Apenas a elite de São Paulo e do país tem acesso a USP, afirma estudante

    Autor Mensagem
    Casper
    Veterano
    # fev/16


    Hugo Nicolau, aluno de geografia, elaborou estudo sobre composição racial da instituição. Pesquisa demonstra que negros são maioria apenas entre trabalhadores terceirizados na universidade.

    04/01/2016

    por Nadine Nascimento, no Brasil de Fato, sugestão de Luana Tolentino

    Onde estão os negros na USP?

    publicado no blog Desigualdades Espaciais, é um conjunto de mapas que apresentam a distribuição racial na instituição. Feito pelo estudante de geografia Hugo Nicolau, o estudo constatou que o número de negros na Universidade de São Paulo é ainda muito desproporcional em relação a sociedade em geral.

    A Universidade de São Paulo é branca, seus alunos e professores são brancos, os negros são minoria na USP. Os negros só são maioria entre os funcionários terceirizados da limpeza, segurança, alimentação, com condições de trabalho precárias, atraso de salários e outros ilegalidades denunciadas inúmeras vezes pelos funcionários e pelo Sindicato dos Trabalhadores da USP, diz estudo que retrata a distribuição espacial de negros na Universidade de São Paulo.

    Através da análise de dados do vestibular da Fuvest, da prefeitura de São Paulo e do IBGE, Nicolau distribuiu por cor a comunidade da USP no mapa da universidade.

    Em 2010, 77% dos alunos que ingressaram na universidade eram brancos, 10% pardos, 10% asiáticos e apenas 2% eram pretos.

    Em todos os cursos, com exceção da geografia, tem mais asiáticos do que negros. Os asiáticos correspondem a 1% da população de São Paulo, os negros são 34%, e na USP a quantidade de negros, pardos e pretos, se equivale a de asiáticos, diz Nicolau.

    Ainda que todas as universidades federais do país e algumas estaduais tenham implementado o sistema de cotas, a USP reluta em implementar o programa que reserva vagas para negros e conta apenas com uma bonificação na nota final.

    O Inclusp e o Pasusp dão um acréscimo de 15% na nota da Fuvest para alunos do ensino público e 5% a mais se o estudante estiver incluído no grupo PPI - raça ou cor preta, parda ou indígena .

    Para Nicolau, um bônus de 5% no resultado final do vestibular é insignificante, pois não é suficiente para igualar o nível de quem teve um ensino fundamental e médio deficientes com quem sempre estudou nas melhores escolas.

    A minha conclusão é que essas políticas de inclusão são só para mostrar que existem, mas elas não funcionam. A relutância em implantar o sistema de cotas está no fato de ser uma universidade elitista, assim, apenas a elite de São Paulo e do país tem acesso a USP, conclui o estudante.

    Ainda segundo o estudo, dos dez cursos mais concorridos do vestibular da instituição, 6 deles não possuem nenhum negro. Para tentar mudar esse quadro, grupos como Ocupação Negra e a Frente Pró-Cotas cobram da universidade uma posicionamento positivo em relação ao sistema de cotas.

    O Ocupação Negra, criado em 2015, realiza intervenções durante as aulas e a ideia, segundo Marcelo Moreira, é primeiro fazer a denúncia do racismo institucionalizado e cobrar de maneira forte da instituição, dos professores e dos alunos de que a gente precisa das cotas raciais como uma ferramenta de ação afirmativa para modificar essa situação. Queremos cotas raciais, e quando falamos isso, a gente quer o ingresso de no mínimo 35% de alunos negros na USP.

    Moreira critica o fato da universidade ter se tornado um centro de poder e um privilégio para poucos. Para ele, desde de sua criação, a USP era destinada para uma elite branca, para que esta tenha a dominância intelectual do nosso país. Nesses 80 anos isso só cristalizou. Há uma forte resistência dessa elite para que haja a manutenção desses privilégios.

    sallqantay
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    a USP reluta em implementar o programa que reserva vagas para negros

    exato, pois cor da pele tem baixa capacidade explicativa, sendo uma variável que se confunde com a renda (essa muito mais determinante)

    brunohardrocker
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    elite = raça
    cor de pele = renda

    Certinho.

    guizimm
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    postando pra acompanhar

    daimon blackfire
    Membro Novato
    # fev/16
    · votar


    Branco=rico preto=pobre morenos=??

    makumbator
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    daimon blackfire
    morenos=??


    classe média, oras!

