Parabéns Eric Clapton! 65 anos hoje! E Michael Angelo faz música chamada "Clapton is God"

Autor Mensagem
Eric Clapton
Veterano
# mar/10


Hoje, 30/03/2010, um dos maiores guitarristas da história completa 65 anos!

Parabéns Eric Clapton!! \o/








Eric Clapton

Eric Patrick Clapton CBE (Ripley, 30 de março de 1945) é um guitarrista, cantor e compositor britânico. Apelidado de Slow Hand, é considerado um dos melhores guitarristas do mundo.

Embora seu estilo musical tenha variado ao longo de sua carreira, Clapton sempre teve suas raízes ligadas ao blues. Clapton foi considerado inovador pelos críticos em várias fases distintas de sua carreira, atingindo sucesso tanto de crítica quanto de público e tendo várias canções listadas entre as mais populares de todos os tempos, tais como "Layla", "Wonderful Tonight" e a regravação de "I Shot the Sheriff", de Bob Marley.

Em 2004 foi condecorado com o título de Comandante da Ordem do Império Britânico (CBE).

Carreira musical e vida pessoal

Infância e início da carreira

Clapton nasceu em Ripley, na Inglaterra, Sua mãe era solteira e com 16 anos de idade. Foi criado pela sua avó e pelo marido desta, acreditando que eles eram seus pais e que sua mãe era sua irmã mais velha. Descobriu a verdade aos 9 anos de idade, e essa revelação foi um momento muito marcante na sua vida. Depois disso, ele deixou de se aplicar na escola e se tornou um garoto calado, tímido, solitário e distante de sua família.

Seu primeiro emprego foi como carteiro e, aos 13 anos de idade, ganhou seu primeiro violão. Apesar da dificuldade inicial de aprender a tocar o instrumento, quase desistindo, acabou se esforçando para tocar os primeiros acordes influenciado por canções antigas de blues, que tentava reproduzir. Em pouco tempo, já dedicava horas diárias ao aprendizado, e foi conseguindo dominar o instrumento.

Depois de completar o ensino básico, em 1962 Clapton fez um ano introdutório na Kingston College of Art, mas não continuou o curso. Em janeiro de 1963, ingressou na banda The Roosters, onde permaneceu até agosto do mesmo ano.

O surgimento de Clapton

Ainda em 63, passou a integrar a banda Yardbirds, que começava a fazer sucesso na Grã-Bretanha. Entretanto, fiel à suas raízes blues, recusou-se a seguir a direção pop escolhida pelo grupo, e acabou saindo em março de 1965. Depois de um tempo em empregos temporários, entrou para a John Mayall & the Bluesbreakers, estabelecendo seu nome como músico de blues e inspirando o fanatismo de jovens que pichavam Londres com a inscrição "Clapton is God" ("Clapton é Deus").

Ele largou os Bluesbreakers em 1966 e então formou o Cream, um dos primeiros "power trios" do rock, com Jack Bruce e Ginger Baker. Foi nessa época que Eric começou a desenvolver-se como cantor, embora Bruce, um dos melhores vocalistas do rock, fizesse a maioria dos vocais.

No final de 1966 o status de Clapton como melhor guitarrista da Grã-Bretanha foi abalado com a chegada de Jimi Hendrix. Hendrix compareceu a uma das primeiras apresentações do Cream, no London Polytechnic em 1 de outubro de 1966, e tocou uma jam com a banda durante "Killing Floor". Eric imediatamente percebeu que havia ganho um imbatível adversário, cujo carisma era igualado somente por sua incrível técnica na guitarra. Os primeiros shows de Hendrix no Reino Unido foram assistidos pela maioria dos astros da música britânica, incluindo Clapton, Pete Townshend e os Beatles. A chegada do americano teria um impacto profundo e imediato na próxima etapa da carreira de Clapton.

Fim do Cream

Embora o Cream seja apresentado como um dos melhores grupos de sua geração, a banda teve vida curta. As lendárias brigas internas - especialmente entre Bruce e Baker - aumentaram a tensão entre os três integrantes, levando ao fim do trio. Outro fator significante foi uma crítica pesada da revista Rolling Stone de um dos shows do Cream, o que afetou Clapton profundamente.

Goodbye, álbum de despedida da banda, apresentava faixas ao vivo gravadas no Royal Albert Hall, assim como a versão de estúdio de "Badge", composta por Eric e George Harrison.

