Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Punch do Rick Graham

      Autor Mensagem
      luis.alfredosantos
      Membro Novato
      # 03/mar/17 10:46 · Editado por: luis.alfredosantos
      · votar


      Seria mais ou menos um notch filter ao contrário... RR deu um jeito de usar...
      Mas vc tem certeza que ele esta usando ? vc sabe me explicar como funciona ? e saberia me recomendar algum pedal com essa sonoridade, porque acho que é isso que estou procurando , porque so de triscar na nota ja sofre um ataque imediato ( isso com certeza com uma tecnica muito boa)

      Ismah
      Veterano
      # 03/mar/17 15:59
      · votar


      Não... Não funciona do jeito que tu está pensando e não há nenhuma relação com o que tu quer.

      Ele ligava o wah e deixava parado, ao que dizem. Simples.


      O resultado é uma desses picos da imagem abaixo, no caso um Vox V847, mas é o princípio de funcionamento de todo Wah-wah.

      http://www.electrosmash.com/images/tech/v847/wah-wah-effect.png

      DaniloMazzoni
      Veterano
      # 02/mai/18 03:01
      · votar


      Tem gente que fala e não está nem tentando ajudar na questão do cara...
      Meu! O timbre modifica a sua pegada.

      REPITO: O timbre modifica a sua pegada.

      Experimente tocar muitos ligados com agilidade em uma distorção fraca, sem boost, e logo percerá que está usando força e a mão começa a cansar. Resultado é uma pegada dura, após anos acostumado neste timbre.

      Rick Graham menciona em sua aulas que preza pela economia de esforço e os caras acham que o som do "Muted Legato" (que é o som do vídeo aos 2:03, que estão falando) é resultado só da "força dos dedos" do cara.

      luis.alfredosantos, eu também me preocupei em conseguir tirar um som parecido com o dele, usando a Pod hd 500 no meu caso.

      Não sei se eu tenho a solução para o que você procura, mas experimente o seguinte e veja se é isto o que quer conseguir: vamos tomar como exemplo o vídeo, no momento do muted legato. O cara está abafando as cordas e fazendo ligados. Mesmo se você usar um mesa boogie com o drive no máximo o som não será esse do vídeo, as notas morrem antes de qualquer ataque considerável (mesmo com a pegada forte como um SRV, certo?). Agora ligue um compressor com bastante level e output e um tube screamer também com batente output, e o ampli com drive também. Pronto, você matou a dinâmica e o som está sujo e saturado. Mas experimente fazer o muted legado e verá o som aparece! Aí está o segredo. Ir reduzindo o boost, drive e compressor para retirar a saturação e devolver a dinâmica, de modo que você ache um equilíbrio. Agora dê aquela esculpida com um bom equalizador e um reverb a gosto. ;)

      O segredo está em saber usar o compressor, tão temido pelos conservadores.

      Para está técnica o melhor resultado que consegui foi com as simulações do compressor MXR, tube screamer Ibanez e amp Engl fireball (vai bem com Mesa boogie tbm)

      Drinho
      Veterano
      # 02/mai/18 21:00 · Editado por: Drinho
      · votar


      DaniloMazzoni

      Sim, quanto mais comprimido, sujo e processado menos as mãos precisam trabalhar para que saia som em teoria, mas o ponto que a leva muito tempo a aprender e na verdade acho que menos da metade dos guitarristas aprendem é que guitarristas de alto nível, principalmente como o Rick Graham que está até acima disso tocam forte sem fazer força. Os movimentos sempre são curtos e aparentemente leves, mas o sujeito é capaz de dar qualquer tipo de enfase com extrema fluência.....

      Então me parece mais sensato tocar para timbrar em vez de timbrar para tocar....

      DaniloMazzoni
      Veterano
      # 03/mai/18 04:25
      · votar


      Concordo que têm guitarristas querendo que o equip faça milagre e não desenvolvem técnica. Mas me parece não ser essa a questão do tópico e a pessoa que pediu ajuda não está sendo auxiliada.

      O luis.alfredosantos apontou acima que o pessoal estava mudando o foco do tópico. Estão até discutindo traduções do inglês.

      A questão é que ninguém dá harmônicos gritantes estilo Satriani e Van Halen em som clean. E um aluno iniciante pode perder muito tempo tentando aprender harmônicos artificiais gritantes num equip horrível, não conseguir e achar que o problema está na sua pegada (ou seja lá que nome em inglês queiram chamar). Isso aconteceu comigo e colegas da minha geração, tínhamos poucos recursos na época.

      Eu perdi tempo tentando aprender o muted legato e nada saía. Até timbrar da maneira correta. Mesmo após aprender, se eu desligar o boost e compressor a técnica não funciona (assim como o harmônico sem distorção do Satriani que mencionei, mesmo que eu já tenha aprendido).

      Enfim, eu ainda gostaria de aproximar ainda mais o meu timbre com o do vídeo, no ponto específico que Luis perguntou. Se alguém tiver dicas, gostaria de aprender. :)

      Drinho
      Veterano
      # 03/mai/18 20:33 · Editado por: Drinho
      · votar


      DaniloMazzoni

      Não é bem o som de guitarra que eu uso para mim, 90% do tempo eu uso uma timbragem semelhante ao greg howe.... é um som meio de rock mas sem excessos e praticamente sem efeitos que dependendo da interpretação pode até entrar num contexto de música pesada atendendo tranquilamente.. só com o meu amplificador faço isso.... não uso pedais... mas gosto muito de brincar e experimentar equipamentos dos outros, tenho amigos que eventualmente trazem seus pedais aqui em casa e nessas de brincar com pedais já consegui sim fazer coisas semelhantes ao video, com apenas o meu amplificador eu acredito que eu não conseguiria (lembrando que eu não passo perto de tocar como um Rick Graham da vida, insisto em deixar isso claro porque a interpretação é muito importante no produto final). Se você realmente tem discernimento para perceber onde é mão e onde é equipamento usei basicamente com a guitarra de humbucker, um superoverdrive muito mais sensivel que um tubescreamer por exemplo (mais compressão, mais volume (headroom e resposta deste headroom no amp), mais range de equalização e mais range de saturação) somando (não empurrando) com uma distorção laranja daquela NUX que deve ser baseado no BOSS ds-1 (suponho isso pela cor, mas a distorção deste pedal é bem particular porque ela tem um certo toque eletronico que eu particularmente acho muito legal, é um som bem monstrão) seguindo para um delay TC Electronic e terminando no canal limpo do meu amplificador que tem 100w, euqalizador no meio, no limite do pré antes de sujar com presença e master ajustados para o lugar e muito controle na mão porque é uma salada que se deixar ninguém aguenta escutar. Eu gosto de mexer com amplificador de 100w porque eles dão muito mais flexibilidade para construir som, logicamente dão seus prejuízos também mas não podemos ter tudo. No caso meu amplificador é um valvestate então é possível extrair som dele sem fazer tanto barulho, no caso de valvulados eu confesso que tenho dificuldade com a maioria deles pois não costumam ser dóceis. Um ENGL steve morse é dócil, da pra por no banheiro e tocar tirando um som maravilhoso em baixo volume tamanha a engenharia do negócio, mas o preço não é nada dócil.

      Não creio que tenha grandes segredos, apenas achar um pedal de distorção tenha voicing para isso, engordar ele com overdrive e tacar delay ou reverb ou os dois sei lá.

      Só um adendo, no caso do video acredito que ele esteja usando alguma coisa tipo kemper, fractal ou mesmo simuladores tipo guitar rig.

      SteveRayMorse
      Veterano
      # 04/mai/18 03:42
      · votar


      Esse tópico poderia ser nomeado "Caçar pelo em ovo". Desculpe, mas olhando os vídeos claramente se percebe que é o cara que faz e o equipamento é o de menos. É como foi falado, pra tirar certos timbres o cara precisa de certos níveis de ganho, algumas guitarras/captações favorecem, potencializam e etc. Mas achar que o Fractal faz aquilo ali?! Aff..É 98% o cara aí o resto é equipo.

      É mais fácil afirmar que ele simplesmente tocou de maneira diferente e em guitarras diferentes nos vídeos.

      DaniloMazzoni
      Veterano
      # ontem às 02:47
      · votar


      Talvez por isso tenham tão poucos guitarristas com timbres decentes. O estudo do timbre é algo muito complexo.


      Se a gente fala que muito depende do equipamento, a galera já acha que estamos querendo que o equipamento faça o serviço. Não é nada disso.

      Entendo o descontentamento do colega que criou o tópico.

      Tantos querendo endeusar os ídolos e nada de se conversar sobre timbragem.

      Tô pra ver alguém fazer o harmônico da cemetery gates no som clean (ou até mesmo som low gain, ou mal timbrado). Cadê os dedos mágicos?

      Tenho certeza que o Rick Graham, além de técnica e musicalidade, estudou muitas horas de como timbrar.
      Não acho que o timbre deva estar fora dos meus estudos. Por isso venho recorrendo aos fóruns. Mas sempre que o assunto é timbre o povo fala "ah mas é que Fulano famoso é o frita das galáxias". Então pq utilizam fractal e ibanez prestige e não zoom 505 com ibanez gio? Afinal isso é só 2%

      Mesmo que seja um equip barato ou caro, estudar e discutir timbres é produtivo.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Punch do Rick Graham

      305.229 tópicos 7.886.578 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital