Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Sons de Synths: criação de seus próprios timbres

      Autor Mensagem
      Mauro Lacerda
      Veterano
      # mai/05


      Possuo um SP76 e um módulo QSR Alesis. Trabalho na produção de timbres de sintetizadores, desde OSC até os efeitos. Já consegui criar timbres surpreendentes, e gostaria de compartilhar essas informações. quem gostar de fabricar seus próprios sons, e tiver dúvidas ou dicas, responda.

      Fellipe Quirino
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Mauro Lacerda
      Eu.... quais parametros vc costuma usar. que tipo de variações costuma usar?

      Mauro Lacerda
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Primeiro comecei pegando um OSC simples, tipo dente de serra. alterei attack, release, decay, etc, para ver o que acontecia. Depois, fui fuçar nos efeitos: Leslie, distorção, reverb, etc, e então fui para os LFOs. Cara, fui pondo um timbre sobre outro, atrasava o attack de um, botava um LFO com delay de uns 4 segundos, fiz variações em cima dos filtros, com delay de 2 segundos, usei todos os controllers do meu controlador...
      Cara, tipo Keith Emersom, Rick Wakemam, foi demais...
      Tem uns seis meses que comecei a mexer, mas uso bastante na minha banda, e a galera me incentiva, é demais...
      Usar os controllers em tempo real, usar um para mexer em vários parâmetros, putz...
      Depois, comecei a mexer nos Voices, Orgaos, Strings, tudo mexendo nas formas de onda, acrecentando LFOs, efeitos, tudo que dá.
      É absolutamente inesgotável o que dá para fazer. Tenho uns 15 efeitos "profissionais" que uso na minha banda...
      E vc, o que curte?

      Juliano de Oliveira
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      No caso do teclado ligado ao módulo, vc usa a polifonia do teclado ou do módulo?O maior problema pra criar timbres, pelo menos o meu, é a polifonia do meu teclado q é de apenas 32 notas...Tenho um TS12 e dá pra fazer muita coisa tmb.Talvez uma solução pra melhorar a polifonia dele seja acopla-lo a um módulo.

      Mauro Lacerda
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Quando você liga um módulo em um teclado, e quer usar os sons do módulo, o teclado passa a ser apenas a parte física, só se usam as teclas e os controles, a polifonia é do módulo. Exemplo: o módulo QSR tem 64 vozes de polifonia, e o meu controlador SP 76 tem 16. Se eu quizer usar um timbre do módulo, ele terá as 64 vozes. Se quizer usar um timbre do SP 76, apenas 16 vozes. O piano eu uso do SP, então apenas 16 vozes. Já os órgãos eu uso os do módulo, então 64 vozes de polifonia. Dá para usar os dois juntos, mas não dá para por exemplo usar os efeitos do SP no módulo e vice-versa.
      Se acoplar seu teclado em um módulo, ou terá a polifo. do módulo ou a polif. do teclado, não dá para "juntar" as polifonias.

      Durval Dellê
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Olá.. me interessei por esse tópico...

      Eu comprei o Juno-D da Roland faz pouco tempo, ainda nem li a metade do manual, até pq é dificil parar em casa, e enquanto isso eu ainda toco com um PSR-520 na minha banda... mas mesmo nele, já gostava de alterar os efeitos (que eram muito poucos e precarios).

      Agora com o Juno-D estou percebendo a possibilidade de realmente criar um timbre e já estou tentando fazer alguns com os efeitos que vc mesmo citou acima como attack, decay, delay, reverb, chorus, ressonance, cutoff, enfim..... uma série deles..
      Mas ainda estou aprendendo..

      Uma curiosidade por ser leigo (estou lendo para aprender :D).... ter a polifonia de 64 vozes significa que pode exatamente o que? pois tudo o que li foi meio vago ainda.... tipo tocar 64 tipos de sons ao mesmo tempo, por exemplo vc clica em 10 teclas ao mesmo tempo com um estilo dual, vc está usando 20 vozes de polifonia? gostaria de saber.. valeu!!!

      ROTTA
      Veterano
      # mai/05 · Editado por: ROTTA
      · votar


      Durval Dellê
      Agora com o Juno-D estou percebendo a possibilidade de realmente criar um timbre e já estou tentando fazer alguns com os efeitos [...] Mas ainda estou aprendendo..

      É isso aí. Tenho certeza que você vai se divertir muito aprendendo a programar timbres. E nunca se sabe o bastante neste assunto, cara!

      ter a polifonia de 64 vozes significa que pode exatamente o que? pois tudo o que li foi meio vago ainda.... tipo tocar 64 tipos de sons ao mesmo tempo, por exemplo vc clica em 10 teclas ao mesmo tempo com um estilo dual, vc está usando 20 vozes de polifonia?

      Você entendeu o conceito. É isso mesmo. A polifonia é algo como a capacidade do seu equipamento em executar sons simultâneos. Quanto maior ela for, maior será esta capacidade. Só ilustrando, o Juno-D tem 64 vozes de polifonia, enquando que o PSR-520 tem 32 vozes. Os melhores equipamentos de hoje possuem 128 vozes.

      Se você pretende apenas executar timbres (ainda que com duas ou mais vozes), provavelmente não precisará se preocupar muito com a polifonia. Ela será um fator importante se você usar seqüências, pois aí geralmente você estará executando diversos timbres ao mesmo tempo.

      Espero ter ajudado.
      Abraços.

      _Vinícius_Augusto_
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Os melhores equipamentos de hoje possuem 128 vozes.
      E quando eu digo que o PSR3000 é um dos melhores, tem gente que se morde de raiva!!!!!!
      .
      .
      .
      .
      .
      .
      Motivo... Pq o que eu falo é pura realidade!!!!!hehehehe Qs's qs's qs's hehehehehehe

      ROTTA
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      _Vinícius_Augusto_
      E quando eu digo que o PSR3000 é um dos melhores, tem gente que se morde de raiva!!!!!!

      Já que a origem do comentário foi uma frase minha, cabe um esclarecimento. Não que o PSR3000 não seja bom (nunca disse isso), mas eu estava falando apenas da polifonia. :-)

      Abraços.

      Durval Dellê
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Marco Alan Rotta

      Muito obrigado, você ajudou sim, pois tirou minha dúvida do que significava X vozes de polifonia.

      Eu li algo no manual do meu teclado Juno-D a respeito de que posso criar um banco de performance com 16 partes em que posso tocar essas partes simultaneamente e dependendo do patch se usa 2 timbres, o que já iria resultar em 32 vozes de polifonia. Mas ainda nem sei se dá realmente pra usar essas 16 partes ao mesmo tempo............. Acho que mais algumas páginas de manual já vou descobrir :D

      Um grande abraço!!!!
      Durval

      ROTTA
      Veterano
      # mai/05 · Editado por: ROTTA
      · votar


      Durval Dellê
      Eu li algo no manual do meu teclado Juno-D a respeito de que posso criar um banco de performance com 16 partes em que posso tocar essas partes simultaneamente e dependendo do patch se usa 2 timbres, o que já iria resultar em 32 vozes de polifonia.

      Não testei o Juno-D a fundo, mas penso que os "rudimentos" sejam os mesmos da série XP/JV, sobre a qual posso comentar.

      Neste caso, tenha em mente que um timbre (chamado de patch no equipamento) pode ser composto por 1 até 4 vozes. Neste caso, um único patch bem rico pode consumir quatro vozes.

      A questão das performances, que permitem agrupar 16 timbres, é importante saber que podem ser do tipo single (com 1 patch por canal, tocados separadamento) ou layer, onde você pode combinar não apenas 2, mas tantos patches quanto quiser. Peço que confira no manual se o que eu falei vale para o Juno-D, mas deve valer.

      Fique a vontade com as perguntas. Estamos aqui para ajudar.

      Abraços.

      Durval Dellê
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Marco Alan Rotta

      Obrigado, na verdade perguntas existem varias, mas tenho que ler o manual antes para que as mesmas tenham fundamento :D

      Obrigado novamente,
      Durval Dellê

      Mauro Lacerda
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      A melhor parte de poder programar sons, ao invés de usar os de fábrica, é que serão timbres únicos, ninguém mais tem. Não que os de fábrica sejam ruins, não tem nada a ver. Mesmo porque tem timbres fabulosos. Mas a possibilidade de fazer um som personalizado é demais.

      Mauro Lacerda
      Veterano
      # mai/05 · Editado por: Mauro Lacerda
      · votar


      Durval Dellê
      Se tiver algo que eu puder ajudar, já trabalho a algum tempo com synth ...

      Christiano Araujo
      Veterano
      # mai/05 · Editado por: Christiano Araujo
      · votar


      Eu tenho um WK - 3500 Da Casio ele vem com software synhtetizador para conecxão teclado pc estou criando tones, tinbres novos ele é muito bom estou gostando muito da evolução da Casio no ramo dos teclados no programa tem uma serie de efeitos já relatados ai crio sons nos estilos goticos, new Age, new Wave são os estilos que mais gosto. Emquanto ao PSR - 3000 da Yamaha ele não o unico teclado com 128 vozez de polifonia vou comprar outro teclado e pretendo comprar o Fantom X7 Da Roland que tambem tem 128 vozes de polifonia e bem mais recursos que o PSR - 3000 emquanto aos modulos racks os meus favoristos são o Nord Lead 3 Rack, Roland V - SynthXT Rack, Roland Varios, Motif Rack.

      Durval Dellê
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Quando vocês fazem a criação do timbre, qual processo usam? quero dizer assim............ vc está com um timbre em pensamento, e quer colocar isso no teclado..... aí vc acha o timbre mais semelhante e depois quais são os passos, por exemplo, os primeiros efeitos que mexe, e porque?

      valew!!!

      ROTTA
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Durval Dellê
      aí vc acha o timbre mais semelhante e depois quais são os passos, por exemplo, os primeiros efeitos que mexe, e porque?

      Realmente, se existir um timbre semelhante (e muitas vezes existe) é legal começar por ele. Em alguns casos, acho interessante começar do zero.

      Na semana passada, por exemplo, estava programando um Rhodes estilo DX7 (tomando como base a primeira amostra desta página e consegui bons resultados começando do zero. Mas geralmente parto de timbres existentes.

      Os parâmetros que serão editados são inúmeros. Depende sempre do que se deseja. Poderíamos ficar dias falando disso aqui. :-)

      Abraços.

      mazza
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      eu tenho um JV1010 e minha mais nova curtição e ficar programando o bichinho.... é uma piração!!! já usei vários patches criados por mim na banda, principalmente de metais, coros e piano elétrico, mas ainda não consegui programar um bom timbre de piano acústico, se alguém tiver uma dica, eu agradeço.

      www.bandamecenas.com

      Durval Dellê
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Marco Alan Rotta

      Agora que estou domindo mais o meu teclado, estou praticamente editando/criando todos os timbres que vou usar...... principalmente com vibrato, release, cutoff e resonance e alguns delays.... é impressionante tudo o que podemos fazer...

      E também é verdade que poderíamos ficar falando dias aqui..... pois existem inumeras maneiras de se fazer um timbre.........

      Agora quanto aos patchs já descobri como agrupar 16 partes ou seja 16 patchs, sendo que cada patch pode conter dois timbres, consigo tocar 32 timbres simultaneamente.... mas aí duas notas bastaram para acabar com a polifonia :D o interessante é que existe a possibilidade e até pq se usar 32 ou 16 fica meio poluído né :D

      Abraço!!!

      ROTTA
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Durval Dellê
      é impressionante tudo o que podemos fazer...

      É verdade. :-)

      Agora quanto aos patchs já descobri como agrupar 16 partes ou seja 16 patchs

      Exatamente. Isto é chamado de performance na série JV/XP, e pode ser de dois tipos:

      Layer: permite agrupar e tocar vários patches ao mesmo tempo, ou ainda fazer split (divisão de teclado).

      Single: neste caso, a performance terá (até) 16 patches diferentes, um em cada canal. Este tipo de performance é usado para sequenciar uma música.

      sendo que cada patch pode conter dois timbres

      Na verdade cada patch pode contar até 4 formas de onda, às quais você pode aplicar todos os parâmetros que mencionou.

      A polifonia se refere à forma de onda. Portanto, um patch com 4 formas de onda consumirá quatro notas de polifonia.

      Abraços.

      Durval Dellê
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Uma coisa que estou me batendo com o Juno-D na criação de timbres é o seguinte:

      Fazer um som com 3 timbres da seguinte maneira...... quero fazer um dual com piano e organ por exemplo e ao mesmo tempo ter um split com um outro som de string.

      Assim com a mão esquerda tocaria String e com a mão direita eu tocaria com piano e organ.

      Coisa que no PSR-520 é tão simples de fazer :D por isso acho deve ter uma solução no Juno-D

      :S

      Abraço

      ROTTA
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Durval Dellê
      Assim com a mão esquerda tocaria String e com a mão direita eu tocaria com piano e organ.

      Vou responder com base nos JV/XP, mas acho que deve servir para o Juno-D. Você precisa criar uma performance do tipo LAYER, colocar os três timbres, nas posições que quiser.

      Depois, ajuste em LOCAL/TX/RX os patches que devem executar localmente. Seria possível, ainda, executar dois localmente e um terceiro através de módulo. Ou usar uma certa área do teclado para controlar o módulo. No entanto, não é este o caso.

      Por fim, em Key Range (ou algo parecido), ajuste quais timbres executarão em quais áreas do teclado.

      Se você compreender bem inglês, vale a pena ver o manual em vídeo do XP-80 que pode ajudar, pois deve ser parecido. Note que as funções e botões que mencionei acima podem ser ligeiramente diferentes no Juno-D.

      Abraços.

      Mauro Lacerda
      Veterano
      # mai/05 · Editado por: Mauro Lacerda
      · votar


      Durval Dellê

      Vc podia mandar umas amostras do Juno-D, sou doido para ter uma noção dos sons dele...

      Mr_Mojo_Rising
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Ô Mauro, como "criação" lembra "procriação", como foi o lance das moçoilas da dança do ventre?? Fotos, fotos?

      :-P

      Abs.

      rogrm
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Muito bom este tópico. Infelizmente não tô tendo tempo pra criar sons nos meus synths, mas valeu, mesmo. Lacerda, me tire uma dúvida no QSR. É possível eu ligar mais de um controlador midi no QSR? Eu conseguiria criar um MIX de 4 programas com 2 programas para 2 controladores diferentes?

      Valeu!

      Mauro Lacerda
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      rogrm

      Eu não sei muito sobre usar dois controladores, o que sei é que existe um adaptador que vc liga no QSR (ou qualquer outro módulo) e pode-se usar dois controladores, por exemplo um SP76 ou uma daquelas "guitarras" teclado...
      Esse adaptador chama-se MIDI MERGE, e permite o uso simultâneo dos dois controladores...


      Mr Mojo

      Não vou nem te falar o que rolou, espetacular... Vai rolar no meio do ano, e vai ser filmado e fotografado, dessa vez foi só para "esquentar", mas ver as gatinhas dançando minha música, LOUCO DEMAIS

      Falou

      MAURO TECLADISTA

      ROTTA
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Alguém mais tem colaborações? O tema deste tópico me interessa muito... :-)

      Mauro Lacerda
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Poderia rolar algo do tipo:
      Peguei uma onda senóide, coloquei delay de valor 7 no AmpEnv, e um release de 16 também no AmpEnv e pareceu uma flauta...
      Vamos descrever nossas experiências, e todos saem ganhando...

      MAURO TECLADISTA

      rickwakeman
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      Como se faz pra trabalhar com combinations (em que vc tem que definir split point) usando-se modulo e controlador? Por exemplo, se você dividir o teclado em 3, como você define os split points? Como seleciona efeitos no controlador, etc?

      Vale a pena lembrar que num sintetizador real (modelagem física analógica) você terá outros recursos muito interessantes como o Sync, Ring Modulator, Supersaw, controles do pulso da onda, etc. E também é bom lembrar que existem outros tipos de síntese também: FM e Vector Synthesis

      Mauro Lacerda
      Veterano
      # mai/05
      · votar


      rickwakeman

      Vc pode dividir o controlador em dois: na primeira parte, usa o controlador, tipo o piano do SP76. Na outra parte vc vai usar o módulo. Vc programa o módulo para ser dividido em 2.
      Exemplo: Piano do SP76 = C-2 a C 0
      O módulo fica do = C# 0 até G 8
      No módulo, vc programa String de C# 0 até D 4 e Hammond de D 5 até G 8.

      Em relação aos efeitos, pode-se selecionar qualquer coisa: usar o Slider para ser um Rotary Speed, usar um mesmo controle para mudar o Controlador e o Módulo, etc.

      Não sei se era bem isso que vc queria

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Sons de Synths: criação de seus próprios timbres

      305.563 tópicos 7.892.391 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital