Com quantos anos começou a beber e com quantos anos pretende parar?

Autor Mensagem
Buja
Veterano
# 21/set/20 16:36
· votar


Bebo desde os 18. Vou parar semana que vem.

acabaramosnicks
Membro Novato
# 21/set/20 17:31
· votar


vish... comecei com 17
Na epoca que eu era viciado, enchia a cara nervoso direto, hoje, se eu tomo duas latinhas já fico zonzo. Nem sei quando foi a ultima vez. Tipo straight edge, só que não.

brunohardrocker
Veterano
# 21/set/20 22:36
· votar




Drinho
Veterano
# 22/set/20 09:41
· votar


Comecei a beber com 16 e parei com 21
Comecei a fumar com 16 e parei no início deste ano.
Experimentei algumas drogas mas não achei graça nenhuma.

Meu problema pro resto da vida vai ser cigarro, se algum amigo meu está fumando eu até saio de perto para não ter risco de recaída.

Jonas Kahnwald
Membro Novato
# 22/set/20 10:56
· votar


Bebo desde os 18, não pretendo parar

acabaramosnicks
Membro Novato
# 22/set/20 11:01
· votar


Drinho
Pela minha experiência, cigarro é mais difícil de parar do que qualquer outra droga. E olha que eu bem conheci um punhado de drogas. Foi a que eu deixei por último, foi difícil.
Relatos de amigos que passaram por centros de rehab, é que é mais fácil largar o crack do que largar o cigarro.

Jonas Kahnwald
Membro Novato
# 22/set/20 11:12 · Editado por: Jonas Kahnwald
· votar


acabaramosnicks
do que largar o cigarro.

Eu entendo muito o porque é dificil largar, mas nunca entendo porque alguém começaria, sendo que se trata de uma droga que todo mundo num primeiro contato acha fedorenta, além de dar muita tosse, e nenhuma brisa como o alcool e/ou maconha.

Seria apenas pelo "status" ou pressão de amigos?

Drinho
Veterano
# 22/set/20 11:39
· votar


é que é mais fácil largar o crack do que largar o cigarro

acredito que sim cara...

cigarro é extremamente viciante, basta ir até a padaria buscar e é barato...

não coloquem essa merda na boca nem de brincadeira, pra largar é um inferno...

acabaramosnicks
Membro Novato
# 22/set/20 12:11
· votar


Jonas Kahnwald
O sujeito começa porque é tapado mesmo, não tem outra explicação. Como vc mesmo disse, o bagulho fede e TODO MUNDO sabe que é altamente viciante e arrebenta com a saúde tanto a curto como a longo prazo.
Pressão de amigos é uma possibilidade.

Sinceramente, eu não lembro quando ou por quê comecei, mas lembro que nunca tive aquela tosse incontrolável nem nos primeiros tragos, e no começo eu tinha uma sensação de dormência mental que não se tem com nenhuma outra droga e que o próprio cigarro não te traz mais depois, mesmo se vc se abster e depois voltar presumindo que deixou de ter por ter criado tolerância, não é; é algo que você simplesmente nunca mais sente e não tem muito como explicar como é.

E depois de viciado, fudeu. A menos que tu seja daqueles que fumam absolutamente o tempo todo, a sensação de relaxamento e prazer físico e mental que um cigarro traz em momentos específicos* é incomparável, é quase como um orgasmo, um formigamento no corpo todo e no cérebro, indescritível. E se tu fica mais tempo do que o habitual sem fumar, quando vc da um trago a sensação e ainda mais potente.
Além disso, tem também o alívio dos sintomas de abstinência que não têm a ver com isso descrito acima, é uma coisa à parte. É só um alívio dos sintomas mesmo, nada mais. Não é algo que traz um sentimento gostoso, só afasta o sentimento ruim da abstinência.

* - depois da refeição, depois do sexo, depois de um momento de stress, etc

Sobre o impacto na saúde, vou contar do meu caso particular.
Eu sou um cara que, talvez por hábitos de quando eu estava em desenvolvimento mais boa nutrição e genética, tem uma boa saúde que vem naturalmente. Tenho facilidade em manter um peso adequado, mesmo quando fico sedentário eu continuo com um condicionamento nada ruim, e se pego pra treinar eu alcanço rápido o povo que treina há bastante tempo.
Quando eu comecei a fumar eu não era nada sedentário, ia de bike pro trampo e ainda almoçava em casa, 4 viagens de bike por dia mais o rolê de skate à noite. Depois de um tempo fiquei sedentário e continuei fumando. Mano, fui pegar bola com uns colegas e fiquei igual esses véio que dá uma corridinha e tá quase morrendo! Sabe quando tinha sido a última vez que eu senti isso? Na trilha de volta do rolê da escalada de agulhas negras, que a gente fez a volta trotando na chuva sei lá quantos km. Na hora eu falei: eu preciso parar com essa bosta urgente! Assim fiz, voltei a dar uma treinada, e em alguns meses minha saúde voltou ao meu normal. Isso pq eu sou novo de idade, se fosse mais velho, sabe lá deus o quão difícil poderia ser. Se fosse uma pessoa com saúde mais volátil, sabe-se lá a que ponto poderia ter chegado.

Olha. Cigarro é ruim e você deveria parar, isso é óbvio. Mas pelo amor de Jah, enquanto tu ainda fuma, equilibre o vício a uma atividade física e boa alimentação, se não tu tá enrolado. Um pouco de droga, um pouco de salada e flexões.

acabaramosnicks
Membro Novato
# 22/set/20 12:15
· votar


Aliás, uma das taticas mentais que eu usei pra parar é bem interessante. A gente se acostuma a associar o cigarro a situações boas: refeição, sexo, etc... Faça o oposto. Nessas situações vc deixa de fumar, e passa a fumar naquela hora que tu tá largado no sofá e não quer levantar por nada. Pega pra fumar naquele prédio sem elevador que vc precisa subir e descer lance de escadas. Parece besta, mas me ajudou.

Lelo Mig
Membro
# 22/set/20 14:19 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Já disse aqui que sou um vagabundo de caráter fraco que troca qualquer coisa na vida por qualquer coisa que dê prazer, ou seja, nasci desenhado para ser escravo de vícios de jujuba à crack, de preguiça à games.

Por isso, e por sorte ao perceber cedo, sempre me mantive longe dos vícios o máximo possível.

Por exemplo, quando experimentei maconha a primeira vez, achei tão maravilhoso que se seguisse meus instintos comprava 50 kilos no mesmo dia... o que fiz foi ficar longe e só fui "experimentar" de novo um ano depois.

O mesmo vale para outras drogas. Então consegui passar ileso por elas e não uso, nem recreativamente há uns 25 anos. Só com o álcool que nunca tive problemas, consigo beber socialmente de boa.

Já viciei em sexo e game também.

O pior foi o cigarro. Fui viciado muito tempo, larguei fazem 6 anos. Mas, uso a tática dos alcoólatras, não digo que parei, digo que estou sem fumar há 6 anos.

Se me botarem num paredão de fuzilamento e perguntarem qual meu último pedido: Um cigarro!

Drinho
Veterano
# 23/set/20 05:00 · Editado por: Drinho
· votar


Se me botarem num paredão de fuzilamento e perguntarem qual meu último pedido: Um cigarro!

2


Inclusive já avisei para todo mundo que se eu chegar vivo aos 80, voltarei a fumar.

E tem que ser o Marlboro vermelho. Bom e velho...

6Strings
Membro Novato
# 23/set/20 08:13
· votar


Cigarro é uma desgraça mesmo. Fumo há aprox. 20 anos, atualmente uns 5 cigarros por dia.

Tentei parar várias vezes, mas fico no máximo uma semana sem, e assim que vivo algum momento de stress volto.

O pior é que atualmente quando estou fumando só fico pensando que preciso parar de fumar. Uma pressão psicológica danada em mim mesmo.

Cansativo....

Lelo Mig
Membro
# 23/set/20 09:36 · Editado por: Lelo Mig
· votar


6Strings
Drinho

Existe uma questão cultural muito forte também e isso influi diretamente na relação que temos com as drogas, veja bem:

O álcool é uma das drogas mais deploráveis que existem. É uma das poucas, junto com o crack, que deixam um cara caído na rua todo cagado e mijado. Sua ação é devastadora, ela deixa o cidadão totalmente exposto ao pior estado possível. É, também, a droga mais ligada a violência. Bêbado, não todos, mas muitos, matam.

No entanto, ninguém liga. Gente importante e influente conta suas bebedeiras e vexames com a maior naturalidade. Neguinho volta carregado prá casa, guria dá o cu pro baile funk inteiro, e acham engraçado.

Além de que, a dependência "física" do álcool é das maiores de todas as drogas.

Já a maconha, por exemplo, não causa overdose, nem coma, nem ressaca, quase não se relaciona a violência (do usuário, não estou falando da criminalidade pela ilegalidade), é super mal vista. Maconheiro é visto como bandido marginal.

O tabaco, por ser até outro dia, uma droga bem vista socialmente, também não era vista como um problema. Além de que é uma das poucas drogas que não impedem a pessoa de levar uma vida normal. Não interfere no trabalho, na lógica, na razão, na criatividade, não compromete as funções motoras ou reflexo.

Mas, por mais non sense que seja, hoje o cigarro é o vilão e a bebida continua "ilesa". Milhões morrem por ano por consequência direta ou indireta do álcool e foda-se. Já, em séculos, você nunca ouviu sobre a ação de um assalto ou assassinato (fora das penitenciárias) cujo o motivo fosse o tabaco.

"O pior é que atualmente quando estou fumando só fico pensando que preciso parar de fumar. Uma pressão psicológica danada em mim mesmo."

Isso ocorre com a maioria dos fumantes. Chega uma hora que o cigarro cada dia te dá menos prazer e o peso dos malefícios começa a ser sentido, você começa a pensar cada dia mais em parar e se frustra por constatar que é um viciado dependente e escravo da substância.

Quando eu era jovem o cigarro não me fazia mal algum. Eu praticava esportes, tinha mais folego e vigor que um monte de não fumantes. Lá pelos 40 uma dorzinha de cabeça todo final de tarde, pressão alta batendo na porta, olfato tinha ido prá casa do chapéu... a idéia de largar o cigarro começou a virar uma fixação, mas não conseguia.

Quando meu filho nasceu, eu tinha 38 anos, parei de fumar. Fiquei quase 3 anos. Um dia um amigo foi em casa, fiz um churrasco e pensei: Eu venci o vício. Se eu fumar 1 cigarrinho no sábado, por lazer, posso fumar recreativamente.

O 1 de sábado virou 1 de sábado e 1 de domingo. Depois virou 1 por dia... e quando me dei conta estava fumando 1 maço por dia novamente.

Foi uma frustração e sensação de fracasso.

Um dia, conversando com um tio ex alcoólatra (sem beber há uns 30 anos), ofereci um bombom à ele. Ele perguntou:

- É bombom de licor?
- É.
- Então não como. Sou alcoólatra.

Eu argumentei. Tio, o senhor não bebe a mais de 30 anos, um bombom seria um problema?
Ele disse que era alcoólatra e continuava alcoólatra e ia morrer alcoólatra. Que não tinha força contra o álcool, não podia vencê-lo. Então, sua única chance em continuar sóbrio era não ingerindo álcool sobre hipótese alguma.

Eu fiquei com isso na cabeça e, de certa forma, sabia que meu erro na primeira vez que deixei de fumar, foi não me conscientizar que eu era um fraco escravo viciado e dependente do tabaco, e na pretensão de achar que venci o vício, me fudi.

Quando parei novamente (fará 6 anos mês que vêm) botei na cabeça que "eu sou fumante e estou sem fumar há 6 anos".

Tenho me saído bem.

Obs: Não evito pessoas e ambientes em que fumam. Pode fumar ao meu lado. Uma das premissas que adotei é que o mundo não se adequaria as minhas condições de viciado que descontinuou o hábito, então eu teria de ser forte para lidar com isso.

Jonas Kahnwald
Membro Novato
# 23/set/20 12:19
· votar


Lelo Mig
Além de que, a dependência "física" do álcool é das maiores de todas as drogas.

Já a maconha, por exemplo, não causa overdose, nem coma, nem ressaca, quase não se relaciona a violência (do usuário, não estou falando da criminalidade pela ilegalidade), é super mal vista. Maconheiro é visto como bandido marginal.

O tabaco, por ser até outro dia, uma droga bem vista socialmente, também não era vista como um problema. Além de que é uma das poucas drogas que não impedem a pessoa de levar uma vida normal. Não interfere no trabalho, na lógica, na razão, na criatividade, não compromete as funções motoras ou reflexo.

Mas, por mais non sense que seja, hoje o cigarro é o vilão e a bebida continua "ilesa". Milhões morrem por ano por consequência direta ou indireta do álcool e foda-se. Já, em séculos, você nunca ouviu sobre a ação de um assalto ou assassinato (fora das penitenciárias) cujo o motivo fosse o tabaco.


Então, mas é que tem um fator aí que precisa ser considerado.Eu concordo com praticamente tudo o que você falou com relação ao abuso destas drogas.

Porém bebidas alcóolicas, em quantidades moderadas, podem realmente fazer bem ao corpo. O problema é que são poucos os que bebem com esse controle. Então digamos que o álcool, dentre as 3 citadas, é a única que tem um consumo saudável e recomendável até, porém é a que tem o potencial mais destrutivo também caso seja abusada.

O mesmo vale para as "drogas da mente". Eu já precisei tomar por um bom tempo remédios para ansiedade. São drogas que te ajudam se vc tomar em doses controladas e por um tempo, porém se vc abusar ou não tomar direito é possível que seu problema seja maior que de inicio.

P.S A maconha sei que tem diversos estudos indicam que ela possui propriedades benéficas, porém eu tenho certeza absoluta que essas propriedades seriam muito melhor aproveitadas se a maconha fosse administrada de outra forma que NÃO o fumo. Porque isso por si só já pode causar problemas pulmonares (num nível menor que o cigarro, mas mesmo assim)

Lelo Mig
Membro
# 23/set/20 12:34 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Jonas Kahnwald

Eu concordo com você. E eu não quis generalizar.

Mas, eu sempre me pergunto. Porquê eu não tenho problemas com o álcool (e nunca tive) e fulano têm? Eu não sou melhor que ele.

Então, alguns organismos, uma propensão, ou até mesmo hábitos equivocados ou abusos, desviam o cara para o vício. Ele NÃO pode beber de jeito algum... eu posso tomar meu vinho ou minha cervejinha, numa boa.

Dentro dessa premissa, ainda que eu não faça uso, talvez fulano pudesse fumar sua maconhinha de forma recreativa ou um cigarrinho, para acalmar e relaxar.

Índios fazem isso com várias drogas e não existem relatos de vícios ou abusos em tribos indígenas.

O Canabidiol (óleo extraído da maconha) não contêm THC, não deixa "bem louco"... é medicinal, não é recreativo. E esta comprovado a eficácia, tanto é que a ANVISA liberou em novembro de 2019.

Mas, não é neste sentido que falo. Porque mesmo o álcool, ainda que comprovado seus benefícios, nenhum médico receita. Então, fazendo um paradoxo, o baseadinho seria o recreativo que relaxa.

Mas, o homem branco, em nossa sociedade consumista, vicia! Sua vida stressante e sem graça, sem objetivos e sem sentidos, o faz escravo de qualquer porcaria que lhe der 10 minutos de prazer.

Não estou condenando o vício não! nem julgando caráter, até porque já disse acima que o meu é fraco. Mas constatando uma realidade e como nossa sociedade lida com isso e faz vista grossa para algumas coisas e criminaliza outras, sem critérios racionais, apenas baseado em achismos e preconceitos.

Amigo, você pelo jeito nunca teve vícios, fico feliz por você, mas vou te contar uma coisa...

Quando eu fumava minha ex mulher também fumava. As vezes, era tipo 19 hs e ela tinha 2 ou 3 cigarros no maço, eu dizia: Você só tem 2? E se acabar?
Ela dizia: se acabar acabou. Não fumo.

Eu, neste horário, olhava e fazia os cálculos: Fumo um a cada 45 minutos, vou dormir as 23 hs, então tenho que ter no mínimo 6 cigarros. Mas e se eu acordar à noite? Tiver insônia? Preciso de no minímo X cigarros + % extra x a raiz quadrada da fumaça vezes seu deslocamento no ar = Comprava 01 pacote, para garantir...kkkk

Eu saía para comprar, a hora que fosse, embaixo de chuva de pedra e furacão, para não correr o risco de ficar sem. A possibilidade disso acontecer, me deixava maluco.

Você percebe o grau de vício e dependência? De escravidão? Da paranóia?

Uma pessoa "normal" não consegue entender isso.

Hoje, em compensação, você não imagina o orgulho de ter vencido essa "força".

Jonas Kahnwald
Membro Novato
# 23/set/20 16:31
· votar


Lelo Mig
Eu tenho meus vícios, por mais que sejam com outras coisas, como jogos por exemplo. Não sou santo e sem falhas kkkk. Porém é bom ter consciência da relação entre alguns hábitos e seus efeitos em nossa saúde para que seja mais fácil combater um vício quando ele surgir.

Como vc bem disse, é facil se viciar em qualquer coisa que proporcione prazer, principalmente se esse prazer estiver associado à algum fator químico externo.

O que eu quis dizer apenas, é que é possível vc ter uma recreação com o alcool sem que isso prejudique sua saúde. Com o cigarro, por exemplo, ainda que vc não prejudique mais ninguém, em qualquer dose mínima cv está se auto prejudicando.
Então realmente fico feliz por vc por ter vencido isso.

Viciado em Guarana
Veterano
# 23/set/20 16:52
· votar


Sejam nóia não!

JJJ
Veterano
# 23/set/20 19:04
· votar


Não tenho problema nenhum com vícios. Eu enjoo das coisas muito antes de me viciar.
Ficar repetindo a mesma rotina anos a fio? Encher a cara todo santo dia? Fumar 3 maços todo santo dia? Apostar em cavalo, em jogo do bicho, em pôquer, etc. todo santo dia?
Felizmente esse problema eu não tenho.
Não fumo (nada), não jogo a dinheiro (nada). Quando bebo (geralmente fim de semana) é uma taça de vinho ou uma latinha de cerveja e pronto. E não me fico me policiando pra parar, não; paro porque não me dá vontade de continuar mesmo.

Drinho
Veterano
# 24/set/20 09:19
· votar


hoje o cigarro é o vilão e a bebida continua "ilesa".

Verdade, eu bebia de besta e escondido, nem de longe cheguei a ser viciado, hoje não bebo nada de alcool e não sinto falta nenhuma, no máximo uma cerveja bem gelada se estiver um dia muito quente e não tiver agua gelada como alternativa. Na minha casa sempre existiu a cultura de fumar cigarro tudo bem (porque meus pais sempre fumaram), mas beber nem pensar exatamente pelos motivos deploráveis que você citou. Aí me viciei forte em cigarro e fumei um maço por dia dos 16 até este ano, comecei com a auto cobrança de parar há uns 3 anos, tentei duas vezes sem sucesso e agora aparentemente tá funcionando porque eu já to há quase 6 meses sem fumar e a vontade diminuiu a quase zero, não vou falar zero porque existem alguns momentos que bate uma vontade muito forte que some em uns 10 minutos se eu tentar ocupar a cabeça com outra coisa...

Buja
Veterano
# 24/set/20 11:10
· votar


Uma pessoa "normal" não consegue entender isso.

Sempre me perguntei a vida inteira, o que fazia meu pai viciar em tudo que aparece pela frente.
Meu pai é exatamente o oposto do JJJ. Ele nao enjoa, ele vicia.

E é quase qualquer coisa. Acho que voces nunca ouviram falar, (so os mais velhos),
mas tem um mato que se chama serraia. isso da até em beira de estrada. Boi come.
Se come isso na salada por exemplo. Mas é dificil ver hoje em dia.

Pai comeu uma vez. Gostou, comeu 2. Gostou mais, comeu 3, 4, 5.
Hoje ele SO COME SALADA DISSO. TODOS OS SANTÍSSIMOS DIAS.
SEM QUALQUER EXAGERO. FILMO E TIRO FOTO PRA PROVAR.
E carne de porco. Ele nao come outra coisa.
Somente isso, todos os dias indefinidamente desde que eu me lembre.

Ja falei aqui que ele tem uma mania louca e desesperadora de passar sempre
pela mesma rua, pra ir a qualquer lugar.
Se ele vai pro sul, e a rua ta pro norte, ele vai a pé na rua do norte, e volta para ir ao sul.
Parece uma pereguinação. As vezes acho que ele fez juramento pro santo de qualquer coisa.
Mas não é. É vicio. Ele nao consegue parar de fazer isso.

Ele ja foi extremamente alcoolatra. Do tipo que precisei gritar socorro para a vizinha enfermeira,
que meu pai tava tendo uma parada e entrando em coma alcoolico. Bebia sim 1 litro de pinga
antes do dia terminar. Acordava de madrugada para tomar pinga.
Ele parou com isso, porque viu a morte real na frente.
Mas nao consegue para de tomar 1 latao todos os santos dias. Todo dia, todo dia, todo dia, 1 latao.
Passa fome, vende latinha, esperneia, pede emprestado, pede pro amigo, pede até pra desconhecido.
Mas nao fica sem a cerveja diaria. Jamais.

Com o cigarro, a situacao é absurda de tensa.
Ele fuma de 10 em 10 minutos, quando ta tranquilo e calmo
Quando ta nervoso, ele fuma um atras do outro.
Acaba com o maço em 2 horas.
Na gaveta dele, tem caixas e mais caixas de cigarro.
Pra ele, a ideia de ficar sem cigarro é massacrante, uma tortura real.

E outros vicios vem alem desses, como pornografia por exemplo, que o celular
dele é absolutamente lotado.

Ele tem vicios bobos, e manias agoniantes, como implicar com a tv quando a globo nao ta no canal 12.
Ele fica inquieto, andando pela casa, futucando na antena, apertando os botoes do controle remoto,
tentando fazer a globo estar no canal 12.1, quando nem sempre fica assim.
Ja expliquei um milhao de vezes que 12 nao é sinonimo de globo, e que se a tv desconfigurar,
a globo pode ficar no canal 54, ou 31, tanto faz.
Ele nao se aguenta.

Poderia descrever varias outras coisas do pai aqui, mas realmente ficava e continuo ficando muito
inculcado com a facilidade que ele tem de fazer rotinas e viciar em qualquer coisa.

leio os realtos do Lelo e, por mais brabos que parecam, vejo que ele tem senso e força.
Meu pai nao tem isso. Ele simplesmente vicia e pronto.
Me doi o coração ver isso, mas ele so vai parar de fazer isso no caixão, infelizmente.

Lelo Mig
Membro
# 24/set/20 11:13 · Editado por: Lelo Mig
· votar


Drinho

"aparentemente tá funcionando porque eu já to há quase 6 meses sem fumar e a vontade diminuiu a quase zero, não vou falar zero porque existem alguns momentos que bate uma vontade muito forte que some em uns 10 minutos"

Não cometa alguns erros básicos e tudo ficará bem:

1- Não pense que você venceu o vício, nunca. Mesmo que não tenha mais vontade, você é e vai morrer viciado. Sua única opção é não fumar.

2- Você esta há 6 meses, vai entrar num porto seguro, mas tenha em mente que, assim como estações do ano, você terá provações sazonais te testando, vem "ondas de vontade" e é onde a maioria se afoga, porque acha que venceu e "fumar só unzinho" não pega nada.

3- Não pense que esta vontade irá acabar. Ela ressurge eventualmente. Hoje, passo meses sem lembrar de cigarro, e de repente, dá vontade, do nada. É como se fosse um teste eventual. Mas, vem e vai, não é mais "torturante". As vezes sonho que estou fumando.

Buja

Com relação a seu pai, pela sua descrição, ele nitidamente têm problemas psiquiátricos/psicológicos sérios, tipo compulsão, ansiedade, transtornos obsessivos e etc. Muito provavelmente isso deveria ter sido visto e medicado há muito tempo.

Infelizmente, pelo pouco que descreveu, quase tenho a certeza que se você disser a ele que uma ajuda psicológica seria interessante, ele vai mandar você TNC e dizer que não há nada de errado com ele.

Conheço o tipo...

Com "relação a minha força", acredite, não é força... sou fraco, muito fraco, propenso ao prazer fácil em detrimento das responsabilidades e rotinas chatas do dia à dia.

Mas, talvez o que me difira do seu pai, seja apenas educação (no sentido de estudo).

Por exemplo, modéstia à parte eu conheço bastante acima da média, cientificamente falando, sobre drogas, porque estudei profundamente o assunto. Li livros e mais livros sobre cocaína, heroína, álcool, tabaco, lsd, anfetaminas... tudo, porque precisava saber como elas agiam, como eram feitas, porque davam barato, porque fazem mal e porque viciamos.

Como eu sou muito afeito à ciência e preciso da informação e, de certa forma, assim como um religioso acredita, eu "acredito" nas explicações científicas.

Então, sempre aceitei, por exemplo, que o cigarro fazia mal. Fumava, mas não era negacionista. Isso me ajuda, porque de certa forma eu me cobro interiormente, tipo: "Pô você é um cara esclarecido, sabe as consequências e tá fazendo essa merda?"

Geralmente quem têm pouca informação, não quer se informar e se torna negacionista, começa com aquele tipo de discurso:

"Bobagem, fulano fumou até os 95 e não pegou nada! Pára de encher meu saco, vai cuidar da sua vida!"

Que me parece seria a postura de seu pai.

JJJ
Veterano
# 24/set/20 11:55 · Editado por: JJJ
· votar


Buja
Meu pai é exatamente o oposto do JJJ.

O meu também era...

Tem que ver também a época, a falta de informação, etc...

Buja
Veterano
# 24/set/20 12:24 · Editado por: Buja
· votar


Mas, talvez o que me difira do seu pai, seja apenas educação (no sentido de estudo).


Pai realmente nao teve estudo, mas sabe, ele é um cara esclarecido, nas limitações dele.
É o tipo que sabe as consequencias das coisas, mas nao tem auto-controle.
Ele nao tem essa força de vontade de saber que está errado, que está fazendo mal,
que vai mata-lo, e parar. Simplesmente não tem essa persistencia.

Acho que tem mais a ver com toc mesmo. Ele nao tem esses 'tics' estranhos de quem tem toc.
Mas ele tem muita facilidade em manter a rotina no que lhe traz prazer, e estrema (extrema é com X ne) dificuldade em deixar essa rotina.

Eu lembro de quando ele saiu da empresa que ralava por mais de 20 anos, e eu fiquei com dó.
Ele acordava de manhã, colocava o uniforme, ia pro ponto de onibus,
e de frente ao ponto tem (até hoje) uma mercearia quem vende pao e pinga.
Ele ficava la, tomando doses, e esperando o onibus que ele nao iria pegar,
ja que nao ralava mais na empresa. Ela triste de ver.
Nao porque ele gostava da empresa. Mas ele nao conseguia largar a rotina.
Levou tempo pra deixar de fazer isso.


Pô você é um cara esclarecido, sabe as consequências e tá fazendo essa merda?

Ja diziam que dentro da gente tem ego e superego e id.
Desses, o id é o mais forte, animalesco, instintivo e irracional.
E por ter mais froça, bate no superego facil.
Sempre vai ser assim.

Se fosse facil, hein, imagina, eu não beberia era nada, faria exercicios, estudava mais,
nao dava vacilos retardados que dou no dia-a-dia,
como gastar dinheiro com porcarias e perder tempo com preguiça e procrastinação.
O meu id ganha com frequencia tambem kkkk.




Que me parece seria a postura de seu pai.


Exatamente kkkkkk !!!!!
Eu ja desisti de falar pra ele parar de fumar.
Alias, toda a familia ja desistiu.

Sempre vem a resposta:
Eu mando voce parar de beber cerveja?
Eu mando sua mae parar de gastar dinheiro?
Eu mando sua irmã parar de comer doce?
Então, para de encher o raio do meu saco.

Lelo Mig
Membro
# 24/set/20 13:18
· votar


Buja

Acredite, eu entendo seu pai, e de certa forma me identifico com ele.

Vou te falar uma coisa... há um fundo "suicida" nesta postura, o de se ligar no foda-se. Eu também sou assim e é uma luta diária para eu não chutar o balde. É um espírito inquieto.

A diferença é que a "rotina" doma este espírito selvagem de seu pai e o meu é o contrário, nesse sentido... uma necessidade constante de chutar o balde, se ligar no foda-se e não dar a mínima para ninguém.

A vida toda tive problemas com disciplina, regras, chefes e autoridades. Não gosto de receber ordens, quero fazer tudo do meu jeito e quando eu quiser... ou seja, o mundo não funciona assim. Eu vivi dos 16 aos 35 dando murro em ponta de faca.

Hoje, mais velho e depois de muito custo, consegui um certo controle... mas meu amigo, eu já machuquei muita gente, já fiz muita gente sofrer, por não me prender a nada, nem a ninguém e fui preocupação constante para minha família durante muito tempo.

Buja
Veterano
# 24/set/20 15:06
· votar


Tem horas que penso que pai ja ligou o F a um bom tempo.
Ele nao procura trampo, nao quer fazer coisas novas,
nao anima de ir pra roça mais, não tem tesão em reformar a casa,
ou qualquer coisa.

Ele so vive a rotina. As vezes vejo ele fumando la e olhando pro nada.
Pergunto o que ta pensando, e ele diz:
"nada. to pensando em nada nao. E voce, ta pensando em que?"

Eu digo que tambem nao to pensando em nada, e ele diz
"entao ta, tamo na mesma"
E ele continua com aquele olhar fixo no nada.

Semana passada demos uma tv nova pra ele.
Eu vi que a dele estava dando ares de pifar,
e ele estava profundamente desgastado com isso.
Via-se nitidamente. Minha irmã mora nos states, mandou
um troco de pão dela lá (que pro brasileiro é uma graninha boa)
e compramos a tv.

Ele recebeu, abriu a caixa, ficou contente, agradeceu, e botou a caixa la.
Eu, no lugar dele, iria correndo montar a tv. Ele nao, pos la e deixou.

Eu fui pra casa, e voltei 2 dias depois. Vi a tv instalada no quarto dele,
parafusada na parede com um pedaço de madeira (um suporte gambiarra).
Fiquei assustado com aquilo, tv novinha, parafusada de qualquer jeito com um pedaço de pau.
Perguntei ele, e ele disse: "ah ta bao, deixa assim mesmo, ta funcionando"

Sao coisas que as vezes fico pensando se ele perdeu a graça com as coisas
e por isso nao ve vantagem em mudar o estilo de vida, nao tem vontade de parar o fumo,
nao quer mudar a alimentação, nao sai mais, qualquer roupa pra ele ta bao mesmo,
e assim vai tocando....

Buja
Veterano
# 24/set/20 15:09
· votar


A vida toda tive problemas com disciplina, regras, chefes e autoridades. Não gosto de receber ordens, quero fazer tudo do meu jeito e quando eu quiser... ou seja, o mundo não funciona assim. Eu vivi dos 16 aos 35 dando murro em ponta de faca.

Imagino que ja tomou muita porrada da vida, e é sofrivel.
Mas sei que tambem guarda boas historias ai, ja viu gente grande,
ja pilotou maquina grande, ja visitou lugares grandes,
e uma carreira que até agora pra mim é misterio
(sei até que nao fica pegando mais na guitarra)
mas pelos posts aqui e ali vou desvendando as coisas.

So sei de uma coisa:
enquanto nao tamo morto, tamo vivo (é logico né, mas é profundo)

6Strings
Membro Novato
# 02/out/20 09:20
· votar


Lelo Mig
Drinho

Quando decidiram parar de fumar foi de uma vez ou foram reduzindo aos poucos?

Decidi parar de fumar hoje....até agora tudo caminhando, não fumei nenhum cigarro ainda, e só pensei nisso umas 517 vezes.

Lelo Mig
Membro
# 02/out/20 09:47 · Editado por: Lelo Mig
· votar


6Strings

De uma vez.

Sou muito indisciplinado, esse negócio de diminuir, no meu caso só servia como desculpa para continuar fumando. A gente se "auto engana".

Acho possível ir diminuindo, mas não em pessoas com meu perfil.

acabaramosnicks
Membro Novato
# 02/out/20 10:38
· votar


6Strings
Eu parei aos poucos. Fumava um maço por dia, cada vez que encostava pra fumar era dois cigarros. Comecei a fumar só um. Depois comecei a pular alguns momentos de fumo. Daí comecei a estipular quantos por dia ou em quê momentos era permitido. Aí chegou um dia que eu fiz o esforço e deixei de comprar, só serrava dos colegas. Até que chegou o dia que eu não fumava mais.

Hoje eu sou quase como um não fumante, o cheiro me enjoa e se alguém fuma perto eu vou embora. De vez em quando dá uma vontade, mas acho que nem se eu tentasse eu conseguiria dar um trago, e a vontade passa num segundo. Mas pra chegar nesse ponto, demorou bastante!

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
Responder tópico na versão original
 

Tópicos relacionados a Com quantos anos começou a beber e com quantos anos pretende parar?