Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      O EletroHarmonix Big Muff é um pedal um tanto quanto bizarro...Alguem explica isso

      Autor Mensagem
      Voidness
      Membro Novato
      # nov/14 · Editado por: Voidness
      · votar


      Gente, meu Nano Big Muff Pi acabou de chegar... confesso que comprei ele no impulso, pq peguei um leilão mt barato no ebai, e dei sorte de não ser taxado... de qq forma, gostei bastante do timbre do pedal, (estou usando ele com uma les paul epiphone e uma Blackstar HT-1R) mas não tenho ideia doq tocar com ele... que sugestões vcs tem?

      Lelo Mig
      Membro
      # nov/14
      · votar


      Voidness

      Cara, não existem regras "do que tocar ou não tocar" com determinado pedal, isto é pessoal e você que irá definir, conforme seu gosto e seu estilo.

      Pense nos Fuzz (qualquer fuzz, de qualquer marca), como o "Pitbull" do seu pedal board, ou seja:

      - é um pedal tosco, simples, burro, difícil de domesticar, mas extremamente feroz!

      Com ele se consegue algumas distorções bastante pesadas e agressivas e bastante sustain até um tempero psicodélico para alguns riffs, solos e frases.

      Experimente em diversas situações, sózinho, combinando com outros efeitos, e etc.

      Lelo Mig
      Membro
      # nov/14 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      ogner
      Alex guitar man

      Já que deram uma "desenterradinha" com o defunto ainda fresco.

      O meu Fuzz favorito é o Big Muff Triangle, que já não fabrica mais e foi substituído pelo PI. (O Triangle já trazia o símbolo grego do PI estampado, mas era chamado de Triangle). David Gilmour usa um Bif Muff Triangle no Animals.

      Ele é um pouco mais encorpado nos graves, tem um sustain bem "cremoso" quase de overdrive e solta harmônicos até quando desligado...kkk

      Passei muito tempo atrás de um fuzz destes, mas é meio complicado encontrar e apostar num usado, já que são muito antigos. Então, por muito tempo usei os PI.

      Agora a Mooer, lançou um "aparente clone" do Triangle e estou em vias de adquirir. Uma opção que além de estar bem próxima da que gosto, ainda é barata.



      Nefelibata
      Veterano
      # nov/14
      · votar


      Lelo Mig

      Por influência do Gilmour eu peguei um clone handmade do AndyFx da versão posterior ao trangle. Um big muff ram's head 73.

      Acabei pegando pq eu precisava de um fuzz e ofereceram rolo em troca de um joyo que eu tinha aqui e não estava usando.

      Esse clone me parece bastante fiel, inclusive olhando a placa interna dele é idêntica ao original, mas num formato menor. Ele tem menos médios que o triangle, mas isso vc resolve boostando ou com um eq.

      Tenho usado com a strato e singles vintage pra tocar pink floyd. Mesmo com essa config, consigo um ganho insano e sustain infinito com esse pedalzinho!!!

      Uso um pedal de drive com quase nada de drive depois dele somente pra dar uma arredondada nas frequencias altas e pra dar up nos médios. Gilmour total no DSOT, Pulse e Gdansk!!!

      Super recomendado!

      pedrolake
      Veterano
      # nov/14
      · votar


      O big muff atual não tem o mesmo circuito e som dos antigos, além do mais deve ser o pedal com mais versão no mundo, documentadas oficiais umas 12 versões desde 77 até hoje. Mas o pedal que muitos usam não é o Big Muff atual, nem o big muff americano, muitos guitarristas usam o big muff russo, big muff triangle e rams head que possuem menos ganho e usam transistores de germânio que tem uma sonoridade mais macia que o big muff americano.

      Lelo Mig
      Membro
      # nov/14 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      Nefelibata

      Conheço um um "big muff ram's head 73", do Andy FX, que têm um desenho referência do "The Wall" na latinha. É bem legal... é por esse caminho mesmo que curto.

      Acho que temos gosto parecido, pelo menos no início da cadeia!

      Eu, sempre que possível iniciava com Fuzz, ou Octaver + Fuzz.

      Depois, sempre, Overdrives....de preferência 2. Uma mais sussa, na linha TS 8, e outro mais paulada na linha dos Crunchers.

      Depois que acostumei e, com paciência, aprendi a "domar" os bichos, viciei nesta cadeia "distorciva".

      A infinidade de distorções, desde bem leves, só com o Drive, até super pesadas, com a fusão Octaver + Fuzz + Crunch é quase ilimitada!

      Depois, passei a deixa-los num "cantinho só para eles" colocando em laço num AB box!

      "Diliça!!!"

      Nefelibata
      Veterano
      # nov/14
      · votar


      Lelo Mig

      Euheauheauhe... coincidência!!! Estou usando bem assim!

      E esse pedal me apareceu por acaso. Eu tava precisando de um fuzz. E depois de pesquisar muito, eu queria alguma coisa na onda do Ram´s Head. Mas, original é impossível e os de boutique são chatos de achar e muito caro.

      Aí um cara me ofereceu um num copia de ts 9 da joyo que não usava. Justamente um cópia de rams head! Pow... troquei na hora!

      Afinador --> Wha --> Univibe --> Esse "big muff ram's head 73", do Andy FX, chamado The Big Wall, --> um Way Huge Green Rhino (Ts9 like) ---> um MI Audio Super CrunchBox --> delay

      \o/ Alegria de viver!

      Mas pq agora vc isolou o coitado do fuzz?

      Lelo Mig
      Membro
      # nov/14 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      Nefelibata

      "Mas pq agora vc isolou o coitado do fuzz?"

      Agora não! Estou sem pedal board, sem NENHUM pedal!! (pelos motivos já contados aqui, do tempo que fiquei parado e etc...)

      Mas, minha ultima configuração iniciava com:

      Guita >> Octaver >> AB Switch >> A (Fuzz) B (Overdrive e Crunch)
      Flanger >> Chorus >> Delay >> Tremolo.

      Eu uso bastante sons Cleans ou só ambientados/modulados, então deixei as distorções fora da cadeia direta, e as coloquei à parte. Assim "encurto" a cadeia nos "cleans" e só "adiciono" as distorções quando as uso.

      Vou adiantar um assunto:

      Agora, vou montar um novo pedalboard. Estou pesquisando à mais de 4 meses, lendo reviews, fichas técnicas, posts, fóruns, vendo vídeos Youtoba, site de fabricantes, trocando emails com eles e testando na prática.

      A ideia é montar um set com uma configuração que eu gosto (eu uso muito efeito, gosto de variações, de soar em cada música de uma forma). Tive uma ideia de projeto e à partir dela, tracei alguns objetivos e defini alguns critérios:

      - Só pedais pequenos, simples e com poucos knobs. (como uso vários efeitos, prefiro ter UM pedal específico pré regulado, do que um com muitos recursos que você têm chavear ou mexer em knobs, por exemplo prefiro ter um Phaser, um Chorus, e um Flanger unitários, do que um 3 em 1).

      - Só pedais baratos. (Estipulei um valor máximo por unidade e tenho que achar a melhor opção sem ultrapassar o valor).

      - Só True By Pass. A maioria é analógico, mas existem uns efeitos que só existem Digitais e não abro mão, por isso, há um ABC switch, onde um laço será só para os digitais, quando não utilizados, tudo será analógico.

      - Dentro destas características acima, a qualidade do efeito (ouvindo o efeito) e a qualidade construtiva são os únicos fatores importantes (tentarei não me influenciar por grifes, marcas, e etc).

      Para um setboard de, provavelmente 9 ou 10 pedais, tenho uma lista de "candidatos" com 49 pedais, por enquanto. Escolher os finalistas vai ser "osso"! Uma planilha enorme, com detalhes, descrições, links e informações importantes de cada um deles....hehehe.

      Estou escrevendo sobre esta experiência e quando começar a parte prática, pretendo ir publicando aqui no forum. Quero provar que "hoje em dia" é possível montar um baita set board de forma econômica.

      Marko Fender
      Membro Novato
      # 29/mar/17 16:16
      · votar


      Mooer esta fazendo um exelente trabalho na fabricação dos seus pedais, ainda não tive problemas com nenhum, se algum deles não é legal é porque o original não é...

      Tiso
      Veterano
      # 29/mar/17 21:00
      · votar


      Tenho a impressão que Mooer, Joyo, Nux, Ammoon, Aroma, Kokko, Caline, Rowin, Aural Dream, todas estas são marcas da mesma empresa. A Mooer parece usar os mesmíssimos circuitos de muitas das marcas "irmãs", mas com um controle de qualidade aceitável.

      Lelo Mig
      Membro
      # 29/mar/17 22:15
      · votar


      Tiso
      Marko Fender

      "Tenho a impressão que Mooer, Joyo, Nux, Ammoon, Aroma, Kokko, Caline, Rowin, Aural Dream, todas estas são marcas da mesma empresa."

      Tem um post antigo meu, que eu abri um Mooer e um Eno para fazer essa comparação e cheguei a algumas conclusões.

      Se quiserem dar uma olhada...

      http://forum.cifraclub.com.br/forum/7/318874/

      bluesquare
      Veterano
      # 25/ago/17 09:55 · Editado por: bluesquare
      · votar


      Ressuscitando um tópico já triplamente ressuscitado hehee

      Me apareceu uma oportunidade de pegar um Nano Big Muff Pi, e estou coçando de vontade de comprá-lo..

      Só que fiquei meio receoso, não sei se vai encaixar bem no meu set, pro meu uso.. Fui pego pela G.A.S. nos ultimos meses, e comprei um set inteiro de pedais, que atualmente está assim:

      Cry Baby Gcb95 > Boss NS2 In > Boss NS2 Send > Marshall ED1 Compressor > Boss MT2 Metal Zone > Ibanez TubeScreamer Mini > MXR Distortion + > MXR Blue Box > NS2 Return > NS2 Out > Landscape Angel Chorus > Zoom G1xNext

      Pelo fato de eu já ter 4 pedais de drives/sujeira, será que compensaria mesmo pegar um muff? Sendo que minha banda toca Hard Rock/Classic Metal autoral https://www.youtube.com/playlist?list=PL9L-1ZIjXeLheFSBqvQjPUynb7wXgb- 5w

      Eu usaria mais ele para solos, ou para criar umas músicas diferentes.. hehe

      SteveRayMorse
      Veterano
      # 25/ago/17 23:42
      · votar


      bluesquare

      Acho que o Muff se encaixa em praticamente qualquer vertente do rock, até blues quem sabe?! Questão de acertar o timbre, obviamente. Eu tenho o Big Muff Tone Wicker e gosto bastante.

      Eu peguei esse essa semana: https://www.ehx.com/products/green-russian-big-muff

      Comprei na doidera mesmo...espero que não decepcione rsrs.

      Ramsay
      Veterano
      # 25/ago/17 23:54
      · votar


      bluesquare
      Não compre pq ele não vai acrescentar nada de novo ao seu set e digo isso pq já testei um Big Muff PI (não o nano) mas o com tone wicker e o som que ele oferece é bem parecido ao que o MXR Distortion+ oferece.

      Luiz_RibeiroSP
      Veterano
      # 26/ago/17 01:43
      · votar


      Eu pensei em montar um, do esquema do tonepad. O disco crucificados pelo sistema foi gravado com ele e uma giannini sg.

      Ismah
      Veterano
      # 27/ago/17 23:10
      · votar


      bluesquare

      Eu não compraria... Acho o fuzz em geral trás uma cara stoner na música atual.
      Pode ser a ideia, mas normalmente isso não é bem aceito...

      SteveRayMorse
      Veterano
      # 28/ago/17 01:13
      · votar


      bluesquare

      Não conheço o seu MXR mas se ele tem a mesma vibe que o Ramsay falou realmente acho que não compensa. Mas acho que vale por um fuzz ai sim.

      Ismah

      Cara, não sei quais são as suas referências mas quando penso em Fuzz eu lembro de Hendrix, Page, Gilmour e até Eric Johnson. E dos mais recentes tem Andy Timmons, Joey Landreth e vários outros. Enfim, Stoner rock passa longe da minha cabeça rsrsrs.

      Synth-Men
      Veterano
      # 28/ago/17 02:48
      · votar


      Cara eu amo o som de FUZZ. Além de ter uma historia linda de morrer. Foi praticamente o pai de todos os pedais (da ideia de acionar o efeito com os pés) e é pai de DNA de todas as distorções.

      Exige toda técnica e destreza do guitarrista. Reza a lenda que se o FUZZ soar mal, ruim é o guitarrista e não o pedal.

      Amado. odiado, entendido e não entendido. Quanto mais abelhudo, mais me interessa e me estende a curiosidade do que o guitarrista está para fazer.


      Sobre o Stoner Rock (não é o meu gosto que está em jogo aqui, nem o estilo), eu sinto e tenho compreendido que é uma maneira de fazer nos dias de hoje música antiga de forma moderna e vice-versa. Ao menos nos exemplos que ouvi. E tem dado toques, dinâmicas e timbres diferentes ao FUZZ e aos outros tipos de distorções. Ainda é novo, está atravessando a sua primeira década agora, por isso talvez causa estranheza.

      Lelo Mig
      Membro
      # 28/ago/17 10:35
      · votar


      Ismah

      "trás uma cara stoner na música"

      Cara, Jimi Hendrix é uma referência ao Fuzz... David Gilmour outra.

      Neste meio, podemos citar Jeff Beck e Keith Richards como outros usuários constantes.

      Nenhum deles têm nada a ver com o outro e suas músicas não soam parecidas.

      Acho meio reducionista associar a sonoridade de um pedal, qualquer que seja o efeito, a um estilo.

      bluesquare
      Veterano
      # 28/ago/17 10:35
      · votar


      Lendo as opiniões de vocês, resolvi esperar mais um pouquinho antes de comprar, mas por outro lado, fiquei mais curioso ainda para experimentar o pedal! hehe

      Resolvi espera, pois nao é uma necessidade imediata, estou precisando mais de um afinador e de um delay

      E fiquei mais curioso ainda, pq adoro experimentar combinações e criar umas coisas "diferentes" na guitarra, acho que vou me divertir bastante com ele! hehe

      Enfim, quando comprar posto algum som aqui!

      Ismah
      Veterano
      # 28/ago/17 11:22
      · votar


      SteveRayMorse
      Lelo Mig
      Synth-Men

      Leiam o que eu escrevi, e não pirem com o que eu NÃO escrevi...

      "Acho o fuzz em geral trás uma cara stoner na música atual."

      PORQUE o colega disse "minha banda toca Hard Rock/Classic Metal autoral"...

      Logo, eu sustento que fuzz, ATUALMENTE trás um ar stoner consigo, para qualquer música. O que pode ou não ser desejado...

      Tem algum nome do hard rock que usou fuzz?
      Tem algum grande nome do metal clássico que usou fuzz?

      Se tem eu desconheço, mas possivelmente tem...

      IMHO isso não é lá bem aceito no gênero que ele toca, nem no passado e nem atualmente... Não importa quem, onde ou como usou fuzz no passado... Ele pode ser pioneiro, mas não tem como não ser referenciado em outra coisa...

      HOJE eu não consigo desassociar o som autoral com fuzz, do rótulo indie fumador de orégano...

      Lelo Mig
      Membro
      # 28/ago/17 11:35
      · votar


      Ismah

      Entendi.... sua opinião.

      Mudando de assunto, uma curiosidade:

      Já vi você usar em vários posts esse "IMHO".... e nunca fiz a mínima ideia de que poha é essa.

      Hoje, curiosão, digitei no google e o resultado foi "In My Humble Opinion", ou seja: em minha humilde opinião.

      É isso mesmo?

      Luiz_RibeiroSP
      Veterano
      # 28/ago/17 12:43
      · votar


      HOJE eu não consigo desassociar o som autoral com fuzz, do rótulo indie fumador de orégano...

      Vish precisa se benzer. Fuzz me lembra as garageiras tipo jon spencer blues explosion, The Cramps, buthole surfles, melvins, mudhoney, etc e depois os classicos dos anos 60/70. Não lembro diretamente de hendrix, jeff beck, pink floyd porque eu NUNCA tirei nada parecido com isso guando peguei fuzz, só sai desgraça.
      Eric Jhonson não sei que bruxaria tem pra ele tirar aquele timbre.

      bluesquare
      Veterano
      # 28/ago/17 13:24
      · votar


      Kkkkk

      entao, isso é que me faz querer mais ainda compra-lo.. o desafio de tirar um som legal com ele! hehe

      E caso tragicamente eu nao acostume me com ele, o valor de revenda dele é otimo hehehe

      EduJazz
      Veterano
      # 28/ago/17 13:31
      · votar


      Tenho o Big Muff. Como todo fuzz, não é fácil timbrar, é preciso pensar muito bem na interação com amp, outros pedais, guitarra, mão... Mas eu gosto bastante!

      acabaramosnicks
      Membro Novato
      # 28/ago/17 13:34
      · votar


      IMHO significa in my humble opinion, ou seja, na minha humilde opinião.

      Eric Jhonson não sei que bruxaria tem pra ele tirar aquele timbre.

      Sim kkkk

      Lelo Mig
      Membro
      # 28/ago/17 14:34 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      Luiz_RibeiroSP
      acabaramosnicks

      "Eric Jhonson não sei que bruxaria tem pra ele tirar aquele timbre."

      O timbre dele é legal mesmo, mas, pensem bem, se fosse um Zé Ninguém aqui do fórum a postar o mesmo set up e timbre, um monte de "experts" ia criticar, dizendo que:

      - Têm Reverb demais
      - Têm Chorus demais
      - Misturar Marshal Plexi e Fender Twin não têm lógica

      e etc.

      Mas, como se trata de Eric Johnson..........se o timbre fosse ruim, iam falar que era bom!

      Obs: Um detalhe!!

      O Eric Johnson usa 2 A/B Box e, comumente, divide o canal:

      Guitarra - A/B Box - A - Solo

      Guitarra - A/B Box - B - Base ------ A/B Box - A - Base Suja
      ------------------------------------------ A/B Box - B - Base Clean



      Ele coloca o Fuzz na Base suja. Raramente usa Fuzz em solos.

      Luiz_RibeiroSP
      Veterano
      # 28/ago/17 16:00
      · votar


      Lelo Mig
      Em uma antiga guitarplayer que tive, mostrou o setup. uma linha para som limpo, crunch e sujo. cada linha com um amplificador diferente.
      limpo = fender
      crunch = dumble
      sujo marshall.
      Eu olhei aquilo, em 98 acostumado a tocar com coisa de estudante, pensei que precisaria de um curso no senai pra entender o que ligava onde.

      Uma dica que dou para fuzz é usar o pot de volume da guitarra para ajustar o índice de distorção. Coloca o fuzz no talo, ou só tira um pouco se tiver fazendo muito ruido, e diminua a distorção com o volume. use também o menosprezado botão de TONE, depois de mais de 10 anos mexendo com guitarra é que fui perceber o quanto ele pode fazer diferença, tanto que minhas strato eu modifiquei para ter tone no cap da ponte, copiando o jeff beck.
      Mas o negocio é forçar mesmo, eu só explorei mais possibilidades depois de montar o fuzz CCDB que só tem volume. Guitarra, amp, fuzz, se vira e tira som, aprende mais que assistir 100 videos de tutorial. galera hoje precisa fuçar mais, arriscar mais e equipamento barato não impede isso.
      Particularmente tenho a teoria que a tecnologia diminuiu a criatividade por achar tudo pronto, baixa o timbre do Slash e põe na pedaleira, pega o vídeo e coloca os botões dos pedais iguais par ter o som do Slash...anos 70 era manual e olhe lá. tava com isso entalado, desabafei huahuahua

      Ismah
      Veterano
      # 28/ago/17 16:25 · Editado por: Ismah
      · votar


      Lelo Mig

      É isso mesmo... Não sou muito de dizer o que EU ACHO, porque isso raramente importa, e sim uma posição técnica-profissional, baseado no que o vivente me disse. Então quando uso essa expressão, é porque vou dar um pitaco pessoal. hehehe

      Luiz_RibeiroSP

      Eu tenho fuzz, e aliás, adoro ele. Lembrar, pra mim também lembra de algumas dessas coisas, mas soa datado... Acho legal fazer isso ao tocar algo datado: Hendrix, Sabbath, até alguma coisa de Stones vai bem...
      Uma banda nova pra fazer isso, não consigo desassociar do que eu falei...

      Quanto a arriscar... Não é só nas 6 cordas que isso falta...

      https://www.youtube.com/watch?v=6yA9AE3gU_s

      Ismah
      Veterano
      # 29/ago/17 07:39
      · votar


      Um uso de fuzz num contexto bem diferente de tudo que foi citado...
      Soa sem muita definição, lá no fundo, mas encaixa como uma luva no contexto da ideia.

      https://www.youtube.com/watch?v=NgtSJ2kFkio


      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a O EletroHarmonix Big Muff é um pedal um tanto quanto bizarro...Alguem explica isso

      303.741 tópicos 7.860.068 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital