Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Dúvida sobre Interface de Áudio

      Autor Mensagem
      DDODS91
      Veterano
      # ago/12 · Editado por: DDODS91
      · votar


      MMI

      Eu fico morrendo de medo porque dizem que a surdez não vem repentinamente, vem aos poucos, lembro plenamente que no dia que eu comprei o meu primeiro Koss, eu coloquei o aparelho de som no volume máximo (literalmente), do nada meu ouvido esquerdo parou de ouvir;

      Comecei a tremer de medo, na hora eu substitui o Koss pelo meu outro fone (se bem que eu fui burro, era só virar o lado do Koss rsrsrs) o meu ouvido estava normal, deveria ter sido algum mal contato do Koss;

      De lá pra ca fico com medo de ouvir alto, até porque no transporte (lotação/metrô), e no serviço, todo mundo fica gesticulando e rindo, quando eu tiro o fone, estão falando de mim, e ainda avisam: "você vai ficar surdo !"

      E ultimamente quando eu ouço alto (igual está sendo hoje), parece que meu ouvido "cansa" de ouvir em certos dB, aí eu diminuo o volume pra ver se essa sensação some.

      MMI
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      DDODS91

      Desse jeito tem chance mesmo. Melhor prevenir e não ouvir alto assim.

      makumbator
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      DDODS91
      De lá pra ca fico com medo de ouvir alto, até porque no transporte (lotação/metrô), e no serviço, todo mundo fica gesticulando e rindo, quando eu tiro o fone, estão falando de mim, e ainda avisam: "você vai ficar surdo !"

      É EXTREMAMENTE desaconselhável ouvir música de headphone andando de ônibus, metrô, avião, a pé em ruas barulhentas, etc... pois como o barulho externo é muito grande, a pessoa compensa colocando mais volume no aparelho(para competir com o ruído externo), e com isso se chega fácil em níveis prejudiciais à audição sem sentir.

      Cuidado com sua audição!

      DDODS91
      Veterano
      # ago/12 · Editado por: DDODS91
      · votar


      MMI
      makumbator

      O que ? rsrsrssrs

      Edson Caetano
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      Um papo de surdez entre os músicos entrou em pauta quando na banda inventamos de tocar todos com fones de ouvido como retorno

      O Vocal berrava muito porque não se escutava, e não se escutava porque berrava muito, começou por ele, passou para mim tecladista, quando vimos, todo mundo estava com seu fone, mas por incrivel que pareça o volume geral (o que sai para os PAs) não diminuiu

      O retorno auricular, você vai acabar, dependendo do volume externo, aumentar e muito o seu retorno para poder se escutar, e foi isso mesmo que eu vi e senti na pele acontecer

      Ainda não desistimos da idéia, estamos trabalhando para uma qualidade melhor sonora, mas na empolgação, não tem jeito, tudo começa muito bem regulado, e termina com tudo no talo, após abusos individuais consecutivos por parte de todos os membros

      Veio ao meu conhecimento, que vários músicos profissionais, já teriam perdido consideravelmente a audição por causa do uso irresponsável e abusivo deste tipo de retorno

      Então

      Cuidado com a AUDIÇÃO

      DDODS91
      Veterano
      # ago/12 · Editado por: DDODS91
      · votar


      Edson Caetano

      Se bem que agora já estou meio surdo mesmo, mais fazer o que ? rsrsrs ..

      Estou admirado demais com algumas gravações acústicas, como essa aqui por exemplo:



      Sei que gravar acusticamente é bem mais complicado, mas se o trabalho for bem feito, os resultados são superiores até mesmo do que as gravações digitais, concordam ?

      O conceito é simples e todos nós já sabemos: um bom conjunto de guitarra, amplificador e pedais gravado decentemente acusticamente supera totalmente uma gravação de uma guitarra com VSTis, etc ..

      O mesmo vale para o piano em relação ao teclado, um piano muito bem afinado gravado muito bem acusticamente supera teclado com VSTi, ou até mesmo pianos digitais com timbres próprios.

      Pelo menos todos os CDs de música que eu ouvia era gravado acusticamente, tudo bem que em um trabalho totalmente profissional, mas esses trabalhinhos caseiros estão realmente me surpreendendo.

      Ressalto que um bom trabalho gravado digitalmente também deixa qualquer um de boca aberta, fico imaginando uma gravação de um Roland V-Piano muito bem mixada e masterizada, não teria nada a desejar ..

      pianoblack
      Veterano
      # ago/12 · Editado por: pianoblack
      · votar


      Oi Pessoal! Tudo bem!

      Preciso de ajuda. Alguém sabe como resolver o problema de sair o som médio(enlatado) quando uso um CONTROLADOR+MAC+INTERFACE FAST TRACK PRO. Ja notei isso ouvindo outras pessoas usando notebook com um controlador em suas apresentações.

      Agradeço.

      Dacio

      MMI
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      DDODS91

      Sei que gravar acusticamente é bem mais complicado, mas se o trabalho for bem feito, os resultados são superiores até mesmo do que as gravações digitais, concordam ?

      Posso ser honesto? Não acho não, em partes...

      um bom conjunto de guitarra, amplificador e pedais gravado decentemente acusticamente supera totalmente uma gravação de uma guitarra com VSTis, etc ..

      Não, discordo radicalmente. Depende do tipo de gravação, do estilo, do objetivo. Sua afirmação é verdadeira, com ressalvas, para guitarra rock, com ganho moderado. Para guitarra com super ditorção from hell qualquer coisa serve, pode ser um cabo de vassoura em linha com VST que o ganho disfarça tudo. Para som limpo, especialmente guitarra jazz do tipo archtop (é o tipo mais caro e luxuoso de guitarra) grande parte dos guitarristas e produtores preferem gravar em linha mesmo. Eu mesmo me recuso a gravar a minha microfonada.

      O mesmo vale para o piano em relação ao teclado, um piano muito bem afinado gravado muito bem acusticamente supera teclado com VSTi, ou até mesmo pianos digitais com timbres próprios.

      Também depende. Se "um piano" você se refere a um Steinway super bem cuidado, nos melhores estúdios do mundo, com os melhores microfones, equipamentos e técnicos, concordo plenamente, mas isso é fora da realidade. Aqui no mundo real, realidade brasileira, ás vezes no estúdio tem é um piano dos mais baratos que nem sempre está com a afinação e manutenção em dia. Nesses casos acontece do VST ser melhor, mas um bom VST que de repente custa o preço de um piano desses mais simples. Ou seja, depende...

      Veja, gravação se depende de instrumento, equipamento e técnico, deixando de lado o óbvio que é o instrumentista. Nisso os VST concorrem pesado na falta de um desses itens.

      pianoblack

      caramba, está muito difícil te responder. Explica direito seu problema...

      pianoblack
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      O som nas caixas sai meio medio quando uso o notebook com meu controlador midi, entendes?

      MMI
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      pianoblack

      Entendo. Mas explica os programas usados, sua monitoração, o que você tentou.

      pianoblack
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      Uso controlador midi+macbook+software ABLETON e Reason6(demo) via rewire+interface de audio FAST TRACK PRO. Uso um cabo de audio da interface para a mesa de som porem o som sai meio medio, entendes?

      Edson Caetano
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      pianoblack
      Vai depender totalmente do seu equipamento de audio, se acha que esta respondendo muito médio porque nao coloca um equalizador aí?

      Rhamon Oliveira
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      E aí, pessoal, tudo certinho?

      Eu vi que apesar do título do tópico ser sobre interfaces de som, o assunto mudou bastante (passando por coisa de estúdio, até chegar em surdez, eahueaheu). Po, a minha dúvida é sobre placas de som mesmo. Eu postei isso num outro tópico, mas era sobre controladores. Aí me recomendaram postar aqui e eu basicamente to copiando e colando.

      É o seguinte, recentemente eu comecei a considerar a possibilidade de aproveitar o meu notebook para usá-lo com VSTs. Ele é um Dell Inspiron, com 4Gb de RAM, Processador i3, 500 Gb de HD (é o que lembro de cabeça, eu não estou com ele no momento). Eu queria uma orientação na escolha de uma placa de som externa. O objetivo não é gravar nem nada, apenas performance ao vivo. Eu estou completamente perdido no quesito placa de som.

      Depois de ver isso e sabendo mais ou menos o preço da placa, eu vou começar a procurar por um bom controlador. Eu estava namorando um Cakewalk A-800 Pro, mas se uma placa boa for cara, eu terei de comprar um controlador mais barato. Um rapaz lá do outro tópico me recomendou o UMX610 que já vem com a placa. Alguém sabe dizer se essa placa que vem com ele é boa? Eu vou conseguir uma latência legal?

      Abração! o/

      DDODS91
      Veterano
      # ago/12 · Editado por: DDODS91
      · votar


      MMI

      Concordo com você, devemos mesmo levar em consideração as possibilidades e os fatos, realmente em alguns casos pode valer mais a pena a gravação em linha do que a acústica, parei para refletir na sua resposta e de fato esse mundo da gravação também é extremamente relativo a cada determinada ocasião;

      No contexto piano, as vezes a gravação acústica pode estar com aquele ruído chato, mas as nuances do piano acústico faz com que o vídeo fique agradável por aquele fator em si, do qual faz todo mundo ouví-lo, vai saber se o cara não poderia gravar em linha, mas de repente preferiu acusticamente pelos seus prós, é como você disse, depende do objetivo;

      O vídeo abaixo tem um reverb exagerado, irritante, mas de alguma forma me agrada, é um timbre que só o piano vertical proporciona, ficaria 10x melhor se o ambiente estivesse tratado, e o áudio houvesse sido manipulado após a gravação, mas fazer o que ? rsrsrs.



      Rhamon Oliveira

      Amigo, eu até que lhe ajudaria, mas não tenho idéia de quais interfaces são indicadas para live, acho que as principais citadas aqui no tópico podem dar conta, não ? Fast Track Pro, Scarlett 2i2, Audiobox USB, eu particularmente acho que vou de Scarlett 2i2 (acho), é que cada um me indicou uma coisa, então tenho que ir na minha dessa vez rsrsrs, mas todas as indicações foram boas.

      Bom, se tratando de latência, creio que qualquer uma das citadas aqui tem uma boa latência, só ver nos sites oficiais as especificações de cada uma, e ver qual delas pode te agradar, lembrando que, todas elas são custo-benefício, estão de R$ 600,00 a 700,00 .. lembre-se também de analisar a disponibilidade para sua plataforma (PC/Mac).

      Rhamon Oliveira
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      DDODS91

      Opa! Obrigado pela ajuda, rapaz. Eu andei pesquisando e troquei uma ideia com outras pessoas aqui no fórum e tal. Vou comprar o UMX pelo fato de ser um controlador com um ótimo custo benefício. Como ele vem com a placa, vou testá-la e ver se me agrada. Caso não dê conta dos meus objetivos, eu vou investir numa placa de som melhor.

      No final das contas, vou economizar um trocado, já que antes eu iria comprar um Cakewalk A-800 Pro.

      Abraços ;D

      Edson Caetano
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      Rhamon Oliveira
      Vai economizar, mas os produtos não se comparam, o apro é muito superior

      Quanto a placa, a UCA é simples, funciona sem latencia, só saber configurar, hoje em dia qualquer placa faz isso, inclusive as onboards, mas os conversores são regulares

      Rhamon Oliveira
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      Edson Caetano

      Concordo, cara. Mas é aquilo: Eu não sei se vou precisar de todo o poder de fogo que o A-Pro oferece. Além disso, estou começando nesse mundo de VSTs, saindo de um mero PSR-295. Pelo que vi, o UMX satisfaz meus interesses por ora.

      PS: Só pra constar... É você que tem um UMX? Parece que vi você falando sobre o assunto em outro tópico aqui no fórum.

      Hasta!

      Edson Caetano
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      Rhamon Oliveira
      Sim tenho um umx250 e um Apro 800

      Faz toda a diferença os controles do Apro , se aperta aí e pega um Apro

      Rhamon Oliveira
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      Edson Caetano
      se aperta aí e pega um Apro

      Heuahuehuehua... Po, já to apertando o máximo xD

      Eu bem queria, mas acho que ainda não é o momento.

      DDODS91
      Veterano
      # ago/12 · Editado por: DDODS91
      · votar


      MMI

      Estou vendo a cada dia que a questão da gravação acústica ou em linha realmente se trata de propósito:



      Edson Caetano
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      DDODS91
      Não entendi seu coment... Ou melhor o que quiz dizer com ele e o vídeo

      DDODS91
      Veterano
      # ago/12 · Editado por: DDODS91
      · votar


      Edson Caetano

      Invéz de falar "em linha", falei "digitalmente", mas já editei.

      Em linha não seria possível gravar ambos os instrumentos do vídeo, por isso eu disse que a gravação acústica referente a em linha se trata de propósito, conforme o MMI havia citado.

      Me expressei mal rsrsrs.

      MMI
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      DDODS91

      Nos sons que a gente ouve em CDs e grandes produções de estúdios, hoje em dia tem muita coisa digital e gravação em linha. Nem por isso diminui em sonoridade ou valor, tem muita coisa boa e que soa lindo. Eu pessoalmente sou meio antigão, ainda prefiro fazer coisas "old school", mas muitas vezes misturo com digitais e sons em linha e fica melhor ainda.

      DDODS91
      Veterano
      # ago/12 · Editado por: DDODS91
      · votar


      MMI

      Acho que eu estou meio confuso sobre o que é necessariamente uma gravação digital ..

      Pelo que eu entendo, é isto:

      "Gravação Digital é o processo de conversão ou armazenamento de uma informação ou sinal analógico em uma sequência binária de dados. Tal processo pode ser aplicado a som, textos, fotos e vídeos."

      Fonte: Wikipédia

      Seria isso mesmo ?

      MMI
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      DDODS91

      Gravação digital é extamente isso. Quase não se faz mais gravação analógica, muito raro, mesmo em estúdios. O Pro Tools está aí para afirmar isso.

      O que se discute é a captação, conversão, microfonação (ou não), geração do som e efeitos.

      DDODS91
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      MMI

      Os LPs eram gravados analogicamente, não é ? digamos que eu faça um "LP Rip" para um PC/Mac, o áudio seria inevitavelmente convertido para formato digital neste processo ? ou seja, tudo o que ouvimos (sem excessão) no PC/Mac é digital ?

      Edson Caetano
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      DDODS91
      Sim, inevitavelmente

      Por isso que temos que ter bons conversores Ad/da, dentro do computador é só 0 e 1

      MMI
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      DDODS91

      A gravação digital começou a aparecer no final da década de 80. Alguma coisa dessa época foi gravada digitalmente e depois comercializada em LPs - o primeiro álbum gravado em digital foi em 1979 por Ry Cooder.

      Nos CDs antigos e LPs da época você encontra o "SPARS code" (de Society of Professional Audio Recording Services), uma sequência de 3 letras A, de analógico, ou D, de digital. Mostrava como tinha sido feito o álbum, a primeira letra era para gravação, a segunda para mixagem e a terceira para masterização. Então AAA não podia ser encontrado em nenhum CD, porque no mínimo teria que ter uma mídia digital na masterização, então os CDs começavam em AAD. Essa codificação foi abandonada, mas você já deve ter encontrado isso na capa de CDs/LPs antigos.

      Como disse o Edson Caetano, qualquer computador ou CD só entende sinal digital, só 0 e 1.

      DDODS91
      Veterano
      # ago/12
      · votar


      Edson Caetano
      MMI


      Vamos ver se eu entendi: supondo que eu faça uma gravação microfonada, ou em linha (não importa), então a conversão Ad/da seria o processo que as interfaces fazem no momento da gravação, correto ?

      E no caso, se o computador só armazena dados digitais, porque as interfaces oferecem opção digital/analógico ?

      Estou meio confuso quanto a diferença de um conversor, e de um pré-amplificador .. pois pelo que eu entendi me parece que, o fator mais valioso de uma interface seria a qualidade do pré-amplificador, correto ?

      Mas qual é a função e a diferença de um conversor e um pré-amp ?

      Obs.: Decidi que no momento não vou mais pegar interface, tendo em vista que, me falta prática para gravar algo. Então estudarei mais nesse meio tempo tanto na prática do instrumento quanto sobre as interfaces, e mais pra frente quando eu comprar uma, pegarei uma de qualidade. (apesar de já ter uma boa base, como a Duet).

      MMI
      Veterano
      # ago/12 · Editado por: MMI
      · votar


      DDODS91

      porque as interfaces oferecem opção digital/analógico ?

      Uma guitarra, baixo, violão ou microfone normal produzem sinal analógico. Só que o sinal de um captador magnético desses instrumentos ou mesmo microfones são muito fraquinhos, muito "leves", tanto é que um cabo mais longo ou de menor qualidade vai degradar o sinal (não estou falando dos baixos, guitarras e violões ativos que tem um pré junto). Por isso vai precisar de um pré-amplificador, ou seja, dar uma amplificada no sinal de deixar mais forte. Tem prés mais fortes e mais fracos, que alteram (colorem) mais o sinal, tem prés mais transparentes que só aumentam o sinal, tem pré que quase não adicionam ruído - isso é qualidade do pré.

      Para este sinal poder ser entendido ou armazenado no computador precisa ser digitalizado, virar uma sequência de 0 e 1. Nisso entra o conversor e a qualidade de conversão. Uns parâmetros importantes nessa conversão são o dinamic range e o sample rate:

      "Quando for gravar em casa, evite gravar com níveis altos, a "luzinha" do seu DAW não pode bater em 0 ou acender o clip em hipótese nenhuma para uma boa gravação. Clipping digital (distorção) é horrível. Na sua interface, tem um parâmetro de sample rate, seria quantas "fotos" seu computador tira da onda sonora por segundo. O sample rate de 44.1 kHz está de bom tamanho, são poucos aparelhos (DVD ou Blu-Ray) que suportam mais que isso, mas o ouvido humano, teoricamente, consegue perceber no máximo algo menor que a metade disso. Gravar com maior taxa para depois reduzir não é uma boa ideia, pode estragar seu som, além de ocupar mais espaço de memória e mais processamento de seu computador. A quantidade de bits já faz diferença, isso dá a margem de quantos passos de volumes diferentes seu DAW vai gravar, por isso é legal que se grave com um parâmetro alto aqui, se der, vai de 24 bits. Isso significa que terão 2 elevado a 224 volumes diferentes, uma dinâmica bem alta (mais de 16 milhões de níveis de volume). Lembrem que um CD tem 16 bits de "dynamic range". Com o parâmetro acertado em 24 bits, dá para gravar com o VU (a "luzinha") batendo em -12 dB que ainda teremos 22 bits sobrando para faixa dinâmica, ou seja, 4.194.304 volumes diferentes, que já está muito bom e bem longe da possibilidade de clipar. Depois de gravado sem nenhum clip, você pode juntar suas faixas, mixar, botar um compressor e um limiter fazendo até bater no 0 dB do seu "VU meter" sem problemas se quiser, aproveitando toda faixa dinâmica. Não haverá problemas em passar para um CD ou MP3 com faixa dinâmica menor. E sempre fuja de clipar seu som, preste atenção ao adicionar plugins de efeitos, sempre podem dar um aumento no volume e clipar, até mesmo jogar para um dos lados do pan." (isso eu escrevi na apostila que fiz para o pessoal do fórum que quer aprender a gravar)

      As interfaces caseiras tem todas prés e conversores parecidos. As únicas que tem algo a mais são a Apogee Duet e a RME Babyface, que eu saiba. Não garanto que você precise ou vá notar diferenças com elas em equipamentos comuns de home studio.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Dúvida sobre Interface de Áudio

      302.822 tópicos 7.837.848 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital