Emicida no Roda Viva:

    Autor Mensagem
    Silspiders
    Membro Novato
    # 28/jul/20 06:12


    publicamente, mesmo estando cansado de saber o custo q um ataque desse tipo pode ter nas redes sociais justiceiras e magnânimas dos dias de hoje. Mostrou ser um nanico, um bostinha sem senso de humor, o mesmo que reagiu feito moleque chorão quando eu tirei sarro dele no Twitter.

    GANGIA, Barbara

    A própria apresentadora fez uma pergunta relacionando a narração de situações cotidianas do crime em suas músicas como sendo apologia ao crime, ouviu a seguinte resposta:

    "condescendência com o crime organizado é uma análise bastante preconceituosa. desde quando narrar uma determinada situação vinculada ao crime faz de nós um apologista? se for apologia, então você deve pegar o datena, que faz isso todo dia"

    As estruturas racistas estão sendo sustentadas por pessoas burras.

    LeandroP
    Moderador
    # 28/jul/20 08:24
    · votar


    Silspiders

    Esse pessoal não entende que aquilo é uma rotina, faz parte do cotidiano, que o Rap mostra justamente isso pra eles.

    As estruturas racistas estão sendo sustentadas por pessoas burras.


    Exatamente!

    Silspiders
    Membro Novato
    # 28/jul/20 10:23
    · votar


    LeandroP

    Fato que deveria ser uma denúncia, se essas pessoas tivessem capacidade de fazer paralelos com outros compositores que contam rotinas boas em suas músicas.

    brunohardrocker
    Veterano
    # 28/jul/20 12:21
    · votar


    >twitter
    >cancelamento
    >felipe neto
    >duvivier
    >pessoas com disposição para essas coisas

    Ah, que preguiça.

    Silspiders
    Membro Novato
    # 28/jul/20 12:26
    · votar


    Sim, você é preguiçoso. Nem precisa dizer. Reducionismo e preguiça são qualidades praticamente indissóciáveis.

    Viciado em Guarana
    Veterano
    # 28/jul/20 13:16 · Editado por: Viciado em Guarana
    · votar


    O interessante sobre o Emicida é que sempre vale a pena parar pra ouvir o que ele tá dizendo.

    condescendência com o crime organizado é uma análise bastante preconceituosa

    E vou além. É uma análise errada, pois na verdade o que mais acontece é justamente o contrário.
    Como movimento cultural, não temos por aqui um gênero musical que é mais critico com o crime organizado de toda as formas do que o rap e o hip hop.
    E olha que as críticas são feitas de forma explícita.

    Silspiders
    Membro Novato
    # 28/jul/20 13:26
    · votar


    Viciado em Guarana

    Pode crer!

    Lelo Mig
    Membro
    # 28/jul/20 14:04 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    Viciado em Guarana

    "E vou além. É uma análise errada, pois na verdade o que mais acontece é justamente o contrário.
    Como movimento cultural, não temos por aqui um gênero musical que é mais critico com o crime organizado de toda as formas do que o rap e o hip hop.
    E olha que as críticas são feitas de forma explícita."


    Sim.

    Mas (sempre há o "mas"), não podemos esquecer que existem grupos/artistas que fazem apologia sim, não só ao crime e ao tráfico, como a violência, violência contra policiais, estupro, uso de drogas, ostentação e etc.

    É até compreensível e realista, se entendermos o conceito e a origem, o meio em que vivem, num mundo onde o criminoso é a única referência de "bem sucedido".

    Também não é exclusivo do RAP, Hip Hop, Funk... existe no Rock também. Inclusive há Rock neonazista, homofóbico, racista e etc.

    Por isso, faço questão de deixar claro que não estou generalizando, apenas pontuando um "outro lado" da balança.

    No RAP, a apologia ao crime e violência em geral têm até nome: Gangsta. Não deixa de ser uma "realidade", no sentido de que para muitos o crime "seria a única opção".

    No Brasil a apologia ao crime e incitação as drogas em letras de música é proibido (ainda que não haja exatamente censura prévia e sim uma proibição judicial posterior julgado e crime de responsabilidade). Mas rola, passa, não têm como.

    Não tenho uma opinião 100% sobre esse assunto, em como lidar, não tenho certeza de qual seria o procedimento correto em termos sociais/legais. Qual a fronteira entre liberdade de expressão e apologia ao crime? É assunto bastante complexo.

    Sei não ser o caso do Emicida e sei, também, não ser a questão do Tópico, apenas aproveitei para dissertar.





    Neste segundo exemplo, Dilma é uma senhora, têm neto, é liberdade de expressão uma música que fala "bala na piranha da Dilma sapatão"?

    E se for a Michele Bolsonaro? Aí pode só porque eu não gosto do marido dela?

    Qual o limite e critério?

    entamoeba
    Membro Novato
    # 28/jul/20 14:38
    · votar


    Apologia? Imagine a reação desse gente ao ouvir Hüsker Dü!

    Hey little girl, wanna go for a ride?
    There's room and my wagon is parked right outside
    We can cruise down Robert Street all night long
    But I think I'll just rape you and kill you instead

    Diane (Die..ane), Diane (Die..ane), Diane (Die...ane)

    I hear there's a party at Lake Cove
    It'd be so much easier if I drove
    We could check it out, we can go and see
    Come on, take a ride with me

    Diane (Die...ane), Diane (Die...ane), Diane (Die...ane)

    Lay down together for a while
    I'll put all your clothes in a nice neat little pile
    You're the cutest girl I've ever seen in my life
    But it's over now and with my knife


    Lelo Mig
    Membro
    # 28/jul/20 15:09
    · votar


    entamoeba

    Pois é... é assunto complicado. Como deixei claro no meu texto, não tenho uma opinião convicta sobre o assunto.

    Sinceramente não sei avaliar, ainda que ao meu ver a personagem fictícia "Die... anne", seja diferente de "Dilma".

    Silspiders
    Membro Novato
    # 28/jul/20 15:32
    · votar


    Mas aí complica! É claro para nós que existem artistas que realmente fazem apologia a não só um tipo de crime, ao tráfico, roubo, mas prostituição, exploração sexual de menores, pedofilia...

    Como foi destacado não é o caso do Emicida, mas embaralhar tudo não dá certo.

    Lelo Mig
    Membro
    # 28/jul/20 15:55
    · votar


    Silspiders

    "...não é o caso do Emicida, mas embaralhar tudo não dá certo."

    Sim, sim... tanto é que deixei claro no meu post:

    "Por isso, faço questão de deixar claro que não estou generalizando, apenas pontuando um "outro lado" da balança."

    "Sei não ser o caso do Emicida e sei, também, não ser a questão do Tópico, apenas aproveitei para dissertar."

    De qualquer forma, perdão pela desvirtuada no tópico. Sigamos!

    entamoeba
    Membro Novato
    # 28/jul/20 16:08
    · votar


    Lelo Mig
    ao meu ver a personagem fictícia "Die... anne", seja diferente de "Dilma".

    É, mas fiquei na dúvida! Não entendi nada do que ele canta, aí procurei ler a letra. É uma declaração de guerra ao Estado e aos seus representantes naquele momento (Cabral, Dilma, Força Nacional e UPP), na posição de inimigos do tráfico. Se for ver, é mais impessoal do que a música do Gabriel, O Pensador, que matou o Collor e jogou futebol com a cabeça dele.

    O mais grave da música é a apologia ao estilo de vida do tráfico, porque o tom obviamente não é crítico! Mas isso é bem complicado! Essa música do Cirurgia Moral, por exemplo, é, ao meu ver, uma crítica ao estilo de vida da bandidagem. Mas dá para interpretar de outro jeito tranquilamente.



    Silspiders
    Membro Novato
    # 28/jul/20 16:21
    · votar


    De qualquer forma, perdão pela desvirtuada no tópico. Sigamos!

    Quem tem clareza tá beleza, separa as coisas. O problema é que no fórum tá cheio de urubu a fim de uma carniça, né.

    Lelo Mig
    Membro
    # 28/jul/20 16:53 · Editado por: Lelo Mig
    · votar


    entamoeba

    "O mais grave da música é a apologia ao estilo de vida do tráfico, porque o tom obviamente não é crítico! Mas isso é bem complicado! Essa música do Cirurgia Moral, por exemplo, é, ao meu ver, uma crítica ao estilo de vida da bandidagem. Mas dá para interpretar de outro jeito tranquilamente."

    Eu não gosto de RAP gringo. Não tenho inglês suficiente para entender o que os caras cantam (meu inglês não é fluente, é só leitura e fala mansa), e musicalmente não me atrai.

    Mas, RAP nacional, ouço muitas coisas, acho alguns trabalhos muito bons, letras muito legais e bem construídas e o único estilo que faz crítica social nos tempos atuais.

    Mas, infelizmente, me julgo capaz de ouvir muitas coisas e "separar" o contexto, e fico em dúvida se alguns pouco maduros ou menos esclarecidos sejam capazes disso. (sim, estou sendo pretensioso provavelmente), mas é como sinto.

    Por isso tenho essa dúvida em relação a essa "liberdade de expressão", total, parcial ou relativa. Não cheguei a um consenso pessoal.



    entamoeba
    Membro Novato
    # 29/jul/20 14:10
    · votar


    Lelo Mig

    Pois é. Veja que essa música que você postou também fica no limiar da crítica! Pensando bem, essas músicas nem chegam a ser críticas, elas são descritivas e a crítica tá implícita! Elas criticam e romantizam, ao mesmo tempo.

    ...

    Agora que vi a fala do Emicida! Muito lúcida, muito correta! Já vi esse cara falando umas bobagens, mas ele é visivelmente acima da média!



    acabaramosnicks
    Membro Novato
    # 29/jul/20 15:24
    · votar


    e o único estilo que faz crítica social nos tempos atuais.

    tá loco? e o grind? e o punk? hc?

    desalmado, surra, fataar, tonelada, etc...

    Lelo Mig
    Membro
    # 29/jul/20 15:36
    · votar


    entamoeba

    "Já vi esse cara falando umas bobagens, mas ele é visivelmente acima da média!"

    Eu gosto de algumas canções dele, acho ele bastante lúcido. Fala umas merdas as vezes, mas quem não fala? O Mano Brown, por exemplo, é bastante incisivo, truculento e rude até, mas são vozes importantes, de um povo que nunca teve voz, e muitas vezes temos de ouvir estes caras e ficar calados, só ouvindo o que eles têm a dizer.

    "Elas criticam e romantizam, ao mesmo tempo."

    Exato!

    acabaramosnicks

    "tá loco? e o grind? e o punk? hc?"

    Anda bem boiolinha ultimamente... kkk

    acabaramosnicks
    Membro Novato
    # 29/jul/20 15:57
    · votar


    Entre o amor e o ódio,
    A cruz e a espada,
    A verdade importa muita pouco ou quase nada.
    A vida é uma venda,
    vitrines todos vidrados.
    Obviedades obliteradas, pela remoção das finas camadas de pudor.
    Cobrindo o grotesco, que emerge do lixo da história como novidade

    ____________

    Os ricos se unem e amam violência
    Da porta do seu condomínio pra fora
    Abramos os olhos no avanço dos ricos
    Contra nós a violência só piora

    País sem noção
    Completamente alheio à realidade
    A prioridade é espelhar nossa vida na classe inimiga
    País sem noção

    ______________

    se isso aqui é boiolinha talvez eu seja meio boiolinha então, porque to achando bem daora

    acabaramosnicks
    Membro Novato
    # 29/jul/20 16:03
    · votar


    Aliás, facção é vida. A minha favorita é o show começa agora. A primeira vez que escutei eu era pequeno; eu venho de família rica mas no dia em questão estava na casa de um primo que morava na quebrada. Criança não vê muito essas diferenças, pra mim era a mesma coisa brincar na rua dele e na rua do meu condomínio, mas claro que não era. A gente tava no quarto dele comendo pão com mortadela e começou a tocar esse som e ele falou pra eu escutar. Mano, eu fiquei paralisado repensando em tudo à minha volta.

    Silspiders
    Membro Novato
    # 29/jul/20 16:14
    · votar


    entamoeba

    Ele faz um paralelo muito foda também com a música dele, Trepadeira, e Mulheres de Atenas de Chico Buarque. Não estou com tempo de desenvolver, mas ele retira duas frases das duas músicas e faz o paralelo com as estruturas racistas que eu comecei destacando.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Emicida no Roda Viva: