Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Blackstar HT-Dual (review)

      Autor Mensagem
      Bog
      Veterano
      # fev/10


      Olás! Arrumei aqui um HT-Dual para brincar. Para quem não sabe, este pedal faz parte de uma linha de pedais valvulados da Blackstar (com uma ECC83, ou 12AX7, que NÃO brilha - mas como se espera que brilhe, enfiaram um led atrás). Tem um boost, um overdrive, uma distorção, uma distorção pesada e este Dual, que pode ser boost, overdrive e/ou distorção. Ele tem uma saída normal e outra com emulação de falantes para ser ligada em linha, podendo ser usado como um preamp valvulado ou como um pedal de boost/od/dist.

      Domingo passado fiquei 3 horas brincando com o pedal. Liguei ele de várias formas, comparei com outras opções, enfim, fiquei tentando destrinchar o bichinho.

      Vou dizer o que eu achei...

      1. Recursos

      Vários! No total, o pedal tem "2 canais e meio". O canal 1 tem dois modos: clean e crunch. No modo clean, pode ser usado como um "colorizador" (muda as características do som sem necessariamente aumentar o ganho), como booster, ou como um overdrive sutil. No modo crunch, vai de um overdrive leve ate um "drivão". O canal 2 puxa bem mais para o lado da distorção: com o ganho bem baixo, ele cobre os mesmos terrenos que o modo crunch do canal 1, mas logo se torna uma distorção bem mais agressiva - mas ainda não chega no metalzão da vida (o que para mim nao é problema). A combinação dos canais fica a gosto do freguês, com controles de volume e ganho independentes. O pedal dá uma pequena engasgada quando muda o canal.

      Como ocorre com alguns amps, os controles de agudo/médio/grave sao compartilhados pelos dois canais. Por isso, algumas combinações acabam ficando difíceis - por exemplo, se eu regulo um som bem "brown" para o canal 1, não consigo ter uma distorção cheia de agudos no canal 2; ou se eu deixo o canal 1 como um clean brilhante, não consigo ter uma distorção gordona no canal 2. Seria legal ter controles independentes para cada canal, mas na falta deles, pode-se procurar um meio-termo e/ou deixar cada canal regulado para um captador diferente na guitarra (principalmente se a guitarra tiver controles de tone e volume independentes).

      O pedal ainda tem um controle "ISF" que corta certas frequências e muda um pouco as bandas da equalização. O fabricante descreve como um knob que leva "dos EUA ao UK". Seria algo como Fender e Mesa à esquerda, Vox e Marshall à direita. Na prática, o efeito é simples: para o lado EUA, voce tem mais brilho e frequências agudas, conforme vai girando o knob, vai tendo um som mais anasalado, passa por um lugar com mais médios, ate finalmente chegar no lado UK, onde o som fica grave e encorpado. É um controle interessante e útil.

      Além desses controles, o pedal tem uma saída com emulação de caixa+falantes, que permite ligar o pedal em um PA ou em linha para gravações. A emulação fica sempre ativa quando esta saída é usada, mesmo quando o pedal fica em bypass, o que quer dizer que ele também pode ser usado como um "atenuador de abelhice" para QUALQUER pedal de drive que se queira usar em linha.

      Ah, e dadas as suas características, o HT-Dual não funciona com pilhas ou baterias. É um pedal grande, gordo e pesado, deve ocupar o espaco de uns 3 Tube Screamers da vida. Mas parece bem construido e resistente.

      2. Modos de usar

      O HT-Dual pode ser usado de várias formas.

      O objetivo principal da saída com emulação de falantes é usar o HT-Dual como um preamp para gravações. Outros efeitos podem ser adicionados por meio de outros pedais ou plugins. Uma boa interface de audio também se faz necessária. Eu uso aqui para gravações uma Digitech GNX3000, e acho que o pedal não se destaca em comparacao com ela - além de ter muuuuuuuuitos recursos a mais, para os meus ouvidos a qualidade dos timbres que a pedaleira produz não fica devendo nada ao pedal. Ao menos na gravação, não aparece nada de especial que indique que o pedal é valvulado. Mas para quem tem aversão a simuladores digitais e não pode microfonar um valvuladão, é uma opcão.

      Ele também serve como "headphone" amp, se ligado a um mixer ou coisa do tipo. Não é o seu objetivo primario, e pode não ser o que há de mais prático neste sentido - além de um mixer, qualquer outro efeito que se queira usar precisa ser acresentado por fora. Mas para quem já tem o pedal, é uma possibilidade de uso adicional. Comparei aqui com um Pocket Pod, e se o Podinho ganha em preço, praticidade, portabilidade e variedade, o HT-Dual bate ele na qualidade do som, que me pareceu simplesmente mais agradável.

      A coisa começa a ficar divertida quando pensamos no HT-Dual como um preamp ligado direto em um PA. Usado assim, ele pode servir como um amp reserva, ou mesmo como primeira opção em ocasiões em que levar um amp não compensa. Nestas situações, usar uma pedaleira também resolve, e no geral a pedaleria seria mais versátil, mas o pedal ganha em situações de emergência, onde ajustes de última hora se fazem necessários, além de ser mais leve e menor do que uma GT-10 da vida. Comparei o pedal diretamente com três simuladores analógicos (SansAmp Blonde, SansAmp Liverpool e um clone de GT2 passando pela simulação de falantes do HT-Dual), e com um ampzinho valvulado de 10w com uma 12AX7 no pré. No geral, eu acho os SansAmp muito bons no clean ou naquela região com um tiquinhozinho de drive, mas eles arranham um pouco quando o ganho aumenta. O valvuladinho é daqueles com um drive moderado, nada de distorção pesada. O clean do HT-Dual não é o melhor do mundo, mas nao é ruim - é um pouco delicado, sem "carne" por assim dizer. O drive dele é bem granulado, sem ser áspero como o dos SansAmp ou do GT2, e até o alcance da distorção foi maior do que o do valvuladinho. Gostei.

      Nas 3 aplicacoes acima, o HT-Dual é usado como se fosse o próprio amp. Em comparação com o valvulado, ele não chega a se comportar da mesma forma, infelizmente. Ele não tem a mesma dinêmica e compressão, mas no geral responde muito bem, soando menos áspero e duro que a maior parte dos transistorados que eu conheço. Não compraria ele como headphone amp (preferiria algo menor e mais prático) nem para usar em gravações (existem opções mais versáteis e com qualidade semelhante), muito menos para substituir um valvulado, na ilusão de que uma valvulinha de pré vai transformar qualquer coisa em um JCM800. Mas ele funciona muito bem em emergências e quando você precisa de um set compacto onde tudo é ligado na mesma caixa - o meu objetivo primário é ligar guitarra, microfone e acompanhamento em um mini-PA ou nas máquinas que ficam nas salinhas de karaoke que existem aqui no Japao.

      Ficou faltando apenas falar do HT-Dual como pedal ligado em um amp. Testei ele ligado no valvuladinho mencionado acima e... OPA! Aqui as coisas ficaram ainda mais interessantes. Como booster e OD suave, achei que ele faz mais e melhor que o meu Tube Screamer de sempre. Ele também pode fazer mais ou menos aquilo que eu faria com um equalizador: aumentar as possibilidades do amp. E o mais interessante foi quando eu tentei empurrar a distorção do amp. Pelas caracteristicas do ampzinho que eu usei, ele normalmente nao tem uma distorção pesada - em algum ponto acima do overdrive, ele começa a parecer com um fuzz. O HT-Dual sozinho até que vai na praia do rockão, mas não chega nas distorções mais escandalosas. Agora, equilibrando os dois, deixando o HT-Dual num volume alto e o amp com o ganho acima da metade... magic! Saiu um timbre a la Weezer nos bons tempos (é, Weezer, porque eu não toco nem escuto metal...). Otima surpresa!

      3. Para quem serve:

      - Para quem quer fazer gravacões e:
      a. Acha que simulações digitais são coisa do demo;
      b. Acha que um preamp com uma 12AX7 tem o som equivalente ao de um valvuladão; e/ou
      c. Já tem o pedal mesmo, e não tem por que NÃO usar ele assim.*

      - Para quem quer um headphone amp e:
      a. Não liga para a falta de variedade e monta-desmonta;
      b. Quer algo que soe melhor do que uma pedaleirazinha entry-level; e/ou
      c. Já tem o pedal mesmo, e não tem por que NÃO usar ele assim.*

      - Para quem quer algo ligável em um PA ou monitores e:
      a. Acha que simulações digitais são coisa do demo;
      b. Acha que um preamp com uma 12AX7 tem o som equivalente ao de um valvuladão; e/ou
      c. Acha que pedaleironas até são legais, mas muito grandes, pesadas e "eu nem preciso daquilo tudo mesmo";*

      - Para quem quer um pedal de boost/od/distorção e:
      a. Quer tudo isso junto;*
      b. Acha que um preamp com uma 12AX7 vai transformar qualquer caixa multi-uso em um valvuladão; e/ou
      c. Quer uma distorção não tão áspera e que leva um amp legal a lugares interessantes**

      *Estes são os meus motivos.
      **Este não era o meu motivo, mas foi uma feliz supresa.

      4. Gostei
      a. Do alcance das opções;
      b. Fica legal espetado no PA; e
      c. Deixa o meu ampzinho muuuuito mais divertido.

      5. Nao gostei
      a. O equalizador compartilhado pelos canais torna certas combinações meio difíceis;
      b. É meio grande e pesado (tá certo, não dava para esperar algo do tamanho de um daqueles Boss, mas); e
      c. Acho que não tem um c.

      Taí, espero não ter dito nenhuma asneira... =P

      mvmarquezini
      Veterano
      # fev/10
      · votar


      Valeu Bog ótimo review como sempre!!!

      Vc deveria ser o "testador de equipamentos" oficiais do FCC!!

      rsrsrsrsrsrs

      Um abraço!

      Bog
      Veterano
      # fev/10
      · votar


      Tá certo que o review ficou grande, mas...

      forcebeatle
      Veterano
      # fev/10
      · votar


      Bog

      mas vc acha ele melhor q o tech gt2 e tech liverpool???

      vc acha q eles competem????
      qual da mais o timbre de britanico entre todos esses???
      e americano?????

      Bog
      Veterano
      # fev/10
      · votar


      forcebeatle

      O clonezinho do GT2 eh um pouco diferente, ja que eh um pedal feito para ser ligado em amps (ou usando emulacao de falantes externa). De toda forma, em tudo o que os dois fazem, achei que o Blackstar se saiu melhor. A unica coisa a favor do meu clonezinho de GT2 eh que ele atinge niveis mais altos de ganho.

      Quanto ao Liverpool e ao Blonde, acho que o clean e o som com aquele tracinho de ganho nos SansAmp tem mais "carne", o Blackstar eh mais seco. Ja com o ganho mais cruncheado, preferi o Blackstar, porque os SansAmp (inclusive o GT2) tem o overdrive um pouco aspero. Mas se precisasse escolher apenas um entre todos, seria o Blonde. ;)

      Bog
      Veterano
      # fev/10
      · votar


      up!

      forcebeatle
      Veterano
      # mar/10
      · votar


      Bog

      vc acha que um compressor antes do ht dual seria util???

      qual desses modelos vc escolheria??::
      mxr dyna comp
      mxr super comp
      ou
      boss cs3 ????????

      Ramsay
      Veterano
      # mar/10
      · votar


      Bog

      Belo review, bem completo, parabéns!!
      Só faltou um linkzinho pro pessoal ver como é o pedal, como o abaixo:

      http://cgi.ebay.com/ws/eBayISAPI.dll?VISuperSize&item=190372768170

      Ramsay
      Veterano
      # mar/10
      · votar


      Pô, o link não quer abrir, que tal esse:
      http://www.woodstockmusicalinstruments.com/catalog/images/htdual.jpg

      Bog
      Veterano
      # mar/10
      · votar


      forcebeatle
      vc acha que um compressor antes do ht dual seria util???

      Hmmmm... Olha, eu não saberia dizer. Eu só uso compressor quando gravo com a pedaleira - e aí eu uso as simulações da própria pedaleira.

      Bog
      Veterano
      # abr/10
      · votar


      Up... grade! (para os 0.00002 interessados)

      Nas últimas semanas, andei brincando mais com o HT-Dual, retestando opções, agora acompanhado de um Fender Champion 600 - talvez o valvulado mais simples do mercado.

      Primeira confirmação: sabe aqueles pedais que prometem dar um ganho preservando o som do amp? Tipo Tube Screamer e Boss BD-2? Então, o HT-Dual NÃO é desses. Como é um preamp, ele possui timbre próprio, e tende a tomar de assalto o amp, mudando completamente o som. Se isso é bom ou ruim, vai depender do amp e do usuário do mesmo...

      Segunda confirmação: com tudo no original, o Champion 600 não consegue receber uma distorção pesada sem ficar abelhudo... Neste ponto, se comportou bem diferente do meu outro amp.

      Terceira confirmação: apesar de ter muuuuuuito mais possibilidades que um Champzinho, o HT-Dual definitivamente não é capaz de reproduzir a dinâmica do power amp, aquele som meio estourado no início das notas que começa a aparecer quando o volume aumenta. Ao menos no quesito "dinâmica e textura", este pedal usado direto em linha perde para todos os valvulados completos que eu já toquei com o volume no lugar certo.

      Quarta confirmação, caso o forcebeatle esteja por aqui ainda: o HT-Dual comprime bastante o som sozinho.

      Quinta confirmação: ninguém vai ler... =P

      SteveRayMorse
      Veterano
      # abr/10
      · votar


      Bog

      Ahaa! Eu li!

      Leblues
      Veterano
      # abr/10
      · votar


      Bog
      po, cade o som mano??? fiquei curioso agora rsrs

      Bog
      Veterano
      # abr/10
      · votar


      Leblues

      Ah, tem umas gravações por aí no Youtube e em sites diversos. :P

      Quando gravar minha próxima musiquinha, coloco o HT-Dual. E o Amplitube. E aí quero ver quem descobre o que é preamp valvulado e o que é digital, hehe.

      Chapoliin
      Veterano
      # abr/10
      · votar


      Enfim... a válvula funciona mesmo e não brilha ou é só farsa com o led.. como o meteoro tube drive?

      Bog
      Veterano
      # abr/10
      · votar


      Chapoliin

      O brilho da válvula é falso. Isso não quer dizer que ela não está funcionando, só que as pessoas tendem a ter uma certa expectativa a esse respeito, e que o fabricante se preocupa com esse tipo de coisa. Válvulas não necessariamente brilham quando usadas.

      Quanto ao som, não entendo de eletrônica e nem abri o pedal. Sei que é um som bem diferente daquele produzido, por exemplo, por uma distorção da Boss da vida, bem menos áspero. Eu prefiro julgar pelo que ouço, não somente pelas especificações.

      Chapoliin
      Veterano
      # abr/10
      · votar


      Bog
      entre ele e um GT2 da sansamp, qual vc preferiria?... to com esse dilema

      eu toco um hard rock... não chega a um heavy metal...
      qual vc acha melhor em questão de timbre e de limpeza de dist?

      Bog
      Veterano
      # abr/10
      · votar


      Chapoliin

      São bichos bem diferentes. Eu tenho um clone de GT2 desses da Behringer. Ele soa bem mais áspero, mas ao mesmo tempo é mais versátil. Já o HT-Dual tem uma distorção meio selvagem, mas é um drive mais macio. O HT-Dual também comprime bastante o sinal. E ambos modificam a tonalidade original do amp.

      Depois de vários testes com o HT-Dual, conclui que para as minhas preferências, tocar com ele ligado sozinho em linha não é muito legal não. O pedal sozinho fica com um timbre muito anasalado, e falta bastante dinâmica. O GT-2 também não fica tão bom, porque falta a ele uma boa simulação de falantes (ele soa abelhudo ligado sozinho em linha).

      Enfim, eu acho que o HT-Dual tem mais personalidade, e o GT-2 variedade. O HT-Dual mais natural, o GT-2 mais agressivo. Como gostei dos dois, fiquei com ambos. Mas nenhum dos dois ligado sozinho em linha. Minha intenção é usar o HT-Dual para acrescentar variedade na frente de um valvualdo, e o GT-2 agregado a uma simulação de falantes para o meu mini-set-portátil-que-cabe-no-bag-e-liga-direto-no-PA.

      ogaitnas
      Veterano
      # abr/10
      · votar


      Bog

      Vc realmente colocou de forma simples o jeito bom de usar esses pedais estilo pre hehe

      Chapoliin
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Bog
      juro que vou te incomodar só mais uma vez... rsrsrs.
      Tudo bem que não é um drive agressivo pra heavy metal mas o ganho do HT-Dual é maior que um overdrive por exemplo no Ch2? com esse ganho eu consigo tirar harmonicos? e o sustain é alto?

      Bog
      Veterano
      # mai/10 · Editado por: Bog
      · votar


      Chapoliin

      O ganho é bem maior que o de um Tube Screamer da vida, se é isso que você quer saber. Dá para tira uma distorção estilo clássico tranquilo, até um hard rock mais "normal".

      Quanto ao sustain, o pedal comprime MUITO o som, mesmo no canal 1. Muito sustain, mesmo que ao custo de menos dinâmica.

      Vou tentar terminar de gravar uma musiquinha usando o HT-Dual esta semana, incluindo algo próximo do limite da distorção (mas já vou avisando que eu toco mal e que meu estilo é bem popzinho - ou seja - posso não ser um bom parâmetro, hahaha).

      Chapoliin
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Bog
      Posta um som ai mesmo... to curioso pra ouvir o som dele! vc toca bem sim sô, já ouvi falar de vc aqui no FCC!

      O problema do sustain dá pra resolver com meu compressor (CS3), jogo um pouco mais no sustain dele pra pegar uns harmonicos mais demorados com a alavanca... minha guitar é floyd!

      mano... e o HT DistX? já tocou ou ouviu?

      Chapoliin
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Bog
      Tipo achei esse teste de som dele... se o ganho dele for mesmo o que mostra no vídeo... então estarei satisfeito... confere ai pra mim!

      http://www.youtube.com/watch?v=FN8N5O8WtaE

      o ganho dele é realmente esse? ou tá com outros efeitos nesse vídeo?

      Bog
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Chapoliin

      Ei, o pedal dá bastante sustain! Na verdade, o que dá esse "sustain de pedal" é a compressão, e isso o HT-Dual faz até mais do que eu gostaria.

      O nível de distorção depende da captação da guitarra, né! A minha é uma LP com um Seymour Duncan JB SH-4 a ponte. Chega perto disso aí, mas só com o pedal sozinho não. Como eu disse ali em cima, misturando a distorção do amp com a do pedal, foi bem mais longe, quase o mesmo tanto de ganho dos primeiros álbuns do Weezer.

      rafael_cpu
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Belo review.
      Muito bem escrito, minucioso e claro.
      Ponto +
      Parabéns!
      T+

      trashit hc
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Bog

      parabéns pelo review!!!
      Quinta confirmação: ninguém vai ler... =P
      eu li!! todos os tópicos que mim interessa, eu leio tudo!!! é uma mania que tenho!! hehe passo horas lendo aqui!!

      esse pedal pode se comparado com o demonizer da damage control? ou ele é mais na linha do homanizer do mesmo fabricante do demonizer?

      Chapoliin
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Bog
      Desculpa incomodar de novo... mas queria saber... o que acha desse pedal: Brutal Distortion - Landscape... pq eu gostei muito do timbre e da limpeza da dist.
      queria saber sua opinião.. to pensando em comprá-lo em vez do Blackstar devido ao preço.. vlw ae mano!

      Bog
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Chapoliin

      Cara, não conheço esse pedal aí... Não é brasileiro? E o nome sugere uma distorção bem extrema, o que seria diferente do HT-Dual.

      Chapoliin
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Bog
      é a dist dele é bem extrema mesmo...

      mas o revolution tube drive vc conhece né?
      em comparação a ele o qual vc acha que tem mais saturação?... pq eu li uns tópicos sobre o meteoro e dizem que a dist dele é bem forte... eu desconfio pois a válvula é uma 6bq7 enquanto que o blackstar é 12xa7... o que vc me diz?

      Bog
      Veterano
      # mai/10
      · votar


      Chapoliin
      mas o revolution tube drive vc conhece né?

      Não! =P

      Esse pedal não é da Meteoro? Eu não conheço produtos brasileiros (quando saí do Brasil, eu tinha uma Tonante e uma caixa Frahn, ahahahah).

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Blackstar HT-Dual (review)

      305.939 tópicos 7.899.535 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital