Compor solos guitarra

    Autor Mensagem
    D.E.P
    Veterano
    # abr/10


    queria aprender a compor solos
    sou iniciante e não sei nada de teoria
    (se n quer responder n responda)

    mr.moretti
    Veterano
    # abr/10
    · votar


    eu acho q o primeiro passo eh aprender a escala pentatonica (varios tpicos explicam) e dpois q vc estiver ''craque'' nela, pode aprender escala diatonica, arpejos e etc

    The Root Of All Evil
    Veterano
    # abr/10
    · votar


    D.E.P
    sou iniciante e não sei nada de teoria

    Ok, pra começar comece a estudar pelo menos alguma coisa de teoria, eu sugiro intervalos.

    Caike_bend
    Veterano
    # abr/10
    · votar


    Aprenda a tocar primeiro de tudo. Nao queria cagar sem ter força pra, pelo menos, peidar.

    xExLucasx
    Veterano
    # abr/10
    · votar


    Nem precisa ser pentatonica..

    Pode ser qualquer uma
    Eu fiz esse aqui numa escala X (num vou falar qual =P), vê se ficou bom.

    http://www.youtube.com/watch?v=BfvvAOoNGPY

    seek n destroy
    Veterano
    # abr/10 · Editado por: seek n destroy
    · votar


    D.E.P

    Estude intervalos,campo harmônico,depois pegue umas escalas,aí escolhe a que a sonoridade mais te agradou.Aí você estuda e treina muita métrica.Aí começa a compor :]

    Bi_gch
    Veterano
    # abr/10
    · votar


    D.E.P
    Já q vc deve saber o básico de cm tocar guitarra (acordes basicos e tals), pega escala, maior, menor, pentatonica menor ou maior, de blues, sla
    pega algumas e dexa na ponta da lingua
    ai qdo for pra faze o solo simplesmente siga o tom da musica e os acordes e manda ve

    D.E.P
    Veterano
    # abr/10
    · votar


    uma duvida
    to aprenendo pentatonica mas nao entendi tipo tonica na 5 corda sendo q da pra fazer a mesma nota na 6??
    desculpe se falei besteira

    Mr Guitarra
    Membro Novato
    # 07/abr/18 00:22 · Editado por: Mr Guitarra
    · votar


    Não é tão complicado improvisar. O Estudo de escalas, acordes e notas de repouso são itens essenciais para isso. Logicamente é necessário um bom material de estudo direcionado. Que te leve do ponto A ao ponto B. Pensando sanar esse problema preparei um curso completo sobre isso.

    Abordo todos estes elementos e muito mais!

    Acredito que vale a pena conferir: http://mrguitarra.com

    Daniel_Bx
    Membro Novato
    # 09/abr/18 03:00
    · votar


    Recomendo que baixe esse app e pegue a pentatonica menor em algum tom (recomendo mi ou sol por serem bastante usadas), depois disso baixe algumas backing tracks nesse tom e pratique tocar até isso ficar natural para você, aprenda onde estão as tônicas da escala e o que cada nota passa no tom da música. Enquanto isso também estude campo harmônico e intervalos para saber o tom das músicas e ter mais uma ideia de cada nota na escala.

    Nisso aí você vai estar improvisando na metade do caminho já, quando tiver uma boa base já vai estar bom para criar um solo que se encaixe com as músicas e aprender outras escalas. Quanto mais você aprender depois disso, mais você vai ter o que aplicar nos solos.

    Delson
    Veterano
    # 09/abr/18 08:57
    · votar


    Galera

    OITO ANOS depois, o tópico foi upado pra fazer propaganda.

    Kallau
    Veterano
    # 16/abr/18 08:19
    · votar


    Pra não desperdiçar a ressurreição do tópico:

    Cansei de improvisar só em pentatônica e penta-blues, porém não tenho tempo de estudar (trabalho + faculdade). Tenho um tikinho de modos gregos, mas é muito pouco.
    Seguindo o mesmo princípio da pentatônica, quais outras escalas posso usar sabendo apenas o tom da música, sem considerar a progressão de acordes?

    Por exemplo:
    Se tenho uma música basicona em Em, uso a pentatônica de Em. Quais outras escalas posso aplicar na música tendo apenas essa informação?

    Pleonasmo
    Membro Novato
    # 16/abr/18 11:09
    · votar


    Kallau
    Você pode usar a escala inteira de Em, pode usar até E em alguns trechos de passagem, a real é que você pode usar o que quiser, qualquer nota fora como passagem.

    LeandroP
    Moderador
    # 16/abr/18 13:29 · Editado por: LeandroP
    · votar


    Kallau

    Quando a música é tonal, você pode utilizar-se da escala diatônica do próprio tom ou a sua relativa (maior/menor).

    Ela sempre funciona porque os acordes da tonalidade são apoiados nesta escala, são formados pelas notas desta escala.

    Contudo, algumas considerações devem ser observadas, como as acentuações e as notas evitadas. E pra isso conhecer a harmonia que está sendo tocada torna-se fundamental pra saber qual nota acentuar e qual evitar, de modo que você possa fazer um bom encadeamento. Você também pode sair feito louco tocando a escala pra cima e pra baixo e arriscando uma ou outra nota de repouso. Porém, isso é muito arriscado, e as chances de repousar numa nota que deve ser evitada é muito grande, a ponto de você achar que está tocando a escala errada.

    Em resumo, pra você começar a se divertir um pouco, as melhores notas para repouso são as notas de cada tríade envolvida na harmonia, ou se ela tiver uma nota característica, como uma 6a ou uma 9a, considerar também como uma nota alvo, de repouso. As notas a serem evitadas são aquelas que formam um intervalo se segunda menor (meio-tom ou um semitom) com algum grau da tríade do momento (T, 3a e 5a). É o que se chama semitonar ou popularmente falando, desafinar rsrs

    Então se estiver tocando um acorde C maior, evite repousar na nota Fá, porque ela semitona com a nota Mi (que é a 3a maior de C - lembre-se: T, 3a e 5a). Mas se o acorde muda pra F maior na harmonia, é claro que ela se torna uma nota alvo ou uma nota de repouso, porque a nota é a tônica do acorde do momento.

    Então se você praticar as tríades básicas (maior, menor, diminuta e aumentada), associar às escalas maiores e menores e aos acordes, você amplia de modo significativo as suas chances de improvisar de modo coerente.

    Outra dica são as pentatônicas dos respectivos acordes da harmonia. O truque da pentatônica é que ela é uma tríade (T, 3 e 5) com mais duas notas boas, totalizando 5 notas = pentatônica. Em relação à escala diatônica, que possui 7 notas, a pentatônica é a escala sem as 2 notas que semitonam com o acorde do momento.

    Tríade = 3 notas
    Pentatônica = 5 notas
    Diatônica = 7 notas

    A diatônica cobre a pentatônica, que por sua vez também cobre a tríade.
    E tecnicamente você pode treinar as tríades em forma de arpejos e da forma harmônica (2 ou 3 notas tocadas de uma vez).

    Dá pra brincar bastante ;)

    LeandroP
    Moderador
    # 16/abr/18 13:47
    · votar


    Abaixo um quadro com os graus da escala maior, e os intervalos evitados sobre cada tríade/acorde:

    I = Tríade: T, 3M, 5J | Penta: T, 2M, 3M, 5J, 6M | Evitar: 4J
    II = Tríade: T, 3m, 5J | Penta: T, 3m, 4J, 5J, 6M | (sem notas evitadas)
    III = Tríade: t, 3m, 5J | Penta: T, 3m, 4J, 5J, 7m | Evitar b2 e b6)
    IV = Tríade: T, 3M, 5J | Penta: T, 2M, 3M, 5J, 6M | (sem notas evitadas)
    V = Tríade: T, 3M, 5J | Penta: T, 2M, 3M, 5J, 7m | (atenção à 4J)
    VI = Tríade: T, 3m, 5J | Penta: T, 3m, 4J, 5J, 7m | (evitar b6)
    VII = Tríade: T, 3m, 5d | Penta: T, 3m, 4J, 5d, 7m | (evitar b2)

    Assim, temos as tríades geradas pela escala diatônica maior:

    I, IIm, IIIm, IV, V, VIm, VII°

    As tríades da diatônica menor são:

    Im, II°, bIII, IVm, Vm, bVI, bVII

    Sabendo que a diatônica menor é uma inversão da diatônica maior partindo do sexto grau, as tríades/acordes são os mesmos, e redistribuídos em acordo com a tonalidade.

    Lelo Mig
    Membro
    # 16/abr/18 13:53
    · votar


    Kallau

    Diferente da grande maioria aqui, nunca me preocupei se estou usando escalas x ou modo y.

    Crio meus solos de cabeça, como criaria um assovio, uma melodia que acho bonita e de estetica agradável e que, principalmente, traduza o sentimento que quero expressar. Aí, tiro/passo esta melodia para o instrumento. Se você me perguntar que escala usei, não vou saber dizer... teria de parar para analisar e não faço isso para não me engessar.

    Em improvisos não e diferente....vou "cantando" a melodia no cérebro e reproduzindo no instrumento. A diferença é que é instantâneo, não dá pra corrigir ou sofisticar algumas coisas.

    Drinho
    Veterano
    # 16/abr/18 21:40 · Editado por: Drinho
    · votar


    Se tenho uma música basicona em Em, uso a pentatônica de Em. Quais outras escalas posso aplicar na música tendo apenas essa informação?

    Como disseram os colegas há várias opções para se usar sobre isso.

    Mas com apenas esta informação (como você disse) é possível fazer miséria. O que quero dizer é que assim, dedique-se a estudar todas as possibilidades técnicas e teóricas mas tenha como objetivo principal sempre desenvolver boas idéias, é muito mais fácil desenvolver boas idéias em cima de estruturas melódicas e harmônicas simples acompanhado de uma estrutura ritmica interessante, a escala pentatônica embora derivada da escala tradicional é tocada normalmente com duas notas por corda e todas as notas de sua estrutura são convenientes o que torna muito mais fácil o desenvolvimento de idéias interessantes assim como a memorização destas idéias.

    Não tenha medo de martelar na pentatônica por muito tempo em paralelo á seu estudo.

    LeandroP
    Moderador
    # 17/abr/18 11:47
    · votar


    Drinho

    Pentatônica é certeira!

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Compor solos guitarra