Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Como o Jonny Greenwood consegue esse efeito?

      Autor Mensagem
      Pottercks
      Veterano
      # jan/16


      Bom, eu estava assistindo um show do Radiohead e me interessei pelo efeito que o Jonny Greenwood utiliza aos 1:33:44, quando a guitarra parece ter sido gravada por milisegundos e reproduzida repetidamente, porém nos segundos seguintes a repetição fica mais rápida, me fazendo crer que ele não mexeu no delay, nem mesmo em um tap. Mas o que me chamou atenção mesmo foi aos 1:33:52 e eu gostaria de saber como ele consegue fazer aquilo. Eu tentei fazer aquilo com meu delay, mas não ficou muito bom. Procurei na busca e em outros sites, mas nada que explicasse isso.



      Desde já agradeço.

      eternansiedade
      Membro Novato
      # jan/16
      · votar




      acho que esse vídeo pelos 40s pode te responder.

      Ismah
      Veterano
      # jan/16
      · votar


      arpejador programado?
      DJ?

      PS (OFF TOPIC) caramba esses caras tem um conceito bem estranho de som, já achava a banda ruim, mas ao vivo conseguem ser ainda piores ¬¬

      nichendrix
      Veterano
      # jan/16 · Editado por: nichendrix
      · votar


      Pottercks
      Na versão de estúdio dessa parte tem um quilo de reverb, só um pouco de delay e um whamy. Não tem nenhuma variação no tempo do delay, ele só fica alternando entre palhetada normal e tremolo picking. Por sinal fiquei anos procurando um Shered Master por causa da distorção do Riff principal dessa música.

      Na do vídeo aí acho que na verdade o que existe é uma brincadeira com ring modulator, um loop station, delay e em alguns momentos com o kill switch que ele instalou na guitarra.

      Ismah
      Cara, pra mim é uma das bandas mais fodas que já pude ver, embora prefira o som deles em estúdio, que é onde os caras fazem coisas muito fodas.

      Só que desde idos de 2003 pra cá eles entraram no modo foda-se que todo mundo vai aplaudir qualquer merda que a gente fizer, então vamos fazer zoada até começarem a reclamar.

      Eu não nego que já tive uma banda chamada os Tapurus que o conceito surgiu assim, numa discussão com amigos de várias bandas, surgiu a pergunta será que vão achar bom qualquer merda que a gente fizer desde que pareça punk ou metal? A gente inventava as letras das musicas 10min antes de subir no palco e a primeira providência era botar os amps no talo e desafinar os instrumentos aleatoriamente. Chegaram a botar a gente pra tocar pra umas 5mil pessoas e o povo bateu cabeça como se a gente tivesse tocando todos os clássicos do Cannibal Corpse, provando toda vez que tendo um ritmo pra bater cabeça, pouco importa o resto... mas essa é uma conversa pra outro lugar.

      Ismah
      Veterano
      # jan/16
      · votar


      nichendrix

      Eu entendo esse resto todo... Eu prefiro as bibas de lycra e laque que comiam garotinhas depois dos shows... É mais gosto.

      Do Shred Master eu só vi um na vida que é de 90 por aí... Por aqui ele não vingou, ou vingou tão bem que quem tem não vende, ou já detonou ele de tanto usar. Eu acho ele muito "zzzzzz", não é o pedal que eu desejaria.

      Pottercks
      Veterano
      # jan/16
      · votar


      eternansiedade
      Muito obrigado. O meu delay é um Nux time core e o Hold funciona diferente, apesar de disponibilizar mais tempo de gravação. Eu precisaria pisar duas vezes e muito rápido para conseguir esse efeito, mas fico feliz em saber como funciona, pois achei bem maneiro.

      Ismah
      Eu costumava ouvir poucas músicas do Radiohead e não curtia quando entrava num lance mais experimental, mas comecei a me interessar e dar chance a eles e de fato estou descobrindo bastante coisa, ainda mais devido ao fato de eles saírem bastante daquele padrão de banda alternativa com 2 guitarras, baixo e bateria. No princípio eu questiona a presença de uma terceira guitarra, mas hoje vejo que a atmosfera que eles criam, de um modo geral exigia (nos primeiros álbuns) e ainda exige (de modo diferente) essa construção da banda. Enfim, Radiohead é algo a se experimentar sem pré-idealismo.

      nichendrix
      Obrigado. Eu estava ainda ontem me questionando sobre qual distorção era essa da gravação de Airbag, mas não tava entendendo, agora que você falou foi que me lembrei que ele usa mesmo um Shred Master. E sobre preferências, eu estou preferindo as versões ao vivo. Digo, quando eu saio de casa, ouço os álbuns pelo celular, mas quando to em casa eu fico vendo algum show deles, porque eu realmente curto assistir a coisa acontecendo, tipo, ver o processo de manipulação dos instrumentos. Há uns 3 anos eu não curtia ver coisas ao vivo por ser bem diferente do álbum, mas depois comecei a me interessar mais pela atmosfera própria de cada banda. Acredito que o Radiohead com o tempo se tornou mais "eles mesmos" e menos "os outros", digo, cada vez menos eles ligam pro público como avaliadores, apenas criam utilizando-se de diversos métodos e agradando-se pessoalmente pelo resultado. Ultimamente tenho aprendido bastante com eles, tanto sobre equipamentos quanto sobre música em si. Não quer dizer que todo o resto está errado, são apenas visões diferentes. E depois de vários anos vendo tudo do mesmo modo, é bom mudar.
      Quanto a sua banda, eu realmente queria ter visto isso. Cinco mil pessoas batendo cabeça ao som de instrumentos desafinados e uma letra improvisada.

      Ismah
      Veterano
      # jan/16
      · votar


      Pottercks

      Porque ao vivo a banda é* como ela é. Sem convidados pra gravar isso aquilo e aquele outro...

      * "É" não mais, "era" já que se tem uso de samples cada vez mais frequentes.

      Lelo Mig
      Membro
      # jan/16
      · votar


      Boss DD3

      nichendrix
      Veterano
      # jan/16
      · votar


      Ismah
      Cara, na verdade ao vivo a banda é igual ao som de estúdio. Já que eles costumam a filmar as gravações e não raro deixam aberto pra os fãs verem via streamming na página da banda. Eu vejo isso acontecer pelo menos desde o Kid A (2001).

      Eles montaram um estúdio só pra eles, só gravam ao vivo, com a banda inteira, o estúdio parece um depósito de tranqueira, já que os caras colecionam muito equipamento, tanto "moderno" quanto vintage. Obviamente depois que eles gravam junto há overdubs pra ajustar tudo.

      Ao vivo eles em geral preferem improvisar a maior parte do show, eles combinam as músicas antes, mas raramente tocam as músicas igual ao que está no disco, viajam bastante dependendo da vibe do que está acontecendo.

      Mas acho que em grande parte isso vem de uma época um pouco anterior, onde endeusavam os caras e eles ficavam muito incomodados e faziam marmota nos shows pra ver se ainda iam achar massa, depois eles desencanaram e começaram a improvisar o show inteiro. De qualquer forma eles mesmos admitem que não são os maiores fãns do mundo de tocar com frequência pra multidões, sempre admitiram que se sentem melhor no estúdio.

      Do Shred Master eu só vi um na vida que é de 90 por aí... Por aqui ele não vingou, ou vingou tão bem que quem tem não vende, ou já detonou ele de tanto usar. Eu acho ele muito "zzzzzz", não é o pedal que eu desejaria.

      Não existem muitos no Brasil e realmente quem tem não vende, não troca e nem dá. Pra mim ele é tudo que o Metal Zone queria ser quando crescer. É um pedal temperamental, que só fica perfeito bom quando você tem captadores noiseless de alta saída socando sinal nele.

      Pottercks
      Obrigado. Eu estava ainda ontem me questionando sobre qual distorção era essa da gravação de Airbag, mas não tava entendendo, agora que você falou foi que me lembrei que ele usa mesmo um Shred Master.

      O som dele é muito peculiar, não dá pra conseguir facilmente, eu cheguei a modificar uma Tele pra ficar igual a dele, com Kill Switch, um par de Lace Sensor Red ligados em série (o que é uma puta loucura, já que a saída de um Sensor Red já é alta pra caramba) na ponte e um Lace Sensor Blue no braço. Outro elemento importante do som dele é que ele usa amplificadores Fender SS e é bem difícil tirar esse som de valvulado, tem que ser um SS.

      No fim, acho os sons do Ed O'Brien mais legais, mas eu nunca iria botar um braço de Rickembacker numa 335 pra ver no que dá, mas sou doido pra ter a linha inteira da Lovetone no board como o Ed tem, os amps dele também são amps que eu sempre quis ter (antes mesmo de conhecer a banda), e bom, tirar sons malucos de guitarra é com ele mesmo. E na boa o que ele faz de maluquice com Ring Modulator e Envelope Filter não é desse mundo.

      E sobre preferências, eu estou preferindo as versões ao vivo. Digo, quando eu saio de casa, ouço os álbuns pelo celular, mas quando to em casa eu fico vendo algum show deles, porque eu realmente curto assistir a coisa acontecendo, tipo, ver o processo de manipulação dos instrumentos. Há uns 3 anos eu não curtia ver coisas ao vivo por ser bem diferente do álbum, mas depois comecei a me interessar mais pela atmosfera própria de cada banda. Acredito que o Radiohead com o tempo se tornou mais "eles mesmos" e menos "os outros", digo, cada vez menos eles ligam pro público como avaliadores, apenas criam utilizando-se de diversos métodos e agradando-se pessoalmente pelo resultado. Ultimamente tenho aprendido bastante com eles, tanto sobre equipamentos quanto sobre música em si. Não quer dizer que todo o resto está errado, são apenas visões diferentes.

      Cara, a banda faz algumas experiências ao vivo, mas não é algo que eu diria que é o som da banda não. Até porque eles admitem que não gostam de tocar ao vivo e não é raro para eles ficar até 6 anos sem pisar nos palcos.

      Os caras admitem que pra eles era terrível ter que tocar o OK Computer ou o The Bends inteiro todo show, igualzinho e era isso que incomodava, se é pra ver igual ao que gravaram, na concepção deles, era melhor comprar o disco e ouvir. Essa pressão afastou eles dos palcos e por um tempo até dos estúdios, o Tom foi fazer pirações com a PJ Harvey, os irmãos Greenwood foram fazer trilha sonora de filme, o Ed e o Phil foram curtir um pouco a vida com a família. Enfim, o som ao vivo nunca é o som que eles curtem ou o som que eles intencionam fazer, mas é onde eles fazem muitas experiências para aproveitar depois em estúdio.

      Ismah
      Veterano
      # jan/16
      · votar


      nichendrix
      da vibe do que está acontecendo.

      Isso está atrelado a qualidade do "produto" consumido pelo que parece.

      De resto, vamos morrer aqui, não gostei, e até achar algo que goste, vamos ficar nessa rs

      É um pedal temperamental, que só fica perfeito bom quando você tem captadores noiseless de alta saída socando sinal nele.

      Testei com uma Ibanez RG350EX, talvez o amp que estivesse regulado com muitos agudos (é pai e filho que se alteranam na mesa de PA e guitarra, e é assim que o pai usa na banda). Porém, no review do u2b, achei a mesma coisa.

      eternansiedade
      Membro Novato
      # jan/16
      · votar


      Pottercks

      Também usava um e tentei de mil maneiras fazer isso.

      Dá pra fazer umas coisas legais também usando um tremolo com onda quadrada e um phaser. Simula um arpegiator. Em Planet Telex ele usa tremolo e phaser, mas o phaser é bem de leve.

      Quanto ao Radiohead, nunca ouvi muito, mas sempre achei uma puta banda. Sou desses chatos que ignora as bandas quanto tão muito em hype hahaha
      Comecei a ouvir há pouco porque minha esposa curte muito e tô curtindo bastante. A mesma coisa com Tame Impala, só comecei a ouvir ontem, mas já ouvi umas 5 vezes a discografia inteira de lá pra cá.

      Não curto muito o Shred Master, na real não curto marshall e nem distorção high gain, sou mais de fuzz para essas barulheiras, mas é questão de gosto. Tem um cara vendendo um há tempo em um grupo de Floripa no face. Acho que tava pedindo 500 e poucos.

      Esse lance de usar SS é uma pira que tenho tido ultimamente também e não sabia que ele usava. Para barulhinhos acho bem mais legal mesmo.

      nichendrix
      Veterano
      # jan/16 · Editado por: nichendrix
      · votar


      eternansiedade
      Dá pra fazer umas coisas legais também usando um tremolo com onda quadrada e um phaser. Simula um arpegiator. Em Planet Telex ele usa tremolo e phaser, mas o phaser é bem de leve.

      Na verdade o Johnny não usa nem Phaser e nem Tremolo, ao menos até o Amnesiac ele não usava, depois eles passaram um tempão sem tocar ao vivo e não acompanhei mais o board dele e do Ed. Ele usa é um vibrato, se não me engano valvulado, de um esquema que achou na internet baseado no vibrato dos Ampeg antigos (um dos poucos amps que vinham com um vibrato de verdade).

      Algo como Mallekko


      O que a maioria não se toca é que aquele som na verdade sai de duas guitarras uma é o Johnny tocando com o Vibrato e a oura com o Ed tocando com o Tremolo de onda quadrada da Korg A2 dele.

      Quanto ao Radiohead, nunca ouvi muito, mas sempre achei uma puta banda. Sou desses chatos que ignora as bandas quanto tão muito em hype hahaha
      Comecei a ouvir há pouco porque minha esposa curte muito e tô curtindo bastante. A mesma coisa com Tame Impala, só comecei a ouvir ontem, mas já ouvi umas 5 vezes a discografia inteira de lá pra cá.


      Procura o Terror Twilight do Pavement, é o ultimo disco da banda e o mais fácil de digerir, se gostar procura os outros. É uma banda que influenciou quase todas bandas "alternativas" dos anos 90, de Radiohead a STP a Weezer a Strokes e tudo que existir entre eles. Até fiz um review no meu antigo blog. Foda que o show de despedida da banda foi no Brasil e eu só fiquei sabendo depois.

      Não curto muito o Shred Master, na real não curto marshall e nem distorção high gain, sou mais de fuzz para essas barulheiras, mas é questão de gosto. Tem um cara vendendo um há tempo em um grupo de Floripa no face. Acho que tava pedindo 500 e poucos.

      Ele não é um pedal caro, mas é um pedal que tem uma legião de seguidores fieis, tenho fuzzes e vibes demais pra negar que coleciono, mas Fuzz não serve pra tudo.

      Esse lance de usar SS é uma pira que tenho tido ultimamente também e não sabia que ele usava. Para barulhinhos acho bem mais legal mesmo.

      Por sinal o amp dele é bem barato é um Fender Deluxe 85, que foi substituído pelo Deluxe 90.

      Pottercks
      Veterano
      # jan/16
      · votar


      Muito obrigado a todos pelas respostas.

      nichendrix
      Sobre a questão ao vivo x estúdio, quando eu digo que prefiro vê-los ao vivo é exatamente pela peculiaridade de cada show e não pela reprodução em si. Eu concordo com a questão de que se quer ouvir reprodução, compre o cd e ouça-o. Tem algo no radiohead que tem me atraído bastante ultimamente, acho que é o conjunto de timbres, experimentalismo e equipamentos.

      eternansiedade
      Membro Novato
      # jan/16
      · votar


      nichendrix

      Pavement é talvez a banda que mais ouvi na vida. Essas bandas 90's eu curto demais. E esse disco é o meu favorito. Tão rolando umas bandas novas legais nessa pegada. Já ouviu DIIV? E Wild Nothing?

      nichendrix
      Veterano
      # jan/16
      · votar


      Pottercks
      Sobre a questão ao vivo x estúdio, quando eu digo que prefiro vê-los ao vivo é exatamente pela peculiaridade de cada show e não pela reprodução em si.

      Bom, em geral não gosto de show igual ao disco, mas no caso deles é caixinha de surpresa demais, alguns são ótimos, outros uma merda só.

      Tem algo no radiohead que tem me atraído bastante ultimamente, acho que é o conjunto de timbres, experimentalismo e equipamentos.

      Cara, Subterranean Homesick Alien e Iron Lung são uma aula de timbre, de efeitos e de música que eu fiquei uns 10 anos da vida dissecando, é algo simples, mas complicado pra caralho.

      megiddo
      Membro
      # jan/16 · Editado por: megiddo
      · votar


      nichendrix
      Em termos guitarrísticos, eu gosto bastante de Weird Fishes/Arpeggi e Let Down.

      nichendrix
      Veterano
      # jan/16 · Editado por: nichendrix
      · votar


      megiddo
      Let Down tem uns arpeggios legais, que já se insinuavam desde Street Spirt (Fade Out), já o trabalho do In Rainbows é mais desconstruído e cru.

      Agora aquele som de Subterranean Homesick Alien só rola com uma combinação de pedal muito específica e um dos pedais ainda tem que ser de uma determinada marca e modelo... kkkk

      nichendrix
      Veterano
      # jan/16
      · votar


      Pottercks
      Esse Pedal aqui é a fonte de quase todos os sons malucos do Radiohead, sons como Subterranean Homesick Alien, só são possíveis usando ele e o Whammy junto com delay. Já tentei tirar esses sons com outros Envelope Filters como o Q-Tron ou o Mini Q-Tron da EHX, mas não sai, só rola com o Meatball porque ele tem alguns controles que nenhum outro envelope filter tem, como controle de dois parâmetros no pedal de expressão ou controle de parâmetros com célula foto sensível, que varia o efeito de acordo com a quantidade de luz que ela recebe.



      Outra maquina de sons malucos que o Ed O'Brien usa é o Ring Stinger, também da Lovetone, que é o Ring Modulator mais foda que eu já testei na vida, eu tinha um Ring Modulator Akai dos anos 70, mas não chega nem perto desse nível de maluquice.



      Acho uma pena a Lovetone não existir mais, eles fizeram pedais muito fodas e únicos e que se tornaram lenda nos anos 90 e início dos 2000, sem imitar ninguém, tudo realmente original, mais pena ainda é o preço que eles são hoje em dia. Já que são facilmente de 3-8x mais caros que o que custavam quando eram novos.

      megiddo
      Membro
      # 12/mai/18 21:52
      · votar


      Max/MSP?

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Como o Jonny Greenwood consegue esse efeito?

      305.751 tópicos 7.895.450 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital