Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Roland BK-5 ou Roland GW-8?

      Autor Mensagem
      Cleidnei Júnior
      Veterano
      # jun/12 · Editado por: Cleidnei Júnior


      Estou querendo comprar um teclado que seja um ótimo sintetizador e arranjador. Qual vocês me indicariam? Roland BK-5 ou Roland GW-8?

      Tears Of Fire
      Veterano
      # jun/12
      · votar


      eu gostei do GW8...
      mas o BK5 é mais atual...
      eu sei que a ultima atualização do GW8 permite criar os seus stiyes...
      tem que ver se o outro também faz o mesmo...

      Tears Of Fire
      Veterano
      # jun/12
      · votar


      mas os dois não oferecem uma boa sintetização,
      o GW8 tem um Cut Off e um Ressonance, mas o BK5 eu não sei....

      acho melhor você ver um m50 ou o MoX6... estão quase no mesmo preço...

      Maestron
      Veterano
      # jun/12
      · votar


      Cleidnei Júnior

      Há um equívoco no seu tópico, nem o BK5 nem o GW8 são sintetizadores, eles são arranjadores. Se você busca um arranjador com algumas (pouquíssimas) funções de sintetizador, os Korg PA50, PA500 ou PA800 são os que mais se aproximam disso.

      O GW8 se aproxima mais de um sintetizador que o BK5 graças a sua estrutura slim, sem caixas de som e com knobs de controles de cutoff, ressonance, attack, decay e efeitos, é um teclado para ser usado também em banda...

      Mas se você não der mais nenhuma informação, quanto quer gastar? Vai tocar sozinho? Que tipo de síntese pretende? Porque não um sintetizador de fato? O que você entende como sintetizador e arrajnador?

      Cleidnei Júnior
      Veterano
      # jun/12
      · votar


      Muito obrigado pelas respostas!

      Cleidnei Júnior
      Veterano
      # jun/12
      · votar


      Maestron, gostaria de um teclado que tivesse as 2 funções. Se tiver alguma indicação do tipo, agradeço.

      Maestron
      Veterano
      # jun/12
      · votar


      Cleidnei Júnior

      Que tipo de função de sintetizador você quer? Filtros? Osciladores? Seja mais específico para que possamos ajudar melhor você. Se quer algo bem básico, os teclados arranjadores que citei acima podem dar conta, mas se quer de fato um arranjador com qualidade e alguns recursos de sintetizador, tem os arranjadores top, como o Yamaha Tyros 4.

      Cleidnei Júnior
      Veterano
      # jun/12
      · votar


      Há teclados arranjadores/sintetizadores com teclas semi-pesadas?

      Tears Of Fire
      Veterano
      # jun/12
      · votar


      em sua maioria, todos os teclados de 61 e 76 teclas, possuem teclas semi pesadas...
      mas eu acho que deve dar uma olhada nos 2 teclados que lhe falei... ou num Work mais Top... como o Fanton ou o Kronos...

      expedifer
      Veterano
      # jun/12 · Editado por: expedifer
      · votar


      Maestron
      um arranjador com algumas (pouquíssimas) funções de sintetizador

      Engano: os PA500/800/2X possuem um excelente e completo sintetizador interno com ate 16-partes-multitimbrais (faltaria pouco pra virar um M3 ou Triton, que tem funções mais profundas e mais trabalhosas). . Ele simplesmente transforma ou re-transforma/modela um timbre. Mas é complicado mexer nele. Se é que entende bem de sintetização ou já testou alguma vez um desses Korg. Quem não tem sintewtização alguma e apenas um simples editor editor de timbres sãos os PSR (ate os tops) além de todos os Tyros (ate o 4). Os Rolands novos tem boas edições (completas, de excelentes funções e feitos) mas não chegam a ser multi-timbrais, de frequencias e sintetização como nos Korgs, falando em arranjador.


      "mas se quer de fato um arranjador com qualidade e alguns recursos de sintetizador, tem os arranjadores top, como o Yamaha Tyros 4."

      Cara, procure entender um pouco mais de sintetização ou de Tyros, pois aí saberia que ele não tem absolutamente sintetização alguma. Não se pode ficar aqui informado ERRADO os outros. Imagine gastarem R$ 14 mil, chegarem em casa e descobrirem, por causa daqui, que comprou um teclado errado? Pesquise antes, aqui mesmo sobre esse Tyros. Seu "editor" não passa de um diminutivo melhorador de timbres, com funções básicas encontradas ate num casiotone. O seu forte é esse mesmo: evitar sintetizações pelo usuário (menos trabalho) com seus DSP, coisa existente ate nos PSR, justamente pra dar pronto/feito/mastigado efeitos de sintetização pro usuário. Mas nada de sintetizador, aquele que se põe a mão na massa e se gasta horas sintetizando, criando, mudando totalmente um timbre na sua origem (isso é sintetização e não um melhorador de timbres vulgo PSR-Tyros). Pesquise por aqui antes de se "orientar" errado.

      Maestron
      Veterano
      # jul/12
      · votar


      expedifer

      Ok, pensei que eu estava ajudando, foi mal pelos erros, não quero prejudicar ninguém. Mas aproveito para aprender mais com você:

      -Os Korgs citados PA500/800/2X seriam então um sintetizador-arranjador? Então solucionou a procura do colega acima, não?

      Os Rolands novos tem boas edições (completas, de excelentes funções e feitos)

      Se não está desviando-se do tópico, então está se referindo aos novos arranjadores, claro... Então obviamente estamos falando dos arranjadores GW8 o Bk5... Eu tenho o GW8 e tem sim edições, mas não acho que chegam nem perto de serem completas. Tenho um Roland Gaia (que também não é completo) mas pode fazer muito mais edições... Acho agora você que está aqui informado ERRADO os outros... Hehehe... Brincadeira, mas explica melhor isso aí... Sei que você pesquisa mais e entende mais...

      Valeu pelas informações sobre os Tyros 4, realmente tens toda razão, eles fazem o teclado para que sejam o mais pronto e amigável possível de mexer... Valeu também pela "doçura" com que debate aqui, já tinha lido por aqui suas colocações e sabia que um dia levaria uma bordoada sua.. rsssss.., mas tudo numa boa, afinal o importante é aprender e se informar, né?

      Tears Of Fire
      Veterano
      # jul/12
      · votar


      Maestron
      acho que os únicos teclados que oferecem uma edição completa são aqueles antigões... como o Moog 2

      expedifer
      Veterano
      # jul/12
      · votar


      Tears Of Fire
      Bem colocado, é pura sintetização mesmo, a válvula, mas tem muita limitação no poder, diante dos verdadeiros computadores que são os novos sinths, como o poderosíssimo Kronos ou Motif XF, mas sem a qualidade final desses moogs, na restrita área que eles atuam. Mas nas demais áreas e timbres, ninguém vence esses dois.

      Maestron
      Como disse acima, ninguém vence esses dois, além é claro, de sinths puros, como o M3, Triton, G8, X8, Motifs, etc, pois um sintetizador é feito de vários kits, como além do poder de editar/modificar oi incrementar radicalmente um timbre ou "mixagem" de vários timbres (perform ou modo combi), também o enriquece no poder de gravar nele (samplear) novos timbres além de ser (principalmente) um estúdio (ou mesa) de gravação, como muitas propagandas inovam com sons ou efeitos especiais desconhecidos ou novos pro povo. Mas principalmente pelos novos timbres que vem a cada lançamento, nas centenas ou milhares, sempre se deixando os arranjadores no atraso, além de grandíssimo poder do sequenciador (alguns são verdadeiros cubase ou cakewalk/Sonar por dentro como no Motif, apesar de ser isso da Roland, bem como mexer com VST, coisa que arranjador nenhum faz). Nestes dois últimos anos, sinths virou sinônimo de samples internos, como vem no Kronos, Jupiter, etc. Esperasse um novo Fantom bem incrementado de samples internos, além é claro, um novo motif, pois o XF apesar ter ter o maior poder de edições/sintetize entre todos os sinths, absurdamente não veio com nenhum sample interno, compensado-o apenas com memória gigante de 2Gb pra carregar samples. Ou seja, hoje sinth também é sinonimo de edição de samples (modelador) como começou no V-Piano e CP-1 e agora vem no Kronos e Jupiter. A cada ano o termo Sinth muda e se inova, sempre na frente e de longe de um arranjador, como no poder limitado nas partes multi-timbrais, onde um sinth com muitos mais processadores de efeitos, fazem "1 milhão" de coisas a mais que esses arranjadores Korg, apesar de montarem também partes multi-timbrais.

      Os novos PAs da Korg, apesar de ter sintetizador interno, não são os mais avançados em relação aos novos siths, mas fazem o suficiente pros timbres que tem, e é isso o que importa.

      Maestron
      Veterano
      # jul/12
      · votar


      expedifer

      Ou seja, os arranjadores da Korg podem ser definidos como sinetizadores-arranjadores (ou vice-versa). Seriam os melhores indicados para o colega indeciso acima. Já os arranjadores da Roland, têm recursos de síntese, mas bem menos que os korgs, não é?

      Eu ainda estou esperando por um workstation novo da Roland, sei que eles podem fazer algo admirável nesse segmento. Gostaria de ver o Kronos, o Motif XF ficarem loucos com um work novo da Roland ainda mais avançado... Seria um briga boa de ver...

      silvG8
      Veterano
      # jul/12
      · votar


      expedifer
      pois o XF apesar ter ter o maior poder de edições/sintetize entre todos os sinths, absurdamente não veio com nenhum sample interno
      Você está meio enganado nessa afirmação. Entendo o suficiente de síntese para dizer que o XF é simples. Inclusive, ensino os usuários a utilizar essa parte de seus equipamentos em um artigo do meu blog.

      Maestron
      Não quero atrapalhar a conversa, mas o amigo acima está com muitas idéias que não são verdadeiras. Se quiser conversar melhor mande-me um email. Abraço!


      NÃO TENHO INTENÇÃO DE FICAR AQUI DISCUTINDO SOBRE SINTETIZADORES E SAMPLES NESTES. JÁ PASSAMOS POR ISSO TANTAS VEZES QUE SIMPLESMENTE NÃO VALE A PENA.

      Maestron
      Veterano
      # jul/12
      · votar


      silvG8

      Você não atrapalha em nada, pelo contrário, sua aparição aqui na conversa foi muito oportuna. E obrigado pela chance de conversar por e-mail, brevemente precisarei da sua ajuda, mas antes quero estudar bem o seu blog para sanar muito do que ainda quero aprender sobre síntese.

      Quanto ao amigo aí de cima, não se preocupe que, só por observar o seu temperamento estourado, não é a melhor fonte de aprendizado, eu estava só tentando apaziguá-lo. Curioso que ele tentava precaver os outros das minha informações erradas e, justamente ele, escreve coisas erradas por aqui.. .rsssss... Valeu caro amigo silvG8.

      Tears Of Fire
      Veterano
      # jul/12
      · votar


      expedifer
      mas tem muita limitação no poder, diante dos verdadeiros computadores que são os novos sinths, como o poderosíssimo Kronos ou Motif XF
      serio?
      achando que o Digital nunca "ganharia" do Analógico...

      eu não vejo o porque de pegar um arranjador se quer sintetizar...
      pega logo um M3 ou um Motif...

      TrogMan
      Membro
      # jan/13
      · votar


      Post antigo, mas gostaria de deixar alguns comentários:

      Funcionalidades que tornam o GW-8 superior ao BK-5 (opinião pessoal!)

      Algumas pessoas usam o GW-8 simplesmente como um teclado arranjador, ou de palco, desconhecendo seu total potencial!

      GW-8, além do que o Maestron mencionou:
      - Tem algumas funções de sintetizador "graças a sua estrutura slim, sem caixas de som e com knobs de controles de cutoff, ressonance, attack, decay e efeitos.."
      - É possível criar seus próprios Styles com muitas variações e praticidade! Graças a sua "Ampla TELA"!!!
      - GW-8 traz uma palavrinha que para mim muda tudo em um teclado: "WORKSTATION"! Um sequenciador de 16 pistas com todos os recursos de criação de uma musica parte a parte! Com direito a copiar, colar, editar, deletar, mixar... etc, etc, etc... O BK-5 não tem isto!
      - Tela mais ampla, podendo visualizar simultaneamente muitas informações com clareza e precisão. (considero muito importante)
      - D-Beam (bem configurado se torna uma poderosa ferramenta!)
      - Particularmente odiei a ideia de ter que apertar Enter para escolher o TIMBRE no BK-5! Pensa! Você esta procurando um TIMBRE, tem que mudar + enter, mudar + enter, mudar + enter, mudar + enter... Ao passo que no GW-8 você apenas vai mudando e testando cada timbre.
      - por último, é um teclado mais barato!
      Minha opinião (pessoal) é que existe uma grande diferença entre os 2 teclados, se (somente se) realmente usar os recursos disponíveis no GW-8!!!

      Abraço a todos.

      Berg Varela
      Veterano
      # jan/13
      · votar


      O BK-5 apesar de ser um teclado novo,ele na verdade mais é,uma coleção das melhores patch da linha E e G num teclado com preço acessível.

      O GW-8 usa as sínteses do Fantom-X que podem usar ate 8 waves para formar um Patch.

      Mas nem sempre o novo é melhor que o velho.tem sons que o BK-5 mesmo utilizando os Patch antigos,se saem melhor no PA que GW-8.
      Se a Roland tivesse unido as duas sínteses num teclado e com uma carcaça,parecida com o VA-76,G-70, teríamos um forte concorrente do KORG PA 3X Pro.

      Mas não,a Roland teima em lutar com a Yamaha na guerra dos arranjadores,Pra mim essa guerra já foi perdida a muito tempo,não por suas qualidades de seus arranjadores que sempre foram melhores que a Yamaha,mas no custoxbeneficio.

      Para tentar chegar perto do Custoxbeneficio da Yamaha teve que tirar as melhores tecnologias que tinha em seus arranjadores anterior,como display touchscreen do G-70/80,E-50/60,Guitar Mode,as teclas do G-70,G-1000,VA-76,o DBeam no BK-5,O Virtual ORGAN VK do G-70/80,o Vocalist que era uma mão na roda pra fazer backing,sai certinho se souber usar e se for afinado.

      E sem falar nos conversores AD/DA dos TOPs,o BK-5 apesar de ter as mesma waves dos TOP tirando a parte de bateria que no G-70/80 é diferente ,não tem o peso dos TOPs.

      O GW-8 no PA para mim,toca e soa melhor,pois a paleta de som é toda nova e tem 128 mega de wave com direito a uma placa world colection embutida de 128 mega de wave,totalizando 256 mega,mas tem que fazer os style no teclado,se for aproveitar os styles de outro teclado,vai ficar pior,mesmo com muita edição,vale mais a pena fazer de novo os styles.

      O BK-5 já toca os styles de outros teclados com perfeição,apenas fazendo pequenas edições pra ficar melhor.

      Mas a parte de PENDRIVER do BK-5 é nota 10,resumindo styles,performace,MIDIs,MP3 tudo infinito e imediato em tempo real.

      Sobre a KORG,o Post é sobre teclados da ROLAND,mas os PAs ,são tudo de bom também.

      kokada
      Veterano
      # jan/13 · Editado por: kokada
      · votar


      OMG!!!

      Berg Varela
      O GW8 no PA toca e soa melhor que o BK5? O BK5 não tinha/ou tem timbres melhores?

      A impressão que eu tive quando testei os 2 em uma mesma loja é que o AC piano do GW8 soa melhor que o BK5(mesmo ele tendo o piano super natural, que pra mim soa um pouco metálico se tocar forte). Nos outros timbres não lembro muito bem.

      O que me fez optar pelo BK5 foi o fato dele rodar styles direto do pendrive. Não sei se os kits de bateria que vc falou do BK5 tem no GW8 tb. Só acho uma pena ainda o BK5 não ter os bancos de favoritos da maneira como é usado no GW8. Tem o One Touch com 4 timbres, mas não acho a mesma coisa.

      Berg Varela
      Veterano
      # jan/13
      · votar


      kokada

      Vamos por partes.
      O GW8 no PA toca e soa melhor que o BK5? O BK5 não tinha/ou tem timbres melhores?

      É o que disse no post,nem sempre o novo é melhor que o velho em termo de som.
      A Tecnologia do GW-8 é melhor,mas os timbres do BK-5 não são mais novos que o GW-8,são os timbre da linha E e G juntas,como o FANTOM-G é uma coleção dos melhores patch das SRXs,não tem nada de novo.

      O JUPITER-80/50 esses sim,tem novas tecnologias e Patch novos,eu tenho um JUNO-STAGE que é a coleção dos timbres do FANTOM-X que o GW-8 e o SONIC CELL usa também.

      Seu BK-5 apesar de não ter esses timbres que tem o FANTOM-X,é muito bem resolvido em sonoridade,tanto que a ROLAND resolveu criar um modulo BK-7m com esses timbres.e viu que o modulo foi bem aceito,e criou o BK-5 que depois veio o BK-3.

      Como vc pode ver essa palheta de som era tão boa que a maioria dos timbres tem nas SRXs.

      O Piano 001 do BK-5 é o NATURAL PIANO,apesar do nome,ele não tem a tecnologia SUPERNATURAL do JUPITER-80,se vc baixar os manuais em PDF do E-60 verá que é o mesmo timbre do BK-5.

      Sobre as baterias do BK-5 as NEW,elas não tem no GW-8,mas as baterias do GW-8 como TY,WD e LD tem no BK-5.

      Kokada se eu estivesse que escolher entre o GW-8 e o BK-5 eu escolheria o BK-5 por causa da compatibilidade dos styles,pois uso muitos.

      e os styles,diferentes dos synth,são o seus capitais,por isso não temos edições profundas de timbre nestes arranjadores.

      Sobre os One touch,4 por musica+1 da performace,é mais do que suficiente,temos que parar de usar arranjadores como estivesse usando sintetizadores,ou seja,de criar um banco de favoritos que as vezes não passa de 10 timbres e os tecladistas só usa esses na apresentação do começo ao fim.

      Quando vc faz por styles que tem por base uma musica,vc coloca 5 timbres que a musica pede,e sejamos realista se vc precisa trocar mais de 5 timbres numa,musica vc nem se concentra em tocar.

      O GW-8 ganha nas qualidades dos timbres,e em algumas categorias como pianos,strings,e etc...e a quantidade de timbres,são ótimos,o GW-8 só peca nas funções capadas para valer o custoxbeneficio,se tivessem colocado esses mesmo timbres num teclado de 76 teclas com as mesma construção do G-70,e com todas as funções e um display colorido e touchscreen, teríamos um TOP da Roland.

      Kokada apesar do BK-5 usar os timbres da linha E e G ,a tecnologia é toda atual com EQ,MASTER,MP3 e etc...é tudo de bom.

      Os timbres da linha E e G soam maravilhosamente bem no BK-5,vc fez uma ótima compra.

      kokada
      Veterano
      # jan/13
      · votar


      Berg Varela
      valeu! Vou ver se encontro um GW8 pra testar novamente. O que vc falou sobre usar 5 timbres é verdade. É que eu estou acostumado a ter banco de favoritos como nos synths e até nos PSRs da vida. O one touch é novo pra mim. Ruim é ter que programar os timbres one touch pra cada performance.

      Sobre a compatibilidade de styles isso eu não ligo, pq minha intenção é fazer ritmos customizados pra cada música, na linha dos mega ritmos, que achei uns bem legais.

      Berg Varela
      Veterano
      # jan/13
      · votar


      Sobre a compatibilidade de styles isso eu não ligo, pq minha intenção é fazer ritmos customizados pra cada música, na linha dos mega ritmos, que achei uns bem legais.

      É por ai mesmo,meu amigo,chega de styles com baixos e baterias quadradões que servem pra tocar umas 10 musicas.

      O Poder de edições dos arranjadores atuais,são fenomenais e tem que ser explorado,como num synth agente explorar nos timbres e sintetiza para achar aquele timbre animal.

      Um styles todo montado com INTRO,4 VARIAÇÕES,4 BREAKS,SOLO e FINAL, todo montado com as linhas de baixos,baterias e harmonia idênticas e bem executando,vai fazer vc crescer como musico,pois vc estará explorado todo potencial de uma musica em seu arranjo original.

      Com o passar dos anos,de tanto vc dissecar as musicas,vc irar produzir os seus próprios arranjos em suas composições,com uma qualidade profissional,pois vc aprendeu a fazer arranjos com músicos de primeira linha.

      kokada
      Veterano
      # jan/13 · Editado por: kokada
      · votar


      Berg Varela
      Breaks o bk5 nao tem, ficou devendo... E pra ficar completo falta ainda um botao que use outro compasso na mesma musica. Por ex numa musica 4/4 o botao acionaria um compasso de 2/4.

      Duvida: montar um ritmo fiel à musica original é mais trabalhoso que sequenciar, não?

      kokada
      Veterano
      # jan/13
      · votar


      Mais alguém aí pra responder a pergunta do tópico: BK5 ou GW8?

      Berg Varela
      Veterano
      # jan/13
      · votar


      kokada
      Breaks o bk5 nao tem, ficou devendo

      Tava falando dos Breaks era das viradas da bateria mesmo.

      Duvida: montar um ritmo fiel à musica original é mais trabalhoso que sequenciar, não?

      Eu acho os trabalhos muito parecidos,no SEQUENCE temos mais informações,mais arranjos pequenos,que somando,da uma trabalho danado também.

      No Style,trabalhamos com LOOPS,a INTRO é um SEQUENCE normal,vc coloca o TOM e conta quantos compasso é a INTRO,disseca a musica,e começa pela bateria,depois vem baixo,e os tracks de acompanhamentos,os BREAKS também são iguais a do SEQUENCE tomando cuidado só em especificar o TOM na hora do BREAKS,lembrando de deixar um instrumento para vc executar ao vivo.

      O SOLO no meio é igual ao do SEQUENCE Também,mas lembrando que ele vira a INTRO2,3,4,lembrando de deixar um instrumentos para vc executar ao vivo.

      O END é igual ao do SEQUENCE Também.depois vc pode copiar para ao END2,3,4

      Agora vem a parte mais difícil que é as VARIAÇÃO 1,2,3,4,

      Vc isola uma parte especifica da musica com 2,4 ou mais compassos que vai representar o LOOP da VARIAÇÃO que vc quer fazer

      Faz a bateria e depois o baixo que é a parte mais difícil,se for um baixo marcando junto com o pedal,ótimo,é fácil,mas se for um baixo swingado fazendo arranjos,ai vc tem duas alternativas.

      Primeiro: vc pega a performace dos 4 OU MAIS compassos e depois vc cria uma performace de vc tocando com o baixo fazendo a mesma pegada,mas como se tivesse fazendo num tom só,é um pouco difícil mesmo,mas vc se acostuma.

      OU A SEGUNDA:que consiste em gravar compasso por compasso especificando o tom antes de gravar,exemplo:a musica tem as cifras C-E7-Am9-Dm-G-Gm-C7-F-G e terminado em C,com 8 compassos 4/4.
      o 1 compasso vc grava com tom em C,o 2 compasso vc grava no tom E e assim por diante até chegar no fim do compasso.

      O resto dos tracks leva a mesma formula,se for só acompanhamento,agradeça a Deus,mas se tiver arranjo,tem que fazer com uma dessas maneiras que eu ditei.

      É um pouco difícil mesmo e tem que ter muita paciência,um styles complexo desses leva de 4 a 6 horas pra ficar pronto,fora o tempo de pesquisa do clima da música,com qual kits da bateria vai ser usada,qual baixo,qual os instrumentos certos para fazer a gravação.

      A dissecação da música em sim,vai depender da sua experiencia em pegar rápido ou não,as transposições dos tracks para gravação,a experiencia em executar a performance pra gravação sem errar muito.

      Como vc ver é uma serie de fatores.

      Isso tudo é pra fazer só um styles complexo para uma musica especifica e só vai dar para tocar ela.

      Um Style universal como um SAMBA que dar pra tocar uma porrada de musica parecidas é muito mais fácil do que SEQUENCE.

      NEMESYS
      Veterano
      # jan/13
      · votar


      A parte de Programação de Ritmos no BK-5 é mesmo fenomenal!

      Alguém aí que usa BK-5 há mais tempo sabe dizer se há opção para se copiar partes de um Ritmo e usá-la na montagem de outro? (EDIÇÃO)
      Por exemplo, copiar o acompanhamento da Variação do Ritmo de Samba para usá-lo na programação de um novo RItmo de BossaNova. Ou copiar só a parte da bateria, ou o baixo de um Ritmo inteiro ou somente a parte básica.

      Queria saber se no Bk-5 a gente pode proceder assim também, emendando várias partes ou algumas de outros ritmos. Lembro que no VA-7 há essa possibilidade de edição dentro do Style Composer.

      kokada
      Veterano
      # jan/13
      · votar


      NEMESYS
      vc nao acha que em timbres o bk5 perde para o gw8? Pelo menos em synths, sinto falta daqueles timbres mais techno e trance!

      NEMESYS
      Veterano
      # jan/13 · Editado por: NEMESYS
      · votar


      Sou muito satisfeito com o BK-5 no quesito timbres! Acho-o bem completo!

      Mesmo assim em relação ao GW-8 nota-se que na categoria de timbres Synth e PAD deram uma resumida.
      Já no GW-8 é bem interessante porque tem aqueles controles Knobs em que vc modula o aspcto desses timbres ali mesmo direto, ideal para criar aquele fading entre Cut-off e Ressonance, ou inserir alguns delay.
      Bom pra música eletrônica!!!!

      Tirando isso, ainda prefiro o BK-5

      kokada
      Veterano
      # jan/13 · Editado por: kokada
      · votar


      NEMESYS
      é isso mesmo, deram uma resumida nos synths e pads... parece que a maioria dos timbres de synths são GM, aqueles timbres seco sem muita qualidade sonora. To seriamente pensando na troca. GW8 me parece mais voltado pra música eletrônica que o BK5.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Roland BK-5 ou Roland GW-8?

      303.734 tópicos 7.859.800 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital