Criação de rítmos

    Autor Mensagem
    hesane
    Veterano
    # out/05


    Criação de ritmos

    Já li algumas matérias sobre esse tema, mas muitos detalhes não são abordados ou não ficam claros, por isso eu acho que existe um “vazio” nesse processo, que pode ser abordado com maior profundidade pelas pessoas que conhecem e dominam essa área.
    Disso poderia nascer apostilas em DOC ou PDF, algo mais concreto, disponibilizado por e-mail ou CD.
    Por exemplo:
    Como começar a montar um ritmo?
    Primeiro monta a bateria (percussão)? Tem limite para quantidade de elementos?
    Ou, primeiro pelo baixo ou pelo solo?
    As pistas compatíveis para cada um deles (eu sei que isso já foi dito por aí), mas deve constar do trabalho.
    Acordes, arpejos, solos, tudo só pode ser executado sobre a escama de Dó maior? (dó-re-mi-fa-sol-la-si) É isso mesmo? Porque?
    E as viradas, intro, end, como construir?
    Ou seja... Esmiuçar, esgotar todas as dúvidas que possa haver sobre cada etapa do trabalho.
    Ao meu ver, existe aí um nicho de mercado que pode ser explorado e ter um bom retorno.
    PELO AMOR DE DEUS! Criem trabalhos sobre o assunto.
    Não adianta nada ficar dizendo “MEIAS PALAVRAS”, pois elas só servem para os “bons entendedores” e os bons entendedores já não precisam mais desse nível de informação.
    Existe uma imensidão de pessoas que desistem de aprender alguma coisa (música e etc) justamente por falta de suporte. Cassete!!! Será que ninguém enxerga isso?
    Não estou falando da parte de teoria musical, essa já esgotaram o assunto. Tem obras para todos os gostos.
    Eu estou falando de música com foco na concepção de arquivos MIDI, STY, e tudo mais que tem por aí, voltados para o mundo digital, virtual e etc.
    Se eu fosse conhecedor do assunto, acreditem, já teria feito trabalhos à respeito e já estaria com muito dindin no bolso.

    Abraços.

    Rodrigo_Mcp
    Veterano
    # out/05
    · votar


    O que vc falou eh mt valido, mas digo que, mais do que apostilas (*.doc ou *.pdf), o musico deve buscar conhecer essas funções sem precisar decorar meio-mundo de papeis. É como tirar musica de ouvido. Chega uma hora que naum da pro cara ficar dependendo de partituras ou cifras. Tem que ir pro "gravador" e batalhar. "Fuçar" o instrumento é a alma do negócio.

    Abraços.

    hesane
    Veterano
    # out/05
    · votar


    Sim... de certa forma sim, mas o autodidatismo não é inerente a todas as pessoas.
    Nem todo mundo tem essa determinação, essa auto disciplina e nem sempre tempo para aprender pelo método das tentativas, entre erros e acertos.
    Quando os erros se sobrepõem aos acertos geralmente desistimos do intento.
    Aí é que entra o “ensino dirigido”, encurtando caminhos, apresentando resultados rápidos.
    O que eu quero dizer é que está faltando quem dê esse “empurrão”.
    Vender conhecimento não é crime, feio ou pecado. E aqui tem muita gente com conhecimento, grande potencial para fazer isso, mas que infelizmente ainda subestimam suas capacidades.
    Eu não quero citar nomes, contudo já pude perceber a existência de grandes entendidos em muitas áreas da música, sinth virtual, programação de teclados e etc.
    Pena que se satisfaçam em mostrar o que sabem apenas duelando, num “combate de conhecimentos”, travado a cada dúvida que postamos aqui. Nesse tipo de batalha, o único vencedor é o EGO.
    QUE PENA! Eles poderiam ajudar muita gente, com muito mais objetividade e até quem sabe, já que muitos se conhecem, juntando esforços.
    Senão tudo isso fica parecendo um... “FOME ZERO” da música.
    Quando a ajuda chega, ótimo! Quando não chega...

    ACORDEM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Abraços.

    emanuel macedo
    Veterano
    # out/05
    · votar


    como fazer um ritmo
    PARA OS PSRs...

    DICA-01
    Disquetes - Os teclados, modelos PSR-540,550,630, 640, 740, da Yamaha utilizam disquetes de 3,5, formatados para 1.44 MByte, já os modelos anteriores, PSR-620, 1700 ,2700 e psr sq16 etc, utilizam disquetes de 3 1/2 formatados para 720 Kbytes. Preparar um disquete de 1.44 MByte para 720 Kbyte é muito fácil, basta cobrir com fita adesiva ou um pedaço de etiqueta o buraco superior a esquerda e em seguida formatá-lo para 720 KBytes. Para formatar use uma das seguintes opções:


    A) - Abra uma janela DOS, coloque um disquete no drive A: e comande: FORMAT /F:720 A:

    B) - No Windows, coloque um disquete no drive A: e clique no ícone Meu Computador, em seguida clique com o botão direito do mouse no drive A:, selecione FORMATAR, altere a capacidade para 720 Kb (3,5"), e clique no botão iniciar.

    DICA-02 - Os ritmos SFF possuem "markers" (marcadores) que determinam os vários eventos de um ritmo, como a Introdução (Intro A), os repiques (Fill In A, B) e a finalização (Ending A, B). Através do Midi Workshop ou do Cakewalk, podemos ver os "markers" que compoem um ritmo SFF-Style File Format, ou seja: SInt, Main A, Fill In AA, Fill In AB, Main B, etc.

    nos modelos PSR-620,540,550, 630e 730 temos os seguintes "markers": SFF1 - SInt - Intro A - Intro B - Main A - Main B - Ending A - Ending B - Fill In AA - Fill In AB - Fill in BB - Fill In BA

    Nos modelos PSR-640, 740 basicamente são acrescidos os seguintes: Intro C - Intro D - Main C - Main D - Fill In CC - Fill In DD. Existem ainda os "Break Fill In _", ver manual do seu teclado.

    DICA-03 - Você deverá utilizar os seguintes canais MIDI para fazer seu Style File:


    Canal 10 - Drum
    Canal 11 - Bass
    Canal 12 - Chord 1
    Canal 13 - Chord 2
    Canal 14 - Pad Sound
    Canal 15 - Phrase 1
    Canal 16 - Phrase 2

    DICA-04 - Procure não deixar muito extensa cada parte do SFF:

    Main A e B - 4 a 8 measure
    Intro A e B - 1 a 8 measure
    Ending A e B - 1 a 8 measure
    Fill Ins - 1 a 2 measure

    Obs.: "measures" são as divisões ou COMPASSOS com os número 1, 2, 3... logo abaixo dos "markers".

    DICA-05 - Os arquivos midi possuem três formatos, ou seja, Midi formato "0"(zero), Midi formato "1" (um) e Midi formato 2. Os mais utilizados são os formatos "0" e o "1". Os teclados Yamaha, modelos PSR-620, 630, trabalham com o formato "0", já os PSR-640/740 são compatíveis com os formato "0" e "1". Os PSR-640/740 gravam canções-midi no formato "0" mas reproduzem os dois formatos. Grave o ritmo SFF no formato "0", usando o Cakewalk ou Midi Workshop, na opção SAVE AS, você poderá escolher o formato desejado, caso isto não seja observado o teclado não reproduzirá SOM algum.


    DICA-06 - Para ler arquivos SFF no Cakewalk mude a extensão ".STY" para ".MID" você poderá fazer de dois modos:

    1) - Abra uma janela DOS e execute o seguinte comando:

    REN ARQUIVO.STY ARQUIVO.MID. (RENOMEAR . MID/.STY)

    2) - Através do Meu Computador ou Explorer habilite a visualização das extensões dos arquivos. Para habilitar basta fazer o seguinte: abra a janela do Explorer ou Meu Computador, clique no menu Exibir, clique em Opções da Pasta, clique em Modos de Exibição, desmarque o quadrado com a opção "Ocultar extensões para os tipos de arquivos conhecidos".

    Através do Cakewalk agora será possível examinar e editar os diversos ritmos. Após as alterações salve como (SAVE AS) MIDI Format 0 (zero), disquete de 720 ou 1.44 conforme o modelo do seu teclado, em seguida altere novamente o nome do arquivo para ".STY".

    DICA-07 - Para ligar o computador ao teclado voce precisará de uma INTERFACE MIDI ligada a sua placa de som ou uma PLACA MIDI exclusiva para teclados ou módulos de som. Possuo uma placa MIDIMAN com 2 portas IN e 2 OUT permitindo ligar até dois teclados ao mesmo tempo mais uma placa de SOM CREATIVE ENSONIQ. Existem vários outros modelos de interface no mercado e até esquemas eletrônicos dentro da Internet com dicas para confeccionar uma, mas isso é para quem tem bons conhecimentos de eletrônica.

    Visite : http://www.harmony-central.com/MIDI/interface.html


    DICA-08 - Se voce têm algum conhecimento de eletrônica e alguma prática com ferro de soldar poderá fazer seu próprio CABO MIDI. Adquira dois metros de cabo blindado (shielded) com três fios, sendo um deles em forma de malha envolvendo os outros, mais dois conectores DIM macho e observe o esquema anexo na página do site .


    1) - Para transmitir dados MIDI do COMPUTADOR para o teclado:

    Conecte uma das pontas do cabo no conector DIM OUT da placa midi e a outra ponta no DIM IN do teclado.

    2) - Para transmitir dados MIDI do TECLADO para o computador:

    Conecte uma das pontas do cabo no conector DIM IN da placa midi e a outra ponta no DIM OUT do teclado.

    DICA-09 - Para que o sinal do computador seja direcionado para o teclado é necessário ainda configurar dentro do aplicativo (Cakewalk - Midi Workshop - Master Track - etc.) que você estiver usando o MIDI DEVICE (dispositivo) ou MIDI SETUP . No Cakewalk, clique no menu SETTINGS, em seguida em MIDI DEVICE e você verá as portas de ENTRADA (IN) e SAÍDA (OUT) do seu computador, de acordo com a instalação da sua placa de som ou placa MIDI.

    DICA-10 - Os "markers" devem ser escritos obedecendo os caracteres maiúsculos e minúsculos de cada comando. O seu teclado entenderá: SInt - Intro A - Fill In AA - Ending A. Não entenderá: Sint - Fill in aa - ending A. Para iniciar um SFF no Cakewalk, no primeiro compasso (measure) você deverá introduzir os seguintes "markers": SFF1 e SInt.

    EXEMPLO: Abra o Cakewalk, tecle F11, no campo "Name" digite SFF1 e aperte OK. Tecle F11 novamente e agora digite SInt no campo "Name". Você poderá também utilizar o menu Insert + Marker + Enter para incluir os "markers". Leve o cursor do mouse no "measure" 2 e dê um clique na linha que divide os campos 1 e 2, a côr da linha vertical passará de verde para vermelho, tecle F11 e digite no campo Name: Main A. Vamos deixar 02 compassos (measure) para o Main A, clique na quarta linha vertical, tecle F11, e digite Fill In AA. Na sexta linha vertical , tecle F11 e digite Intro A. Note que voce poderá deslocar os "markers" com o mouse. Clicando com o botão direito você poderá editar. Finalmente na oitava linha vertical tecle F11 e digite Ending A...

    .PSR630/640/730/740

    para os teclados da linha PSR630/730 que apresentam probremas de configurações em algumas trilhas : baixo 1 oitava abaixo ou chord 1/2 1 oitava a cima vc pode usar o transpose do cakewalk para transpor, para os psr 640/ 740 que apresenta um erro no acorde de acompanhamento (MI)na trilha do baixo vc pode editar pelo (CTAB levando a seta até a nota F) esta função pode editar qualquer tilha do acompanhamento...

    kseven
    Veterano
    # out/05 · Editado por: kseven
    · votar


    hesane
    O q vc quer saber exatamente?
    Vc acha q ta faltando isso ou aquilo por ai ou é vc q esta precisando de algo mesmo?
    Vc que saber o q? Como montar um ritmo? Atravez de um existente ou do zero?
    Ate agora só vi aqui ciataçoes do q há no manual de teclados (funçoes e botoes) e nao como se faz mesmo na raça (de ouvidos). Por isso pergunto, o q vc quer exatamente?

    hesane
    Veterano
    # out/05
    · votar


    Kseven,

    Obrigado pelo interesse.

    _Sim, eu quero saber como montar ritmos. Através de um existente ou partindo do zero.
    (Creio que muito mais gente também)

    E como você bem disse: "Ate agora só vi aqui citações do q há no manual de teclados (funções e botões) e não como se faz mesmo na raça (de ouvidos)"

    É isso mesmo que eu também vejo.
    Bem... Não sou pagodeiro, mas apenas para exemplificar, eu gostaria de montar no teclado o RÍTMO para a música DOMINGO, do Só Pra Contrariar, que eu gosto muito.
    Eu não queria uma batida qualquer, uma meio parecida, onde eu pudesse adaptar a música. Eu queria montar um acompanhamento o mais semelhante do original, entende.
    Comprei milhares de ritmos (STY) no ML, mas nada fica como a levada original.
    Então eu queria aprender o passo a passo nos mínimos detalhes da elaboração de ritmos, para que eu possa de uma vez por todas deixar de ser um eterno dependente de pacotes de ritmos. Mesmo porque, comprar esses pacotes com não sei quantos mil ritmos e ficar ouvindo um por um pra saber se tem algum que se encaixe numa determinada música, é coisa de louco.
    Por isso eu sugeri que alguém abraçasse essa idéia e fizesse um trabalho com princípio, meio e fim. Algo que tenha a clareza necessária para realmente proporcionar resultados.

    Você aceitaria esse desafio?
    Abraços.

    kseven
    Veterano
    # out/05 · Editado por: kseven
    · votar


    hesane

    Espero q tenha copiado todos os passos.

    Gde abç

    emanuel macedo
    Veterano
    # out/05
    · votar


    ksevem hesane

    aqui eu ensino como se deve fazer um ritmo,agora tentar explicar como e feito por ex: um pagode já e outra coisa . não tenho nem ideia do que o cara ai do outro lada tem em mente, fora as variações deste ritmo ou outro ritmo qualquer. o certo e vc estudar o manual mas em muitas questões o dificil e ter o manual pois logo assim que chega o teclado o cara esqueçe ou perde o manual...

    um músico expressa o seu sentimento na música . se ele não gosta de pagode dificilmente ele fará um ritmo de pagode bom...

    hesane
    Veterano
    # out/05
    · votar


    kseven

    Antes de mais nada, muito obrigado pelas dicas e orientações.
    O texto é grande em tamanho e em conteúdo. Valeu mesmo.

    Caramba!
    A coisa é mais complexa do que eu imaginava. Isso reforça a minha tese da necessidade de que alguns músicos, entendidos na área, se disponham a fazer um CD com vide-aula do passo a passo de todo esse processo. Já imaginou se o conteúdo desse seu texto estivesse num CD com filmagem e você explicando direto no teclado tudo isso? Você mostrando como faz a guitarra usando seis (6) dedos intercalados? A dinâmica de assimilação seria outra. Seria SHOW DE BOLA.
    Tem neguinho aí com vídeo-aula ensinando a tocar pandeiro. Tudo bem... é um instrumento, mas rolam 45 minutos de xictum, xictum, xictum.
    Imagine você lançar um trabalho com 45 minutos ou mais de aula sobre montagem de ritmos, destrinchando com o seu conhecimento toda essa complexidade.
    Se não der em 45 minutos, fracione em vários vídeos, parte l – ll –lll etc.

    Rapaz... Olha que eu tenho vasculhado tudo por aí procurando por trabalhos que realmente ENSINEM a montar ritmos. NÃO TEM. O que tem muito é só falando de conceitos, mas objetivamente ensinando, colocando a mão na massa, não tem nada. INFELIZMENTE.

    Bem... Só me resta agradecer e torcer para que você ou alguns de vocês resolvam investir nesse trabalho.
    Enquanto isso não acontece, eu vou voltar a quebrar pedras no teclado. Vocês já me ajudaram bastante com orientações e dicas preciosas. Isso vai tornar um pouco menos árdua essa minha tarefa.

    Em tempo: Meus atuais teclados são o PSR–510, PSR-5700 e PSR-2100.

    Fico muito grato por tudo.
    Abraços

    hesane
    Veterano
    # out/05
    · votar


    Emanuel,

    Tenho guardado todas as suas dicas.

    A você também, a minha gratidão.

    Abraços.

    Richard Wolveryne
    Veterano
    # out/05
    · votar


    Tinha um link aqui que ensinava a programar passo a passo ritmos no PSR2100.

    Se não me engano é o memso link do qual o Kseven tirou o texto dele que colou aqui e depois editou apagando-o para que ninguém visse tal maracutaia.

    Que feio.

    hesane
    Veterano
    # out/05
    · votar


    Kseven,

    Porque você retirou todas aquelas orientações e dicas? Elas poderiam ser úteis a outras pessoas também.
    Infelizmente eu lí ontem mas não copiei, pensei que ficaria aqui, online, pra todo mundo, mas você deletou tudo.
    Não entendi. O que houve?
    Outra coisa que não entendi direito, foi quando você fala que cobra por cada rítmo (STY) que faz por encomenda R$200 e faz 3 por R$500
    Esses valores estão escritos certos ou faltou colocar as vírgulas.

    ROTTA
    Veterano
    # out/05
    · votar


    hesane

    Há mais de um usuário usando seu computador?
    Aguardo sua resposta para banir o outro usuário.
    Abraços.

    kseven
    Veterano
    # out/05
    · votar


    hesane
    Amigo, mande seu email q te mando toda a orientaçao. Olhe pouco acima de vc e entenderá do porque retirei. (há alguns q nao merecem tais dicas). O preço é + q justo: musicos q lhes vendi, ganham numa noite R$200. Pq eu numa noite, no mesmo teclado nao posso ganhar o mesmo ou mais. Alias muitos q ja vendi ainda me pedem (cada vez q entra uma musica na moda).

    kseven
    Veterano
    # out/05 · Editado por: kseven
    · votar


    Marco Alan Rotta
    O q tenho q responder pro VA?
    Ainda nao acredita q seja ele?

    ROTTA
    Veterano
    # out/05
    · votar


    kseven
    O q tenho q responder pro VA?

    O outro usuário no mesmo IP do hesane é o Si_Do_er_Mi_Fa_La.

    Aliás, este caso do VA já encheu o saco. Não quero ser injusto com ninguém, e não vou banir por conjecturas. Os fóruns estão sendo monitorados. Se for realmente ele, é lamentável... e não minha opinião denota problemas comportamentais sérios.

    Abraços.

    yanni540
    Veterano
    # out/05
    · votar


    Eu consegui copiar, pois estas informações são ótimas, eis aqui:
    COMO MONTAR RITMOS NO TECLADO
    Antes porem vou avisando q posso ate dar dica de como se procede mais alerto q as batidas, toques, etc, dependem um pouco de se saber musica, timbres, acordes, etc. Digamos q se tem q saber tocar BEM do contrario tudo isso de nada servirá
    É claro q nao vou te poder dizer INTEGRALMENTE TUDO pois é impossivel por aqui alem de eu nem saber q dificuldades enfrentará e nem saber de qual nivel de programaçao e musicalidade esta habil. Portanto porei apenas o Bé-aba disso, ou seja, apenas a inicializaçao.

    1-Entre no seu teclado na parte de ediçao de ritmos (obs: há teclados q nem isso possuem-Roland, apenas stile-morfing, q nao cria/edita nenhum ritmos) e carregue antes um ritmos parecido do q pretende ou quer modificar, para o caso de teclados q nao iniciam do zero.

    2-Escolha uma pista da primeira variaçao (depois repita com modificaçoes pras outras variaçoes, viradas, etc), vamos admitir a de percussao/batera, em alguns chamados de rhy1 (infelizmente só possuo aqui um i30 e um psr3000 nao lembrando os nomes em outros teclados) e nos basearemos sempre o acorde dó (C) e transpose zero.

    3-Antes de começar a gravar, escolha/procure os instrumentos q lhe interessa e ai vai uma dica pra quem nunca montou:
    3-OBS: antes de montar um ritmos, escolha o ritmos q PRECISA numa musica de CD. Escolha o CD e escolha a musica. Mas preste atençao, PRESTE MUITA ATENÇAO nos instrumentos q se usa na musica do CD. Infelizmente se cai num problema muito comum pra quem pretende montar ritmos: OUVIDOS, precisa ter MUITO OUVIDO pra se montar um ritmos. Ouvidos pra batera, pro baixo e pros demais instrumentos alem de reparar no tempo.
    MAS O QUE É OUVIDO? É SABER O TOQUE DE CADA INSTRUMENTO q interessa NO MEIO DESSA MUSICA desse CD. Isso mesmo, a pessoa terá q ter a habilidade de IDENTIFICAR qual acorde esta sendo usado, ou melhor, quais notas se esta sacando pra sair tal acorde. Isso mesmo, como por exemplo o baixo: terá que treinar antes qual acorde se tocou pra ele nessa musica. Ai se poe o timbre baixo nas teclas e se vá treinando antes da ediçao, o baixo do teclado junto com essa musica no CD ao mesmo tempo. Conseguindo, se faz o resto com os outros instrumentos, principalmente e PRIMEIRAMENTE, para a batera e percussao, q sao os q ditam o ritmo. E lembre-se, nem sempre os acordes do baixo se refletem nos demais instrumentos q poderao ter outros acordes. Feito isso, detectado cada instrumento, cada som, cada acorde na musica e suas batidas exatas, ou seja, vc conseguindo acompanhar a musica inteira do CD no teu teclado mas em separado a cada instrumento, ai vc estará preparado pra montar o ritmo.
    4-Ai entao o q vc fez nos treinos, por fora da ediçao e com a batera acompanhando on-line a musica, entao primeiro tentará fazer tais toques da batera sozinho nessa ediçao sem o CD, começando sempre pelo bumbo (inicie a gravaçao), mas lembre-se: NAO ESQUEÇA DE LIGAR O METRONOMO E TIRE A VELOCIDADE DESSA MUSICA ANTES PELAS BATIDAS, em conjunto com o CD. Gravado o bumbo (ate 4 batidas/beat), pare e retorne outra vez a gravaçao já com ximbau ou triangulo, ou qualquer outro som metalico da batera q a musica do CD tenha. E faça o mesmo nesta pista ate completar a bateria desse CD. Se precisar, alinhe o metronomo com o CD e toque ambos em conjunto, q é possivel e alinhe cada instrumento da batera com o CD. Errou? Apague TUDO dessa pista e refaça outra vez, pois ate dá pra apagar só 1 instrumento, mas é complicado e de muita tecnica.

    5-Faça o mesmo com a percussao na pista rhy2, ouvindo ao mesmo tempo ou nao, a pista 1

    6-Já na pista do baixo, terá que saber A TECNICA USADA nos acordes, tipos de toque, a sequencia de cada nota de 4 ou mais. A forma, a sequencia, repetiçoes, etc. Bote o som do CD so no grave mesmo e tente tirar. É dificil mas possivel. Terá muita dificuldade de acompanhar a batera, desde o inicio, mas apos muitas tentativas, talvez consiga. O maior problema e a desigualdade de harmonia, fora do tempo, descompasso, etc. Mas se insistir muito, poderá aprender e conseguir.

    7-Ai entao vem as 3 pistas de acompanhamento, geralmente guitarra, acordeon ou piano, sax, strings, metais, etc. Ou mesmo 2 ou 3 guitarras. Seus toques sao especificos e nao poderei descrever aqui pois é uma incognita: cada musica tem seus toques, diferente da batera e baixo q sao geralmente padrao. Deverá presar muita atençao e "ver" o q ocorre no CD pra poder traduzir na pista. Eu por exemplo, num chute, na guitarra uso 6 dedos, como? tres normais como se estivessem "batendo" numa caixa com certo acorde e outros tres invertidos (de cima pra baixo no teclado), entrelaçados com os outros tres tb tocando as demais batidas nas teclas com acorde de complemento e intercalando. Ou seja, é como e vc estivesse batendo numa caixa com as duas maos. Complexo mas sai. Explicar tudo isso por letras é quase impossivel. É o mesmo q um curso de piano sem NUNCA, mas nunca mesmo ver algum na vida. Imprima e entao só entenderá tudo passo a passo defronte o teclado.

    Ao final, quase concluindo, teste tal ritmo obtido junto com o CD, respeitando o inicio e batidas concidindo com o CD (um jeito bom de treinar é ouvir midis canal por canal, cada instrumento em separado e aprender como o se toca). Boa sorte e boas tentativas. O restante (surgira um milhao de duvidas), terá q se virar. Eu encerro por aqui pois é cansativo e desgastante tentar explicar tudo ou insistir em algum ponto sem estar ai presente no teclado, pois ainda há muitissimos pontos pra se completar como o fechamento/finalizaçao, efeitos, funçoes como quantitizaçao e parametros(nem sei quais vc tem), correçoes, etc.

    hesane
    Veterano
    # out/05
    · votar


    Marco Alan Rota,

    Atendendo a sua indagação, SIM.

    Pode ripar esse puto. Só assim me livro da encheção de saco dele. Depois que pendura aqui, é uma droga pra largar. Aqui em casa cinco pessoas usam o PC.
    É bom porque vai me deixar sossegado.
    Quando ele chegar, vai ter uma surpresa.

    Agradeço,
    Abraços.

    hesane
    Veterano
    # out/05
    · votar


    Iiiiiiiiiihhhhhhhh! Yanni540 te agradeço muito. Acabo de copiar. Agora está salvo. Só que li na mensagem do Kseven que ele retirou por algum motivo especial. Se quiser apagar agora, tudo bem, senão ele pode ficar chateado.

    Valeu muitão.

    hesane
    Veterano
    # out/05
    · votar


    Kseven

    ...."O preço é + q justo: musicos q lhes vendi, ganham numa noite R$200. Pq eu numa noite, no mesmo teclado nao posso ganhar o mesmo ou mais."

    Só você pode mensurar o quanto lhe custa fazer esses ritmos.
    Pena que eu não tenha nem unzinho pra ouvir.

    Obrigado e desculpe alguma coisa.

    Abraços.

    ROTTA
    Veterano
    # out/05
    · votar


    hesane
    Pode ripar esse puto. Só assim me livro da encheção de saco dele.

    Feito. O mas interessante é que "ele" escreve no mesmo estilo que você.
    Abraços.

    hesane
    Veterano
    # out/05
    · votar


    Marco Alan Rotta,

    "O mais interessante é que "ele" escreve no mesmo estilo que você."

    Ele é enteado do meu pai, como um irmão.
    Temos a mesma formação acadêmica, a educação em casa sempre foi a mesma e alguns gostos também nos identificamos. Mas as semelhanças param por aí.
    Ele é uma “tora”, o dobro de mim. Tem quase dois metros de altura e mais de cem quilos e
    ainda por cima, pratica artes marciais. Eu nem gosto muito que ele toque meus teclados. Tem a mão muito pesada, o que já me custou precisar trocar aquelas borrachas sensitivas de um PSR.
    OK. Vou falar pra ele assim que chegar em casa.
    Você “indicou” e eu li as coisas que ele postou. Um monte de baboseiras. Algumas até coerentes, mas afinal... Além das babaquices escritas, (afinal, muitos outros também escrevem) em que aspecto ele infringiu tão seriamente as normas à ponto de ser banido da comunidade?

    Grande abraço.

    ROTTA
    Veterano
    # out/05
    · votar


    hesane
    em que aspecto ele infringiu tão seriamente as normas à ponto de ser banido da comunidade?

    Quem disse que foi banido? Estou apenas esclarecendo se não se trata de multi-usuários, que são proibidos.

    Abraços.

    kokada
    Veterano
    # out/12 · Editado por: kokada
    · votar


    Alguém aqui cria ritmos/styles para teclados arranjadores?

    Hoje comecei a fuçar meu PSR S710, pra ver como é o esquema usando o Style Creator do próprio teclado. Não é tão intuitivo quanto pensava - demorei um bocado pra achar onde faz a troca do canal de gravação, que vem selecionado na bateria por default. Podia ser algo mais didático tipo: pressione o botão tal pra selecionar o canal, mas não é - mania de quem trabalha com usabilidade rs Imagina o resto como deve ser. Acho que a Yamaha faz assim pra dificultar a criação de ritmos novos pelo usuário, pq é bem complexo o negócio. Tanto que a Yamaha tem um site que vende ritmos novos.

    Na aba de edição, é cheio de códigos, queria saber o que são aqueles códigos... as notas, velocity, tempo de duração eu sei, mas os outros parece que são configurações do timbre ou algo parecido, alguém sabe? Pelo menos agora vi como são criados as levadas de violão com batida e tudo, é bem legal... tem que ser gravado no modo step mesmo, com variações nos velocities...

    Alguém poderia me explicar "leigamente" o que são os códigos MSB e LSB?

    E tb NTR e NTT(ou algo parecido - que são as formas dos acordes)?

    Razgriz
    Veterano
    # out/12
    · votar


    O pobrema é, cada teclado tem um Sistema diferente, um modo de se começar a gravar, o que se pode mesmo passar como informações aqui no fórum são as coisas que não mudam, como por exemplo a função Quantize.

    Sem esta função é praticamente impossível se fazer um ritimo com qualidade, o quantize nada mais é do que a divisão das notas sobre o tempo, é uma correção.

    Os modos mais comuns de se quantizar as pistas dos ritimos são em 16 e 32, existem teclados que mostram símbolos ao invéz de números, como Colcheia, Semi-colcheia, é interessante diminuir um pouco o tempo do ritimo na hora de gravar, um ritimo que eu toco em 90 BPM, eu gravo em 75 ou 80 BPM.

    eu estou fazendo Video-Áulas, apesar de meu pouco conhecimento na parte didática da música. Praticamente eu sou autodidata, ao menos em progamação.

    Bom assim que eu conseguir uma internet de vergonha eu começo a postar na prática como seria a gravação de ritimos no Roland GW8, no Korg PA50 e no Yamaha S710, os quais eu tenho acesso.

    Mas só pra lembrar existem toneladas de videos bons na net ensinando como montar ritimos em inúmeros teclados, e daí que você pega as manhas.

    Razgriz
    Veterano
    # out/12
    · votar


    kokada
    MSB, LSB, e tal... Fazem parte do padrão MIDI, um ritimo de um teclado não passa de uma sequencia mid em loop, e por isso possui esses chamados Control Change ou CC, cada CC tem um Número: ex:

    4 Foot Pedal (MSB)
    5 Portamento Time (MSB)
    11 Expression (MSB)

    33 Modulation Wheel (LSB)
    39 Volume (LSB)
    40 Balance (LSB)
    42 Pan position (LSB)

    http://www.tweakheadz.com/midi_controllers.htm

    http://www.midi.org/techspecs/gm.php
    Da uma lida que vai te dar uma esclarecida.

    kokada
    Veterano
    # out/12 · Editado por: kokada
    · votar


    Razgriz
    valeu pelas explicações!

    Eu achava estranho que em alguns midis que eu sequenciei em PSR bem antigos, enquanto gravava eu apertava o botão correspondente ao timbre, e com isso ele gravava umas informações no arquivo midi, acho que sobre qual timbre usar. Mas era timbre específico pro teclado. Aí quando mudava de teclado e rodava o midi, ele pegava uns timbres esquisitos. Deve ser então os tais dos MSB LSB...

    E aqueles códigos NTR, NTT de tipo de acompanhamento? Eu li no manual de referencia da Yamaha mas não entendi direito...

    Outra pergunta: quando estou sequenciando em uma DAW, como eu faço pra configurar um timbre específico? É com esses tais MSB LSB?

    Razgriz
    Veterano
    # out/12
    · votar


    Amigo koko, eu sou meio lento para essas DAW's eu to aprendendo a andar ainda aqui com Reaper.

    Essas paradas aí de NTT e NTR apareciam muito quando eu ia gravar qualquer ritimo em Yamahas, em outros modelos nunca ví, se não me falha a memória isso está relacionado ao acompanhamento, me corrija se eu estiver errado aparece aí algo como NTR = 7th ???

    seria legal tu dar uma procurada por tópicos relacionados a Daw e Midi, tem uns doidos aqui que fazem trabalhos em cima disso.

    Razgriz
    Veterano
    # out/12
    · votar


    http://forum.cifraclub.com.br/forum/8/294590/
    MSB = maior bit significativo
    LSB = menor bit significativo

    ^^ tinha esquecido que vi isso aki.

    Pedro Eleutério
    Membro Novato
    # 29/mai/20 15:30
    · votar


    Pessoal.

    Sugiro assistir ao meu tutorial.
    O tutorial está em: https://www.youtube.com/watch?v=iQBeKyPmxs8 (ATIVE as Legendas em Português).



    Pedro Eleutério

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Criação de rítmos