Mãe compra galo e galinha para acalmar filho autista, vizinhos não gostam e ela é denunciada

    Autor Mensagem
    Silspiders
    Membro Novato
    # 31/jul/20 08:31 · Editado por: Silspiders


    Cômico, né? Mas é sério! Algumas pessoas de esquerda disseram que o país, por conta da pandemia, desenvolveria melhor o seu senso solidário, o que é uma balela.

    Como Altino, metroviário, líder sindicalista, alertou no SPTV ao vivo, bilionários aumentaram a sua fortuna em 27% no período pandêmico, em contraposto à miséria, que aumentou. É evidente.

    Aqui no prédio um casal brigou, o cara se trancou no banheiro para não apanhar de uma garota rebelde, sua enteada, e ouviu todos os xingamentos dos outros vizinhos. O cara gritava desesperadamente que não estava agredindo ninguém, que havia se trancado no banheiro para não ter que revidar as agressões que estava sofrendo... se é verdade não sei, mas os vizinhos chamaram a polícia para o cara que, mesmo após explicar as coisas para a polícia, foi levado à delegacia na viatura. Os vizinhos não deram uma palavra de conforto para o cara... eu gritava "senta aí, respira fundo, vai passar logo" na tentativa de fazer o cara se acalmar, pois estava mesmo acuado no banheiro do apartamento dele, que dá para um dos meus quartos. Os outros vizinhos chamavam ele de covarde, de agressor de mulher, e que queria ele na cadeia, que chamariam a polícia, e o fizeram. Eu conheço o cara de longa data e ele é muito gente boa.

    O senso solidário do ser-humano piorou com essa pandemia. Esse sentimento viralatista apresentado por alguns aqui, de sangue azul ou chorume nas veias, intensifica o individualismo e prejudica a nós mesmos. Pessoas que não se indignam com a injustiça, o desrespeito aos direitos básicos e democráticos e com falta de humanidade das nossas autoridades, alimentam um comportamento nocivo, que pode se voltar contra si. Ao presenciar uma injustiça, um rompimento com o estado de direito com o outro e se sentir confortável consigo, o indivíduo não se dá conta de que o direito negado ao próximo é o mesmo direito que lhe atende e que a ele pode ser negado também, porque perdeu-se o senso de classe.

    É isso... Bom dia a todos.

    Lelo Mig
    Membro
    # 31/jul/20 09:47 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    O ser humano não é bom nem mau... ele é o que aprende ser. Mas gosta de julgar e enquadrar os outros. Talvez seja uma característica no DNA para favorecer o agrupamento social, como já esta provado, que a mentira, por exemplo, é um dos comportamentos humanos que nos deu vantagens evolutivas. (macacos mentem).

    Gostamos de julgar o comportamento alheio, superficialmente, e enquadrar em conceitos... e, obviamente, cada qual acha que seu conceito é o certo e deveria servir de baliza para todos os demais.

    Também é bastante compreensível que pessoas que costumam se achar "do bem" julguem os outros como "do mal" por não pensarem igual. Algo um tanto subjetivo. Por exemplo: quem é favor do aborto é visto como mau pelo outro grupo, e quem é a favor da pena de morte é visto como mau pelo oposto.

    Há um outro lado, atual, um culto em "ser do bem" sem realmente ser no íntimo, sem ser de fato; como uma roupa da moda ou apenas um discurso para se identificar em um grupo. Assim como há um discurso em "ser do mal" para quem nasce em meio a criminalidade, por exemplo, e precisa se destacar como "malvadão da quebrada".

    Já disse aqui, por estes tópicos, que nunca conheci ninguém realmente mau, alguém que tivesse me sacaneado, me traído, armado contra mim, me passado a perna profissionalmente, enfim... manja vilão de novela? Nunca conheci ninguém assim na vida real. Mesmo pessoas que não gosto, mas tenho ou tive alguma relação por necessidade profissional, ainda que abomine alguns de seus conceitos pessoais, não me fizeram mal.

    Mas, enfim, não sirvo muito de parâmetro; não sou um ser muito social, justamente por que tenho dificuldade grande em aceitar coisas do comportamento alheio. Lido mal com gente espaçosa, gente folgada, gente que faz muito barulho, gente porca, gente que tem algum fanatismo, gente fútil, gente que fala demais, que bebe demais, que perde a noção de espaço, que se torna invasiva, que só fala em doença ou tragédia, gente que faz barraco, metido a engraçado, gente violenta, que fala alto, que não sabe ouvir o outro... ou seja, acho que sou chato prá caralho! ("seu conceito é o certo e deveria servir de baliza para todos" que eu escrevi acima, serve prá mim também, reconheço).

    Na verdade, acho que tenho um perfil que não se encaixa muito nessa coisa do "brasileiro", acho que sou mais introspectivo e fechado. Quem dá muita liberdade, acaba assumindo um fardo e eu, (provavelmente egoísta), não estou afim de carregar mala.

    Você é professor, sabe melhor que ninguém que o que falta, há décadas, é apenas educação, conscientização social, civilidade. Mais e melhor cultura.

    Desenvolver apreço pela cultura e pela arte torna o ser humano mais refinado, menos tosco... acalma a parte Neandertal de nosso DNA. Nos faz pensar.

    As pessoas não querem pensar, elas querem consumir. Este foi o caminho que a civilização tomou e não sou muito otimista com relação a alguma mudança. Consumir é pratico e predatório e quem pensa muito, acaba consumindo pouco.

    E uma população que pensa é uma população que não engole "mitos", mequetrefes, por exemplo, que se instalam no Palácio... seja de direita, de centro ou de esquerda.

    Bom, devaneei em relação a proposta do tópico... Ia até apagar... mas, vou clicar "Enviar mensagem".

    Bom dia.

    Silspiders
    Membro Novato
    # 31/jul/20 10:24
    · votar


    Tá ótimo, Lelo... obrigado! Só não posso comentar como merece agora porque estou há dois minutos de uma aula que vou ministrar remotamente. Depois a gente dialoga sobre as suas considerações.

    brunohardrocker
    Veterano
    # 31/jul/20 10:31
    · votar


    Parabéns, você é um homem do bem por ser de esquerda.

    Silspiders
    Membro Novato
    # 01/ago/20 06:51
    · votar


    Carluxo?

    Silspiders
    Membro Novato
    # 01/ago/20 06:59 · Editado por: Silspiders
    · votar


    Também é bastante compreensível que pessoas que costumam se achar "do bem" julguem os outros como "do mal" por não pensarem igual. Algo um tanto subjetivo. Por exemplo: quem é favor do aborto é visto como mau pelo outro grupo, e quem é a favor da pena de morte é visto como mau pelo oposto.

    Acho que está mais relacionado a atitudes do que apenas pensar. Uma coisa é um sujeito ser contra o aborto e colocar as suas opiniões quando lhe são perguntadas, outra é ir até a porta de clínicas que realizam o procedimento, montar acampamento e assediar as mulheres que chegam, com frases clichês, sem se importar com o que a pessoa está sentindo. Existe alguma forma de julgar positivamente uma pessoa assim?

    manja vilão de novela? Nunca conheci ninguém assim na vida real.

    Não vou comentar sobre, porque minha forma de lidar com gente assim é apenas ignorar e deixar claro, publicamente, para que todos saibam, que essa pessoa sequer ouve minha voz sendo direcionada a ela. Atualmente uma das minhas diretoras é assim. Inexplicável.

    As pessoas não querem pensar, elas querem consumir. Este foi o caminho que a civilização tomou e não sou muito otimista com relação a alguma mudança. Consumir é pratico e predatório e quem pensa muito, acaba consumindo pouco.

    Essa é uma das minhas decepções com o PT, que quase me fez largar o partido, mas que a partir do ponto que tomei consciência de que pelo menos um esforço decente poderiam ter feito para que direcionassem o povo a dar maior valor para a cultura e o intelecto do que para o consumo, passei a não ter compromisso com o partido na urna, tanto que já há tempo eu voto na esquerda e não no partido, necessariamente.

    O que eu quero dizer é que houve avanços significativos na educação, que passou a ser mais inclusiva, com os programas sociais, mas as isenções fiscais nos ítens de consumo, a abertura desenfreada do crédito para o pequeno comércio, entre outras políticas que fizeram o sentimento de superioridade material dominar uma classe vulnerável intelectualmente desandou tudo.

    Uma frase clichê que a gente ouve e lê, e que eu reproduzo mais ou menos agora, é que muita gente prosperou materialmente quando a economia nos anos 2010 estava linda (e estava mesmo) e agora cospe no prato que comeu.

    Claro, existem inúmeras variáveis, mas essencialmente, se isto for verdade, é lamentável que o partido não tenha conseguido desenvolver qualquer senso nessas pessoas.

    Pigeonsslayer
    Membro Novato
    # 02/ago/20 12:35
    · votar


    Sou pai de um filho autista (meu caçula, tenho outro de 10), grau severo, 7 anos de idade, ausência de fala, usa frauda até hoje, temos que alimentá-lo, dar banho, ficar trocando o desenho animado, cortar o cabelo (porque tem um jeito todo especial pra fazer, e leva tempo, se levar no salão ele acabaria se machucando), enfim, depende de nós pra tudo. Quando algo não sai como ele espera fica agressivo, se arranha, se morde, grita, nos arranha, nos morde. Ainda tem epilepsia. Toma remédios controlados pra epilepsia e risperidona, para ajudar a nivelar mais o "humor".

    Enfim, silêncio aqui em casa é algo que não dá pra prever ou controlar. Certas vezes ele dá suas crises quando acorda de madrugada. Se ele botar na cabeça que quer uma coisa e a gente não descobrir o que é, estamos perdidos.

    O que eu tive que fazer foi procurar os meus vizinhos, mandar fazer um "cara crachá" com ele, explicar o que é autismo, que às vezes ele vai mesmo ter essas crises, que pode demorar, que muitas vezes não tem o que fazer, só tentar acalmá-lo e esperar passar. Enfim, tenho uns vizinhos que cooperam, para minha sorte. Hoje moro em casa, mas até pouco tempo eu morava em apartamento e, mesmo fazendo todo este "procedimento social" eu ficava incomodado, porque sei que as pessoas até entendem, mas se irritam. É realmente complicado. Um antigo vizinho chegou a cancelar o contrato de aluguel por causa disso.

    Agora, fazer esse tipo de denúncia, me parece coisa de gente intolerante ao extremo.

    Pigeonsslayer
    Membro Novato
    # 02/ago/20 12:35 · Editado por: Pigeonsslayer
    · votar


    Duplo

    Lelo Mig
    Membro
    # 02/ago/20 12:42
    · votar


    Pigeonsslayer

    Te mandei uma mensagem no teu recados pessoais. (acessa teu perfil, recados).

    Abraço!

    Silspiders
    Membro Novato
    # 02/ago/20 13:45
    · votar


    Pô, se for sobre autismo severo tenho um amigo que precisa de todo tipo de ajuda também. A filha dele está melhorando com Canabis... Mas ela tem umas crises que perduram seis meses.

    Silspiders
    Membro Novato
    # 02/ago/20 13:46
    · votar


    O que eu tive que fazer foi procurar os meus vizinhos, mandar fazer um "cara crachá" com ele, explicar o que é autismo, que às vezes ele vai mesmo ter essas crises, que pode demorar, que muitas vezes não tem o que fazer, só tentar acalmá-lo e esperar passar. Enfim, tenho uns vizinhos que cooperam, para minha sorte.

    Complicado, mas ainda bem que você é um cara esclarecido. Contar com o apoio de vizinhos é fundamental nesses casos.

    Lelo Mig
    Membro
    # 02/ago/20 16:06
    · votar


    Silspiders

    "Pô, se for sobre autismo severo tenho um amigo que precisa de todo tipo de ajuda também...."

    Não entendi se você se referiu ao que escrevi pro Pigeonsslayer. Se positivo, olha o recados dele.

    Silspiders
    Membro Novato
    # 02/ago/20 20:27
    · votar


    A situação da filha dele é mais ou menos com a do filho do Pigeonslayer. Parece que depois de mais de seis meses de crise a menina está um pouco melhor, agora. Minha esposa e eu sempre vamos lá nesses momentos de crise dela para dar uma mão. Para eles desabafarem, chorarem, eu cozinho para eles. Vamos lá para cuidar deles mesmo.

    O que eu puder fazer para ajudar eu faço.

    Pigeonsslayer
    Membro Novato
    # 02/ago/20 23:07
    · votar


    Lelo Mig

    Valeu Lelo, vou te mandar.

    Silspiders

    Meu filho chegou a tomar um extrato de cannabis durante 6 meses, obtido através de uma associação, e estivemos esperançosos, mas no caso dele não percebemos grandes mudanças. Ele toma medicação para epilepsia que não pode ser descontinuada, e isso de certa forma afeta o potencial do tratamento que poderia ser feito com a cannabis, pois o neuro disse que o THC não é indicado para quem tem epilepsia, e é justamente o THC o psicotrópico que poderia dar uma ajuda com o autismo. Porém, tenho um colega de trabalho que tem filho autista, que não tem epilepsia e está tendo melhoras consideráveis com o óleo de cannabis, cuja fórmula contém tanto o canabidiol quanto o THC.

    Silspiders
    Membro Novato
    # 03/ago/20 08:16
    · votar


    Olha, nem sempre o óleo funcionou com ela. Não me lembro bem por que, posso perguntar, mas eles estudaram muito e tentaram novamente. Eu sei que alterou algumas medicações clássicas para o caso dela, quem vinham sendo administradas desde os primeiros anos de vida da garotinha.

    Lelo Mig
    Membro
    # 03/ago/20 12:57 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    Pigeonsslayer

    Respondi o email... abraço!

    Depois só exclui meu recado pro meu email não ficar "aberto" prá sempre na Net.

    Valeu!

    acabaramosnicks
    Membro Novato
    # 03/ago/20 13:11
    · votar


    Pai do amigo meu, aposentou depois de um acidente de trabalho, sofre com uma neuropatia na coluna.
    A dor é constante, as vezes é leve, as vezes é grave o suficiente pra ele não levantar da cama.
    O filho (meu amigo) fuma um desde sempre; plantou em casa e fez o óleo.
    O pai pinga uma gota debaixo da língua pela manhã e passa o dia todo sem dor, repete a dose na hora do almoço. Não dá brisa nem nada, só para a dor crônica mesmo.
    Tá demorando pra legalizar essa porra.

    Silspiders
    Membro Novato
    # 03/ago/20 13:30
    · votar


    E pra qualquer finalidade, né. Desde uso recreativo até medicinal.

    Mas óbvio que medicinal é prioridade.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Mãe compra galo e galinha para acalmar filho autista, vizinhos não gostam e ela é denunciada