Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      [REVIEW] Arturia KeyLab 61

      Autor Mensagem
      freitas_silva
      Veterano
      # abr/15


      Abro esse tópico pra trocar informações sobre esse teclado. Recentemente adquiri um e gostaria de deixar algumas impressões e/ou trocar figurinhas com outros companheiros do fórum.

      Aí vão algumas impressões...................................

      O QUE VEM NA CAIXA
      O conteúdo da embalagem do Keylab é bem padrão: fora o teclado, apenas um manual, um cabo USB (muito curto) e um folheto com informações de como baixar os softwares (Analog Lab e MIDI Control), bem como ativá-los.

      EXTERIOR/CONSTRUÇÃO
      O teclado é super bem construído. A carcaça é de metal, com uma pintura branca linda, além das laterais de madeira que embelezam bastante o instrumento.
      Por ter uma cor clara, ele é o tipo de equipamento que aparenta estar sujo facilmente, então limpar sempre é obrigação.
      O peso é em média uns 9kg.

      TECLAS, CONTROLERS E PADS
      A Arturia diz que as teclas são semi-pesadas. Eu diria que não. Achei elas leves, levemente moles, bem estilo synth mesmo, mas têm uma ótima profundidade e estabilidade.
      Os pads são maravilhosos, bem ao estilo Fantom: grandes, luminosos, macios e com profundidade.
      No quesito controllers, foi onde mais me animei, pois a qualidade deles é muito boa. Os knobs são emborrachados e tem giro infinito. Os faders são grandes e tem uma membrana interna que protege o equipamento evitando a exposição da placa do circuito.
      O restante (botões e rodas de pith e modulação) é normal.

      CONEXÕES
      Nesse quesito o Keylab é bem servido: MIDI In e Out e MIDI USB, suporte para 3 pedais (sustain, expressão e auxiliar), controlador de sopro, alimentação pela USB ou Fonte (5V / 0,5A).
      (Na realidade não entendo porque um equipamento desse porte não vem de fábrica com a fonte. O custo de uma peça dessa pra uma empresa é tão barato...)

      PRIMEIRAS IMPRESSÕES
      Ainda não tive tempo de estudar o manual a fundo, mas uma coisa que vi e gostei muito é o fato de os controllers, pads, teclas e pedais funcionarem de maneira muito independente.
      Por exemplo, você pode configurar o pad 1 pra disparar a nota D3 no canal 4, o pad 2 pra disparar um acorde no canal 5, o restante dos pads para controlar um sample de bateria no canal 10, etc... Do outro lado você pode "splitar " o teclado e configurar o sustain para funcionar apenas no canal 1 e o pedal de expressão para controlar volume no canal 2, etc...
      Tudo isso ao mesmo tempo no mesmo template. Diferente de outros controladores em que geralmente o MIDI CH afeta o equipo de maneira grobal.


      Aos poucos vou adicionando mais informações.

      -----------------------------------
      EDITADO PELO MODERADOR

      Editei o título e acrescentei a tag [REVIEW] pra facilitar futuras pesquisas.

      Synth-Men
      Veterano
      # abr/15
      · votar


      Posta alguma coisa tocada pra ouvi-lo.

      petu_ce
      Veterano
      # abr/15
      · votar


      Gostou dos timbres do Analog Lab? É fácil de criar performances (layers e splits)?

      freitas_silva
      Veterano
      # abr/15
      · votar


      Na realidade, esses VSTs da arturia tem uma singularidade incrível. Os caras conseguem fazer um virtual soar como analógico, com ruídos e tudo. Não é igual a um analógico, mais soa muito orgânico (estou falando da coleção de clássicos analógicos que eles vedem separadamente).

      Quanto ao Analog Lab, eles tem uma coleção de timbres derivados desses VSTs de Analogs Synths como o Prophet V, Mivi V, Solina V, Jupiter8 V, etc.

      Respondendo a pergunta: sim! a coleção de timbres é ótima.

      Quanto a criação de layers, posso dividir o teclado em 2 zonas com controles de volume, pan e dois mix (para insertar efeitos). A interface me lembrou um pouco o mainstage, onde tenho o desenho do teclado e posso visualizar e determinar a faixa de abrangência de cada zona, bem como a configuração de canais midi, oitava e transposição.

      O mapeamento dos controles me permite controlar vários parâmetros do sintetizador, não de maneira tão substancial como nos VSTs dedicados (como o Mini V), mas as opções são muitas e respondem bem ao timbre.

      silvG8
      Veterano
      # abr/15
      · votar


      freitas_silva
      É possível dividir o instrumento em duas zonas MIDI diferentes?

      Tive o Laboratory e adorei a qualidade de construção dele. Na época tinha trocado no meu Gaia, mas acabei preferindo pegar o pequeno Roland de volta.

      Os timbres são bacanas mesmo, mas nada no nível do U-He Diva por exemplo. É interessante ter uma coletânea vasta e eclética já acompanhando o controlador de qualquer forma.

      Compartilhe gravações aí com a gente!
      Valeu! Parabéns por postar alguma coisa por aqui que não fosse "qual é o melhor" ou "quem é melhor" ou "qual é melhor pra tocar".

      freitas_silva
      Veterano
      # abr/15
      · votar


      silvG8

      Pode dividir em duas zonas sim e, como mencionei anteriormente, os controles podem ser configurados de maneira diversa e independente. Por exemplo, você pode usar o pedal de sustain na zona 1 e configurar um pedal auxiliar pra controlar o sustain da zona 2. Assim também qualquer outro controle pode ser mapeado para enviar qualquer informação em qualquer canal.

      De fato a coleção de timbres é bem eclética e vasta. Além de synths o programa conta com alguns EPs e baterias eletrônicas interessantes.

      Um recurso que eu nunca usei foi o afertouch, embora já soubesse sua funcionalidade e possuísse outros equipamentos que tinham o recurso. Entretanto nunca vi aplicabilidade prática (ou preguiça mesmo) pro meu tipo de trabalho.
      Agora com esse controlador, estou aproveitando pra dar uma reciclada nos meus estudos de MIDI e vi o quanto essa função vicia...rs

      Estou com pouquíssimo tempo disponível para gravar alguma coisa, mas vou tentar postar pelo menos um audio no soundcloud e compartilhar aqui!

      Vlw amigos.

      petu_ce
      Veterano
      # abr/15
      · votar


      freitas_silva

      E como é a troca entre performances? Pode ser pelo pedal? A dúvida é a praticidade numa apresentação.

      freitas_silva
      Veterano
      # abr/15
      · votar


      petu_ce
      O Keylab tem 2 controles que funcionam como dial. No software (Analog lab) eles podem servir pra navegar entre os presets apenas girando o knob e pressionando-o para ativar o preset. Quanto o uso dos switches pra fazer esse procedimento eu ainda não tentei.

      Minha visão do software ainda é limitada pois ainda o estou descobrindo, mas vou dar uma olhada melhor e te falo.

      Agora quanto a aplicabilidade ao vivo, uso o cantabile para gerenciar meus VSTs. Configurei os 10 switches e os 6 botões de transporte do teclado para carregar cenas. Sendo assim tenho 16 timbres à mão (um em cada cena) ao apertar de um botão.

      Trabalho como freelancer, então ter esses 16 timbres "padrão" é legal pois consigo me virar com eles perfeitamente em qualquer formação musical ou repertório que eu esteja tocando. Agora quando se trata de um show ou apresentação especial, com um repertório diferenciado, timbres mais específicos, samplers e outras coisas, gravo as cenas em ordem e configuro apenas dois botões do controlador para avançar ou recuar cenas em sequencia.

      Inclusive endereço efeitos para serem ativados e configurados em tempo real pelos knobs e/ou faders. Uso pedal de expressão para controlar efeitos também e, raramente, volume da mix. Dessa forma posso ter um maior domínio de toda a performance pelo controlador.

      O lance de trocar de timbres através do pedal é perfeitamente possível. Na entrada auxiliar você pode conectar um pedal swicth com dois foots (um para avançar e outro para recurar) e fazer a configuração via software. Eu particularmente nunca usei pois acho melhor trocar à mão, no próprio painel do teclado.

      petu_ce
      Veterano
      # abr/15
      · votar


      freitas_silva

      Muito legal esse seu review.

      Quer dizer que o Analog Lab funciona como stand alone ou por dentro da daw (como VST)?

      Você conhece o Reaper? Sabe dizer se o Cantabile é melhor que ele para uso de cenas (performances complexas com vários layers ou splits)?

      freitas_silva
      Veterano
      # abr/15
      · votar


      petu_ce

      Aqui na minha região o pessoal usa bastante o forte e alguns poucos usam o FL Studio. Acredito que eu sou o único que usa o Cantabile...rs

      Quanto ao Reaper conheço bem sim, mas nunca explorei seus recursos de VST Host. Tem umas galera nos foruns que curtem muito o Reaper para esse fim. Dizem que eh basteante estável...

      O meu lance com o Cantabile foi amor a primeira vista. Me identifiquei muito com a interface do programa, além de ser leve e ter tudo ali na cara.

      Não posso te dizer quem é o melhor porque isso é muito subjetivo. Tem gente que venera o Forte, eu já não gosto da interface dele. Tem gente que nem se quer conhece o Cantabile, eu adoro e uso demais. Tem gente que fala muito bem do Reaper, mas eu nunca usei ele pra esse fim.

      Então o lance é você testar e decidir por si mesmo. Va no site do Cantabile e baixe a versão de teste do Cantabile Performer (que é a versão mais completa). Você pode montar racks de maneiras diversas e rotear sinal de audio e midi entre eles. Além disso ele possuim um setlist poderoso para criar cenas, um gravador, uma playlist onde você pode carregar arquivos de audio e configurá-los para serem tocados através de botoes do comtrolador ou syncados com o tempo da música. Fora várias outras coisas.

      Baixe o forte também e o bloXpamder. Junte com o Reaper e teste todos. Só você pode decidir o que mais se encaixa no seu tipo de trabalho e oferece uma interface mais adequada pra você.

      petu_ce
      Veterano
      # abr/15
      · votar


      freitas_silva

      Atualmente uso o Reaper e realmente é muito bom. No entanto, fiquei curioso quanto ao Cantabile.

      Valeu pela dica do BloXpander. Bem interessante.

      Joaovitp
      Membro Novato
      # jul/16
      · votar


      Muito bom mesmo vc contar sua experiência.

      Estou pensando em um novo setup:
      -Nord Piano 2 (ou o 3, vamos ver)
      -Keylab 49 blackedition (cor é por gosto pessoal mesmo hehe)

      O Nord é pela qualidade dos timbres de Pianos acústicos,E.Pianos, Clavinets,e outros.. Além das ótimas teclas pesadas junto ao triple pedal.

      A duvida é o Arturia, pois sou novo no assunto de VSTs e tudo oque se refere ao "mundo midi" , gostaria de saber se ele consegue suprir a falta do modulo de órgão do N.Piano, e também a parte de synths e arpeggiator que o nord também não possui.

      E a ultima duvida: Se eu também poderia usar o nord piano como controlador desses VSTs em algumas ocasiões.

      Obg ;)

      freitas_silva
      Veterano
      # 27/dez/16 20:43
      · votar


      Desculpe demorar tanto amigo. Passei muito tempo longe do fórum e por acaso vi a notificação aqui. Quanto a questão do arturia suprir ou não a falta de um timbre ou outro, isso na realidade não importa. Quem vai determinar isso é o VST que vc estiver usando. O arturia vai ser apenas a interface de controle e claro, por ter faders, pode ser usado muito bem com um simulador de órgão.

      Quanto ao nord piano funcionar como controlador MIDI, é perfeitamente possível, mas quanto aos recursos disponíveis, teria que dar uma olhada no manual de implementação MIDI do equipamento.

      arturia61
      Membro Novato
      # 15/mar/18 11:30
      · votar


      Olá pessoal, será que alguém poderia me dar uma ajuda?
      Eu não estou sabendo mapear esse arturia no logic pro, quero usar os knobs e faders como controles.
      Eu tenho que mapear primeiro no midi controller do arturia e depois configurar no logic?

      Obrigado!

      silvG8
      Veterano
      # 15/mar/18 15:11
      · votar


      arturia61
      Sim, vai ter que mapear. Com o Logic aberto, clique em Logic > Control Surfaces. Lá você consegue não somente selecionar qual o controlador, mas também editar um novo, de acordo com o que te interessa.

      Procure no site da Arturia, deve ter alguma coisa.

      arturia61
      Membro Novato
      # 19/mar/18 14:34
      · votar


      silvG8
      Vlw. eu estava tentando usar sample de bateria de forma direta nos pads, tentando mapear pelo midi controller, mas não dá certo, ele diz que dá um erro ao carregar, penso que o midi controller não carregar sample direto para direcionar, está certo?
      Os samples estão em .wav
      Esse é o meu primeiro midi com recursos assim, antes eu tinha um korg, aquele microkey, só tinha a teclas mesmo rsrs, comprei esse arturia e até então, estou satisfeita, boa parte da sua funcionalidade eu já entendi na prática, mas tem outras que estou perdida, não encontro tutorais de BRS, só com gringos.
      Se puder me dar uma dicas, fico muito grata.
      Ah, estava fuçando o logic e encontrei a função de mapeamento, consegui fazer, só que tem alguns que ele não fixa o mapeamento, eu tenho que ficar refazendo, não sei porque isso.

      Obrigado!

      silvG8
      Veterano
      # 19/mar/18 19:12
      · votar


      arturia61
      Eu nem tenho um Arturia desses, mas entendo um pouco de Logic, por isso a ajudei. De qualquer forma, pra você entender bem: seu controlador não vai carregar nada direto nele, somente controlar os programas. Sempre vai depender um pouco do mouse.

      Me relação a usar os pads, é possível sim, com certeza. O lance é criar os mapas de cada programa que for usar. No KeyLab por exemplo, esse mapa é meio que automático, e funciona quase 100% das vezes sem problema algum.

      Se tiver como ajudar a gente ajuda, mas a maioria desses ajustes está ali no manual ou depende de um conhecimento mais do Logic que do controlador.

      Querendo aprender
      Veterano
      # 01/abr/18 22:07
      · votar


      Boa noite!
      Li todos os posts deste tópico, mas como estou aprendendo a respeito desse assunto gostaria de fazer algumas perguntas:

      E possível abrir uns 8 timbres no kontakt e deixar mapeado em botões de rápido acesso, uma espécie de favoritos?

      As teclas dele são do tamanho convencional, ou segue a linha de alguns controladores que possuem teclas menores. Ex: Roland A800?

      So uma observação, estou entrando nesse universo dos VST agora, e vou comprar praticamente todo setup.
      Comprei uma interface de áudio, ainda me falta o controlador e o note.
      A princípio pra começar penso em utilizar apenas o Kontakt até me habituar e familiarizar, depois vou dando passos conforme o Tamanho das pernas.
      Seria um exagero começar com um controlador desse porte?
      Se vocês me permitem gostaria de fazer uma pergunta fora do contexto aproveitando o conhecimento de vocês.
      Um note book i3 sétima geração com 8gb de memória seria uma boa máquina pra iniciar?
      Desde já agradeço !

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a [REVIEW] Arturia KeyLab 61

      305.539 tópicos 7.892.006 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital