Sobre a monetização de vídeos no Youtube - Depoimento de Mateus Starling

    Autor Mensagem
    renatocaster
    Moderador
    # set/14


    Li esse depoimento no Facebook do Mateus Starling e achei interessante compartilhar aqui. Acho que existe muito mito sobre esse lance da monetização de vídeos no Youtube. Já vi nego afirmar que ganha 500 dólares por mês em média com seu canal de vídeos sobre guitarra no Youtube. Bom, não que isso seja impossível, mas um canal de vídeos sobre guitarra, que tem um público bem específico, acho muito difícil chegar nessas cifras. Talvez só os tops dos tops dos tops em termos de visualizações, e olhe lá.

    Bom, aí vai o depoimento do Mateus sobre o assunto, que ao meu ver, é um tanto quanto esclarecedor. No depoimento ele fala em valores, mas como ele não viu problemas em postar isso publicamente no Facebook, então eu acho que não tem problema repostar aqui, rsrsrsrs.

    Hoje eu recebi minha primeira grana do youtube dos videos monetizados.
    Recebi na minha conta 883,86 reais depois dos descontos. Isso é a receita proveniente de 2 anos de monetização do meu canal, enfim, dá menos de 100 reais por mês, não dá para ganhar dinheiro com isso, mas a galera que tem curiosidade a respeito do assunto o meu canal tem quase 7 mil inscritos e 531 mil visualizações.
    Monetizar o canal é simples, nem lembro como foi o processo mas isso é fácil (procure no google), o mais difícil foi receber a grana na conta, ai foi osso, rs....porque no fim das contas vc precisa do swift number e do IBAN.
    O swfit number é padrão por banco e numa busca do google você acha, ja o IBAN o gerente da sua conta precisa gerar.
    Fica ai dica para quem quer fazer o mesmo.


    makumbator
    Veterano
    # set/14 · Editado por: makumbator
    · votar


    renatocaster

    Por isso que não monetizo os meus. Só é vantagem financeira para o Google, além de encher o saco de quem assiste (eu tenho bloqueio total de anúncios do youtube no meu navegador, então nada mais coerente do que não querer que outros sofram com essa publicidade intrusiva).

    Apenas os vídeos que são covers de material protegido (e que tranquilamente reconheço no meu gerenciador de videos) é que são monetizados (revertendo para os detentores dos direitos).

    Quase todos os meus vídeos (que são em sua maioria feitos a partir de música em domínio público, com arranjos e execução de minha autoria) são livres de anúncios.

    Obviamente não vejo mal nenhum em quem (como o Mateus) faz uso da monetização, mas eu prefiro não usar.

    d.u.n.h.a.
    Veterano
    # set/14
    · votar


    Pois é, tenso isso aí...
    Acho que o negócio só fica realmente interessante pra nego tipo o Rob Chappers, com canal com mais de 67 milhões de views.
    Pros mortais, fica complicado.

    renatocaster
    Moderador
    # set/14
    · votar


    makumbator
    d.u.n.h.a.

    É, acaba não sendo muita vantagem mesmo. A margem de lucro com isso é absurdamente pequena. Por isso que tem uma galera partindo para os Patreon da vida.

    JoaoAgs1
    Veterano
    # set/14
    · votar


    O Yahoo pretendia lançar uma plataforma de vídeos com a promessa de melhor premiar os editores de vídeos.

    http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2014/05/yahoo-lancara-seu-propr io-portal-de-video-para-concorrer-com-youtube.html

    Não sei se é esse site aqui: https://br.screen.yahoo.com/

    MMI
    Veterano
    # set/14
    · votar


    renatocaster

    Pois é... Prover conteúdo para a internet, especialmente para esses gigantes da internet, não vai dar sustento para ninguém.

    Sobre isso vou postar um vídeo de uma cara que produziu caras como Metallica, Red Hot Chili Peppers, Weezer, Audioslave, Linkin Park, Green Day, U2, Neil Diamond, Iggy Pop, Ozzy, Black Sabbath etc. Neste vídeo, Andrew Sheps fala de monetização na internet (entre outras coisas), em 12:50 min. Basicamente, ele conclui que o público precisa se conscientizar que aquilo que gosta precisa pagar de alguma forma para que o esforço valha a pena, já que o Youtube, por exemplo, paga muito mal e não resolve. Acho que ele fala muita coisa interessante, inclusive quem curte gravação é uma boa aula. Desculpem, mas não vou traduzir tudo... rs



    Lelo Mig
    Membro
    # set/14 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    renatocaster

    Passei prá ler os "comments", observar as opiniões, ver um bom vídeo como o que o MMI postou... resumindo, tentar aprender/conhecer sobre o tema.

    Sinceramente, tá aí um assunto que não tenho opinião nenhuma a respeito, muito menos a dar.

    "Eu tenho a minha opinião até eu mudar de ideia" (Socrates)

    Gabriel Landim
    Veterano
    # set/14
    · votar


    Marcando.

    Snakepit
    Veterano
    # set/14 · Editado por: Snakepit
    · votar


    Eu trabalho com isso (não com videos exatamente, mas com ads) e afirmo com todas as letras que pra fazer dinheiro vc precisa ter muita visualização.

    Não estou falando de alguns mil, to falando de milhões de visualização.

    Sobre o YT especificamente:

    Acho que existe um grande fator aqui que é a lei da oferta e demanda. Todo mundo quer fazer um canal, videos, etc, virar viral e aí por diante. Com os iMovies da vida, isso também se tornou extremamente facil. Sendo assim, não existe a minima necessidade do Google pagar mais pra isso, pois os "produtores" já foram devidamente convencidos a trabalhar de graça ou por pouco.

    Outra coisa: sem o YT teu video não teria publico. Sendo assim, o YT fornece publico pro teu video, e não o contrario. O Google sabe disso e explora essa situação, por isso acaba pagando menos ainda, pois sabe que voce depende do YT e não o contrario.

    Concordo com o produtor ali naquele video, falou pouco mas falou a realidade. Os serviços de streaming já beneficiam apenas os grandes da industria, pois são os únicos que movem milhões. Além disso, são os únicos que conseguem inverter o caminho do que eu falei no parágrafo anterior. Mas isso sempre vai ser assim, só que pelo menos esses serviços democratizaram o "tiro na lua", todo mundo tem a chance de ir lá tentar sem depender de ninguém.

    Mas apesar de toda dificuldade acho valido o esforço da galera desde que encarem isso como um second job, um hobby que da uma graninha pra comprar um presente no natal e tal.

    Por fim, apenas uma coisa: o pessoal precisa abrir os olhos sobre o Google, eles vendem essa imagem de "free", de serviços bacanas e gratuitos mas por trás disso os motivos não são nada nobres. Estou sendo generoso com essas palavras, pra não falar coisa pior...

    clebergf
    Veterano
    # set/14
    · votar


    renatocaster

    Esse é um tema que dá pano para a manga...eu particularmente acho legal como meio de divulgação. Com o som que eu toco e posto jamais irei virar viral, então nem sonho com isso..rs..

    MMI

    Depois irei dar um bizu no video.

    Snakepit
    Por fim, apenas uma coisa: o pessoal precisa abrir os olhos sobre o Google, eles vendem essa imagem de "free", de serviços bacanas e gratuitos mas por trás disso os motivos não são nada nobres. Estou sendo generoso com essas palavras, pra não falar coisa pior...

    Pois é...inocente daqueles que pensam que eles estão ai para democratizar a internet...xD

    MMI
    Veterano
    # set/14
    · votar


    clebergf

    Pois é...inocente daqueles que pensam que eles estão ai para democratizar a internet...xD

    Algo que serve para reflexão. O U2, que talvez seja a maior banda da atualidade (sei lá, tem Rolling Stones e uns pops aí, mas eles estão ali no topo), passaram anos sem lançar nada novo e acabam de gravar um CD novo e literalmente jogar no lixo em matéria de arrecadação com ele. Qual vai ser a vendagem desse CD? Mas eles gastaram com produtores, estúdios, equipamento, tempo, logística... E não foi pouco! Vão ter alguns milhões de views no Youtube, tudo bem, mas isso paga um dos produtores? Duvido.

    Soultunes
    Membro
    # set/14
    · votar


    O Matheus é um cara tão talentoso e com tanta facilidade para lecionar que certamente o youtube não faz / fará muita diferença para ele.

    Tem que usar apenas para divulgação mesmo, neste sentido a ferramenta é bem válida

    mateusstarling
    Veterano
    # set/14
    · votar


    Legal ver o assunto sendo debatido aqui.
    Como o texto foi extraído do meu facebook eu aproveito para dar uma esticada.
    Eu não espero ter um retorno do youtube. Não invisto no retorno do youtube, apenas uso o youtube como ferramenta para divulgar o meu trabalho como músico e professor pelas video aulas.
    Tem pessoas que vivem de monetizar os vídeos, o que seria quase impossível de acontecer com um publico tão segmentado quanto o meu, porém é melhor ganhar 90 reais por mês do que nada, portanto, eu deixo monetizado porque pelo menos é alguma coisa e por mais que seja ruim, com o numero de inscritos no meu canal e com o aumento do numero de views este numero tem aumentado a cada ano, quem sabe daqui a uns 2 anos eu não consiga tirar uns 300 reais por mês? Não que seja maravilhoso mas ajuda no leite das crianças, rs..
    O problema todo é que o meu canal não tem um "preço por clique" muito alto, para ser sincero não entendo bem quais os parâmetros para que isso seja medido, mas no fim das contas eu teria que mudar o foco do meu canal para ter lucro com a monetização, mas não tenho interesse em mudar o meu foco para arriscar num mercado que não é o meu e que não tenho expertise e também não tenho paixão.
    Acredito muito, prego e vivo a questão de fazer as coisas apaixonadamente, portanto, se hoje eu vendi 100 mil aulas em 6 anos é unicamente pela paixão com que faço isso e pela capacitação que busquei porque nunca paguei 1 real para divulgar minhas video aulas no google ou no facebook.

    Soultunes Muito obrigado pelas suas palavras.

    mateusstarling
    Veterano
    # set/14
    · votar


    MMI O mercado de hoje para estas bandas grandes é basicamente ganhar dinheiro com shows e não com venda de álbuns.
    Depois leia um livro chamado Free o futuro dos preços, que vc pode inclusive baixar gratuitamente por doação do autor, onde ele fala exatamente deste doar o album em troca de um aumento significativo no numero de fans.
    Hoje as bandas perdem quando gravam um cd, que é uma guerra sem chance contra a pirataria e tentam compensam em shows lotados.
    Existe uma geração nova que nunca pagou por musica e infelizmente esta mentalidade não vai mais mudar, portanto, quem quer sobreviver precisa usar isso a favor.

    renatocaster
    Moderador
    # set/14
    · votar


    Opa, bacana que o tópico rendeu um pouco. Achei que ia ficar no limbo, rsrsrsrs. Sobre a monetização em si, eu também acho que é válido até certo ponto ganhar essa merrequniha que o Google paga. Uma vez que vc não estará dispensando um esforço extra para isso, então pq não?

    Eu só acho que o texto do mateusstarling foi esclarecedor no sentido de que não dá para ganhar rios de dinheiro com isso. O que de certa forma serve de alerta, pois vejo algumas pessoas querendo enveredar para esse caminho com uma expectativa um pouco maior do que a realidade oferece.

    MMI
    Veterano
    # set/14
    · votar


    mateusstarling

    O mercado de hoje para estas bandas grandes é basicamente ganhar dinheiro com shows e não com venda de álbuns.

    Sim, não é de hoje. Vou ver esse livro.

    Existe uma geração nova que nunca pagou por musica e infelizmente esta mentalidade não vai mais mudar, portanto, quem quer sobreviver precisa usar isso a favor.

    Infelizmente hoje em dia música é gratuita para uma boa parte das pessoas, isso é a regra.

    Até acredito que para o U2 rolou um contrato com a Apple nesse álbum. Mas das gigantes, apesar de poder estar enganado, acho que foi a primeira banda que literalmente jogou no lixo a merrequinha que o Google paga, como disse o Renato, ou mesmo o que o iTunes, Spotify etc. poderiam render. O "leitinho das crianças", como você bem citou, foi para o ralo no lançamento. E toca fazer turnê...

    Mas tem acontecido, o AC/DC cancelou a turnê por motivo de doença, o Clapton acaba de reafirmar que não dá, não aguenta, não consegue, não tem pique para fazer mais turnês. E aí?

    Lelo Mig
    Membro
    # set/14 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    mateusstarling
    renatocaster
    MMI

    "AC/DC cancelou a turnê por motivo de doença, o Clapton acaba de reafirmar que não dá..."

    O mateusstarling está correto em sua posição.

    Phill Collins literalmente se aposentou. Ian Anderson (Jethro Tull) também disse que não fará mais turnês... e muitos outros.

    Em compensação vi uma entrevista com a Katy Perry (artista que mais vende músicas pela internet), se ela sabia explicar tal fato, ela disse que "nasceu e cresceu" na internet, que é o veículo que domina, que não sabe como se sairia no passado onde predominavam outras mídias.

    Não vou entrar no mérito "melhor x pior", mas os tempos mudaram. A internet é o grande palco, e do " Eletro Brega Arrocha" prá povão, até o Jazz sofisticado de mateusstarling, quem vive de música tem de estar na Net, mesmo que não seja prá ganhar dinheiro diretamente por ela.

    "Todo artista têm de ir aonde o povo está" e o povo esta nos Smartphones!

    mateusstarling
    Veterano
    # set/14
    · votar


    Hoje é mais facil para quem esta começando aparecer, é mais facil se lançar e fazer um publico, por outro lado é mais dificil ganhar dinheiro com música de uma maneira tradicional.
    Tem 2 livros muito legais que falam sobre "tecnologia disruptiva" que é basicamente quando uma tecnologia nova entra no mercado sendo mais barata e superior a anterior, portanto não deixando qualquer chance para a anterior voltar.
    Vimos isto na música de muitas maneiras o que acabou indiretamente tirando muitos empregos no mercado musical, tanto no avanço dos pequenos home studios quanto na pirataria da internet, que não é uma tecnologia disruptiva mas uma consequência desta.
    Até hoje artistas mais antigos ainda estão nocauteados, não conseguiram se reinventar neste cenário, outros usaram isso e expandiram.
    A verdade é que no fim das contas o artista precisa entender que apenas o verdadeiro fã vai estar do lado. O artista precisa entregar algo mais personalizado para o publico e cobrar de forma diferenciada por isso.

    ALF is back
    Veterano
    # set/14
    · votar


    a politica de monetização dos vídeos é muito simples..."vc divulga e eu ganho"...o que resta mesmo é aproveitar essa divulgação e saber usar a seu favor, como o Mateus e muitos outros bem o faz!
    nossos amigos cientistas da computação e simpatizantes podem confirmar isso, mas há uma máxima na tecnologia da informação que diz que "se um produto é grátis, então na verdade nós é que somos o produto da empresa"

    mateusstarling
    Veterano
    # set/14
    · votar


    ALF is back Com certeza esta questão do grátis na verdade é para tentar converter em alguma coisa, seja venda, fidelização, querer mostrar credibilidade
    Os games de celular cedem gratuitamente o gama, mas apenas 1% das pessoas compram alguma coisa.
    Eu mesmo quando lanço uma video aula costumo colocar 5% do conteúdo do video (uns 10 ou 15 minutos) para a galera poder ver e pescar alguns conceitos, mas se a pessoa quiser ver o material todo de video, apostila e playbacks obviamente precisa comprar o material.
    Tem muita gente que cede conteúdo gratuito apenas por divulgação ou para criar uma rede de seguidores e no futuro tentar converter isto em algum tipo de trabalho remunerado.

    Snakepit
    Veterano
    # set/14
    · votar


    MMI
    Até acredito que para o U2 rolou um contrato com a Apple nesse álbum.

    Acha? O acordo da Apple com o U2/Universal superou os 100 milhões de dólares + royalties pelas musicas baixas (meio bilhão de downloads, vai saber qto foi de royalties). Mas claro que o acordo vai muito além do album gratuito. Envolve comerciais, apresentações e participação do U2 em projetos da Apple.

    mateusstarling
    Com certeza esta questão do grátis na verdade é para tentar converter em alguma coisa, seja venda, fidelização, querer mostrar credibilidade

    Sem duvida. O interessante é usar o YT como um meio de divulgação para um produto maior. Se a ideia é somente ganhar com os ads, vai ser difícil. Agora se a ideia é promover a banda ou o teu projeto, seja qual tipo, vale a pena. Como eu disse antes, é o YT fornece publico pros teus videos, tirando raras excessões. Por isso mesmo o Google não paga nada mesmo, se vc deixar de publicar eles pouco se importam.

    Outro detalhe, apesar do Google não pagar quase nada, eles cobram beeeem caro pra rodar esses anúncios, que resultam em pouquíssimos cliques...

    Lelo Mig
    Membro
    # set/14
    · votar


    Snakepit

    "O acordo da Apple com o U2/Universal superou os 100 milhões de dólares..."

    Então o U2 se deu bem, porque o álbum anterior deles foi um fracasso de vendas.

    De qualquer forma, no meu tempo, as gravadoras "enfiavam" na rádio, pagavam jabás, socavam na televisão empurravam goela abaixo o que achavam que deveria dar lucro.

    Hoje, nos tempos atuais, as grandes corporações "enfiam" no seu IPod, estatais e bancos financiam "projetos culturais" e continuam decidindo o que o público deva ouvir.

    Quem sabe um dia, viveremos numa sociedade, verdadeiramente democrática, onde o público decida quem deva fazer sucesso ou não!

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Sobre a monetização de vídeos no Youtube - Depoimento de Mateus Starling