Harmonia de Corcovado

    Autor Mensagem
    DJ Timbu
    Veterano
    # 05/out/20 18:45


    Estou criando algumas melodias em cima da harmonia de Corcovado. Mas eu queria entender como funciona essa harmonia

    Am6 G#ºb13 Gm7 C4(79) F7M F6

    A música está em dó maior. Já entendi que o Gm7 e C4(79) são uma preparação (II - V - I) pro F7M.

    Mas G#ºb13, como ele funciona? Porque esse baixo (G#) fora do tom?

    E por que ele colocou a 6ª maior no Am6, sendo que o F# não pertence ao tom de dó?

    LeandroP
    Moderador
    # 06/out/20 08:37
    · votar


    DJ Timbu

    A tonalidade é menor, e sendo menor você pode pensar em menor natural, dórico, harmônico. O compositor optou por utilizar o dórico. A escolha deste modo não é tão incomum quanto se pensa. Por ser um modo que não possui notas evitadas, cai na preferência dos improvisadores.

    Acordes diminutos possuem dois trítonos e são muito utilizados como acordes de preparação, quase da mesma forma que os acordes do tipo dominante, X7. É muito comum a utilização de acordes diminutos entre acordes que estão separados por um tom, por exemplo: FMaj7, F#dim7, G7, G#dim7, Am, conduzindo o baixo cromaticamente. Você pode conduzir de C pra Dm utilizando o dominante do Dm (que seria o acorde A7), mas também pode optar por conduzir cromaticamente, utilizando um acorde diminuto entre o C e o Dm. Neste caso seria o C#dim7. Que por sua vez, pode ser uma inversão do A7(b9) - dominante do Dm. Como você está pensando em melodia, esta pode se desenvolver com notas da tonalidade, ou você pode pensar nas notas da tétrade diminuta, na escala diminuta, na escala diminuta-dominante, e por aí vai.

    Da mesma forma que o diminuto pode conduzir dois acordes da harmonia, o SubV7 também pode ser uma opção, com uma sonoridade diferente. Por exemplo, o trecho Gm, C7, FMaj7, você pode substituir o C7 pelo F#7(#11), o que vai conduzir o baixo cromaticamente entre o Gm e o FMaj7. Os acordes C7 e o F#7(#11) são equivalentes em razão da inversão do trítono.

    DJ Timbu
    Veterano
    # 06/out/20 10:21 · Editado por: DJ Timbu
    · votar


    Ah, agora entendi, o negócio é que como ele é um acorde de preparação deveria soar rápido e já cair pro próximo, não? Mas ele fica soando 1 compasso inteiro

    LeandroP
    Moderador
    # 06/out/20 12:56
    · votar


    DJ Timbu

    Não necessariamente a preparação tenha que ser rápida. Não é a velocidade que caracteriza o movimento de preparação na música.

    DJ Timbu
    Veterano
    # 06/out/20 13:43
    · votar


    OK. Mas o que me preocupa também é que eu vou passar uma base de violão com essa sequência harmônica pra uma galera compor em cima. Seria tipo um Poesia Acústica, conhece? Eu consegui fazer minha parte, porque usei as mesmas notas da melodia da música do Corcovado.

    Mas a galera não tem tanto conhecimento assim, tenho receio de eles estranharem os acordes e se perderem na hora de compor. Será que tem como simplificar ao máximo essa harmonia? Pensei em tirar esse G#ºb13 e manter o Am soando, e trocar o empréstimo (talvez a galera se confunda com esse empréstimo também) e colocar um G7 no lugar. No final ficaria simplesmente Am G7 F.

    Aí, dependendo da melodia que eles criarem, eu posso alterar os acordes na hora de produzir (ou não kkkk)

    A melodia da minha parte é essa: https://pdfhost.io/v/zApRlDuYp_Untitled2.pdf

    Ken Himura
    Veterano
    # 16/out/20 23:23
    · votar


    DJ Timbu
    Troca o diminuto por um dominante qualquer, se estiver complicado.

    LeandroP
    Moderador
    # 17/out/20 01:31
    · votar


    DJ Timbu

    Experimente um acorde E7/G# no lugar do G#°

    Schelb
    Veterano
    # 17/out/20 10:35
    · votar


    Na real acho que se a galera não tem tanto domínio de teoria musical essa não seria a melhor música pra usar. Bossa nova de um modo geral é bem complicado harmonicamente, e difícil de criar arranjos sem ter uma noção um pouco mais profunda.
    Pra quem não tem tanto domínio é mais fácil criar linhas em cima dos arpejos, usando algumas extensões mais óbvias desses acordes. Nessa música, como as trocas de acordes são mais lentas, até que rola, mas sei lá. Simplificar a música eu acho meio difícil porque são várias passagens complexas harmonicamente, então teria que mudar muita coisa e poderia descaracterizar muito.
    E como o colega disse aí em cima, pra mim essa música está em Am (começando num Am Dórico ou Melódico). Faz uma preparação pro sétimo grau (G), mas quando cai no Sol ele já é o segundo cadencial do II-V-I pra F (6º grau), que depois vai virar II cadencial também, mas a harmonia não resolve no acorde esperado e entra em outro II-V .. enfim, não sou tão bom em harmonia, mas posso dizer que essa harmonia apesar de lenta, com poucos acordes, é complexa.

    Lelo Mig
    Membro
    # 17/out/20 12:16 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    Interessante...

    Prá mim tudo isso é grego.

    E olha que toco (não só Corcovado como 80% do repertório clássico da MPB de olhos vendados) e já improvisei dezenas de solos e inúmeras jans cantadas e instrumentais dessa canção, ao vivo, com todo tipo de músico e instrumentistas variados.

    Interessante! Acompanhando o tópico e tentando entender alguma coisa.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Harmonia de Corcovado