    One More Red Nightmare
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    Por que é necessário que haja negros estudando na USP? Por que é necessário que o acesso à USP seja fácil e amplo?

    makumbator
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    One More Red Nightmare
    Por que é necessário que haja negros estudando na USP?

    É que nem todos os negros são bons em futebol ou música...aí já viu né...

    Casper
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    Minha posição é simples:

    Existem 10 vagas e 100 candidatos.
    Os 10 mais bem preparados devem ocupar as 10 vagas.
    Pronto.

    sallqantay
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    Casper

    MERITOCRACIA OPRESSORA!

    Jube
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    Sei lá, a vida é injusta.

    Tem o muleque provavelmente branco filho de uma familia de boa renda. Este cara vai estudar sempre com o conforto na casa que não falta nada, vai crescer e poder ir até o cursinho que os pais vão pagar, então não vai precisar trabalhar, se passar no vestibular, não vai precisar trabalhar durante a faculdade inteira, vai ganhar um carro ou uma moto para ir estudar e se duvidar até um ap alugado por perto.

    Tem o moleque que pode ser de qualquer raça, filho de uma familia de baixa renda, ou sem familia, ou sem pai ou mãe, ou os 2 desempregados, (insira aqui a desgraça) que vai estudar sempre com dúvidas sobre o amanhã, provavelmente vai ter que trabalhar e estudar, vai crescer e não vai ter dinheiro para cursinho. Se conseguir dinheiro, não terá tanto tempo para dedicação, pois passará o dia todo trabalhando e algumas horas no transporte público até chegar em casa. Se conseguir passar no vestibular, vai ter que ralar trabalhando e estudando numa rotina desgastante e não terá o mesmo aproveitamento que o muleque provavelmente branco.

    FELIZ NATAL
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    Jube
    Sei lá, a vida é injusta.

    "Life consists not in holding good cards but in playing those you hold well."-Josh Billings

    Casper
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    Caro sallqantay:

    Obrigado. Mas confesso que tenho defeitos, também.

    guizimm
    Veterano
    # fev/16 · Editado por: guizimm
    · votar


    Existem 10 vagas e 100 candidatos.
    Os 10 mais bem preparados devem ocupar as 10 vagas.
    Pronto

    ignorando que tem gente que não tem a menor condição de se preparar bem pra um vestibular, é claro

    edit.: inclusive por motivos de cor de pele

    AtalaBukas
    Membro Novato
    # fev/16
    · votar


    Casper
    Existem 10 vagas e 100 candidatos.
    Os 10 mais bem preparados devem ocupar as 10 vagas.
    Pronto.


    Não é bem assim. Não são todos os candidatos que possuem a mesma formação escolar. Isso é um fato, e não digo que o vestibular seja um sistema injusto ou qualquer outra coisa: mas para entrar em uma USP, o nível de conhecimento e habilidades necessário não se ensina em uma escola pública.

    Jube
    Tem o muleque provavelmente branco filho de uma familia de boa renda. Este cara vai estudar sempre com o conforto na casa que não falta nada, vai crescer e poder ir até o cursinho que os pais vão pagar, então não vai precisar trabalhar, se passar no vestibular, não vai precisar trabalhar durante a faculdade inteira, vai ganhar um carro ou uma moto para ir estudar e se duvidar até um ap alugado por perto.

    Tem o moleque que pode ser de qualquer raça, filho de uma familia de baixa renda, ou sem familia, ou sem pai ou mãe, ou os 2 desempregados, (insira aqui a desgraça) que vai estudar sempre com dúvidas sobre o amanhã, provavelmente vai ter que trabalhar e estudar, vai crescer e não vai ter dinheiro para cursinho. Se conseguir dinheiro, não terá tanto tempo para dedicação, pois passará o dia todo trabalhando e algumas horas no transporte público até chegar em casa. Se conseguir passar no vestibular, vai ter que ralar trabalhando e estudando numa rotina desgastante e não terá o mesmo aproveitamento que o muleque provavelmente branco.


    Exato.

    Casper
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    A cota é um mecanismo que, em tese, substitui um candidato
    mais preparado por um candidato menos preparado.

    Esse handcap só funciona em efetivamente em alguns cursos.
    Na engenharia ou medicina, por exemplo, os mecanismos
    (Inclusp, Pasusp e cota) ainda não colocam alunos no páreo.

    Porque tem candidato muito, mas muito bem preparado mesmo.
    E que merece a vaga.

