Situar Esquerda e Direita. Curiosidade.

Autor Mensagem
Lelo Mig
Membro
# 16/mar/20 14:34


Por uma curiosidade, pessoal, gostaria de conhecer a "posição na régua ideológica" dos user aqui do O.T.

Antes, como parece que alguns não sabem direito o que determina/significa "esquerda e direita", vamos situar numa breve explicação, sem pretensão ou querer parecer arrogante, apenas para aproveitar a deixa.

No século 18, com a Assembleia Nacional Constituinte montada para criar a nova Constituição Francesa, as camadas mais ricas não gostaram da participação das mais pobres, preferindo não se misturar, então, sentavam separadas, do lado direito. Por isso, o lado esquerdo foi associado à luta pelos direitos dos trabalhadores, e o direito ao conservadorismo e à elite.

Depois de um tempo, em alguns Países, costumou-se associar Direita ao poder vigente (situação) e Esquerda à oposição.

Para alguns filósofos políticos, embora os dois lados sejam importantes na realização de reformas, a diferença seria que a Esquerda busca promover a justiça social enquanto a Direita trabalha pela liberdade individual.

No Brasil esquerda é muito ligada a ideia de Socialismo por causa da Ditadura Militar. Nos EUA, por exemplo, esquerda não remete, necessariamente, ao Socialismo.

Social-democratas, progressistas, socialistas democráticos e ambientalistas, são alinhados "à esquerda". Na extrema esquerda, movimentos igualitários, porém de cunho Totalitário e Ditatorial.

A Direita abrangem conservadores, democratas-cristãos, liberais e nacionalistas. Na extrema direita estão o nazismo e fascismo também de cunho Totalitário e Ditatorial.

O "Centro" (conhecida também por 3a via) seria uma posição onde é possível defender o Capitalismo sem sonegar a preocupação Social.

À partir do século 20 costumou-se associar o pensamento de Esquerda a ideologias como Marxismo, Socialismo e Anarquismo. E o pensamento de Direita a ideologias totalitárias como Nazismo, Fascismo, Franquismo, Salazarismo e etc.

A essa escala de "extrema esquerda à extrema direita" costuma se chamar Régua Ideológica.

Outra grande diferença entre "Esquerda e Direita" esta na visão sobre a economia. A Esquerda defende uma economia mais voltada a maior distribuição de renda e a Direita ao liberalismo (livre iniciativa de mercado, direito a propriedade, não intervenção do Estado na economia e etc.).

O termo Neoliberalismo surgiu nos anos 80 e é associado à Direita.

Na última pesquisa que li (deve ser por volta de 2010) o Brasil era assim dividido, segundo IBOPE:

9% se declaram esquerdistas
9% se declaram direitistas
4% centro esquerda
3% centro direita
3% extrema esquerda
2% extrema direita

O percentual restante não faz a miníma ideia do que é régua ideológica.

Numa régua onde 0 é extrema esquerda, 5 centro e 10 extrema direita, eu estou no 3,5 - 4,0.

E você?

Buja
Veterano
# 16/mar/20 14:46
· votar


Acabei de descobrir que sou conservo-liberalista, ou quem sabe, direito-esquerdista.
Defendo o capitalismo social, e acho que a liberdade individual promove justiça social.
A solução para a vida o universo e tudo mais, é a ditadura neoliberal.
Sou progressista-democrata. escrevo com a direita, chuto com a canhota.

Sei laaaaa, pra mim os dois lados tem argumentos validos e sobrios,
e os dois lados são uns burros ignorantes tambem...

Na regua ideologica, eu olho de cima e de longe!

entamoeba
Membro Novato
# 16/mar/20 15:25 · Editado por: entamoeba
· votar


3, eu acho.

Defendo um progressismo respeitoso, pautado pela prudência, e um governo suficientemente forte, que consiga servir ao povo. Defendo uma democracia transparente, tecnológica, que represente bem os interesses do povo, mas não ceda a desejos impulsivos, motivados por surtos de histeria. Defendo uma comunicação governamental mais transparente, fixada como política de Estado (não de governo), que seja capaz de prestar contas com a população. Defendo o desenvolvimento de estratégias inovadoras para tocar as políticas públicas, validadas cientificamente.

Também defendo investimentos pesados em pesquisa e educação, como forma de aprimorar o cidadão, tornando-o pronto para um modelo mais democrático, mas também como estratégia para a geração de riquezas. Defendo a elaboração de mecanismos para contenção do poder político das famílias ricas que controlam o País, usando-o em prol de interesses privados. Defendo saúde gratuita, com investimentos em pesquisas médicas e farmacológicas. Defendo educação gratuita do berçário ao doutorado, com bolsas de estudo dignas. Defendo programas de urbanização e de barateamento do custo de habitação. Defendo que todos ganhem o suficiente para levar uma vida digna. Defendo reflexões sobre problemas de sustentabilidade, desestimulando o consumo irresponsável e propondo modos de vida que não empurrem as pessoas para a cobiça de bens materiais. Defendo o acolhimento social do ser humano, de modo que ninguém fique desamparado.

Vou parar. Se bobear, escrevo quatro páginas sem nem ver.

Buja
Veterano
# 16/mar/20 15:32
· votar


entamoeba

Sinto que o que voce defende é o que 101% das pessoas defendem, inclusive a direita e esquerda.
Direita e esquerda, nao é aquela mesma máxima de "caminhos diferentes que levam ao mesmo deus?"

Mas sou ignorante no assunto, confesso, sem hipocrisia. Estou estudando muito lentamente.

Lelo Mig
Membro
# 16/mar/20 16:01
· votar


Buja

"caminhos diferentes que levam ao mesmo deus?"

Sim e não!

Vamos, por ora, esquecer aquela bobagem de que um dos lados é malvadão e o outro bonzinho. Vamos fazer um exercício imaginativo de um bom homem de esquerda e um bom homem de direita.

Ambos querem a mesma coisa. E, sim caminhos diferentes, levam a essa mesma coisa.

Mas, a diferença aqui (na comparação com religião) é o método prático.

A esquerda, de forma bem resumida, parte do pressuposto que existe desigualdade e essa desigualdade precisa ser combatida, pois sem a qual, não será possível um progresso geral para todos.

A direita, de forma bem resumida, parte do pressuposto que se sentar o pau na produtividade, gerando dinheiro e enriquecendo, sem o governo se meter, esta "desigualdade" será resolvida pelo próprio progresso, e os que continuarem fudidos, é porque querem, não fizeram nada para melhorar.

Eu (agora esqueça a "isenção", pois é minha opinião) sou uma pessoa que, talvez por conta de meu racionalismo científico, observo muito à prática, não sou muito dado a teorias mirabolantes.

E a pratica, se mostrou equivocada nos dois exemplos acima.

Por isso, defendo um novo modelo.

entamoeba
Membro Novato
# 16/mar/20 16:27
· votar


Buja
Direita e esquerda, nao é aquela mesma máxima de "caminhos diferentes que levam ao mesmo deus?"

A direita não curte programas sociais, de um modo geral. Também não gosta de mexer nas estruturas de poder, porque tem mais medo das mudanças do que esperança que as coisas possam melhorar. Eles só querem estabilidade, ainda que esta seja mantida à custa de um modelo injusto e cruel - como foi o escravagismo.

Na direita atual, ainda há a obsessão pelo Estado mínimo, mesmo que eles não saibam muito bem o que isso significa. Há, no discurso liberal, a crença na utopia do livre mercado, uma idealização totalmente ingênua, que só se sustentaria com muita intervenção estatal.

Wild Bill Hickok
Membro Novato
# 16/mar/20 16:28
· votar


qualquer definição que leve em consideração apenas o eixo horizontal = feijoada

Wild Bill Hickok
Membro Novato
# 16/mar/20 16:30
· votar


a crença na utopia do livre mercado
só se sustentaria com muita intervenção estatal

hahahaha grandes comentários do ot

Buja
Veterano
# 16/mar/20 16:43
· votar


Nao da pra entender facil.
Então ou o cara é liberal, ou é conservador.
Ou nao é nem um nem outro, é o que então?
Socialista = (mistura de ditadura com progressista)?

As vezes me confundo geral nisso....
tem gente que se define progressista, esquerda, mas acha que se o estado mudar, vira zona.
tem gente que acha que o estado é corrupto ladrão e que merece a morte, mas defende um governo igualitário.

nao seria:
set the world afire = esquerda
hail hitler = direita
?

acabaramosnicks
Membro Novato
# 16/mar/20 16:58
· votar


Buja
Então ou o cara é liberal, ou é conservador.

essa que é a pegadinha
normalmente o conservador é liberal

tem gente que se define progressista, esquerda, mas acha que se o estado mudar, vira zona.

Este é o "democrata". Tem à esquerda e à direita.

tem gente que acha que o estado é corrupto ladrão e que merece a morte, mas defende um governo igualitário.

este tipo de contradição é comum a muita gente que pensou pouco a seu próprio respeito

nao seria:
set the world afire = esquerda

Isso é anarquia, ausência de estado.
Pra esquerda, o estado tem que ser grande e forte.

hail hitler = direita

Isso é um endeusamento de regime ditatorial, tem tanto na esquerda como na direita. Daí o estado também é grande e forte.

Buja
Veterano
# 16/mar/20 17:00
· votar


acabaramosnicks

Me parece então que nao tem só o lado direito e esquerdo de ver as coisas.
Tem outras direções e 'misturas' possíveis. Certo?!

Lelo Mig
Membro
# 16/mar/20 17:13
· votar


Buja

Acho que você esta confundindo Liberal/Conservador nos costumes com Liberal/Conservador na economia.

São coisas diferentes.

entamoeba
Membro Novato
# 16/mar/20 17:41
· votar


Wild Bill Hickok
hahahaha grandes comentários do ot

Parece que você entendeu o paradoxo! Muito bem!


acabaramosnicks
Pra esquerda, o estado tem que ser grande e forte.

Não para Marx.

solitude
Membro Novato
# 16/mar/20 20:51 · Editado por: solitude
· votar


Eu prefiro me classificar só como esquerda (socialista). Minha tendência é ao socialismo libertário (vulgo anarquismo raiz, não essa loucura que os think tanks neoliberais inventaram há 50 anos aí), mas eu sinceramente aceito qualquer versão - o marxismo-leninismo que vocês conhecem (Cuba, URSS), o socialismo libertário (Rojava, Catalunha Revolucionária, as regiões autônomas zapatistas), o socialismo democrático (Chile do Allende, e em parte o que o Evo tentava fazer), tanto faz pra mim. Se o horizonte for de transformação e superação do capitalismo, e o objetivo imediato for eliminar a miséria, como todos os países socialistas eventualmente fizeram, to dentro.

entamoeba
Pra esquerda, o estado tem que ser grande e forte.

Não para Marx.

Não para nenhum esquerdista, na verdade. O Estado não é o objetivo, é um meio de conseguir alguma coisa. É essa coisa que vai definir a ideologia, não é o meio de chegar lá.

Um social democrata é de centro-esquerda, e ele quer um "Estado forte" pra controlar um pouco a iniciativa privada e financiar o básico a partir de impostos.

Um socialista democrático é de esquerda, e ele pode querer um "Estado forte" pra tomar o lugar da iniciativa privada na alocação de recursos essenciais.

Um comunista quer um Estado de transição socialista, que em última instância se tornaria desnecessário à medida em que as classes fossem deixando de existir (já que o Estado surgiu como ferramenta pra uma classe manter seu poder em detrimento das outras - isso nem é uma visão socialista, é a visão liberal clássica do Adam Smith mesmo). O comunismo seria o próximo estágio, uma sociedade sem propriedade privada, portanto sem classe, e portanto sem Estado.

Já um anarquista quer simplesmente pular pra sociedade sem classes, sem passar pelo Estado de transição. Acham ele desnecessário e são céticos quanto à disposição dos membros desse Estado de permitirem que ele definhe.

Nessa lsita aí tem gente que gosta de Estado, gente que não se importa, gente que tolera por um tempo, e gente que rejeita a qualquer custo. Tudo de esquerda.

A única semelhança é que todos eles querem diminuir (centro-esquerda) ou em última instância eliminar (esquerda pra extrema-esquerda) as classes (hierarquias) sociais.

Pigeonsslayer
Membro Novato
# 17/mar/20 04:26
· votar


Gosto de pensar que meu alinhamento ideológico esteja na centro esquerda. Na régua ideológica do Lelo me imagino em algo como um 3.8. Explico.

Por um lado, respeito e tenho grande admiração por bandeiras típicas da direita moderada, como a desburocratização e a livre concorrência (nas áreas em que a atuação estatal não se demonstre essencial).

Acredito que diversas atividades econômicas podem ser exploradas melhor pelos particulares que pelos agentes estatais. Assim, sou favorável à políticas que possam apoiar o empreendedorismo e simplificar as condições de empreender.

Pra mim se o estado garantir a oferta de sistemas públicos gratuitos, de qualidade, e de acesso universal nas áreas de educação, saúde, segurança pública, justiça e habitação popular (enquanto programa de estado visando a dignidade humana e distribuição de renda) praticamente qualquer outra área pode ser operada por agentes estatais e/ou privados.

Sou favorável a existência das agências reguladoras estatais para garantir que o interesse ou público seja sempre garantido, mesmo em áreas operadas exclusivamente pelo capital privado.

Defendo a estabilidade no serviço público, não como forma de acomodação, mas como forma de evitar que o servidor público esteja atrelado à vontade de um cacique político em detrimento do interesse público. Defendo o instituto do concurso público em contraposição ao cabide de emprego que por décadas foi a via de regra dos governos de direita.

Não defendo o combate à desigualdade de forma utópica. Não acredito na igualdade absoluta. Defendo o direito à propriedade privada, ao acúmulo de capital e à herança, desde que a todos os cidadãos seja assegurado o mínimo para viver com dignidade.

Neste sentido, sou favorável à tributação progressiva. Quem mais tem mais deve contribuir, especialmente sobre o produto de mera especulação financeira. Pra mim rentista é quem tem que ser tributado mais forte, pra não incentivar o parasitismo e desincentivar a produção.

Não defendo a homogeneização ou a supressão de classes sociais, mas vejo como um grave problema (e ausência do estado) a desigualdade social abismal que se observa no Brasil, onde famílias ainda tenham que viver em condições subhumanas, de miséria extrema. O estado deve se responsabilizar pelos seus em condição de mendicância e extrema pobreza e atuar para que estes tenham condições de reestabelecer sua autonomia e tornar a prover o seu, ou amparar-lhes em casos de hipossuficiência ou incapacidade permanente.

No campo comportamental, pra resumir, não sou radical ao ponto de defender aqueles jargões idiotas e hipócritas da direita colérica do tipo "bandido bom é bandido morto" e que só vale se o bandido for preto, pobre, minoria ou de esquerda. Em contrapartida, tbm não defendo bandido e acho que eles devem assumir as consequências por seus atos. Mas acho que a proporcionalidade deve sempre ser aplicada.

Detesto a vitimização excessiva de minorias: gays, trans, gordos, magrelos, tampinhas e qualquer outra classificação possível. Mas entendo que cada grupo deve ser tratado de acordo com suas peculiaridades, contanto que sirva para corrigir distorções e promover justiça social e NÃO se configure em mera aquisição de privilégios.

Claro, eu não me isento de contradições (e acho impossível alguém que não as tenha). Mas, no geral, gosto de me auto rotular como centro esquerda.

JJJ
Veterano
# 17/mar/20 08:08
· votar


Sou ET

Buja
Veterano
# 17/mar/20 09:10
· votar


JJJ

+10 pra vc. Somos 2.

Casper
Veterano
# 17/mar/20 09:17
· votar


Numa régua onde 0 é extrema esquerda, 5 centro e 10 extrema direita, eu estou entre 7 e 8.

Na verdade verdadeira, entrando o meu no meu bolso devido ao meu mérito, eu estou cagando para as posições políticas em geral.

Desigualdade existe em qualquer lugar, em toda a história da humanidade.

Compartilho de muitos pensamentos acima, muitas colocações do Pigeonsslayer são bastante sensatas.

entamoeba
Membro Novato
# 17/mar/20 11:26 · Editado por: entamoeba
· votar


O melhor jeito de compreender a direita é olhando para as faturas fechadas:

Já digerimos bem o período da escravidão, não há dúvidas sobre a imoralidade de manter pessoas escravizadas - a menos que o sujeito vá para manifestações na Paulista vestido de templário.

Um pensamento hipotético daquela época que condiz com os valores da direita moderna seria:

"Se liberarmos os escravos, quem vai trabalhar?"


Um pensamento hipotético sobre o mesmo período, condizente com o olhar contemporâneo da esquerda diria:

"Devemos abolir a escravidão porque ela é imoral"


O resto são floreios retóricos!

Lelo Mig
Membro
# 17/mar/20 11:59 · Editado por: Lelo Mig
· votar


solitude

"Se o horizonte for de transformação e superação do capitalismo, e o objetivo imediato for eliminar a miséria, como todos os países socialistas eventualmente fizeram, to dentro."

Já pensei bem parecido. Respeito. Mas, hoje em dia, penso um tanto diferente.

Pigeonsslayer

Meu posicionamento é muito similar ao seu.

JJJ

"Sou ET"

Deixa de ser isentão, safado!

Casper

"Compartilho de muitos pensamentos acima, muitas colocações do Pigeonsslayer são bastante sensatas."

Então você não esta no 7-8 da régua. Se situe rapá!

entamoeba
Membro Novato
# 17/mar/20 12:09
· votar


Direita, isoladamente, defende a manutenção do status quo, a conservação das estruturas de poder. Qualquer peculiaridade que exceda esse conceito vem por meio de outros rótulos, como direita conservadora, direita liberal etc.

Liberal raiz é de centro!

Casper
Veterano
# 17/mar/20 12:19
· votar


Caro Lelo Mig:

Compartilho de muitos pensamentos, não todos.

Pigeonsslayer
Membro Novato
# 17/mar/20 14:32 · Editado por: Pigeonsslayer
· votar


Lelo Mig

Pigeonsslayer

Meu posicionamento é muito similar ao seu.


Já fui muito mais à esquerda, tanto do ponto de vista económico quanto do comportamental. Já fui 100% contrário a qualquer tipo de privatização e do tipo que enxergava qualquer minoria com coitadismo. Andei revendo alguns conceitos e hoje o meu posicionamento político segue muito alinhado à minhas concepções pessoais sobre o ser humano. Nem acho que faça sentido adotar um posicionamento político sem ter uma reflexão prévia sobre a natureza humana e o nosso papel no mundo. Afinal, a política é mera expressão material dos anseios do homem, e as divergências ocorrem justamente pelo fato de que o ser humano é bastante complexo e, apesar de traços psicológicos e necessidades em comum, praticamente universais, entre diferentes grupos os anseios, os valores e o modo de se relacionar no seio social pode variar radicalmente.

Tem até um vídeo que vi uma vez aleatoriamente no YouTube que tratava justamente disso, sobre as características que levam certos grupos humanos a se posicionar mais à esquerda ou à direita. Se eu encontrar novamente posto aqui.

Edit: encontrei

https://youtu.be/qQ3htq-T2T0

john s mill
Membro
# 17/mar/20 14:42 · Editado por: john s mill
· votar


https://www.idrlabs.com/pt/coordenadas-politicas/teste.php

edit: leiam o disclaimer

Casper
Veterano
# 17/mar/20 15:11
· votar


Suas coordenadas políticas são:
52,8% Direita, 16,7% Liberal

makumbator
Veterano
# 17/mar/20 15:18
· votar


Suas coordenadas políticas são:
41,7% Direita, 8,3% Liberal

Buja
Veterano
# 17/mar/20 15:33 · Editado por: Buja
· votar


Suas coordenadas políticas são:
11,1% Direita, 11,1% Comunitarista
Legal, é o restinhos dos 77,8% que faltam, sou o que? Teocrata?

Pigeonsslayer
Membro Novato
# 17/mar/20 15:33
· votar


Suas coordenadas políticas são:
33,1% Esquerda, 25,7% Liberal

Pigeonsslayer
Membro Novato
# 17/mar/20 15:35
· votar


Buja

Não vale marcar sempre o botão cinza. He he!

Pigeonsslayer
Membro Novato
# 17/mar/20 15:36
· votar


Buja
é o restinhos dos 77,8% que faltam, sou o que?

Segundo o Sall: pobre. He he!

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Situar Esquerda e Direita. Curiosidade.