Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

Escalas,História e Origem

Autor Mensagem
be yourself
Veterano
# fev/06 · Editado por: be yourself


A Luz acabou aqui em casa e a unica coisa a fazer seria pegar meu bom e velho livro de música e estuda-lo :)
E então saí lendo ele e quando cheguei na parte de escalas li uma coisa legal..Quer ver..Vou passar para cá..

Escala Pentatônica
"A escala pentatônica é a mais antiga e sendo a mais utilizada no mundo,em tese,origens mongólicas e japonesas,e desempenha um papel importante na música oriental,africana e celta"

Uma vez vi um Work Shop de um renomado pianista,ele contou muito sobre a historia da música,ele já fez até shows na europa..etc..(Esqueci o nome dele AUEHauehuAHE)
Agora, eu acho legal,nós compartilharmos a historia de cada escala...
Quem souber sobre OUTRAS escalas também pode ir postando sim :)
Abraços!!!

be yourself
Veterano
# fev/06
· votar


Calma gente!! Não é pergunta não AUEHauehAUEHuahe

marcio_zav
Veterano
# fev/06
· votar


http://pt.wikipedia.org/wiki/Escala_musical

be yourself
Veterano
# fev/06
· votar


marcio_zav

hehehe não...Nada de links...Vamos COMPARTILHAR o que sabemos :) O que acha?

marcio_zav
Veterano
# fev/06
· votar


be yourself

nao sei nada =/

be yourself
Veterano
# fev/06
· votar


Up galeraaaaaaaaaaaa

22222 oirartnoc oa
Veterano
# fev/06
· votar


um topico sobre historia de escalas no meio da madrugada nao dah certo

be yourself
Veterano
# fev/06
· votar


22222 oirartnoc oa

UAEHuaheuAHE é vero :P Vamos esperar até amanhã né ^_^

be yourself
Veterano
# fev/06
· votar


Upa né :(

Extrapolation
Veterano
# fev/06
· votar


be yourself
Calma gente!! Não é pergunta não AUEHauehAUEHuahe
kkkkkkkkkkkk

Fernando de almeida
Veterano
# fev/06
· votar


Copy - Paste

História
A partir da descoberta de artefatos musicais pré-históricos, supõe-se que a primeira escala desenvolvida tenha sido a escala de cinco sons ou pentatônica, o que é confimado pelo estudo de tribos em estágio de evolução primitiva encontradas comtemporaneamente. As escalas de 7 notas foram prováveis desenvolvimentos da escala pentatônica e tem-se o registro de sua utilização pelos gregos, apesar de que qualquer tentativa de resgate da sonoridade dessas escalas tratar-se de exercício puramente especulativo. A música grega morre junto com o Império Romano deixando apenas uma nota de rodapé do que seria todo o sistema musical utilizado à época. O fato é que, com o surgimento do cristianismo, ouve uma adoção dos ritos judaicos e essa é a origem do que seria a música ocidental posterior. Na Idade Média, a elaboração de um sistema de escalas (escala vem do italiano e significa escada) levava em conta não somente a nota fundamental do modo (fundamentalis) mas também a chamada corda de recitação, que era a nota ao redor da qual a melodia se desenvolvia, sendo essa nota a mais utilizada na música. Essas escalas foram chamadas de modos eclesiásticos e compunham-se de quatro: protus, deuterus, tritus e tetrardus. Esse sistema, chamado modal, não é um sistema totalmente definido; como há variação da corda de recitação entre duas músicas, elas podem estar dentro de um mesmo modo, mas se desenvolvem em direções diferente, sendo reclassificadas aí, a depender do âmbito em que elas se desenvolveram, como estando no modo plagal ou autêntico. Além disso, a música poderia muito bem gravitar entre os modos, o que dificultaria a classificação exata em que modo ela está (ou em que modo começou, ou em que modo terminou). Posteriormente, dois modos receberam a preferência dos compositores (o modo chamado jônico, ou tritus plagal, e o chamado eólio, ou protus plagal), sendo estes as origens das escalas diatônicas maior e menor: iniciava-se o período tonal da música. A partir do temperamento da música, ocorrido no séc. XVIII, onde procurava-se dar os mesmos valores proporcionais aos intervalos da escala diatônica, surge uma nova escala, em que todas as notas têm o mesmo valor dentro desta: a escala cromática. Com o segundo período do romantismo musical (romantismo nacionalista), fez-se necessária a incorporação de escalas exóticas nas quais as músicas de muitos países se baseavam. Às escalas ciganas, já conhecidas séculos antes, juntam-se escalas mozárabes, russas, eslavas, etc.. Debussy incorpora a escala de tons inteiros, onde se divide a oitava em seis intervalos iguais de um tom, à música. Posteriormente, novas escalas surgiram com a chamada música micro-tonal, além de incorporações de escalas antigas como a indiana, que divide a oitava em 22 sons, e a escala nordestina brasileira, mistura dos modos lídio e mixolídio.

MatheusMX
Veterano
# fev/06
· votar


a escala mais legal á a menor harmônica
=D

Extrapolation
Veterano
# fev/06
· votar


mas q resumo medonho hein
nao fala nada com nada

se é pra estudar a historia q se estude direito, dai nao se tira muita coisa, acho q só na ultima frase se tem algo q pode encabeçar um tema

be yourself
Veterano
# fev/06
· votar


Up

teuabreu
Veterano
# fev/06 · Editado por: teuabreu
· votar


Modos Gregos

Dóricos-povo procedente do norte que migrou para a Grécia no início do século XII a.C
Os dórios eram um povo guerreiro, que usava armas de ferro e cultuava deuses masculinos,
mais freqüentemente do que femininos.

Lídios-ajudaram os oriundos de Atenas à fundaras 1ªs colônias na Anatólia.

Jônios-As cidades jônicas originaram-se do comércio no mar Negro;
No final do século VII a.C., a cunhagem de moedas, que os gregos jônicos aprenderam com os lídios,
revolucionou o comércio;
Em 477 a.C. Atenas firmara com as cidades jônicas uma aliança, a Liga de Delos,
para protegê-las dos persas.

Frígios-Os frígios eram habitantes da Frígia , localizada ao sul do Mar Mármora, que une o Mar Negro ao Mar Egeu, numa região atualmente pertencente à Turquia. Frígia e Arcádia, em linha reta não distam mais que 530 Km.

Eólios-Eram caracterizados como povo com grande raça,Éolo,o "criador" dessa "lenda",teve filhos,sobrinhos,...onde foram criadores dee varias lendas importantes.

A Música na Grécia

A civilização grega começou em Creta, a maior ilha do Mar Egeu. Por volta de 3000 a.C. já encontramos manifestações artísticas entre os dois grupos que a habitavam, os dórios, que viviam na Lacedemônia e tinham Esparta como capital e os jônios, que viviam na Ática e cuja capital era Atenas.

Os gregos não conheceram o canto mágico. Eles acreditavam em deuses e não em espíritos, como nas outras culturas primitivas. Os deuses helênicos viviam nas montanhas, chamadas Olimpo. O mais importante foi o Parnaso, que tinha 2.500 metros de altura e era consagrado a Apolo. Ele era o deus das Artes, da Poesia e da Medicina.

No Parnaso ele regia o coro das Musas. No começo eram três: Melete, a musa da invenção, Mneme, da memória, Aoidé, do canto. Depois passaram a ser nove, divididas em três grupos: As Artes do Raciocínio tinham co mo musas a Clio, da história, Polimnia, da retórica e Urânia, da astronomia; as Artes do Ritmo Falado tinham Tália, musa da comédia, Calíope, da poesia épica, Erato, da poesia ligeira; e as Artes do Ritmo tinham como musas Melponome, da tragédia, Terpsícore, da dança e Euterpe, da música.

Os gregos são apontados como os criadores da estética e da filosofia. São gregas as palavras teologia, filosofia, metafísica, lógica, matemática, geometria, astronomia, física, mecânica e geografia, assim como música, teatro, poesia, retórica, escultura e arquitetura.

Na verdade, a música e os fenômenos artísticos gregos (assim como a sua mitologia): Orfeu era da Trácia (no Norte da Macedônia) e Olimpo era da Frigia, uma cidade Síria. Os modos gregos vieram da Ásia Menor.

A música grega sempre foi associada à palavra. Tudo o que se relacionava com a voz e com o canto recebia o sufixo oda. O canto era função de um só cantor, ou de um coro cantando em uníssono, era uma monodia. A antiga música grega não conheceu a harmonia, só a melodia.

Os timbres de voz eram três: netóide, mesóide e hipatóide, correspondendo ao tenor, ao barítono e ao baixo. E ram vozes masculinas, porque as mulheres eram excluídas do canto. Só bem mais tarde figuravam no coro das Tragédias.

Esculápio receitava músicas leves para curar. Platão afirmava que uma receita medicinal estava incompleta se não incluísse músicas. Aristóteles criou as katharsis, para "consolo e cura dos enfermos" através da música. E há testemunhos da ação terapêutica da música deixados por Homero, Eurípedes, Aristófanes, Teifrasto, Macróbio, Catão, Tíbulo, Propércio, Horácio, Varron, Virgílio, Ovídio e Lucano, entre outros.

Na mitologia grega os deuses eram orgulhosos e vaidosos de seus inventos musicais e havia muita música na relação entre os deuses e na relação dos deuses com os mortais. Minerva inventou a flauta, mas cedeu-a a Marsias para não ficar bochechuda de tanto soprar. Apolo inventou a cítara. Hermes criou a lira. O Rei Midas ganhou um par de orelhas de burro , castigo de Apolo, por ter dito que a flauta era de sua invenção.

Pan, em grego, significa todo. Ele era o deus dos bosques e da natureza. Era filho de Hermes e morria de amor por uma ninfa da Arcádia, chamada Sirinx. O pai dela, para evitar o assédio do deus, transformou em uma cana. Pan, que se considerava o melhor tocador de cítara da Grécia, encontrou a cana, cortou-a em pedaços de tamanhos diversos, amarrou-as e fez um instrumento, a flauta de pan, que ele chamou de Siringa, em homenagem a Sirinx (e que é a mesma pai-siao chinesa).

Em homenagem às musas, a "instrução enciclopédica e a educação moral" eram chamadas de musike. A música propriamente dita era chamada de harmonia. Uma canção era uma melos (e daí vem o termo melodia). O canto de uma procissão em direção ao Templo era a prosódia. O canto fúnebre era o trento Os cantos militares eras as embaterias. Os cantos de vitória eram chamados partenias e o canto feminino, usado somente nos casamentos, era a erótica.

O local apropriado para cantar e ouvir cantar era o Odeon e, segundo Aristógenes, havia três estilos melódicos: o dialstático (música excitante), o sistáltico (música enervante) e o hesicástico (música calmante).

Só os filósofos estudavam a teoria e a estética da música grega. E a estética da forma musical era chamada ethos. Os poetas que cantavam suas músicas eram chamados aedos e a associação do canto de um coro com uma pantomima era chamada de orquéstica, assim como a associação de canto com a dança era chamada de hiporquema. As grandes apresentações públicas eram as agones.

A partir de 776 a.C. foram introduzidos os jogos, que eram agones seguidas de lutas entre adversários que vinham de toda parte e foram as únicas manifestações de pan-helenismo. Havia os Jogos Ístmicos, em Corinto, de 2 em 2 anos, em honra a Netuno; os Jogos Nemeus, em Nemea, de 3 em 3 anos, em honra a Hércules; os Jogos Píticos, em Delfos, de 4 em 4 anos, em honra a Apolo; e os Jogos Olímpicos, em Olímpia, também de 4 em 4 anos, em honra a Zeus.

Na antiga Grécia eram suas as escolas de música: a Pitagórica e a Harmônica. Os músicos pitagóricos eram matemáticos e seguiam a filosofia numérica de Pitágoras, onde o som gerador era o 1, o 2 era a oitava do som gerador, o 3 era a quinta e o 4 era a quarta. Os harmonicistas negavam o valor dos números mas procuravam também a harmonia e a coerência das esferas celestes ressoando.

O sistema musical grego era o tetracorde descendente, chamado sílaba. Alguns compositores chegaram a usar o pentacorde, doxiam, mas a forma que sobreviveu, por ser a mais constante, foi a soma de duas sílabas que formava uma escala descendente de 8 notas (uma oitava) que os gregos chamavam de diapason (mi, ré, dó, si, lá sol, fá, mi

Eram três os modos gregos: dório (nobre e viril, usado no Coro da Tragédia); o frígio, de origem asiática (energia e movimento) da música de flauta, das Tragédias e Comédias; e o lídio, também asiático, reservado aos lamentos fúnebres mas depois usado também na Tragédia.

Por volta do século V a.C. o modo dórico foi modificado "para colorir a música vocal e instrumental", dando origem à khroma (cor) e à escala cromática.

Os instrumentos musicais mais populares na Grécia eram a flauta de pan, (policálamos), o antigo oboé sírio de duas palhetas, as trombetas de bronze (que podiam ser ouvidas a nove quilômetros), o hidraulos (um órgão hidráulico), o pneumático (uma enorme flauta de pan com um sistema de fole acionado por várias pessoas), o trígono (uma pequena harpa), a lira (instrumento predileto dos poetas, feito com um casco de tartaruga coberto com pele de carneiro e três cordas chamadas verão, primavera e inverno; a forminx (lira de quatro cor das; a lira de Hermes (com sete ou oito cordas), as cítaras ( pectis, aguda, barbitos e magadis, grave).

Os nacionalistas, como Platão, queriam erradicar as cítaras "símbolo de esplendor e luxo asiático que invadiu a Grécia". Não conseguiu.

Do ponto de vista musical a festa mais importante era o culto a Dionísio, chamado ditirambo. Festejava a chega da Primavera e simbolizava a fecundidade. Em um altar um poeta cantava e dançava representando as aventuras dionisíacas e se revezava com outros 11, todos usando roupas feitas com pele de cabra. A manifestação orquéstica terminava com o sacrifício de uma cabra.

Em 534 a.C. o tirano Tespis inventou o carro cênico, um placo sobre rodas onde um recitante representava vários papéis com o recurso de máscaras, modificando o ditirambo que, com o tempo, foi perdendo o aspecto religioso, ganhou dois coros de vozes masculinas e femininas e acompanhamento instrumental.

Em Atenas, por volta do ano 430 a.C. as Grandes Dionisíacas duravam 10 dias e atraía uma multidão para os espetáculos de música, canto, dança e poesia. Os teatros passaram a ser construídos com pedra e a orchestra era uma circunferência de 10 metros, no meio do teatro, onde ficava o coro e o altar onde era sacrificada a cabra.

Platão, citando o chinês Liu Bo We afirmava que "a música de uma época bem ordenada é calma e alegre, e o Governo é uniforme; a música de uma época inquieta é excitada e sombria e o Governo é errado; a música de um Estado decadente é sentimental e triste e o Governo está perigando"

Quando a Grécia foi subjugada pelos romanos e entrou em decadência, sua música ficou sentimental e triste.

Curiosidades:

-Vcs sabem tb pq só no Brasil se chama violão e não guitarra como em outros países?

Pq a viola é antecedente do violão, até que um cara criou uma viola em tamanho maior, mas continuava chamnado viola, até que um portugues olhou aquela viola maior e disse, mas pois que violão este...

-Outra curiosidade: Na Idade Média os músicos eram proíbidos de usar o Trítono em suas músicas (intervalo de 3 tons da tônica - 4ª aumentada). A Igreja entendia que a sonoridade do Trítono era demoníaca, e perseguia os músicos que insitiam em usá-lo nas suas composições. Hoje várias bandas usam o trítono, como Black Sabbath, Metallica, etc. Exemplo de músicas do Metallica com Trítono: The Call of Ktulu, Am I Evil

teuabreu
Veterano
# fev/06
· votar


Fonte

paulgilbert
Veterano
# fev/06
· votar


kct o teuabreu quebro td a barra do forum...

O_Melhor_O_Modesto
Veterano
# fev/06
· votar


eu axo que esse negocio de que o jonio, era dos povos jonios, dorico dos doricos, e asim por diante eh tudo chaveco. so pra rotular as escalas e deixar bunitxo.

Pelo que me recordo Pitagoras que dividio a escala em 12 sons, atravez dos harmonicos. Se naum me engano.

teuabreu
Veterano
# fev/06
· votar


Kacete não fui eu, num tenho culpa, foi sem querer!!!!!!

Como eu fiz isso???

O_Melhor_O_Modesto
Veterano
# fev/06
· votar


teuabreu

Hoje várias bandas usam o trítono, como Black Sabbath, Metallica, etc. Exemplo de músicas do Metallica com Trítono: The Call of Ktulu, Am I Evil

Praticamente todos usam tritono hoje em dia.

teuabreu
Veterano
# fev/06
· votar


Consertei hehe!!!!

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
 

Tópicos relacionados a Escalas,História e Origem

290.209 tópicos 7.570.778 posts
Fórum Cifra Club © 2001-2014 Studio Sol Comunicação Digital