    Em algumas profissões, eu espero encontrar o profissional
    mais capacitado. Um cirurgião, por exemplo. O mecanismo
    de cotas vai de encontro a essa lógica.

    Viciado em Guarana
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    makumbator
    É que nem todos os negros são bons em futebol ou música...aí já viu né...

    Basquete, mano!
    Tinha que ter bolsa pra quem joga basquete. Aí essa realidade iria mudar.

    malucobeleza666
    Veterano
    # fev/16 · Editado por: malucobeleza666
    · votar


    Tem o muleque provavelmente branco filho de uma familia de boa renda. Este cara vai estudar sempre com o conforto na casa que não falta nada, vai crescer e poder ir até o cursinho que os pais vão pagar, então não vai precisar trabalhar, se passar no vestibular, não vai precisar trabalhar durante a faculdade inteira, vai ganhar um carro ou uma moto para ir estudar e se duvidar até um ap alugado por perto.

    Tem o moleque que pode ser de qualquer raça, filho de uma familia de baixa renda, ou sem familia, ou sem pai ou mãe, ou os 2 desempregados, (insira aqui a desgraça) que vai estudar sempre com dúvidas sobre o amanhã, provavelmente vai ter que trabalhar e estudar, vai crescer e não vai ter dinheiro para cursinho. Se conseguir dinheiro, não terá tanto tempo para dedicação, pois passará o dia todo trabalhando e algumas horas no transporte público até chegar em casa. Se conseguir passar no vestibular, vai ter que ralar trabalhando e estudando numa rotina desgastante e não terá o mesmo aproveitamento que o muleque provavelmente branco.


    Esse moleque de raça qualquer nessa situação precária é minoria, a maioria são pessoas que se quiserem, mesmo não tendo dinheiro para cursinhos,passa em qualquer vestibular do país(Exceto ITA e IME, esses são bem difíceis de passar sem cursinho, mas ainda tem gente que consegue) tomando vergonha na cara, comprando alguns bons livros e complementando com internet(O que mais tem são aulas de qualidade/listas de exercicios de mão beijada).Quem não tem condições para isso é uma minoria, conhece alguém nessa situação? O que eu mais vejo é um bando de moleque preguiçoso que fica dando desculpa para ser fracassado, e o pai vê o cidadão na vagabundagem e bota pra trabalhar/expulsa de casa,etc e depois fala que não estuda porque o pai não apoia.O maior problema da educação no Brasil é que os alunos são extremamente dependentes de professores, e quer um pessoa para dar tudo de mão beijada. O único cenário realmente injusto é quando o cidadão é palpérrimo e precisa ser arrimo de família. Estudo em casa, para medicina aqui na UNB,quase passando, no ultimo vestibular já passava fácil para todos os cursos exceto medicina, extremamente concorrida com notas altíssimas,e não fico chorando porque não posso pagar cursinho caro(Minha mãe até queria se endividar, mas tenho vergonha na cara e tenho consciência que meus pais não merecem se endividarem para fazer vontade de marmanjo).Tá cheio de exemplo por ae de gente que passa para os cursos mais concorridos sem cursinho..Tenho um exemplo na família, a renda da família do cara é um salário mínimo,para sustentar 4 pessoas,ainda assim eles têm computador e internet, e vira e mexe ainda vejo o cidadão reclamando que não faz faculdade porque não tem dinheiro para pagar cursinho/uma faculdade particular,a vida dele é fazer bico e ir pra gandaia, mas pegar um dinheirinho da vagabundagem e investir em bons livros não quer.O que falta para a esmagadora maioria é gana, obsessão, enquanto uns choram,outros correm atrás^^.

    malucobeleza666
    Veterano
    # fev/16 · Editado por: malucobeleza666
    · votar


    Casper
    Esse handcap só funciona em efetivamente em alguns cursos.
    Na engenharia ou medicina, por exemplo, os mecanismos
    (Inclusp, Pasusp e cota) ainda não colocam alunos no páreo.

    Porque tem candidato muito, mas muito bem preparado mesmo.
    E que merece a vaga.

    Em algumas profissões, eu espero encontrar o profissional
    mais capacitado. Um cirurgião, por exemplo. O mecanismo
    de cotas vai de encontro a essa lógica.


    Aqui na UNB as vagas para medicina de cotas para escolas pública e sistema universal possuem praticamente a mesma nota, de tão concorrido que é.Já em algumas faculdades pelo Brasil as notas já ficam bem díspares.

    Esse sistema de cotas de escola pública é altamente falho.O que mais tem é gente que cursou todo o ensino em escola pública, mas tem condições, e investe milhares em cursinhos, usam a vaga de cota, e posta fotinha em facebook ''Aqui galera, o atestado da minha mediocridade''.Acho que as únicas cotas que possuem um pingo de dignidade são as sociais que precisam de comprovação de baixíssima renda.Ainda sim sou contra, pra mim universidade é lugar dos melhores.

    Jube
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    malucobeleza666
    Esse moleque de raça qualquer nessa situação precária é minoria

    Engano seu, você deve ser de classe média para ter essa opinião.

    Wade
    Membro Novato
    # fev/16
    · votar


    Teve um caso por aqui de uma menina muito pobre (obviamente sem condição alguma de fazer qualquer tipo de cursinho) que passou pra medicina em uma universidade aqui com bolsa integral. Detalhe: pelo grupo A. Não usou a cota que podia ter usado.

    Sei lá. Ou é um super-humano ou só tem vontade mesmo. Ou ser pobre e ter vontade é ser um super-humano. Não sei.

    Julia Hardy
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    É verdade

    Edward Blake
    Membro Novato
    # fev/16
    · votar


    Os brasileiros são muito engraçados.

    Quando o aluno estuda de verdade, lê bons livros, procura os melhores materiais de estudo, se esforça para aprender e fazer algo de diferente na vida, e não fica perdendo tempo com merdinhas, os outros acham ruim e reclamam que ele está assumindo uma postura "elitista".

    Quando esse mesmo aluno depois consegue uma vaga em uma universidade de ponta, e esses outros, não, também acham ruim e reclamam que "só a elite" frequenta aquela universidade.

    Casper
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    Todos os problemas acabaram:

    Pilula da Inteligência.

    Jube
    Veterano
    # fev/16 · Editado por: Jube
    · votar


    aguardando começarem as palestras motivacionais que dizem que todos somos empreendedores de sucesso e basta abrir uma empresa amanhã.

    Edward Blake
    Membro Novato
    # fev/16 · Editado por: Edward Blake
    · votar


    Jube
    aguardando começam as palestras motivacionais que dizem que todos somos empreendedores de sucesso e basta abrir uma empresa amanhã.

    Motivação é fundamental para fazer qualquer coisa na vida.

    Quando um governo quer entrar em guerra contra outro, uma das primeiras coisas que ele faz é investir em propaganda ideológica para aumentar o moral da população nacional e reduzir o moral da população inimiga.

    Todo militar aprende e passa a vida repetindo que um homem sem motivação -- i.e., um homem que não acredita no que faz e não tem esperança para continuar seguindo em frente sem se importar com o que vai acontecer -- é um fracote fácil de dominar.

    Eu não acho que todos tenham talento para chegar no topo. Mas acho que, se todos acreditarem que o seu talento não é predeterminado pela sua cor, classe ou seja lá o que for, mas, sim, descoberto por você mesmo ao dar conta dos desafios que você assume, a performance de todos vai melhorar, e suas expectativas vão aumentar de acordo.

    E acho que ficar reclamando e se vitimizando serve apenas para diminuir o seu moral e aumentar as chances de você fracassar (inclusive quando você tem talento).

    st.efferding
    Membro
    # fev/16
    · votar


    aguardando começarem as palestras motivacionais que dizem que todos somos empreendedores de sucesso e basta abrir uma empresa amanhã.

    Muito comodista essa linha de pensamento. Melhor é ir lá, tentar algo e pelo menos correr o risco do fracasso do que ficar preso eternamente na indecisão do que fazer (e cair pro conforto de ficar julgando os outros, ou ruminar essas desmotivações adiante).

    Jube
    Veterano
    # fev/16
    · votar


    Edward Blake
    st.efferding
    Bons argumentos, mas ainda prefiro as palestras do lula.

    Minha opinião ta lá encima: Sei lá, a vida é injusta. Pelos motivos que coloquei lá, a pessoa sendo ou não motivada, está sujeito às condições que escrevi. Não que isso deve ser usado como desculpa para não correr atrás.

    Manteiga
    Membro Novato
    # fev/16
    · votar


    Casper
    Medo de zicar meu PC nesse site zoado

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Apenas a elite de São Paulo e do país tem acesso a USP, afirma estudante