Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Upgrade pra usar em casa: amplificador ou interface de áudio?

      Autor Mensagem
      milani1589
      Veterano
      # 29/out/17 20:46


      Buenas pessoal,

      Estou há algum tempo pesquisando sobre equipamentos, mas não formei uma conclusão se invisto em um amplificador com simulações (fender mustang 1, por ex.) ou numa interface de áudio (behringer um2 ou ucg102 ou guitar link chinês) + guitar rig.

      Meu uso vai ser basicamente em casa/apto pra estudar e treinar, gravar alguma coisa, tocar em cima de backing tracks, etc. Nada profissional, mas com um mínimo de qualidade, até pq já tenho guitarra (memphis com caps malagoli e stellfner), uma pedaleira digitech rp50 e um ampli warm music hd 22 (funciona muito bem como caixa pro PC haha)...

      Atualmente ou eu ligo a guita só no clean do ampli ou uso as simulações da pedaleira (amps + efeitos), ligando ela no line do ampli... em nenhum caso tenho uma qualidade satisfatória. Quero dar uma passo adiante.

      Então, minha dúvida é:

      1) invisto num fender mustang 1 (ou outro parecido, qual?) que simula vários amps e tem efeitos (chorus, delay, reverb...) e tbm permite que eu grave via usb no PC, ou;

      2) compro uma interface de áudio (boa ou mediana) e uso junto com o guitar rig... que tbm teria acesso a vários amps e efeitos e tbm serve pra gravar via PC... e ouviria o som da placa+ guitar rig no ampli da warm music (como eu escuto o som do PC nele, até que rola um som bonzinho, ele tem uma entrada RCA)

      A opção 1 é mais cara, pq esse fender tá na faixa de R$ 1k, é um amplificador de estudo, falante de 8" e tem uns timbres legais (o yamaha thr10 é mais top, mas não sei se vale tudo o que cobram)... já opção 2, seria mais barata, pq a placa sai uns 300 reais via ML (ou uns 60 se for guitar link), só que tem o risco de não ficar legal por usar o PC, dar algum problema de ruído, latência... e acabar sendo dinheiro jogado fora.

      O que acham? O que sugerem?

      Já agradeço todas opiniões! Abraço!

      Ismah
      Veterano
      # 29/out/17 22:29
      · votar


      Por pior que seja o som no PC, não deve ficar tão atrás do Fender Mustang I (?!)...

      SkyHawk
      Membro
      # 30/out/17 06:52
      · votar


      Se o Fender tem interface Usb vai nele, terá 2 em 1. Tem o amp e a interface.

      SkyHawk
      Membro
      # 30/out/17 06:52 · Editado por: SkyHawk
      · votar


      duplo

      JJJ
      Veterano
      # 30/out/17 08:44 · Editado por: JJJ
      · votar


      Acho que o Mustang I é meio pequeno. Eu partiria para o II ou similar, de outra marca - eu tenho um Vox nessa mesma ideia.

      Por quê? Porque ampli pequeno você já tem. Um que fosse um pouco maior ia te dar a chance de usar um pouco além do "quarto".

      Quanto à interface... não aconselho esses guitar link da vida... se for comprar, pega uma interface razoável, porque isso costuma durar muito tempo.

      Ambas as opções talvez sejam mais caras do que você imaginou, mas já ficam pra um uso mais amplo e duradouro, entende?

      milani1589
      Veterano
      # 30/out/17 11:57 · Editado por: milani1589
      · votar


      Pois é, eu queria algo com qualidade pra usar em casa, pq meus equipos são meio fracos... é aquela coisa: guitarra mediana em ampli ruim, soa ruim(situação atual)... Guitarra mediana em ampli bom, soa legal (objetivo).

      Eu testei o Mustang III numa loja e mal deu pra passar do volume 1 que vinha tudo abaixo, hehe. Então, não dá pra ser ampli grande pq não vou usar... Meu warm music de 20w nem uso volume alto, por ex.

      Lelo Mig
      Membro
      # 30/out/17 13:11
      · votar


      milani1589

      Um ampli que faça a interface é a pedida ideal para algumas situações.

      Aparentemente essa é sua necessidade. Pesquise bem, tem varios bons amplis com esta configuração.

      Possuo um Fender Mustang II.... Atende 100% de minhas necessidades atuais.

      Não tenha pressa....pesquise muito!

      milani1589
      Veterano
      # 30/out/17 18:19
      · votar


      Acho que o Mustang I é meio pequeno. Eu partiria para o II ou similar, de outra marca - eu tenho um Vox nessa mesma ideia.
      O Fender Mustang I tem 20w e falante 8"... tomando por base meu warm music que tbm é 20w e 8", acredito que não preciso mais volume que isso... nele difícil passar da metade. Pegar um com 30w ou 40w acho que vai sobrar potencia. Estou errado?

      Qual seu Vox? Vi uns modelos.. Vox VX1 e VX2, parecem legais tbm, no mesmo estilo... só que mais caros! o VX1 tem falante de 6,5" (não é pequeno?) e 20W... e o VX2 tem falante 8" e 30w.

      se for comprar, pega uma interface razoável, porque isso costuma durar muito tempo.
      Uma behringer (original) daria conta?

      Possuo um Fender Mustang II.... Atende 100% de minhas necessidades atuais.
      Qual o seu uso? Pra uso doméstico não sobra volume? Chegou comparar com o 1? Se sim, achou muita diferença?

      Com o cabo usb vc consegue o fender como interface de áudio e fazer as modulações pelo guitar rig, por exemplo? Chegou testar?

      JJJ
      Veterano
      # 30/out/17 20:10
      · votar


      milani1589

      O meu é o VT40+, na mesma onda dos Mustang, mas sem a parte de conexão com o computador.

      Lelo Mig
      Membro
      # 30/out/17 23:05 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      milani1589

      1- Uso para gravações, arranjos, composições, diversão... Hj em dia a musica é so um hobbie pra mim.

      2- Moro em apto atualmente, dá pra fechar bem o volume e deixar baixinho.... Não é um valvulado, SS fala normal em volume 1. Mas claro, muito baixo volume, perde "punch". Qdo quero uma pegada mais forte, uso fones de ouvido.

      3- Não, nunca comparei com o I.

      4- Sim. Basicamente o "Fender Fuse" (soft da interface) é um simulador.... Então basta você deixar totalmente limpo (vazio) e não haverá nenhum ampli ou efeito virtual entre sua guita e o final. Eu gravo vocais inclusive, ligando microfone nele.


      Essa semana ele tá indo embora.... Vou deixar com meu filho, porque ele vai começar a fazer aulas semana que vem com o André Christovan... (Via skype pq o André tá morando em Glasgow)

      NeoRamza
      Veterano
      # 30/out/17 23:08
      · votar


      Pra mim Guitar Rig e afins é sempre a última opção. Computador é algo problemático que sempre acaba te tomando tempo. Sempre vai acontecer de ter que esperar ligar, ter que reiniciar e etc... Sem contar que sempre acontece algum problema que tem que arrumar, trocar peça, formatar, etc... As vezes aparece um bug novo na nova versão do sistema operacional por exemplo. Compre o Mustang, ou algum outro amp do tipo, e seja feliz.

      ds_bart
      Veterano
      # 31/out/17 00:15
      · votar


      Cara, tenho os 2, amps (valvulado, SS e de estudo) e interface (scarlet 2i2).
      Acho q nd substitui o prazer de mexer em algo fisico (o amp), é muito mais divertido e prazeroso. Mas com a interface voce acaba tendo mais possibilidades, pois tem muito mais efeitos (com o guitar rig pr ex) e ainda da pra gravar,
      Eu investiria numa pedaleira nivel g3 ou gt1,que tb serviriam como interface, E mais pra frente num amp legal.

      Beto Guitar Player
      Veterano
      # 31/out/17 06:56
      · votar


      Olha, acho até bacana esses simuladores de efeitos e amplificadores, como Amplitube e Guitar Rig, mas sinceramente a melhor opção sempre foi o amplificador físico.
      Se você tem condições de comprar o ampli, vai fundo, além do mais, se você tiver somente a interface, terá que usar o computador toda vez que quiser tocar, já no cubo, é só ligar, plugar e ser feliz. E o fato de ter ligação USB facilita você gravar suas idéias e estudos.

      Casterman
      Membro Novato
      # 31/out/17 13:44
      · votar


      Lelo Mig

      Tenho o Mustang I, também moro em apartamento, e gostaria de saber se tu tem a mesma impressão que eu em duas situações:

      1º) O Mustang I, quando deixo o volume baixo, digamos no 2 ou 3, o som fica sem definição, meio embolado e sem corpo. Eu sei que isso é consequência do volume baixo, mas no meu caso, o timbre fica tão prejudicado que eu não utilizo ele a menos que eu possa usar com volume mais alto, o que é raro.

      2º) Os timbres do Mustang I ficam muitíssimo melhores pelos fones de ouvido do que pelo falante. A diferença é gigante, pelo menos no Mustang I.

      O mesmo ocorre contigo, no caso usando o Mustang II?

      milani1589
      Veterano
      # 31/out/17 17:44
      · votar


      ds_bart
      Eu investiria numa pedaleira nivel g3 ou gt1,que tb serviriam como interface, E mais pra frente num amp legal.

      Vc fala de usar a pedaleira como simulador de amplificador e de efeitos, jogando o "resultado" no line/rca do meu amplificador (usado como se fosse uma caixa) pra ouvir o som e plugando no PC pra gravar, se for o caso? Ou seja, uma pedaleira pra fazer tudo?

      Casterman
      Tenho o Mustang I
      Vc poderia falar um pouco mais sobre o Mustang I? Acha um bom custo benefício? Compraria de novo? Dos vídeos que vi no youtube achei o som bem bacana, não sei se pq os vídeos podem ser mascarados com edição...

      Casterman
      Membro Novato
      # 31/out/17 19:19 · Editado por: Casterman
      · votar


      milani1589

      Cara, tenho esse amp há mais de três anos, e já passei várias horas editando os presets.
      Acho o Mustang I um amplificador muito interessante. Principalmente nos timbres clean. As simulações de fender twin 57 e 65 são os pontos altos desse amp. Quem toca mais com clean, o amp vale só por essas simulações.
      Em se tratando de simulações de amps com drive, apenas uma simulação eu acho boa, que é a do Marhsall 80´s. E talvez a simulação do fender super sonic. Todas as demais eu não gosto.
      O problema pra mim é que para que os timbres saiam "vivos", é preciso atingir certo volume. E esse volume é um tanto alto para meu uso em apto. A impressão que eu tenho é que ele tem mais de 20watts. Eu tenho um valvulado de 1watt, o blackstar ht1, e com ele mais meus pedais, eu consigo um timbre muito melhor e em volume mais baixo.
      Porém, os timbres do Mustang I melhoram muito com o uso de fones, o que me leva a crer que o falante talvez seja o ponto fraco desse amp. Ou talvez seja o fato de que com fones eu uso mais volume mesmo.
      Acredito que ele deve ser excelente para gravar, porque o timbre deve ser semelhante ao obtido com fones.
      Hoje eu não compraria ele de novo, mas apenas pela questão do volume. Acho que um cube 10 ou um yamaha htr10 seria mais apropriado para mim.
      Cuidado mesmo com os vídeos do youtube. Em alguns casos não soa nada parecido com o meu, nos timbres com drive.
      Versatilidade e timbres clean são as grandes vantagens desse amp.

      Lelo Mig
      Membro
      # 31/out/17 20:13 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      milani1589

      Cara em volume muito baixo a coisa é complicada....em qualquer ampli. O que disse acima, em perder punch, é justamente esta "pancada" a movimentação do ar.

      Quanto menor o falante, menos este deslocamento de ar, então, em teoria, um falante menor no mesmo volume que um maior (entenda volume como energia que movimentará o cone), menos "punch".

      No fone de ouvido isso é bem menos perceptivel porque o ar a ser movido esta "preso" dentro de seu duto auditivo e vai impactar direto seu tímpano. É necessário muito menos pressão sonora para causar a mesma impressão.

      milani1589
      Veterano
      # 31/out/17 20:47
      · votar


      Lelo Mig
      Perfeita colocação!

      Alguma outra sugestão? Algo mais que eu devo considerar?

      Casterman
      Acho que um cube 10 ou um yamaha htr10 seria mais apropriado para mim.
      Roland Cube 10gx? Mas ele não tem as simulações de outros amplis, né? Acho que só o 20gx pra cima que tem...

      Achei o yamaha muito show nos vídeos, só que o preço é salgado!!

      Quando vc fala do drive do Mustang I, refere-se a distorção pesada ou mesmo um drive mais leve já perde qualidade?

      Já tentei tocar com o fone com meus equipamentos atuais, mas não curti... o som fica "preso" só na sua cabeça... acho bacana a vibração do som no ambiente.

      De toda sorte, estava olhando uns vídeos das pedaleiras Zoom G3xn e da Boss GT1 e em ambas os drives mais pesados não são tão legais... difícil achar um meio termo!

      Ismah
      Veterano
      # 31/out/17 23:23
      · votar


      Lelo Mig
      Quanto menor o falante, menos este deslocamento de ar

      Não exatamente... A amplitude na tua suposição (que pressuponho estar considerando dois AF's IGUAIS, da massa do cone a excursão), é a mesma. O que difere, é o quanto se consegue direcionar das frequências emitidas...

      Até o ponto, onde o comprimento de onda (λ), tem o diâmetro do AF (ou mais ou menos a soma, no caso de mais de um AF), se tem ondas direcionais (cilíndricas). Abaixo desse ponto, temos ondas omnidirecionais, de formato esférico.

      No caso de situações com mais de um AF, e que formam um arranjo retangular, temos propagações elípticas.

      Já notou que quem usa full stack, sempre monta uma caixa sobre a outra? Então, isso abaixa o ponto em que as frequências são direcionais, no eixo vertical. O que é MUITO desejável, pois não cria vazamentos no amp ao lado.
      Nunca estudei, mas CREIO serem as diagonais, um meio termo entre direcionalidade e praticidade.

      O que ajuda um pouco, no caso de AF's pequenos, principalmente se open back, é parar eles num canto... Além de dar um extra no grave ao aproveitar a radiação traseira também, costuma direcionar melhor as ondas - usando o canto como espelho acústico, meio que formando um princípio de "corneta"...

      Tivemos vários arranjos do tipo, mais usuais no baixo, onde o problema de direcionamento é maior...

      Fender PS400 + 3 x "mini W-horn" possívelmente com 1x15"

      Fender Bassman 100 4x12 - na foto modelo de 72, mas saíram durante a década de 70 praticamente inteira

      Ismah
      Veterano
      # 31/out/17 23:46 · Editado por: Ismah
      · votar


      1973 2054 1 x 15" 50W, para baixo, orgão, guitarra...

      Acoustic 360 1x18"

      Marshall ??? , também uma w-horn

      Marshall Supa Bass 1x15"

      Marshall 1555 1x15"

      E claro, as "colunas de voz", sempre foram em arranjos verticais, para aumentar a dispersão de energia no eixo horizontal, e diminuir no eixo vertical.

      Fender PA100 - Isso vos lembra algo ? rsrs

      1967 Black Flag Marshall Super P.A. 50

      Lelo Mig
      Membro
      # 01/nov/17 00:34
      · votar


      Ismah

      Não...não me referi a frequências e sim a deslocamento de ar. Nada a ver com comprimento de ondas e etc.

      Apenas fisica básica, primária... Voce desloca uma massa maior de agua se jogar um paralelepípedo do que um pedregulho.... Movimenta mais ar com um leque maior.

      Este "punch" de volume, a que me referi, tem a ver com SPL e deslocamento de ar. Por isso em fones é tão facil conseguir.

      Ismah
      Veterano
      # 01/nov/17 00:41
      · votar


      Acho que peguei sua frase fora de contexto... Não falei de fones vs amp real, mas de um AF pequeno (4"~8") contra um médio (10"~15")...

      PUNCH é relacionado a frequências graves. Indiferente a isso.
      Te lembro que o conceito de SPL é pressão por área, se tiver energia mais direcionada, tenho maior SPL. Simples assim.

      Ismah
      Veterano
      # 01/nov/17 00:44
      · votar


      Este "punch" de volume, a que me referi, tem a ver com SPL e deslocamento de ar. Por isso em fones é tão facil conseguir.

      Tem mais uma coisa! Graves tem comprimento de onda na ordem de 3,5 metros pra mais... Não sei como que se comporta numa situação dessas. CREIO, que não há distância suficiente para essa onda se formar no caso de um fone, talvez percebamos essa frequência porque o AF vibra LEVEMENTE nossa orelha.

      É algo interessante! Vou levar para o grupo de engenharia acústica a questão!

      Lelo Mig
      Membro
      # 01/nov/17 00:49 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      Ismah


      "PUNCH é relacionado a frequências graves."

      Exatamente! Por isso um Tweeter pode ter 2" e nem de cone movel precisam e um Sub Woofer "quanto maior melhor" (sim, entre aspas....de forma geral, simplificada).

      Dentro do duto auditivo, com fones, vc "empurra todo ar para os timpanos", seria o equivalente a ter caixas para "empurrar todo ar" de um teatro.

      Ismah
      Veterano
      # 01/nov/17 06:27
      · votar


      Mas claro que o Tweeter tem cone móvel hehehe
      Ele só não é como o de um AF...

      Mas novamente, não sei como se comporta um fone... Em tese, uma câmara muito pequena, aumenta a impedância acústica (imposta pelo ar enclausurado la dentro), e... Literalmente não sei como se comporta.

      Casterman
      Membro Novato
      # 01/nov/17 08:47 · Editado por: Casterman
      · votar


      milani1589

      Roland Cube 10gx? Mas ele não tem as simulações de outros amplis, né? Acho que só o 20gx pra cima que tem...

      O 10gx tem também, porém muito menos opções do que o Mustang. Se não me engano são uns 6 ou 8 modelos a serem selecionados por um aplicativo no celular. E só pode salvar três no amp, enquanto no Mustang pode salvar até 24 no amp.

      Achei o yamaha muito show nos vídeos, só que o preço é salgado!!

      Também acho caro.

      Quando vc fala do drive do Mustang I, refere-se a distorção pesada ou mesmo um drive mais leve já perde qualidade?

      Digamos que, quanto mais drive, menos qualidade. Com um drive leve (pense AC/DC) e certo volume, é possível obter ótimos timbres, principalmente usando o preset Marshall 80´s. Para esse preset, recomendo a caixa 4x12G (simulação de caixa com falantes Greenbacks).

      Já tentei tocar com o fone com meus equipamentos atuais, mas não curti... o som fica "preso" só na sua cabeça... acho bacana a vibração do som no ambiente.

      Concordo! Após poucos minutos tocando de fone, começo a me sentir incomodado.

      VicRattlehead
      Membro Novato
      # 01/nov/17 15:12
      · votar


      Aproveitando o tópico a respeito de Amplis com simulações.
      O Marshall Code 25 é um amp. que vale a pena para essa proposta de tocar em casa/apto pra estudar e treinar, sem ser um som profissional mas com qualidade (lógico que não comparando com amplis mais caros e/ou valvulados)?
      Vi um review do Silas Fernandes a respeito dele e curti. Lendo sobre ele vi que os presets de fábrica não são bons, mas já ouvi timbres legais tirados nele, na internet.

      milani1589
      Veterano
      # 01/nov/17 19:42 · Editado por: milani1589
      · votar


      Ismah
      Lelo Mig

      Colegas, um comentário leigo. Quando se fala que alto falante pequeno soa ruim, gostaria de falar algo com base na minha experiência. Como falei, uso o warm music como caixa pro PC, usando um cabo p2<--->RCA ligado no ampli e o som fica bom. Independente da música que estiver tocando, há uma boa definição sonora, vc ouve bem os timbres, não fica embolado.
      Agora, se eu ligar a guitarra no drive do amp ou mesmo usar as simulações da pedaleira: o som vai ficar ruim... presumindo que seja por conta da baixa qualidade do drive e da pedaleira.

      Portanto, se o processador do som for de boa qualidade, mesmo com um falante de 8", vc consegue uma definição razoável pra ouvir seus sons!
      Falei bobagem?

      Maaaas claro, se vc ficar na frente de uma caixa com 2x12", óbvio que a vibração sonora vai ser forte.... só aaacho que um falante pequeno é possível ouvir timbres/sons com qualidade suficiente pro dia a dia de um hobbysta...

      VicRattlehead
      Marshall Code 25
      Não conhecia esse! Vou dar uma olhada nuns vídeos!! Ele tem falante de 10" em comparação com os outros que são de 8"... pode ser mais interessante!

      Casterman
      Com um drive leve (pense AC/DC) e certo volume, é possível obter ótimos timbres, principalmente usando o preset Marshall 80´s.

      Em princípio, não pretendo tocar nada mais pesado que um ac/dc, rush, deep purple, joe satriani, no máximo um iron maiden, metallica.. Desses pra menos até um clean. Nada de high gain from hell, hehehe...

      Acho que é por aí, Mustang é uma boa opção!

      Lelo Mig
      Membro
      # 01/nov/17 20:56
      · votar


      milani1589

      "Falei bobagem?"

      Não falou bobagem não. Mas o assunto "falantes" é bastante complexo, amplo e possui muitas variáveis.

      Tamanho de cone faz muita diferença para os graves, mas há formas de se compensar isso, com cálculos, materiais e física...ou seja, basicamente, tecnologia. Monitores, via de regra, são pequenos e produzem som de qualidade.

      Ismah
      Veterano
      # 01/nov/17 21:47
      · votar


      milani1589

      Qualidade é algo relativo...
      Posso montar um baffle finito de 7 m de diâmetro para reproduzir 50Hz, posso montar uma corneta de 7 m...
      Posso montar uma torre de transmissão (LT) de 7m ( onda completa ), ou de 1,75 m ( quarto de onda ) para ter a mesma sintonia...

      E em nenhum momento, isso depende em nada do AF...

      Mas nada vem de graça...
      Com o baffle finito (uma placa literalmente), não tem controle nenhum do cone, conforme os conformes, vai-se ajunta o cone e a bobina alguns metros longe...
      A corneta gera uma bagunça tremenda na fase, e acaba direcionando as ondas. Mais SPL, menos cobertura...
      A LT é a que menor problemas tem, há só um pequeno atraso de grupo das frequências emitidas do tubo... Só que pesa pra caramba, porque exige um travamento perfeito... Já peguei 2 de madeira com mais de 180 kg, o que não parece muito, mas se considerar que elas tinham 50 W cada uma, a conta muda...

      O sinal processado, se moldado a situação, terá menos agudos, por isso tende a soar bem... Entrando num outro circuito, como num PA que seja flat (ou próximo disso), PODE não soar bem...

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Upgrade pra usar em casa: amplificador ou interface de áudio?

      303.739 tópicos 7.860.035 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital