Audio Input do Roland Juno-G (dúvidas)

    Autor Mensagem
    petu_ce
    Veterano
    # mar/09


    Caros amigos, todos nós sabemos que o Juno-G possui um Audio Input no painel traseiro que permite conectar microfone.

    A minha dúvida é a seguinte: essa entrada seria pré-amplificada como aquelas que existem nas interfaces de áudio?

    Estava pensando se eu teria algum ganho se eu adquirisse um pré-amplificador, como o TUBE ULTRAGAIN MIC-200, conectando-o na entrada do JG. A idéia era aproveitar os efeitos internos (chorus e reverb) para cantar em eventos. Gostaria de fazer um Piano e Voz (no modo Patch) ou cantar junto com uma sequência completa (no modo Performance) em tempo real.

    petu_ce
    Veterano
    # mar/09
    · votar


    Cade a galera do Juno G?

    Ninguém usa o Audio Input do JG para plugar microfone?

    expedifer
    Veterano
    # mar/09 · Editado por: expedifer
    · votar


    No Mic do JG não tem muito controle sobre a qualidade de som e nem pra se ouvir a voz de cantor ao vivo (que eu saiba, tive um JG e nunca testei voz ao vivo). Em arranjadores tem sim tal sistema de edição (no Korg-vocoder, yamaha-vocalharmony e Roland-harmonist)

    Sobre efeitos na voz, não há muitos no JG, só sampleando/gravando. Mas não sabe o trabalho que dá. Nem vale a pena pois seu editor de samples é fraquissimo, frente ao do Fantom que é muito mais completo, extenso e mais fácil de editar. ESQUEÇA o sampler do JG. Caia fora. O JG só é bom mesmo (e só pra isso é usado por 99% dos donos) pra carregar patches (pelo menos "se apanha" menos frente aos samples).

    http://forum.cifraclub.com.br/forum/8/204456/p0#5837135

    LuizFelipe
    Veterano
    # mar/09
    · votar


    Tenho um Juno-G e posso te dizer algumas coisas sobre o audio input dele...

    No menu do Juno-G você pode escolher, dentro das opções referentes ao audio input, se você vai usar a entrada left ou a left e right juntas (estéro). Existe, ainda, a opção de se escolher a entrada left para uso com microfone, o que dá um ganho maior na entrada (acho que essa é sua dúvida).

    Ainda nesse menu há a opção de se usar um efeito do processador interno do Juno-G que está em uso no patch escolhido para ser aplicado ao audio input, no seu caso o microfone.

    Não sou cantor, mas já liguei o microfone dessa maneira só para testar e gostei muito do resultado.

    Minha dica é que você faça um teste em uma loja, de preferência acompanhado de algum vendedor que saiba operar o menu do audio input do Juno-G. Também é bom dar uma olhada no manual do Juno-G antes de ir à loja.

    Abraço!

    Jeferson Fernandes
    Veterano
    # mar/09
    · votar


    Bom... Eu usei muito pouco o Audio Input do Juno-G... A única coisa que fiz foi ligar um violão (aço) e usar um Chorus interno para gravar no Audio Sequencer... Ficou muito bom.. Sem ruídos e muito nítido... Já fui em uma apresentação de uma banda de amigos (Banda Tempos), o qual o tecladista (Rodrigo), faz uma parte do show com violão, ligado justamente no Audio Input do Juno-G... Abraços..

    petu_ce
    Veterano
    # mar/09
    · votar


    Obrigado pelas respostas, amigos.

    Na verdade, eu já tenho um Juno-G e estou meio desanimado com ele. Vamos aos fatos:

    1) A minha dúvida, que motivou esse tópico, surgiu porque quando estou no modo Patch o som do microfone sai perfeito com Chorus e Reverb nos meus monitores de referência. Eu poderia, nesse caso, fazer um piano & voz. Mas, quando passo para o Performance, muda tudo. O som do mic fica seco e com volume baixo. Tentei ver as mesmas configurações no menu, mas não ficou legal. Gostaria de tocar as minhas sequencias e cantar junto também "ao vivo". Em resumo, no modo Performance, como o MIC fica baixo, o som das partes MIDI fica alto e não achei um local que ajustasse o volume geral das partes, só encontrei um a um (no Part Mixer), o que é muito trabalhoso. O legal seria se tivesse no menu: volume do áudio e volume do midi. Daí eu pensei se eu usasse um pré-amplificador de microfone melhoraria alguma coisa pra usar ao vivo;

    2) Não sei se vocês percebem também, mas eu acho o gravador de áudio muito lento na hora de salvar. Tem hora que penso que o JG travou, mas é processando mesmo, e isso é meio chato. O meu tá com pente de 512mb e cartão TransFlash de 1Gb;

    3) O outro fator da minha insatisfação, na verdade, é uma necessidade minha que surgiu depois que comprei o JG: tocar sozinho com acompanhamento. Seria uma função de Pattern mais completa que a do JG, que existe no MO6, por exemplo. No JG só funciona a parte de ritmo (bateria) e o arpejador não tem uma batida de violão/guitarra convincente.

    Em resumo, valeria a pena trocar o Juno-G pelo GW-8 ou pelo MO6?

    O lance do GW-8 é porque ele lê mp3 direto do pendrive, onde eu poderia fazer alguns arranjos com VSTs ou Voz e disparar para tocar junto. O pendrive do MO6 só lê SMF e é mais caro.

    De toda forma, parece que se eu quiser partir para um arranjador que tenha possibilidade de gravar áudio sem necessidade de um computador e com preço razoável, acho que só existe o S-900 da Yamaha.

    Hoje, seria mais útil um arranjador para mim. O ideal era ter 2 teclados. Já pensei num set como MM6+GW7 ou S550b+Juno D, o que daria pra pagar. Sei lá... E outra, só gosto de comprar teclado novo com garantia.

    LuizFelipe
    Veterano
    # mar/09
    · votar


    Quanto à questão do ganho, você pode fazer o seguinte:

    vá em MENU -> SYSTEM -> GENERAL -> SOUND. Coloque o Output Gain em +12 [dB] e vá diminuindo o Master Level até que o volume das partes MIDI fiquem equilibradas com o volume do microfone. Não se esqueça de clicar em WRITE para salvar as alterações.

    Você pode, também, ir em MENU -> INPUT SETTING e então selecionar o EQ no campo IN FX TYPE e habilitar o campo IN FX SW. Após, vá em IN FX SETUP e deixe o Low Gain e High Gain em + 15 [dB] (faça isso sempre que o teclado for ligado). E se você deixar o Audio Imput Asgn em MFX 1, tenho a impressão de que ele sempre aplicará o MFX1 para a saída de áudio, seja no modo patch ou performance (não tenho certeza disso).


    Quanto aos patterns e acompanhamentos eu não posso te ajudar, infelizmente não sei nada disso...

    Abraço!

    petu_ce
    Veterano
    # mar/09
    · votar


    LuizFelipe

    Valeu! Vou testar!

    expedifer
    Veterano
    # mar/09
    · votar


    Em resumo, valeria a pena trocar o Juno-G pelo GW-8 ou pelo MO6?

    O GW8 é arranjador e não carrega patch e nem tem entrada de Mic e o pior: não tem sitetizador pra timbres. Se for "timbres por timbres" na quantidade e qualidade,e só nisso, fique com o JG. E o GW8 não edita mp3 na qualidade de som.

    O s900 não edita (alias não faz nada) nas gravações wav. Vem do jeito que vierem, gravando direto no pendrive. E SÓ toca o que se gravar nele (nem adianta pôr outros sons wav que não os aceita). Ate mixa ritmos, midis, etc com o som do input, mas só isso. Não edita nada (simples gravador que não tem absolutamente nenhum controle além de tocar e gravar, isso vale pro vovalharmony na gravação, devendo antes ajustar nele a qualidade).

    Já o MO6 é outra coisa. Cara, no mesmo preço o FantomX6 é uma P...máquina. Pegue ele.

    petu_ce
    Veterano
    # mar/09
    · votar


    expedifer

    Vou dar uma pesquisa no X6 também, mas acho que eu valor vai subir muito. Eu tô ficando quase doido com tantas possibilidades, ainda mais quando eu começo a pensar também num note + controlador no set ...

    No caso do GW-8, eu pensei em complementá-lo com um notebook + interface Presonus AudioBox.

    Em relação ao S-900, acho legal o lance do Vocal Harmony, apesar do gravador de áudio ser básico.

    Outra possibilidade seria o Motif ES rack + Note + Controlador, mas daí eu não sei se esse módulo tem os patterns que tem no workstation Motif. Acho que só tem o arpejador. E, a idéia básica de eu trocar o Juno-G é justamente ter um arranjador ou algo parecido (pattern) para tocar sozinho também!

    petu_ce
    Veterano
    # mar/09
    · votar


    Corrigindo...

    expedifer

    Vou dar uma pesquisa no X6 também, mas acho que o valor vai subir muito. Eu tô ficando quase doido com tantas possibilidades, ainda mais quando eu começo a pensar também num note + controlador no set ...

    No caso do GW-8, eu pensei em complementá-lo com um notebook + interface Presonus AudioBox.

    Em relação ao S-900, acho legal o lance do Vocal Harmony, apesar do gravador de áudio ser básico.

    Outra possibilidade seria o Motif ES rack + Note + Controlador, mas daí eu não sei se esse módulo tem os patterns que tem no workstation Motif. Acho que só tem o arpejador. E, a idéia básica de eu trocar o Juno-G é justamente ter um arranjador ou algo parecido (pattern) para tocar sozinho também!

    caioscattini
    Veterano
    # out/09
    · votar


    Ressuscitando o tópico:

    Dá pra usar o Juno G como interface de áudio USB? Ou seja, se eu plugar mic/outros nas entradas é possível gravar em software?
    Sei que o Juno grava, mas considerando a praticidade dos softwares...é possível?

    Vsteclas
    Membro Novato
    # 30/mai/19 10:18
    · votar


    E ai pessoal eu tenho um juno g que nao esta saindo som e fica paralisado na tela com o nome Juno-G; alguém sabe como resolver?

    Vsteclas
    Membro Novato
    # 30/mai/19 10:19
    · votar


    Como faço pra criar um tópico????

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Audio Input do Roland Juno-G (dúvidas)