Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Abertura de acordes

      Autor Mensagem
      Olho do Milenio
      Veterano
      # jan/05 · Editado por: Olho do Milenio


      Abertura de acordes

      Eu faço aula de teclado há 2 meses, e meu professor me começou a explicar a fazer a abertura de acorde, eu naumentendi direito, me ajudem a entender mais um poudo dessa tecnica.

      yanni540
      Veterano
      # jan/05
      · votar


      Olho do Milenio
      Acordes Abertos e suas Inversões

      Já sabemos que os acordes podem ter suas notas dispostas fora da seqüência natural (por exemplo: 3 5 T ao invés de T 3 5), afim de facilitar a execução e fornecer mais possibilidades melódicas ao bloco de notas executado.
      Além disso, é possível também “abrir” o acorde, fazendo com que a seqüência de notas tenha um espaço no meio. Por exemplo, uma tríade fechada poderia ser executada com três possibilidades de seqüências de notas:
      T 3 5 – 3 5 T – 5 3 T. Mesmo em posições diferentes, as notas sempre obedecem a uma mesma seqüência. Se ao invés de T 3 5 utilizarmos T 5 3, teremos um acorde aberto. O normal seria que a terça estivesse antes da quinta e ao invés disso temos um espaço. Nesse caso, temos ainda outro espaço entre a quinta e a terça.
      O espaçamento maior entre as teclas fará com que o músico se veja quase sempre forçado a utilizar as duas mãos para executar o acorde.
      Geralmente a abertura é usada para acordes com 4 notas ou mais. Esse tipo de acorde, quando fechado, geralmente tem um som bastante tenso. O afastamento entre as notas faz com que os acordes de 4 notas (tétrades) ou mais notas tenha um som mais nítido. Quanto mais espaçamentos (ausência de nota onde num acorde fechado existiria uma nota) forem usados entre os intervalos, mais aberto o acorde fica.

      Exemplos de algumas formas:

      Cmaj 7 – C G E B (3 espaçamentos)
      C G B E (2 espaçamentos)

      G6 – G D B E (3 espaçamentos)
      G E B D (2 espaçamentos)

      Os acordes abertos também possibilitam um dos recursos mais importantes para enriquecer a harmonia: retirar notas da tríade e adicionar outras notas do campo harmônico.

      Exemplos de algumas das formas de como esse recurso pode ser utilizado:

      Cmaj7/9 – C G B D – ausência da Terça maior
      F7/9+ - F A Eb Ab – ausência da Quinta Justa
      C6/9 – E G A D – ausência da Tônica

      Inversão dos Acordes Abertos

      Assim como os acordes fechados, os acordes abertos também podem ser invertidos, o que faz com que cada acorde tenha dezenas de formas diferentes de ser reproduzido. Cabe ao músico conhecer muito bem a sonoridade que cada uma das diferentes disposições das notas vai fornecer. Não existe “a melhor forma de fazer um acorde”, mas cada forma faz com que o acorde tenha uma sonoridade.
      Conhecer bem a sonoridade dos acordes abertos, fechados e suas inúmeras possibilidades de inversões é uma ferramenta fantástica para um músico de bom gosto. Abaixo seguem alguns exemplos de como os acordes são geralmente apresentados numa cifra e como podem ser interpretados pelo músico.

      Exemplos:

      Fm7 – F Ab C Eb (fechado em posição fundamental)
      Ab C Eb F (fechado na 1a Inversão)
      Ab Eb F C (aberto, se iniciando na 3a, com dois espaçamentos)
      Ab Eb F D (igual ao anterior, sem 5a, adicionando 6a / lê-se Fm6/7)

      Db7 – Db F Ab B (fechado em posição fundamental)
      B Db F Ab (fechado na 3a Inversão)
      B F Db Ab (aberto, se iniciando na 7a, com três espaçamentos)
      B F Db Bb (igual ao anterior, sem 5a, adicionando 6a / lê-se Db6/7)

      soruji
      Veterano
      # jul/14
      · votar


      up

      JJJ
      Veterano
      # jul/14
      · votar


      soruji

      "Up" porque não entendeu direito e quer mais explicações? Ou quer dar outra visão? Ou... por quê???

      waltercruz
      Veterano
      # jul/14
      · votar


      o shadad manja bem deses paranauê aí. Cadê ele?

      soruji
      Veterano
      # jul/14
      · votar


      Up para discutirmos melhor sobre esse tema, pois é bastante interessante. Fora isso, é o que estou vendo em aula agora: n possibilidades de se formar um acorde e o contexto em que cada um se encaixa melhor. Além disso, tem também a questão do acorde híbrido, que depende do contrabaixo para se caracterizar melhor. Exemplificando, que acorde seria esse?

      F# - A - B - D ??

      Dependeria do contrabaixo, ou do baixo do piano. Se antes do F# fosse colocado um D, o acorde seria um D6. Se fosse colocado um B, o acorde tendenciaria a um Bm7. E assim desenrolasse um estudo.

      Acho muito bacana estudar acordes, harmonias devido as possibilidades que esse estudo oferece e a dimensão que isso leva. Muitos pianistas que ouço hoje como Bill Evans, McCoy Tyner eu reconheço pelo fraseado e pelas harmonias.

      waltercruz
      Veterano
      # jul/14
      · votar


      soruji
      Bacana. De fato, tem de ter um baixista bem em cima pra poder se aventurar a fazer os acordes mais abertos, coisa que eu só vim a ter de pouco tempo pra cá.

      Como eu estudei um pouco de piano popular apenas, eu uso um jeito meio híbrido de fazer as coisas.... as vezes abro os acordes, as vezes nao.

      Um exemplo mais ou menos: https://soundcloud.com/walteraudio/over-the-rainbow

      elnobre
      Veterano
      # 16/jun/18 11:53
      · votar


      Exemplos de algumas formas:

      Cmaj 7 – C G E B (3 espaçamentos)


      Deixa ver se eu entendi... quer dizer que se esse acorde for executado na 3a oitava teremos C3, G3, E4 e B4?

      LeandroP
      Moderador
      # 16/jun/18 19:13 · Editado por: LeandroP
      · votar


      elnobre

      Eu gosto dessa formação em violão/guitarra.
      Neste acorde tem dois intervalos de 5a ---> 1 e 5 + 3 e 7.

      elnobre
      Veterano
      # 16/jun/18 20:35
      · votar


      LeandroP,

      Não entendi.

      LeandroP
      Moderador
      # 16/jun/18 21:21
      · votar


      elnobre

      Essa formação você tem duas quintas. Tem uma quinta entre a tônica e a própria quinta, e entre a terça maior e a sétima também tem uma quinta. Se arpejar desta forma você percebe a sonoridade de quintas entre os graus que citei.

      fernando tecladista
      Veterano
      # 17/jun/18 14:10
      · votar


      LeandroP
      Mas pra tecladista isso escrito ta parecendo que tá tocando a tetrade fechada

      LeandroP
      Moderador
      # 18/jun/18 09:03
      · votar


      Me perdoem o meu descuido. Editei!
      É disso que estou falando.

      1 e 5 + 3 e 7.

      elnobre
      Veterano
      # 18/jun/18 09:10
      · votar


      Então se for executado em DÓ a partir da 3a oitava fica C3, G3, E4 e B4?
      É assim ou eu entendi errado de novo?

      LeandroP
      Moderador
      # 18/jun/18 09:14
      · votar


      elnobre

      Isso!

      fernando tecladista
      Veterano
      # 24/jun/18 10:11
      · votar


      pra teclado/piano os métodos se referem ao terno "distribuição de acorde"

      a esquerda toca os I e VII e a direita a III e V

      e vai alternando com a
      esquerda tocando I e V e a direita III e VII

      evita-se repetir notas
      as vezes pode se emitir a V porque ela já está nos harmônicos das outras notas

      evitar aquela mão esquerda de capitão gancho oitavando a tônica
      claro que tudo tem exceção, sempre aquela coisa há estilos, sonoridade que se quer e etc...

      dom de Deus
      Veterano
      # 29/jun/18 20:21
      · votar



      evitar aquela mão esquerda de capitão gancho oitavando a tônica


      É mesmo?

      fernando tecladista
      Veterano
      # 30/jun/18 17:14
      · votar


      dom de Deus
      isso foi uma pergunta de dúvida, de espanto ou de zoeira?
      ou pergunta de alguém que está pensando em aprender teclado pra saber o que estou falando?

      dom de Deus
      Veterano
      # 01/jul/18 08:38
      · votar


      fernando tecladista

      Vdd ficou meio irônico. Foi mal


      Tenho um tecladinho aqui e estou arriscando uns acordes.

      Você não é a primeira pessoa que já vi falar isto. Mas quero entender o motivo? Apesar de não usar a mão capitão de cancho.

      Mão capitão de cacho é aquela que pega a tônica quinta e oitava?
      Qual ponto negativo dela? Desconforto? Ou não acrescenta muita coisa na música ?

      fernando tecladista
      Veterano
      # 01/jul/18 18:51
      · votar


      dom de Deus

      como comentei, vai do estilo
      dependendo do estilo não tem muito o que fazer, tem musica que a sonoridade é só power chord só vira tônica e quinta, nem a terça se encaixa
      ou estilos como um sertanejão corre mais a triade, as vezes a sétima pra fazer passagem e só, não dá pra enfeitar

      mas em estilos como jazz, bossa, samba, gospel
      até algo mais simples como um bolero ou pop mais romântico
      até nos pagodes anos 90 cai bem

      que tem uma riqueza maior nos acordes
      ai o tecladista chega lá toca 6 notas nas mãos
      Do1 Do2 / direita com Do3 mi sol Do4...

      seis dedos pra tocar 4 notas diferentes
      ai que começa entrar os enfeites colocar a sétima maior, sexta, colocar uma nona,.... colocar alguns diminutos nas passagens

      eu estudei essas coisas fica lindo, mas como por ai só ando tocando ultimamente, sertanejo, ando esquecendo

      dom de Deus
      Veterano
      # 01/jul/18 22:57
      · votar


      fernando tecladista
      Certo, valeu

      Entendi.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Abertura de acordes

      306.407 tópicos 7.907.220 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital