Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      【FIXO】 Datas de concertos.

      Autor Mensagem
      Alvaro Henrique
      Veterano
      # dez/08
      · votar


      BROUWER REGE A ORQUESTRA DE CÂMARA DA USP (OCAM) NO FESTIVAL LEO BROUWER

      Dia 11/12/08 às 21h
      SESC PINHEIROS
      Rua Paes Leme, 195 - São Paulo, SP
      Ingressos: R$ 20,00 inteira, R$ 10,00 meia entrada e R$ 5,00 associados
      Tel.: 11 3095-9400

      Dia 14/12/08 às 16h
      MASP - Grande Auditório
      Av. Paulista, 1578 - São Paulo, SP
      Ingressos: R$ 6,00 inteira e R$ 3,00 meia entrada
      Funcionamento da bilheteria: terça a domingo das 11h às 17h.
      Tel.: 11 3251-5644


      Programa

      Obras de Leo Brouwer (1939) em primeiras audições no Brasil

      - Los negros brujos se divierten (1985), para conjunto de câmara

      - Gismontiana (2004), para quarteto de violões e orquestra de cordas
      I. Frevo
      II. Água e vinho
      III. Baião Malandro
      IV. A fala da paixão
      V. Cadência
      VI. Loro
      Solistas: Quaternaglia
      João Luiz, Fabio Ramazzina, Paola Picherzky e Sidney Molina

      Intervalo

      - Vitrales de La Habana Vieja (2007), para orquestra de cordas
      I. Paisaje cubano con lluvia
      II. Concierto barroco
      III. Arquitectura ornamentada
      IV. Celebración del espacio antiguo
      V. El ocaso del día

      - Canción de gesta (1979), para orquestra de câmara

      Orquestra de Câmara da USP (OCAM)
      Regente: MAESTRO LEO BROUWER

      OCAM
      Diretor Artístico e Regente titular: Gil Jardim
      Maestro Emérito e Fundador: Olivier Toni
      Maestro Assistente: Henrique Villas Boas - Graduação do
      Departamento de Música da ECA/USP

      Oficina Leo Brouwer
      Isabelle Hernández, dirección artística
      Ricardo Reyes, ayuda de cámara
      Ediciones Espiral Eterna


      As obras do programa:

      Los negros brujos se divierten

      Foi composta em 1985 para alunos de um conservatório francês, tem uma linguagem de simplicidade comum ao minimalismo não-ortodoxo e a "nova" simplicidade que tanto refrescou nosso discurso sonoro pós-serial. Se sabemos a séculos que a música ritual de origem africana é minimalista, não é de estranhar que certas formas reiterativas sejam totalmente orgânicas a nossa música. Alguns dos dez instrumentos do ensemble desta obra podem ser substituídos por outros, lembrando o velho uso renascentista, com exceção do violino, do violoncelo e do contrabaixo. Isto é ajudado pela facilidade técnica da escrita instrumental concebida - como dissemos - para estudantes. O tambor só produz dois sons que dão começo e final à estrutura da peça. As algaravias ou "festas sonoras" se produzem aleatoriamente em duas ocasiões também. Em Los negros... não há solistas, todos se unem em um tecido bastante homogêneo resultando, curiosamente, de uma rara transparência.

      Leo Brouwer
      Turku, Finlândia, 10 novembro de 2008
      (tradução de Juliana Frutuoso - Instituto Cervantes)



      Gismontiana (2004)
      (texto original)

      Trabalhar sobre temas de Egberto Gismonti não exigiu esforço; parece que estou criando minhas próprias sonoridades. Meu som e o do maestro brasileiro são diferentes em estilo, mas em essência se irmanam. Depois de ter dirigido suas obras para orquestra - com piano ou violão - e de assistir ao prodígio de suas improvisações pude realizar esta obra de uma só vez. A profundidade do espírito brasileiro que existe em Camargo Guarnieri ou em Villa-lobos na 1ª metade do século XX, só encontrou um continuador em Gismonti. Aconteceu o mesmo com Falla; o Retablo de Maese Pedro, o Concierto de Címbalo ou El Amor Brujo obrigaram aos espanhóis a procurar fontes diferentes das do maestro andaluz (só Ohana recuperou o fio condutor que parecia esgotado por Falla).

      Os concertos e algumas sinfonias de Guarnieri, os quartetos, o Momoprecoce, Erosão ou o Choro nº 10 para coro e orquestra de Villa-lobos (sem esquecer a obra para piano ou os "Estudos" de violão) são alguns exemplos inimitáveis de Villa-lobos que permaneciam sem continuidade. Ai está o problema, não se pode imitar senão "herdar"; por isso surgiu um Gismonti na segunda metade do século XX.

      O Quarteto GuitArt da Itália me solicitou este trabalho e recebeu a estréia "italiana" de cinco das obras mais impactantes de Gismonti. O Mato Grosso, a cultura nordestina, Rio de Janeiro, Amazonas, as linguagens múltiplas que se transformam e enriquecem constantemente deram origem a um gigante cultural: Brasil, do qual emerge este grande músico.

      Leo Brouwer
      17 de fevereiro 2008
      (tradução de Juliana Frutuoso)



      Vitrales de la Habana Vieja, para orquestra de cordas (2007)

      Estreada sob direção do Maestro Brouwer, em 15 de setembro de 2007 na Basílica Menor do Convento de San Francisco de Assís em Havana, que dedicou a partitura a D. Eusebio Leal, historiador da cidade - homem que tornou possível a restauração da La Habana Vieja - ao conjuntoSolistas de La Habana e ao seu diretor, Maestro Iván Valiente.

      O crítico Pedro de la Hoz escreveu: "A nível descritivo as associações funcionam. Mas esta não é música programática. Leo renovou no primeiro movimento o tema principal de sua Paisaje cubano con lluvia, para orquestra de violões; reinventou ares vivaldianos depois dos primeiros violinos, desatou as ânsias barrocas com uma mensagem implícita à La ciudad de las columnas de Carpentier, e selou a evocação sob a aura de um lirismo contido".

      Isabelle Hernández (tradução de Juliana Frutuoso)



      Canción de gesta

      No fim de 1978 foi pedido ao maestro que fizesse uma obra para a American Wind Symphony Orchestra de Pittsburgh. Supostamente essa música seria interpretada a bordo de um pequeno cruzeiro no qual já era habitual que esta orquestra e seu diretor, Robert Austin Boudreau, tocassem para "entreter" os passageiros durante sua travessia por toda a costa leste norte-americana. Esta situação me lembra os passeios noturnos pelo Tamisa que fazia o rei inglês George I e sua corte para o qual Händel compôs sua Water Music. Tal analogia se confirma quando na introdução da Canción de gesta aparece no trompete o tema do Hornpipe da suíte händeliana. Tal citação a expõe como chamado de atenção e, por que não, também como costuma-se fazer na princípio do guaguancó cubano. A obra tem como subtítulo: "Epopeya del Granma, la nave llena de futuro" como lembrança da histórica viagem cubana de 1956. A pesquisadora e violista Mara L. Carvajal escreveu: "O uso dos sforzandos, de reguladores, pianos e pianísimos, como elementos expressivos são determinantes nesta peculiaridade sonora [...] Nela se observa uma assimilação de linguagens que são magistralmente tratados na obra através do elemento tímbrico sonoro e dos matizes e cores que se obtém como resultado das combinações orquestrais que se empregam."

      A partitura, na sua versão original, está concebida para orquestra de sopro (a quatro), piano, harpa e cinco percursionistas. Um tempo depois realizou a versão de câmara para o Conjunto Instrumental Nuestro Tiempo e seu diretor Manuel Duchesne Cuzán. Pura Ortiz, pianista da Orquestra Sinfônica Nacional de Cuba comenta: "Eu adoro esta obra. Quando a apresentamos em sua versão original, gostamos tanto que pedimos ao Leo - isso foi um pedido pessoal e do maestro Duchesne - que fizesse uma redução para quinze solistas, que eram os integrantes do Conjunto Nuestro Tiempo. Aquilo foi tão impressionante que quando o grupo fez sua primeira turnê em 1979, levamos a Canción de gesta. A turnê passou pela Rússia, na Sala Tchaikovski, também fomos à Hungria, a um festival na Alemanha, tocamos na Levanhause, foi um sucesso, o maestro Duchesne teve que sair cinco vezes para saudar o público. É que essa obra é tão impactante. Começa com o tema barroco de Händel, mas depois Leo vai desenvolvendo isso de uma maneira tal que ali se ouve tudo, a batalha, os tiros e no final a coisa é tão emocionante que quando acaba aquilo, as pessoas ficam assim: o que é isso?"

      O certo é que desde a estréia da Canción de gesta ela não deixou mais de ser apresentada. O que tem esta partitura? Acima de tudo um grande poder de comunicação. A decodificação do ouvinte assimila um alto grau de informação de grande eficácia estética. Estes "módulos de relação" que se acham imediatamente na Canción de gesta, relacionam as nossas memórias - no mesmo instante em que se capta a obra no seu "significado"- ao conjunto de acontecimentos passados e presentes medindo-os em mútua relação. Recuperação, sincretismo, atualidade e resumo, soam imbricados no diálogo pela liberdade criativa do maestro. Tudo isto se projeta em um tempo novo: nossa época. Um século e um milênio que culminam e recebem a integridade única da experiência e a tradição secular mais pluralizada que a de qualquer outro período histórico.

      O que nos traz a Canción de gesta? Um canto de libertação, uma imagem de resistência, uma poética de lucidez e um espírito em ação. E por acaso não estou comentando sobre algo que faz algum tempo chamam pós-modernismo? A respeito deste termo, desde que o ouvi pela primeira vez tive minhas dúvidas. A ambigüidade do prefixo "pós" tem também aspectos que me divertem, mas por outro lado tem muitas razões de peso, que em alguma medida, explicam por que se converteu em um termo tão comum e aplicável, a um nível macro e "global". São muito cômodas estas três letras. Quase dizem de onde você parte, mas não para onde vai ou até onde chegou. São ambíguas, mas a nós humanos nos fascinam tanta confusão e paradoxo lingüístico. Como podemos estar mais além da era moderna na qual vivemos? Esquecemos o tempo presente como os "futuristas" e situamos a existência em um contínuo estado de amanhã? Ou é como disse Octavio Paz, que é uma crítica do modernismo presente dentro da própria modernidade? No que diz respeito à pós-modernidade musical o próprio Leo escreveu um artigo que apresentou como conferência na Akademie der Kunste de Berlim em 1988. Intitulou seu ensaio Música, folklore, contemporaneidad y postmodernismo e teve também a sorte e o privilégio de falar em um dia, e no dia seguinte falar Umberto Eco. Desse escrito cito algumas partes que considero realmente esclarecedoras.

      "A diferença entre o nascente pós-modernismo da década atual e aquele do pós-guerra é radicalmente oposta. Agora começa uma mudança de valores (entendam-se valores estéticos e conceitos de linguagem artística enquanto comunicação). No pós-guerra houve uma mudança de atitudes; mudança de sistema, mas não de estrutura; mudança de conteúdos, mas não de formas. Schönberg muda o sistema tonal pelo dodecafônico, mas não abandona as formas sonata ou variação, das quais é continuador ou herdeiro. Cada vanguarda não faz outra coisa além de intensificar a mudança para criar uma nova atualidade; atualidade esta formada por tradições, mas com um deslocamento ou ordem nova. Como disse em outra ocasião, cada etapa nova nega imediatamente a anterior quando aquela alcança seu mais alto grau de saturação, quando ultrapassa os limites do seu próprio desenvolvimento. Por isso, o atual "pós-modernismo" buscará apoio em tradições anteriores, mas transcendendo-as, não as imitando".

      A Canción de gesta é uma das partituras mais populares do maestro, sem considerar sua produção para violão. No caso do parâmetro metro-rítmico, a obra vai em um contínuo crescendo de figurações que se expandem e incorporam novos valores mesclados para formar densas faixas polirrítmicas. Este acúmulo de tensão de ritmos funciona em toda a macroestrutura como momentos de desenvolvimento, tal é o caso da percussão que conduz à notáveis momentos climáticos.

      Esta música transmite a inconfundível personalidade estilística do compositor já em plena maturidade. A dialética de suas linhas melódicas curtas e acordes sobrepostos às mencionadas figurações de grande mobilidade; e o jogo instrumental policromático faz dela uma obra expressiva e coerente. No plano das dinâmicas também são marcadas as densidades contrastantes, que sempre buscam esse ponto de clímax. Tudo está em função de conseguir alcançar o auge das sensações. Em relação ao modo - entenda-se este como todo relacionado com as alturas do som - como é característico em Leo, parte da percepção sonora, mais que da representação um tanto abstrata do som. Brouwer escreve para os ouvidos humanos e não para um papel frio. O resultado, então, é puramente operado por sensores e isso ajuda na elaboração de uma audaciosa e totalmente orgânica escritura harmônica, linear e polifônica. Canción de gesta é uma das obras mais importantes de toda a história da música cubana. Isto pode parecer um exagero, mas não é, porque não é algo que esteja profetizando, é algo que já é real, desde agora. A própria história está dando sua resposta.

      Isabelle Hernández: texto extraído de Leo Brouwer, Havana: Editora Musical de Cuba, 2000. (tradução de Juliana Frutuoso)

      Mais informações: www.festivalleobrouwer.com.br

      Alvaro Henrique
      Veterano
      # dez/08
      · votar


      21/12/2008 - 17h
      Temporada A música das Nações - Concerto de Natal
      Teatro da UNIVAP - São José dos Campos
      Praça Cândido Dias Castejon, 116 - Centro

      Orquestra de Câmara Vale do Paraíba
      Regência: Rogério Santos
      Violão: Alvaro Henrique

      Arcangelo Corelli - Concerto grosso op. 6 no. 8 - para a noite de Natal

      Radamés Gnatalli - Concerto de Copacabana, para violão e orquestra

      Edward Huws Jones - O Natal ao Redor do Mundo

      Mais informações: http://www.sofij.org.br

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # fev/09
      · votar


      Rio de Janeiro (RJ)
      26/02/2009 - Quinta-feira, 12h30

      Pianista Patricia Glatzl toca peças de Bach, Mozart e Chopin
      Patricia Glatzl, piano

      Museu do Primeiro Reinado
      Av. Pedro II, 293 – São Cristóvão. Tel.: (21) 2332-4513.
      $ Grátis

      PROGRAMA:
      Bach - Suíte inglesa em lá menor N. 2
      Mozart - Sonata em lá menor K 310
      Chopin - Scherzo N. 3, Op. 39
      Chopin - Ballada N. 1

      Recital solo, Série "Música no Museu"

      ---------------------

      Se alguém daqui for me avisa pra gente se conhecer.

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # mar/09 · Editado por: The Root Of All Evil
      · votar


      Instituto de Biologia
      CONCERTO DE GALA DO INSTITUTO DE BIOLOGIA
      BRUNO FRANCO - JORNAL DA UFRJ

      O Instituto de Biologia comemorará seus 40 anos com um Concerto de Gala. O evento que será realizado no dia 23 de março, das 18h às 21h, no auditório do Centro de Tecnologia (CT), contará com a Orquestra Sinfônica da UFRJ, regida pelo professor André Cardoso, diretor da Escola de Música da UFRJ.

      O Concerto deverá ser prestigiado pelo reitor Aloísio Teixeira, os pró-reitores e decanos. Na ocasião, brindes serão distribuídos ao público. No repertório do Concerto, obras do ícone da música erudita nacional, Heitor Villa-Lobos, cujo falecimento completará cinquenta anos, em novembro.




      Uhul, concerto do meu curso =D

      Ken Himura
      Veterano
      # mar/09
      · votar


      Ih caralho xD

      Então o concerto da ORSEM era pra comemorar o aniversário da Biologia?

      Talvez eu vá.

      KamyCello
      Veterano
      # mar/09
      · votar


      Para quem quer ouvir boa música em Brasília, segue o link com a agenda da orquestra sinfônica do teatro nacional (OSTNCS)

      http://www.sc.df.gov.br/paginas/ostncs/ostncs.php

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # mar/09
      · votar


      Ken Himura
      Ih caralho xD

      Então o concerto da ORSEM era pra comemorar o aniversário da Biologia?

      Talvez eu vá.


      Será pra comemorar os 40 anos do Instituto \o/
      Só não entendi o "gala", vou ter que ir arrumadinho?

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # mar/09 · Editado por: The Root Of All Evil
      · votar


      Recital de jovens talentos na UFRJ
      Túlio Gomide Neves, violão. Participações: Ramon Murcia, flauta. Quarteto Volpi de Violões.

      Escola de Música da UFRJ - Sala da Congragação
      Rua do Passeio, 98 – Centro. Tel.: (21) 2240-1391.
      $ Grátis

      PROGRAMA:
      Carlo Domeniconi - Koyumbaba
      André Trindade - Figurinha
      Villa-Lobos - Estudo N°8
      Roberto Velasco - Valsa da Rosa
      Túlio Gomide - Recanto das Cigarras
      Túlio Gomide - Lage do Ouro
      Túlio Gomide - Muriqui



      Bora lá galera, é hoje às 18:30. Eu vou.

      Ken Himura
      Veterano
      # mar/09
      · votar


      Só não entendi o "gala", vou ter que ir arrumadinho?
      Também não saquei. Tenta pegar as informações aí pra gente! =P

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # mar/09
      · votar


      Ken Himura

      Moleque!
      Foi foda.
      Foi só uma orquestra de Sopros e tal, rolou Villa Lobos, com uma professora de canto da escola de música da UFRJ.

      E tinha comida e bebida liberado, bancado pelo Instituto de Biologia.
      Só que só tinha vários tipos de café.
      Capuccino, Mocaccino, dedod e moça e tal.
      Bebi bagarai =P

      Atum Bluesman
      Veterano
      # mar/09
      · votar


      The Root Of All Evil
      Posso fazer uma pergunta estranha pra você? Como você vai vestido em concertos?
      Escuto Musica Erudita a tanto tempo e nunca fui em uma apresentação de orquestra, somente violões...e tenho esa duvida de como ir vestido.

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # mar/09
      · votar


      Atum Bluesman
      Posso fazer uma pergunta estranha pra você? Como você vai vestido em concertos?

      Vou normal cara, nada de mais. Calça Jeans, camisa, tênis, as vezes até de boné.
      E quando vai algum outro jovem vai normal também.

      As vezes quando vou a algum concerto maior gosto de ir mais arrumado.

      Mas em tese é a mesma roupa que eu vou ao cinema, ou ao shopping =P

      Só que sempre de calça comprida e tênis, porque vários lugares não deixam entrar de bermuda e chinelo.

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # abr/09
      · votar


      Daniel Sanches, piano. Fábio Meg Coelho, violoncelo.
      Programa

      Villa-Lobos - Pequena suíte e Prelúdio N. 2. David Popper- Chanson villageoise Op. 62, N. 2. Marlos Nobre - Poema N. 3 Op. 94. J. Guerra Vicente - Cenas Cariocas.

      Conservatório Brasileiro de Música / Auditório Lorenzo Fernândez , 18h30.

      Grátis

      Série "Música no Conservatório".

      Av. Graça Aranha - 57/12º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - 21 - 3478-7600

      -------------------

      Tô pensando em ir, mas tô com um pouco de preguiça, mas sexta feira vou em 2!!

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # mai/09
      · votar


      Quinteto Los Mareados ( Avelino Romero, bandoneón. Esthefânia Ribeiro, piano. Maurício Teixeira, violão. Talita Vilar, violino. Vinicius Veloso, contrabaixo. ).
      Programa

      Piazzolla - Milonga del ángel; Muerte del ángel; Resurrección del ángel; Coral; Invierno porteño, Verano porteño (de "Cuatro estaciones porteñas"); Libertango; Soledad; Ausencias; Vuelvo al sur; Oblivion; Los sueños; Michelangelo 70; Adiós, Nonino.

      Hotel Mercure / Panorama Piano Bar , 18h.

      R$ 75 (inclui coquetel)

      Série "Panorama in Concert - Clássico e Gastronomia".

      Rua João Lira - 95 - 19º andar - Leblon - Rio de Janeiro - RJ - 21 - 3902-5595.
      ------------------

      Foda demais este!!


      Mas vou neste aqui pq já tinha que fazer uma coisa no centro:

      Marrielle Nordman, harpa.
      Programa

      Handel. Bach. Mendelssohn. Granados. Erdelyi. Glinka. Sikhra. Posse. Oberthür. Villa-Lobos. Malats. Tarrega. Parish/ Alvas. Tansman. Donizetti.

      Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)-RJ / Teatro 2 , 17h.


      Série "Música no Museu" - IV Rio Harp Festival.

      R. Primeiro de Março - 66 - Centro - Rio de Janeiro - RJ - 20010000 - 21-3808-2020

      Guguminator
      Veterano
      # mai/09
      · votar


      Teremos Brahms, Concerto No. 2 e Sinfonia No. 1 na Cecília Meireles dias 8 e 9 de maio.

      ThiagoMafra
      Veterano
      # mai/09
      · votar


      The Root Of All Evil
      Ken Himura

      Vocês são cria do fundão tb ?

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # mai/09
      · votar


      MafraTH

      Eu sou.
      Tu é de que curso?

      ThiagoMafra
      Veterano
      # mai/09
      · votar


      The Root Of All Evil

      Literaturas, e tu ? Mas tranquei esse período.

      Ken Himura
      Veterano
      # mai/09
      · votar


      MafraTH
      Eu não, mas tenho muitos amigos lá.

      ---

      Esse repertório do Piazzolla tá MUITO FODA. Vale a pena.

      Andrei89
      Veterano
      # jul/09 · Editado por: Andrei89
      · votar


      9 de julho - Lançamento do Festival de Música de Câmara de Caxias do Sul - 2009

      Johann Sebastian Bach (1685 - 1750)
      Concerto Tríplice para dois oboés, fagote e orquestra - BWV 42 / BWV 249A - 1ª audição no Brasil
      Carl Stamitz (1745 - 1801)
      Concerto para Viola e Orq. em Ré Maior Op. 1
      Regente: Manfredo Schmiedt
      Convidados
      Luis Carlos Justi - oboé
      Geremias Freitas - oboé
      Aloysio Fagerlande - fagote
      Marcelo Jaffé - viola
      Local: UCS Teatro - às 20h30min

      Andrei89
      Veterano
      # jul/09
      · votar


      20 de agosto - 2009 Ano que celebra a França no Brasil

      Claude Debussy (1862 - 1962)
      Prélude à "L'Après-midi d'um faune"
      Ivan Jevtic (1947 - )
      Concerto Nº. 2 para Piano e Orquestra
      Vincent D'Indy (1851 - 1931)
      Symphonie sur un chant montagnard français, Op. 25
      Regente: Manfredo Schmiedt
      Convidados
      Pascal Gallet - piano
      Local: UCS Teatro - às 20h30min

      Andrei89
      Veterano
      # jul/09
      · votar


      12 de novembro - Concerto Especial de Aniversário

      Felix Mendelssohn-Bartholdy (1809 - 1847)
      Concerto p/ Violino e Orquestra em mi menor Op. 64
      Johannes Brahms (1833 - 1897)
      Sinfonia Nº 2 em Ré Maior
      Regente: Manfredo Schmiedt
      Convidados
      Guillaume Tardif - violino
      Local: UCS Teatro - às 20h30min

      Andrei89
      Veterano
      # jul/09
      · votar


      10 de dezembro - Especial de Natal

      Antonio Carlos Gomes
      Sinfonia "Il Guarany"
      Árias de óperas: Italianas e Nacionais
      George Bizet (1838 - 1875)
      L'Arlésienne: Suíte Nº. 2
      Pyotr Ilyich Tchaikovsky (1840 - 1893)
      Abertura 1812 Op. 49
      Regente: Manfredo Schmiedt
      Convidados
      Solistas cantores e Banda
      Local: a definir - às 21 horas

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # jul/09
      · votar


      Quarteto Alevare ( Lélia Brazil, flauta. Luiz Flavio Alcofra, violão. Raul D'Oliveira, contrabaixo. Tina Werneck, viola. ).
      Programa

      Piazzolla - Michelangelo 70; Los sueños; Rregreso al amor; Escualo; Adios nonino; Tanti anni prima; Contrabajeando; Milonga del angel; Verano, Primavera, Otoño (de "Las cuatro estacionaes porteñas).

      Centro Cultural do Clube de Engenharia , 18h30.

      Grátis (distribuição de senhas a partir das 17h30)

      Av. Rio Branco - 124 - 6° andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - 20040001 - 21-2178-9200



      Eu vou \o/

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # jul/09
      · votar


      Agora que vi que não botaram logo o Inverno!!
      Espero que estejam guardando pro Bis.

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # jul/09
      · votar


      Tocaram Inverno :D
      Muito foda o show!
      Dia 26 vai ter de novo, no Cine Art UFF, na reitoria da UFF, em Niterói.
      10 da manhã, de graça e desta vez com um Bandeonista Uruguaio convidado!

      Não percam!

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # jul/09
      · votar


      Cristiano Alves, clarinete. Isaac Karabtchevsky, regente.

      Orquestra Petrobras Sinfônica.
      Programa

      Debussy - Rapsódia para clarinete e orquestra. Françaix - Concerto para clarinete e orquestra. Ibert - Divertissement. Milhaud - Saudades do Brasil.

      Sala Cecília Meireles , 20h.

      R$ 20 (pl. sup.). R$ 30 (pl.). Há meia-entrada para estudantes, idosos e portadores de necessidades especiais.

      Série "Djanira".

      Largo da Lapa - 47 - Centro - Rio de Janeiro - RJ - 20021190 - 21-2332-9176 - ramal 21


      Acho que vou neste.

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # jul/09
      · votar


      Haha!!
      Fui e ainda ganhei a entrada pra lugar reservado!!
      Paguei nada :D

      E não é a primeira vez que isto acontece. Vou tentar ir em algum dia que o ingresso custar 120 reais, pra ver se ganho também :P

      The Root Of All Evil
      Veterano
      # jul/09
      · votar


      The Root Of All Evil
      Muito foda o show!

      Concerto, seu burro! Conserta isso.

      Henrique Leal
      Veterano
      # jul/09
      · votar


      Fui e ainda ganhei a entrada pra lugar reservado!!
      Paguei nada :D

      E não é a primeira vez que isto acontece. Vou tentar ir em algum dia que o ingresso custar 120 reais, pra ver se ganho também :P



      perae... como conseguiu? e.. porque conseguiu?

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a 【FIXO】 Datas de concertos.

      303.026 tópicos 7.842.566 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital