Mozart, Chopin, Beethoven, Vivaldi, Bach, Villa Lobos e as mulheres?

    Autor Mensagem
    dibass
    Veterano
    # mai/12


    Wolfgang Amadeus Mozart
    Frédéric Chopin
    Ludwig van Beethoven
    Antonio Vivaldi
    Johann Sebastian Bach
    Heitor Villa Lobos

    Todos grandes nomes da música clássica e homens. Onde estão as mulheres que marcaram a história com sua musicalidade? Perdoem-me Minha falta de conhecimento, mas não sei de nenhuma.

    E destes citados (ou outros) qual o que você mais se identifica? Por que?

    Um abraço!!

    Sartori
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    A mulher estava sendo reprimida enquanto os homens tocavam. Naqueles tempos devia ter essas paradas de preconceito, de mulher ter que lavar roupa e fazer comida... Eu acho.

    makumbator
    Veterano
    # mai/12 · Editado por: makumbator
    · votar


    dibass

    Onde estão as mulheres que marcaram a história com sua musicalidade?

    Mortas...hsahsahas!

    Chopin não era muito chegado na fruta, apesar de ter tido alguns romances com mulheres durante a vida. Mas ao que parece eram relações mais intelectuais (como o com a poetisa George Sand). Os historiadores levantaram que Chopin tinha repulsa ao contato físico com mulhreres.

    Todos os outros da sua lista eram heterosexuais. O Mozart era um tanto mulherengo, e também flertava com as primas(que mantinham contato com ele em cartas hilárias e cheias de brincadeiras sexuais).

    Bach casou com uma prima, e depois da morte dessa, se casou com outra mulher, com a qual viveu até o fim da vida. As duas foram importantes em sua trajetória musical(principalmente a segunda)

    Vivaldi apesar de padre teria tido romances com jovens do orfanato em que trabalhou. Inclusive vários de seus concertos eram dedicados a algumas delas (que eram musicistas).

    Villa-Lobos casou com a Arminda (Mindinha) em 1936 e ficou com ela até a morte do compositor em 1959. Ela tinha bastante participação na vida musical de Villa-Lobos, e costumava viajar com ele e acompanhar ensaios.

    Beethoven era atraído por mulheres(dedicou várias obras a diversas delas), e além da história da "amada imortal", ele também manteve romances com alunas, mecenas e mulheres da nobreza.


    De todos eles me ligo mais no Bach por causa de sua música. Entretanto, gosto da música de todos esses dessa listagem. São grandes gênios da arte musical.


    Tirando esse assunto da relação e importância das mulheres na arte dos compositores homens, havia algumas mulheres que compunham (a esposa do Schumann, Clara, por exemplo). Mas muitas delas eram cantoras. Havia também mulheres importantes no mecenato, e que foram fundamentais na música (incentivando e bancando artistas)

    Uma das mais importantes compositoras do passado foi Louise Farrenc.

    Mas é claro que por conta do machismo, elas não recebiam a mesma atenção, educação musical e incentivo, e com isso não alcançaram a mesma estatura dos grandes mestres.

    Die Kunst der Fuge
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    dibass

    Não se esqueça que eles vêm de uma época que o machismo era dominante nas sociedades, daí, uma mulher compor era algo raro mesmo, quanto mais obter algum destaque.

    Sei que o filme não é tão historicamente preciso, mas no filme Copying Beethoven há uma citação a isso, quando a copista do Beethoven, Anna Holtz, diz que é uma compositora e ele fica surpreso e diz algo do tipo "Uma mulher compondo é como um cachorro sobre duas patas, acontece, mas é bem improvável.".

    Sartori
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    Die Kunst der Fuge
    Exatamente...

    Die Kunst der Fuge
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    makumbator
    Bach casou com uma prima, e depois da morte dessa, se casou com outra mulher, com a qual viveu até o fim da vida. As duas foram importantes em sua trajetória musical(principalmente a segunda)

    Eu gosto mais dos filhos - como compositores - que ele teve com a prima do que os que ele teve com a Anna Magdalena, e você?

    makumbator
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    Die Kunst der Fuge
    Eu gosto mais dos filhos - como compositores - que ele teve com a prima do que os que ele teve com a Anna Magdalena, e você?


    Sim! Também prefiro!

    Mas a Ana teve mais influência na música do Bach (mas também por ter vivido mais tempo com ele que a prima, que morreu logo). Outro detalhe é que ela também participou de parte da educação dos filhos da primeira esposa, então parte do sucesso dos primeiros filhos também se devem a ela.

    Outro detalhe é que a Ana foi responsável por vários dos manuscritos do Bach, que sobrevivem até hoje.

    makumbator
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    Aqui alguns dados da Louise Farrenc:

    http://en.wikipedia.org/wiki/Louise_Farrenc


    Já escutei a música dela, e é bastante interessante.

    Die Kunst der Fuge
    Veterano
    # mai/12 · Editado por: Die Kunst der Fuge
    · votar


    makumbator
    Outro detalhe é que ela também participou de parte da educação dos filhos da primeira esposa, então parte do sucesso dos primeiros filhos também se devem a ela.


    Nem sabia dessa! Bacana \o\

    Mas parece que pelo visto, o diferencial foi o tempo de estudos com o pai, né? =P

    Imagina ter o J.S. Bach como professor! :O

    @topic:

    Uma compositora que eu mais ouvi falar como alguém importante foi a Nadia Boulanger, só que mais por ter sido professora de vários compositores famosos (Piazzolla, por exemplo) do que pelas composições em si:

    http://en.wikipedia.org/wiki/Nadia_Boulanger

    Acho que a compositora mais famosa mesmo é a Clara Schumann, que o makumba citou.

    dibass
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    makumbator
    Onde estão as mulheres que marcaram a história com sua musicalidade?
    Mortas...hsahsahas!

    eu ri kkkk

    Sartori
    makumbator
    Die Kunst der Fuge
    Sartori
    Mas e nem na contemporaneidade da música, onde o machismo é menos presente?

    guizimm
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    Eu gosto mais dos filhos - como compositores - que ele teve com a prima do que os que ele teve com a Anna Magdalena, e você?
    solffegietto é de algum deles né, mor daora de tocar

    makumbator
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    Die Kunst der Fuge
    Mas parece que pelo visto, o diferencial foi o tempo de estudos com o pai, né? =P

    Imagina ter o J.S. Bach como professor! :O


    Com certeza! E até onde se sabe ele era um ótimo professor, e também gostava da tarefa, o que nem sempre é o caso com grandes músicos.

    A Nadia foi importantíssima! Mas ela também é de um período mais próximo a nós. Mas com certeza enfrentou muito preconceito tanto em reger quanto compor ( e talvez um pouco menos na hora de ensinar).

    Talvez ela seja o nome mais importante.

    dibass

    A "emancipação feminina" é algo muito recente, então são as gerações que nasceram nos últimos anos que se beneficiarão mais. Muitas das mulheres que atualmente regem e criam música ainda são de uma época mais complicada quanto a isso.

    Uma que se destaca (no jazz) é essa aqui:

    http://www.mariaschneider.com/

    http://en.wikipedia.org/wiki/Maria_Schneider_%28musician%29

    É importante lembrar que há muitas instrumentistas mulheres fenomenais há muito tempo! E a música erudita foi o campo em que elas primeiro tiveram seu reconhecimento.

    A pessoa que mais e melhor me ensinou contrabaixo acústico ao longo de minha trajetória musical é uma mulher ( virtuose no instrumento e no ensino), então tenho bastante respeito por elas.

    Bizet
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    Imagina ter o J.S. Bach como professor! :O

    Eu preferiria o Scrutinizer

    makumbator
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    Bizet

    Não senhor! O Bach era mais barato!

    :)

    Tukinha salvador
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    Num se sabe ao certo, mas vai que dentre os musicos que você citou tenha uma mulher?

    É só leva ao pé da letra que você entende minha pergunta!

    dibass
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    Tukinha salvador
    presumo que estes sejam todos homens

    makumbator
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    Tukinha salvador

    Daquela lista só o Chopin é suspeito (mas em compensação é altamente suspeito).

    Die Kunst der Fuge
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    makumbator
    Com certeza! E até onde se sabe ele era um ótimo professor, e também gostava da tarefa, o que nem sempre é o caso com grandes músicos.

    O velho era foda!
    Aproveito pra te perguntar uma coisa:
    O J.S. Bach como era sabido, era multi-instrumentista. Vários outros compositores das épocas do Barroco e do clássico também eram.
    Por que hoje em dia a gente vê solistas especializados em barroco, mas não vê solistas que sejam multi-instrumentistas? Por exemplo, fazendo um concerto tocando Violino solo e depois tocando um concerto para cravo desta época?

    A Nadia foi importantíssima! Mas ela também é de um período mais próximo a nós. Mas com certeza enfrentou muito preconceito tanto em reger quanto compor ( e talvez um pouco menos na hora de ensinar).

    Talvez ela seja o nome mais importante.


    Cê já ouviu alguma coisa dela? Depois vou dar uma ouvida na que você citou ali.

    Tukinha salvador
    Num se sabe ao certo, mas vai que dentre os musicos que você citou tenha uma mulher?

    Tipo um homem ter publicado uma peça de uma mulher sua?
    Por exemplo o J.S. Bach ter publicado em seu nome uma peça composta pela Anna Magdalena, sua esposa? Não sei, é possível, makumbator? Existe alguma suspeita disso?

    makumbator
    Veterano
    # mai/12
    · votar


    Die Kunst der Fuge


    Por que hoje em dia a gente vê solistas especializados em barroco, mas não vê solistas que sejam multi-instrumentistas?

    Acredito que isso esteja ligado ao processo de especialização que ocorreu na música (e fora dela também, pois é algo inerente a todas as áreas). No passado remoto (século 18 para trás) não havia médicos para cada especialidade. Quando muito, certos profissionais se dedicavam mais a uma área que outra, mas era esperado que fossem generalistas até certo ponto.

    Na música ocorreu o mesmo. Era esperado no barroco que TODO músico fosse compositor, instrumentista(e ou cantor), arranjador e regente. A mera idéia de alguém que resolvesse apenas reger era absurda (mas é algo que se tornou comum a partir do fim do séc 19). Um Toscanini, que começou o "culto ao maestro" seria visto como motivo de riso na época do barroco.

    Então hoje temos também a especialização, e multi instrumentistas são vistos ou com desdém (pensam que o sujeito não pode ser sério se tiver tal objetivo) ou como aliens super habilidosos (o que nem sempre é o caso). Tudo tem os prós e contras, e se por um lado um especialista pode se aprofundar nos pormenores de sua arte, ele também perde o quadro geral.

    Tipo um homem ter publicado uma peça de uma mulher sua?

    Acho que ele estava falando de um compositor gay, ou não? Minha resposta foi nesse sentido.

    Apesar que a noção de titularidade de obra era diferente na época, e não se considerava roubo intelectual pegar uma melodia de outra pessoa e fazer uma peça diferente com ela. Então é teoricamente possível que algum deles tenha pego algo de uma musicista e transformado em algo seu.

    Cê já ouviu alguma coisa dela?

    Acho que sim, mas não tenho certeza se era arranjo dela ou peça própria. Não lembro...

    TG Aoshi
    Veterano
    # mai/12 · Editado por: TG Aoshi
    · votar


    dibass
    A partir do séc. XIX dá pra encontrar com relativa facilidade grandes nomes femininos no piano erudito.

    Pra citar alguns nomes além da Clara Schumann, tem a venezuelana Teresa Carreño que além do piano, também compunha, cantava e regia; Rosina Lhévinne e a Anna Yesipova, além de grandes pianistas tem reputações lendárias como pedagogas; Wanda Landowska, teve papel importantíssimo no revival e popularização do cravo no começo do séc. XX.; Myra Hess, pianista autora do famoso arranjo de "Jesus, Alegria dos Homens" pra piano solo; Maria Yudina, grande pianista, pupila da Yesipova, que apesar de ser grande (e impune!) opositora do socialismo era pianista favorita do Stalin.

    De brasileiras cito a Guiomar Novaes, maior pianista brasileira na minha opinião, tem algumas composições; a Magda Tagliaferro, além de grande pianista, pupila de Alfred Cortot, teve trabalho importantíssimo como pedagoga; Antonieta Rudge, junto com as duas citadas formava o trio lendário das damas pianistas brasileiras.

    Como compositora, a mais antiga que eu ouvi falar é a Barbara Strozzi.

    Modernamente tem mulheres por todas as áreas, de composição a interpretação. Cito a brasileira Clarice Assad, cantora, compositora, arranjadora e pianista, suas músicas andam entre o Jazz e o Erudito; a japonesa Yoko Kanno, que é um monstro musical ambulante; a Marin Alsop, atual regente titular da OSESP, pupila do Bernstein e do Seiji Ozawa.

    E já que falei tanto na Clarice, quanto na Marin, pra finalizar deixo o concerto de estréia mundial de uma das peças da Clarice (aos 10:42), e de posse da Marin Alsop, como titular.



    Scrutinizer
    Veterano
    # mai/12 · Editado por: Scrutinizer
    · votar


    Gubaidulina, Unsuk Chin, Jessica Rylan, the list could go on.

    dibass
    Veterano
    # set/12
    · votar


    Como falaram dela por aí... (segundo google) hoje é 193° aniversário de Clara Schumann.
    Escutei algumas coisas no youtube, gostei!!



    gpeddino
    Veterano
    # set/12
    · votar


    O Concerto para Viola de Sofia Gubaidulina é sensacional.

    http://www.youtube.com/watch?v=nvD2FUwZjD4

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Mozart, Chopin, Beethoven, Vivaldi, Bach, Villa Lobos e as mulheres?