Mogno: Pontos positivos e negativos dessa madeira.

Autor Mensagem
pedronh
Membro Novato
# jan/17 · Editado por: pedronh
· votar


Pardal
mogno é madeira pra fazer cavalete, no máximo. Pelos meus (pouquérrimos) conhecimentos de luthieria, mogno é dura, mas não é densa, e empena rapidinho no braço.
???

Mogno é, na opinião de muitos, a melhor madeira para o braço. Madeira pra cavalete é Ébano (que, por sinal, é muito densa) e Jacarandá. O ébano só é encontrado em violões tops, pois requer mais cuidados na hora da colagem e tem um valor elevado.

Mauricio Luiz Bertola
O Mogno, notadamente o mogno brasileiro (madeira de comercialização proibida em face do perigo de extinção) é uma das madeiras mais nobres (e caras) para a lutiería.

Infelizmente é verdade, faço somente uma correção. Na verdade é mogno sul-americano, não brasileiro.

Só existe um tipo de mogno : swietienia macrophylla king

Na verdade não, a Swietenia possui várias espécies, pois é um gênero da família Meliaceae, assim como a Khaya que é conhecida como mogno africano. Por isso existem debates quanto a quais madeiras devem se considerar mogno. Entretanto, de fato na luthieria o sul-americano (swietienia macrophylla king) é o mais consagrado.
Obs: Sim, tem muita coisa chamada de mogno que não pertence nem a família Meliaceae, e isso já é apelação.

MFtheSong
Mauricio Luiz Bertola
O fato de ser sido confeccionado com esta ou aquela madeira não faz dele um violão ruim (ou bom). O que interessa é a qualidade das madeiras utilizadas e a qualidade da manufatura.

Observe isso MFtheSong, muitas pessoas, por exemplo, compram um Dreadnought (erroneamente chamado de folk), esperando um som "grave", mas não é assim que funciona. Existem diversos fatores que irão determinar as características sonoras do violão, como desgastes feitos em certas partes do tampo, posicionamento estilo e recorte das estruturas internas/travessas....
E, embora as madeiras influenciem muito no timbre, o fato de ler todo laminado não deixa que ele apresente as características da madeira da forma que você está esperando. Te aconselho a comprar um violão com tampo maciço, seja de mogno, spruce...

MFtheSong
Membro Novato
# jan/17
· votar


O fato de ser sido confeccionado com esta ou aquela madeira não faz dele um violão ruim (ou bom). O que interessa é a qualidade das madeiras utilizadas e a qualidade da manufatura.
Abç


Entendi, Mauricio Luiz Bertola !
Obrigado!

RMenara
Membro Novato
# ago/17 · Editado por: RMenara
· votar


Bem.. existem muitas variáveis que indicarão se será ou não um bom instrumento, não somente a madeira.. A unica coisa que deve pautar a decisão é conhecer a madeira e o tipo de resposta que ela vai te proporcionar. No caso do MOGNO é um madeira que neutraliza as frequências altas/ agudas, ou seja, vc vai ter um instrumento que tende a reforçar as frequências MÉDIAS E GRAVES... é uma madeira muito equilibrada. Muitas pessoas não gostam porque dizem que o instrumento fica "morno", ou seja, ele não vai te dar nem muito grave, nem muito agudo... os harmônicos não são marcantes e geralmente não possuem bom sustain.. o som "morre" mais rápido que uma de jacarandá por exemplo. O que manda no fim das contas é que tipo de timbre a musica que está tocando te exige.... Se precisar de um som mais melódico, com agudos reforçados, com menos médio, e um sustain poderoso vai de JACARANDA.. caso queira um instrumento mais neutro, tendendo ao grave, que te proporcionará muito equilíbrio vai de mogno.. se quiser um instrumento com um agudo ardido porém com baixo sustain vai de maple.. enfim.. DEPENDE do que vc quer tocar..

pedrornh
Membro Novato
# 06/jul/22 05:54 · Editado por: pedrornh
· votar


notadamente o mogno brasileiro
Na verdade é mogno sul-americano, pois não é exclusivo do Brasil. Em teoria, seria a melhor madeira para braços e dificilmente é utilizado, sendo que empregam a nomenclatura "mogno" (maho, mahogany...) para se referirem a diversas madeiras similares na indústria.
Braço: mogno sul-americano
Escala: ébano africano
Lateral e fundo: jacaranda da bahia
Tampo: adirondack spruce (cordas de aço) e engelmann (clássico, embora prefira o cedro vermelho).
Supostamente seriam as melhores madeiras, mas tudo depende da construção.

instrumentista
Membro Novato
# 10/jul/22 13:26
· votar


pedrornh
adirondack não é a melhor madeira não, é a mais tradicional, bem como o abeto alemão é a mais tradicional nos clássicos, engelmann perde muito timbre quando se toca com mais energia. Na minha concepção (de quem já teve violão com as duas madeiras, construídos pelo mesmo luthier) o abeto alemão é a melhor madeira em termos de timbre pra violões (PRO MEU GOSTO DE TIMBRE), tanto de aço quanto de nylon, tem boa resistência a ataques fortes, mas tem uma complexidade gigantesca e produz um timbre muito característico, carregado de harmônicos. Na realidade essa é uma discussão bem extensa nos EUA (onde há muitos violões e construtores de alto nível) e no fim das constas passa a ser uma escolha pessoal de cada pessoa. Existem luthiers incríveis como o Richard Hoover que usam muito spruce europeu nas suas melhores construções, e deixam o spruce vermelho (adirondack) pros leques harmônicos, por serem mais baratos que o spruce europeu (afinal de contas lá não tem taxa sobre a madeira americana) e por serem encontrados com maior facilidade, mas também pela sua resistência ser maior. Mas um ponto importante aqui é, que nem sempre maior resistência quer dizer melhor timbre, no fórum AGF têm muita gente (sou um deles) que defende que o abeto alemão é o melhor dos dois mundos, principalmente se for uma madeira mais velha, pois ela tem tanto resistência como timbre doce e complexo, mas também com um tempo para amadurecimento médio de três anos.

Mahogany é como se chama o mogno em inglês, nada mais é que uma tradução da palavra, a indústria usa sim o termo pra colocar outras madeiras no mesmo balaio, como o "mogno africano" ou o "mogno asiático" que de fato não são mogno nem mahogany, novamente nos EUA há uma diferenciação, onde o mogno verdadeiro (da América do sul) é chamado de TRUE MAHOGANY ou AUTHENTIC MAHOGANY

DOMDEDEUS
Veterano
# 11/jul/22 18:40
· votar


Boa

Esse fórum já foi bem movimentado, saudade daqueles tempos

Aquela série Brasil da Giannini com madeira nobres tem me chamado a atenção e o preço é abaixo de $1000

pedrornh
Membro Novato
# 16/jul/22 02:55
· votar


adirondack não é a melhor madeira não
Me referi ao pensamento da maioria, não ao meu, embora para cordas de aço pense como a maioria.
Algo, interessante no que você disse é a utilização de madeira diferente no leque harmônico.
Obs.: Infelizmente 90% dos lutheries não sabem nada sobre o leque e simplesmente copiam plantas tantas vezes que acabam tendo um resultado satisfatório, sem entender o motivo. Então as pessoas pagam 10k num violão achando que é melhor que um industrial por ser feito por um profissional heheheh. Sem contar a "industrialização" da luthieria... Bom, quem compra violão clássico vai entender o que estou falando.
Voltando ao que você disse, alguns lutheries – que sabem o que estão fazendo – utilzam leque em abeto no tampo de cedro (ou o contrário) e a riqueza sonora é incrível. Um som muito particular, mas lindo. Estou pensando em encomendar um violão assim.

instrumentista
Membro Novato
# 23/jul/22 19:09
· votar


pedrornh
Nunca vi, pelo menos no violão de aço, leque de cedro. Se utiliza geralmente o melhor custo x benefício nesse caso, pois ali o que importa é a leveza e resistência mecânica, o que altera o som em si é o calculo de frequências e o shape do leque... quanto ao pensamento, me abstenho de comentar opiniões, pois elas são muitas vezes embasadas em mitologia e em gostoso pessoais, me baseio no que tenho experiência e no que conheço de cada madeira, como eu disse, o adirondack é desejado por ter a mística de ser a madeira utilizada pela Martin nos anos 30. Mas o abeto alemão é utilizado desde a origem dos instrumentos de cordas tocadas e nem por isso é o melhor, são diferentes e produzem resultados diferentes, pode ser mais caro, mais desejado, mais bem falado, mas te digo, na minha experiência com instrumentos de alto nível (instrumentos americanos) a madeira europeia vence em termos de timbre, por ser de uma região mais fria e de corte muito mais antigo, o que se usa de adirondack hoje tem em torno de 50 anos, o que se usa de spruce europeu hoje (principalmente dos alpes suíços) tem mais de 100 anos de corte (óbvio, falando de madeiras de alto nível, vendidas por distribuidores competentes).

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Mogno: Pontos positivos e negativos dessa madeira.