Sobre a Globo manter correspondentes internacionais.

Autor Mensagem
Black Fire
Gato OT 2011
# dez/13


A rede mantém diversos escritórios pelo mundo, mas tudo que os jornalistas desses escritórios fazem é dizer que "segundo o NY Times/Reuters, tal coisa aconteceu". Quem acha que eu estou exagerando, assista o Bom Dia Brasil por uma semana.

Pq não leem o NY times no RJ mesmo?

The Man Who Sold The World
Veterano
# dez/13
· votar


Black Fire
agrega mais valor à emissora

Viciado em Guarana
Veterano
# dez/13
· votar


Black Fire
Mas e as imagens? Como fica?

Thiago Livgren que toca mais ou menos
Membro Novato
# dez/13
· votar


agrega mais valor à emissora (2)

Black Fire
Gato OT 2011
# dez/13
· votar


Viciado em Guarana
Pegam todas da Reuters.

Black Fire
Gato OT 2011
# dez/13
· votar



agrega mais valor à emissora


Deve ser mesmo, porque não tem outra razão pra quando acontece alguma merda no Nepal a notícia ser dada por um correspondente em Tóquio.

makumbator
Veterano
# dez/13 · Editado por: makumbator
· votar


Black Fire
Deve ser mesmo, porque não tem outra razão pra quando acontece alguma merda no Nepal a notícia ser dada por um correspondente em Tóquio.

Isso acontece pelo fato óbvio que não há como ter correspondentes em tudo que é buraco do mundo. Acho normal isso.

O correspondente em geral também serve para dar sua impressão de um acontecimento no local aonde ele está lotado, que em geral diferente bastante da visão de um jornalista brasileiro acompanhando de longe no Brasil. É aquela coisa de estabelecer a "cor" local.

Eles também funcionam como filtro do que a matriz brasileira deve noticiar como mais importante no estrangeiro (justamente por ele estar fora) e em geral também costumam sugerir muitas pautas para cobrir que não seriam notadas do Brasil.

Além disso é bem comum eles se desdobrarem em vários segmentos da empresa, então o correspondente pode fazer uma entrada no Jornal Nacional, fazer uma matéria leve de cotidiano para o jornal Hoje e sugerir uma pauta de matéria para o Jornal da Globo, (tomando como exemplo a rede Globo). O trabalho dele é muito mais do que o que aparece na TV.

Com certeza vale o dinheiro gasto. Pois não dá pra viver só de Reuters. Sem contar que se economiza e se chega antes nos momentos de grandes fatos. Imagine se a Globo não tivesse correspondentes nos EUA na época do 11 de Setembro? Teria perdido muito tempo e dinheiro para deslocar equipes, e ficaria só a mercê de freelancers.

CindyFerrari
Veterano
# dez/13
· votar


cê assiste a Globo?

rexitégui passada

Black Fire
Gato OT 2011
# dez/13
· votar


makumbator
Concordo em algumas coisas, como no fato de o cara dar aquela sensação pro telespectador que está mais bem informado por estar perto do fato, mas não acho que os escritórios na Globo no exterior sirvam pra determinar as pautas, muito raramente você vê uma notícia do exterior na globo que não esteja na Reuters, no El País e principalmente no NY Times, e sempre dão uma dimensão pro NY que não corresponde a realidade (não tem como acreditar que um jornal que imprime 800 mil exemplares/dia tenha alguma relevância real nos EUA, como os correspondentes sempre dão a entender). As matérias do dia-a-dia (tipo, brasileiro x que abre um restaurante, passa alguma coisa assim diariamente na Globo News) talvez sejam a única justificativa prática de se manter uma equipe no exterior.

Black Fire
Gato OT 2011
# dez/13
· votar


Eu não vou lembrar nenhuma situação específica aqui, mas, geralmente, quando dá uma merda no Oriente Médio, eles põe o correspondente em Jerusalém e o sujeito sempre diz que "segundo o The Guardian", tipo, podiam pelo menos por um correspondente em Jerusalém que leia hebraico e tenha acesso real a sensação/imprensa local, não um cara que está noticiando o que um jornal falou na Grã-Bretanha sobre a situação local.

Antoine Roquentin
Membro
# dez/13
· votar


cara, quem se importa com uma coisa dessas precisa muito de uma laje pra bater.

makumbator
Veterano
# dez/13 · Editado por: makumbator
· votar


Black Fire
mas não acho que os escritórios na Globo no exterior sirvam pra determinar as pautas, muito raramente você vê uma notícia do exterior na globo que não esteja na Reuters

Mas é uma combinação das duas coisas. O correspondente pode sugerir pautas (de acordo com o que ele vivencia lá no local) e a empresa junta o material das agências (que aliás existem há décadas, e há muito tempo são uma maneira "barata" de obter muita informação) com o material do próprio correspondente.

É até difícil ter um fato relevante sem material em uma grande agência, então só se o cara cavar uma notícia exclusiva ou um ângulo diferente de algo comum é que ele não encontrará material de apoio em agências.

Com isso dá para ter alguma "substância" local junto de uma parte mais técnica de apuração ou material de áudio, vídeo, imagem e depoimentos que seriam difíceis (ou até impossíveis) para uma equipe pequena de correspondente obter rapidamente.

Ao contrário do que parece, essas empresas jornalísticas grandes adoram profissional que sugere pauta, dá dicas de "personagens", "cava" matérias quando não parece haver nada... Aliás, se o cara não faz isso é limado da função.

Mas concordo que é ruim ficar só em cima do material das agências. Mas aí também vai da qualidade de cada correspondente (e da liberdade, apoio, logística e recursos que ele recebe da matriz).

O risco é pasteurizar a cobertura (com todo mundo usando a mesma info da mesma agência e da mesma forma). É análogo ao que se chama de "jornalismo de telefone", que é aquele cara que não sai da redação e apura tudo por telefone e nota oficial. É o tipo mais preguiçoso de jornalista.

As matérias do dia-a-dia (tipo, brasileiro x que abre um restaurante, passa alguma coisa assim diariamente na Globo News) talvez sejam a única justificativa prática de se manter uma equipe no exterior.

Sim, e esse tipo de coisa é padrão para correspondente fazer. E acho até bem legal de se assistir, mesmo sendo jornalismo leve (e de certa forma até entretenimento).

Snakepit
Veterano
# dez/13
· votar


makumbator > Black Fire.

Black Fire
Gato OT 2011
# dez/13
· votar


makumbator
É, o potencial teórico é muito bom, mas quem acompanha os jornais da Globo diariamente, dificilmente vê qualquer coisa no noticiário internacional que não venha com a marca da preguiça jornalística, é muito difícil de acreditar que os caras mantenham uma equipe experiente em NY e não consigam levantar uma única reportagem relevante que já não esteja no NY Times. Só se justifica mesmo pra quando os caras estão lá e dá alguma merda, mas os jornalistas da Globo são sempre os primeiros a serem evacuados quando a coisa fica preta.
Eu lembro que na Revolução do Egito, agora recentemente, os jornalistas do Zero Hora (que pertence a RBS, filiada à Globo) só cobriram no Cairo enquanto não estava acontecendo absolutamente nada, quando ficou um pouquinho mais feio (nada que afugentasse o pessoal da maioria das agências estrangeiras), já foi todo mundo pra Jerusalém escrever de lá.

Black Fire
Gato OT 2011
# dez/13
· votar


makumbator
É, o potencial teórico é muito bom, mas quem acompanha os jornais da Globo diariamente, dificilmente vê qualquer coisa no noticiário internacional que não venha com a marca da preguiça jornalística, é muito difícil de acreditar que os caras mantenham uma equipe experiente em NY e não consigam levantar uma única reportagem relevante que já não esteja no NY Times. Só se justifica mesmo pra quando os caras estão lá e dá alguma merda, mas os jornalistas da Globo são sempre os primeiros a serem evacuados quando a coisa fica preta.
Eu lembro que na Revolução do Egito, agora recentemente, os jornalistas do Zero Hora (que pertence a RBS, filiada à Globo) só cobriram no Cairo enquanto não estava acontecendo absolutamente nada, quando ficou um pouquinho mais feio (nada que afugentasse o pessoal da maioria das agências estrangeiras), já foi todo mundo pra Jerusalém escrever de lá.

makumbator
Veterano
# dez/13
· votar


Black Fire
Só se justifica mesmo pra quando os caras estão lá e dá alguma merda, mas os jornalistas da Globo são sempre os primeiros a serem evacuados quando a coisa fica preta.

Ah! Mas historicamente os jornalistas de grandes agências são em geral mais "ousados" mesmo, principalmente os caras de cobertura de guerra/confiltos sociais. Mas não é pra todo mundo não (assim como a maioria dos médicos não aguentaria trabalhar em catástrofes e guerras para organizações como os médicos sem fronteiras).

Simonhead
Veterano
# dez/13
· votar


Black Fire

Ilze Scamparini - Mamma mia!
Ela vale a manutenção de correspondentes internacionais.

sallqantay
Veterano
# dez/13
· votar


Ilze Scamparini - Mamma mia!
Ela vale a manutenção de correspondentes internacionais.


[2]

Simonhead
Veterano
# dez/13
· votar


sallqantay

Ela trabalhou por pouco tempo na Globo Brasília dos anos 1980.

sallqantay
Veterano
# dez/13
· votar


Simonhead

pegou ou não?

makumbator
Veterano
# dez/13
· votar


Simonhead
sallqantay

Ela é a Papóloga da Globo! Hashahs!

Simonhead
Veterano
# dez/13
· votar


sallqantay

Véi ... quem dera. Um amigo fazia Jornalismo na UnB e estagiava desde cedo na Globo daqui. Vez ou outra, eu aparecia por lá, na ********, só para ver a guria.

Simonhead
Veterano
# dez/13 · Editado por: Simonhead
· votar


makumbator

NEM duvido, meu caro.

sallqantay
Veterano
# dez/13
· votar


^
^
fappers

brunohardrocker
Veterano
# dez/13
· votar


Ilze Scamparini

Eu casava. Em Roma, com o Papa conduzindo a cerimonia.

Simonhead
Veterano
# dez/13
· votar


brunohardrocker

Lembre dos amigos na hora de suas bodas, hein?

brunohardrocker
Veterano
# dez/13
· votar


Simonhead

Vamos fechar o vaticano pra festa o/

fgr
Veterano
# dez/13
· votar


Black Fire
Brother não é bem por aí não.

A imprensa é um campo aberto em termos de disseminação de informações. Um exemplo, O próprio Caio Blinder que faz parte da bancada do Manhattan Connection trabalha pra um jornal grande de NY, me falha a memória agora mas creio que seja o NY Times mesmo. Naturalmente, ele poderia se referir ao material desse jornal pois ele próprio é colaborador.

O Willian Waack também já prestou o mesmo tipo de serviço...

A Reuters tem uma filosofia bem bacana nesse sentido.. Ela compra matéria de colaboradores e possivelmente, muitos desses materiais que você vê como "Segundo a Reuters' o próprio correspondente já teve alguma participação.


Isso é só pra completar o que o makumbator já disse... Um escritório fora daqui tem muito mais funções do que só ler os jornais de fora.

Simonhead
Veterano
# dez/13
· votar


brunohardrocker

\o

É isso! Se ela ainda tiver umas influências na alta cúpula, de repente dá para passear em Maranello.

Simonhead
Veterano
# dez/13 · Editado por: Simonhead
· votar


Just in time! Just in case!

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Sobre a Globo manter correspondentes internacionais.