dobrado sustenido dobrado bemol na cifra

    Autor Mensagem
    mpnzep
    Membro Novato
    # 09/set/21 09:20


    Oi.
    O dobrado sustenido e/ou o dobrado bemol, tem uso na cifra?
    Por exempo, existe a cifra C7bb ou C(bb7)? Seria dó com sétima diminuta.
    Ou então: C9## ou C(##9), ou usando o sinal de dobrado sustenido C(X9) ou C9X, para o uso do dobrado sustenido?
    Obrigado.

    LeandroP
    Moderador
    # 09/set/21 09:40
    · votar


    mpnzep

    A tríade ou a tétrade diminuta utiliza a nomenclatura ° ou dim7.

    A 9a por sua vez é sempre maior. Colocando apenas um sinal # ela se torna 9a aumentada. Não existe uma 9a mais que aumentada. Por isso não existe razão pra colocar dois # ou X na 9a ou qualquer outro intervalo da cifra. Isso só existe na pauta (partitura) ou numa descrição, como por exemplo a nota Fá## é a 9a aumentada de Mi. Só que na cifra você vai utilizar apenas o #9 indicando que a 9a é aumentada. E(#9).

    Quando você ver a letra X numa cifra ela é uma incógnita, como na matemática. X7 pode ser qualquer acorde com 7. Tipo um G7, um C7, um D#7 etc.

    mpnzep
    Membro Novato
    # 09/set/21 10:45
    · votar


    LeandroP

    Não poderia usar C(bb6)? Seria o dó com sexta diminuta.

    LeandroP
    Moderador
    # 09/set/21 10:59
    · votar


    mpnzep

    Por que usar uma sexta diminuta?
    Qual ciscunstância o levaria a isso?
    A sexta diminuta ocupa o mesmo lugar de uma quinta justa. É quase a mesma coisa que um grau substituir a tônica, como uma segunda diminuta. Não faz sentido!

    mpnzep
    Membro Novato
    # 09/set/21 11:20 · Editado por: mpnzep
    · votar


    LeandroP
    Sempre posso usar um intervalo mais conhecido/simples na cifragem?
    Por exemplo:

    Em vez de usar o C(bb4) - dó com quarta superdiminuta - usar Cm?

    LeandroP
    Moderador
    # 09/set/21 12:55
    · votar


    mpnzep

    Isso tem uso prático?
    Eu desconheço!

    mpnzep
    Membro Novato
    # 09/set/21 13:58
    · votar


    LeandroP
    Nunca vai ocorrer intervalos assim na cifra? Intervalos do tipo C(bb4), ou C(bb6)?
    Ou se existir, eu posso fazer uso da versão simplificada sempre?

    LeandroP
    Moderador
    # 09/set/21 19:24
    · votar


    mpnzep

    Bem, eu não posso afirmar isso. Mas, até aonde eu conheço, você nunca vai ler ou ter que escrever uma cifra dessa maneira. Não tem uso prático ou funcional.

    fernando tecladista
    Veterano
    # 10/set/21 01:32
    · votar


    ## e bb em teclas aparece geralmente em melodia, não na cifragem
    para o caso de partituras com claves peçonhentas cheias de # e b

    de ex
    geralmente onde você tem toda a música com FA# e SOL # e a melodia aparece com um SOL natural, então a bolinha da partitura se em colocar vão tocar SOL # se eu colocar o SOL com o bequadro, pode haver erro caso logo em seguida também use o SOL#, então se coloca um FA##

    em cifra estou acostumado com elas usando + e -
    C7+ / G5- ... uma cifra escrito em G5b é pra dar no na minha cabeça

    e como já foi comentado, não faz muito sentido eu usar algo como C 8## quando fica mais pratico usar o que já existe como Cadd9

    Schelb
    Veterano
    # 10/set/21 09:17
    · votar


    mpnzep
    A forma que você vai nomear os intervalos em um acorde depende da escala que existe por trás daquele acorde. Eu desconheço uma escala por exemplo que use 6 diminuta ao invés de quinta justa, mas sei lá, as vezes tem alguma escala exótica que tenha coisas assim e daí se essa escala estranha está sendo usada na música naquele acorde então aí faria sentido um acorde com essa sexta diminuta. Mas provavelmente seria um acorde diminuto ou meio diminuto com a 13ª diminuta, ou algo do tipo.
    Essa questão da enarmonia acontece mais com a "segunda aumentada/terça menor" e com a "quinta diminuta/quarta aumentada" (um pouco mais raro). E vc sempre vai saber se deve nomear um intervalo ou outro conferindo a função do acorde e a escala usada na melodia naquele momento. (Pelas suas perguntas aqui, continuo achando importante você focar seus estudos em análise harmônica e campos harmônicos, que vai te dar essas respostas)

    Agora, pra dizer que eu consigo imaginar um dobrado sustenido escrito num acorde, eu acho mais plausível de isso acontecer na nomeação da tônica do acorde ao invés das extensões. As vezes por algum motivo a escala usada naquela música tem um Fá## e vc vai fazer um acorde sobre esse grau da escala .. aí seria um F##M7, por exemplo. Estranho, mais poderia acontecer.

    LeandroP
    Moderador
    # 10/set/21 14:07
    · votar


    Schelb
    As vezes por algum motivo a escala usada naquela música tem um Fá## e vc vai fazer um acorde sobre esse grau da escala .. aí seria um F##M7, por exemplo. Estranho, mais poderia acontecer.

    Sim, esta possibilidade existe mesmo. Eu já me deparei com esta situação e optei por simplificar o acorde, que neste caso passou a ser simplesmente um GM7 - bem mais intuitiva a leitura rs

    Schelb
    Veterano
    # 10/set/21 18:32
    · votar


    É, pensando na leitura é mais prático simplificar né, principalmente pra tocar no teclado eu acho bem confuso fazer mi# e outros do tipo

    LeandroP
    Moderador
    # 10/set/21 21:37
    · votar


    Schelb

    Essas paradas eu só utilizo em análises. No mais eu simplifico tudo que eu posso.

    Schelb
    Veterano
    # 10/set/21 22:48
    · votar


    Eu já costumo preferir os graus escritos certos por facilitar analisar a música enquanto toco, pra improvisar por exemplo

    LeandroP
    Moderador
    # 11/set/21 08:44
    · votar


    Eu também, Schelb. Apenas nesses casos específicos que eu busco facilitar a escrita. Via de regra, eu respeito os graus, os acidentes, dominantes secundários etc.

    Filippo14
    Veterano
    # 11/set/21 09:27
    · votar


    LeandroP

    Mas no fim, colocar um F##maj7 é mais tranquilo que a ideia original de colocar algo do tipo dentro da composição do acorde, que ai não teria necessidade alguma.

    Acredito também, que esse tipo de situação, querendo manter a teoria correta e sem simplificar, provavelmente se resolveria deixando de usar sustenidos e sim usando bemóis.

    Abs,

    LeandroP
    Moderador
    # 11/set/21 09:32
    · votar


    Eu não entendi, Filippo14

    Filippo14
    Veterano
    # 11/set/21 13:14
    · votar


    LeandroP

    Ao invés d pensar em F# é melhor pensar em Gb em determinadas situações. Quiz dizer que com o intuito de facilitar a visão, esse tipo de coisa muitas vezes facilita.

    Schelb
    Veterano
    # 11/set/21 16:13
    · votar


    Filippo14
    É, tem isso que você falou também, mas geralmente esses dobrados bemois e sustenidos vão ocorrer fora da escala maior e menor natural. Geralmente aparecem quando se usa uma escala harmônica ou melódica, ou dom dim ou escalas exóticas, enfim. E algumas outras situações de uso de acordes de empréstimo, ou acordes cadenciais secundários ... coisas assim, onde não dá muito pra contornar.

    LeandroP
    Moderador
    # 12/set/21 03:13
    · votar


    Filippo14

    Ah, sim rs tamu juntu
    Eu vou nessas rs

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a dobrado sustenido dobrado bemol na cifra