Programa da Fatima Bernardes está desconstruindo a imposição das cores rosa e azul entre os generos

Autor Mensagem
st.efferding
Membro
# out/16
· votar


detectei todas as buzzwords que servem de fermento para o crescimento de tópicos.

#agoravai

sallqantay
Veterano
# out/16
· votar


cort, malmsteen, slash

Edward Blake
Membro Novato
# out/16
· votar




LeandroP
Moderador
# out/16
· votar


E viva o outubro rosa.

makumbator
Veterano
# out/16
· votar


brunohardrocker
Resta saber até quando vão colocar a responsabilidade na religião.

Só enquanto ela existir. Depois que a religião acabar a gente promete nunca mais acusá-la de nada, ok?

sandroguiraldo
Veterano
# out/16
· votar


brunohardrocker
Pra mim é bem basico: machos da espécie e fêmeas buscam se diferenciar

E todos sabemos bem o porque! Aparelho excretor não reproduz!

Jack Holland
Veterano
# out/16 · Editado por: Jack Holland
· votar


brunohardrocker
O entendimento cultural de que o rosa é feminino é muito mais recente que a religião

Sim, mas o que isso muda? A questão das vestes foi incorporada no "pacote da retidão moral", da qual os religiosos acreditam serem os inventores, e continuam tentando defendê-la, mesmo nas questões mais banais e irrelevantes.

Pra mim é bem basico: machos da espécie e fêmeas buscam se diferenciar, tanto quanto 1+1=2

Quem aqui questionou essa diferenciação? Não ver nada de errado em um homem usar uma camisa rosa hoje em dia, é bem diferente de afirmar que tá tudo liberado, que não devia existir diferenciação alguma, que de uma hora pra outra todos temos que achar normal um homem se vestir inteiro como mulher e vice-versa... ninguém disse isso, não crie espantalhos, cara

brunohardrocker
Veterano
# out/16
· votar


Jack Holland
Sim, mas o que isso muda? A questão das vestes foi incorporada no "pacote da retidão moral", da qual os religiosos acreditam serem os inventores, e continuam tentando defendê-la, mesmo nas questões mais banais e irrelevantes.

O debate é sobre a cor, não as vestes.
Mas já que tocou no assunto, há uma lógica nas vestes aprovadas pela religião ao longo do tempo.

Perceba que as vestes mudam. Perceba também que o comportamento antecede a veste e não o contrário.


Tempos de Cristo:
http://4.bp.blogspot.com/-rWCUfXXxck0/Ts1lhBWx_GI/AAAAAAAAAUc/ZIKKJhxT g4A/s1600/vestu%25C3%25A1rio1.jpg
http://1.bp.blogspot.com/-sGzmGTD6A3Q/Ts2SRf5L6ZI/AAAAAAAAAVM/xy0nLE0o KO0/s1600/vestuario7.jpg

Idade Media:
http://cptstatic.s3.amazonaws.com/imagens/enviadas/materias/materia829 2/vestuario-na-idade-media-cursos-cpt.jpg

Decada de 20:
http://4.bp.blogspot.com/_3mn25nnn2fg/S_Vc-VwHZPI/AAAAAAAAAbk/daFCnI8f Af0/s1600/elegance.jpg

Contemporaneas:
https://thumbs.dreamstime.com/x/disperses-da-multido-no-cruzamento-de- zebra-na-rua-movimentada-17737245.jpg


Não ver nada de errado em um homem usar uma camisa rosa hoje em dia, é bem diferente de afirmar que tá tudo liberado, que não devia existir diferenciação alguma, que de uma hora pra outra todos temos que achar normal um homem se vestir inteiro como mulher e vice-versa... ninguém disse isso, não crie espantalhos, cara

Estavamos falando sobre as cores e você misturou com as vestes. Pois bem, mantenho que a diferenciação vai sempre existir, mesmo que mude de forma.

1-Não ver nada de errado em um homem uma camisa rosa, é normal.
2-Se surpreender ao ver um homem usando uma camisa rosa, também é normal. Numa pequena conversa todo mundo se esclarece.
3-Presenciar alguém se surpreendendo por ver um homem com camisa rosa, também é normal.

makumbator
Veterano
# out/16
· votar


sandroguiraldo
E todos sabemos bem o porque! Aparelho excretor não reproduz!

Já tem um tempinho que as pessoas fazem sexo sem fins de reprodução.

sallqantay
Veterano
# out/16
· votar


sexo sem fins de reprodução

se estiver ensaiando para o jogo, tá valendo

Gansinho
Veterano
# out/16
· votar


sandroguiraldo
E todos sabemos bem o porque! Aparelho excretor não reproduz!

99% das transas não são com fins de reprodução.

Viciado em Guarana
Veterano
# out/16
· votar


Baixaram a lei agora, só pode trepar se for pra ter filho.
As pessoas precisam ser punidas por terem prazer.

brunohardrocker
Veterano
# out/16
· votar


Não é que o prazer é reprodutivo.

É a reprodução que é prazerosa.

sallqantay
Veterano
# out/16
· votar


grávidas >>> all

Viciado em Guarana
Veterano
# out/16
· votar


sallqantay
Não cara!
Essa tara é errada.

brunohardrocker
Veterano
# out/16
· votar


grávidas >>> all (2)

Lasanha
Veterano
# out/16
· votar


Esse papo de cor azul e rosa conforme gênero é uma bobagem... Nada a ver, cada um usa a cor que quiser e não deve ser julgado por isso.

Edward Blake
Membro Novato
# out/16 · Editado por: Edward Blake
· votar


Eu tenho uma hipótese sobre a insegurança inata dos homens e a necessidade patológica de autoafirmarem sua masculinidade (se o Die Kunst der Fuge ou algum outro biólogo ainda estiver lurkeando por aqui, peço que se apresente; se gostar da ideia, podemos aprofundar a pesquisa, publicar artigos e tentar ganhar o Nobel de economia).

Os macados rhesus são uma das espécies mamíferas mais próximas do homem. São esses macacos que a NASA usa em missões de teste para saber como os astronautas vão reagir às condições ambientais alteradas. Como ocorre com outras espécies, eles vivem em bandos matriarcais. Ou seja, são as fêmeas que dão as ordens no grupo. Os machos, embora fisicamente mais fortes, são meros subordinados delas, i.e., meros "soldados" que cumprem ordens das "generalas".

Sendo o rhesus tão próximo do homem quanto o seu uso como cobaia científica sugere, então é razoável supor que, no período pré-histórico, quando o homem ainda vivia em bandos, os bandos humanos tenham tido uma dinâmica social similar à dos rhesus.

Essa suposição é corroborada pela antropologia, uma vez que o mito das amazonas (i.e., mulheres comandando seu grupo e reduzindo o papel dos homens ao de simples reprodutor) é universal e existe em praticamente todas as civilizações primitivas, da Grécia à China e do Egito à América do Sul (o nome do Amazonas vem daí: os espanhóis teriam visto uma tribo de guerreiras amazonas no meio do mato e resolveram batizar o rio em sua homenagem).

Dado o caráter lendário das amazonas, é razoável supor também que, em algum momento entre a pré-história e a invenção da escrita, os homens tenham feito uma "revolução de gênero" e criado o patriarcado. E, dado o caráter universal do patriarcado, é razoável supor também que as causas dessa revolução tenham sido econômicas (i.e., a instituição do patriarcado tenha tornado a sociedade mais eficiente -- como a instituição da propriedade privada tornou -- e lhe dado uma vantagem evolutiva sobre as sociedades que preferiram continuar matriarcais).

Coincidentemente, entre a pré-história e a invenção da escrita, a humanidade passou por uma mudança radical nas condições econômicas: a transição do paleolítico (economia caçadora-coletora) para o neolítico (economia agropecuária), que, dado o rendimento decrescente das terras sob o regime de propriedade coletiva (o que Marx e Engels chamavam de "comunismo primitivo"), precipitou a formação da propriedade privada e da família monogâmica. A família monogâmica, por sua vez, incentivou uma maior divisão e especialização do trabalho entre homens e mulheres com base no princípio das vantagens comparativas (i.e., cada um se especializa naquilo em que o custo for menor).

Ou seja, em vez de você ter o grupo inteiro cuidando dos filhos de todos (o que dava às mulheres tempo para exercerem atividades de comando, como fazem as fêmeas do macaco rhesus e como fazem hoje as mulheres que deixam os filhos em creches), apenas o casal cuida do próprio filho. E, como os homens são naturalmente mais fortes e resistentes (testosterona maior) e as mulheres, naturalmente mais vulneráveis (anos de gravidez e amamentação), a divisão do trabalho que prevalece na família monogâmica é o homem cuidando sozinho da guerra e da produção, e a mulher cuidando sozinha da casa.

Tá bom, Josefo, mas você não disse que ia explicar a insegurança e a necessidade de autoafirmação do homem?

Bem, a insegurança residiria no fato de que, se essa especulação estiver correta, o patriarcado não é o estado natural da humanidade. Sem dúvida, é o modelo mais eficiente de organização social, mas não é um sistema automático e instintivo, como uma colmeia ou um formigueiro. E, se não é instintivo, pode ser facilmente contestado e derrubado a qualquer momento.

Ou seja, no fundo, no fundo, no nível inconsciente/biológico, o homem sabe que ele que é a putinha das mulheres e que, se ele não se impor, são elas mesmas que vão fazer gato-e-sapato dele. Ele sabe que é apenas um zangão que deu um golpe de Estado na abelha-rainha e precisa provar o tempo inteiro que merece estar onde está.

Daí os comportamentos clássicos de, p. ex., sair por aí comendo o maior número possível de mulheres (mesmo quando o sujeito é "meia-bomba" e sequer sente tesão pelas mulheres que está comendo) e de se enfurecer além do razoável quando alguém o chama de mulherzinha. Seriam, como as feministas dizem, afirmações misóginas de superioridade.

daimon blackfire
Membro Novato
# out/16
· votar


Eu nem sei a diferença entre azul e rosa

Marco Andriotti
Membro Novato
# out/16
· votar


as vezes eu me surpreendo com a quantidade de drogas que alguns users aqui devem tomar para chegar a ideias tão absurdas como as que leio de tempos em tempos

é como se na falta do que fazer o sujeito começa a se questionar por que 1 + 1 = 2 e então começa a formular uma hipótese de como tudo nao se passa de uma mentira e na realidade 1 + 1 = 3

Edward Blake
Membro Novato
# out/16 · Editado por: Edward Blake
· votar


Outra coisa: essa hipótese dos matriarcados pré-históricos também é corroborada por aqueles estudos que dizem que as mulheres são todas bissexuais.

Se bem me lembro, a Zuzza e o Die Kunst der Fuge diziam aqui que o bissexualismo era uma estratégia de sobrevivência comum no mundo animal: para procriarem, as fêmeas usam os machos e, depois, para cuidarem dos filhotes, se unem com outras fêmeas e os criam juntas, de forma matriarcal.

Acrescentando essa variável à minha especulação sobre a espécie humana, é possível imaginar um cenário de "comunismo primitivo lesbo-surubal", onde todos vivem em comunidade, e as mulheres se relacionam com os homens durante os períodos procriativos, mas, no restante do tempo (p. ex., quando os homens estão fora caçando ou enfrentando inimigos), se relacionam também umas com as outras e criam os filhos juntas. Após o neolítico, com a introdução da monogamia e a afirmação do poder patriarcal, as coisas mudam.

CindyFerrari
Veterano
# out/16
· votar


É a reprodução que é prazerosa.

credo

makumbator
Veterano
# out/16
· votar


Marco Andriotti

Tomamos as mesmas drogas que vocês. E outra 1 + 1 nunca toi = 2.

brunohardrocker
Veterano
# out/16 · Editado por: brunohardrocker
· votar


Edward Blake

Você se deu o luxo de especular.
Então vou me dar o luxo de fazer uma pequena observação:

Já que você correlacionou proximidade genética com organização social entre macacos e seres humanos, vou apenas colocar uma pulga, quem sabe ela coce:
A proximidade genética entre leões e tigres não pressupõe semelhanças de organização social. As tigresas demarcam seus territórios enquanto selecionam os machos que perambulam a solta pela floresta. Já os leões machos formam seus clãs, e ficam com a tarefa de protegê-los, enquanto as fêmeas caçam - mais do que eles.
É uma pulga que pode desmontar a correlação entre genética e comportamento, por comparação.

Resta saber o que se entende por matriarcado. Poder da fêmea sobre a espécie ou poder da fêmea sobre a prole/familia, enquanto o macho não domina e não é dominado?

brunohardrocker
Veterano
# out/16
· votar


o bissexualismo era uma estratégia de sobrevivência comum no mundo animal: para procriarem, as fêmeas usam os machos e, depois, para cuidarem dos filhotes, se unem com outras fêmeas e os criam juntas, de forma matriarcal.

Essa hipótese deve ter sido derrotada pelo curso supremo: matemática.

Todo mundo precisa transar, então a conta não fecha.

Teria que ter a mesma proporção de bissexualidade entre os homens.

Ou todos são bissexuais, ou uma parte do todo, equivalente entre homens e mulheres, são bissexuais, ou então, boa parte dos homens heteros fariam pouco ou nenhum sexo.

makumbator
Veterano
# out/16
· votar


brunohardrocker

boa parte dos homens heteros fariam pouco ou nenhum sexo.


Já tem isso, chama-se casamento.

sallqantay
Veterano
# out/16
· votar


Edward Blake

mas essa sua teoria é mais velha que andar para frente. Freud diria que a civilização é justamente a lei (cultura) do pai que arranca o filho da arbitrariedade da mãe (que deu a vida e pode tomar a qualquer momento).

brunohardrocker
Veterano
# out/16
· votar


makumbator
Já tem isso, chama-se casamento.

Levando em conta que o solteiro precisa se auto-afirmar pegador, porque do contrário desfavorece a sua situação, então não devemos levar a sério a palavra de um solteiro, pergunto:

Quem transa mais, o solteiro médio ou o casado médio?
Tem certeza?
Se tem certeza, duvide mais.

Edward Blake
Membro Novato
# out/16 · Editado por: Edward Blake
· votar


sallqantay
mas essa sua teoria é mais velha que andar para frente. Freud diria que a civilização é justamente a lei (cultura) do pai que arranca o filho da arbitrariedade da mãe (que deu a vida e pode tomar a qualquer momento).

"Freud construiu a sua teoria sociológica de Totem e Tabu, baseando-se na hipótese de que a clã primitiva era governada por um macaco velho, gorila monopolizador de todas as fêmeas e perseguidor ciumento de todos os seus filhos varões".

MEIRA PENNA, José Osvaldo de. Em berço esplêndido: ensaios de psicologia coletiva brasileira. Rio de Janeiro: José Olympio, 1974, p. 43.

sallqantay
Veterano
# out/16
· votar


Edward Blake

bom, então Freud mudou de ideia ao escrever o "mal estar na civilização"

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Programa da Fatima Bernardes está desconstruindo a imposição das cores rosa e azul entre os generos