Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Como era o mercado fonografico no seculo XIII e XIX?

      Autor Mensagem
      xmarhunterx
      Membro Novato
      # 07/out/17 07:52 · Editado por: xmarhunterx


      Eu fico aqui pensando se os músicos daquela época (muitos deles geniais, diga-se de passagem) faziam música por amor à música ou por amor ao dinheiro e às mulheres? Será que naquela época já existiam fãs enlouquecidas, gritando "Beethoven eu te amo", rs?
      Então oque vocês acham?
      NO TÍTULO É SÉCULO XVIII E NÃO XIII

      LeandroP
      Moderador
      # 07/out/17 08:22
      · votar


      Mercado fonográfico nos séculos XIII (13) e XIX (19)?!

      Suponho que não existia °,°

      Casper
      Veterano
      # 07/out/17 08:31
      · votar


      Música sempre é feita pelo amor ao dinheiro.
      O dinheiro que é responsável por trazer as
      outras coisas...

      Mozart, Bach, Chopin... todos eram remunerados.

      A maior diferença é que antes de 1877 não existia
      mídia física comercial, apenas partituras. Então
      a música ao vivo era a forma mais usual de consumo.

      Adler3x3
      Veterano
      # 07/out/17 08:48 · Editado por: Adler3x3
      · votar


      xmarhunterx

      É como o Casper citou:
      O dinheiro que é responsável por trazer as
      outras coisas...


      O dinheiro é como o sangue que circula nas veias, mantém a vida.
      Neste caso a vida financeira fazendo uma analogia, que é o capital necessário para quase tudo na vida.
      Sem dinheiro bem dizer não se consegue consumir, e fica dependente da caridade dos outros.
      Necessariamente não é uma coisa negativa, ideologias a parte, não cabe comentar neste tópico estes conflitos.

      O dinheiro existe para facilitar as compras, caso contrário ainda estaríamos no tempo do escambo.
      Neste período mais antigo existia a figura dos Mecenas e de entidades religiosas, que bancavam as artes, entre as quais a música.

      A música era bem dizer ao vivo, e nas peças quando bem compostas e executadas, a audiência no final acabava aplaudindo usando principalmente a palavra bravo, os aplausos e também as vaias eram mais comedidos.

      Lelo Mig
      Membro
      # 07/out/17 10:30 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      xmarhunterx

      Um artista de verdade não faz arte por dinheiro, faz porque se não se expressar através dela, enlouquece.

      No entanto, vivemos num mundo onde, inicialmente precisamos comer, vestir, morar e etc... Sem dinheiro não se tem isso.

      Com mais dinheiro, começa a poder ter um pouco mais de conforto e acostumamos rápido com ele. E com mais ainda, luxo.

      No caso de homens heteros... Mulheres. Não tem jeito, por mais que o cara minta, a verdade é uma só: vai ter em sua cama quantas puder ter... E isso custa bem caro!

      Nada mudou. No fundo, seja médico, seja músico, ganhamos dinheiro pra arranjar mulheres.

      makumbator
      Veterano
      # 07/out/17 12:18
      · votar


      xmarhunterx

      Obviamente não existia mercado fonográfico no séc XVIII e XIX. Foi apenas no início do séc XX que as técnicas de gravação iniciadas no fim do séc XIX propiciaram o surgimento de um mercado comercial de música gravada.

      Mas, os compositores do passado vendiam suas músicas de maneiras que muitos puristas hoje achariam ofensivo. Eles aceitavam encomendas que ditavam a instrumentação (pois era pra ser tocado no lugar e data X, então não poderia ser livre) e muitas vezes até o estilo.

      Os caras faziam os próprios arranjos com reduções de peças orquestrais para formações menores (ou piano) pra poder lucrar com o mercado de edição para outros profissionais e amadores. E se não fizessem logo, outros músicos e editores espertos lançavam arranjos de músicas de sucesso (mesmo sem participação do compositor nos lucros).

      Muitos tinham cargos na igreja ou na monarquia, e tinham que criar determinado número de peças por ano, para determinadas datas e eventos, mesmo que não estivessem inspirados.

      Músicos de côrte tinham que tocar o que fosse determinado, no momento determinado.

      Resumindo, os caras eram operários da arte musical, e não criaturas descoladas das necessidades mundanas da sociedade.

      Alex guitar man
      Veterano
      # 07/out/17 13:00
      · votar


      Tem um trecho da Biblia que diz que Saul contratou Davi só pra tocar pra ele, tipo, um musico particular no seu quarto.. e isso é muito mais old times

      LeandroP
      Moderador
      # 07/out/17 13:47
      · votar


      Saul contratou Davi só pra tocar pra ele

      Hum, esse Saul... Ah, meninão rsrs

      The Man Who Sold The World
      Veterano
      # 07/out/17 13:54
      · votar


      Tem um trecho da Biblia que diz que Saul contratou Davi só pra tocar pra ele
      no seu quarto..
      hoooooo mundão véio
      e até hoje tem gente falando em "cura gay"

      LeandroP
      Moderador
      # 07/out/17 14:45
      · votar


      The Man Who Sold The World

      Davi Adão :p

      Lelo Mig
      Membro
      # 07/out/17 15:39
      · votar


      LeandroP
      The Man Who Sold The World
      LeandroP

      Após suas considerações (plausíveis) vou até corrigir o que escrevi acima...

      De: "Nada mudou. No fundo, seja médico, seja músico, ganhamos dinheiro pra arranjar mulheres."

      Por : "Nada mudou. No fundo, seja médico, seja músico, ganhamos dinheiro pra arranjar SEXO."

      makumbator
      Veterano
      # 07/out/17 15:44
      · votar


      Lelo Mig
      "Nada mudou. No fundo, seja médico, seja músico, ganhamos dinheiro pra arranjar SEXO."

      Eu tinha pensado nessa alteração, mas resolvi não falar nada.

      xmarhunterx
      Membro Novato
      # 07/out/17 16:57
      · votar


      Lelo Mig
      E algumas pessoas arranjam sexo para ganhar dinheiro.

      makumbator
      Veterano
      # 07/out/17 17:08
      · votar


      xmarhunterx
      E algumas pessoas arranjam sexo para ganhar dinheiro.

      Não há motivo pra oferecer de graça o que pode ser cobrado.

      Ken Himura
      Veterano
      # 08/out/17 18:57
      · votar


      Mercado fonográfico antes da energia elétrica?

      Ken Himura
      Veterano
      # 08/out/17 19:04
      · votar


      Alex guitar man
      Tem um trecho da Biblia que diz que Saul contratou Davi só pra tocar pra ele, tipo, um musico particular no seu quarto.. e isso é muito mais old times

      Não entrando aqui nas discussões sobre a existência história de Saul, David e Salomão, mas todos os reis (bíblicos ou não) tiveram seus protegidos, principalmente músicos. Farinelli, o mítico castrato, terminou seus dias como cantor particular do Rei Filipe V, da Espanha - diz a lenda que ele era chamado todas as noites após o jantar para os aposentos reais com um trio ou quarteto de músicos para cantar árias famosas ao Rei e à Rainha.

      Lelo Mig
      Membro
      # 08/out/17 20:00
      · votar


      Ken Himura

      Falando em dinheiro e Farinelli...

      Farinelli foi muito famoso, uma espécie de Beyonce em sua época, o cantor de Opera mais bem pago que já existiu. Morreu milionário, cheio de bens e propriedades, além de cantor particular do Rei da Espanha após abandonar os palcos, ao deixar de cantar virou primeiro ministro, conselheiro real e foi o responsavel por reorganizar a Opera de Madri.

      Tanto é que só se sabe tanto sobre ele, inclusive sobre seu virtuosismo incomparável por conta dele ter ficado tão famoso e, por conta disso, muitos objetos seus foram preservados. Incluindo as partituras que tornaram possivel ter uma ideia de como ele cantava.

      xmarhunterx
      Membro Novato
      # 09/out/17 06:46
      · votar


      LeandroP
      makumbator
      Realmente foi um equívoco colocar a palavra "fonográfico", na verdade eu queria dizer o Mercado da música

      Ken Himura
      Veterano
      # 09/out/17 18:01
      · votar


      Lelo Mig
      Exatamente. Deveria ter sido um cantor inigualável. Uma pena não existir gravação na época.

      Lelo Mig
      Membro
      # 09/out/17 18:53 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      Ken Himura

      Quando fizeram o filme sobre ele (uma belíssima produção, diga-se de passagem, ainda que bastante romanceado), desenvolveram um programa de computador especialmente para "imaginar" sua tessitura vocal, alcance, e o timbre e técnicas foram baseados nos relatos de críticos, compositores, maestros e notas da imprensa da época.

      Segundo os relatos, ele era capaz de sustentar uma nota por um tempo absurdo, além de possuir um vibrato (coisa que nem era muito apreciada na época) perfeito.

      Além do que, li em algum lugar, ele dominava algumas técnicas de diplofonias, trifonias e quadrifonias que não são muito comuns e muito poucos cantores utilizam e desenvolvem. (até hoje é raro cantor que desenvolva isso, o único que me lembro é o Demetrio Stratos, vocalista da banda progressiva italiana Area).

      Para conseguir, tiveram de contratar 3 cantores líricos (incluindo uma mulher) com técnicas e timbres vocais semelhantes.

      Os relatos da época, dizem que pessoas chegavam a desmaiar em suas apresentações.

      Ken Himura
      Veterano
      # 09/out/17 19:04
      · votar


      Lelo Mig
      Tô ligado, comprei o dvd do filme assim que encontrei numa loja. A reconstrução tá boa, mesmo que um pouco artificial às vezes, por conta das diferenças nas vozes usadas. Mas dá pra ter um vislumbre do que era.

      xmarhunterx
      Membro Novato
      # 04/nov/17 15:38
      · votar


      Será que esses grandes músicos da época não plagiavam a música de alguns compositores desconhecidos? Porque naquela época devia ser muito difícil provar que a música realmente era dele (compositor desconhecido).

      Ken Himura
      Veterano
      # 04/nov/17 15:43
      · votar


      xmarhunterx
      O tempo inteiro, tanto de desconhecidos quanto conhecidos. Nossa visão de copyright é bem diferente da dessa época.

      Adler3x3
      Veterano
      # 04/nov/17 18:15 · Editado por: Adler3x3
      · votar


      Um bom exemplo de sucesso na carreira musical é de Franz Joseph Haydn.

      Músico Austríaco, que teve um período que era patrocinado por um príncipe Esterházy, que construi uma pequena localidade com palácio, catedral e tudo mais, e auditórios para música, e levou Haydn e músicos para lá, só que ficavam longe de suas famílias, depois de muito tempo isolados, Haydn compôs uma sinfonia de protesto, onde de tempos em tempos ia saindo de cena um músico por vez, até o finale que terminava com somente dois músicos presentes, a Sinfonia nº 45, que pode ser escutada e vista aqui, a partir de 39:55

      https://www.youtube.com/watch?v=rxCXaK-Vom0

      Muito pitoresca, vale a pena estudar a bibliografia de Haydn para entender melhor o período clássico.

      Para minha felicidade Franz integra o meu nome real.

      Adler3x3
      Veterano
      # 04/nov/17 18:41 · Editado por: Adler3x3
      · votar


      Um bom xemplo de sucesso na carreira musical é de Franz Joseph Haydn.

      Músico Austríaco, que teve um período que era patrocinado por um príncipe Esterházy, que construi uma pequena cidade com palácio, catedral e tudo mais, e auditórios para música, e levou Haydn e músicos para lá, só que ficavam longe de suas famílias, depois de muito tempo isolados, Haydn compôs uma sinfonia de protesto, onde de tempos em tempos ia saindo de cena um músico por vez, até o finale que terminava com somente dois músicos presentes, a Sinfonia nº 45, que pode ser escutada e vista aqui, a partir de 39:55

      https://www.youtube.com/watch?v=rxCXaK-Vom0

      Muito pitoresca, vale a pena estudar a bibliografia de Haydn, e assistir as partes do vídeo que é muito bom.

      xmarhunterx

      Não todas as obras, mas era comum copiar até trechos inteiros e integrar numa nova composição, por exemplo Bach fez isto com músicas de Vivaldi.

      Jabijirous
      Veterano
      # 05/nov/17 14:58
      · votar


      Adler3x3
      Que canal maravilhoso!!! Vou compartilhar!!

      Ken Himura
      Veterano
      # 05/nov/17 20:42
      · votar


      Adler3x3
      Adorei também, vai ser meu filme de domingo! Hahaha

      Jabijirous
      Veterano
      # 05/nov/17 21:36
      · votar


      Ken Himura
      kkkkkk

      Esse do Bach é muito bom!!! Assisti quando não tinha legenda em português, vale apena!!!

      Adler3x3
      Veterano
      # 05/nov/17 22:27
      · votar


      Só podiam gostar é uma superprodução dos maiores mestres da música.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Como era o mercado fonografico no seculo XIII e XIX?

      303.895 tópicos 7.863.707 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital