recursos fossem ilimitados.

Adler3x3
Veterano
# jul/14 · Editado por: Adler3x3
· votar


Calma pessoal.

Esta questão de softwares é complicada mesmo.
Não deixem isto causar desarmonia.

Greenwood
Os softwares de bateria seguem um padrão que já vem da fábrica.
A princípio não deveria ocorrer o problema que você esta observando ao escutar.
Tá certo a bateria é virtual , e junto com instrumentos reais as vezes não dá conta do recado, por melhor que se configure.
Considere que pode ser outro problema, pode ser que o sequenciamento da bateria não esteja tão bom assim, pode ter algum erro, ou numa pequena parte falta trabalhar melhor os efeitos.
Experimente outro software de bateria.
Como pode ser um outro problema ainda não identificado.
Outro dia desci a lenha no Finale editor de partituras que não reproduzia bem o áudio, e estava difícil descobrir o problemas, e a solução veio depois , quando quase que acidentalmente desinstalei um outro VST que criava um problema e interferia no Finale.
O Makumbator tá de prova do equívoco que cometi.
E assim no mundo virtual dos Vstis podem acontecer coisas inesperadas, com soluções difíceis de descobrir.

Quanto a afinação da bateria, eu acho que dá para afinar.
Mas não é um trabalho que faça todo dia, e cada fabricante de bateria deve seguir um certo padrão, os pratos por exemplo, já devem vir afinados de fábrica, já os tambores depende da tensão.
O som das notas mais graves, quando transformado em wave ou outro formato são menores que as mais agudas, isto é o tamanho da amostra dos sons graves é menor.
E é muito difícil para os ouvidos normais dizer que tal bateria tá afinada ou não, só um bom baterista de verdade é que sabe, e que poderia opinar sobre o assunto com propriedade e conhecimento, que por exemplo eu não tenho.

Slash_1989
Veterano
# jul/14
· votar


Greenwood
Lembra de alguma vez que vc estava tocando com a galera e o som da bateria tava uma porcaria? O que vc fez? O que faria hoje? Imagine que os seus recursos fossem ilimitados.

Então, jovem... Você tem duas opções nesse caso:

Você pode entender que isso muito provavelmente é culpa sua e tem a ver com a sua pegada/mixagem, ou procurar explicações metafísicas pra tentar tirar a responsabilidade de você!

Você ta viajando muito. O lado humano vem primeiro! Antes de pensar em qualquer solução abstrata, procure mudar a forma como você toca, mixa, grava, etc...

shoyoninja
Veterano
# jul/14
· votar


Não tem o que discutir, o vídeo está aí, mastigado e desenhado, é fazer ou não.

Greenwood
Veterano
# jul/14
· votar


shoyoninja

Eu vou ver o vídeo assim que chegar em casa e ligar um computador decente.

Muito obrigado.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a estou tendo problemas,mas a experiencia é interessante