Como destacar mais a bateria na mix?

    Autor Mensagem
    MacB0y
    Veterano
    # nov/12 · Editado por: MacB0y


    Fala galera! Espero não estar criando um tópico de algo que ja exista, pq na minha busca por ai não encontrei algo satisfatório...

    Seguinte... To fazendo minhas primeiras mix de musicas que foram feitos todos os instrumentos (antes era tudo backing track, e no maximo uma guitarra), e to conseguindo um resultado até legal!

    To fazendo os midis pelo Hydrogen (Eu que escrevi as baterias, não usei nenhum midi pronto), e usando o Superior Drummer pra fazer a coisa funcionar.

    O que ta pegando é o seguinte, perco horas equalizando, comprimindo e tal, e no meu ouvido consigo um resultado legal. O problema é quando escuto musicas prontas, derrepente a original do cover que to mixando ou até outras musicas.

    Eu literalmente não consigo destacar tanto a bateria como eles... Se dou mais volume, clipa, se comprimo mais, distorce... Então fiquei num empasse... Como conseguir destacar a bateria desta forma?

    Seguem as 2 musicas que estou trabalhando:

    Musica 1
    Musica 2

    Qualquer ajuda ou opinião será muito util, pois ainda sou um completo novato nesse ramo, e quero aprender muito!

    Abraços galera!

    Slash_1989
    Veterano
    # nov/12
    · votar


    MacB0y
    manda toda a bateria para um AUX e atocha compressao!

    makumbator
    Veterano
    # nov/12 · Editado por: makumbator
    · votar


    MacB0y

    Há duas sugestões boas (além de outras mais óbvias):

    1. compressão paralela

    2. Side chain entre o bumbo e baixo (por exemplo), para destacar o kick na mix. Nessa técnica um sinal é usado para controlar o compressor de outro. Assim quando o sinal controlador toca a compressão do sinal "alvo" se ajusta.

    procure no youtube por vídeos sobre esses assuntos no DAW que você utiliza.

    Além disso há toda a parte de EQ, pan, volumes relativos entre as peças, controle de transientes, etc... que pode alterar muito o resultado final. E isso tem que ser trabalhado em conjunto com os outros instrumentos. Não adianta uma pista estar linda em solo, mas não funcionar com o restante dos instrumentos.

    Baal
    Veterano
    # nov/12
    · votar


    MacB0y

    Amigão

    Abre um canal Aux no Superior Drummer pra ambiencia e um para bumbo e caixa
    Coloca um compressor seguido do outro!
    mas no primeiro vc deixa como standard do jeito que ele aparece e no segundo comprime com o THD por volta de 1 e do ratio 2 horas vc vai ver como vai ficar.

    Isso vai dar uma "pressão"a mais.

    Valeu

    MacB0y
    Veterano
    # nov/12
    · votar


    Galera, muito obrigado pelas dicas, amanhã vou por em prática e posto aqui o resultado! Abração!

    Adler3x3
    Veterano
    # nov/12 · Editado por: Adler3x3
    · votar


    MaxBoy

    Escutei as gravações e gostei do resultado geral.
    Dá para notar que as guitarras estão num nível de qualidade bem superior ao da bateria.
    Eu particularmente não gosto do EzDrummer e derivados.
    Aqui é que esta o problema, as guitarras estão bem gravadas mas a bateria na questão de qualidade não esta no mesmo nível.
    O que é normal.
    Qual a solução?
    Procurar e pesquisar outro VST de bateria.
    Usar mais compressão para tentar obter mais peso e seguir as dicas postadas pelos outros membros do fórum.
    Mas não dá para esperar resultados excepcionais usando baterias virtuais.
    A bateria parece estar bem sequenciada, mas os samplers deixam a desejar.
    Uma bateria virtual sempre vai deixar a desejar.
    E complete a parte do baixo, pois o baixo junto com a bateria dá uma nova vida a música.
    E o baixo com a bateria tem que funcionar bem juntos e testar primeiro, antes do que com as guitarras.
    Baterias virtuais funcionam bem em música puramente eletrônicas, que é o seu ambiente, baterias acusticas baseadas em samplers não dão um bom resultado.

    Adler3x3
    Veterano
    # nov/12 · Editado por: Adler3x3
    · votar


    Post duplo.

    Alfa polar
    Veterano
    # nov/12
    · votar


    MacB0y

    Eu fiz um tópico com a intenção só de discutir mixagem de bateria mas pouca gente se interessou e respondeu....

    algumas dicas de um livro de mixagem estou lendo:

    Bumbo sempre, sempre no meio, não tem essa de só 10% pra um lado pra não chocar com o baixo, vc desequilibra a mix inteira...
    Bumbo sem reverb, se quiser dar punch, puxa uma casquinha de agudo.
    Outra dica interessante é fazer o efeito rick rubin, dobra o canal de um dos mics de sala (pode ser L ou R, foda se), equaliza ele (o canal dobrado) tirando todo o agudo , bota um pouco de grave, renomeie ele para kickroom sei la só pra não misturar tudo, daí vc aplica um gate, e faz um sidechain nele pra disparar na hora que o bumbo tocar, vc vai ver o peso q dá pro bumbo, dá uma ambiência legal.

    Caixinha o negócio é achar o reverb certo, o ponto onde vc não escuta aquele reverb exagerado mas se vc tira vc sente falta... Funciona legal fazer compressão paralela tbm, dobra ela, comprime a duplicada e deixa a outra natural, equaliza as duas usando seu ouvido msmo.

    Pratos, geralmente não temos um mic pra cada prato, usamos o som dos overs msmo, quanto mais alto os overs estão, mais agudos captam, ou seja, destacam os pratos, mas cuidado pra não ficar taquara rachada.
    É legal aplicar nos canais de room, um compressor com atk rápido e rls lento pra valorizar os pratos, pode fritar na compressão use um fator alto, só cuidado com o atk muito rápido pra não perder o som do ataque do prato, daí fica só um shhhhhhhhhhhh meio sem sentido, principalmente se for rock...

    ah sei la cara falar de batera é foda pa caraio....

    se o bumbo tiver uma merda, triga ele de uma vez......

    Alfa polar
    Veterano
    # nov/12
    · votar


    MacB0y

    e comprimo mais, distorce..

    velho nem preciso te falar que bateria midi não se comprime né... Claro q o compressor não vai resolver, ele faz efeito especialmente em microfones, porque trabalha com dinâmica, numa batera midi vc não tem dinamica nenhuma cara, a intensidade varia oq, 3, 4 vezes no máximo, isso se for um sampler bom.... Numa batera gravada de verdade cada batida q o cara dá vem numa intensidade por isso vc sente a diferença no compressor....

    makumbator
    Veterano
    # nov/12
    · votar


    Alfa polar
    velho nem preciso te falar que bateria midi não se comprime né...

    Mas é óbvio que é para comprimir a saída de áudio do sampler, e não o arquivo midi que aciona o instrumento virtual. Depois que o áudio é gerado, pode-se tratar o sinal vindo do sampler como uma bateria acústica normal, pois a partir daí vira sinal de áudio comum (o que não quer dizer que vai ficar tão realista quanto a coisa original).

    MacB0y
    Veterano
    # nov/12 · Editado por: MacB0y
    · votar


    Muito obrigado a todos pelas dicas, estou pondo elas em prática, e em breve posto outra mix pra vocês ouvirem! :)

    Alfa polar

    Suponho que você não conheça o Superior Drummer... Este VSTI gera arquivos de audio com simulação de microfones, inclusive com som de cada peça vazando, como uma microfonação verdadeira... Logo os compressores conseguem atuar bem na dinamica... E mesmo que o midi em si esteja sem a dinamica de uma bateria real, o VSTI tem uma rotina de dinamica nas batidas chamada Humanize que consegue melhorar isso...

    Logico que não espero conseguir os resultados de um estudio profissional, não é esse o objetivo (Por enquanto hehe)
    Apenas uma mix com som de qualidade e satisfatório pra mim é suficiente...

    __________________________________________________________

    Segue um vídeo da banda Hydria, de um cara que admiro muito, o Celo Oliveira.

    Nessa musica, que foi gravada no nosso amado Reaper em um Hackintosh(PC comum com MacOS X), tirando baixo, guitarra e vocal, é tudo plugin :) (Superior Drummer na bateria, pra ser exato)

    Video

    E pra quem tiver curioso em como ele fez a mix, ele fez um video mostrando cada pista.

    Ta ai


    Abraço a todos!

    Alfa polar
    Veterano
    # nov/12
    · votar


    MacB0y

    Sim ouvi falar essa história de q ele simula o vazamento tbm, o negócio do humanize é aquilo q eu citei, o sampler as vezes oferece algumas dinâmicas, mas cara pra mim uma batera sampler é sampler, dá pra perceber q a caixinha bate "sempre" igual, mas enfim, é uma solução boa pra quem não tem condição de gravar batera, engana fácil...

    makumbator


    Depois que o áudio é gerado, pode-se tratar o sinal vindo do sampler como uma bateria acústica normal

    Ok, concordo, mas os samples ja vem compridimidos, equalizados, e tudo mais, pra que comprimir mais? Não vai funcionar igual cara, o sampler não oferece a mesma dinâmica... queria ou não, não vai...
    Lembrando q uma coisa é a batera estar trigada, onde vc consegue mesclar com o som original, estamos falando de batera puramente midi, gravada com controlador e tal

    makumbator
    Veterano
    # nov/12 · Editado por: makumbator
    · votar


    Alfa polar
    Ok, concordo, mas os samples ja vem compridimidos, equalizados, e tudo mais,

    Não necessariamente. Superior drums por exemplo tem as peças todas cruas, sem nada. Se a pessoa quiser desconsidera o processamento do sampler e faz tudo externo ao VSTi. Nessa forma fica bem mais próximo de uma bateria real gravada acústicamente. Mas veja bem: próximo, e não idêntico.

    o sampler não oferece a mesma dinâmica... queria ou não, não vai...

    Não é a mesma coisa, mas que há samplers crus, que possibilitam o processamento com outras ferramentas isso há! E a diferença é grande perto do resultado que se tem com samplers pré-processados.

    Um outro detalhe é que tem um monte de disco top por aí com caixa e bumbo substituídas por versões sampleadas, e alguns nem misturam o som original com o sampler, e sim trocam um pelo outro mesmo (ou fazem camadas com vários samplers).

    estamos falando de batera puramente midi, gravada com controlador e tal

    Mas depende da execução. Um bom baterista com uma bateria midi fica em geral muito bom com samplers. E ainda permite toda a edição midi posterior no arquivo gravado(mudar velocities, quantizar ou não, etc...).

    Mas é claro que também prefiro um bom baterista com uma boa bateria em uma boa sala, pe com essoal técnico e equipamento de gravação adequados. Mas isso é inviável para mim em casa (e para a maioria dos home studios). Nesse caso acho que os samplers superam qualquer gambiarra que poderia fazer aqui.

    Quando quero algo realmente acústico simplesmente vou no estúdio com um baterista para gravar apenas a batera. É um esquema que também funciona legal.

    dr.rd
    Veterano
    # nov/12 · Editado por: dr.rd
    · votar


    alfa polar, cuidado usar a palavra sempre. quando fala do bumbo voce se referie as frequencias mais graves do bumbo no meio, mas nao necessariamente as outras frequencias precisam estar no meio.

    makumbator
    Veterano
    # nov/12
    · votar


    dr.rd

    Um outro detalhe é que isso pode valer para rock e pop, mas pelo menos no jazz tradicional é até comum o bumbo NÃO ficar no centro (da mesma forma que o baixo), principalmente em gravações de trios de jazz.

    Na música erudita também é comum ter os graves deslocados para um dos lados (o que reflete a posição preferida dos cellos e contrabaixos na orquestra sinfônica, que não são centralizados).

    Aqui um post em que detalho esse assunto:

    http://forum.cifraclub.com.br/forum/16/255137/#7385436

    trashit hc
    Veterano
    # nov/12
    · votar


    MacB0y

    o baixo tá muito alto.
    por isso a bateria tá ficando pra trás.

    dr.rd
    Veterano
    # nov/12 · Editado por: dr.rd
    · votar


    makumbator

    A parte considerada chamda de sub, nao tem porque ser deslocada. frequencias nessa regiao sao omnidirecionais. Mesmo em música erudita e jazz, o sub do baixo ou do bumbo ficam no centro, mas o restante é deslocado de acordo com o caracteristica da mix. ai se tem a sensação do bumbo esta no canto.

    makumbator
    Veterano
    # nov/12 · Editado por: makumbator
    · votar


    dr.rd

    Mas o efeito sonoro é de grave deslocado (basta ouvir uma gravação de trios de jazz ou uma orquestra sinfônica). Obviamente o grave não fica todo socado em um lado, afinal ele ressoa no restante do pan (assim como os demais intrumentos), mas nota-se claramente o grave pendendo mais para um lado, bem deslocado do centro (ou seja, mesmo a maior parte do sub grave fica fora do centro).

    Aqui um exemplo:

    http://www.youtube.com/watch?v=dH3GSrCmzC8

    O baixo do La Faro está mais à esquerda do pan, e a bateria do Motian levemente mais à direita. Percebe-se melhor esse efeito na gravação em CD do que no áudio do youtube.

    Aqui um exemplo extremo:

    http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&v=jiew8O8BLlY&NR=1

    Nessa o baixo do La Faro está bem na direita da mix, o piano no centro e a bateria distribuída mais à esquerda. Aqui o baixo ressoa bem menos no centro, e a maior parte da energia de sub grave também fica à direita. Eu gosto dessa sonoridade, acho bem interessante.

    O que se estava discutindo aqui é a obrigação do bumbo ou baixo ficar no centro, e não é definitivamente o caso, independente de também ressoar no centro, o efeito para o ouvinte (que é o que importa) é do grave mais pesado de um lado da mix, e isso não causa desconforto auditivo (como alguns alegam).

    MacB0y
    Veterano
    # dez/12
    · votar


    Fala galera!!

    Fiz uma gravina nova, fazendo vários testes na gravação de guitarra (Primeira microfonação que faço), e acho que dessa vez consegui melhorar a bateria

    Escuta ai por favor, e ve se to no caminho certo, o que melhorar e tal...

    https://soundcloud.com/pablo-vieira-de-souza/enter-sandman


    PS- O midi ta bateria ta tosco, mas não consegui melhor nem tive tempo de escrever um :S

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Como destacar mais a bateria na mix?