BLACKGAZE: black metal sem a baboseira satânica + shoegaze

    Autor Mensagem
    victorhugorleite
    Membro Novato
    # mar/17 · Editado por: victorhugorleite


    BLACK METAL: muito tremolo, muito Satanás, bumbo duplo ao cubo, gritos e corpse paint.
    Honestamente, é difícil conseguir gostar do Black metal assim. Tirando um ou outro, às vezes dá pra ouvir, mas geralmente é incompreensível qualquer coisa que se toque ou cante dentro do black metal.
    Aprecio muito o metal e todas suas vertentes. Gosto muito de Rammstein, Type O Negative, Death, Sabbath... E por aí vai. E sempre fiz força pra ouvir alguma coisa do black metal, mas nunca consegui...
    Me introduzi no black metal (tentando) com o "De Mysteriis Dom Sathanas" do Mayhem e... Ri muito! Aquela gritaria toda ainda é incompreensível pra mim.
    Aí conheci o Burzum e gostei para cacete. Claro, o Burzum é outra coisa... É mais "ambient" (odeio essas classificações, mas a fim de entender o que é a música do cara, tem que usar este termo...) e menos poluído. Aquele disco "Philosophem" é MUITO LEGAL! E se não me engano, foi gravado na prisão onde o Varg Vikernes, criador e único integrante do Burzum estava detido por matar um sujeito do Mayhem e por queimar umas igrejas just-for-fun.
    ENFIM, e no meio disso tudo, pesquisando na web (e na deep web, porque não?) conheci um troço bem legal chamado BLACKGAZE. Tô anunciando como se eu tivesse descoberto algo inédito e super sensacional, embora muita gente deve conhecer, mas tenho certeza que muita gente não conhece.
    Gosto muito do shoegaze e seus ícones como Slowdive, Jesus and the Mary Chain, My Bloody Valentine e blá, blá, blá. Apesar de gostar bastante, em tudo que ouço eu procuro PESO. Sempre procuro um guitarrista que põe um pouco de peso na guitarra, mesmo em gêneros que não tem margem pra isso (como no shoegaze). E foi aí que descobri o BLACKGAZE.
    Como o nome já diz, o Blackgaze mistura o Black metal com o shoegaze, mas com muitos PRÓS (que eu notei...).
    Primeiro: não tem essa coisa satânica chata para diabo. Eu sou professor de história em formação e tive uma disciplina relacionada às práticas de ensino na sala de aula que serviu para que nós, futuros professores, respeitemos tudo o que está a nossa volta e para que lutemos contra a criação de estigmas. E eu respeito! Mas, honestamente, esse lance do satanismo é uma coisa fora de sério pra mim... É difícil de entender e é difícil não olhar com outros olhos. Embora eu não tenha nenhum tipo de crença no divino, esse lance satanista (no metal) é um saco...
    Desabafos a parte, segundo PRÓ: as músicas não são masturbativas e o bumbo não é aquela metralhadora a música toda. Logo abaixo deste texto grande que escrevi tem alguns shows de bandas de blackgaze e neles dá pra ver bem como alguns são bem feitos e (abre aspas) harmonicamente corretos (fecha aspas). Tem um camarada de uma banda que até usa uma Jaguar, ícone do shoegaze...
    Terceiro PRÓ: as músicas tem atmosfera do shoegaze mesmo. E para quem gosta, é fantástico poder ouvir o peso de uma guitarra em Drop Dó com essa atmosfera...

    Ah! Isso tudo que disse sobre o black metal, satanismo etc. é a minha opinião que não tem importância alguma. Eu, Victor, acho isso e aquilo, portanto, nada do que eu disse sobre o black metal e satanismo é parâmetro ou verdade (ou mentira) sobre estes assuntos. Por favor, haters, não me crucifiquem...



    1. Este aqui é o blackgaze do mano que usa a Jaguar (ou Jazzmaster, sei lá!).

    2. "Obelisk", da banda BLACK TABLE. Disco completo. Comecei a ouvir ontem e até agora tá bem legal...

    3. Deafheaven. Estes caras aqui são um bocados exagerados (às vezes), mas é bem legal.

    4. Altar of Plagues. O nome já anuncia a atmosfera hehehe



    Vídeo 1




    Vídeo 2




    Vídeo 3




    Vídeo 4



    Lelo Mig
    Membro
    # mar/17
    · votar


    victorhugorleite

    Bom, já que "apresentou" estas bandas, alguns comentários...

    Não as conhecia.

    A primeira, Alcest, gostei (pelo menos esta música). Tem uma sonoridade mais anos 80, na linha The Mission, Sistem of Mercy, gosto desse clima.

    A segunda, fora uma ou outra passagem interessante, não vi nada diferente de outras bandas que fazem essa linha "alma sendo torturada no inferno". Acho que nesse estilo "agonia", ou, álbum para ouvir antes de se suicidar, dificilmente, para meu gosto, alguém vai conseguir fazer coisa pior (aqui no bom sentido), que este álbum do Bethlehen:



    A terceira, Deafheaven, até achei curioso de ver. Mas o som não me agradou. É como se fosse o Immortal, só que com a roupa de ir na missa.

    O último, Altar of Plagues, não curti muito não. É mais moderno, tem um "q" de industrial, mas não é minha praia não. É bem difícil eu gostar de vocal gutural, poucas bandas assim me atraem.

    Não estou criticando não... é gosto e identificação pessoal mesmo.

    Nessa linha "Dark Pesado Climático Soturno", meu gosto vai nesta praia:





    victorhugorleite
    Membro Novato
    # mar/17
    · votar


    Lelo Mig

    Seus comentários são ótimos... hahahaha.
    Ah, é bem difícil gostar de black metal. O que mais gosto é a Alcest por ter uma sonoridade mais oitentista... O resto tô aprendendo a gostar.

    Vou postar mais uma banda que não tem tanto peso, mas ainda sim é válido pela tentativa.
    PS:. A cena de metal na França está indo bem... Todas essas bandas, se não me engano, são francesas.



    Wade
    Membro Novato
    # mar/17 · Editado por: Wade
    · votar


    black metal sem a baboseira satânica não é Black Metal.

    O BM foi um movimento artístico/musical/cultural e era basicamente fazer uma afronta à globalização do cristianismo, especialmente nos países nórdicos. Pregando o ódio ao fato de que os cristãos destruíram o paganismo e enfiaram goela abaixo a sua seita e bla bla bla.

    Como os protagonistas do movimento eram jovens mancebos no auge da adolescência no final dos anos 80, a música que acabou por ser definida como pano de fundo pro movimento foi o que esses jovens mancebos ouviam na época: Metal.

    A agressividade e ódio nas ideias foram passadas pra música, levando esta um pouco para os extremos. Era a única intenção: caminhar em direção ao extremo.

    Mas na essência, a MÚSICA do MOVIMENTO Black Metal nada mais é do que derivações de Speed Metal ou Doom Metal, que já existiam. Só que MUITO mal executadas (de propósito) e com a produção mais porca possível (também de propósito).

    No fim, o que diferencia Black Metal de outros gêneros extremos é a ideologia por trás, por mais imbecil que esta possa parecer. A música era só um veículo usurpado.

    Tipo o senso comum de incluir o Venom no bolo do Black Metal. Pelo amor de deus, Venom é Nwobhm até o osso. Assim como o Bathory, que passeou entre Speed, Doom e Folk). Essas bndas eram apenas bandas que os guris do BM curtiam e de onde tiraram certa inspiração.

    Ah, os discos do Burzum gravados na prisão foram o Dauði Baldrs e o Hliðskjálf. O Filosofem foi lanlado quando ele tava preso, mas foi gravado bem antes.

    Sobre as bandas dos vídeos, já conhecia o Alcest e curto muito o som deles. As outras não me agradaram muito.

    BrotherCrow
    Membro Novato
    # mar/17
    · votar


    Curto demais o Deafheaven. As letras, os interlúdios mais melódicos, a arte gráfica dos discos... acho que é uma banda com um conceito interessante e um som bem particular.

    Mas quando escutei pela primeira vez foi muito estranho. Eu tinha ouvido o Anthony Fantano falar maravilhas deles, as reviews eram ótimas, aí achei o Sunbather (disco mais clássico deles) em vinil duplo, edição limitada com discos coloridos, numa loja da minha cidade. Comprei. Quando cheguei em casa, achei o som esquisitaço. Me propus a me acostumar com aquilo, então quando estava no trabalho fui ouvir o disco no youtube e parecia completamente outra banda.

    Explico: o vinil era em 45 rpm e eu tava ouvindo em 33... mas tinha tanto blast beat, tremolo picking e vocal gutural que eu achei que era assim mesmo (até soava um pouco como Sunn). Ouvir o disco na rotação certa foi uma revelação, virei fã na hora.

    victorhugorleite
    Membro Novato
    # mar/17 · Editado por: victorhugorleite
    · votar


    Wade
    Ah, bem... Tô partindo do pressuposto da música e não dos pressupostos teórico-metodológicos do Black Metal! Mas você não deixa de estar certo...
    Lembro quando ouvi um troço chamado unBLACK Metal e achei um bocado estranho, já que o unBLACK metal é o black metal... cristão.

    Tipo o senso comum de incluir o Venom no bolo do Black Metal. Pelo amor de deus, Venom é Nwobhm até o osso. Assim como o Bathory, que passeou entre Speed, Doom e Folk). Essas bndas eram apenas bandas que os guris do BM curtiam e de onde tiraram certa inspiração.

    Concordo para caramba...

    Lelo Mig
    Membro
    # mar/17 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    Wade

    "Tipo o senso comum de incluir o Venom no bolo do Black Metal. Pelo amor de deus, Venom é Nwobhm até o osso. "

    Cara, isso acabou acontecendo, porque ainda que o Venon tenha surgido com a vertente e que "sonoramente" seja NWOBHM, a temática da banda é diferente das demais bandas contemporâneas.

    O Venon era mais rápido e mais pesado que seus contemporâneos, o vocal mais ríspido, era mais "tosco e podre" e suas letras quase que exclusivamente com temática satanista. Seus integrantes usavam nomes de demônios e demais características que serão todas incorporadas posteriormente pelas bandas de Black Metal.

    Além de ter "dado nome ao movimento", por conta de seu álbum Black Metal, e o nome de um monte de bandas de black metal serem tiradas de suas letras.

    Hoje pode soar comum e até ingenuo, mas lembro que quando ouvi "At War With Satan" pela primeira vez, nos anos 80, foi impactante. O som e as letras eram muito agressivos e extremos para a época.

    Mas eu, particularmente, os considero os "pais" do Black Metal e de certa forma até do Trash.

    Julia Hardy
    Veterano
    # mar/17
    · votar


    Já que vocês estão sobre os precursores, o que me dizem do Sarcófago?

    Lelo Mig
    Membro
    # mar/17 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    Julia Hardy

    "....o que me dizem do Sarcófago?"

    Ainda que eu não seja a pessoa mais indicada para avaliar bandas extremas, porque não é um gênero que eu aprecie, contudo numa análise isenta, não há como desprezar essa banda.... muito pelo contrário.

    Sarcófago foi "underrated" porque, além de ser uma banda brasileira, fez nos anos 80 um metal que só foi cair no gosto da galera nos anos 90. Estavam à frente, são pioneiros numa porrada de coisas.

    I.N.R.I é um clássico! Um dia terá maior relevância histórica que qualquer álbum do Sepultura, ainda que Bestial Devastation seja mais antigo e não desmerecendo o Sepultura.

    Wade
    Membro Novato
    # mar/17
    · votar


    Sarcófago

    Foi tão importante que ganhou a simpatia dos próprios noruegueses, que desprezavam até bandas extremas de países vizinhos na própria Escandinávia e não tinham uma visão, digamos, amistosa para com povos tropicais muchachos arriba arriba.

    victorhugorleite
    Membro Novato
    # abr/17
    · votar


    Julia Hardy

    Sarcófago é sensacional... Apenas! rs

    Julia Hardy
    Veterano
    # abr/17
    · votar


    Lelo Mig

    O Sepultura foi moldando o próprio som a cada disco. O Sarcófago já debutou com um conceito musical e lírico definido.

    victorhugorleite
    Membro Novato
    # 27/jul/17 10:42
    · votar


    ADIÇÃO: Peste Noire.

    https://youtu.be/uLSUQYzqXZ0

    Acho que o vocal estraga, mas a guitarra em ré menor é muito bem feita.

    BrotherCrow
    Membro Novato
    # 23/jul/18 15:36
    · votar


    Ressuscitando pra falar do novo disco do Deafheaven, Ordinary Corrupt Human Love. Tá excelente, as reviews estão sendo ótimas e vem conseguindo mais espaço no mainstream. Comprei em vinil na pré-venda, ouvi até cansar e sábado agora pude ver eles ao vivo, puta show!

    Estão cada vez mais distanciados do black metal, apesar de ainda manter o gutural:


    tito lemos
    Veterano
    # 25/jul/18 09:18
    · votar


    Eu gosto muito do Alcest, em especial o disco "Écailles de Lune". É basicamente uma banda de um homem só, o Neige, e esse cara sabe como ninguém fazer algo obscuro soar luminoso. É isso que se sente ao ouvir o Alcest: há o clima gélido do black metal, mas há também a luz e o júbilo do dreampop, do shoegaze. É um contraste muito interessante, e único. Enquanto bandas como o Opeth trabalham alternâncias entre passagens calmas e brutais, o Alcest trabalha esses climas numa coisa só. Recomendo.

    tito lemos
    Veterano
    # 25/jul/18 09:19 · Editado por: tito lemos
    · votar


    Duplo

    tito lemos
    Veterano
    # 25/jul/18 09:23 · Editado por: tito lemos
    · votar


    Triplo... foi mal.

    Gabezorx
    Membro Novato
    # 25/jul/18 09:52
    · votar


    tito lemos
    Se eu não me engano eles tocaram no Br recentemente, o Kodama é bem bom.

    Mauricio Luiz Bertola
    Veterano
    # 25/jul/18 10:29
    · votar


    Também curtí essa banda Alcest (curiosamente é o nome do guitarrista da minha banda!).
    As outras eu achei "mais do mesmo"...
    Não curto Black Metal... Mas as vezes acho engraçado...
    Abçs

    Gabezorx
    Membro Novato
    # 25/jul/18 10:41
    · votar


    Mauricio Luiz Bertola
    Mas as vezes acho engraçado...
    É de longe o gênero mais engraçado e tosco dentro do heavy metal, daqui a pouco aparece alguém pra defender ou dizer que o metal está morto.

    tito lemos
    Veterano
    # 25/jul/18 10:52
    · votar


    Outro detalhe que esqueci de comentar é que, quando há vocais rasgados no Alcest, eles não soam tão ríspidos, ficam lá atrás na mix, é mais como um outro instrumento, não há aquela "maldade" tosca do Black Metal. Eu vejo isso um pouco no Burzum também. O que me faz manter distância do Burzum é o fato de ser um som muito repetitivo e por não compactuar com as ideias malucas do Varg Vikernes. Sem contar que os discos "ambientes" do Burzum, sem guitarras, são bem toscos...

    BrotherCrow
    Membro Novato
    # 25/jul/18 15:26
    · votar


    Pois é, no último do Deafheaven tem até bastante coisa que lembra Smashing Pumpkins, Explosions in the Sky... a primeira música do disco novo é quase só piano e guitarra limpa.
    Tanto é que a banda que abriu pra eles aqui em Washington (um tal de Drab Majesty, de Los Angeles) fazia um som estilo Sisters of Mercy, bem gótico new wave.
    Eu gosto do black metal "de verdade", mas também gosto de coisas bem mais leves. O Deafheaven (e em menor escala o Alcest também) me agradam porque juntam várias influências que me agradam.

    Julia Hardy
    Veterano
    # 03/ago/18 11:06 · Editado por: Julia Hardy
    · votar


    Honestamente, é difícil conseguir gostar do Black metal assim.

    Não foi feito pra você gostar.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a BLACKGAZE: black metal sem a baboseira satânica + shoegaze