Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

acordes de emprestimo modal

Autor Mensagem
jonathan
# ago/02


queria saber mais sobere acordes de emprestimo moda(AEM)

Carlos
# ago/02


É cara vou lhe dar uma ajudinha.

O pessoal não está muito afim de falar sobre isso ou por nunca ter falado.

Bom eu nao entendo muito desse tópico mas vou explicar um pouco.

Acordes de empréstimo modal (AEM) são acordes do modo (tonalidade) menor usados no modo maior paralelo e vice-versa. Tonalidade homônima ou parelela é quando temos tonalidades diferentes para a mesma tônica. Por exemplo, a tonalidade paralela de Dó maior é Dó menor. A tabela abaixo representa os tipos de acordes que podem ser utilizados nos graus indicados em substituição ao modo homônimo ou paralelo.

Graus Tipos
I Maior/Menor
II Menor/Diminuto
III Menor/Maior (bIII) / Maior 5# (bIII)
IV Maior/Menor
V Maior/Menor
VI Menor/Maior (bVI) / diminuto
VII Diminuto/Maior (bVII)

Bom vou rever e dar mais uma explicadinha.

As escalas modais podem ser usadas na harmonização dentro do sistema tonal e a música brasileira é muito rica neste processo. Tem origem aí os chamados acordes de empréstimo modal. Estes podem ter duas causas: quando são frutos de alguns dos modos antigos (dórico, frígio e etc.), ou quando “Acordes do modo menor (são) usados no modo maior paralelo e vice-versa”(CHEDIAK). Os de maior interesse agora são os primeiros, pois trabalham com todas as escalas antigas.


Uma melodia feita em diatônica (em Dó maior) pode ser facilmente harmonizada por acordes unicamente diatônicos, como o modelo: C7+ / F7+ ; G9 / F7+ ; G(sus) / Am ; Em7 / Dm7 ; G(sus) / C7+ //

Para se empregar as escalas modais nessa harmonização, deve-se atentar para que as notas dadas na melodia pertença à escala modal de onde se extraiu determinado acorde.

Este Db7+ no segundo compasso vem do modo frígio sobre dó.No caso, um acorde construído sobre o II° deste modo.

Jonathan agora tem uns treco de MODULAÇÕES que nem vou tentar explicar pois é dificil e muito embaralhado, para dizer a verdade. "NEM SEI AO CERTO".

Um abraço Espero que seja útil.

FUIII

cardraw@hotmail.com

jorge Paulo Silva
Veterano
# jun/04
· votar


John Lennon

LeandroP
Moderador
# jun/04
· votar


jorge Paulo Silva

heim?

MacCa
Veterano
# jun/04
· votar


ué, modulação é a mudança de campo harmônico no decorrer da música(a música muda de tom)

MacCa
Veterano
# jun/04
· votar


essa técnica é muito útil, o weezer, por exemplo se utilizou dela em algumas músicas(modulando para a relativa maior porém partindo de uma tonalidade maior; por exemplo de G para Bb), para proporcionar a impressão de força e dar clímax a música, além de não precisar aumentar muito a voz pois esse tipo de modulação possibilita uma melodia mais ou menos parecida

Pedro Gurgel
Veterano
# mar/05
· votar


Ola amigos!

Emprestimo modal ao meu ver nao é apenas o uso da escala paralela

e vc pegar "emprestado" mesmo qualquer acorde de qualquer tonalidade

isso é naturalmente hj na nossa musica sem se perceber ( como se explicaria mudar de acorde de C pra A , ou de C pra E ? ) e pq combina

creio q vá alem das tensoes proximas entre os acordes, no fundo ir de C pra A pode causar climas distintos dependendo da intencao, a grande taca q eu me dei conta e q no fundo o emprestimo é emprestimo mesmo

Na verdade todo acorde tem sua funcao na escala certo? por exemplom numa base de q obedeca a um ciclo, o basico 1, 4, 5 -> 1 por exemplo ( C, F , G7, C ) podemos perceber q há repouso em C, afastamento em F, Aproximacao G7 para C , fechando o ciclo, entao cada acorde tem a sua funcao, no caso todo V grau da escala q porventura chama a tonica ele tem algo em comum! todos sao acordes maiores com setima menor ( em se falando na escala de C maior natural , jonico), entao onde entraria o emprestimo modal? SIMPLES! é so substiuir o sol por um outro acorde com a mesma configuracao, é claro q nao vai pegar qq um de qq altura, e aconselhavel q se inverta pra ter uma aproximacao mais smooth, e acaba dando climas de "resolucao" bem diferentes, mas todos resolvem!

quer um exemplo, quem sabe se... C, F, C#7 -> C
ou C, F, B7 -> C
por ai vai :)

o mesmo cabe a todos os outros dois tipos de acordes os acordes q substituem esses de quinto grau os acordes de afastamento e os acordes q substituem a tonica

por exemplo

C..Am...F....G7...C

percebemos q o C é tonica, Am, é substituto da tonica, F afastamento, G aproximacao e fecha em C

entao é so substituri, atentando para as peculiaridades de cada grau :)

como por exemplo o quarto grau da escala maior, aceita quinta bemol.... e etc

é assim q eu vejo, nao li isso em lugar nenhum , fui aprendendo por ai, mas se eu estier errado e alguem quiser papear , tudo bem :))))



Ps: qto a MODULACAO nao é mudar de tom

Modular é vc transpor uma melodia pronta pra uma outra tonalidade

experimenta tocar parabens pra vc em Dó maior, e depois em Çá maior...depois em Fa maior... vc ta modulando hehehe :)


Abracos!!

Voz_Violão
Membro
# 05/set/12 01:18
· votar


Galera, me dá um força e veja se eu entendi o que é empréstimo modal.

Se eu estou tocando uma musica em C eu posso incluir qualquer acorde do campo harmonico de Cm?

LeandroP
Moderador
# 06/set/12 16:56
· votar


Voz_Violão

Sim, pode! A tonalidade menor é uma tonalidade paralela à tonalidade maior. Ou seja, C maior e C menor são paralelos. Quando você toca um acorde de uma tonalidade em outra, está naturalmente utilizando um empréstimo modal. Veja esta progressão: C - F - Fm - C. O acorde Fm foi emprestado da tonalidade de C menor.

dom de Deus
Veterano
# 08/set/12 19:31
· votar


quando penso que aprendi algo, ai que vem algo pela frente, mas é assim que é bom!

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
 

Tópicos relacionados a acordes de emprestimo modal

286.557 tópicos 7.484.606 posts
Fórum Cifra Club © 2001-2014 Studio Sol Comunicação Digital