Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Escala Diminuta: onde posso "encaixar"?

      Autor Mensagem
      Brunozzy
      Veterano
      # mai/05


      ae amigos, essa eh a minha duvida. Entao, por exemplo, se eu tiver a seguinte progressao: Em - D - C - Bm
      eu uso a escala pentatonica menor na maioria das vezes e os modos gregos. Mas eu aprendi a escala diminuta ha um tempo, e nao sei onde posso usa-la. Tem como eu "encaixar" a escala diminuta nessa progressao de base?

      grato pela atencao dispensada

      Hocus Pocus
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      pelo que eu aprendi a escala diminuta soh pode ser jogada dentro de um acorde diminuto... mas pode ter algum outro jeito neh, vamo ve se o Panucci ou algum outro explicam melhor...

      Brunozzy
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Hocus Pocus
      eh, eu tb achava q soh podia colocar num acorde diminuto... mas me disseram q nao precisa, pode ser em qualquer progressao de acordes. vamo espera os caras mesmo =]

      grato pela atencao

      Pedro Rezende
      Veterano
      # mai/05 · Editado por: Pedro Rezende
      · votar


      ehhh .... uhhhnnn ... como seria uma escala diminuta ? :o]

      gemeo
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Brunozzy

      Cara, teve um dia q o Panucci, estava me explicando uma parada relacionada a isso. Dá uma olhadinha:

      '' Outros modos derivados de outras escalas também geram acordes X7

      Uma lição que aprendi ouvindo Robben Ford é o uso do Bm7(b5) como inversão do G7(9). Se você comparar a formação dos dois acordes verá as notas em comum.

      Bm7(b5) --> B, D, F, A (T, b3, b5, 7)

      G7(9) --> G, B, D, F, A (T, 3, 5, 7, 9)

      O Bm7(b5) soa como um G7(9)/B - com 3a no baixo''

      Ele como q transfoema um acorde diminuto, em um acorde mixolídio. Nesse caso, se vc usar a escala dimiuta (Bm7(b5)) no G7/9, vai ficar um som legalzinho!!!
      Espero q naum tenha falado besteira!!! Valeu!!!

      heathcliff
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      2º Grau da Escala Menor Harmônica. Acho que o 7º tambêm fica legal.

      pedrobrito
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Ce pode comecar a escala diminuta nessa progressao ai pela nota Eb, mas eu acho q nessa progressao q vc citou, a escala diminuta vai soar estranha.

      Brunozzy
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      gemeo
      valeu cara, vo tentar tocar esse exemplo e ver como soa. valeu mesmo!

      heathcliff
      hum... na progressao q eu disse la em cima o 2º grau seria o F#?

      pedrobrito
      eh, essa base me veio na cabeca, acho q ela eh de alguma musica do paco de lucia, john mclaughlin e o al di meola...

      Brunozzy
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      alguem tem mais opinioes e dicas quentes??

      LeandroP
      Moderador
      # mai/05
      · votar


      Brunozzy

      Eu uso a escala diminuta em diversas situações.

      A sistuação mais comum é usar uma escala diminuta, partindo da 3a de um acorde dominante (acorde X7).


      e------------------------------------------------------
      B--------------------------------6~~-------------------
      G------------------------4---4-7--------5--------------
      D--------3-----3-6---3-6---6------------5--------------
      A----2-5---2-5-----5--------------------6--------------
      E--3---------------------------------------------------
      G7 Bdim Cm/Eb



      Observe que uso a diminuta partindo da 3a de G7, formando um acorde Bdim interpolado entre G7 e Cm/Eb

      Brunozzy
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      LeandroPanucci
      ae, sabia q vc apareceria. entendi tua explicacao, grato! mas soh uma duvida, q "shape" vc usou nesse exemplo?

      Brunozzy
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      quero dizer, q desenho?

      LeandroP
      Moderador
      # mai/05
      · votar


      Brunozzy

      Não me ligo muito em shape, mas se tratando de diminutas não tem como fugir deles, pois as notas estão separadas em 1,5 tom (terças menores).

      Mas pra ter uma idéia, o shape é esse:


      e----------------------7-10----------------------------
      B------------------6-9---------------------------------
      G--------------4-7-------------------------------------
      D---------3-6------------------------------------------
      A-----2-5----------------------------------------------
      E-1-4--------------------------------------------------



      Serve pra Bdim, Ddim, Fdim e Abdim

      e se você encarar cada tônica desta com 3a maior de um dominante (X7), você pode usar também para:

      G7, Bb7, Db7 e E7 respectivamente.

      Aplicando essas diminutas (que são a mesma escala invertida) você terá um sabor mais exótico sobre os dominantes (X7). A característica oriental fica explícita por causa das tensões b9 e b13 que pinta nesses acordes por causa da escala diminuta.... é bem legal usar sobre este prisma.

      heathcliff
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Brunozzy

      Supondo que a tonalidade seja Em, sim. Mas essa progressão não é proveniente de uma escala menor harmônica como eu disse. E sim de uma diatônica comum.

      Olha só. A escala diminuta é formada por intervalos de terças menores. 4 Intervalos de terças menores seguidos. Analise os intervalos de uma escala diatônica eólia (menor natural)de Mi.

      E - 1 - F# - 1/2 - G - 1 - A - 1 - B - 1/2 - C - 1 - D - 1 - E

      Você, de maneira alguma vai encontrar 4 intervalos de 1 tom e meio seguidos. logo não existe nenhuma escala diminuta "dentro" dessa escala.

      Agora uma escala menor harmônica (idêntica a anterior porêm com uma Sétima maior)

      E - 1 - F# - 1/2 - G - 1 - A - 1 - B - 1/2 - C - 1 e 1/2 - D# - 1/2 - E

      Agora sim. começe essa escala do F# (o 2º grau da escala menor harmônica como eu tinha dito). Descarte o G, o B e o E. Observe que ficam as notas F#, A, C e D#. Pronto, 4 intervalos de terça menor seguidos, aí está a escala diminuta. Ela "existe" dentro da escala menor harmônica, ela está escondida lá dentro rsrsrsrs...

      Quanto a soar bem...veja vc mesmo nessa tab do Guitar Pro

      http://s31.yousendit.com/d.aspx?id=1N8O9CBCB4Z7Z10NONT8QN5T4U

      Ou se você não tiver o GP...

      http://s30.yousendit.com/d.aspx?id=0XTQKCUA8FIDW0JPJ00BWCJX99

      Se você ouvir o Mid, os acordes são os seguintes:

      Em F# º G/5+ Am/5- B C D#º

      Cada um é tocado duas vezes...o finalzinho é só pra ficar menos chato =p

      O turn-around do final é I-IV-V-II-I...

      Agora é só você ver quais acordes do campo harmônico proveniente da escala menor harmônica em que a escala diminuta soa mais legal...

      E...testa nessa progressão que você mostrou aí em cima pô...música não é só regras...se soar bem tá valendo...

      Sua progressão lenta:
      http://s29.yousendit.com/d.aspx?id=1HTXF34NEHB430360LJCFMGB72

      Sua progressão rápida:
      http://s29.yousendit.com/d.aspx?id=0EHBYIL144SW82X8WUHVKC7XQS

      Fiz um midzinho meio sux...repete 50 vezes =P

      heathcliff
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      qualquer erro, já sabem né...pode me falar

      AngraMelo
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      aloooooooo carinhas!!!! bom pelo que eu sei.........
      1º nunca podemos dizer que o diminuto e o meio diminuto sao dominantes, eles apesarem de serem inversoes dos dominantes nao funcionam como tal e devem ser sempre tratados como setimo grau
      2º a escala diminuta ou DOMDIM ( dominante diminuta ) devera ser usada em cima de um acorde dominante por exemplo usamos G domdim em cima de G7
      3º como na progressao mostrada. estamos na tomalidade de G portanto encontramos o D7 como dominante, entaum seria interessante que o mesmo resolva em G para criar a sonoridade desejada e tb para usarmos da escala D7 domdim (sobre o D7)!

      Brunozzy
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      LeandroPanucci
      aah, agora tah bacana. eu sinto mais facilidade pra entender qdo tem um desenho pra seguir, isso me da uma base. valeu pela ajuda cara, brigadao

      heathcliff
      puts grilas, grato por vc ter gastado seu tempo gravando pra me mostrar! a merda do meu pc num ta abrindo agora, mas vo tenta de novo mais tarde ou amanha. E valeu pela explicacao, vo estudar um pouco mais pq ainda to meio por fora.

      AngraMelo
      hummm, jah tinha ouvido falar desse domdim mas nem sabia do q se tratava. valeus ai tb, como ja disse, vou estudar mais esse assunto.

      Bruno_Guitarplayer
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      A escala diminuta exerce uma função de "preparação" para outro acorde assim como a sétima, intaum não fica legal usar uma diminuta numa base que fica num acorde só por muito tempo, em outras palavras use a diminuta quando tiver uma mudança de acorde (não qualquer acorde). Nunca use uma diminuta em bases apenas com acordes maiores.
      Espero ter ajudado

      jefpeloi
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Brunozzy

      Cara, teve um dia q o Panucci, estava me explicando uma parada relacionada a isso. Dá uma olhadinha:

      '' Outros modos derivados de outras escalas também geram acordes X7

      Uma lição que aprendi ouvindo Robben Ford é o uso do Bm7(b5) como inversão do G7(9). Se você comparar a formação dos dois acordes verá as notas em comum.

      Bm7(b5) --> B, D, F, A (T, b3, b5, 7)

      G7(9) --> G, B, D, F, A (T, 3, 5, 7, 9)

      O Bm7(b5) soa como um G7(9)/B - com 3a no baixo''

      Ele como q transfoema um acorde diminuto, em um acorde mixolídio. Nesse caso, se vc usar a escala dimiuta (Bm7(b5)) no G7/9, vai ficar um som legalzinho!!!
      Espero q naum tenha falado besteira!!! Valeu!!!


      mas a escala diminuta tem 7ma dobrada-diminuta, e o Bm7(b5) é meio-diminuto...=setima MENOR...portando até rola de usa a escala, mas pensa nessa nota e aumenta meio tom ela...

      Aisse
      Veterano
      # mai/05 · Editado por: Aisse
      · votar


      Desculpem discordar, mas a escala diminuta não tem apenas 4 notas e sim 8 notas...
      Por exemplo:

      C° = Tônica - Tensão (2ªM) - b3 - T(4ªJ) - b5 - T(6ªm) - bb7 - T (7ªM ou 8ªDiminuta)

      O q vcs estão descrevendo ai como escala diminuta com 4 notas é o arpejo diminuto.

      A escala diminuta possui 8 notas, logo, sempre haverá um nome de nota repetido que varia dependendo das opções enarmônicas escolhidas.
      Bemóis e sustenidos podem aparecer na mesma escala.

      heathcliff
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Aisse

      Mas a escala diminuta é composta por intervalos de terças menores, como ela vai ter 8 notas?

      O 2º grau da escala menor harmônica (eu chamo de dórico ou lócrio =p?) sim, tem 7 notas. Mas a escala diminuta é uma escala simétrica que por um um acaso se encaixa nesse modo...

      Eu realmente não entendi o seu pensamento...teria como me explicar melhor?

      Alex Pires
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      heathcliff

      Tu tá confundindo... Isso que você falou ai em cima (sobreposição de terças menores) é a formação do arpejo diminuto (T b3 b5 bb7).

      A escala diminuta é uma escala formada por T ST T ST T ST...
      Ex: C D Eb F Gb Ab Bbb(A) B

      A questão é que a escala diminuta é uma escala "a parte" ela não se encontra dentro de nenhuma outra escala.

      O 2o grau da escala menor harmônica é Lócrio com 6a maior. O que encaixaria neste grau seria o arpejo diminuto e não a escala.

      Aisse
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      heathcliff


      Na escala diminuta(escala simétrica ou tom-semitom) os intervalos

      são simetricamente dispostos. Para construir a escala de um acorde

      diminuto nós escrevemos os GRAUS dos acordes e acrescentamos

      notas(tensões) UM TOM ACIMA DE CADA GRAU. As notas adicionadas ao

      arpejo para criar a escala diminuta, são todas consideradas como

      TENSÕES DISPONÍVEIS e não levam número específico devido a simetria

      da escala.

      Essa é a forma como eu aprendi...grande abraço!heathcliff

      heathcliff
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Alex Pires
      Aisse

      Obrigado pela explicação. Desconhecia completamente que a escala diminuta era algo mais do que a sobreposição de terças menores.

      Eu tenho uma dúvida. Dos 8 graus da escala diminuta, Nós montamos os arpejos a partir do 1º, 3º, 5º e 7º grau. Eu fiz a experiencia de fazer arpejos usando as notas restantes. Os intervalos e consequentemente o "shape" foi o mesmo dos arpejos dos graus pares. Porêm a combinação desses 2 acordes (contando com as inversões) não soou nem um pouco agradável. Seria "errado" harmonizar os graus pares da escala diminuta?

      Ou será que a escala diminuta é uma escala á parte como foi dito e as regras usadas na escala diatônica não servem de maneira alguma nela?

      heathcliff
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      up! (me respondam aí galera)

      AngraMelo
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      eh preciso algum estudo sobre isso..............hehehehe maos aos livros!

      LeandroP
      Moderador
      # mai/05
      · votar


      Diminuta é as pampas pra treinar técnica de tapping.



      e-----------
      B-----------
      G-0h3h6T9---
      D-----------
      A-----------
      E-----------


      Aisse
      Veterano
      # mai/05 · Editado por: Aisse
      · votar


      heathcliff

      Cara eu sinceramente nunca tinha pensado em harmonizar a escala diminuta, parabéns pela iniciativa...mostre pra nós o que vc descobriu...:0)
      Eu creio que o conceito de ESCALA DO ACORDE tenha sido usado para criar a escala diminuta.

      Alex Pires
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Aisse

      Mermão...Tem dezenas de acordes dentro da escala diminuta...Obvio que a maneira de se achar os acordes é completamente diferente...Você pode sobrepor terças que é a maneira convencional de se obter uma harmonização mas o mais interessante é que você pode modificar as terças visto que os intervalos são muito próximos.

      Só pra você ter uma ideia eu ja achei mais de 40 acordes dentro da diminuta, considerando triades, tetrades e slash chords.

      A harmonização "chimbica" da diminuta é um acorde diminuto no primeiro grau, um acorde dominante no segundo e o resto é simetrico

      Aº B7 Cº D7 Ebº F7 Gbº Ab7

      Mais tem muito mais da onde isso veio hehehe.

      Dica: O B7 tem D#(Eb) como terça...Se vocês usarem a nota D, que tambem esta dentro da escala como terça do mesmo acorde, você obtem o acorde de Dm7 ao inves de D7.

      E por ser uma escala simétrica, tanto o B7 quanto o D7 quanto o F7 quanto o Ab7 podem virar acordes m7.

      O resto é com vocês

      heathcliff
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Aisse

      Sabe aquele shape básico?


      e-3---
      B-2---
      G-3---
      D-2---
      A-----
      E-----


      ficou isso aí para todos os graus, é só ir subindo a escala na 4ª corda =(

      Mas isso fazendo as tétrades, 1ª,3ª,5ª e 7ª...não experimentei nenhuma outra nota.

      Mas para ser sincero, acho que não vou me aprofundar muito nisso não, pelo o menos por enquanto. Não domino nem a escala diatônica e modos direito, por enquanto diminuta fica só como efeito =]. Ah, e só os arpejos hehe

      Abraço e obrigado por corrigir os meus conceitos =]

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Escala Diminuta: onde posso "encaixar"?

      299.681 tópicos 7.775.724 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2016 Studio Sol Comunicação Digital