A amizade próxima dos dois resultou na performance de Clapton em "While My Guitar Gently Weeps", lançada no White Album dos Beatles. Ao acompanhar de perto o sofrimento da esposa de Harrison, Pattie Boyd, que vivia abandonada em razão do interesse do marido pela cultura hindu, Eric acabou se apaixonando. E o sofrimento por amar a mulher de seu melhor amigo o inspiraria a compor uma das suas canções mais conhecidas: "Layla".

Uma segunda participação em outro super grupo, o menos-sucedido Blind Faith (1969), com Baker, Steve Winwood e Rick Grech, resultou em um álbum fraco e uma turnê norte-americana cancelada. Já aí Clapton estava cansado de sua fama e do burburinho que cercava o Cream e o Blind Faith, além de ter ficado profundamente afetado pela música do The Band – com o qual de fato ele já havia pedido para se juntar depois do fim do Cream. Clapton então decidiu ficar um pouco nas sombras, e passou a viajar em turnê como convidado do grupo americano Delaney and Bonnie and Friends. Ele tornou-se amigo íntimo de Delaney Bramlett, que o encorajou a voltar a compor e a cantar.

Solo

Usando a banda de apoio de Bramletts e um elenco estelar de músicos de estúdio, Clapton lançou seu primeiro disco solo em 1970, que trazia uma de suas melhores composições: "Let It Rain".

Se apropriando da seção rítmica do Delaney & Bonnie – Bobby Whitlock (teclado, vocais), Carl Radle (baixo) e Jim Gordon (bateria) – ele formou uma nova banda com a intenção de contrastar com o culto de "estrelismo" que crescera a sua volta e mostrar Clapton como um integrante no mesmo patamar dos demais. Isto tornou-se ainda mais evidente com a escolha do nome – Derek and the Dominos – que veio de uma piada nos bastidores do primeiro show da banda.

Trabalhando no Criterion Studios em Miami com o produtor Tom Dowd, a banda gravou um brilhante álbum duplo, hoje em dia considerado como a obra-prima de Clapton: Layla and Other Assorted Love Songs. A maioria do material, incluindo a faixa título, foram inspirados pelo conto árabe Majnun e Layla e mostravam o grande amor não declarado de Clapton por Patti Harrison. "Layla" foi gravada em duas sessões distintas; a seção de abertura na guitarra foi gravada primeiro, e para a segunda seção, o baterista Jim Gordon compôs e tocou o elegante trecho ao piano.

Mas a tragédia marcou o grupo durante sua breve carreira. Durante as sessões, Clapton ficou devastado com a notícia da morte de Jimi Hendrix; a banda gravou uma versão tocante de "Little Wing" como um tributo a ele, adicionando-a ao álbum. Um ano depois, Duane Allman morreu em um acidente de motocicleta. Contribuindo mais para o sofrimento de Clapton, o álbum Layla receberia somente algumas poucas críticas neutras quando de seu lançamento.

Drogas e álcool

O esfacelado grupo resolveu iniciar uma turnê norte-americana. Apesar da admissão posterior de Clapton de que a turnê ocorreu em meio a uma verdadeira orgia de drogas e álcool, aquilo acabou resultando em um poderoso álbum ao vivo, In Concert. Mas o grupo se desintegraria pouco tempo depois em Londres, na véspera da gravação de seu segundo LP de estúdio. Embora Radle tenha continuado a trabalhar com Clapton por vários anos, a briga entre Eric e Bobby Whitlock foi aparentemente feia, e eles nunca mais voltariam a tocar juntos. Outra trágica nota de rodapé para a história do Dominos foi o destino de seu baterista Jim Gordon, que sofria de esquizofrenia não-diagnosticada – anos depois, durante um surto psicótico, ele mataria a própria mãe a marretadas, sendo confinado em um hospício, onde permanece até hoje.

Apesar de seu sucesso, a vida pessoal de Clapton encontrava-se em estado deplorável. Além de sua paixão por Pattie Boyd-Harrison, ele parou de tocar e se apresentar e tornou-se viciado em heroína, o que resultou em um hiato em sua carreira. A única interrupção notável desse hiato foi sua participação no Concerto para Bangladesh - organizado por George Harrison - e, depois, pelo "Rainbow Concert", organizado por Pete Townshend do The Who para ajudar Clapton a largar as drogas.

Clapton devolveu a gentileza ao interpretar o "Pregador" na versão cinematográfica de Tommy em 1975; sua aparição no filme (tocando "Eyesight To The Blind") é notável pelo fato de ele estar claramente usando uma barba falsa em algumas sequências – o resultado de ele impensadamente raspar sua barba entre as gravações!

Relativamente limpo novamente, Clapton começou a organizar uma nova e forte banda, que incluía Radle, o guitarrista George Terry, o baterista Jamie Oldaker e as backing vocals Yvonne Elliman e Marcy Levy. Eles viajaram em turnê ao redor do mundo, posteriormente lançando o soberbo E.C. Was Here (1975).

Clapton lançou 461 Ocean Boulevard em 1974, álbum mais enfatizado nas canções ao invés de sua técnica na guitarra. Sua versão de "I Shot The Sheriff" foi um grande sucesso, sendo importante ao apresentar o reggae e a música de Bob Marley para um público mais extenso. Ele também promoveu o trabalho do cantor-compositor-guitarrista J.J.Cale.

Eric continuou a gravar e a fazer turnês regulares, mas a maioria de seu trabalho desta época foi deliberadamente mais calmo, fracassando em obter a mesma repercussão do início de sua carreira.

O final dos anos 1970 viu um Clapton com dificuldades de se acertar com a música popular, causando uma recaída no alcoolismo que o levou a ser hospitalizado e depois internado para um período de convalescência em Antígua, onde ele mais tarde apoiaria a criação de um centro de reabilitação.

Em 1985 Clapton conheceu Yvone Khan Kelly, com quem ele começaria um relacionamento. Eles tiveram uma filha, Ruth, que nasceu no mesmo ano. Clapton se divorciaria de Pattie Boyd em 1988.

No começo dos anos 1990 a tragédia voltaria a atormentar a vida de Clapton em duas ocasiões. No dia 27 de agosto de 1990 o guitarrista Stevie Ray Vaughan (que estava em turnê com Eric) e dois membros de sua equipe de apoio morreram em um acidente de helicóptero. No ano seguinte, em 20 de março de 1991, Conor, filho de quatro anos de Clapton com a modelo italiana Lori Del Santo, morreu depois de cair da janela de um apartamento. Um instantâneo da dor de Clapton pôde ser visto com a canção "Tears In Heaven", My Father's Eyes (Pilgrim, 1998) e Circus Left Town (Pilgrim, 1998).

Slow Hand ressurgindo

Assim como MTV Unplugged (vencedor do Grammy em 1993), seu álbum From The Cradle trazia várias versões de antigos sucessos do blues, dando destaque a seu estilo econômico no violão. Em 1997, ele gravou um álbum de música eletrônica sob o pseudônimo de TDF, Retail Therapy, terminando o século XX com aclamadas parcerias com Carlos Santana e B. B. King.

Em 1999, Clapton, então com 56 anos, conheceu a artista gráfica Melia McEnery, 25, em Los Angeles enquanto trabalhava em um álbum com B. B. King. Eles se casaram em 2002 e tiveram três filhas, Julia Rose (2001), Ella May (2003) e Sophie, nascida em 2005.

Tão conhecido quanto Clapton é o seu costume de usar uma variedade de guitarras. No começo de sua carreira, ele usava uma Gibson Les Paul do final dos anos 1970, sendo parcialmente responsável pela reintrodução do estilo original da Les Paul pela Gibson.

Mais tarde, Clapton começou a usar Stratocasters da Fender. A mais famosa de todas as suas guitarras foi Blackie, montada com pedaços de várias Strats e que ele usou até os anos 1990, Depois, por medo de danificá-la, guardou em casa, e não a levou mais aos palcos. Por fim, Clapton se desfez da "Blackie" por U$959,500 no leilão organizado pela Christie's de Nova York, em benefício do centro de reabilitação Crossroads.

Em 1988, Clapton foi honrado pela fábrica de guitarras Fender com a introdução de uma Stratocaster feita sob medida para ele, juntamente com Yngwie Malmsteen. Aquelas foram as primeiras guitarras modeladas para artistas na famosa série "Signature" da Stratocaster, que desde então incluiu modelos para Jeff Beck, Buddy Guy e Stevie Ray Vaughan, entre outros.

Em 1999, Clapton levou a leilão parte de sua coleção de guitarras para levantar fundos para o Crossroads, centro de reabilitação para viciados que ele fundou na Antígua em 1997. O montante total conseguido no leilão pela Christie's foi de U$7,438,624.

Em 3 de novembro de 2004, Clapton é condecorado com o título de Comandante da Ordem do Império Britânico (CBE).


E por curiosidade, um dos guitarristas mais rápido do mundo, Michel Angelo Batio, disse em uma entrevista que um dos guitarristas que ele mais admira é o Eric Clapton e que sua obra é intocável. Ele chegou a fazer uma música para um cd com o nome de "Clapton is God". Confira:

Michael Angelo Batio - "Clapton is God"



Sir.Paulo
Veterano
# mar/10
· votar


Nada melhor que um Classico para comemorar!


Thiago Yoshiki
Veterano
# mar/10
· votar


Me falaram que o michael angelo tinha morrido

Lord-g
Veterano
# mar/10
· votar


Eric Clapton
Sugestivo seu nick ! rs
Belo tópico cara parabéns, mestre Clapton merece !!!

Carregando
Veterano
# mar/10
· votar


Thiago Yoshiki

Clapton reviveu ele e pedio a musica

Konk
Veterano
# mar/10 · Editado por: Konk
· votar


Eric Clapton
Agora me pergunto, por que raios Michael Angelo colocou BACH numa música que é pro CLAPTON ?!
Digo, realmente adoro Bach, mas achei meio inapropriado, é Clapton ! Porra !
Achei que tudo ia ocorrer bem, mas quando ele começou a fritar mesmo perdeu um pouco a graça... O cara usa SEMPRE a mesma escala tocada SEMPRE do mesmo modo. :(

Hail pra infecção brava na garganta, não tive que ir pro colégio !

Edit: Desejo um feliz aniversário pro Clapton ! Mesmo nunca tendo conhecido ele. Se eu aprendi física quântica do modo correto, eu tou fazendo o bem. Haha.

Eric Clapton
Veterano
# mar/10
· votar


Konk


É o estilo do cara né. Ele quis deixar sua marca registrada. E sinceramente, tirando as fritadas sem nexo, partes ficaram bem legais e bem cantadas (se eu não me enganofoi ele que cantou).

Konk
Veterano
# mar/10
· votar


Eric Clapton
Sei lá velho, uma variada as vezes é boa. O problema do Batio é que ele não faz tocar rápido uma marca registrada, e sim uma merda duma escala ! Todas as musicas tem ela, oussa.
Bom, as partes cantadas ficaram ótimas realmente.
No geral gostei, mas as fritações são sem nexo.

Hugo Queiroz
Veterano
# mar/10
· votar


Achei engraçado MAB fazer uma música em homenagem a Eric Clapton e ficar fritando.

Eric Clapton sempre foi o maior defensor de solos economicos, poucas notas e muito feeling. MAB fez exatamente o contrário, hehehe.

De qualquer forma ficou bom. É o estilo dele, fazer o que?

Eric Clapton
Veterano
# mar/10
· votar


Hugo Queiroz
Eric Clapton sempre foi o maior defensor de solos economicos, poucas notas e muito feeling.


Nem sempre. Não acho que o Clapton seja econômico. O que acontece é desde que saiu do Cream, ele se cansou de ficar tocando rápido (veja o tópico que eu criei do Cream perguntando se ali era o início do Rock Pesado) e que em muitas músicas ele tem feito solos mais simples, mas em outras ele detona mesmo, inclusive agora velho.

Eric Clapton
Veterano
# mar/10
· votar


Lord-g
Sugestivo seu nick ! rs

Está vendo!! Etsou ficando velho!!

=/

De Ros
Veterano
# mar/10
· votar


Eric Clapton

Cara, baita tópico! To meio na correria mas depois quero ler na integra, parece super informativo. A Bio do Clapton ta na minha lista, pretendo ler logo que possivel.

Valeu!

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# mar/10
· votar


De Ros
Eu tenho esse livro. É muito bom mesmo, o melhor dos que comprei e lí recentemente (Led, Hendrix, BBKing, Tim Maia).
Abç

makumbator
Veterano
# mar/10
· votar


Eric Clapton

"Fritar" numa música em homenagem ao Clapton é uma contradição em termos...hehehe

É como fazer uma homenagem ao Malmsteen e só tocar notas longuíssimas e sem vibrato! Hhaha!!

Eric Clapton
Veterano
# mar/10 · Editado por: Eric Clapton
· votar


makumbator

ahhahahaha...verdade!!!

Mas é bacana ver que o Clapton é admirado por um outro guitarrista com estilo totalmente diferente do dele.

Dai que eu enxergo realmente a importância dele no mundo da música.

Ian Anderson
Veterano
# mar/10
· votar


Eric Clapton

Mas vc não fez aniversario semana passada?

8P

pedrobrito
Veterano
# mar/10
· votar


Engraçada essa versão do MAB, nunca imaginei Layla tão fritada hahaha

MauricioBahia
Moderador
# mar/10
· votar


Valeu Eric!

Eric Clapton
Veterano
# mar/10
· votar


MauricioBahia

É a Carla Bruni?

MauricioBahia
Moderador
# mar/10
· votar


Eric Clapton: É a Carla Bruni?

Exato!

Abs

Eric Clapton
Veterano
# mar/10 · Editado por: Eric Clapton
· votar


MauricioBahia

Caramba!!! Estou velho mesmo!!!

Nem lembrava de ter pego a Carlinha!!!

Hugo Queiroz
Veterano
# mar/10 · Editado por: Hugo Queiroz
· votar


Tem também Sheryl Crow ai no currículo, pô, a lista é grande. Sempre muito bem servido.

Só não é pior que Mick Jagger, que deve até ter comunidade no Orkut como "Já levei um cato de Mick Jagger".

Blizzy
Veterano
# mar/10
· votar


feliz aniversário pra ele o/

minha irmã vai num show dele com o Steve Winwood, vou ficar na vontade :(

Eric Clapton
Veterano
# mar/10
· votar


Blizzy
eliz aniversário pra ele o/

minha irmã vai num show dele com o Steve Winwood, vou ficar na vontade :(



*morri*

Eric Clapton
Veterano
# mar/10 · Editado por: Eric Clapton
· votar


Hugo Queiroz


Não se esqueça de Pattie Boyd!! A ex mulher de George Harrison!

Hugo Queiroz
Veterano
# mar/10
· votar


Tá pegando até a irmã do Blizzy?!

Ai é sacanagem, se controla pô!

Hugo Queiroz
Veterano
# mar/10
· votar


Mas pegar a mulher do amigo e não perder a amizade é uma arte.

Conta ai qual o segredo!

buddy guy
Veterano
# mar/10
· votar


Impressionante como ele não aparenta estes 65. Vida longa ao Mr.Eric Clapton !!!!!!!!!!

nichendrix
Veterano
# mar/10 · Editado por: nichendrix
· votar


Eric Clapton

Quem acha que o Clapton toca devagar devia ver os solos de semi-colcheias e tercinas de fusas ou mesmo solos em semi-fusas que ele gosta de fazer de vez em quando, especialmente para fazer contraste em blues de andamento mais lento como Five Long Years,, All Your Love, Someday After a While, Groaning the Blues entre outros.

E fritar numa musica feita pra fritar é fácil, agora vai fritar num blues lentão e fazer ficar tudo bem encaixadinho no contexto, aí tem que ser foda.

Enfim, God bless the Guitar God.

nichendrix
Veterano
# mar/10
· votar


Hugo Queiroz
MauricioBahia
É a Carla Bruni?
Só não é pior que Mick Jagger, que deve até ter comunidade no Orkut como "Já levei um cato de Mick Jagger".

Que por sinal tomou a Carla Bruni do Clapton quando ela era bem novinha, o Clapton tava namorando ela, apresentou os dois, quando viu o olhar de cachorro vendo maquina de assar frango do Jagger ainda disse, por favor Mick, essa aqui não... foi pruma turnê na Africa e quando voutou só viu no jornal, nova namorada de Mick Jagger.

makumbator
"Fritar" numa música em homenagem ao Clapton é uma contradição em termos...hehehe

É como fazer uma homenagem ao Malmsteen e só tocar notas longuíssimas e sem vibrato! Hhaha!!


Sinceramente cara, só diz isso quem não conhece o trabalho dele, já que toda essa coisa de tocar cada vez mais rápido na hora de solar foi começada por ele e o Mike Bloonfield, depois foram seguidos pelo Hendrix e Page, depois Van Halen e cia... mas no fim não fosse ele e o Mike Bloonfield, dificilmente vc veria o tipo de fritação que veio depois.

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Parabéns Eric Clapton! 65 anos hoje! E Michael Angelo faz música chamada "Clapton is God"