Vapor Trails (Rush): uma coleção de timbres tenebrosos

Autor Mensagem
erico.ascencao
Veterano
# nov/14


Quem conhece este álbum sabe do que estou falando. As músicas são lotadas de overdubs e os timbres são muito "chatos" - pra ser gentil.

Aí vai um exemplo:



Dissertem.

JJJ
Veterano
# nov/14
· votar


Na verdade, o problema é que o timbre (e tudo mais) foi totalmente achatado neste disco. Ele é um dos produtos mais emblemáticos da "loudness war". O resultado: uma merda de som, a despeito das músicas (se bem que essa, pra mim, é a pior fase do Rush, musicalmente também). Engraçado... estava pensando nisso hoje... transmimento de pensação... hehehe

erico.ascencao
Veterano
# nov/14
· votar


JJJ
Eu, como fã dos caras, entendo todo o contexto da criação deste álbum e por isso respeito bastante este momento da banda. Mas em termos de qualidade sonora, é bem ruim - mesmo considerando uma remixagem que foi feita e lançada há poucos anos.

entamoeba
Membro Novato
# nov/14
· votar


Esse foi o primeiro disco do Rush que não ouvi direito. Não conheço nenhuma música dele. Simplesmente não me animou! Parei no T4E, que é um disco que eu gosto pra caralho, e nunca mais quis saber de ouvir coisas novas dos caras.

JJJ
Veterano
# nov/14
· votar


entamoeba
erico.ascencao

Pra mim, o Rush foi ladeira abaixo, depois do Signals. Nunca chegou a ficar horrível, mas não há comparação (pra mim) entre o que eles fizeram na primeira metade de vida (2112, Farewell to Kings, Hemispheres, Permanent Waves, Moving Pictures, etc) com a segunda (Counterparts, Test for Echo, Vapor Trails, Snakes & Arrows, etc). É quase como se fossem duas bandas diferentes.

makumbator
Veterano
# nov/14
· votar


erico.ascencao

Como o JJJ comentou, esse álbum é um dos exemplos mais perfeitos do mau gosto da loudness war, juntamente com outras perolas do massacre auditivo, como o Death Magnetic do Metallica e o Dance of death do Iron Maiden (esse último além da dinâmica comprometida, ainda tinha DRM no CD).

BrunoRodrigues
Veterano
# nov/14
· votar


erico.ascencao

Guardo esse disco no "lado das boas lembranças" pq foi justamente nessa turnê que fui ao primeiro Show do Rush.

Bons tempos ! ! !

#BrunoRodrigues

JJJ
Veterano
# nov/14
· votar


BrunoRodrigues

Fui nesse show. Inesquecível, mas por causa das músicas mais antigas! hehehe

BrunoRodrigues
Veterano
# nov/14
· votar


JJJ

Foi mais ou menos o meu caso - kkkkkk...

Lembro de ter pago 50 pratas pelo ingresso (pista) e devido ao "trago" que tomamos na ida passei mal, fui atendido e depois fiquei bem em frente ao palco, nas cadeiras.

Isso tudo em Porto Alegre/RS.

Falow ! ! !

#BrunoRodrigues

erico.ascencao
Veterano
# dez/14
· votar


Mais uma informação interessante: o Alex Lifeson usou mais de 50 guitarras pra gravar este álbum.

BrunoRodrigues
Veterano
# abr/15
· votar


erico.ascencao

"Mais uma informação interessante: o Alex Lifeson usou mais de 50 guitarras pra gravar este álbum."

Tô pensando em fazer o mesmo no meu próximo disco.

Detalhe: Está faltando só 48 guitarras ! ! !

:)

JJJ
Veterano
# abr/15
· votar


erico.ascencao

E todas elas ficaram com som de bosta! kkkkkkkkkkkkkkkk

BrunoRodrigues
Veterano
# abr/15
· votar


JJJ
"E todas elas ficaram com som de bosta!"

Se o Alex Lifeson ver esse tópico vai ficar profundamente decepcionado - kkkkkk...

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# abr/15
· votar


entamoeba
Esse foi o último disco do Rush que comprei. Todos os outros posteriores eu "baixei", mais para ter do que outra coisa (coisa de fã), pois concordo (mas não sou tão radical quanto) com o JJJ... Tem uma coisa boa ou outra, mas, no geral, os discos são irregulares, mesmo o bom "Counterparts", que considero o último bom deles...
Abç

sebber
Veterano
# abr/15
· votar


Achei que eu fosse um tipo raro, pois também só gostei até o Grace Under Pressure. O estilo dos álbuns seguintes não me agradou.

Desvirtuando de leve, mas ainda sobre timbres... Aproveito para levantar a questão que perguntei em outro tópico sobre a banda, sobre o som da guitarra na música "Red Sector A":

Essencialmente, quais efeitos são utilizados? Não me refiro às marcas, mas aos efeitos genéricos, por exemplo, delay com muito feedback, reverb, chorus, etc.

Ele parece simples, mas ainda acho que tem uma sacada que não identifiquei.

Flws

boblau
Veterano
# abr/15
· votar


sebber

Nos anos 80 eu tocava numa banda que fazia cover do Rush. Nos álbuns Signals, Grace Under Pressure e Hold Your Fire, o Rush mudou a sonoridade ampliando o leque de timbres de guitarra e deixou as músicas mais leves (quase um New Wave, rsrsrsr).

Para soar bem Red Sector A (Enemy Within também era assim) me lembro de usar um delay (DD-2) somente para tirar o ataque (twack) do single da ponte. Eu cortava o ataque deixando o decay. Dava para fazer com um compressor também mais aí estragava o resto do timbre. Colocava um pouco de chorus e reverb. Para mim a sacada era que vc podia "sentar a mão" nas cordas e não tinha o ataque inicial. Com isso o timbre aparecia.

sebber
Veterano
# abr/15
· votar


boblau

Obrigado pela explicação, vou tentar seguir esses princípios.

No meu caso, terei que estragar o timbre rsrs, pois uso uma multiefeitos, e a configuração de ataque é no compressor. Vlw.

Headstock invertido
Veterano
# abr/15
· votar


Curiosamente, também paro de ouvir quando termina o Test For Echo.

Vapor Trails, Feedback e Snakes & Arrows pra mim são dispensáveis musicalmente. Como uma mancha negra na discografia.

Mas pra quem "desistiu" dos caras, ouçam o Clockwork Angels, onde eles retomaram a genialidade de forma brilhante e lançaram um disco parrudo o suficiente pra competir com os grandes clássicos.

Sobre timbres legais em overdubs, eu amo de paixão aqueles "rugidos" que o Alex dá em 'Big Money'.

Mauricio Luiz Bertola
Veterano
# abr/15
· votar


Headstock invertido
Acho que "Feedback" é à parte.
Até porque é um disco de versões.
A versão de "Heart full of souls" do Yardbirds é genial!
Abç

tito lemos
Veterano
# abr/15
· votar


Tenho um carinho especial pelo Vapor Trails, comecei a ouvir Rush na turnê dele. Mas confesso que o que me atraiu foram as versões ao vivo (mais especificamente do dvd Rush In Rio). Quando ouvi o disco depois, estavam lá todas aquelas canções que eu tanto gostei (Earthshine, One Little Victory, Secret Touch), mas com uma sonoridade horrível. Eu não consigo ouvir o disco em si todo, cansa de tão comprimido.

Já o Snakes and Arrows eu considero muito bom, melhor que o Test for Echo e pau a pau com o Counterparts (acho que gosto mais dele do que do Counterparts, depende da fase da lua hehehe). Mas de fato, desde o Presto pra cá, nenhum compete com os grandes clássicos.

boblau
Veterano
# abr/15
· votar


sebber

mais um coisa imprescindível para tocar Red Sector A: ponte flutuante bem ˜mole˜. Na minha Ibanez tenho uma Kahler que é perfeita.

entamoeba
Membro Novato
# abr/15
· votar


O Rush não é uma banda presa ao passado. Dá pra notar claramente qual é o Rush setentista, qual é o oitentista e qual é o noventista (e gosto dos três).

Talvez o Rush da década de 2000 não seja legal porque o período não foi muito legal para o rock, de uma maneira geral.

Headstock invertido
Veterano
# abr/15
· votar


Vocês não gostaram do Clockwork Angels?

Eu amei esse disco e pra mim foi uma prova de que o Rush não é uma banda qualquer que se esgota com o tempo e o trabalho vai perdendo qualidade.

Depois de mais de 40 anos, os caras, já velhos carcumidos (menos o Geddy que parece ser imortal) lançam uma obra de arte dessa. É pra aplaudir de pé.

JJJ
Veterano
# abr/15
· votar


Headstock invertido
Vocês não gostaram do Clockwork Angels?

Depois de tantos discos meia-boca eu confesso que fiquei meio sem saco de ouvir esse com a devida atenção. Mas depois de tantos elogios, vou arrumar um tempo pra ouvir com calma.

Headstock invertido
Veterano
# abr/15 · Editado por: Headstock invertido
· votar


JJJ
Eu, particularmente, adorei.

Os destaques, na minha opinião, são Headlong Flight (a minha preferida do disco e que tem um baixo fodidamente fodido), The Wreckers e The Garden (linda).

Outras que gosto muito são Wish Them Well, B2B, Caravan e Clockwork Angels.

As outras são boas também, só não me encantaram tanto quanto essas.

renatocaster
Moderador
# abr/15
· votar


Ninguém mencionou aqui, mas acho o Roll the Bones um puta disco.

tito lemos
Veterano
# abr/15
· votar


renatocaster
Gosto muito do Roll The Bones também. Curto muito uma música desse disco que eles nunca tocaram ao vivo, Face Up. Ghost Of A Chance também é muito legal. Quem não desce muito redondo é Neurotica, sempre torci o nariz pra ela e seus "uuuhss".

JJJ
Veterano
# abr/15 · Editado por: JJJ
· votar


renatocaster

O Roll the Bones tem coisas boas, sim...

E tem uma do Counterparts que eu acho fodésima e é pouco falada que é Speed of Love.

https://www.youtube.com/watch?v=4rV8Su5OWjI

Headstock invertido
Veterano
# abr/15
· votar


Quem não desce muito redondo é Neurotica

Já eu adoro ela. Justamente os "uuuhs" que me cativaram. É melodicamente bonito e meio diferente. Vocalização nunca foi muito comum nos trabalhos do Rush.

renatocaster
Moderador
# abr/15
· votar


tito lemos

Ghost Of A Chance também é muito legal.

Sim, me amarro nessa música! Também gosto muito das 3 primeiras faixas (Dreamline, Bravado e Roll the Bones).

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Vapor Trails (Rush): uma coleção de timbres tenebrosos