Placas/ Equipamento de audio 16/20/24 bit e home studios aos musicos!

    Autor Mensagem
    I.Nosferatu
    Veterano
    # mai/07


    Voce já se perguntou sobre o que significa uma placa de audio como a audiophile 2496 da M-audio, uma das mais populares possuir 24 bit / 96Khz para gravação e reprodução?

    Com certeza não, alguém apenas te disse que "é uma boa placa" e voce já começa a achar que precisa ter uma em seu modesto homestudio! Voce conhece outros modelos e marcas, mais aquela top de linha que usam no estudio de seu amigo e que todo mundo tem deve ser melhor do que a voce tem! Não importa se foi desenvolvida para a era do DVD e voce só grave suas composições, voce precisa de uma igual senão seu homestudio não vale nada!

    Pra começar a entender o que essas especificações significam, vamos começar a falar de bit, um bit é como um interruptor de uma lampada da sua casa, ele te oferece duas possibilidades, ligado ou desligado, em se tratando de placas de audio, encontramos comumente chips de 16, 18, 20 ou 24 bits, agora suponha que uma placa de 16 bits possua analogamente 16 interruptores que ao serem ligados desligados, produzam um estado diferente na lampada, ou outra coisa que voce imaginar, esses interruptores irão te oferecer 65.536 possibilidades diferentes de configuração, se fossem 18 seriam 262.144, 4 vezes mais, se fosse 20 voce teria 1.048.576 possibilidades, 16 vezes mais, ao passo que com 24 teriamos ai 16.777.216, ou 256 vezes o primeiro... Ou seja pra objetivos como um cd de audio, que teria 16 possibilidades, ao trabalhar com uma placa de 18 bits voce está trabalhando com uma resolução 4 vezes maior, de 20 bit 16 vezes maior e 24 bit 256 vezes maior... será que voce precisa disso tudo?

    Outra coisa importante, quando se fala em Hertz ou Hz, suponhamos que voce pressione seu interruptor em um segundo ligando e desligando-o, a frequencia aplicada ai foi de 1 bit/1 Hz então vamos comparar isso à um cd, 16bit/44.1KHz, o que significa isso? Simples, Significa que a cada segundo com uma especificação dessa é possivel que se grave/reproduza 65.536 mudanças nos interruptores numa velocidade de 44.100 vezes maior àquela que voce pressionou seu interruptor, então dessa forma fica facil presumir quanto as outras configurações...

    Um detalhe importante sobre a frequencia ou Hz é que teoricamente uma resolução de 44.1Khz seria capaz de reproduzir/capturar mais que ou toda a faixa de audio que esta entre 20Hz à 22KHz, que é a faixa audivel para um ser humano, porém, estudos atuais revelaram que nessa faixa de captura o que ouvimos é a metade do valor especificado e que existem outras frequencias acima dos 50KHz que influenciam no espectro de audio e que podemos percebe-las (não ouvi-las) por isso o surgimento de interfaces com até 192KHz se encontram atualmente no mercado!

    Outro fator importante é observar a relação sinal/ ruido que é produzido conforme o sinal analogico inicial (guitarra, voz, etc...) atravessa os componentes eletronicos do aparelho é desejável que esse numero seja o maior possivel, geralmente isso é especificado em dB desta forma SNR <= 98dB

    Porém a pergunta que voce deve fazer a si mesmo, é do que eu realmente preciso, já que sabemos que quando trabalhamos com audio para finalizar em um cd ou mp3 para divulgar na internet nossas ideias não precisaremos mais que ter uma qualidade de CD (16/44.1) em nossos trabalhos que não serão profissionais isso é coisa pra medios e grandes estudios! E poderemos conseguir equipamento que casam com nossas necessidades a custos bem mais acessiveis para um Home Studio! Pense quanto o mercado de consumo está influenciando nas suas decisões, colocando em suas mãos produtos que não seriam mais adequados a sua necessidade.

    Um Grande estudio deve estar preparado para oferecer o máximo de qualidade aos seus clientes pois o que será produzido ali pode ter diversas finalidades, em contraste aos que estão se aventurando em se profissionalizar nessa area certamente vão precisar de equipamentos à altura de um grande estudio, mas na contramão, para o usuario/musico domestico, curioso, estudante ou uma banda de garagem o que voce realmente precisa? Eis a questão!

    Eder Muchiutti
    Veterano
    # mai/07 · Editado por: Eder Muchiutti
    · votar


    A reflexão é bastante interessante mesmo. Eu só acrescentaria alguns pontos que julgo até necessários:
    será que voce precisa disso tudo?
    os números parecem assustadores, mas a capacidade dos nosso organismo é mais assustadora ainda. E ter um sample rate e bit depth alto vai além da compreensão "absoluta" do ouvido. É uma questão de processamento do áudio. Quanto maior a capacidade de captura, maior a capacidade do processamento, e após vários processamentos sucetivos (como acontece numa mixagem), nosso ouvido começa a perceber algumas alterações - e alguns afirmam que na própria captura é perceptível diferença entre 44.1 e 96Khz, por exemplo. A soma dessas alterações numa mix cheia de "capturas", vai provocar alterações ainda maiores no resultado final.

    existem outras frequencias acima dos 50KHz que influenciam no espectro de audio e que podemos percebe-las (não ouvi-las) por isso o surgimento de interfaces com até 192KHz se encontram atualmente no mercado!
    A última palavra dessa frase é a chave! Além da questão que eu citei acima, esses sample-rates altíssimos a baixo custo ainda servem pra alimentar uma questão mercadológica: "Sua placa só grava até 96Khz? A nossa grava até 192!!" Os benefícios disso nõ são verdades absolutas (como quase nada!). E mais: não adianta ter ótimos números no papel se os conversores da sua placa não fizerem jus a isso. Por isso há conversores Apogee e conversores SoundBlaster da mesma época, com especificações parecidas e qualidade - e preço, diga-se de passagem - tão diferentes. E falando da percepção humana, acho interessante o fato de reagirmos a freqs. fora do alcance "óbvio" do ouvido, porém, precisamos de meio de reproduzir freqs. tão agudas. Digo, alto-falantes, sejam drivers, tweeter ou woofers.

    Porém a pergunta que voce deve fazer a si mesmo, é do que eu realmente preciso
    Esse é o ponto! Pesquisar bastante pra saber se deve ou não pagar mais caro por uma diferença relativamente pequena na qualidade do seu produto. Entenda-se por produto o que vc compra e o que vc produz com ele.

    Não é à toa que há microfones de US$15 e US$15.000, prés de US$50 e US$50.000, mixers de US$100 e US$1.000.000. Não é só marketing.

    E acho que nem devemos aqui entrar no mérito do know-how. Pelo que entendi, o tópico é só relativo a questões não-tão-humanas. rs

    Abraços.

    ps.: Editei o post e ainda sinto que esqueci de falar alguma coisa.. rsrs.. mas vai ter que deixar pra outra hora.

    I.Nosferatu
    Veterano
    # mai/07 · Editado por: I.Nosferatu
    · votar


    Concordo em muito contigo Eder Muchiutti e realmente somos infinitamente melhores na capacidade de perceber tais frequencias, mas também isso me lembra muito um musico que é capaz de ouvir um trecho de uma obra musical e transcrever aquilo que ouviu, e sabemos que além dos dotados que ja nascem com essa facilidade, é preciso muito estudo e treino para que cheguemos a tal estagio, certo! Resumindo, se voce não tiver "ouvido" pra identificar a diferença, vai passar despercebido e comumente é o que acontece!

    Claro que os meios que permitam a reprodução fiel do que foi gravado é de extrema valia nesse momento, e auilia bastante, mais outra vez batemos de frente com a necessidade de consumo, e produtos high-end tem seus valores conhecidos por todos!

    Uma sugestão para evitar os demasiados processamentos conforme o Eder citou seria uma captura quase perfeita, onde fosse necessário pouco ajuste quando se tem uma interface com menos bit depth/samplerate, evitando assim os nossos conhecidos "prugins" de audio ao maximo, uma DAW/ equipamento com processamento entre 24/32 bit também preserva mais esses dados!

    Realmente é um assunto extenso, parece que sempre fica faltando algo, mais o essencial ta ai e pode servir de esclarecimento pra quem tiver preso no dilema!

    É bom ressaltar que existem varios tipos de finalidades e necessidades e que o mercado oferece soluções para cada uma... na hora de decidir entre um produto ou outro, leve as suas finalidades/ necessidades sempre em consideração tudo isso é que vai determinar se voce ta fazendo um bom negócio ou talvez desperdiçando o que poderia ser investido numa outra coisa!

    I.Nosferatu
    Veterano
    # mai/07
    · votar


    No site de um estudio encontrei o seguinte texto, acho que é interessante aos musicos, desculpem o plagio os criadores do texto, mais o que interessa aqui é a informação!

    "Gravação Analogica x Gravação digital

    Essa é uma discussão acalorada que domina atualmente o circuito dos audiófilos em geral: engenheiros de som, técnicos de gravação, músicos, artistas, produtores.

    A gravação Analógica já é uma velha senhora, talvez bisavó, já que começou a ser feita no início deste século.

    Já a gravação Digital é apenas uma criança. É uma tecnologia recente de aproximadamente 10 anos.

    Nesses 10 anos, o Digital evoluiu muito mais que o Análogo em seus quase 100 anos. E muito mais rápido também. Novas tecnologias são aperfeiçoadas e lançadas a cada semestre! Sinal dos tempos…

    Entretanto, no início desse processo todo, as primeiras gravações digitais soavam um pouco magras e assépticas demais para os nossos ouvidos acostumados ao som do Vinil.

    Em parte, os audiófilos tinham razão. A resolução da gravação feita em Digital era ainda muito inferior ao que se conseguia obter no Analógico.

    Mas por outro lado existe um problema muito grave de cultura auditiva. A gravação Analógica, como o nome já diz, é uma analogia do verdadeiro som. Uma tentativa de se copiar esse som por intermédio de captações elétricas que transformam o som em sinal elétrico por meio de um microfone. Depois o sinal elétrico é novamente convertido em som para que possa ser ouvido através dos alto-falantes de uma caixa acústica.

    Com o tempo, o espectro sonoro foi ampliado a níveis quase perfeitos. Só que a tecnologia que nos devolvia o som era muito primitiva. Era realizada por uma agulha que em contato direto com um disco de Vinil captava as vibrações elétricas contidas nos sulcos desse mesmo disco. Você se lembra disso?

    O resultado era uma reprodução suja e cheia de chiados e barulhos de estática, causados pela poeira e pelo desgaste do material. Em discos de música clássica, só para citar um exemplo, costumava-se serem ouvidos, nas partes de dinâmica mais baixa, "plics e plocs" por vezes até mais alto do que a própria música! Completamente anti-natural!

    Além desses problemas, a nossa cultura auditiva se desenvolveu habituada às pequenas distorções e saturações causadas pela tecnologia do Analógico.

    A ausência dessas saturações no mundo Digital fez com que se criasse uma corrente de pensamento que alardea, desde então, que o Digital não tem aquela "quentura" do Analógico.

    O que vociferam e reclamam esses profetas do Apocalipse do Analógico é na verdade a total ausência de uma espécie de som que não se escuta apenas se sente, que pairava sobre a gravação dando uma sensação de preenchimento. Aquela "aura" sonora nada mais era que o somatório dos harmônicos impuros das distorções do som real, que nada tinham a ver com a música real.

    Com o Digital o silêncio volta a ser o que ele realmente é. Ausência total de qualquer ruído. Não há a menor necessidade de que o silêncio venha a ser preenchido. A não ser para os angustiados…

    Mas foi realmente a partir do ano de 1997 que a distância que separava o digital do analógico praticamente se extinguiu. Com o lançamento do DVD e de placas de gravação de áudio mais modernas, os patamares de resolução foram aumentados. As gravações passaram a ter 96 KHz com 24 bits de resolução. Muito mais que os antigos 44,1 KHz / 16 bits do CD player doméstico. Infinitamente mais que os primitivos 22.050 KHz / 8 bits que ainda são encontrados na Internet por motivos de pouca velocidade dos modems domésticos.

    Atualmente, o melhor resultado é obtido a partir da soma do Digital com o que de melhor pode ser aproveitado do Analógico. A Válvula!. A gravação Digital é "esquentada" pelas válvulas dos novos pré-amplificadores, que preservam alguns harmônicos (apenas os reais) que pudessem ser perdidos na conversão ao Digital.

    No futuro próximo, com a troca dos CDs players caseiros pelo DVD, a gente não sentirá mais nenhuma saudade do som analógico. A não ser aqueles que preferem muito mais curtir "a pose Vintage" do que a verdadeiro objetivo do audiófilo: escutar Música!"


    I.Nosferatu
    Veterano
    # jun/07 · Editado por: I.Nosferatu
    · votar


    Copiado de outro topico

    "Pessoal, o negócio é o seguinte, esse lance de ter uma placa com 24 bits e gravar a 24 bits não é absolutamente necessário quando se trata de audio pra cd ou multimidia

    1° 24/96 é a capacidade do conversor e não da placa, normalmente os chips de audio das delta tem 32 bit, isso é para o processamento interno do audio

    2° Quando voce ta gravando com a placa o conversor vai trabalhar a 24 bit, mesmo que voce esteja gravando em 16, o que vai mudar é o samplerate, 44.1/ 48/88.2/96, outra vez pra audio pra cd e multimidia, gravando em 88.2 ou 96k se o som a ser captado é rico em harmonicos já ta bom, porque captura a faixa dos harmonicos de 50k pois é necessário ter o dobro disso para ter uma resposta plana, senão em 48k se pretende dar algum processamento no audio.

    3° Na verdade, se seu software permitir que voce grave audio (para cd e multimidia) a 18 bits já ta de bom tamanho porque cada bit a mais gera uma diferença enorme de possibilidades no arquivo, pra ser mais exato 18 bits já tem uma resoluçao 4 vezes maior que 16, previnindo contra falha nos dados que serão convertidos para 16 bit.

    Então não fiquem presos nessa de gravar a 24/96 porque na realidade se voce tiver gravando em 16 e 18/88.2 pra audio vai dar um excelente resultado também!

    Mais então porque a placa faz até 24/96??? Simples, ela também oferece a capacidade de produzir midia para dvd, que há um tempo atrás tinha qualidade de 24/48 e agora 24/96 e atualmente voce encontra interfaces de 24/192 com processamento interno de até 48 bits porque? Justamente pra isso, pra produzir audio para dvd. Tudo isso é baseado no teorema de Nyquist que fala sobre samplerate e não em bit depth, onde seriam necessario uma resolução duas vezes maior da taxa de amostragem para ser possivel a reprodução exata, sem erros e distorções do sinal.

    Por ultimo, não vale a pena ter tudo isso num equipamento se o restante dos periféricos do seu modesto home studio não permitem que voce tire proveito de toda essa qualidade, e pior ainda, se voce não consegue perceber a diferença entre 44.1/48/88.2 e 96khz, ou até mesmo de 16 e 24 bits, voce apenas diz que soa melhor porque alguem te disse isso...

    Outra que equipamentos profissionais de um estudio ou home estudio profissional, estão muito além de uma simples delta e uma mesa behringer, plugins de audio, equipamentos semi profissionais e monitores chinfrim, sé é que usamos um..."


    O pior de ficar colocando essas informações pro pessoal é que é mais facil fazer uma pergunta tipo "Essa placa é boa? É melhor gravar em 16 ou 24 bits ou ainda 48 ou 96k? Mais blz, dificil mesmo é ler né?

    renato_nog
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    Excelente tópico!

    Ótimas considerações para quem está iniciando neste vasto e "misterioso" campo de gravação profissional. E que serve muito bem para eliminar diversos mitos que nós, ainda amadores, criamos acerca da qualidade das gravações.

    Só mais um parênteses no meio disso tudo: uma qualidade extrema de gravação (amadora/caseira ou profissional) depende também (e muito) da qualidade dos músicos envolvidos!

    Um abraço, e que sirvam para muitos as informações desse tópico, assim como estão me ajudando muito.

    :D

    kiki
    Moderador
    # mar/08
    · votar


    renato_nog
    Só mais um parênteses no meio disso tudo: uma qualidade extrema de gravação (amadora/caseira ou profissional) depende também (e muito) da qualidade dos músicos envolvidos!

    hahaha, genial isso
    acho que isso conta mais que toda a qualidade tecnica.

    ainda assim, assino em baixo:
    Excelente tópico!

    makumbator
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    I.Nosferatu

    Excelente tópico e postagens. Mas há outro senão no que tange a qualidade sonora: cada vez mais devido a poluição sonora crescente e quase onipresente, a faixa de audição média das pessoas diminui progressivamente, comforme apontam vários estudos médicos. Não deixa de ser curioso que se amplie a faixa de captação e reprodução nas gravações para que esse material seja exibido a uma população cada vez mais levada à surdez...

    tiago0101
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    Outra que equipamentos profissionais de um estudio ou home estudio profissional, estão muito além de uma simples delta e uma mesa behringer, plugins de audio, equipamentos semi profissionais e monitores chinfrim, sé é que usamos um..."
    Acredito que isso depende muito da mão e dos ouvidos de quem está mixando viu...Está cada vez mais dificil distinguir entre o som de um grande estúdio e um estúdio médio.

    Excelente tópico mesmo!

    Música de Preto
    Veterano
    # mar/08
    · votar


    tiago0101
    Está cada vez mais dificil distinguir entre o som de um grande estúdio e um estúdio médio.

    Não acho tanto não. Hoje em dia é possível perceber vários defeitos literais em gravações ou ainda perceber que não foi usado um microfone tão sensível quanto o de outra gravação. Em algumas gravações tenho a sensação de que foi usado um microfone dinâmico para captar a voz. Já escutei hum, chiados, vozes vazadas demais. São gravações que costumo dizer que foram feitas no "estúdio da esquina". Acho que isso é bom. Quanto mais o mercado se abrir para produções sem tanta qualidade técnica assim, mais haverá espaço para os pequenos que querem ser grandes um dia. Mais talentos serão revelados.

    nhiodsdec
    Veterano
    # jan/09
    · votar


    kra eu sei que tudo isso é complicado... principalmente quando
    se fala em set.. backstage e equipamento profissional.....
    eu fico pé da vida com essa questão de montar um instrumento
    sem saber... coisa do tipo uma marca de braço de guitarra ou
    baixo boa... um corpo bom... um captador bom enfim... os simples
    mortais tipo A GRANDE E ESMAGADORA MAIORIA prefere logo pedir
    uma opinião de quem sabe mais ou então comprar o mais caro
    porque sabe que vai prestar... eu não sei escolher...
    mas eu jamais faria isso... o que eu faço é ESTUDAR O CASO...
    tiro umas 2 ou 3 semanas para pesquisar na internet
    coisas de qualidade e não pelo preço... isso é o que "menos"
    importa digamos... mas o produto tem que valer aquilo que agente
    tá pagando pra ele... também pergunto para alguém que me espelho
    e que sei que sabe quase que infinitamente mais que eu e que vai
    me ajudar sem essa coisa de querer me ferrar porque sou uma espécie
    de "concorrente"... até porque na área da música e de professores
    há uma carencia de pessoas competentes alarmante... depois
    vejo o que... no meu caso...> o teclado tem de bom pra me
    oferer de recursos possibilidades qualidade de timbre... E
    SE PRINCIPALMENTE ESSE EQUIPAMENTO É O QUE EU TO
    PRECISANDO... celular pra mim que mal ligo É SÓ PRA FALAR...
    não dou mais de 350 num celular... eu tenho um até marromeno
    mas se me robarem eu compro um de 30 usado no camelô e
    tá de excelente tamanho... celular é só pra isso... agora se
    você precisa de mais recurso... memória interna gps câmera
    aí é por necessidade... por isso que existem milhares de pessoas
    aí com seus cubos e pedaleiras valvulados e o pessoal que
    sabe que eles não tocam porra nenhuma cagam mesmo...
    eu não sou tao bom assim mas gosto de qualidade no timbre
    e de ter o recurso pra poder usar na hora que precisar... comprei
    um aranjador de 500 reais o psr e313 e achava fantastico todos
    os timbres pois antes dele tocava apenas num psr ultrapassado
    de 4 oitavas... kra passou um mes e ja tinha me arrependido de
    nao ter investido mais 200 pra comprar o e413 que é mil vezes
    melhor e tem pich bend usb e alto falantes bem melhores...
    agora to tocando numa banda e vou comprar coisas do tipo
    microkorg que é pra quem sabe... mas é aquela coisa do estudo
    eu vejo e sei quais pessoas sabem tocar... isso independe de
    instrumento pois tem pessoas que se pegar qualquer instrumento
    e estudar vao tocar... eu sempre vou ter a concepçao de que um
    musico precisa de 80% do seu dia muita conversa e o resto é
    treino pelomenos umas 5 horas dividido em 3 blocos no dia
    por exemplo... muita gente compra coisa top sem saber tocar
    achando que a guitarra toca sozinha de teimoso... pegam
    aulas de violao porque acham muito bonito o que os outros
    fazem com o instrumento e os "professores" ensinam varias
    coisas erradas... e muita gente se mete a querer imitar os
    artistas... as escolas, projetos de musica e corais estao
    intupidos desse tipo de pessoa que apenas sustentam o
    professor e nao passa disso... muitas pessoas pensam em
    montar um estudio... eu penso e se tivesse dinheiro nao montava
    de cara mas eu ia atrás de um studio passar uns 5 ou 6 meses
    aprendendo de tudo que pudesse aprender todo dia uma coisa
    nova e praticamente morar no estudio de alguem...
    evitar gastar dinheiro a toa comprando sem saber usar e tirar
    proveito eh o melhor que os inexperientes ou que não sabem
    podem fazer... concordo totalmente com a ideia da placa de
    audio e qualidade de gravaçao e eu sempre busco perfeiçao
    e gravo de cd pra wav e pra mim o audio perde qualidade...
    é como se eu sentisse algo que foi tirado mas não escuto e
    talvez seja essas frequencias acima de 22 que influenciam no
    espectro e isso é uma coisa que intriga d+ o ser humano quando
    ele começa a querer ouvir tudo ate mesmo um liquidificador mas
    de forma digamos degustativa como um provador de vinho...
    e isso pode levar agente a pensar que o som maravilhoso e
    mais misterioso que existe é aquele que agente percebe mas
    não escuta mas sabe que influencia totalmente e diretamente
    em tudo aquilo que escutamos verdadeiramente....
    eh isso... DEIXAR A MUSICA FLUIR INFINITAMENTE

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Placas/ Equipamento de audio 16/20/24 bit e home studios aos musicos!