Qualidade da Madeira da Amendoeira da Praia

Autor Mensagem
artplas
Membro Novato
# jan/17


Olá. Outro dia vi uma madeira de amendoeira da praia cortada na rua e achei muito bonita a madeira de coloração avermelhada e veios que lembram o cedro e o mogno muito usadas na confecção de guitarras e violões. Levei um pedaço para casa para testar o corte e o aparelhamento e gostei do resultado. É uma madeira de densidade moderada e rígida para curvatura. Gostaria de saber se existe algum tipo de estudo na área para verificar a acústica (resposta sonora da madeira) e a viabilidade no uso para fabricação de instrumentos musicais. Como disse, a primeira vista é atrativa, e se comprovado a existência de qualidades desejáveis na acústica dessa madeira, ficaria bem mais barato a confecção de uma guitarra de qualidade a baixo custo, visto que o preço do cedro e do mogno são quase proibitivo.

Felipe Stathopoulos
Membro Novato
# jan/17
· votar


Desconheço, mas leva num luthier e vê o que ele fala. Depois volta aqui e conta pra gente.

renatocaster
Moderador
# jan/17
· votar


Qualidade da Madeira da Amendoeira da Praia

Deve funcionar bem, afinal de contas, madeira quase não influencia no timbre.

#paz

The Man Who Sold The World
Veterano
# jan/17
· votar


renatocaster
madeira quase não influencia no timbre.
ok...
o que faz uma stratocaster soar tão diferente do que uma les paul
e uma les paul de 300 reais soar diferente de uma de 9 mil que soa diferente de uma de 300 mil?
entenda, só quero compreender melhor sua teoria (que é diferente da minha)
voce diz que os responsáveis por tudo são os captadores?

Felipe Stathopoulos
Membro Novato
# jan/17
· votar


The Man Who Sold The World

Me metendo na discussão (sempre no intuito de aprender):

"o que faz uma stratocaster soar tão diferente do que uma les paul"

Tudo, a começar pelo projeto em si.

"e uma les paul de 300 reais soar diferente de uma de 9 mil que soa diferente de uma de 300 mil?"

Projeto, captadores, parte elétrica, ferragens, cordas, escala do braço, material do braço, trastes, regulagem, todo o resto e, lá no finalzinho, a madeira do corpo.

Minha opinião modesta sobre a velha polêmica:

- uma LP de 3K vai soar BEM melhor do que uma de 300 mangos;
- uma LP de 9K vai soar um pouco melhor que uma de 3K;
- daí pra cima a diferença - sempre lembrando que estamos falando em termos apenas de SOM - vai ser ínfima, se é que perceptível.

Já uma guitarra de 300K já deixou há muito de ser um instrumento e se tornou um item de colecionador. Pra quaisquer fins práticos (ninguém - a não ser que seja muito famoso, muito rico, muito louco ou tudo isso junto - vai "tocar" realmente com uma guitarra dessas) deixou de ser um instrumento musical.

Abç

renatocaster
Moderador
# jan/17
· votar


The Man Who Sold The World

Na verdade eu fui meio debochado, mas já que vc levou à sério, vou responder as impressões que eu tenho:

o que faz uma stratocaster soar tão diferente do que uma les paul

O tipo de construção, obviamente.

e uma les paul de 300 reais soar diferente de uma de 9 mil

Soar diferente quanto? Vc é capaz de quantificar o quanto elas podem soar diferente? E, ainda por cima, consegue provar que isso está diretamente relacionado à madeira?

Uma guitarra soar diferente da outra depende de uma séries de fatores, e a parcela da madeira nessa conta é mínima.

entenda, só quero compreender melhor sua teoria (que é diferente da minha)

A minha teoria é a seguinte: A madeira influencia? Sim. Mas influencia muito? Ao meu ver, não.

The Man Who Sold The World
Veterano
# jan/17
· votar


Felipe Stathopoulos
- uma LP de 3K vai soar BEM melhor do que uma de 300 mangos;
- uma LP de 9K vai soar um pouco melhor que uma de 3K;

acredito que isso serve pra qualquer coisa, concordo contigo, falo mesmo por algo que sou vidrado, que são fones de ouvido

renatocaster
O tipo de construção, obviamente.
que inclui nesse projeto, as madeiras utilizadas =)

Soar diferente quanto? Vc é capaz de quantificar o quanto elas podem soar diferente? E, ainda por cima, consegue provar que isso está diretamente relacionado à madeira?
vamos lá:
pegue duas guitarras, uma que segue um projeto "veridico" de uma gibson les paul (1 ou 2 pedaços de mogno no corpo, tampo de 2 pedaços de maple, escala em jacaranda e braço de 1 pedaço de mogno e o headstock com aquela colagem tosca la em 3 pedaços)
e pegue uma gibson da decada de 80 ou uma epiphone cheia de colagens e madeiras de segunda linha que ninguem sabe que madeira é
ai coloque a mesma eletrônica nela, mesmo TUDO, o aproveitamento que tu vai ter com uma guita com boas madeiras vai ser maior

é tipo assim, madeiras ruins limitam o aproveitamento do seu hardware, entende?

RESUMINDO: eu acho que madeira é igual cabo, não faz milagre, mas podem empurrar teu timbre ou matar ele, acho que tem uma boa parcela sim de contribuição

artplas
Membro Novato
# jan/17
· votar


Pessoal, só quero saber se há qualidades sonoras na madeira de Amendoeira da Praia. A mesma madeira tem vários nomes nas diversas regiões do Brasil, como: Sete Copas, Castanhola, Castanheira da Praia, Amêndoa, enfim... Quem quiser pesquisar mais vai ai dois links.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Amendoeira-da-praia
http://www.fazfacil.com.br/jardim/amendoeira-da-praia-terminalia-catap pa/

A madeira é de origem asiática e é resistente à água, ou seja, já tem um boa qualidade - creio eu - de não sofrer muitas variações devido a umidade como empenos e torções. Ela é muito usada por nativos da indonésia que a utilizam na confecção de canoas. Aqui onde moro, existem muitos exemplares antigos nas ruas e de vez em quando a prefeitura desbasta os galhos e e cortam essas árvores quando elas causam algum risco a população e a rede elétrica. Tem árvores que eu calculo ter mais de 50 anos, com tronco com circunferência de de 90 cm ou mais. Inclusive estas de mais idade, algumas apresentam deformações que lembram rádicas, devido as constantes podas dos galhos. A madeira dessas partes deformadas tem um desenho bem bonito, com os veios encaracolados cheios de nós. Não é bem uma rádica mas lembra as qualidades. Essas madeira são muitas vezes aproveitadas por padarias, sendo que algumas viram móveis rústicos. É muito bonita mesmo a madeira e queria saber se ela tem qualidades acústicas para serem aproveitadas no ramo de instrumentos musicais, especificamente guitarras.

KalukaGuitar
Membro Novato
# jan/17 · Editado por: KalukaGuitar
· votar


artplas

Ela é muito usada por nativos da indonésia que a utilizam na confecção de canoas.

Conhece alguma guitarra com essa madeira?

artplas
Membro Novato
# jan/17
· votar


Não.

artplas
Membro Novato
# jan/17
· votar


Mas, se eu puder comprovar que ela tem ao menos um timbre próximo ao mogno, ao cedro e até mesmo o marupá, eu mesmo pretendo fazer uma guitarra com essa madeira.

rafael_cpu
Veterano
# jan/17
· votar


renatocaster
Deve funcionar bem, afinal de contas, madeira quase não influencia no timbre.

#paz


uashuahsuashaush
uahsuashasuahsua

:))


artplas

Eu não conheço... nunca ouvi falar.

Tente perguntar ao Bertola, no tópico oficial de perguntas: http://forum.cifraclub.com.br/forum/3/254925

T+

renatocaster
Moderador
# jan/17
· votar


The Man Who Sold The World

Eu esperava uma resposta mais objetiva, e não subjetiva. Mas tbm nem precisa, pq já fizeram uma pá de testes por aí afora e nenhum deles conseguiu se mostrar totalmente satisfatório.

Pedaço disso, pedaço daquilo, colagem tosca, camadas, etc...isso daí não é problema de madeira, isso é a CONSTRUÇÃO do instrumento que é mal feita. Um instrumento mal construído soará ruim independente da madeira utilizada.

é tipo assim, madeiras ruins limitam o aproveitamento do seu hardware, entende?

A minha opinião é a seguinte: Uma boa madeira ajuda na construção do instrumento, no que diz respeito ao aspecto físico mesmo. Porque se vc usar uma madeira ruim, vc terá problemas com a regulagem do instrumento e isso vai prejudicar a tocabilidade no futuro.

Quanto à influencia no timbre, eu sou bastante cético. Em instrumentos sólidos? Pouquíssima influencia. Em instrumentos semi acústicos, aí sim a influência pode ser maior.

Iversonfr
Veterano
# jan/17 · Editado por: Iversonfr
· votar


renatocaster
Deve funcionar bem, afinal de contas, madeira quase não influencia no timbre.
#paz


Você só quer ver o circo pegar fogo hein! rs

juninholiveira
Veterano
# jan/17
· votar


Eu volto depois de 5 anos e ainda discutem se madeira influi ou não? Acho que guitarristas nunca vão parar de discutir isso, é que nem discussão de futebol, nunca termina. A diferença é que os times de futebol mudam com o tempo, então tem assunto, mas madeira é o mesmo pau de arara desde o começo dos tempos, e ainda consegue render assunto.

Buja
Veterano
# jan/17
· votar


Eu nem entro mais nessas discursoes. Limebro uma vez que na discursao tinha até calculo quantico da curvatura do espaco-tempo gravitacional do mogno aqui, e até agora ninguem se convence de nada.

Delson
Veterano
# jan/17
· votar


renatocaster
Deve funcionar bem, afinal de contas, madeira quase não influencia no timbre.

Você tocou numa ferida que já estava cicatrizando... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

renatocaster
Moderador
# jan/17
· votar


Delson
Iversonfr
rafael_cpu

Você tocou numa ferida que já estava cicatrizando... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Você só quer ver o circo pegar fogo hein! rs
uashuahsuashaush
uahsuashasuahsua


kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk....

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# jan/17
· votar


Madeiras para confecção de instrumentos TEM QUE TER certas características físicas específicas. As demais, não são boas para esse míster.
Não conheço essa madeira, nem nunca ví nenhum colega meu usá-la, portanto, eu simplesmente a descartaría para isso.
As características necessárias são:
Densidade, variando entre 0,37 a 0,63 g/cm³
Velocidade de propagação, de
3456 a 5053 m/s
Decaimento logaritmo baixo
Elasticidade na flexão estática e resistência à rupturas e rachaduras ao secar
Grã direita e textura fina.
Abç

pedropohren
Membro Novato
# jan/17
· votar


Eu já ia me meter e explicar de novo, mas já que o Bertola foi curto e grosso desse jeito, nem vou me dar ao trabalho... :P

pedropohren
Membro Novato
# jan/17
· votar


renatocaster
Quanto à influencia no timbre, eu sou bastante cético. Em instrumentos sólidos? Pouquíssima influencia. Em instrumentos semi acústicos, aí sim a influência pode ser maior.


É exatamente o contrário: A madeira e o ar possuem propriedades acústicas absurdamente diferentes... Se em um semi acústico existe, na maioria dos casos, MUITO ar dentro (devido ao tamanho das caixas reverberatórias) e nos sólidos só existe a madeira, em qual dos casos as propriedades acústicas e mecânicas da peça de madeira utilizada influenciariam mais?

makumbator
Veterano
# jan/17
· votar


pedropohren
e nos sólidos só existe a madeira, em qual dos casos as propriedades acústicas e mecânicas da peça de madeira utilizada influenciariam mais?

Os testes mais científicos variam entre um resultado inconclusivo a uma comprovação de influência mínima no timbre (pra não dizer nula) em instrumentos elétricos sólidos. Por mais que o senso comum diga que seria o contrário, ao que parece a natureza não concorda.

pedropohren
Membro Novato
# jan/17
· votar


A influência no TIMBRE é mínima. 15%, pra ser preciso. Contra 80% da captação, da ordem que for (elétrica, piezo, etc) e 5% divididos entre o restante do hardware. O que a madeira REALMENTE influencia, é mecânicamente. Na resposta que o instrumento terá a cada frequência, quanto das frequências emitidas pelas vibrações das cordas será realmente "sentido" pelos captadores e quanto se perderá na madeira, quanto será "realimentado" às cordas por fluir de um ponto a outro do instrumento (ai entra também a junção do braço...) e principalmente como o instrumento vai "trabalhar" em relação à umidade e calor, etc...

makumbator
Veterano
# jan/17
· votar


pedropohren
A influência no TIMBRE é mínima. 15%, pra ser preciso. Contra 80% da captação

Não é o que os testes que já li sobre mostram. A influência fica longe dessas porcentagens que você postou. É mais próxima de zero do que de 15%.

a resposta que o instrumento terá a cada frequência, quanto das frequências emitidas pelas vibrações das cordas será realmente "sentido" pelos captadores e quanto se perderá na madeira, quanto será "realimentado" às cordas

Nada disso fica evidente nos testes. A madeira pode vibrar o quanto quiser, mas nada disso chega a ser amplificado pelo captador em quantidade perceptível para influenciar no timbre final.

boblau
Veterano
# jan/17
· votar


makumbator
Não é o que os testes que já li sobre mostram.

Eu nunca encontrei nenhum "teste" que fosse minimamente científico. Principalmente porque utilizam meios de leitura dos dados que são infinitamente, mas infinitamente mesmo, menos sensíveis do que a percepção humana. Os mesmos equipamentos que supostamente estão "lendo" os timbres nestes testes, são aqueles que não conseguem diferenciar a voz de uma pessoa para outra, porque, se conseguissem, a biometria seria muito fácil de se alcançar do que é feito hoje.

O que eu acredito é na palavra de quem entende realmente do assunto e mostra, na sua frente, a influência em determinado instrumento e explica o porque.

Claro que se o teu público é aquele que não diferencia um timbre de um captador single de um humbucker, ou entende que captador ativo é a mesma coisa que um passivo com um pedal, aí não tem diferença nenhuma mesmo de timbre entre madeiras. Se for guitarrista tocando em hi-gain, também tanto faz.

MMI
Veterano
# jan/17
· votar


Mauricio Luiz Bertola

Sem polemizar, mas vira e mexe eu vejo madeiras que nunca tinha ouvido falar e nem por isso descartaria. Semana passada mesmo vi uma do Kostal (excelente luthier!) usando uma tal de Manchinga peruana que deu um super violão, lindo também. Nessa onda de madeiras alternativas, sustentabilidade, ecologicamente correto e talvez mesmo um visual diferenciado tem um monte de opções que talvez em boas mãos possa dar um resultado bom. Boa parte dos fornecedores de madeira gringos estão oferecendo essas madeiras alternativas.

boblau

Eu nunca encontrei nenhum "teste" que fosse minimamente científico.
O que eu acredito é na palavra de quem entende realmente do assunto e mostra, na sua frente, a influência em determinado instrumento e explica o porque.

Basicamente isso.

makumbator
Veterano
# jan/17
· votar


boblau
Eu nunca encontrei nenhum "teste" que fosse minimamente científico.

Eu já. Inclusive um bem legal patrocinado pela associação internacional de contrabaixo. Mas tem tanto tempo que nem tenho link ou coisa parecida.


O que eu acredito é na palavra de quem entende realmente do assunto e mostra, na sua frente, a influência em determinado instrumento e explica o porque.

Eu levo em conta a palavra de quem trabalha com madeira (um dos meus grandes amigos na música foi um luthier já falecido), mas também preciso levar em consideração eventuais testes, uma vez que a palavra de quem trabalha com madeira ao mesmo tempo possui experiência mas viés.

Mas a gente está desvirtuando o tópico né. Basicamente por culpa do Renatão. Heheheh!

renatocaster
Moderador
# jan/17
· votar


boblau
makumbator
MMI
pedropohren

Mas a gente está desvirtuando o tópico né. Basicamente por culpa do Renatão. Heheheh!

Coloquei "lenha na fogueira"! Olha o trocadilho, hahahaha!

Falei mais na brincadeira, mas na minha opinião a influência da madeira no timbre final é mínima. Bem pequenina, que quando vc adiciona outros elementos (amp, efeitos, drives, etc) essa pequena diferença praticamente some. Então, pra mim, beira o irrelevante o tipo da madeira.

Isso falando no som, é claro. Eu acho que a madeira é mais importante no aspecto da construção. Não dá pra sair construindo um instrumento com qualquer pau de goiabeira que se encontra por aí. Como o Bertola frisou ali acima, "Madeiras para confecção de instrumentos TEM QUE TER certas características físicas específicas."

Mas enfim, é a minha opinião, apenas. E ela é bem pessoal, passional, parcial, superficial...hahaha!

makumbator
Veterano
# jan/17
· votar


renatocaster
Coloquei "lenha na fogueira"! Olha o trocadilho, hahahaha!

Acho que é o segundo tópico que você faz isso! Hahah!

Não dá pra sair construindo um instrumento com qualquer pau de goiabeira que se encontra por aí. Como o Bertola frisou ali acima, "Madeiras para confecção de instrumentos TEM QUE TER certas características físicas específicas."


Concordo totalmente. Há questões além do pretenso timbre que precisam ser levados em conta no material. Aspectos não apenas físicos da construção, mas econômicos (afinal o preço importa) e de aparência (a estética também é importante).

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# fev/17
· votar


MMI
Pesquise sobre as características físicas da madeira que vc citou (e que desconheço), e verá que ela possui características dentro dos parâmetros que citei acima.
Abç

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Qualidade da Madeira da Amendoeira da Praia